Assine já
Destinos

CVA quer voltar a ser parceiro da operação turística em Portugal

A Cabo Verde Airlines quer voltar a ser parceiro importante da operação turística em Portugal, como já o foi no passado. “Ainda existem questões a resolver derivadas das operações passadas que em breve serão ultrapassadas para podermos retomar de forma consistente estas parcerias”, declarou ao Publituris o administrador-executivo da companhia aérea cabo-verdiana, Carlos Salgueiral.

Carolina Morgado
Destinos

CVA quer voltar a ser parceiro da operação turística em Portugal

A Cabo Verde Airlines quer voltar a ser parceiro importante da operação turística em Portugal, como já o foi no passado. “Ainda existem questões a resolver derivadas das operações passadas que em breve serão ultrapassadas para podermos retomar de forma consistente estas parcerias”, declarou ao Publituris o administrador-executivo da companhia aérea cabo-verdiana, Carlos Salgueiral.

Sobre o autor
Carolina Morgado
Dossier Relacionado
Cabo Verde
Banco Mundial sublinha aposta de Cabo Verde no digital e dependência do turismo
Destinos
Aeroportos de Cabo Verde continuam recuperação e crescem 300% em passageiros em junho
Aviação
Cabo Verde: Mais do que um destino, é o destino de férias dos portugueses
Destinos
Empresários cabo-verdianos ainda a braços para a retoma
Destinos
Um potencial grande ainda por descobrir
Destinos
Santo Antão ambiciona ser um grande destino de natureza
Destinos
DossiersCabo Verde

A Cabo Verde Airlines (CVA) retomou, paulatinamente, em dezembro do ano passado, as suas ligações a Lisboa, para já o seu único destino internacional, primeiro de uma ilha, depois de outra e mais tarde de outra (Cidade da Praia, S. Vicente e Sal). Em julho faz um reforço sazonal da operação, até outubro e ver como o mercado reage. Mas o que a companhia aérea pretende, e diz que está a tentar resolver, é voltar a ser um grande parceiro dos operadores turísticos portugueses no transporte de turistas para Cabo Verde.

Como está a correr a operação para Portugal, único destino para onde a Cabo Verde Airlines está a voar, em termos de ocupação?
Relativamente à operação para Portugal, fizemos o voo inaugural ainda em final de dezembro, com uma ocupação inesperada pela positiva, pois as vendas tinham sido disponibilizadas poucos dias antes. Iniciámos com um número de frequências ainda reduzido e apenas da Cidade da Praia, somente em fevereiro, adicionámos o voo de S. Vicente e finalmente o Sal. A operação tem de corrido com normalidade, sofrendo apenas uns pequenos constrangimentos na transição do tipo de avião no mês de março.

Reforço sazonal
Qual é a operação neste momento? No entanto, a companhia aérea decidiu reforçar os voos para Portugal a partir de julho. Como vai ficar? Será um reforço apenas sazonal?
Presentemente temos dois voos semanais Praia/Lisboa/Praia, um voo semanal S. Vicente/Lisboa/S. Vicente e Sal/Lisboa/Sal. A partir de julho aumentamos as frequências para três voos semanais da Cidade de Praia, dois semanais de S. Vicente, e mantemos o Sal apenas com um voo, sendo que se houver uma reação do mercado que justifique o aumento de voos, atuaremos de imediato dentro da capacidade permitida. O reforço para já, será de julho a final de outubro. A continuidade deste reforço, vai depender muito da evolução do mercado e procura, e também da disponibilidade de “slots” aeroportuários em Lisboa, que como sabem está nos limites de capacidade.

A Cabo Verde Airlines mantinha uma forte ligação e parceria com os operadores turísticos em Portugal. Como estão neste momento? Deixou de ser um parceiro turístico, concentrando-se mais no étnico? A operação da companhia funcionava como uma espécie de semi-charter. Agora que retomou a operação para Portugal vai manter essa postura, sabendo que Portugal é um dos principais países emissores de turistas para Cabo Verde?
Continuamos a ter uma forte ligação com operadores turísticos em todos os mercados, e presentemente estamos a dialogar para encontrar acordos para dinamizar as vendas nesta vertente de negócio, ainda existem questões a resolver derivadas das operações passadas que em breve serão ultrapassadas para podermos retomar de forma consistente estas parcerias.

Não estamos só focados no étnico, pelo contrário, tencionamos diversificar ao máximo todo o tipo de tráfego, captando o máximo de passageiros para o destino Cabo Verde, que não se resume apenas ao tradicional Sol e Praia. Cada vez mais, Cabo Verde se afirma como um destino multidiversificado no que respeita ao turismo, todas as ilhas oferecem diferentes atrativos nos vários segmentos turísticos e de negócio.

Porto: hipótese a considerar
E o Porto? Colocam a hipótese de operar para esta cidade do Norte de Portugal?
Pode ser um destino a considerar, se a procura o justificar, a viabilidade de charter está sempre em aberto, com certeza com a parceria de um operador. As limitações de Lisboa, também abrem grandes perspetivas para o Porto.

Quando pensam reiniciar a operação para outros destinos, nomeadamente o Brasil, Boston e Paris?
Pretendemos retomar estes destinos, logo que possível. Tentando ser otimista, apontamos para início de 2023, se o processo de reforço de frota o permitir.

Atualmente estamos envolvidos num processo de reestruturação, de forma a dimensionar a empresa à realidade operacional, e paralelamente, procuramos cumprir com um plano de retoma e estabilização que irá permitir atingir um equilíbrio e sustentabilidade até ao final de 2023


Para tal são precisos aviões. Como está a decorrer este processo?
Estamos em negociações, para reforço de mais uma aeronave, e uma outra para 2023, creio que muito em breve teremos mais novidades.

Qual é a situação atual da companhia?
Atualmente estamos envolvidos num processo de reestruturação, de forma a dimensionar a empresa à realidade operacional, e paralelamente, procuramos cumprir com um plano de retoma e estabilização, que irá permitir atingir um equilíbrio e sustentabilidade até ao final de 2023, com certeza, que sempre dependentes da evolução da conjuntura atual, que devido aos problemas da pandemia e agora com o aumento drástico dos custos dos combustíveis, estes planos poderão sofrer alguns ajustes.

Falou-se muito no hub do Sal. A companhia desistiu deste propósito?
O hub apenas está suspenso temporariamente. Este projeto não foi abandonado, apenas a limitação atual de frota não o permite concretizar. Gradualmente com o reforço de frota, este projeto irá ser retomado, pois as operações do Brasil, implicarão as ligações da Europa e outras, criando a base do hub Sal.

Que estrutura mantêm atualmente em Lisboa? É para continuar ou reforçar, uma vez que a delegação de Lisboa já assumiu inclusive a Europa?
No plano de reestruturação está contemplado o fecho de todas as delegações e sucursais da companhia, pelo que Lisboa não foi exceção, apenas teremos a representação da empresa e o apoio habitual das empresas que prestam os serviços de assistência nos aeroportos.

Sobre o autorCarolina Morgado

Carolina Morgado

Mais artigos
Dossier relacionado
Destinos

Portugal volta a ser o melhor país do mundo para os leitores da Condé Nast Traveler

Com uma classificação de 91,22, Portugal arrecadou o prémio de ‘Best Country in the World’, liderando um ranking de 20 países eleitos como os melhores para visitar em 2022.

Portugal voltou a vencer os Readers’ Choice Awards para melhor país do mundo, com os leitores da prestigiada publicação de viagens Condé Nast Traveler a elegerem o país pela segunda vez consecutiva, principalmente pela simpatia do povo português.

Com uma classificação de 91,22, Portugal arrecadou o prémio de ‘Best Country in the World’, liderando um ranking de 20 países eleitos como os melhores para visitar em 2022.

“É fácil ver porque é que Portugal ficou em primeiro lugar nesta lista – os melhores hotéis em Portugal são alguns dos lugares mais surpreendentes para ficar, e as praias douradas espalhadas por toda a costa são um colírio para os olhos”, refere a Condé Nast Traveler sobre Portugal, na informação publicada no website da publicação.

A publicação destaca ainda a gastronomia portuguesa, considerando que Lisboa “é um paraíso gastronómico”, enquanto o interior do país conta com “alguns retiros incríveis”.

Sobre a hotelaria nacional, a Condé Nast Traveler destaca ainda que a oferta está “em constante evolução” e propõe uma lista de hotéis em Lisboa e no Porto ideais para visitas a ambas as cidades, assim como os “melhores hotéis familiares” do país.

Além de Portugal, o pódio é composto pelo Japão e pela Tailândia, com a Condé Nast Traveler a destacar que a gastronomia destes países foi um dos principais motivos para que o Japão e a Tailândia ficassem no segundo e terceiro lugares, respetivamente.

Singapura, Índia, Grécia, Dinamarca, Reino Unido, Itália, Nova Zelândia, Espanha, Países Baixos, Irlanda, Croácia, Marrocos, Suécia, Sri Lanka, Israel, Turquia e África do Sul são os restantes países que também foram destacados nos Readers’ Choice Awards, prémios que são atribuídos com base na votação dos leitores da Condé Nast Traveler.

A publicação diz que o desejo de viajar reprimido com a pandemia da COVID-19 e de recuperar o tempo perdido esteve na base das escolhas dos leitores, motivo pelo qual a Nova Zelândia ou os países asiáticos, a exemplo do Japão, constam desta lista, apesar de só terem reaberto ao turismo no verão.

Sobre o autorInês de Matos

Inês de Matos

Mais artigos
Artigos relacionados
Destinos

Lisbon Helicopters lança Campanha de Natal com preços desde 53 euros

A Lisbon Helicopters lançou uma Campanha de Natal que está a oferecer preços especiais desde 53 euros para passeios de helicóptero na Rota Jerónimos, numa oferta que pode ser adquirida através de vouchers de Natal.

A Lisbon Helicopters lançou uma Campanha de Natal que está a oferecer preços especiais desde 53 euros para passeios de helicóptero na Rota Jerónimos, numa oferta que pode ser adquirida através de vouchers de Natal.

O passeio na Rota Jerónimos sobrevoa a zona de Belém, num voo privado com capacidade para três pessoas que oferece uma perspectiva diferente “de uma das áreas mais bonitas e turísticas da cidade de Lisboa”.

“Esta rota tem sido um dos maiores ‘best sellers’ da Lisbon Helicopters ao longo da sua atividade. Por isso, queremos disponibilizar a mesma por um valor comportável e que permita fazer um voo único sobre a cidade de Lisboa”, refere Telma Marques, diretora de Marketing da Lisbon Helicopters.

Os vouchers de Natal podem ser adquiridos na loja online da Lisbon Helicopters, até dia 6 de janeiro, e têm uma validade de seis meses.

Sobre o autorPublituris

Publituris

Mais artigos
Destinos

Dificuldade no recrutamento para a hotelaria e turismo acentuou-se em 2022 apesar do aumento de salários

A hotelaria e turismo viram a dificuldade no recrutamento de colaboradores acentuar-se em 2022, apesar dos salários no setor para funções mais operacionais até terem aumentado entre 5% e 10%, segundo a Michael Page.

Publituris

A hotelaria e turismo viram a dificuldade no recrutamento de colaboradores acentuar-se em 2022, apesar de se ter registado um “ligeiro aumento salarial” neste setor, segundo o mais recente estudo anual sobre as principais tendências do mercado de trabalho para o próximo ano da Michael Page.

O estudo, cujas conclusões foram divulgada esta segunda-feira, 28 de novembro, abordou diversos setores, incluindo o setor da hotelaria e turismo, que registou um um “crescimento gradual ao longo do ano e recordes de faturação em alguns momentos face a 2019”.

A retoma na área da hotelaria e turismo levou também ao retomar dos projetos de investimento, o que provocou um “aumento do investimento internacional em Portugal, sobretudo na área de hotelaria e alojamento local, com destaque para os investimentos particulares e cadeias mais pequenas que viram um enorme potencial para o desenvolvimento dos seus negócios”.

De acordo com o estudo da Michael Page, com a retoma registada, os “salários tornaram-se mais competitivos” e passou a existir “uma maior capacidade para a captação de candidatos, num mercado onde a oferta é consideravelmente maior que os profissionais disponíveis”.

Por isso, acrescenta a empresa de recrutamento, a “dificuldade no recrutamento de perfis para o setor da hotelaria e turismo acentuou-se ainda mais em 2022”, o que levou a “um ligeiro aumento salarial neste setor” e à “implementação de outras medidas com benefícios para os colaboradores”, como folgas fixas ou juntas, fins-de-semana livres por mês, seguro de saúde ou subsídio de alimentação.

