Edição digital
Assine já
PUB
Distribuição

APAVT não quer que férias dos portugueses virem “pesadelo”

No lançamento da nova campanha de comunicação da APAVT, o presidente da associação, Pedro Costa Ferreira, admitiu que a procura “começa a estar muito próxima de 2019”.

Victor Jorge
Distribuição

APAVT não quer que férias dos portugueses virem “pesadelo”

No lançamento da nova campanha de comunicação da APAVT, o presidente da associação, Pedro Costa Ferreira, admitiu que a procura “começa a estar muito próxima de 2019”.

Victor Jorge
Sobre o autor
Victor Jorge
Artigos relacionados
Grupo Altis investe 27 milhões de euros em novo hotel no Porto
Hotelaria
Estão lançados os “Portugal Meeting Forums by Publituris” 2024
Eventos Publituris
Reforço da pista do aeroporto do Porto custa 50 milhões e vai demorar 19 meses
Aviação
Turismo da ONU quer integração da biodiversidade nas políticas nacionais do setor
Destinos
Clientes Bestravel podem aderir às Aventuras Solidárias da AMI
Agências
Rio Grande do Sul precisará de 1 bilião de reais para recuperar turismo
Destinos
Grupo GEA celebra os Santos Populares com arraiais em Lisboa e no Porto
Agências
RoomRaccoon contrata Cyril Lavenant para diretor global de Customer Success
Figuras do Turismo
Portugal leva 20 empresas à maior feira de turismo da China
Destinos
Lusanova com ofertas especiais para o Fim-de-Ano na Madeira e em São Miguel
Distribuição

Numa altura em que, segundo o presidente da Associação Portuguesa das Agências de Viagem e Turismo (APVT), Pedro Costa Ferreira, “nos encontramos num momento de recuperação e de reencontro”, a associação lança uma campanha de comunicação com a qual pretende chamar a atenção para os riscos de não se recorrer às agências de viagens para realizar as reservas para as férias deste verão.

“Não deixe o seu sonho virar pesadelo”, é o nome da campanha da APAVT, assinada pela agência Message in a Bottle, numa altura que se “volta a ter uma noção de normalidade” e onde a procura “começa a estar muito próxima de 2019”, admitiu Pedro Costa Ferreira.

Contudo, o responsável da APAVT salientou as “dificuldades no aeroporto de Lisboa, que são visíveis”, e o “aumento dos preços por via da evolução dos custos com os combustíveis”, numa altura em que o setor está com a “credibilidade em alta”, apesar de, no que toca à tesouraria, ter sofrido um “forte abalo ao longo destes dois anos de pandemia”.

“A recuperação é evidente, não será rápida, mas está pujante devido à poupança dos consumidores que não conseguiram viajar durantes estes dois anos”, o que para o presidente da APAVT perfila um problema: “como conseguiremos responder à procura?”.

Pedro Costa Ferreira identificou, de resto, duas novas oportunidades para o futuro. No primeiro caso, dar resposta aos novos clientes que “descobriram as agências de viagens durante a pandemia” e aos quais os associados da APAVT deram uma resposta de “confiança”, transmitindo “credibilidade ao setor”.

“As restrições e as pessoas que ficaram presas nos destinos contribuíram, definitivamente, para compreender que as agências têm vantagens incontornáveis”.

Já quanto à segunda oportunidade, o presidente da APAVT salientou a captação das pessoas que “recorreram aos sistemas concorrenciais às agências e que perderam o seu dinheiro. Esses são os novos potenciais clientes, pessoas que viram que as agências reembolsaram e continuam a reembolsar. Junto destas, reforçámos a nossa idoneidade”.

Neste aspeto, Pedro Costa Ferreira destacou o facto de, em 2020, as agências tinham “300 milhões de euros a reembolsar e, à exceção de um caso, os clientes foram reembolsados”.

Referindo-se à campanha, o presidente da APAVT salientou que a associação e os seus associados se reveem na mesma, tratando-se de uma comunicação “moderna na mensagem, linguagem, meios utilizados e ambiciosa”, caracterizando, nas palavras de Pedro Costa Ferreira, “o nosso posicionamento e uma entidade virada para uma nova geração”.

