Assine já
Destinos

Empresários cabo-verdianos ainda a braços para a retoma

Há ainda um conjunto de desafios que se colocam à classe empresarial cabo-verdiana ligada ao turismo com vista à real retoma do setor, gravemente afetado pela pandemia, num país em que o turismo representa 25% do PIB nacional.

Carolina Morgado
Destinos

Empresários cabo-verdianos ainda a braços para a retoma

Há ainda um conjunto de desafios que se colocam à classe empresarial cabo-verdiana ligada ao turismo com vista à real retoma do setor, gravemente afetado pela pandemia, num país em que o turismo representa 25% do PIB nacional.

Sobre o autor
Carolina Morgado
Dossier Relacionado
Cabo Verde
Banco Mundial sublinha aposta de Cabo Verde no digital e dependência do turismo
Destinos
Aeroportos de Cabo Verde continuam recuperação e crescem 300% em passageiros em junho
Aviação
Cabo Verde: Mais do que um destino, é o destino de férias dos portugueses
Destinos
CVA quer voltar a ser parceiro da operação turística em Portugal
Destinos
Um potencial grande ainda por descobrir
Destinos
Santo Antão ambiciona ser um grande destino de natureza
Destinos
DossiersCabo Verde

O presidente da Câmara do Turismo de Cabo Verde (CTCV), Jorge Spencer Lima, em entrevista ao Publituris, passa em revista os grandes desafios que se colocam aos empresários do país, mas com esperança, em parceria com o Governo cabo-verdiano, de ascender e até ultrapassar, rapidamente, os momentos de pré-pandemia

Aquando da sua recente tomada de posse considerou que o turismo em Cabo Verde não pode ser menosprezado, ignorado e nem tratado como mais um ator secundário da vida económica do país. O que a Câmara do Turismo pretende concretamente?
A CTCV realça que neste momento o Turismo é a principal atividade económica do país que representa cerca de 25% do PIB cabo-verdiano. É investindo seriamente neste setor que se consegue desenvolvê-lo e capitalizar as outras áreas conexas, nomeadamente Agricultura, Pesca, Serviços, Transporte e Indústria Criativa.

Sendo o Turismo um sector transversal, havendo uma boa aposta por parte do Governo no seu crescimento sustentável, teremos que necessariamente trabalhar os outros sectores, desenvolvendo assim economicamente o país, para não depender exclusivamente do Turismo.

E a aposta também tem que passar no fortalecimento do tecido empresarial, que é a base para o crescimento de todos os setores.

Qual a vossa relação com o Governo?
A nossa relação com o Governo é muito boa, de parceria, procurando efetuar um trabalho conjunto para o desenvolvimento do setor

Quais os grandes desafios que este setor enfrenta atualmente?
Os grandes desafios do setor atualmente são: Acesso ao financiamento para recuperação da forte crise financeira resultante da pandemia COVID 19; Maior investimento no setor dos transportes (aéreo e marítimo) permitindo um aumento regular do número de turistas que visitem o país, e que eles possam circular dentro de Cabo Verde, a um custo competitivo, ao mesmo tempo que se incrementa o turismo interno sobretudo na época baixa; Maior circulação de produtos nacionais entre as ilhas; Apostar na implementação das leis que regulamentam o setor e a sua fiscalização, aumentando assim a qualidade do serviço e dos produtos ofertados; Definir uma política clara de conquista de novos segmentos de mercado e consolidação dos existentes.

Problemas de tesouraria persistem
Qual a situação atual das empresas ligadas ao turismo, após dois anos de pandemia? Qual foi o papel do Governo cabo-verdiano no sentido de as apoiar? Estes apoios continuam? São suficientes?
As empresas enfrentam neste momento graves problemas de tesouraria, na medida em que não houve venda durante dois anos aproximadamente.

O Governo tomou medidas de lay off e de moratórias dos créditos junto dos bancos comerciais nacionais, o que foi mitigando a situação que poderia ter sido bem mais catastrófica. Passados estes dois anos, a medida de lay off já foi retirada e a de moratória foi prorrogada até setembro do corrente ano. Mas isso por si só não resolverá o problema de tesouraria das empresas.

Algumas medidas de financiamento para as empresas foram aprovadas pelo Governo, mas a burocracia que esteve envolvida nessas medidas impediu que elas tivessem um efeito mais eficaz e abrangente.

Neste momento, o fim das moratórias previsto para o próximo mês de setembro tem sido a maior preocupação das empresas do ramo pois certamente ainda não estarão preparadas para enfrentar os enormes encargos financeiros que irão cair sobres elas decorrentes da capitalização dos juros que não foram pagos durante o período da pandemia.

