Assine já
Transportes

Ryanair reduz emissões em parceria com Neste Holland

O objetivo da companhia liderada por Michael O’Leary é chegar a 2050 “carbon free”. Para já, as estimativas apontam para que, até 2030, cerca de 12,5% dos voos da Ryanair sejam efetuados com SAF.

Publituris
Transportes

Ryanair reduz emissões em parceria com Neste Holland

O objetivo da companhia liderada por Michael O’Leary é chegar a 2050 “carbon free”. Para já, as estimativas apontam para que, até 2030, cerca de 12,5% dos voos da Ryanair sejam efetuados com SAF.

Publituris
Sobre o autor
Publituris
Artigos relacionados
Ryanair apoia desenvolvimento de combustível sustentável para a aviação
Homepage
Ryanair vai criar centro de combustível sustentável para a aviação
Homepage
Voos comerciais na Europa a 70% dos níveis de 2019
Sem categoria
Ryanair
Indústria da aviação poderá perder 80 mil milhões de euros em 2021
Aviação
Avião

A Ryanair efetivou uma parceria com a Neste Holland para reduzir em cerca de um terço dos seus voos no Aeroporto Schiphol de Amesterdão (AMS), com uma mistura SAF de 40%.

Segundo a companhia low-cost, esta mistura reduzirá as emissões de gases com efeito de estufa “em mais de 60%”, apoiando os objetivos de descarbonização da Ryanair até 2050.

Esta parceria com o principal fornecedor mundial de combustível de aviação sustentável (SAF), segue outra associação da Ryanair, estabelecida com o Trinity College Dublin, para abrir o Centro de Investigação da Aviação Sustentável da companhia e investir 22 mil milhões de dólares (cerca de 20 mil milhões de euros) na sua frota ‘Gamechanger’, que oferece 4% mais lugares, é 16% mais eficiente em termos de combustível e CO2 e reduz as emissões de ruído em 40%.

Thomas Fowler, director de Sustentabilidade da Ryanair, refere, em comunicado que “o SAF faz parte da nossa estratégia de descarbonização da nossa rota para o ‘Net Zero’ até 2050 e esta nova mistura irá alimentar um terço dos voos da Ryanair no Aeroporto de Schiphol em Amesterdão, reduzindo simultaneamente as emissões de gases com efeito de estufa em mais de 60%. Aguardamos com expectativa o crescimento da nossa parceria com a Neste enquanto trabalhamos para atingir o nosso objetivo de operar 12,5% dos voos da Ryanair com SAF até 2030″.

Do lado da Neste, Jonathan Wood, vice-presidente da Neste Europe, Renewable Aviation, admite que “o SAF é um elemento-chave para alcançar os objetivos de redução de emissões da aviação”, salientando que o setor da aviação “está agora num ponto de viragem à medida que a procura aumenta e propostas políticas estão sobre a mesa na UE e no Reino Unido para promover a procura e oferta de SAF”.

Assim o executivo prevê “um aumento da capacidade de produção global de SAF para 1,5 milhões de toneladas por ano 2023”.

Sobre o autorPublituris

Publituris

Mais artigos
Artigos relacionados
Destinos

GBTA prevê recuperação das viagens de negócios em 2023

À medida que as restrições relacionadas com a pandemia se vão aligeirando, a Global Business Travel Association (GBTA) mostra expectativas de recuperação para as viagens de negócios em 2023.

Embora as viagens de negócios ainda registem uma recuperação mais lenta, ficando aquém dos níveis pré-pandêmicos, uma análise da Global Business Travel Association (GBTA) mostra expectativas de recuperação em 2023, com 78% dos gerentes de viagens a estimar que as empresas farão mais viagens de negócios no próximo ano. Já do lado dos agentes de reservas de viagens de negócios, 85% prevê a existência de mais reservas em geral.

A análise da GBTA refere ainda que as viagens de negócios domésticas estão em 63% dos níveis vistos antes do COVID-19, e as viagens internacionais estão em 50% dos totais anteriores.

