Assine já
Transportes

Azul já recebeu primeiro avião A350

Novo avião da Azul é o primeiro dos dois que são esperados até ao final do ano e que vão substituir os A330CEO que a companhia aérea brasileira ainda está a operar.

Publituris
Transportes

Azul já recebeu primeiro avião A350

Novo avião da Azul é o primeiro dos dois que são esperados até ao final do ano e que vão substituir os A330CEO que a companhia aérea brasileira ainda está a operar.

Publituris
Sobre o autor
Publituris
Artigos relacionados
TAP recebeu mais dois A330-900neo
Homepage
TAP coloca mais um A330-900neo na rota de São Paulo
Homepage
Qatar Airways traz de volta o A380 à operação
Transportes
easyJet confirma encomenda de 56 aviões A320neo para renovar frota
Transportes

A Azul recebeu recebeu esta quarta-feira, 14 de setembro, o seu primeiro avião A350, aparelho que tem capacidade para transportar 334 passageiros e que, segundo comunicado da companhia aérea brasileira, é o primeiro dos dois que são esperados até ao final do ano e que vão substituir os A330CEO.

“Estamos muito felizes em apresentar esta novidade aos nossos Clientes, Tripulantes e parceiros. O Airbus A350 é uma das aeronaves mais modernas existentes, o que vai trazer muito mais conforto para nossos clientes e mais eficiência em termos de consumo de combustível e emissão de CO2, trazendo redução no custo por assento quando comparado às aeronaves A330CEO, que hoje fazem os voos de longo curso da Azul”, afirma John Rodgerson, presidente da Azul.

O A350 é um aparelho de última geração e que é também mais amigo do ambiente, já que tem menos 20% de consumo de combustível por assento, o que resulta em emissões de CO2 por assento muito inferiores em comparação com o A330CEO.

O aparelho é também mais confortável que os de anterior geração, uma vez que disponibiliza uma cabine mais silenciosa, mais ampla, além de janelas panorâmicas mais largas e maior espaço nos compartimentos de bagagem.

Nas próximas semanas, a aeronave deve concluir o processo de certificação junto dos órgãos reguladores brasileiros e, até o final do ano, a Azul espera a entrega de mais um destes aparelhos para substituir as duas aeronaves de antiga geração A330CEO que a Azul ainda opera.

Sobre o autorPublituris

Publituris

Mais artigos
Artigos relacionados
Transportes

Aumento de capital de 62 milhões previsto para a SATA concluído até final do ano

O aumento de capital, no valor de 62 milhões de euros, foi confirmado pela secretária do Turismo, Mobilidade e Infraestruturas, Berta Cabral.

Publituris

A secretária do Turismo, Mobilidade e Infraestruturas, Berta Cabral, afirmou esta sexta-feira, 4 de novembro, que o aumento de capital de 62 milhões de euros previsto para a transportadora aérea açoriana SATA vai ficar concluído até ao final do ano.

“O capital da SATA vai ser aumentado em 62 milhões de euros. Nós já processamos esta verba. Parte já entrou nas contas da SATA, outra vai entrar até ao final do ano. Tem a sua programação estabelecida pelas [secretaria das] Finanças”, afirmou Berta Cabral, em audição na Comissão de Economia da Assembleia Legislativa dos Açores sobre o Plano e Orçamento da Região para 2023, que será discutido e votado em plenário a partir de 21 de novembro.

As declarações da governante foram motivadas pelas questões de António Lima, do BE, e de Carlos Silva, do PS, que notaram que a verba prevista para a injeção de capital na SATA não consta da proposta de Orçamento para 2023, ao contrário do que aconteceu este ano.

“Esta verba, que estava prevista nos Transportes, já não está em 2023. Já processamos o aumento do capital e está, neste momento, no lado das Finanças”, reforçou Berta Cabral.

A secretária regional reiterou ainda a privatização do ‘handling’ da SATA, apesar de tal não estar programado para 2023, ao contrário do que acontece com a alienação da Azores Airlines (companhia do grupo SATA responsável pelas deslocações de e para o exterior do arquipélago), prevista no Orçamento.

A 21 de julho, o Conselho de Governo dos Açores autorizou a injeção de capital de 144,5 milhões de euros na SATA Air Açores e a “posterior conversão em capital social da empresa”, no âmbito do processo de reestruturação aprovado em junho pela Comissão Europeia.