A campanha, com início a 11 de maio e final a 10 de junho, é acompanhada de um site – feriasdesonho.pt – e seis landing pages, chamando, precisamente, a atenção para os riscos que se poderão correr ao não efetuar as reservas numa agência de viagens. As peças de comunicação podem ser customizadas pelos próprios associados da APAVT, numa ótica de “trazê-los para este compromisso”, disse ainda Pedro Costa Ferreira, deixando o convite aos associados a remeter à associação os seus logotipos para colocar nas peças a utilizar nas redes sociais, sem quaisquer custos.

Quanto à procura, o presidente da APAVT admite um verão “muito próximo de 2019, com o aumento dos preços “a rondar os 10%, não mais do que isso”. Relativamente à preocupação com a inflação, o responsável da APAVT salientou que, “eventualmente, o verão de 2023 será pior do que este verão de 2022, porque aí é que irão sentir-se verdadeiramente os efeitos da inflação, aumento de preços ou o incremento dos empréstimos com as casas”.

No que diz respeito à procura, Pedro Costa Ferreira destaca destinos como Portugal Continental, Madeira e Açores, Espanha e ilhas Baleares, bem como Cabo Verde. A maior distância, sobressaem destinos como Caraíbas, República Dominicana, Dubai ou Maldivas, concluindo que “a compra antecipada é o grande segredo”.

Sobre o autorVictor Jorge

Victor Jorge

Mais artigos
Artigos relacionados
Grupo Altis investe 27 milhões de euros em novo hotel no Porto
Hotelaria
Estão lançados os “Portugal Meeting Forums by Publituris” 2024
Eventos Publituris
Reforço da pista do aeroporto do Porto custa 50 milhões e vai demorar 19 meses
Aviação
Turismo da ONU quer integração da biodiversidade nas políticas nacionais do setor
Destinos
Clientes Bestravel podem aderir às Aventuras Solidárias da AMI
Agências
Rio Grande do Sul precisará de 1 bilião de reais para recuperar turismo
Destinos
Grupo GEA celebra os Santos Populares com arraiais em Lisboa e no Porto
Agências
RoomRaccoon contrata Cyril Lavenant para diretor global de Customer Success
Figuras do Turismo
Portugal leva 20 empresas à maior feira de turismo da China
Destinos
Lusanova com ofertas especiais para o Fim-de-Ano na Madeira e em São Miguel
Distribuição
PUB
Eventos Publituris

Estão lançados os “Portugal Meeting Forums by Publituris” 2024

O jornal Publituris dá início a um dos eventos mais relevantes de incentivo ao segmento MICE em Portugal – Portugal Meeting Forums by Publituris – com o lançamento do website do evento que se realizará no início de outubro de 2024, em Oeiras.

Nos dias 1, 2 e 3 de outubro de 2024, o jornal Publituris vai organizar o seu evento MICE dirigido ao mercado internacional – “Portugal Meeting Forums by Publituris”.

A 8.ª edição deste evento, que conta com o apoio do Turismo de Portugal, TAP Air Portugal, Vila Galé Hotéis, MiceBuzz e YVU, os “Portugal Meeting Forums by Publituris” irão receber agentes de viagem provenientes de vários mercados (Europa – Brasil – Canadá – EUA), assim como responsáveis pela organização e planeamento de eventos, incentivos e congressos em empresas multinacionais.

O objetivo é mostrar, divulgar e sublinhar Portugal como destino fundamental, na organização de eventos MICE, com foco exclusivo no mercado português, na sua diferenciação, oferta e mais-valia.

O evento arranca no dia 1 de outubro, com a chegada dos buyers internacionais, seguido de um Cocktail Dinatoire no Vila Galé Collection Palácio dos Arcos.

O segundo dia, 2 de outubro, será dedicado, em exclusivo, a reuniões, a realizar no Vila Galé Collection Palácio dos Arcos, com um working lunch. À noite, o jantar será num local emblemático na Costa do Estoril.

O último dia, 3 de outubro, suppliers & buyers terão oportunidade de ter um dia completo para visitar a região de Oeiras, palco deste evento, ao qual se seguirá uma famtrip, para os buyers internacionais, de dois dias à região do Alentejo, com alojamento e refeições incluídas.