“Continuamos a ver um progresso à medida que as viagens de negócios voltam a ser uma indústria global de 1,4 bilião de dólares como era antes da pandemia”, refere Suzanne Neufang, CEO da GBTA, em nota de imprensa.

A pesquisa conclui que a pandemia está a diminuir como um fator que impacta as viagens, com a maioria dos fornecedores de viagens a destacar as condições económicas como fator que pode limitar as viagens de negócios no próximo ano, embora 75% dos compradores de viagens admitam que não há planos atualmente para limitar as viagens devido à economia.

A maioria dos inquiridos confirmou modelos de trabalho híbridos ou totalmente remotos para as suas empresas, com 72% dos entrevistados a afirmar que o trabalho remoto não mudaria o número de viagens de negócios feitas pelos funcionários e 14% acreditando que os acordos de trabalho remoto aumentariam o número de viagens de negócios.

Ao mesmo tempo, quem gere as de viagens relata “um aumento nas solicitações de viagens combinadas que incluem atividades de trabalho e lazer ou algum período de férias”. Acordos de trabalho híbrido e remoto podem encorajar viagens, já que muitos inquiridos confirmaram que as suas empresas permitem que os funcionários vivam fora da sua base por longos períodos, mesmo incluindo locais internacionais enquanto continuam a trabalhar remotamente.

27% indicaram ainda que estão disponíveis reembolsos para despesas de trabalho remoto na respetiva empresa, enquanto 42% dizem que esses reembolsos não são oferecidos.

Quando se trata de viagens internacionais, 74% dos entrevistados confirmaram que viagens internacionais não essenciais são permitidas pelas empresas.

“Também é importante entender o contexto da recuperação global das viagens de negócios. A Ásia ainda está a abrir fronteiras, as viagens internacionais de negócios em geral começaram a aumentar apenas no início deste ano em todo o mundo, e os EUA só permitiram viagens irrestritas desde junho”, acrescentou Neufang.

Sobre o autorVictor Jorge

Victor Jorge

Mais artigos
Distribuição

Marrocos passa a fazer parte da programação da Icárion

Numa primeira fase, o operador disponibiliza três circuitos regulares disponíveis com guia espanhol e uma duração de 7 noites.

A Icárion possui um novo destino na sua programação – Marrocos – disponível no site do operador a partir desta quinta-feira, 17 de novembro.

Em comunicado, a Icárion refere que “o lançamento de novos destinos faz parte da estratégia do operador que procura sempre responder às necessidades do mercado, às tendências dos viajantes e ao mesmo tempo acompanhar de perto os pedidos das agências de viagem para que encontrem uma diversidade de destinos únicos com serviços de qualidade”.

Numa primeira fase, o operador disponibiliza três circuitos regulares disponíveis com guia espanhol e uma duração de 7 noites, fazendo parte da programação as Jóias de Marrocos, Cidades Vermelhas de Marrocos e Caminhando com Berberes e Tuaregues. As apostas do operador têm como base não só os circuitos mais clássicos do destino como também, no caso do programa Caminhando com Berberes e Tuaregues um programa em 4×4 e alojamentos em tendas típicas marroquinas durante o circuito.

Sobre o autorPublituris

Publituris

Mais artigos
Destinos

Gastos com cartões estrangeiros em Portugal no 3.º trimestre 55% acima de 2019

As compras efetuadas com cartões por estrangeiros no 3.º trimestre, em Portugal, ultrapassou os valores de 2019 em termos de número de transações e valor gasto. No alojamento, foram os americanos que mais gastaram, ultrapassando os tradicionais europeus.

A utilização de cartões bancários estrangeiros durante o 3.º trimestre de 2022 ultrapassou todos os anteriores registos em períodos homólogos, e praticamente duplicou o número de utilizações de cartões verificados em 2021.

De acordo com os dados da SIBS, no 3.º trimestre de 2022, número de transações efetuadas com cartões estrangeiros no nosso país ascendeu a 52,1 milhões, correspondendo a uma subida de 95% face a igual período de 2021 e mais 82,5% relativamente ao mesmo trimestre de 2019.