Das nove ilhas habitadas, cada uma tem a sua particularidade que a transforma num destino turístico único a ser explorado

Como é que a Câmara do Turismo vê a estratégia de promoção do destino nos mercados internacionais? Portugal é uma prioridade? Quais as vossas propostas de promoção para este mercado?
Apesar de já haver uma decisão do Governo de se transferir para a Camara do Turismo a responsabilidade da promoção do mercado de Cabo Verde, a mesma ainda não foi efetuada, apesar de todos os nossos esforços nesse sentido. Uma estratégia de promoção clara do destino Cabo Verde ainda não foi definida apesar de estudos recentes remeterem para o segundo plano a participação em feiras e ações no terreno e darem primazia à promoção online.

Portugal é e continua a ser um parceiro importante de Cabo Verde em todos os setores da atividade económica apesar de ter perdido a sua posição de liderança enquanto mercado emissor de turistas para Cabo Verde.

A promoção no mercado português passa, no nosso entender, por uma maior agressividade e presença nos media como forma de se transmitir uma mensagem de um destino seguro e amigo do turista português.

Considerando que a economia em Cabo Verde, durante muito tempo ainda, vai continuar a depender do turismo, qual deverá ser o papel das empresas desta área?
O papel das empresas nesta área deve incidir sobre dois aspetos fundamentais: Reforçar a oferta de trabalho com empregos mais dignos e mais bem remunerados; Integrar a cadeia de produção nos mais variados setores da economia nacional como forma de se diminuir o peso da importação de produtos a serem consumidos nos hotéis e similares. O objetivo de consumir Cabo Verde deve ser uma realidade nos próximos tempos.

Retoma só lá para 2024
Já se pode falar em retoma do Turismo em Cabo Verde? Quando é que se estima atingir os valores de 2019?
Sim já existe uma retoma ainda que tímida do turismo em Cabo Verde, embora estamos neste momento no que é considerado de época baixa.

Prevemos atingir os valores de 2019 em 2024 no entendimento de que a situação de guerra existente atualmente na Europa seja resolvida o mais breve possível.

A promoção no mercado português passa, no nosso entender, por uma maior agressividade e presença nos media como forma de se transmitir uma mensagem de um destino seguro e amigo do turista português


Quais as prioridades da Câmara do Turismo?
As prioridades da Câmara do Turismo são: Apoiar as empresas associadas a se recuperarem dos efeitos negativos da crise pandémica agravada depois com a situação de guerra na europa, nosso principal mercado emissor; Angariar mais empresas associadas em todas as ilhas; Apostar em eventos culturais e desportivos como produtos complementares ao turismo de sol e praia; Construir a sua sede num projeto que vai albergar um museu e uma pequena sala de conferencia; Promover Cabo Verde como destino turístico para investimento; Promover o país como destino turístico no mercado africano, principalmente na África Ocidental.

A formação é importante para o turismo. Como é que está a decorrer? O que é que a Câmara do Turismo propõe neste sentido?
A nível da formação serão trabalhadas três vertentes: Formação para gestores e donos dos seus negócios para que possam ter condições para fazer crescer o seu negócio, melhorar a qualidade do produto/serviço que vendem, para estarem melhor posicionados para enfrentar qualquer crise se ela vier; Apoiar e orientar as instituições de formação profissional em Cabo Verde sobre as áreas mais necessárias, de forma a ter um maior equilíbrio entre o mercado de oferta e o de procura a nível do emprego; Apoiar o empreendedorismo identificando novas áreas e oportunidades de negócio.

O drama dos transportes
Sendo Cabo Verde um país composto por ilhas e muito dependente do transporte aéreo tanto na ligação internacional como inter ilhas, como é que analisa este dossier? E a situação da Cabo Verde Airlines?
O transporte aéreo é neste momento o calcanhar de Aquiles do turismo cabo-verdiano impedindo um desenvolvimento equilibrado e acentuado do setor.

A Cabo Verde Airlines continua com sérios problemas de endividamento e com uma frota reduzida a um avião de médio curso o que inviabiliza qualquer programa de desenvolvimento endógeno do setor aéreo internacional em Cabo Verde.

A Bestfly, companhia nacional de ligação inter ilhas é que vem dando alguma prova de vitalidade e esperamos que continue nesta via para libertar os cabo-verdianos da grande dor de cabe que ainda constitui o setor aéreo nacional.

Mesmo durante a pandemia, as notícias que nos chegaram é que o investimento na área do turismo não parou, pelo contrário. Que balanço se pode fazer?
Dizer que o investimento na área do turismo não parou durante a pandemia é uma utopia, pois com as medidas restritivas tomadas pelo Governo para combater a crise pandémica a economia cabo-verdiana foi ao fundo do poço, chegando a atingir um crescimento negativo na ordem dos 14,8% o que há muito tempo não se via no nosso país.

Em sua opinião, Cabo Verde deveria descentralizar mais a sua oferta turística, hoje em dia muito concentrada no Sal e na Boa Vista? Que outras ilhas priorizariam? Que segmentos turísticos?
Cabo Verde não tem outro caminho a seguir senão a descentralização da sua oferta turística. O turismo de sol e praia que domina neste momento 90% do mercado concentrado nas ilhas de Sal e Boa vista já esta a atingir o seu limite de carga e se excetuarmos a ilha do maio essa oferta turística está prestes a esgotar-se.