“Como referência salarial, um Diretor Geral de Operações pode auferir até 110 mil euros e um Diretor de Hotel até 90 mil euros, ambos na zona de Lisboa”, estima a empresa, que diz ainda que, na hotelaria e turismo, os salários em funções mais operacionais aumentaram entre 5% e 10%.

Sobre o autorPublituris

Publituris

Mais artigos
Destinos

Rita Marques participa na 22ª edição da WTTC Global Summit

A secretária de Estado do Turismo, Comércio e Serviços, Rita Marques, vai ser uma das intervenientes na sessão temática “The Rising Cost of Travel in Europe”.

Publituris

A secretária de Estado do Turismo, Comércio e Serviços, Rita Marques, vai participar na 22ª edição da WTTC Global Summit, que decorre em Riyadh, na Arábia Saudita, onde vai ser uma das intervenientes na sessão temática “The Rising Cost of Travel in Europe”.

O evento, que vai decorrer sob o tema “Travel For a Better Future”, vai contar também com a participação do vogal do Turismo de Portugal, Filipe Silva, assim como de responsáveis de diversos países e de representantes do Parlamento Europeu, da European Travel Commission e da City Sightseeing Worldwide.

“Num momento em que Portugal, e a Europa, se encontram sob grandes pressões e procuram responder adequadamente aos efeitos das crises que enfrentam, o setor do turismo está profundamente comprometido com o aproveitar das oportunidades existentes e Rita Marques destaca a capacidade inovadora das empresas portuguesas, que com novas abordagens de negócio e novos conceitos de serviço e experiências revolucionaram completamente a oferta turística nos últimos anos”, indica o Ministério do Mar e da Economia em comunicado.

Segundo Rita Marques, “a entrada de investidores internacionais e a atração de marcas globais, têm revolucionado a dinâmica” das regiões portuguesas e melhorado a sua atratividade, o que “exige uma resposta aos desafios assente em políticas publicas e orientações adequadas para os stakeholders do setor, visando contribuir para um futuro melhor e mais sustentável do setor e da economia como um todo”.

“Em Portugal são vários os exemplos deste tipo de políticas para apoiar o setor e aumentar a sua resiliência e capacidade de enfrentar crises”, acrescenta a governante, destacando a promoção da formação; apoio à transição para uma economia sustentável; o apoio à transformação digital e a promoção da mobilidade sustentável como algumas das políticas nacionais que têm apoiado o setor.

Sobre o autorPublituris

Publituris

Mais artigos
Destinos

Candidaturas abertas para Cursos de Especialização Tecnológica em seis escolas do Turismo de Portugal

As candidaturas para os Cursos de Especialização Tecnológica (nível 5) nas Escolas de Hotelaria e Turismo do Porto, Coimbra, Oeste, Estoril, Lisboa e Vila Real de Santo António decorrem até 22 de fevereiro de 2023.

Publituris

As Escolas de Hotelaria e Turismo do Porto, Coimbra, Oeste, Estoril, Lisboa e Vila Real de Santo António já abriram as candidaturas para os Cursos de Especialização Tecnológica (nível 5), que vão estar disponíveis até 22 de fevereiro de 2023.

De acordo com informação publicada no site do Turismo de Portugal, as candidaturas abertas destinam-se aos cursos de Gestão de Restauração e Bebidas, Gestão e Produção de Cozinha, Gestão e Produção de Pastelaria, Turismo Cultural e Património, Turismo de Natureza e Aventura.

“Os atuais cursos pretendem preparar profissionais do turismo que pensem criticamente, que influenciem mudanças positivas, que sejam agentes de preservação do território, das tradições e da identidade do país”, indica o Turismo de Portugal.

Os cursos cujas candidaturas já se encontram abertas dão acesso ao 12.º ano de escolaridade e permitem que os candidatos sigam as áreas profissionais de Cozinha, Pastelaria, Restauração e Bebidas, Turismo de Natureza e Aventura e Turismo Cultural e do Património.

As candidaturas podem ser realizadas online, através da Academia Digital do Turismo de Portugal.

