easyJet sobe em passageiros mas regista prejuízo até Março

Por a 16 de Maio de 2017 as 10:59

A easyJet transportou 33.8 milhões de passageiros no primeiro semestre do ano fiscal de 2017 (findo a 31 de Março de 2017), indicador que cresceu 9% face a igual período do ano passado, mas que não evitou prejuízos de 278 milhões de euros no semestre, segundo informação avançada esta terça-feira, 16 de Maio, pela companhia aérea low cost.

Além do desempenho positivo ao nível do número de passageiros, também a taxa de ocupação dos voos da easyJet cresceu nos primeiros seis meses do ano fiscal, com a companhia a registar uma taxa de ocupação recorde de 90,2%, quando em igual período do ano anterior estava nos 89,7%.

A easyJet sublinha também o aumento de 8,4% na capacidade oferecida, o que, segundo a companhia, resultou da “sua estratégia de investimento centrada no reforço e expansão da sua posição de liderança nos principais mercados”, lê-se em comunicado.

Já as receitas totais subiram 3,2%, atingindo os 2.153 milhões de euros, o que, segundo a easyJet, “reflete a mudança do período de Páscoa e o crescimento da capacidade do mercado no geral”.

Mas, apesar dos números operacionais positivos, a companhia registou um prejuízo de 278 milhões de euros antes de impostos, quando em igual período o prejuízo era de 21 milhões de euros, com a easyJet a justificar este aumento com o impacto da taxa cambial e do “período da Páscoa ser na segunda metade do ano”, uma vez que sem estes factores, o prejuízo seria de cerca de 100 milhões de euros.

“A easyJet obteve um desempenho resiliente durante os meses de Inverno com elevado controlo de custos, melhorando o desempenho operacional e em linha com as previsões para as receitas”, refere Carolyn McCall, CEO da easyJet.

Os primeiros seis meses do ano fiscal de 2017 trouxeram também novidades ao nível da frota da companhia, com a easyJet a estabelecer um acordo com a Airbus para a aquisição de 30 aviões A321neo, devendo o primeiro aparelho ser entregue à companhia no Verão de 2018.

“Trata-se de uma conversão de 30 encomendas de A320neo, através da flexibilidade do acordo com a Airbus, que será neutral na óptica dos compromissos de despesas de capital. As aeronaves A321neo aumentarão a capacidade da easyJet de crescer em aeroportos com restrições de slots e permitirão uma melhor gestão de custos”, explica a companhia em comunicado.

Para os próximos meses, a easyJet espera um desempenho positivo, uma vez que as “reservas futuras são superiores às do ano passado, em 77% para o trimestre e 55% para o semestre”, revela a companhia na mesma informação.

Um comentário

  1. Ana Maria Costa

    17 de Maio de 2017 at 10:42

    Deve haver alguma confusão da parte de quem escreveu este artigo. Nem se pode falar ainda dos primeiros 6 meses de 2017 para comparar com igual período do ano anterior, nem a Páscoa este ano calhou na 2ª metade do ano.

Deixe aqui o seu comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *