Assine já
Emirates
Aviação

Lucro da Emirates desceu 82% no último ano

Companhia explica descida do lucro com o “ano turbulento” que o sector da aviação viveu em 2016.

Publituris
Emirates
Aviação

Lucro da Emirates desceu 82% no último ano

Companhia explica descida do lucro com o “ano turbulento” que o sector da aviação viveu em 2016.

Publituris
Sobre o autor
Publituris
Artigos relacionados
Tráfego do Grupo Air France/KLM atinge 75 milhões de passageiros até Setembro
Aviação
Greves levam Ryanair a cortar previsão de lucro em 12%
Homepage
Combustível em alta explica redução de 69% no lucro da Emirates
Homepage
Lucro da Ryanair cresce 55% até Junho
Aviação

A Emirates registou uma quebra de 82% no lucro do ano passado, indicador que se situou nos 340 milhões de dólares, com uma margem de lucro de 1,5%, segundo o relatório anual da companhia apresentado esta quinta-feira, 11 de Maio, relativo aos resultados apurados até 31 de Março.

Esta foi a primeira vez que a Emirates viu o lucro descer desde o ano fiscal de 2011-12, uma realidade que a companhia explica com o “ano turbulento” que o sector da aviação viveu em 2016, com a desvalorização do câmbio, atentados terroristas, greves, questões relacionadas com a imigração nos EUA e o Brexit.

No total, a Emirates registou receitas de 23,2 mil milhões de dólares, no entanto, a companhia explica que o câmbio desfavorável, devido à “subida implacável” do dólar americano, teve um impacto de 572 milhões de dólares nas receitas.

Em relação a custos, a Emirates refere que a conta de combustível se situou nos 5,7 mil milhões de dólares, 6% acima do ano passado, o que a companhia atribui ao aumento da capacidade disponibilizada, uma vez que o preço do combustível até caiu ligeiramente.

Nos custos operacionais, a conta de combustível da Emirates representa agora 25%, quando no ano passado o peso do combustível representava 26% dos custos operacionais da companhia.

Além dos resultados económicos, a Emirates revelou também que, no ano passado, transportou um total de 56,1 milhões de passageiros, subida de 8% face aos resultados do ano anterior, enquanto o load factor foi de 75,1%, cerca de 1,4% abaixo do ano passado, quando este indicador foi de 76,5%, redução que se explica pelo aumento da capacidade e da concorrência em mercados prioritários, além da incerteza económica sentida em 2016.

Durante o ano passado, a Emirates aproveitou também para renovar a sua frota, tendo retirado de operação 27 aviões mais antigos e colocando 35 novos aparelhos em circulação.

 

Sobre o autorPublituris

Publituris

Mais artigos
Artigos relacionados
Transportes

Ryanair espera “ficar com todos os ‘slots’ que vão ser distribuídos até ao fim de junho”

Numa conferência de imprensa em Lisboa, Michael O’Leary, CEO da Ryanair, revelou que a companhia aérea está a lutar com a easyJet pelos slots libertados pela TAP, mostrando-se confiante será possível “ficar com todos os ‘slots’ que vão ser distribuídos até ao fim de junho”

A Ryanair espera ficar com todos os 18 slots abandonados pela TAP e que vão ser distribuídos até final de junho, com Michael O’Leary, CEO da companhia aérea, a revelar que, além da Ryanair, também a easyJet está na luta por estas faixas horárias no aeroporto de Lisboa.

“As licitações para os slots fecharam há cerca de três semanas. Ryanair e easyJet estão a lutar pelos slots”, adiantou o responsável esta quarta-feira, durante uma conferência de imprensa em Lisboa, onde se mostrou confiante de que a companhia aérea vai conseguir alcançar este objetivo.

De acordo com a Lusa, que cita as declarações do responsável, a Ryanair espera ter vantagem sobre a easyJet na atribuição dos slots e apresentou mesmo o argumento de que a easyJet “cobra tarifas muito mais altas do que a Ryanair” e reduziu os seus voos em Lisboa, Faro e Porto.