 

Sobre o autorPublituris

Publituris

Mais artigos
Destinos

WTTC revela que viagens internacionais estão no pico mais alto desde o início da pandemia

Os australianos aparecem como os turistas mais gastadores, sendo que o estudo do WTTC aponta para viajantes cada vez mais social e ambientalmente responsáveis.

Publituris

Aproveitando a abertura da 22.ª edição do Global Summit, em Riade (Arábia Saudita), o World Travel & Tourism Council (WTTC) revela que as viagens internacionais estão no pico mais alto desde o início da pandemia.

Segundo os dados, mais de um quarto (27%) dos consumidores prevê realizar três ou mais viagens em 2023, com os australianos a liderarem este ranking em termos de gastos, destacando-se, igualmente, os viajantes do Canadá, Arábia Saudita e Filipinas.

Este novo estudo, realizado junto de 26.000 consumidores em 25 países pelo YouGov para o WTTC, analisa o interesse pelas viagens internacionais, indicando que 63% dos inquiridos planeiam efetuar uma viagem nos próximos 12 meses.

O estudo revela que o interesse por viagens não mostra sinais de desaceleração, com a Arábia Saudita a aparecer destacada no que diz respeito à atratividade e impressão positiva num destino que continua a crescer, registando as pontuações mais altas relativamente a todos os países da região do Golfo, a par da Índia, Malásia e Tailândia.

Julia Simpson, president e CEO do WTTC, refere que os resultados do estudo mostram, igualmente, “a crescente importância das viagens sustentáveis entre os consumidores”.

Quase dois terços dos entrevistados (61%) afirmaram preferir marcas e destinos mais sustentáveis, enquanto quase metade (45%) admitiu só gastar dinheiro com marcas social e ambientalmente responsáveis.

Sobre o autorPublituris

Publituris

Mais artigos
Destinos

Madeira não está preocupada com greve porque a TAP já é uma “companhia sem grande importância” para a região

O presidente do Governo Regional da Madeira, Miguel Albuquerque, defende que a greve não vai ter grande impacto na região, pois a TAP “começa a ser uma companhia sem grande importância para o turismo da Madeira”.

Publituris

O presidente do Governo Regional da Madeira, Miguel Albuquerque, diz não estar preocupado com o impacto da greve dos tripulantes de cabina da TAP na região, uma vez que, afirma, a TAP “começa a ser uma companhia sem grande importância para o turismo da Madeira”.

Segundo o Diário de Notícias da Madeira, Miguel Albuquerque acrescentou que, “felizmente”, a Madeira conta com outras opções para assegurarem as ligações aéreas, uma vez que contabiliza, atualmente, “mais 34 companhias a operar com 90 rotas” para a região.

Recorde-se que a greve dos tripulantes de cabina da TAP está agendada para os dias 8 e 9 de dezembro e, em consequência das negociações falhadas com o sindicato que representa os trabalhadores da companhia aérea de bandeira nacional, a TAP decidiu já cancelar cerca de 360 dos 500 voos que seriam realizados nesses dois dias.

 

Sobre o autorPublituris

Publituris

Mais artigos
Destinos

“Aqui Entre Nós” do Centro de Portugal no pódio do circuito mundial de festivais de filmes turísticos

O filme do Centro de Portugal foi o terceiro mais bem classificado entre aqueles que concorreram na categoria “Destinos Turísticos – Regiões”.

Publituris

O filme promocional “Aqui Entre Nós”, da Turismo Centro de Portugal (TCP), recebeu o troféu correspondente ao terceiro lugar na categoria “Destinos Turísticos – Regiões”, nos World Tourism Film Awards, organizada pelo Comité Internacional de Festivais de Filmes de Turismo (CIFFT).

O filme do Centro de Portugal foi o terceiro mais bem classificado entre aqueles que concorreram na categoria “Destinos Turísticos – Regiões”, ficando apenas atrás de filmes da Andaluzia (Espanha) e do Peloponeso (Grécia).

Pedro Machado, presidente da Turismo Centro de Portugal, destaca o prémio recebido, “numa categoria que distingue as regiões enquanto destinos turísticos. A região magnífica que é o Centro de Portugal não merece menos”.