Das nove ilhas habitadas cada uma tem a sua particularidade que a transforma num destino turístico único a ser explorado.

Pela mesma razão que é impensável promover-se um turismo de sol e praia em Santo Antão., também é impensável promover-se um turismo de montanha e de trekking na ilha do Sal.

Sobre o autorCarolina Morgado

Carolina Morgado

Mais artigos
Dossier relacionado
Turismo

Nuno Fazenda de Almeida substitui Rita Marques na Secretaria de Estado do Turismo, Comércio e Serviços

Nuno Jorge Cardona Fazenda de Almeida substitui Rita Marques à frente da Secretaria de Estado do Turismo, Comércio e Serviços, estando a tomada de posse marcada para 2 de dezembro.

Victor Jorge

O Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, aceitou esta terça-feira, 29 de novembro, as propostas do primeiro-ministro de exoneração de três secretários de Estado: dos Assuntos Fiscais, da Economia, e do Turismo, Comércio e Serviços.

Rita Marques deixa, assim, a secretária de Estado do Turismo, Comércio e Serviços (SETCS), cargo que ocupava desde outubro de 2019, sendo substituída por Nuno Jorge Cardona Fazenda de Almeida.

O novo secretário de Estado do Turismo, Comércio e Serviços tem uma licenciatura em Turismo, um Mestrado em Gestão e Políticas Ambientais e um doutoramento em Planeamento Regional e Urbano.

Técnico Superior e professor Universitário de profissão, conforme se pode ler na biografia no site do Parlamento, o novo SETCS foi deputado nas XIV e XV legislaturas, pelo círculo de Castelo Branco tendo ocupado o cargo de diretor do Departamento de Gestão de Programas Comunitários no Turismo de Portugal.

Recorde-se que Rita Marques ocupava a Secretaria de Estado do Turismo desde outubro de 2019 (acumulando a partir da tomada de posse do XXIII Governo as pastas do Comércio e Serviços), tendo substituído Ana Mendes Godinho que na altura subiu a ministra do Trabalho, Solidariedade e Segurança Social.

Antes de ocupar o lugar de secretária de Estado do Turismo, Rita Marques era CEO da Portugal Ventures.

Nas restantes secretarias de Estado, António Mendonça Mendes ocupará o cargo de secretário de Estado Adjunto do Primeiro-Ministro, enquanto, Pedro Jorge Cilínio passa a ser o novo secretário de Estado da Economia

A posse dos novos titulares terá lugar na próxima sexta-feira, 2 de dezembro, pelas 12h00, no Palácio de Belém.

Sobre o autorVictor Jorge

Victor Jorge

Mais artigos
Artigos relacionados

CARAÍBAS: Viaje com a MSC Cruzeiros e não perca a oportunidade de ter tudo incluído nos cruzeiros deste inverno por um preço irresistível

Quer opte por realizar um cruzeiro pelo Médio Oriente, pelas Caraíbas e Antilhas, pelo Mediterrâneo, pelo Norte da Europa ou caso opte por uma Grand Voyage poderá efetuar a sua reserva com a MSC Cruzeiros e ter a possibilidade de ter tudo incluído neste Inverno 2022/2023!

Brand SHARE

As Caraíbas são, para quem já as visitou, um lugar de sonho. São encaradas como um dos mais belos e fascinantes destinos do mundo, um sonho para qualquer turista que pretende descansar em cenários majestosos, rodeados por enormes praias de areia branca, palmeiras, frutos exóticos, barreira de corais, repleta de peixes tropicais de todas as cores e um mar azul-turquesa.

Ciente do forte interesse que existe por esta região, a MSC Cruzeiros terá 4 navios a navegar pelas Caraíbas durante o Inverno 2022/23 para que nada falte aos passageiros que desejam conhecer melhor as praias caribenhas, entre outras atrações.

Bahamas, Ocean Cay MSC Marine Reserve – Photo credit Conrad Schutt

O MSC Seascape, que será inaugurado em Nova York, iniciará a sua temporada inaugural no dia 11 de Dezembro de 2022 em Port Miami (EUA) aos Domingos. O navio vai disponibilizar itinerários de 7 noites com escala na Ocean Cay MSC Marine Reserve nas Bahamas, em Cozumel no México, George Town nas Ilhas Caimão e Ocho Rios na Jamaica antes de regressar a Miami.

Com porto de embarque em Port Miami, os passageiros da MSC Cruzeiros poderão antes de realizarem o embarque, encontrar uma cidade cujos bairros são muito diversificados, um autêntico puzzle que forma um corredor urbano de duas cidades tecnicamente separadas: a parte continental de Miami e o enorme banco de areia conhecido por Miami Beach.

Ao realizar um cruzeiro nas Caraíbas com a MSC Cruzeiros, a maioria das pessoas acaba por passar o tempo em South Beach, uma área relativamente pequena na extremidade sul do banco de areia, onde encontrará muitas das principais galerias de arte da Flórida, restaurantes em voga e grande parte da sua efervescente vida noturna.