No que diz respeito ao valor de compras, os números mostram que totalizaram 2.480 milhões de euros, ficando 85,9% acima de período homólogo de 2021. Quando comprado com o 3.º trimestre de 2019, os dados da SIBS indicam uma variação positiva de 55,2%. Já quanto à transação média no período de julho a setembro, verifica-se que esta rondou os 48 euros, menos 4,7% relativamente ao mesmo trimestre de 2021 e 4,8% abaixo de igual período de 2019.

Em termos da distribuição regional do número de operações, a Região de Lisboa liderou destacadamente com 19,4 milhões de transações, significando tal uma quota de 37%. Em segundo lugar aparece o Algarve com 12,3 milhões de transações, correspondendo a uma quota de 23,4%, com a Região Norte a fechar o top 3 com 10,8 milhões de transações e 20,7% da quota global.

Em termos de mercados, França lidera com 10,4 milhões de transações (19,9% do total), seguindo-se Reino Unido com 7,6 milhões de transações (14,6%) e Espanha com cinco milhões de transações (11,5%). Significativo é o 4.º lugar dos E.U.A. em resultado do nítido crescendo de presença de turistas norte-americanos.

Já quando se analisam os gastos com cartões estrangeiros em Portugal, mas por valor de compras, a liderança continua a pertencer a França com 485,5 milhões de euros, seguindo-se o Reino Unido, com 333,9 milhões de euros. O maior destaque vai, contudo, para os EUA que, com os 261 milhões de euros, suplantaram mercados tradicionalmente mais relevantes, como o espanhol e alemão.

Americanos lideram nos gastos com alojamento
No 3.º trimestre de 2022, os gastos em compras com cartões bancários estrangeiros no alojamento foram sempre superiores aos meses homólogos dos anos anteriores, tendo atingido o valor máximo no mês de agosto, com 247,5 milhões de euros, correspondendo a uma subida de 46% face ao valor do mesmo mês de 2019.

Mas também julho, com 221,7 milhões de euros, e setembro, com 176,7 milhões de euros, ficaram acima dos mesmos meses de 2019, com variações positivas de 48,8% e 38,2%, respetivamente.

Mais uma vez a região de Lisboa lidera os gastos feitos com cartões por estrangeiros com mais de 214 milhões de euros (32,7%) de quota, aparecendo o Algarve em segundo lugar a curta distância, com 211 milhões de euros (32,1%), com o Norte de Portugal a registar ainda gastos de 3 dígitos, com 105,3 milhões de euros (16%).

No que diz respeito ao mercado estrangeiro mais gastador no alojamento, a distribuição dos consumos evidencia uma inédita liderança dos EUA com 87,8 milhões de euros (13,6% de quota), secundados de perto pelo Reino Unido, com 81,1 milhões de euros (12,6%) e superando claramente os restantes maiores mercados europeus: Espanha (64,3 milhões de euros e uma quota de 10%), França (52,5 milhões de euros e quota de 8,1%) e Alemanha (35,9 milhões de euros e quota de 5,6%).

Sobre o autorVictor Jorge

Victor Jorge

Mais artigos
Destinos

1.º Roadshow do Enoturismo Atlântico Bairrada Lisboa com 20 expositores e 250 agentes

Dirigido a agentes de viagens, o 1.º Roadshow do Enoturismo Atlântico Bairrada Lisboa é organizado pelo jornal Publituris, em parceria com as Comissões Vitivinícolas da Bairrada e de Lisboa, e vai decorrer em Lisboa e no Porto, a 23 e 24 de novembro, respetivamente.

Publituris

O 1.º Roadshow do Enoturismo Atlântico Bairrada Lisboa, que vai decorrer em Lisboa e no Porto, a 23 e 24 de novembro, respetivamente, conta já com a confirmação de cerca de duas dezenas de produtores, em representação das regiões de Lisboa e da Bairrada, e 250 agentes de viagem.