O circuito internacional do CIFFT engloba 10 festivais em outros tantos países. O filme “Aqui Entre Nós” foi premiado no Festival Internacional de Filmes de Turismo de África, na África do Sul, no Festival TourFilm de Zagreb, na Croácia, no ART&TUR – Festival Internacional de Cinema de Turismo, em Ourém, Portugal, e no Amorgos Tourism Film Festival, na Grécia.

Produzido para a Turismo Centro de Portugal pela Ideias Com Pernas – Creative Films, partindo de um conceito desenvolvido pela agência criativa Bang Bang Creative Shots, o filme “Aqui Entre Nós” inseriu-se numa campanha lançada pelo TCP em 2021, que teve como como grande objetivo dar a conhecer aos portugueses a essência do Centro de Portugal e solidificar a região como o primeiro destino de férias dos portugueses.

Sobre o autorPublituris

Publituris

Mais artigos
Destinos

Algarve acolhe o V Fórum Regional de Enoturismo APENO – Ageas Seguros

Descentralizar tem sido a palavra-chave da APENO e da Ageas Seguros para se fazer mais e melhor pelo enoturismo em Portugal.

Publituris

A Associação Portuguesa de Enoturismo (APENO) e a Ageas Seguros, em parceria com as Comissões Vitivinícolas Regionais nacionais (CVR), realizam no próximo dia 5 de dezembro, o V Fórum de Enoturismo como objetivo de debater os pontos fortes e de melhoria do enoturismo nacional.

Este fórum no Algarve segue outros fóruns regionais realizados na região de Lisboa, região do Tejo, região de Setúbal e região do Alentejo.

Descentralizar tem sido a palavra-chave da APENO e da Ageas Seguros para se fazer mais e melhor pelo enoturismo em Portugal. A missão, desta vez, “é abrir portas a ciclos de debates, em que o foco é discutir os pontos fortes e fracos do enoturismo nacional, com o intuito de se encontrarem soluções para fazer crescer ainda mais um setor já de si em franca expansão, mas com muito mais ainda para dar em território português”, refere a associação em comunicado.

“Queremos reforçar o nosso posicionamento no setor de Enoturismo, junto destes profissionais, contribuindo para um setor mais seguro e sustentável. É nosso compromisso estar presentes na vida das empresas de uma forma relevante, próxima e emocional», reforça Gustavo Barreto, membro da Comissão Executiva do Grupo Ageas Portugal.

Do lado da APENO, o presidente da associação, Maria João de Almeida, refere que “fala-se muito de enoturismo, mas ainda ninguém tem definições nem números que ajudem a compreendê-lo, entre outras questões que têm de ser debatidas”, considerando que a APENO tem estado “focada em resolver estas questões e em criar bases sólidas de trabalho para que Portugal seja considerado uma região de referência no enoturismo a nível mundial”.

Sobre o autorPublituris

Publituris

Mais artigos
Destinos

Walter Chicharro admite suceder a Pedro Machado na Turismo do Centro

O presidente da Câmara Municipal da Nazaré, Walter Chicharro, admite que tem reunidas as condições para ser candidato, no próximo ano, à presidência da entidade regional de turismo, para a qual tem vindo a recolher apoios.

Publituris

O presidente da Câmara Municipal da Nazaré, Walter Chicharro, admite vir a candidatar-se à liderança da Turismo Centro de Portugal (TCP), sucedendo a Pedro Machado, atual presidente da entidade regional de turismo, cujo mandato termina em 2023.

Em entrevista aos jornais do grupo Diário de Coimbra, Walter Chicharro destaca os resultados alcançados no seu concelho e admite que tem reunidas as condições para ser candidato, no próximo ano, à presidência da entidade regional de turismo, para a qual tem vindo a recolher apoios.

Recorde-se que Pedro Machado foi reeleito, em julho de 2018, para a liderança da Turismo Centro de Portugal, num mandato que termina no próximo ano e que o responsável não poderá renovar, uma vez que chegou ao limite de mandatos na entidade regional de turismo.

Walter Chicharro tem 52 anos, é presidente da Câmara Municipal da Nazaré desde 2013 e também está em fim de ciclo devido à limitação de mandatos autárquicos.

 

Sobre o autorPublituris

Publituris

Mais artigos

Navegue

Sobre nós

Grupo Workmedia

Mantenha-se conectado

©2021 PUBLITURIS. Todos os direitos reservados.