Desses 144,5 milhões, 82,5 milhões são um aumento de capital por conversão de um empréstimo e 62 milhões “por entrada em dinheiro, a subscrever e a realizar integralmente pela Região Autónoma dos Açores”, segundo a publicação em Jornal Oficial.

A proposta de Decreto Legislativo Regional do Orçamento da Região Autónoma dos Açores para 2023 autoriza a “alienação da maioria da participação social indireta” da região na SATA Internacional – Azores Airlines, a companhia aérea do grupo SATA responsável pelas ligações com o exterior do arquipélago.

O “desinvestimento de uma participação de controlo (51%) na Azores Airlines” está previsto no plano de restruturação da companhia aérea açoriana aprovado em junho pela Comissão Europeia.

Sobre o autorPublituris

Publituris

Mais artigos
Transportes

Qatar Airways ganha prémios da Business Traveller

A poucos dias de receber o Mundial de Futebol, a companhia aérea do Qatar ganhou quatro prémios atribuídos pela Business Traveller. Além da Qatar Airways, também o ‘hub’ do Aeroporto Internacional de Hamad (HIA) foi distinguido como Melhor Aeroporto do Médio Oriente.

Publituris

A companhia aérea nacional do Qatar venceu as distinções de Melhor Companhia Aérea de Longa Distância, Melhor Classe Executiva, Melhor Companhia Aérea do Médio Oriente e Melhor Comida e Bebida a Bordo, prémios atribuídos nos Business Traveller Awards 2022.

O hub da Qatar Airways, Aeroporto Internacional de Hamad (HIA), foi também premiado com o título de Melhor Aeroporto do Médio Oriente, indo ao encontro do compromisso assumido pela companhia aérea de fornecer aos passageiros serviços sem transtornos. Além das conquistas da companhia aérea, a Qatar Airways celebra ainda a sua adesão à oneworld, considerada a Melhor Aliança de Companhias Aéreas.

O CEO do Grupo Qatar Airways, Akbar Al Baker, destaca estes prémios, recebidos a menos de 20 dias de acolher o maior evento de futebol do Médio Oriente”, referindo que “receber quatro novos prémios da Business Traveller ilustra ainda mais a nossa disponibilidade para prestar serviços sem transtornos e excecionais”.

Além disso, diz em comunicado, que “a conquista destes prémios demonstra o nosso compromisso para com os nossos passageiros, enquanto esperamos recebê-los para experimentarem os nossos excelentes serviços durante um dos mais entusiasmantes eventos a nível global”.

Sobre o autorPublituris

Publituris

Mais artigos
Transportes

Azul lança tarifa promocional de 644 euros na rota de Lisboa-Viracopos

A tarifa promocional de 644 euros é válida para voos de ida e volta na rota Lisboa-Viracopos-Lisboa e aplica-se a reservas realizadas até esta segunda-feira, 7 de novembro.

Publituris

A Azul está a oferecer uma tarifa promocional de 644 euros para voos de ida e volta na rota Lisboa-Viracopos-Lisboa, que é válida para reservas realizadas até esta segunda-feira, 7 de novembro.

Num comunicado enviado à imprensa, a companhia aérea brasileira indica que esta tarifa promocional se aplica a viagens que decorram entre 1 de fevereiro e 31 de maio de 2023.

A tarifa de 644 euros já inclui taxas, assim como o transporte de um volume de bagagem até 23 kg.

A companhia aérea diz estar disponível para mais informações, através dos seus contactos em Portugal, concretamente pelo e-mail [email protected] e pelo número de telefone +351 211 350 520.

Sobre o autorPublituris

Publituris

Mais artigos
Transportes

Tripulantes da TAP aprovam greve para 8 e 9 de dezembro

Os “sistemáticos atropelos” ao Acordo de Empresa em vigor e ao Acordo Temporário de Emergência, levaram o Sindicato Nacional Pessoal de Voo da Aviação Civil a anunciar uma greve para os dias 8 e 9 de dezembro.

Publituris

Os tripulantes da TAP vão avançar com uma greve nos dias 8 e 9 de dezembro, decisão tomada esta quinta-feira, 3 de novembro, em assembleia geral do Sindicato Nacional Pessoal de Voo da Aviação Civil (SNPVAC), e que coincidirá com um feriado e sexta-feira seguinte.