“Esperamos ficar com todos os ‘slots’ que vão ser distribuídos até ao fim de junho”, sublinhou o responsável, explicando que, com essas faixas horárias, a Ryanair poderá “colocar mais três aeronaves em Lisboa no inverno”.

Segundo Michael O’Leary, se ganhar os 18 slots que estavam a concurso no aeroporto de Lisboa, a Ryanair pode aumentar para 10 o número de aeronaves no aeroporto da capital no próximo inverno e sete no verão seguinte.

“Somos a única companhia aérea que demonstrou um compromisso com Portugal para utilizar todos os nossos aviões durante todo o ano”, vincou ainda o responsável da Ryanair na conferência de imprensa.

Michael O’Leary acredita, no entanto, que a TAP vai ser obrigada a abandonar mais slots no aeroporto de Lisboa quando a situação voltar ao normal e a procura por viagens aéreas regressar, garantindo que a Ryanair vai querer igualmente ficar com essas faixas horárias.

“A TAP vai perder mais ‘slots’ e nós vamos querer esses ‘slots’ e crescer mais aqui na Portela, além de Madeira, Porto e Faro”, acrescentou, reivindicando que a Ryanair já é a companhia aérea “número um” em Portugal, uma vez que estima transportar mais de 13 milhões de passageiros de e para Portugal em 2022, ultrapassando a TAP.

A Ryanair prevê também, para este ano, um regresso ao lucro, com o CEO da companhia aérea a mostrar-se “muito esperançoso” num crescimento ao nível dos resultados, ainda que não queira, por enquanto, avançar números concretos.

“Estamos muito esperançosos que neste ano tenhamos lucro, mas não sabemos quanto, ainda. Ainda há muita incerteza quanto à covid-19 e à Ucrânia”, referiu, apontando, contudo, uma para uma recuperação do lucro pré-pandemia – 1.002 milhões de euros no ano fiscal que terminou em março de 2020.

A Lusa recorda que o concurso para atribuição dos 18 slots que foram abandonados pela TAP na sequência da aprovação do plano de reestruturação da companhia aérea pela Comissão Europeia arrancou no final de fevereiro e a data final para apresentação de propostas terminou a 12 de maio, sendo esperada uma decisão para junho. Já o acordo de transferência das faixas horárias deverá ser assinado a 25 de julho e o arranque da operação está previsto para 30 de outubro.

 

Sobre o autorPublituris

Publituris

Mais artigos
easyJet
Aviação

easyJet promete carbono zero até 2050

A easyJet acaba de anunciar a sua meta provisória de redução de carbono, uma melhoria de 35% da intensidade de emissões até ao ano 2035, com objetivo de chegar às emissões líquidas de carbono zero até: 2050.

Desde 2000, durante um período de 20 anos, a companhia aérea já reduziu num terço as suas emissões de carbono por passageiro, por quilómetro.

A via de redução de carbono está alinhada com a iniciativa “Science Based Targets” (SBTi), e a companhia aérea indica que será alcançada através de uma combinação de renovação da frota, melhorias e eficiências operacionais, modernização do espaço aéreo e utilização de combustível sustentável para a aviação.

Refira-se que a easyJet aderiu, em novembro passado, à campanha Race to Zero apoiada pela ONU.

A companhia aérea também está atualmente a finalizar o seu roteiro para as emissões líquidas zero de carbono até 2050. A partir de 2035, espera-se que a tecnologia de emissão zero de carbono desempenhe um papel fundamental e a easyJet está a trabalhar com parceiros de toda a indústria, incluindo a Airbus, Rolls-Royce, GKN Aerospace, Cranfield Aerospace Solutions e Wright Electric, em vários projetos dedicados a acelerar o desenvolvimento da tecnologia de aviões com emissão zero de carbono.

Sobre o autorPublituris

Publituris

Mais artigos
Transportes

Comparticipação da ampliação da pista do aeroporto da Horta já foi aprovada

Proposta prevê que o executivo promova “os procedimentos necessários para a viabilização da antecipação da ampliação da pista do aeroporto da Horta, de modo a garantir a sua certificação enquanto aeroporto internacional”.