Para esta edição já estão confirmados os seguintes suppliers:

Bomporto Hotels
Hard Rock Cafe
Savoy Signature
Portugal Green Travel (DMC)
WOW
Highgate Portugal
Pestana Hotel Group
GR8 events
HF Hotels
Amazing Evolution
SANA Hotels
Bensaude Hotels Collection
Açoreana DMC

Para saber mais sobre os “Portugal Meeting Forums by Publituris” 2024 visite o site em: https://meetingforums.publituris.pt/2024/

Sobre o autorPublituris

Publituris

Mais artigos
Aviação

Reforço da pista do aeroporto do Porto custa 50 milhões e vai demorar 19 meses

O reforço da pista do Aeroporto Francisco Sá Carneiro, na Maia, começa a 31 de julho, vai demorar 19 meses, de segunda-feira a sábado, entre meia-noite e 06:00, num investimento de 50 milhões de euros.

Em comunicado, a ANA Aeroportos explicou que a opção pelo trabalho em horário noturno visa “minimizar o impacto nas operações aeroportuárias”.

O contrato de empreitada foi assinado com a Acciona esta segunda-feira, 27 de maio, e representa “um investimento de qualidade, segurança e desempenho ambiental, permitindo acomodar o crescimento do tráfego aéreo”, relata a nota de imprensa.

Com esta operação, continua o comunicado, a ANA vai “reforçar as condições operacionais do aeroporto, sendo esta a maior intervenção realizada na pista desta infraestrutura”.

A intervenção será realizada na pista e áreas adjacentes, nomeadamente, na repavimentação completa da camada de desgaste da pista 17-35; intervenções de reforço estrutural da pista; ajustamento da geometria da faixa de pista (strip) e na linha de aproximação (sinalização luminosa) das pistas 17 e 35; substituição do sistema de luzes de pista por LED’s; renovação integral do sistema de drenagem da pista; bem como instalação de infraestruturas civis para a implementação de equipamentos de navegação (ILS categoria II) na pista 35 que vão permitir operações em baixa visibilidade.

Para Thierry Ligonnière, CEO da ANA Aeroporto de Portugal, este “é um investimento estrutural relevante que vai contribuir para o desenvolvimento do Aeroporto do Porto, para que continue a ser um dos melhores aeroportos da Europa, de acordo com as opiniões dos passageiros”.

Sobre o autorPublituris

Publituris

Mais artigos
Enoturismo

Os melhores Enoturismos distinguidos pela APENO

A Associação Portuguesa de Enoturismo (APENO) distingui, recentemente, os melhores Enoturismos em Portugal.

As melhores empresas, práticas e projetos enoturísticos foram premiados, recentemente, na 3.ª edição do Prémio Nacional de Enoturismo APENO / Ageas Seguros 2024. Realizado em Santarém, na Quinta dos Anjos, os vencedores dos prémios das 15 categorias foram: Melhor Enoturismo de Portugal (Quinta Nova de Nossa Senhora do Carmo); Melhor Enoturismo Urbano (WOW); Melhor Profissional (Ana Vieira Soares); Melhor Estadia (Ventozelo Hotel & Quinta); Melhor Restaurante (Sal na Adega); Melhor Chef de Cozinha (Diogo Rocha); Melhor Sommelier (Ivo Peralta); Melhor Sala de Provas (Torre de Palma); Melhor Empresa Turística (Abreu Viagens); Melhor Projeto Inclusivo (Herdade do Rocim); Melhor Projeto Sustentável (Herdade da Malhadinha Nova); Melhor Loja (Garrafeira Nacional); Melhor Arte e Cultura (Bacalhôa); Melhor Inovação e Tecnologia (Casa Museu Interativa de Borba); e Melhor Hospitalidade (Herdade do Sobroso).

Além destas 15 categorias, a APENO entregou também 4 Prémios de “Mérito e Incentivo”, de forma a homenagear o esforço e as boas práticas das empresas ou personalidades que se tenham evidenciado pelo seu trabalho no setor. Os vencedores foram: Alexandra Maçanita, da FitaPreta; Judith Martín, da Azores Wine Company; Miguel Leal, da ML Private Tours; e Vera Magalhães, da João Portugal Ramos.

Sobre o autorPublituris

Publituris

Mais artigos
Eventos Publituris

Votação para os Publituris “Portugal Travel Awards” 2024 começa hoje

Já pode votar nos 177 nomeados nas 22 categorias que compõem os Publituris “Portugal Travel Awards” 2024.