Antigua, from St John’s – English Harbour

De seguida, o navio irá escalar na Ocean Cay MSC Marine Reserve, uma autêntica ilha Caribenha, onde poderá encontrar um ambiente eco-friendly, sentir o calor do espirito bahamiano, fazer uma massagem relaxante numa cabana, descobrir toda a beleza dos mares e explorar a ilha com excursões dedicadas.

O MSC Seascape passará também por Cozumel, uma ilha de quarenta quilómetros de extensão junto à costa de Playa del Carmen, a Ilha Cozumel é um porto de escala famoso, onde quase diariamente atracam até 10 navios numa das docas especializadas da ilha, todas situadas a sul da única cidade, San Miguel.

Posteriormente, o navio irá para o porto de George Town, uma cidade tradicional das Caraíbas com casas coloridas em madeira intercaladas com edifícios mais recentes. Poderá também mergulhar na história da ilha no Museu Nacional de George Town que serve duas finalidades: além de poder descobrir exemplos das espécies endémicas de flora e fauna mais interessantes, pode ainda conhecer a história da ilha.

Antes de regressar a Miami, o navio passará por Ocho Rios que se caracteriza pelos seus rios e pelo seu mar cristalino. No seu cruzeiro pelas Caraíbas recomendamos-lhe que experimente as diversas atividades ao ar livre disponíveis nos rios, como caiaque e tubing.

O MSC Meraviglia também estará a navegar pelas Caraíbas, partindo do porto de embarque Port Canaveral, onde a cerca de 20 minutos de carro, pode descobrir o fenomenal Centro Espacial Kennedy, onde os veículos da NASA são desenvolvidos, testados e enviados para a órbita do planeta.

O navio passará por Nassau que conta com o maior aquário ao ar livre do mundo, com mais de 100 espécies diferentes de peixes tropicais coloridos. Nesta região é possível interagir com golfinhos e fazer excursões a ilhas vizinhas em lanchas.

De seguida, o navio irá para a Ocean Cay MSC Marine Reserve antes de passar pelo porto da Costa Maya, onde é possível sentir a vivacidade sentida na região com as suas bancas de recordação turísticas e de aluguer de jet-ski ao largo do passeio marítimo sofisticado.

O navio passará ainda por Cozumel, antes de regressar ao porto de desembarque, Port Canaveral, num itinerário que terá a duração de sete noites.

O MSC Divina realizará itinerários de 10 noites com partida de Port Miami (EUA), fazendo escala em Ocho Rios (Jamaica), passando depois por Cartagena (Colômbia), antes de chegar ao Panamá na cidade de Colón. Através da MSC Cruzeiros poderá ter a oportunidade de realizar excursões a Portobelo. Como lugares imperdíveis em Colón, poderá visitar o Lago Gatún e o Canal do Panamá.

USA, Miami – South Beach

De seguida, o navio navegará em direção a Puerto Limón (Costa Rica), onde poderá realizar uma excursão que tem como destino o Veragua Rainforest, um parque de investigação e aventura interessante na floresta tropical que apresenta várias exposições sobre a vida animal, podendo, se assim o desejar, conversar com os biólogos responsáveis e saber mais sobre os estudos desenvolvidos continuamente sobre a extraordinária coleção de borboletas do parque.

Antes de regressar a Miami, o MSC Divina fará escala ainda na Ocean Cay MSC Marine Reserve nas Bahamas para que os passageiros conheçam a ilha.

A bordo do MSC Seaside poderá realizar cruzeiros de 7 noites com partidas de Fort- de-France (Antilhas Francesas), Pointe-à-Pitre (Guadalupe) e Philipsburg (St Maarten) com dois itinerários que incluem escalas para destinos como Castries (Santa Lúcia), Bridgetown (Barbados), Saint George (Granada) ou St John´s (Antigua e Barbuda), Basseterre (St Kitts e Nevis) e Roseau (Dominica).

Antes de embarcar no seu cruzeiro em Fort- de- France poderá desfrutar de locais imperdíveis nessa região como da Praia Anse Mitan, de andar numa ponte suspensa no jardim e da destilaria de rum Depaz que já produz a bebida nacional desde 1651.

MSC Divina in Port Canaveral – Photo credit: Port Canaveral for MSC Cruises

De seguida, o navio irá para Point-a Pitre, em Guadalupe, onde poderá desfrutar dos aromas e sons que emanam dos seus inúmeros e pequenos mercados. Destaca-se o Mercado Central, também chamado de Mercado de Saint Antoine, situado na praça com o mesmo nome em pleno centro da cidade, o Mercado das Flores na Praça Gourbeyre, em frente à Igreja de São Pedro e São Paulo, e o Mercado do Porto de Keruland no mar das Caraíbas. Para os amantes de Parques Nacionais não poderão perder a oportunidade de visitar o Parque Nacional de Guadalupe reconhecido como Reserva Mundial da Biosfera pela UNESCO.