Publituris

A votação na especialidade do Orçamento do Estado 2022 (OE2022), que decorreu segunda-feira, 23 de maio, na Comissão de Orçamento e Finanças, aprovou a comparticipação pelo Governo, através da empresa pública NAV Portugal, do pagamento do projeto execução de ampliação da pista do aeroporto da Horta, para lançamento do concurso.

De acordo com a Lusa, a votação aprovou uma proposta do Partido Socialista (PS) que visa a alteração sobre a ampliação da pista do aeroporto da Horta, contando com os votos a favor de todos os partidos à exceção da Iniciativa Liberal, que se absteve.

A Lusa lembra também que a proposta Orçamento já previa que o executivo promova “os procedimentos necessários para a viabilização da antecipação da ampliação da pista do aeroporto da Horta, de modo a garantir a sua certificação enquanto aeroporto internacional, de acordo com as normas da Agência Europeia para a Segurança da Aviação”.

“O Governo comparticipa, através da empresa pública NAV Portugal, o pagamento do projeto execução de ampliação da pista do aeroporto da Horta, para lançamento do respetivo concurso, a executar nos termos definidos pelo Grupo de Trabalho para o Estudo e Avaliação da Melhoria da pista do Aeroporto da Horta”, acrescenta a iniciativa socialista.

Recorde-se que os deputados começaram esta segunda-feira a votar, na especialidade, a proposta do OE2022 e as cerca de 1.500 propostas de alteração apresentadas pelos vários partidos, sendo que a discussão do documento na especialidade vai estende-se por toda a semana, com debate de manhã e votações à tarde. A votação final global está agendada para sexta-feira, dia 27 de maio.

Sobre o autorPublituris

Publituris

Mais artigos
Transportes

Emirates anuncia recrutamento em 30 cidades em todo o mundo até final de junho

A campanha de recrutamento da Emirates vai passar por dezenas de cidades europeias, assim como pelo Reino Unido, Cairo, Argel, Tunes e Bahrein

Publituris

A Emirates deu início a um novo processo de recrutamento que vai passar por 30 cidades em todo o mundo e que decorre até ao final de junho, no âmbito do qual a companhia aérea do Dubai “procura pessoas talentosas com paixão pelo serviço” e que estejam interessadas numa carreira na aviação.

De acordo com um comunicado da companhia aérea, a campanha de recrutamento da Emirates vai passar por dezenas de cidades europeias, assim como pelo Reino Unido, Cairo, Argel, Tunes e Bahrein

“Fazemos sempre o esforço de encontrar os nossos candidatos pessoalmente sempre que podemos, e é por isso que a nossa equipa de Aquisição de Talentos está a fazer uma digressão de 30 cidades durante as próximas seis semanas para avaliar potenciais candidatos”, explica Abdulaziz Al Ali, vice-presidente executivo do Grupo Emirates para os Recursos Humanos.

Apesar do recrutamento presencial, os candidatos devem realizar a sua candidatura online, através do site da Emirates para recrutamento, onde é também possível consultar mais informação sobre o papel da tripulação de cabina da Emirates.

De acordo com a Emirates, a sua tripulação de cabina é composta por 160 nacionalidades, o que reflete a “heterogeneidade de clientes e operações internacionais em mais de 130 cidades em seis continentes” da companhia aérea.

Além da possibilidade de uma carreira na aviação, a Emirates oferece também alojamento no Dubai fornecido pela empresa, salário isento de impostos e benefícios adicionais.

Sobre o autorPublituris

Publituris

Mais artigos
Transportes

easyJet lança promoção para voos na primavera de 2023

Nova promoção da easyJet contempla mais de 100 mil voos, incluindo dois mil desde Portugal, e é válida para viagens entre 1 de março e 8 de maio de 2023.

Publituris

A easyJet lançou uma nova promoção que contempla mais de 100 mil voos com preços especiais para viagens que decorram entre 1 de março e 8 de maio de 2023, numa oferta que, segundo a companhia aérea, é válida para 124 destinos da rede da companhia aérea.

Num comunicado enviado à imprensa, a easyJet explica que os mais de 100 mil voos incluídos nesta promoção já estão disponíveis para reserva e que, no caso de Portugal, são mais de 2000 os voos que gozam de preços especiais para viagens na próxima primavera.