Publituris

A 19.ª edição dos Publituris “Portugal Travel Awards” arranca esta segunda-feira, 27 de maio de 2024, com a divulgação dos nomeados e o início da votação.

Já pode ir a https://premios.publituris.pt/ e ver os 177 nomeados que concorrem nas 22 categorias da edição de 2024, e votar. Isto claro, se for assinante do jornal ou subscritor da newsletter diária, já que os registos estarão suspensos até ao fim da votação, a 27 de junho de 2024.

As categorias são:

Melhor Companhia de Aviação
Melhor Companhia de Aviação Lowcost
Melhor Rent-a-Car
Melhor Operador Turístico
Melhor Rede de Agências de Viagens
Melhor Companhia de Cruzeiros
Melhor Cadeia Hoteleira
Melhor Hotel Cinco Estrelas
Melhor Hotel Quatro Estrelas
Melhor Hotel Resort
Melhor Boutique Hotel
Melhor Hotel de Cidade
Melhor Hotel MICE
Melhor Hotel de Praia
Melhor Turismo Rural
Melhor Enoturismo
Melhor Campo de Golfe
Melhor Parque Temático e Diversões
Melhor Empresa de Animação Turística
Melhor Marina
Melhor Destino Internacional
Melhor Região de Turismo Nacional

Haverá ainda a lugar à entrega do Prémio “Belmiro Santos”, atribuído diretamente pela redação do jornal Publituris.

Os vencedores serão conhecidos no dia 4 de julho, a partir das 19h00, no Pestana Douro Riverside, no Porto.

Os vencedores resultarão de uma média ponderada entre os votos do júri (45%), dos assinantes do jornal Publituris (45%) e subscritores da newsletter diária (10%).

Relativamente aos subscritores da newsletter diária, só serão contabilizados os votos dos registos efetuados até 24 de maio, ficando o registo suspenso até ao final da votação, ou seja, até dia 27 de junho de 2024.

O júri é composto por: Ana Jacinto (Secretária-geral da AHRESP); André Gomes (Presidente da Região de Turismo do Algarve); António Marques Vidal (Presidente da APECATE); Carla Salsinha (Presidente da ERT de Lisboa); Carlos Brandão (Presidente da ESHTE); Cristina Siza Vieira (Vice-presidente Executiva da AHP); Dália Palma (Gestora Coordenadora da BTL); Eduardo Jesus (Secretário Regional do Turismo da Madeira); Eduardo Miranda (Presidente da ALEP); Fernando Garrido (Presidente da ADHP); Francisco Pita (CCO da ANA – Aeroportos de Portugal); Francisco Serzedello (CEO da GR8 events); Jaime Quesado (Economista e gestor); Joaquim Robalo de Almeida (Secretário-geral da ARAC); Jorge Costa (Presidente do IPDT); José Santos (Presidente da Turismo do Alentejo e Ribatejo); Lídia Monteiro (Vogal do Conselho Diretivo do Turismo de Portugal); Luís Pedro Martins (Presidente do Turismo do Porto e Norte de Portugal); Miguel Quintas (Presidente da ANAV); Nuno Abranja (Diretor do Departamento de Turismo do ISCE); Pedro Costa Ferreira (Presidente da APAVT); Raul Almeida (Presidente da Turismo do Centro de Portugal); Rodrigo Pinto Barros (Presidente da APHORT); Sérgio Guerreiro (Professor Convidado da NOVA SBE); Sofia Almeida (Coordenadora Vertical da Área Turismo & Hospitalidade da Universidade Europeia).

Agora, visite https://premios.publituris.pt/ e vote.

Sobre o autorPublituris

Publituris

Mais artigos
Aviação

Grupo Saudia encomenda mais 105 aviões à Airbus

Mais 105 aviões da família A320neo. Esta nova encomenda do Grupo Saudia eleva para 144 as aeronaves encomendadas ao fabricante europeu em detrimento da Boeing.

Publituris

O Grupo Saudia, representado pela Saudia, transportadora nacional de bandeira do Reino da Arábia Saudita, e pela flyadeal, transportadora lowcost do grupo, assinou uma encomenda de mais 105 aviões da família A320neo. A encomenda inclui 12 aeronaves A320neo e 93 A321neo.

Este novo acordo aumenta a carteira de encomendas de aeronaves Airbus do Grupo Saudia para 144 aeronaves da família A320neo.