Organizado pelo jornal Publituris, em parceria com as Comissões Vitivinícolas da Bairrada e de Lisboa, o 1.º Roadshow do Enoturismo Atlântico Bairrada Lisboa é dirigido a agentes de viagens e contará com a presença de produtores com a Adega Cooperativa da Lourinhã, Adega Mãe, Manzwine, Quinta do Gradil, Quinta do Sanguinhal, Quinta das Carrafouchas, Quinta de Almiara, Quinta da Boa Esperança, Quinta dos Capuchos, Quinta do Monte d’Oiro, Caves Velhas, Caves São João, Caves Do Solar de São Domingos, Luís Pato, Quinta das Bageiras, Prior Lucas, Caves Messias, Regateiro e António Marinha.

Presentes no evento estarão também a ministra da Coesão Territorial, Ana Abrunhosa (a confirmar), a secretária de Estado Turismo, Comércio e Serviços, Rita Marques (a confirmar), Turismo de Portugal, Turismo do Centro de Portugal, CCDR Centro, Comissões Vitivinícolas da Bairrada e Lisboa, Rota da Bairrada, Comunidade Intermunicipal do Oeste, Comunidade Intermunicipal da Região de Coimbra, Comunidade Intermunicipal de Aveiro, Escolas de Hotelaria e Turismo de Coimbra e do Oeste, IPL-ESTM, Entidade Regional do Turismo de Lisboa, entre outras.

O 1.º Roadshow do Enoturismo Atlântico Bairrada Lisboa decorre no dia 23 de novembro no Altis Grand Hotel, a partir das 18h00, enquanto no Porto tem lugar, no dia 24 de novembro, no Hotel HF Ipanema Park, também com início pelas 18h00. Nas duas iniciativas, está ainda incluído o jantar.

Ao longo do evento os agentes de viagens vão ter a oportunidade de conhecer novos projetos de enoturismo, seja para momentos em família, casais, grupos em ‘stopover’ ou para eventos corporate, nos quais a cultura vinhateira se assume como uma mais‐valia na diferenciação da oferta turística comercializada.

As inscrições para o 1.º Roadshow do Enoturismo Atlântico Bairrada Lisboa podem ser realizadas aqui.

Mais informações pelo e-mail [email protected] ou pelo número de telefone +351 913256261.

Sobre o autorPublituris

Publituris

Mais artigos
Transportes

Ryanair em parceria com fundo sustentável do Citi

A parceria entre a Ryanair e o Citi servirá para apoiar diferentes projetos de financiamento sustentável, como energia renovável, conservação de água, saúde e educação em mercados emergentes.

Publituris

A Ryanair acaba de anunciar uma parceria com o Citi, instituição bancária, para se tornar na primeira companhia aérea europeia a depositar fundos na nova Solução de Depósito Sustentável, lançada no início deste ano.

Esta parceria possibilita a Ryanair investir o excesso de caixa para apoiar diferentes projetos de financiamento sustentável do portfólio do Citi, como energia renovável, conservação de água, saúde e educação em mercados emergentes.

A iniciativa apoia a agenda de sustentabilidade da Ryanair, com os fundos a serem canalizados para financiar ou refinanciar ativos numa carteira de projetos elegíveis de finanças verdes e/ou sociais, com base nos critérios estabelecidos no Citi Green Bond Framework, Social Finance Framework e Social Bond for Affordable Housing Framework.

Thomas Fowler, diretor de Sustentabilidade da Ryanair, refere que esta parceria “não só ajudará a administrar as nossas finanças de maneira mais sustentável, mas também impulsionará ainda mais a nossa agenda de sustentabilidade como um todo, pois apoiamos vários projetos de sustentabilidade em todo o portfólio do Citi, desde a conservação da água até habitação acessível e muito mais.”

Do lado do Citi, David Tsui, chefe de Produtos de Depósito e Investimento de Sustentabilidade Global (ESG) do Citi, salienta que a entidade bancária está a oferecer a “oportunidade de apoiar projetos ambientais e sociais elegíveis nos portfólios do Citi”, referindo que o Citi tem o compromisso de “financiar e facilitar um bilião de dólares em finanças sustentáveis até 2030 como parte da meta de acelerar ainda mais a economia sustentável de baixo carbono”.