“A partir de Portugal, há mais de 2.000 voos programados para a Primavera 2023, o que representa quase meio milhão de lugares para voar na easyJet”, indica a companhia aérea, revelando que os preços começam nos 15 euros para voos do Porto para o Funchal, na Madeira.

Além dos voos entre o Porto e o Funchal, a easyJet disponibiliza preços desde 18 euros para ligações aéreas entre Lisboa e o Funchal. Já os voos de Lisboa para Bordéus têm preços desde 20 euros, enquanto de Lisboa para o Luxemburgo o valor começa nos 22 euros.

No caso do Porto, a easyJet oferece ainda voos entre o Porto e Palma de Maiorca a partir de 26 euros, enquanto do Porto para Milão os preços começam nos 19 euros.

A easyJet incluiu nesta promoção também algumas ligações desde Faro, com o preço a começar nos 22 euros entre Faro e Paris, nos 24 euros entre Faro e Amesterdão, e nos 25 euros entre Faro e Genebra.

Sobre o autorPublituris

Publituris

Mais artigos
Transportes

Azul lança nova campanha institucional no Brasil e muda assinatura

“O Céu é Azul” é a nova assinatura da Azul, que foi lançada com a nova campanha institucional que destaca a companhia aérea como a que maior número de voos oferece no Brasil.

Publituris

A Azul lançou uma nova campanha institucional no Brasil, com a assinatura “O Céu é Azul” e que destaca o facto da companhia aérea ser a que maior número de voos oferece em território brasileiro, informou a companhia aérea brasileira em comunicado.

A nova campanha da Azul vai estar em vigor ao longo do verão e conta com vídeos para televisão, assim como materiais para rádio, revista, jornal, digital, OOH, estando ainda em destaque na revista de bordo da companhia aérea até julho.

“A Azul já é a companhia que atende a mais destinos no Brasil e oferece uma experiência de voo única, reconhecida pelos nossos clientes. Porquê, então, não apropriamos de algo que é muito nosso? Aqui, o nosso céu é sempre Azul”, explica Daniel Bicudo, diretor de Marketing e Negócios da Azul.

No âmbito desta campanha, a Azul vai também lançar um novo tom de azul, em parceria com o estúdio Joules & Joules, que se vai chamar “Azul Brasil” e vai figurar nos aviões da companhia aérea, de forma a “pintar o céu de azul”.

A nova assinatura “O Céu é Azul” substitui a que era usada anteriormente pela companhia aérea “Onde os sonhos voam” e vai ser também alvo de ações de comunicação interna direcionadas aos tripulantes, “para comunicar o reposicionamento da marca”, explica a Azul.

O vídeo principal da nova campanha da Azul está disponível para visualização através do Youtube.

Recorde-se que, atualmente, a Azul voa para 150 destinos no Brasil e no mundo.

 

 

Sobre o autorPublituris

Publituris

Mais artigos
Transportes

Qatar Airways e Malaysia Airlines reforçam parceria estratégica

Com esta parceria, as duas companhias aéreas acrescentam 34 aos 62 destinos de ‘codeshare’ existentes e algumas experiências melhoradas para os viajantes.

Publituris

A Qatar Airways e a Malaysia Airlines vão avançar com a próxima fase da parceria estratégica, na sequência do anúncio, pela Malaysia Airlines, de um serviço sem escalas de Kuala Lumpur para Doha a partir de 25 de maio.

Assim, os dois parceiros vão ampliar significativamente a cooperação em matéria de codeshares, permitindo aos passageiros viajar pelo mundo e desfrutar de melhores ligações através dos seus principais hubs em Kuala Lumpur e em Doha.

Segundo é avançado em comunicado, “a expansão do codeshare, que acrescenta 34 aos 62 destinos de codeshare existentes, assinala um novo marco na relação de longa data entre as transportadoras nacionais dos dois países e parceiras na oneworld.