A Arábia Saudita está a criar oportunidades sem precedentes para a aviação mundial através da Estratégia Nacional de Turismo da Arábia Saudita, que tem como objetivo mais de 150 milhões de turistas até 2030. Esta encomenda à Airbus desempenhará um papel significativo no reforço da ambição do Reino de se tornar um dos principais destinos turísticos mundiais.

Com um valor de 19 mil milhões de dólares (cerca de 17,5 mil milhões de euros), de acordo com o Fórum da Aviação do Futuro, em Riade, onde Ibrahim Al-Omar, diretor-geral do Grupo Saudia, tornou pública a notícia, ainda não é claro se o negócio é, nas suas palavras, “o maior negócio da história da aviação saudita”, devido ao número de aviões envolvidos ou ao montante despendido.

Segundo os analistas, os recentes problemas de fabrico e de reputação da Boeing podem ter contribuído para a escolha do fornecedor, mas o Grupo Saudita já opera uma frota maioritariamente Airbus, com apenas 51 dos seus 144 aviões fornecidos pela Boeing. 39 outros Airbus já estão encomendados e serão complementados pela última aquisição de 12 aviões A320neo e 93 A321neo, elevando a carteira total de encomendas para 144.

Sobre o autorPublituris

Publituris

Mais artigos
Transportes

Eurowings conta com “programa especial” para o Euro 2024

“Temos as melhores reservas para os meses de junho e julho”. É assim que o CEO da Eurowings, pertencente ao grupo Lufthansa, olha para os meses do Euro 2024 que decorre em terras alemãs.

Publituris

A Eurowings está otimista em relação ao próximo Campeonato Europeu de Futebol e espera um aumento das reservas em consequência disso. A filial da Lufthansa está a planear mais de 70 voos adicionais só para este evento e está a aumentar a sua capacidade com mais de 13.000 lugares adicionais, no que diz ser um “programa especial”.

“Temos as melhores reservas para os meses de junho e julho”, afirmou Jens Bischof, CEO da Eurowings, a propósito do período que abrange a realização do Euro 24.

O Euro 2024 terá lugar de 14 de junho a 14 de julho, admitindo o responsável da companhia, contudo, que, provavelmente, não irá criar frequências adicionais no tráfego aéreo doméstico.

“A verdadeira época de verão para a Eurowings começará com o início das férias escolares. Estamos perante um verão muito, muito bem sucedido”, afirmou Bischof, indicando que estão planeados mais de 600 voos por dia.

No total, a companhia aérea tem cerca de 120 aviões em funcionamento este verão e oferece mais 13% de lugares do que há um ano. A introdução da nova frota Airbus A320neo também foi concluída, para já, com 13 novos aviões.

Nos próximos dois anos, deverão ser entregues mais dois aparelhos. No entanto, a companhia aérea está, atualmente, em conversações com a Lufthansa sobre a expansão da frota.

Sobre o autorPublituris

Publituris

Mais artigos
Transportes

TAP distingue os melhores parceiros de 2023

No evento anual, a TAP Air Portugal premiou os melhores parceiros de vendas de 2023 que promoveram a companhia dentro e fora do país.

Victor Jorge

A TAP Air Portugal homenageou esta quinta-feira, 23 de maio, os agentes de viagens que mais se destacaram na venda de bilhetes para voos da companhia, nos principais mercados onde atua, com a tradicional cerimónia de entrega dos TAP Awards.

O evento, presidido pelo chairman e CEO da TAP, Luís Rodrigues, contou com representantes do setor de viagens e turismo de Portugal, Brasil, Estados Unidos da América, África e dos principais mercados da Europa.

Os prémios TAP Awards foram entregues aos agentes de viagens que mais se distinguiram no último ano pelo volume de vendas realizado para voos da TAP, reforçando, assim, a companhia o reconhecimento da importância dos seus parceiros privilegiados de negócio para o desenvolvimento da atividade e dinamização da indústria de viagens e turismo e o contributo que dão para a consolidação das vendas e sustentabilidade da transportadora.