Um dos itinerários percorrerá a capital de São Martinho, Philipsburg, onde poderá aproveitar para realizar um passeio a cavalo, ou ainda visitar a conhecida Lagoa de Simpson Bay. Posteriormente, seguirá para Saint John´s (Ilha de Antígua), uma colónia da Coroa Britânica ao longo de mais de 300 anos onde não pode perder a oportunidade de visitar o Estaleiro de Nelson, um velho estaleiro restaurado e ainda a Shirley Heights que é considerado o local ideal para apreciar o pôr do sol ou as festas mais famosas da ilha.

De seguida, irá para Basseterre onde poderá encontrar duas ilhas das Caraíbas que foram frequentadas pelos turistas de elite ao longo de, pelo menos, dois séculos, tendo sido o destino da nobreza europeia entre os séculos XIX e XX.

Antes de regressar a Fort-de-France o navio navegará para Roseau, a capital de Domínica, situada na costa do mar das Caraíbas. Trata-se de um lugar muito envolvente e o seu estilo colonial francês e o seu traçado urbano original ainda podem ser apreciados nas zonas do Antigo Mercado. São várias as excursões que cada passageiro pode realizar que envolvem caminhadas desde as menos exigentes às mais exigentes fisicamente.

Martinique, from Fort-de-France – Balata Church

Já o outro itinerário partirá também de Fort-de-France, fará escala em Pointe-à-Pitre, antes de ir para a capital de Santa Lúcia, Castries, antigo refúgio de piratas, onde poderá encontrar as melhores praias desertas e os melhores centros comerciais das Caraíbas.

De seguida, o MSC Seaside passará por Barbados, onde poderá descobrir a capital Bridgetown. Entre as várias atrações desta pequena cidade das Caraíbas, vale a pena admirar os seus vários edifícios coloniais, o Edifício do Parlamento e a estátua de Lord Nelson, situada na praça atual denominada National Heroes Square.

Posteriormente, o seu navio irá para Saint George (Granada), onde poderá vislumbrar algumas casas crioulas do século XIX que ainda mantêm os telhados de telhas em tijolos, usadas como lastro nos navios do Velho Mundo.

Antes de desembarcar em Fort-de-France, o navio passará por Kingstown onde encontrará a atmosfera típica das Índias Ocidentais, com o seu mercado de peixes, lojas de rum e edificações coloniais.

Considerada um paraíso escondido nas Caraíbas, Kingstown tem também belíssimas igrejas como a Catedral de Santa Maria, datada de 1820, famosa pelos seus arcos de estilo romano, torres góticas e ornamentos mouriscos.

Não lhe faltam motivos para fazer um cruzeiro!

Embarque nesta aventura com a MSC Cruzeiros!

 

 

Sobre o autorBrand SHARE

Brand SHARE

Mais artigos

Últimos lugares disponíveis para os feriados de Dezembro – Passeios no Guadalquivir!

A empresa oferece duas saídas, em 3 ou 7 de dezembro, para um cruzeiro de 5 dias com partida em Sevilha.

Brand SHARE

A CroisiEurope, a maior empresa de cruzeiros fluviais da Europa, anuncia as últimas vagas para o passeio especial feriados de Dezembro. Inclui um roteiro pelo sul de Espanha numa viagem até ao coração da Andaluzia, onde poderá desfrutar das suas tradições, história e gastronomia.

A empresa oferece duas saídas, em 3 ou 7 de dezembro, para um cruzeiro de 5 dias com partida em Sevilha, com passeio a pé opcional por Sevilha; visitar Cádiz, com uma excursão diurna opcional que inclui uma visita à catedral e uma excursão noturna opcional de flamenco; Chegando a Puerto de Santa María, onde terá a opção de visitar a vinícola Osborne com degustação de vinhos e terá a tarde livre para visitar o centro histórico, as pequenas vinícolas para degustar e comprar vinho ou passear por suas incríveis praias; e voltar para Sevilha.

Uma viagem a bordo do cruzeiro La Belle de Cadix, um navio da categoria 5 âncoras que pode combinar roteiros fluviais-marítimos, com capacidade para 176 passageiros em suas confortáveis ​​cabines e instalações. Este cruzeiro oferece excelente gastronomia em regime de tudo incluído, com pensão completa e bebidas incluídas nas refeições e Wi-Fi gratuito. Os passageiros serão recebidos no navio com um coquetel de boas-vindas no dia do embarque em Sevilha. Durante a sua estadia, desfrute da requintada cozinha francesa e de uma noite de gala com jantar incluído.