Em comunicado, a direção do SNPVAC já tinha informado que pedira uma assembleia geral para “debater o atual momento da empresa e apresentar as conclusões retiradas pela direção sobre a proposta de AE [Acordo de Empresa] enviada pela TAP, além de deliberar eventuais medidas a tomar – não descartando o recurso à greve”.

O sindicato dos tripulantes justifica o pedido de convocatória com os “sistemáticos atropelos” ao Acordo de Empresa em vigor e ao Acordo Temporário de Emergência.

A isso, diz o SNPVAC, somam-se a “falta de respeito que a TAP tem vindo a ter perante os tripulantes” e as “mais do que questionáveis decisões de gestão que acabam por ter um impacto direto e indireto” na vida destes trabalhadores.

A situação “culminou mais recentemente com a denúncia do Acordo de Empresa em vigor, acompanhado de uma proposta de AE inenarrável”, acrescenta.

Recorde-se que durante a apresentação dos resultados trimestrais da TAP, a CEO da companhia, Christine Ourmières-Widener, admitiu que uma greve seria “um desastre, porque afeta todo o trabalho que tem sido feito por todos, depois de um terceiro trimestre que veio provar que estamos certos e que este é o caminho certo para reconstruir o orgulho nesta companhia”.

“Uma greve nunca é boa para qualquer organização e penso que o diálogo que precisamos de ter não deve incluir este tipo de ações, mas não é algo que me caiba a mim decidir. Penso que nos devemos sentar e ver o que é possível fazer”, acrescentou na altura Christine Ourmières-Widener, defendendo que, apesar da greve ser um direito, este “não é o melhor momento” para avançar para uma paralização.

Sobre o autorPublituris

Publituris

Mais artigos
Transportes

Turkish Airlines duplamente distinguida nos prémios APEX

A Turkish Airlines foi distinguida como ‘APEX World Class’ e voltou a ser considerada, pelo sexto ano consecutivo, uma ‘Five Star Global Airline’ pelo seu elevado padrão de serviço, no âmbito dos Official Airline Ratings da APEX.

Publituris

A Turkish Airlines foi distinguida com o prémio ‘APEX World Class’ e voltou a ser considerada, pelo sexto ano consecutivo, uma ‘Five Star Global Airline’ pelo seu elevado padrão de serviço, distinções que foram entregues à companhia aérea turca pela APEX – Airline Passenger Experience Association, uma das mais prestigiadas associações dedicadas à aviação em todo o mundo.

Num comunicado enviado à imprensa, a Turkish Airlines indica que estes prémios, atribuídos no âmbito dos Official Airline Ratings da APEX, são atribuidos com base na votação dos passageiros, que, nesta edição, avaliaram mais de um milhão de voos de 600 companhias aéreas à escala global.

De acordo com a companhia aérea turca, esta foi a segunda consecutiva vez que a Turkish Airlines recebeu o galardão ‘APEX World Class’, depois de reunir avaliações positivas em parâmetros como a segurança, bem-estar, sustentabilidade, serviço e experiência dos passageiros.

Além do prémio de ‘APEX World Class’, a Turkish Airlines foi ainda nomeada, pelo sexto ano consecutivo, como ‘Five Star Global Airline’ nos prémios da APEX.

“Apenas oito companhias aéreas foram consideradas dignas deste prémio em todo o mundo, isso mostra a importância desta conquista. Também temos o prazer de ser nomeados Five Star Global Airline pelo sexto ano consecutivo. Continuaremos a moldar e enriquecer os nossos serviços de acordo com as expectativas e satisfação dos nossos hóspedes no âmbito da segurança e sustentabilidade”, congratula-se Ahmet Bolat, Chairman of the Board and the Executive Committee da Turkish Airlines.

Recorde-se que os prémios da APEX foram atribuídos a 26 de outubro, numa cerimónia que decorreu em Long Beach, California, nos EUA.

Sobre o autorPublituris

Publituris

Mais artigos
Transportes

Jorge Alves é o novo presidente do SITEMA

Jorge Alves, que era vice-presidente do SITEMA – Sindicato dos Técnicos de Manutenção de Aeronaves, já tomou posse como novo presidente, substituindo Paulo Manso na liderança do sindicato.

Publituris

O Sindicato dos Técnicos de Manutenção de Aeronaves (SITEMA) tem um novo presidente, cargo que passou a ser ocupado por Jorge Alves, que era vice-presidente do sindicato e que substitui Paulo Manso na liderança.