Os vencedores dos TAP Awards nas diferentes categorias foram:

LEISURE
Top Seller Global OTA – Etraveli
Top Seller Groups – Pinto Lopes
Top Seller Global Cruises – MSC Cruises

CORPORATE
Top Seller Global TMC – GBT AMEX
Top Seller Business Class Global TMC – BCD

EUROPA
Top Seller Itália – Gattinoni
Top Seller Business class Itália – Welcome Travel Group

Top Seller Reino Unido – Latitude Forty Travel
Top Seller Business Class – Travel Counsellors

Top Seller França – Selectour
Top Seller Business Class – Manor

Top Seller Alemanha – Aerticket
Top Seller Business Classe – Der Business Travel

Top Seller Espanha – AvorisSpain
Top Seller Business Class Espanha – El Corte Inglés

BRASIL
Top Seller Brasil – CVC Corp
Top Seller Business Class Brasil – BEFLY
Top TAP Partner Sales – Pontestur

AMÉRICA do NORTE
Top Growth América do Norte – Voyages à la Carte
Top Seller América do Norte – Expedia
Top Cruise Line América do Norte – Norwegian Cruise Line

ÁFRICA
Top Seller África – Realvitur
Top Seller Bussines Class África – Atlântida WTA Viagens
Top Growth All Cabins África – Travelstore

PORTUGAL
Top Seller Portugal – Wamos
Top Seller Business Class Portugal – Go4Travel
Top Seller South Atlantic Portugal – Abreu
Top Seller Tour Operator Portugal – Solférias

Sobre o autorVictor Jorge

Victor Jorge

Mais artigos
Prémios

Nova Edição: Os nomeados dos Publituris “Portugal Travel Awards 2024”. Conheça-os na edição 1512

A próxima edição do Publituris faz capa com os nomeados dos Publituris “Portugal Travel Awards” 2024. Nesta 19.ª edição, há 177 nomeados em 22 categorias. Além disso, falamos das restrições no turismo, do ATM 2024, WTTC e de seguros de viagens.

Publituris

A última edição de maio do jornal Publituris destaca os nomeados dos Publituris “Portugal Travel Awards” 2024. Nesta 19.ª edição, há 177 nomeados nas 22 categorias que estarão a votação a partir de segunda-feira, 27 de maio, no site dos prémios criado para o efeito e que estará online no dia do arranque da votação.

As categorias são: Melhor Companhia de Aviação, Melhor Companhia de Aviação Lowcost, Melhor Rent-a-Car, Melhor Operador Turístico, Melhor Rede de Agências de Viagens, Melhor Companhia de Cruzeiros, Melhor Cadeia Hoteleira, Melhor Hotel Cinco Estrelas, Melhor Hotel Quatro Estrelas, Melhor Hotel Resort, Melhor Boutique Hotel, Melhor Hotel de Cidade, Melhor Hotel MICE, Melhor Hotel de Praia, Melhor Turismo Rural, Melhor Enoturismo, Melhor Campo de Golfe, Melhor Parque Temático e Diversões, Melhor Empresa de Animação Turística, Melhor Marina, Melhor Destino Internacional, Melhor Região de Turismo Nacional.

Haverá ainda a lugar ao Prémio “Belmiro Santos”, atribuído diretamente pela redação do jornal Publituris.

Os vencedores serão conhecidos no dia 4 de julho, no Pestana Douro Riverside, no Porto, a partir das 19h00.

Os vencedores resultarão de uma média ponderada entre os votos do júri (45%), dos assinantes do jornal Publituris (45%) e subscritores da newsletter diária (10%).

Relativamente aos subscritores da newsletter diária, só serão contabilizados os votos dos registos efetuados até 24 de maio, ficando o registo suspenso até ao final da votação, ou seja, até dia 27 de junho de 2024.

O júri é composto por: Ana Jacinto (Secretária-geral da AHRESP); André Gomes (Presidente da Região de Turismo do Algarve); António Marques Vidal (Presidente da APECATE); Carla Salsinha (Presidente da ERT de Lisboa); Carlos Brandão (Presidente da ESHTE); Cristina Siza Vieira (Vice-presidente Executiva da AHP); Dália Palma (Gestora Coordenadora da BTL); Eduardo Jesus (Secretário Regional do Turismo da Madeira); Eduardo Miranda (Presidente da ALEP); Fernando Garrido (Presidente da ADHP); Francisco Pita (CCO da ANA – Aeroportos de Portugal); Francisco Serzedello (CEO da GR8 events); Jaime Quesado             (Economista e gestor); Joaquim Robalo de Almeida (Secretário-geral da ARAC); Jorge Costa (Presidente do IPDT); José Santos (Presidente da Turismo do Alentejo e Ribatejo); Lídia Monteiro (Vogal do Conselho Diretivo do Turismo de Portugal); Luís Pedro Martins (Presidente do Turismo do Porto e Norte de Portugal); Miguel Quintas (Presidente da ANAV); Nuno Abranja (Diretor do Departamento de Turismo do ISCE); Pedro Costa Ferreira (Presidente da APAVT); Raul Almeida (Presidente da Turismo do Centro de Portugal); Rodrigo Pinto Barros (Presidente da APHORT); Sérgio Guerreiro (Professor Convidado da NOVA SBE); Sofia Almeida (Coordenadora Vertical da Área Turismo & Hospitalidade da Universidade Europeia).