SOBRE A CROISIEUROPE: A CroisiEurope é a primeira empresa de cruzeiros fluviais da Europa na sua categoria e possui uma frota muito actualizada e moderna de 56 navios, 48 ​​navios próprios (33 fluviais, 6 peniche, 2 marítimo-costeiros, 5 no Mekong e 2 na África Austral) e 8 em operação. Todos eles são projetados, construídos e comercializados pela própria empresa. A sua sede está localizada em Estrasburgo e desde 2005 já tem uma forte presença em Espanha, onde se vai consolidando pouco a pouco. Há mais de 40 anos trabalhamos com a mesma ideia: Descobrir o mundo através de seus rios. Uma ideia na qual a CroisiEurope aplica toda a sua experiência para oferecer aos seus clientes férias inesquecíveis. Uma extensa variedade de destinos, uma frota de navios inovadora e elegante, uma gastronomia e seleção de vinhos cuidadosa e a atenção requintada ao detalhe por parte da tripulação significam que oferecer um cruzeiro CroisiEurope significa ter a certeza de satisfazer os clientes mais exigentes. No ano passado, mais de 220.000 pessoas viajaram com a CroisiEurope.

Sobre o autorBrand SHARE

Brand SHARE

Mais artigos
Transportes

Lufthansa lança campanha de recrutamento

Depois dos cortes efetuados, a Lufthansa lançou uma campanha para recrutar 20.000 novos colaboradores. A procura centra-se em funções como técnicos, advogados, especialistas em TI, além de pilotos e tripulantes de cabine.

Publituris

A Lufthansa lançou uma campanha como parte de um esforço para recrutar um total de 20.000 funcionários na Europa, com a decisão a seguir a recuperação significativa do setor do tráfego aéreo, bem como a escassez de pessoal neste setor.

Em comunicado, a companhia aérea de bandeira da Alemanha, prevê a contratação de 20.000 novos funcionários para 45 funções para as suas bases na Alemanha, Suíça, Áustria e Bélgica, salientando que a procura se centra, particularmente, em técnicos, advogados, especialistas em TI, além de pilotos e tripulantes de cabine.

Os números fornecidos anteriormente pelo Aerotime, um hub digital noticioso sobre aviação, revelava que a Lufthansa tinha 140.000 funcionários no final de 2020, tendo tomado, no decorrer deste ano, algumas medidas de corte de custos e de pessoal, causando dificuldades operacionais.

Em setembro, a companhia aérea anunciou que não faria mais greves até junho de 2023, depois de confirmar que chegou a um acordo com o sindicato de pilotos alemães “Vereinigung Cockpit”.

Os pilotos da companhia, representados por este sindicato na Alemanha, foram elegíveis para obter salários e bónus mais altos após negociações bem-sucedidas com a Lufthansa.

As dificuldades vividas pela companhia aérea alemã fizeram com que, em julho, tivesse sido relatado que um total de 130.000 viajantes estavam sujeitos a cancelamentos de voos pela Lufthansa, tendo a companhia anunciado, também nessa altura, que teve de cancelar mais de 1.000 voos devido a greves.

Sobre o autorPublituris

Publituris

Mais artigos
Sem categoria

Airmet reforça equipa no Norte e Madeira

Com 23 anos de experiência, Célia Castro reforça a equipa comercial da Airmet no Norte e na Madeira.

Publituris

A rede de agências Airmet acaba de reforçar a sua equipa na zona Norte e Madeira, com a contratação de Célia Castro.

A nova comercial reúne 23 anos de experiência no setor do turismo, tendo passado pela Soltour, BedsOnline e Hotelbeds.

“Esta nova integração vem ao encontro dos valores e objetivos estabelecidos pela Airmet: proximidade, confiança, cooperação e inovação. Assistir os nossos associados de perto é o que torna a Airmet um grupo sólido e em constante desenvolvimento. Estamos confiantes que reforçar o nosso departamento comercial com profissionais experientes, é uma mais-valia não só para fortalecer o acompanhamento dos nossos associados, mas também para a angariação de novas agências”, refere Luís Henriques, diretor-geral da Airmet, em comunicado.

Sobre o autorPublituris

Publituris

Mais artigos
Destinos

WTTC revela que viagens internacionais estão no pico mais alto desde o início da pandemia

Os australianos aparecem como os turistas mais gastadores, sendo que o estudo do WTTC aponta para viajantes cada vez mais social e ambientalmente responsáveis.

Publituris

Aproveitando a abertura da 22.ª edição do Global Summit, em Riade (Arábia Saudita), o World Travel & Tourism Council (WTTC) revela que as viagens internacionais estão no pico mais alto desde o início da pandemia.

Segundo os dados, mais de um quarto (27%) dos consumidores prevê realizar três ou mais viagens em 2023, com os australianos a liderarem este ranking em termos de gastos, destacando-se, igualmente, os viajantes do Canadá, Arábia Saudita e Filipinas.

Este novo estudo, realizado junto de 26.000 consumidores em 25 países pelo YouGov para o WTTC, analisa o interesse pelas viagens internacionais, indicando que 63% dos inquiridos planeiam efetuar uma viagem nos próximos 12 meses.

O estudo revela que o interesse por viagens não mostra sinais de desaceleração, com a Arábia Saudita a aparecer destacada no que diz respeito à atratividade e impressão positiva num destino que continua a crescer, registando as pontuações mais altas relativamente a todos os países da região do Golfo, a par da Índia, Malásia e Tailândia.