Os viajantes do mundo inteiro passam a ter acesso a uma rede combinada muito maior e poderão desfrutar de uma experiência de viagem melhorada nas duas companhias aéreas com um único bilhete, incluindo os processos de check-in, embarque e baggage-check, benefícios para passageiros frequentes e acesso a salas de espera durante toda a viagem.

A partir de 25 de maio de 2022, os clientes que voarem no novo serviço da Malaysia Airlines de Kuala Lumpur para Doha terão acesso a 62 destinos de codeshare dentro da vasta rede da Qatar Airways para o Médio Oriente, África, Europa e América do Norte. Da mesma forma, os clientes da Qatar Airways que viajarem de Doha para Kuala Lumpur podem tirar partido de 34 destinos da Malaysia Airlines, incluindo toda a sua rede doméstica e mercados-chave na Ásia, tais como Singapura, Seul, Hong Kong e a Cidade de Ho Chi Minh, sujeitos a aprovação governamental.

Ao ligar ambas as redes, os parceiros procuram desenvolver Kuala Lumpur como um hub de aviação líder na região do Sudeste Asiático, ligando a Malásia, o Sudeste Asiático, a Austrália e a Nova Zelândia ao Médio Oriente, Europa, Américas e África. Além disso, a Qatar Airways e a Malaysia Airlines aproveitarão sinergias em múltiplas áreas de negócios e desenvolverão produtos inovadores para beneficiar os seus clientes distribuídos por todo o mundo.

A cooperação reforçada incluirá também benefícios de fidelidade recíproca, permitindo que os membros do Qatar Airways Privilege Club ganhem e resgatem pontos “Avios” quando voam na Malaysia Airlines, com benefícios semelhantes para os membros da “Malaysia Airlines Enrich” quando viajam nos serviços da Qatar Airways. Os membros do Privilege Club e do Enrich usufruirão também de uma vasta gama de outras vantagens únicas, em função do estatuto de escalão, tais como acesso gratuito a salas VIP, franquia de bagagem extra, check-in prioritário, embarque prioritário e entrega de bagagem prioritária na Malaysia Airlines e na Qatar Airways.

A parceria estratégica da Malaysia Airlines e da Qatar Airways evoluiu progressivamente a partir de 2001 e foi significativamente ampliada com a assinatura de um Memorando de Entendimento, em fevereiro de 2022, a fim de potenciar os pontos fortes de ambas as redes, proporcionar aos passageiros um acesso robusto a viagens para novos destinos além da rede individual de cada companhia, e, finalmente, liderar as viagens na região da Ásia-Pacífico.

Sobre o autorPublituris

Publituris

Mais artigos
Transportes

LATAM Airlines promove formação sobre pedidos online de grupo

A formação da LATAM Airlines decorre em formato de webinar, no dia 24 de maio, a partir das 15h00.

Publituris

A LATAM Airlines vai promover, a 24 de maio, uma formação para agentes de viagens sobre como realizar pedidos online de grupos, iniciativa que decorre a partir das 15h00, informou a companhia aérea em comunicado.

“Vamos mostrar como pedir acesso à ferramenta de grupos, simular casos práticos de como solicitar grupos com a LATAM e esclarecer todas as suas duvidas”, indica a companhia aérea na nota divulgada.

A formação decorre a partir das 15h00 (hora de Portugal), em formato de webinar, e vai ter uma duração aproximada de uma hora. Os interessados em assistir, devem realizar a inscrição aqui.

Sobre o autorPublituris

Publituris

Mais artigos
Transportes

Azul retoma serviço de bordo em voos domésticos a 22 de maio

A Azul vai retomar, a 22 de maio, o serviço de bordo nos seus voos domésticos, depois de dois anos de suspensão motivada pela pandemia da COVID-19.

Publituris

A Azul vai retomar, a 22 de maio, o serviço de bordo nos seus voos domésticos, depois de dois anos de suspensão motivada pela pandemia da COVID-19, informou a companhia aérea brasileira em comunicado.

“A Azul, seguindo liberação da Anvisa, retomará no próximo dia 22 uma das estrelas de sua experiência, o serviço de bordo com snacks e bebidas à vontade e sem custo adicional”, indica a companhia aérea.