De acordo com uma nota informativa do SITEMA, Jorge Alves tomou posse esta quarta-feira, 2 de novembro, e vai prosseguir o mandato da atual direção, que decorre até 2026.

“Jorge Alves é membro dos órgãos sociais do SITEMA desde 2011, integrando cargos da direção do sindicato desde 2014”, indica o sindicato na informação divulgada.

Com a passagem de Jorge Alves para a liderança do SITEMA, houve também mudanças na vice-presidência do sindicato, cargo que passou para Ricardo Medina, que era anteriormente secretário do SITEMA, enquanto o novo secretário é Paulo Gomes.

Já Simão Alves, assim como Mário Moreira, Bruno Silvestre e Gonçalo Gonçalves mantém-se como tesoureiro e secretários do sindicato, respetivamente.

“É com grande sentido de responsabilidade que assumo a presidência do SITEMA, continuando a missão de representar os quase 900 TMA de todo o país e assegurando que continuaremos a lutar pelos seus direitos junto das respetivas entidades empregadoras”, referiu Jorge Alves.

A direção do SITEMA acrescenta ainda que vai iniciar, em breve, plenários setoriais de forma a informar e a esclarecer todos os associados sobre as atividades desenvolvidas.

Sobre o autorPublituris

Publituris

Mais artigos
Transportes

Azul inaugura nova ponte-aérea entre São Paulo e Rio de Janeiro

A nova ponte-aérea da Azul liga Congonhas, em São Paulo, a Jacarepaguá, no Rio de Janeiro, e conta com 14 voos diários, sete em cada sentido.

Publituris

A Azul inaugurou segunda-feira, 31 de outubro, uma nova ponte-aérea que liga Congonhas, em São Paulo, a Jacarepaguá, no Rio de Janeiro, e que conta com 14 voos diários, sete em cada sentido.

Num comunicado enviado à imprensa, a companhia aérea brasileira indica que, com a inauguração desta nova ponte-aérea, o Rio de Janeiro “passa a ter voos regulares da Azul nos aeroportos de Santos Dumont e Galeão, na capital Fluminense, além das cidades de Cabo Frio, Campos dos Goytacazes e Macaé”.

“Este voo é mais um resultado de um trabalho da Azul, que busca desenvolver a aviação no Rio. Voos como estes trazem mais desenvolvimento económico e social para o estado, além de gerar mais empregos”, comentou Flávio Costa, diretor de Relações Institucionais da Azul. 

De segunda a sábado, a Azul conta com partidas de Congonhas pelas 06h30, 08h40 e 11h10, enquanto de segunda a sexta-feira há partidas pelas 13h20 e 15h50, e, de domingo a sexta, estão ainda disponíveis saídas às 18h00 e 20h30.

Em sentido contrário, as partidas de Jacarepaguá decorrem às 06h15, 08h45 e 10h55, de segunda a sábado, bem como pelas 13h25 e 15h35, entre segunda e sexta-feira, enquanto de domingo a sexta-feira há ainda partidas às 18h05 e 20h15.

Os bilhetes para os novos voos já se encontram à venda e podem ser adquiridos através do site da Azul, bem como pelos canais oficiais da companhia aérea e agências de viagens.

Sobre o autorPublituris

Publituris

Mais artigos
Transportes

Nova greve da tripulação “seria um desastre” para a TAP

Segundo a CEO da TAP, Christine Ourmières-Widener, a realização de uma nova greve poderia colocar em causa os resultados positivos que a companhia aérea registou no terceiro trimestre do ano.

Inês de Matos

A CEO da TAP, Christine Ourmières-Widener, afirmou esta quarta-feira, 2 de novembro, que a convocação de uma nova greve da tripulação de cabine da companhia aérea “seria um desastre” para a TAP, uma vez que colocaria em causa todo o trabalho de reestruturação da companhia aérea que tem vindo a ser realizado e que trouxe mesmo um regresso aos lucros no terceiro trimestre do ano.

“Uma greve seria um desastre porque afeta todo o trabalho que tem sido feito por todos, depois de um terceiro trimestre que veio provar que estamos certos e que este é o caminho certo para reconstruir o orgulho nesta companhia”, afirmou a responsável, quando confrontada com a hipótese de greve por parte da tripulação de cabine da TAP, que vai decidir se avança para a paralização esta quinta-feira, 3 de novembro.