Sobre o autorPublituris

Publituris

Mais artigos
Transportes

United Airlines investe em refinaria de biofuel

Com mais este investimento, a United Airlines pretende ser pioneira no primeiro voo 100% SAF.

Publituris

A United Airlines anunciou um investimento estratégico na produção de combustível de aviação sustentável (Sustainable Aviation Fuel – SAF) numa parceria com a NEXT Renewable Fuels, o que resultará na construção de uma refinaria de biofuel em Port Westward no Estado de Oregon, que deverá iniciar a produção no início de 2026.

A NEXT irá produzir, em velocidade cruzeiro, cerca de 50.000 barris por dia de SAF, gasóleo renovável ou outros combustíveis renováveis, sendo que a United Airlines poderá investir mais de 37,5 milhões de dólares, desde que, como anuncia em comunicado, a NEXT cumpra os requisitos definidos pela companhia aérea.

“Atualmente, uma das maiores barreiras para aumentar a oferta e reduzir os custos de combustível sustentável é que não temos a infraestrutura para transportá-lo com eficiência, mas a localização estratégica e os ativos da NEXT resolvem esse problema e fornecem um plano para instalações futuras. que precisam ser construídos”, admite Michael Leskinen, presidente da United Airline Ventures.

O executivo reconhece que este investimento “não apenas reforçará as ambições da NEXT e criará soluções de curto prazo para expandir o nosso fornecimento de SAF, mas também demonstrará o nosso compromisso em produzir SAF na escala necessária para descarbonizar o setor de aviação”.

Do lado da NEXT, Christopher Efird, CEO e presidente da companhia, refere que “a indústria de combustíveis limpos está a descolar e o nosso acesso a matérias-primas, distribuição multimodal e grandes ‘players’ do setor posiciona-nos como um fornecedor líder de SAF na costa Oeste”, concluindo que o investimento da United na NEXT “fortalece a nossa determinação de ser um dos líderes em combustíveis limpos no setor de transporte”.

Este anúncio por parte da United marca o quinto investimento em tecnologia relacionada com SAF da companhia aérea e seu primeiro investimento diretamente numa biorefinaria.

A United pretende, de resto, realizar o primeiro voo de passageiros do mundo usando 100% de SAF, tendo lançado, recentemente, o programa “Eco-Skies Alliance”, que, entre os 30 participantes corporativos, comprou coletivamente mais de 7 milhões de galões de combustível de aviação sustentável.

Sobre o autorPublituris

Publituris

Mais artigos
Transportes

MSC apresenta novo navio no Catar

Apresentado no Catar, o novo navio da MSC Cruzeiros oferece 22 decks e 2.626 camarotes, constituindo “uma metrópole urbana ultramoderna no mar”.

Publituris

A MSC Cruzeiros apresentou o seu mais recente navio – MSC World Europa – no novíssimo Grand Cruise Terminal em Doha, Catar.

Juntamente com o seu parceiro Qatar Airways, esta apresentação fez parte do compromisso global da MSC Cruzeiros para com o Catar, reforçando o seu compromisso de apoiar o crescimento do turismo internacional no país, bem como na região mais vasta do Médio Oriente.

O MSC World Europa é o navio de cruzeiro mais inovador e ambientalmente avançado da frota da MSC Cruzeiros. Para além dos avanços inovadores em termos de redução de emissões e eficiência energética, o navio movido a LNG também abre caminho para a absorção de combustíveis sintéticos neutros em carbono e outros combustíveis alternativos assim que estes estiverem disponíveis em escala.

Com 22 decks, com 215.863 de arqueação bruta, 47 metros de largura, 40.000 metros quadrados de espaço público e 2.626 camarotes, o MSC World Europa é uma metrópole urbana ultramoderna no mar que oferece um verdadeiro mundo de experiências diferentes, estabelecendo um novo padrão para a indústria de cruzeiros.

O MSC World Europa passará a sua temporada inaugural no Médio Oriente oferecendo cruzeiros de 7 noites para Dubai, Abu Dhabi, Ilha Sir Bani Yas, Emirados Árabes Unidos, Dammam, Arábia Saudita e Doha, Qatar.