De acordo com a companhia aérea, o serviço de bordo vai ser ajustado ao horário dos voos, uma vez que vão estar disponíveis diferentes ementas, consoante o voo decorra de manhã, à tarde ou no período noturno.

Além do serviço de bordo, a Azul também retomou recentemente a oferta de atividades para os mais pequenos no Espaço Kids, assim como a disponibilização de duches no Lounge Azul, ambos localizados na área internacional do aeroporto de Viracopos, em Campinas (SP).

“A flexibilização das restrições sanitárias determinadas pela Anvisa passa a permitir esses serviços, porém, a obrigatoriedade do uso de máscaras nos voos se mantem”, indica a companhia aérea brasileira.

Para a Azul, este regresso à normalidade no serviço de bordo, assim como nas atividades infantis e duches, é possível graças “à ampla cobertura vacinal e à diminuição dos casos de COVID-19 no Brasil e no mundo”.

“Estávamos ansiosos para poder retomar o nosso tradicional e tão querido serviço de bordo, uma marca inigualável da Experiência Azul, e de que os nossos clientes tanto sentiam falta. Implementaremos as medidas já a partir do dia 22, tornando a jornada de cada cliente única e especial”, destaca Jason Ward, vice-presidente de Pessoas e Clientes da Azul.

Sobre o autorPublituris

Publituris

Mais artigos
Aviação

TACV vai reforçar operação de Portugal a partir de 04 de julho

A companhia aérea cabo-verdiana TACV anunciou que vai passar para um total de sete o número de voos semanais que opera do arquipélago para Portugal, a partir de 04 de julho: três da Praia, dois do Sal e dois de S. Vicente.

Publituris

Em comunicado, citado pela Lusa, a Transportes Aéreos de Cabo Verde (TACV) anuncia que vai aumentar a partir daquela data para três ligações semanais (atualmente são duas) as ligações entre Praia e Lisboa, realizando-se às quartas, sextas e domingos, com regresso à capital cabo-verdiana às segundas, quintas e sábados.

Com este reforço a TACV passa também a voar da ilha do Sal para Lisboa às quartas e sábados (atualmente há uma ligação por semana) e regresso às segundas e sextas, e de São Vicente para a capital portuguesa às segundas e quintas (um voo atualmente por semana) e regresso à ilha cabo-verdiana às quartas e domingos, já com recurso ao Boeing 737-700 fornecido pela angolana TAAG em regime de ‘leasing’.

“A TACV – Cabo Verde Airlines vem, gradualmente, ajustando a operação com base na evolução da pandemia da covid-19 e a recuperação dos mercados emissores”, lê-se no comunicado da companhia, referindo ainda que “já está a operar com tripulação mista, tripulação angolana e cabo-verdiana”, mas o objetivo é “operar com tripulação 100% cabo-verdiana no início do mês de junho”.

Conforme refere notícia da Agência Lusa, a presidente do conselho de administração da TACV, Sara Pires, disse esta segunda-feira, no parlamento, que a companhia está em processo para contratar um avião para retomar as operações ainda este ano para Boston, Brasil e Paris.

Num balanço aos quase cinco meses da retoma das operações, a executiva disse que têm estado a decorrer num bom ritmo, com uma “excelente taxa de ocupação” na rota de e para a Praia, com média de 80%.

Em relação aos voos de e para São Vicente, avançou que têm tido uma taxa de ocupação média à volta de 75%, considerada boa, mas o mesmo já não se pode dizer para o Sal, entre 45% e 50%.

Sara Pires justificou essa baixa taxa com o facto de Sal, que começou em fevereiro, ser um mercado turístico e não da “saudade”, mas garantiu que já há um operador turístico que comprou os voos de verão, como forma de rentabilizar a rota aérea.

Refira-se que Portugal é, atualmente, o único país de destino da TACV desde que retomou a operação, já de novo nas mãos do Estado cabo-verdiano, em dezembro de 2021, apenas com um avião e duas ligações semanais entre a Praia e Lisboa.

Sobre o autorPublituris

Publituris

Mais artigos

Navegue

Sobre nós

Grupo Workmedia

Mantenha-se conectado

©2021 PUBLITURIS. Todos os direitos reservados.