Christine Ourmières-Widener diz não compreender a intenção de greve, até porque os cortes salariais chegam a todos os funcionários da TAP e só com diálogo será possível chegar a um consenso.

“Não entendo a greve, percebo que é difícil aceitar que todos os nossos funcionários tenham cortes, mas é esse o plano e o acordo de emergência foi assinado pelos sindicatos em 2021, não foi há muito tempo”, lembrou.

Por isso, a CEO da TAP diz estar disponível para se sentar à mesa com os sindicatos e discutir um novo acordo de empresa, mas sem ações que venham a colocar em causa os resultados e o futuro da empresa.

“Uma greve nunca é boa para qualquer organização e penso que o diálogo que precisamos de ter não deve incluir este tipo de ações, mas não é algo que me caiba a mim decidir. Penso que nos devemos sentar e ver o que é possível fazer”, acrescentou, defendendo que, apesar da greve ser um direito, este “não é o melhor momento” para avançar para uma paralização.

Recorde-se que a TAP apresentou esta quarta-feira, 2 de novembro, os resultados do terceiro trimestre do ano, ao longo do qual a companhia aérea alcançou um lucro de 111 milhões de euros, valor que compara com os 134 milhões de euros de prejuízo registado em igual período do ano passado.

Sobre o autorInês de Matos

Inês de Matos

Mais artigos
Transportes

Interesse de companhias estrangeiras deve ser motivo de “satisfação e orgulho” para a TAP

Para a CEO da TAP, Christine Ourmières-Widener, o interesse manifestado por companhias aéreas estrangeiras mostra que há “um valor real porque estas empresas estão a dedicar tempo e dinheiro ao olharem para a TAP”.

Inês de Matos

A CEO da TAP, Christine Ourmières-Widener, considerou esta quarta-feira, 2 de novembro, que o interesse manifestado na companhia aérea de bandeira nacional por transportadoras estrangeiras deve ser um motivo de “satisfação e orgulho” para a TAP, uma vez que mostra que a companhia aérea tem um “valor real”.

“Penso que devemos estar todos satisfeitos e orgulhosos por ver que alguns players externos estão interessados nesta maravilhosa empresa”, afirmou a CEO da TAP, durante a conferência de imprensa de apresentação dos resultados do terceiro trimestre, período ao longo do qual a TAP conseguiu regressar ao lucros.

Sem querer comentar manifestações de interesse concretas, Christine Ourmières-Widener considerou, no entanto, que o facto de haver interessados mostra que a TAP tem “um valor real porque estas empresas estão a dedicar tempo e dinheiro ao olharem para a TAP”.

“No final, aquilo que esperamos é que haja uma decisão”, acrescentou a responsável, indicando que não sabe se o interesse manifestado se vai mesmo concretizar, até porque não é a administração da TAP a conduzir o processo, mas sim o Estado, que é atualmente dono da companhia aérea.

“Não nos cabe a nós decidir quem será a melhor noiva, ou como lhe queiram chamar, para a TAP”, afirmou ainda a CEO da TAP, garantindo que, por parte da administração da companhia aérea, há toda a disponibilidade para colaborar com os interessados.

Recorde-se que, nas últimas semanas, tem vindo a público o interesse de várias companhias aéreas e grupos de aviação estrangeiros na TAP, a exemplo da Air France-KLM, cujo CEO, Ben Smith, admitiu o interesse na aquisição da companhia aérea de bandeira nacional, “se as circunstâncias forem as adequadas”.

Além da Air France-KLM, há rumores de que também a Lufthansa estará em conversações com vista à aquisição da companhia aérea e, nos últimos dias, foi ainda conhecido o interesse do IAG, grupo de aviação que detém a British Airways e a Iberia, na transportadora portuguesa.

 

 

Sobre o autorInês de Matos

Inês de Matos

Mais artigos
Transportes

TAP regressa aos lucros no 3.º trimestre do ano

A TAP obteve, no terceiro trimestre de 2022, lucros superiores a 111 milhões de euros face aos prejuízos de 134 milhões de igual período de 2021. O resultado operacional também registou uma melhoria e passou de 46 milhões negativos para 141 milhões positivos.