A temporada terá início no dia 20 de dezembro com uma viagem especial de 4 noites de Doha, no Catar, a Dubai, nos Emirados Árabes Unidos.

Com partida no Dubai a 25 de março de 2023, o MSC World Europa seguirá para o Mar Mediterrâneo no Verão de 2023, oferecerá cruzeiros de 7 noites com escala nos portos italianos de Génova, Nápoles e Messina, bem como La Valletta em Malta, Barcelona em Espanha e Marselha em França.

Sobre o autorPublituris

Publituris

Mais artigos
Distribuição

APG aposta na ferrovia com plataforma ‘Railclick’

Com os serviços ferroviários a estabelecerem-se como uma alternativa ao transporte aéreo, a APG Portugal disponibiliza, através da plataforma “Railclick”, uma vasta oferta de soluções na Europa.

Victor Jorge

A APG Portugal passa a disponibilizar a plataforma “Railclick numa associação com a espanhola GRT, através da qual oferecerá os serviços de diversas companhias ferroviárias europeias numa aposta de diversificação de transportes disponíveis para o mercado B2B e B2C.

Na apresentação, realizada esta terça-feira, 15 de novembro, LLuis Martinez, presidente da GRT, criadora da plataforma “Railclick”, teve oportunidade de mostrar a mais-valia desta oferta, salientando a “poupança de tempo e dinheiro que poderá significar para quem utiliza os diversos serviços ferroviários à disposição”.

Com a atual plataforma ficam disponíveis os serviços de diversas companhias europeias – Trenitalia, Renfe, DB, SNCF, OBB, Eurostars, entre outras – numa clara aposta na mobilidade.

Com foco na oferta disponibilizada pela Trenitalia, LLuis Martinez começou por destacar a “grande liberdade de movimentação” que a ferrovia proporciona ao viajante, referindo os vários acordos existentes entre as várias companhias do centro da Europa e que “rapidamente colocam o viajante em qualquer parte da Europa central”.

“Os comboios, hoje, são uma clara vantagem comparativamente ao transporte aéreo, já que nos colocam no centro das cidades, sem a necessidade de diversos custos em dinheiro e tempo que o avião representa”.

Na realidade, a proposta agora disponibilizada pela plataforma “Railclick”, o viajante tem a possibilidade de viajar por todo o centro da Europa de forma cómoda e rápida. Fazendo referência aos serviços disponibilizados, por exemplo, pela Trenitalia, LLuis Martinez destacou os mais de 7.000 comboios/dia oferecidos aos viajantes, apresentando estes serviços aos diversos agentes de viagem que marcaram presença na apresentação da APG Portugal.

Através do hub de Milão, por exemplo, “é possível chegar em duas ou três horas às capitais europeias mais importantes”, existindo ainda a possibilidade de serviços intermodais com autocarros exclusivos e barcos.

Mas não é somente em Itália que estes serviços passam a estar disponíveis. Em Espanha, através da Renfe, também é possível chegar a vários pontos na Europa de forma “menos onerosa e rápida”, referiu LLuis Martinez, salientando, contudo, que “a partir de Portugal essa ligação ainda não será possível”, já que o nosso país ainda não se encontro devidamente interligado à restante rede ferroviária europeia.

Apesar de ainda não estar disponível uma compra única para os agentes e, consequentemente, clientes/viajantes, são, no entanto, diversas as possibilidades “fáceis” que a plataforma “Railclick” disponibiliza, com o acesso oferecido às agências a estar à mão de uma simples solicitação de password para validar a venda que resultar sempre num bilhete eletrónico.

Com a mercado-alvo a dividir-se entre o lazer e o negócio, LLuis Martinez referiu que o comboio é, atualmente, um meio de transporte muito valorizado pelos clientes provenientes de mercados como a Ásia ou América Latina.

“Na realidade, hoje, a não obrigatoriedade da burocracia relacionada com um check-in, as restrições inexistentes referentes à bagagem e, fundamentalmente, o tempo que se pouco, são uma mais-valia para quem utiliza o comboio”.