Julia Simpson, president e CEO do WTTC, refere que os resultados do estudo mostram, igualmente, “a crescente importância das viagens sustentáveis entre os consumidores”.

Quase dois terços dos entrevistados (61%) afirmaram preferir marcas e destinos mais sustentáveis, enquanto quase metade (45%) admitiu só gastar dinheiro com marcas social e ambientalmente responsáveis.

Sobre o autorPublituris

Publituris

Mais artigos
Turismo

“Turismo, Competitividade e Destino Portugal” em livro

O livro, além da interpretação dos eventos que influenciaram o bom momento vivido no turismo em Portugal (pré-pandemia), propõe ainda novas rotas de atuação para o turismo nacional.

Publituris

“Turismo, Competitividade e Destino Portugal. Fatores de Sucesso e Imagem Internacional” é o primeiro livro da especialista em comunicação, Vânia Sousa, que analisa os eventos recentes e marcantes do turismo nacional e internacional.

Como lançamento marcado para esta terça-feira, 29 de novembro, na FNAC de Santa Catarina, no Porto, o livro, além da interpretação dos eventos que influenciaram o bom momento vivido no turismo em Portugal (pré-pandemia), propõe ainda novas rotas de atuação para o turismo nacional, como recurso ao marketing digital, às operadoras low-cost, à inovação, às experiências integradas e à cocriação são alguns dos aspetos valorizados.

Para tal, a obra abrange a visão e recomendações de diversos especialistas de renome internacional, que identificam aspetos positivos e de melhoria no turismo português. Entre os entrevistados encontram-se personalidades de renome das áreas do turismo, do marketing e do jornalismo, como Edson Athayde, Álvaro Covões, Francisco Jaime Quesado, Ricardo Jorge Pinto, Carlos Costa, Antónia Correia, Dimitrius Buhalis, Ricardo Fonseca de Almeida, Manuel Pinto Teixeira, Joana Neves, Marta Sá Lemos ou Jorge Pedro Sousa.

O livro engloba também perspetivas diferenciadoras sobre a imagem internacional de Portugal nos média e a opinião dos estrangeiros, bem como políticas públicas e de marketing e comunicação e a influência da Troika na notoriedade do Destino Portugal.

Reflete ainda sobre acontecimentos recentes que marcaram o turismo nacional e identifica direções a tomar para superar os desafios do mercado.

Segundo Vânia Sousa, “é fundamental que os profissionais do turismo comuniquem de forma estratégica, para que se possam tornar mais competitivos”.

A apresentação do livro “Turismo, Competitividade e Destino Portugal. Fatores de Sucesso e Imagem Internacional” conta com a participação de Mário Augusto (jornalista), Luís Pedro Martins (Presidente do Turismo Porto e Norte), Francisco Jaime Quesado (economista e gestor, especialista em Inovação e Competitividade) e Paulo Faustino (Diretor do mestrado em comunicação e gestão de indústrias criativas, da Universidade do Porto).

A obra conta com o posfácio de Filipa Maria Cardoso, diretora de Comunicação e Marketing Digital do Turismo de Portugal I.P.; com o epílogo de Francisco Jaime Quesado, economista e gestor, especialista em Inovação e Competitividade; e com o preâmbulo assinado por Paulo Faustino, diretor do mestrado Comunicação e Gestão de Indústrias Criativas da Faculdade de Letras da Universidade do Porto.

Sobre o autorPublituris

Publituris

Mais artigos
Tecnologia

AirHelp aposta em assistentes robot

AGA, LARA, Herman e ECS são os novos assistentes robots da AirHelp que tratam de tarefas mais mecânicas e que requerem o processamento de grandes quantidades de documentação e dados.

Publituris

A AirHelp “contratou”, recentemente, diversos assistentes robots, seguindo uma estratégia “digital-first”, em que a tecnologia desempenha um papel fundamental. Nos últimos anos, as equipas jurídicas e técnicas da AirHelp desenvolveram robots baseados em Inteligência Artificial (IA) para apoiar os processos de reclamação dos seus clientes, admitindo Miguel Madaleno, advogado especialista que representa a AirHelp em Portugal, que a IA é “altamente eficaz quando usada como um apoio para o trabalho humano, designadamente na área jurídica”.

Na AirHelp, estes robots tratam de tarefas mais mecânicas e que requerem o processamento de grandes quantidades de documentação e dados, revelando a plataforma online, em comunicado, que desta forma, “a produtividade e eficácia podem ser melhoradas, diminuindo a possibilidade de erro humano, acelerando o processo e, consequentemente, melhorando a experiência do cliente”.

Além, disso, referem que, os membros (humanos) da equipa podem “concentrar-se noutras tarefas, tais como a procura constante de novas soluções que possam conduzir a uma melhor qualidade de serviço ao cliente, a recolha de informação para detetar novos nichos de mercado ou até mesmo o estudo de novas regulamentações”.

Cada ‘bot’ desenvolvido desempenha um papel muito importante durante o processo de reclamações aéreas gerido pela Airhelp, desde o início e a recolha de dados até chegar a uma resolução precisa e precisa.