Victor Jorge

A TAP obteve um resultado líquido positivo de 111,3 milhões de euros no terceiro trimestre de 2022, correspondendo a uma subida de 182,8% face aos 134,5 milhões de euros negativos registados em igual período de 2021, referindo a companhia que estes números foram “impulsionados por fortes resultados operacionais e efeitos positivos da implementação da política de cobertura cambial”.

Em termos de receitas operacionais, a TAP revela, em comunicado, que atingiu 1.118 milhões de euros, mais 152,2% que no terceiro trimestre do ano transato, período em que registou 443,7 milhões de euros, excedendo, assim, os níveis pré-crise em 7,5%.

Em termos de EBIT (resultados operacionais), a companhia aérea nacional obteve 141 milhões de euros, correspondendo a uma subida de 187%, enquanto o EBITDA passou de 65,5 milhões de euros para 268,5% milhões de euros, ou seja, uma subida de quase 203%.

Em comunicado, Christine Ourmières-Widener, Chief Executive Officer da TAP, refere que a companhia está “a confirmar a solidez do seu desempenho no terceiro trimestre, com todas as métricas financeiras acima dos níveis pré-crise, apesar do aumento dos custos de combustível”.

Para o quarto e último trimestre do ano, a CEO da TAP salienta que “a procura mantém-se bastante forte, suportando as expectativas de um bom resultado acumulado até final do ano”.

Já para 2023, Christine Ourmières-Widener admite que “a visibilidade é, no entanto, ainda limitada e, atendendo às incertezas da atual conjuntura, é cada vez mais crucial que mantenhamos o foco no nosso plano estratégico, o qual tem, até agora, provado ser eficaz”.

Assim, refere que os próximos passos decisivos a tomar são: “levar a cabo discussões produtivas com os nossos parceiros laborais para a criação de Acordos Coletivos de Trabalho mais modernos, melhorar as nossas operações e a qualidade do nosso serviço com o envolvimento de todos os stakeholders, a constante negociação de todos os nossos contratos com terceiros e a cuidada preparação do próximo ano”.

Ainda relativamente ao terceiro trimestre de 2022, o número de passageiros transportados duplicou, em comparação com o mesmo período de 2021, atingindo 85% dos níveis do terceiro trimestre de 2019. Adicionalmente, durante este período, a TAP operou uma vez e meia o número de voos do terceiro trimestre de 2021, ou 81% das partidas do terceiro trimestre de 2019.

Quanto aos custos com combustível, a TAP refere que estes triplicaram, “aumentando em 269,9 milhões de euros numa base anual para 371,9 milhões de euros”, frisando a companhia que. “apesar de ter gerado um efeito positivo de 15,9 milhões de euros, a estratégia de cobertura apenas conseguiu reduzir de forma marginal o efeito dos preços de mercado do jet fuel mais elevados, que contribuíram com 153 milhões de euros para o aumento do custo com combustível”.

Durantes o terceiro trimestre, a TAP transportou 4,320 milhões de passageiros, mais 2.214 milhões que em igual período de 2021, correspondendo a uma subida de 105,1%

Já no que diz respeito ao acumulado do ano, até 30 de setembro de 2022, as receitas operacionais atingiram 2.440,1 milhões de euros, mais 195,1% do que nos primeiros nove meses de 2021. Juntamente com o maior nível de atividade (ASK aumentou em 135%), também os custos operacionais recorrentes registaram um aumento significativo de 79% para 2.286 milhões de euros, resultando num EBIT recorrente positivo de 154,1 milhões de euros, um aumento de 104,7 milhões de euros, ou 3,1 vezes o montante no mesmo período de 2019, que até agora foi, para a TAP, o melhor ano em termos de desempenho financeiro.

Nos nove meses de 2022, os números avançados pela TAP revelam que a companhia transportou 10,144 milhões de passageiros. Isto significa um crescimento de 195,9% face aos 3,428 milhões de passageiros transportados nos primeiros nove meses de 2021.

De referir que a frota atual da TAP é constituída por 22 A330 (19 neo e 3 ceo), 23 A321 neo, 26 A320 ceo, 5 A319 ceo e mais 20 aeronaves regionais (5 ATR e 15 Embraer).

Sobre o autorVictor Jorge

Victor Jorge

Mais artigos

Navegue

Sobre nós

Grupo Workmedia

Mantenha-se conectado

©2021 PUBLITURIS. Todos os direitos reservados.