Mas também as questões relacionadas com a sustentabilidade são apreciadas, embora o presidente da GRT admite que, “neste momento, sabemos que ainda é uma vantagem, já que as companhias aéreas estão a caminhar cada vez mais para soluções com uma menor pegada carbónica”. Contudo, concluiu Martinez, “atualmente, a poupança de tempo, o conforto e o facto de no transporte ferroviário conseguirmos ‘desembarcar’ nos centros das cidades é muito bem recebido por quem viaja”.

Sobre o autorVictor Jorge

Victor Jorge

Mais artigos
Destinos

Site “Algarve Eventos” substitui “Guia Algarve”

O objetivo é “melhorar a experiência de quem nos visita, facilitar a interação com o destino e aumentar a eficiência da comunicação e da fruição dos espaços e acontecimentos da região”, diz João Fernandes, presidente da RTA.

Publituris

“Algarve Eventos” é o novo site e agregador de tudo o que acontece nos 16 concelhos da região, em substituição do “Guia Algarve”, até agora impresso mensalmente, e que pretende divulgar a oferta de lazer e cultural da região.

Divulgação de mais eventos, incluindo os de dimensão local, atualização em tempo real do que acontece na região e aumento do alcance da informação disponibilizada a turistas e residentes são algumas das vantagens que levaram o Turismo do Algarve a apostar neste formato disponível em https://eventos.visitalgarve.pt/.

Para além da significativa redução da pegada ecológica, associada à produção e distribuição do anterior guia, que só em papel consumia cerca de 21 toneladas por ano.

O novo site integra funcionalidades como pesquisa de eventos por categoria, data e concelho e ao abrir a página de um evento será possível adicioná-lo ao calendário, a uma wishlist ou até partilhá-lo nas principais redes sociais. Outra possibilidade será subscrever uma newsletter para receber diretamente os destaques da semana, bastando para isso seguir os passos aqui.

“Numa época em que as tendências de padrões de consumo revelam a preferência pelo acesso a conteúdos online, a expectativa com a disponibilização dos eventos num site bilingue, em inglês e português, é que resulte igualmente na atração de mais turistas para a região durante todo o ano, atenuando desta forma a sazonalidade”, refere a entidade em comunicado.

João Fernandes, presidente do Turismo do Algarve, pretende que o novo site “enriqueça o conjunto de instrumentos de promoção turística e cultural do território que integram a marca Algarve”.

O responsável pela entidade salienta ainda que, “além de favorecer uma gestão célere e facilitada dos conteúdos, o site terá também uma navegação intuitiva, estando presente a preocupação com a disponibilização da informação em dispositivos móveis”.

O objetivo é, assim, “melhorar a experiência de quem nos visita, facilitar a interação com o destino e aumentar a eficiência da comunicação e da fruição dos espaços e acontecimentos da região», conclui João Fernandes.

Sobre o autorPublituris

Publituris

Mais artigos
Distribuição

eDreams ODIGEO aumenta reservas em 50% no semestre, mas lucro líquido continua negativo

A empresa continua apostada em atingir, no ano fiscal de 2025, um Cash EBITDA superior a 180 milhões de euros e mais de 7,25 milhões de membros ‘Prime’.

Publituris

A eDreams ODIGEO registou no primeiro semestre do exercício fiscal de 2023, findo a 30 de setembro de 2022, 8,6 milhões de reservas, correspondendo a um acréscimo de 50% face a igual período de 2021, representando mais 48% em relação ao período pré-COVID, tendo ganho quase um milhão de novos subscritores apenas nos últimos seis meses.

Este desempenho permite à empresa reconfirmar as suas orientações para março de 2025, que incluem 7,25 milhões de subscritores, uma ARPU de 80 euros (receita média por utilizador) e um Cash EBITDA de 180 milhões de euros.

A empresa refere, em comunicado, que “em outubro e novembro, não obstante os ventos macroeconómicos contrários, as reservas subiram 45% em relação ao período pré-COVID-19.

No que diz respeito ao eDreams Prime, programa de subscrição de viagens, a empresa alcançou 3,6 milhões de subscritores, graças a uma taxa de execução trimestral de 479.000 durante o primeiro semestre do ano fiscal de 2023. Isto representa um crescimento das taxas de execução trimestrais de 8% e 47%, respetivamente, em relação aos anos fiscais de 2022 e 2021.