Também nesta edição, destacamos as medidas restritivas que estão a ser impostas para conter os fluxos de turistas, principalmente nas cidades europeias, que colocam constrangimentos aos operadores turísticos cujo core business são os circuitos culturais e viagens de grupo. Como é que estão a lidar com estas questões, nomeadamente das taxas turísticas, da burocracia, limitação do número de pessoas por guia, aumento constante, e quase sem aviso, do preço das entradas de grupos de turistas em monumentos e atrações turísticas, e a distância em que os autocarros, cada vez mais, são obrigados a ficar dos centros históricos de algumas cidades, foi o que o Publituris pretendeu conhecer, em conversa com diversos profissionais ligados à operação turística.

A viagem ao Arabian Travel Market (ATM) 2024, a convite do Turismo do Dubai, veio confirmar algo que já se suspeitava há muito. A região do Conselho de Cooperação do Golfo (CCG) não quer ficar somente por um destino turístico. Sejam os EAU, mas principalmente, o Dubai, pretendem tornar-se num hub global, no qual o turismo terá um papel fulcral.

Também no Dubai, tivemos uma conversa (curta) com Julia Simpson, presidente e CEO do World Travel & Tourism Council (WTTC), na qual se mostrou surpreendida (pela positiva) com os resultados obtidos pelo turismo em Portugal. Julia Simpson também mostrou uma certa curiosidade [a conversa foi tida antes de se conhecer a decisão sobre o novo aeroporto para a região de Lisboa] sobre como Portugal conseguirá manter esta performance. “Sem novo aeroporto, como irão crescer?” perguntou a CEO e presidente do WTTC, além de querer saber novidade sobre o processo de privatização da TAP.

O dossier desta edição é dedicado aos seguros de viagem. Depois de ultrapassado o período da pandemia, considerado por todos como o que criou uma das maiores crises económicas, especialmente nas viagens, a adaptação da oferta dos seguros foi não só necessária como obrigatória. Mas se antes os seguros de viagem eram vistos como uma precaução adicional, hoje são considerados indispensáveis para quem viaja.

Além do “Check-in”, as opiniões desta edição pertencem a Francisco Jaime Quesado (economista e gestor), Sílvia Dias (Savoy Signature), Carlos Torres (jurista), e Pedro Castro (SkyExpert).

A versão completa desta edição é exclusiva para subscritores do Publituris. Pode comprar apenas esta edição ou efetuar uma assinatura do Publituris aqui obtendo o acesso imediato.

Para mais informações contacte: Carmo David | [email protected] | 215 825 430

Nota: Se já é subscritor do Publituris entre no site com o seu Login de assinante, dirija-se à secção Premium – Edição Digital e escolha a edição que deseja ler, abra o epaper com os dados de acesso indicados no final do resumo de cada edição.

Boas leituras.

Sobre o autorPublituris

Publituris

Mais artigos
Transportes

Vamos Portugal chega ao mercado nacional do renting

Criada em Espanha, em 2019, a Vamos Portugal tem como objetivo tornar-se na plataforma líder e de referência em renting online de veículos, apostando em soluções perfeitamente direcionadas aos seus diferentes clientes.

Publituris

A Vamos Portugal é a nova plataforma de renting em Portugal, apresentando-se como a solução alternativa à atual vertente de negócios implementada no nosso país. Criada em Espanha, em 2019, por Mario Carranza, empresário espanhol com uma década de experiência no sector da mobilidade e da tecnologia, a plataforma Vamos alarga, agora, a sua área de intervenção à totalidade do espaço ibérico, fruto da criação da Vamos Portugal, entidade que no nosso país estará sob a direção de Anderson Miranda.