Os assistentes:

AGA (Agent Assistant)
Criada em 2018, trata da fase inicial de qualquer processo de reclamação: recolha de dados. A AGA irá informar o cliente se este apresenta os documentos necessários e dará as instruções necessárias para assegurar que os dados são corretamente preenchidos. A AGA é capaz de avaliar 40% dos casos com praticamente nenhuma margem de erro. Caso não seja clara a sua decisão, diz aos agentes quais os processos que precisam de ser monitorizados.

LARA (Legal Assessment Referral Assistant)
A LARA foi criada em 2017 e é responsável pelo apoio à equipa jurídica. LARA considera todos os aspetos legais de uma reclamação e, para além de levar a cabo o processo de reclamação, estuda a viabilidade de o caso terminar com uma resolução favorável ao cliente. Atualmente, a LARA é capaz de resolver 70% dos casos por si só.

HERMAN
HERMAN é o veterano do grupo, criado em 2016. No seu papel de agente jurídico, determina a melhor jurisdição para resolver cada caso, com base na taxa de sucesso de reclamações semelhantes, na duração do processo e noutros fatores. O seu nome deriva do caso Wallentin Hermann, uma das decisões mais importantes do Tribunal de Justiça Europeu para a proteção dos direitos dos passageiros aéreos na Europa.

ECS
ECS é a mais recente adição à equipa de robots da AirHelp. O ECS atua como um filtro e determina se a interrupção do voo é justificada ou causada pela companhia aérea e se o passageiro deve ser compensado. 100% de todas as reclamações passam pelo ECS, que examina a situação do aeroporto, informações de tráfego aéreo, dados de voo e se existe de facto um atraso injustificado.

Sobre o autorPublituris

Publituris

Mais artigos
Transportes

Reino Unido pode limitar restrições de líquidos em aeroportos

Um novo sistema de controlo de segurança está a ser testado nos aeroportos britânicos para eliminar as restrições dos 100 mililitros nos líquidos nas bagagens de mão.

Publituris

Segundo informações avançadas pelo jornal The Times, as restrições de segurança relativamente aos líquidos poderão vir a ser eliminadas nos aeroportos britânicos num prazo de dois anos.

Esta medida vem na sequência da instalação de novos scanners 3D que possibilitam ao pessoal de segurança dos aeroportos verem detalhadamente o conteúdo do interior das malas e bolsas, encontrando-se a tecnologia em fase de teste nos aeroportos de Heathrow e Gatwick.

Recorde-se que, desde 2006, a quantidade de líquidos a serem transportados na bagagem de mão está limitada a 100 mililitros e deve ser transportada em bolsas transparentes individuais.

De acordo com os especialistas, esta medida, sob a qual ainda pende uma aprovação e decisão final, ajudaria a reduzir as filas nos controlos de segurança nos aeroportos, além de reduzir, consideravelmente, o uso de plástico.

Sobre o autorPublituris

Publituris

Mais artigos
Transportes

TAP inclui Europa, Brasil, EUA, Canadá e Norte de África na “Black Friday”

Além dos voos de ida-e-volta a partir de 49 euros para destinos da companhia na Europa, Brasil, Estados Unidos da América, Canadá e Norte de África, a TAP alarga esta promoção, também, para viagens em classe Executiva, com preços a partir de 299 euros para voos de ida-e-volta.

Publituris

A promoção de “Black Friday” da TAP – disponível até ao dia 28 de novembro – oferece voos de ida-e-volta a partir de 49 euros para destinos da Companhia na Europa, Brasil, Estados Unidos da América, Canadá e Norte de África, alargando esta promoção, também, para viagens em classe Executiva, com preços a partir de 299 euros para voos de ida-e-volta.

A promoção Black Friday aplica-se a vendas realizadas até 28 de novembro, para voos a realizar entre 16 de janeiro e 30 de novembro de 2023 (exceto os períodos de 31 de março a 17 de abril e de 15 de julho a 31 de agosto de 2023).

Esta promoção da TAP está também disponível nos mercados de Portugal, Áustria, Bélgica, Suíça, Chéquia, Alemanha, Espanha, França, Irlanda, Itália, Luxemburgo, Países Baixos, Noruega, Polónia, Dinamarca, Suécia, Croácia e Reino Unido, na Europa, mas também no Brasil (Belém, Natal, Maceió e Salvador), Estados Unidos e Canadá.

Os preços são válidos para estadas mínimas no destino de três dias (Europa e norte de África) e de cinco dias nos restantes mercados.

Para lançar esta campanha, com o mote “grandes viagens ficam para sempre, estes preços só até 28/11”, a TAP divulga um vídeo nos seus canais de internet e redes sociais, em que mostra uma partida realizada em parceria com o estúdio de tatuagens Ink and Wheels.

Sobre o autorPublituris

Publituris

Mais artigos

Navegue

Sobre nós

Grupo Workmedia

Mantenha-se conectado

©2021 PUBLITURIS. Todos os direitos reservados.