Quanto ao desempenho financeiro, no primeiro semestre do ano fiscal, a Margem de Receitas e a Margem de Receitas Cash da eDreams ODIGEO permaneceram acima dos níveis pré-COVID em 3% e 12%, respetivamente.

A empresa registou um crescimento na Margem de Receitas Cash, que aumentou 69% em termos homólogos para 316,5 milhões de euros, apesar das opções de viagem estarem limitadas pela incerteza das restrições provocadas pela pandemia de COVID-19. A Margem de Receitas aumentou em 72% para 289 milhões de euros, devido ao aumento de 50% nas reservas e de 15% na Margem de Receitas por Reserva.

O Lucro Marginal Cash, por sua vez, aumentou para 74,4 milhões de euros no período, 51% acima do registado no primeiro semestre do ano fiscal de 2022.

O Cash EBITDA no segundo trimestre ascendeu a 34,5 milhões de euros no primeiro semestre do ano fiscal de 2023 (dos quais 20,5 milhões de euros dizem respeito apenas ao segundo trimestre do ano), um aumento de 78% em relação ao mesmo período do ano passado. Tal como indicado nas orientações do primeiro trimestre do ano fiscal, “o crescimento sólido de membros no primeiro ano de subscrição do Prime atrasa a rentabilidade, que dispara no seu segundo ano de subscrição”, refere a empresa em comunicado.

O Lucro Líquido Ajustado registou um prejuízo de 19 milhões de euros no primeiro semestre do ano fiscal de 2023, em comparação com o prejuízo de 27,7 milhões de euros no mesmo período do ano anterior, acreditando a empresa que é o Lucro Líquido Ajustado que reflete “mais eficazmente o real desempenho operacional contínuo da atividade”.

Conforme a tendência observada no primeiro trimestre, o forte crescimento dos membros “Prime” no seu primeiro ano veio “protelar o aumento da lucratividade, mas esta última aumentou de forma drástica no segundo ano”.

No que diz respeito à força de trabalho global, esta deverá crescer 50% para impulsionar ainda mais o crescimento a longo prazo, com base no modelo de subscrição, referindo a eDreams ODIGEO que “o aumento dos investimentos na força de trabalho, assim como os efeitos das diferenças cambiais, resultaram em custos fixos mais elevados”.  Assim, tal como anunciado no ano passado, a eDO planeia contratar 500 novos colaboradores até março de 2025, e tem aumentado a sua força global em 201 colaboradores numa base anual, com 170 novas contratações apenas no período de março a setembro de 2022, o que significa que atingiu 34% deste objetivo em menos de 15% do tempo.

Dana Dunne, CEO da eDreams ODIGEO, refere que “o sucesso da nossa transição de um modelo de negócios centrado em transações para um essencialmente baseado em subscrições reflete-se, uma vez mais, no crescimento sólido e contínuo da nossa base de subscritores, que ultrapassa atualmente os 3,8 milhões de membros”.

Fazendo referência aos objetivos traçados há um ano – ultrapassar os 7,25 milhões de membros Prime e os 180 milhões de euros de Cash EBITDA até 2025 – a CEO salienta que “nestes últimos 12 meses realizámos excelentes progressos no sentido de cumprir estes objetivos, e o nosso desempenho no primeiro semestre do ano fiscal demonstra que estamos no caminho certo para que a nossa orientação a três anos se concretize, tal como temos vindo a fazer de forma consistente”.

Quanto à generalidade do setor, a CEO conclui que, “atravessando crises económicas, conflitos ou mesmo catástrofes naturais, quem viaja por lazer tem provado o seu desejo de continuar a fazê-lo. Atualmente nada mudou, e esperamos que esta vontade continue a reforçar-se cada vez mais”.

Sobre o autorPublituris

Publituris

Mais artigos

Navegue

Sobre nós

Grupo Workmedia

Mantenha-se conectado

©2021 PUBLITURIS. Todos os direitos reservados.