Assumindo objetivos ambiciosos, mas perfeitamente definidos, a Vamos Portugal pretende oferecer uma experiência totalmente digital à sua carteira de clientes – 7.100 entidades, entre particulares e estruturas profissionais como PMEs, Frotistas e Rent-a-Car e plataformas TVDE – permitindo-lhes a aquisição de veículos em renting de uma forma rápida e fácil, com soluções à medida, num pacote do tipo tudo incluído, associada a rendas mensais específicas, transparentes e perfeitamente balizadas.

“Apercebemo-nos de que, embora as pessoas adorem automóveis, nem toda a gente pretende, de facto, ter um em seu nome, fruto de todos os custos associados e das demais obrigatoriedades inerentes à posse de uma viatura, seja ela de âmbito particular ou profissional”, refere Anderson Miranda, cofundador e diretor-geral da Vamos Portugal.

Fortemente apostada na digitalização e na implementação de processos simples e imediatos, operados em ambiente online, a Vamos Portugal aposta num portal dedicado – em www.vamos.pt – através do qual apresenta parte significativa da sua oferta de viaturas e de soluções, num processo suportado por uma equipa de profissionais, aptos a ajudar os interessados a encontrarem soluções à medida das suas necessidades.

Sedeada nos arredores de Lisboa, a Vamos Portugal iniciou as suas operações em solo nacional em abril de 2024, contando, à data, com uma equipa de oito colaboradores, sob a direção de Anderson Miranda (diretor-geral) e da respetiva equipa de gestão, composta por Tiago Mendonça (diretor de Operações), Susana Varandas (diretora Comercial) e Brigite Correia (responsável de Pós-Venda).

A Vamos Portugal pretende fazer crescer, no curto prazo, em face dos contratos que têm neste momento em fase de lançamento ou execução, a operação não só em Portugal Continental, como nas Regiões Autónomas dos Açores e da Madeira.

Sobre o autorPublituris

Publituris

Mais artigos
Destinos

Governo alivia restrições impostas ao consumo de água no Algarve devido à seca

O Governo decidiu aliviar as restrições impostas aos consumos de água na agricultura e no setor urbano do Algarve, incluindo o turismo, para fazer face à seca na região, anunciou o primeiro-ministro, Luís Montenegro, em Faro.

Publituris

“O Governo decidiu revogar a resolução 26A de 2024, de 20 de fevereiro, e nas próximas semanas vai ser aprovada e publicada uma outra resolução que visa dar continuidade a uma política de responsabilidade, mas, ainda assim, aliviar as restrições que estão hoje em vigor face à situação de 2023”, afirmou o primeiro-ministro, após uma reunião da comissão de acompanhamento da seca, em Faro.

Luís Montenegro indicou que o Executivo vai aprovar um “alívio de cerca de 20 hectómetros cúbicos na restrição que está hoje em vigor em todas as áreas de atividade”, distribuindo-se este valor por “2,65 hectómetros cúbicos de alívio no consumo urbano, de 13,14 de alívio no consumo da agricultura e de 4,17 no alívio no consumo para o turismo”.

Em fevereiro, o anterior Governo, liderado por António Costa, decretou a situação de alerta no Algarve devido à seca e aplicou medidas de contingência que previam reduções de consumo de 25%, para a agricultura, e de 15%, para o setor urbano.

Agora, Luís Montenegro anunciou um alívio destas restrições, embora frisando que é preciso preservar ao máximo a água, que é “um recurso escasso” na região.

Montenegro disse ainda que os dados representam, “face a 2023, um diminuição de disponibilidade de 10% no consumo urbano e 13% no consumo para agricultura e turismo”.

O primeiro-ministro disse ainda que é necessário “diminuir perdas nas várias utilizações de água” e recorrer a águas residuais em casos onde esta fonte é viável, como nos golfes, assegurando que o objetivo do Governo é também promover investimento que “possa ajudar a esta gestão mais eficiente” da água.

Sobre o autorPublituris

Publituris

Mais artigos
PUB
PUB
PUB
PUB
PUB
PUB
PUB
PUB
PUB
PUB
PUB
PUB

Navegue

Sobre nós

Grupo Workmedia

Mantenha-se informado

©2021 PUBLITURIS. Todos os direitos reservados.