Britânicos donos de ‘timeshare’ queixam-se de pagar e não gozar férias

Por a 7 de Abril de 2021 as 14:24
Vacation Stock photos by Vecteezy

Com o governo britânico a impossibilitar as viagens internacionais até (pelo menos) dia 17 de maio, são muitos os britânicos que se sentem prejudicados por não conseguirem gozar o timeshare de que são donos, pagaram, mas que não conseguem gozar.

A European Consumer Claims (ECC), empresa consultora especializada em timeshare e reclamações referentes a timeshare, com sede no Reino Unido e filiais em Espanha, vem agora revelar que são milhares os britânicos que estão a apresentar reclamações e queixas pelo facto de estarem a pagar por férias que não conseguiram e não conseguirão usufruir.

Em resposta a algumas questões colocadas por e-mail, o departamento de comunicação da ECC disse ao Publituris que “as queixas estão a ser apresentadas, na sua maioria, em Espanha, país onde grande parte dos britânicos adquiriram estas férias, mas que, agora, não conseguem gozar, nem são ressarcidos do seu dinheiro”.

 

“O  verão parece cinzento e não acreditamos que sejam muitos os britânicos a conseguirem utilizar os ‘timeshares’ para passar as suas férias em Portugal e Espanha em 2021”

 

De acordo com a ECC, são cerca de “870 mil os britânicos que passam, anualmente, as suas férias em Portugal em resorts timeshare”. Já britânicos, donos de timeshare no nosso país, a ECC indicou ao Publituris serem “mais de 100 mil os britânicos que são proprietários” desta forma de passar férias no nosso país”.

“Ao contrário dos turistas regulares, os proprietários de timeshare têm de pagar quer gozem as férias ou não”, explica a ECC. “Pagaram as taxas completas em 2020 e não tiveram nenhum desconto. Em vez disso, foram prometidas férias duplas em 2021”.

O problema agora, é que com o governo britânico a comprometer as viagens internacionais, a ECC admite que “o verão parece cinzento e não acreditamos que sejam muitos os britânicos a conseguirem utilizar os timeshares para passar as suas férias em Portugal e Espanha em 2021”.

Além disso, a ECC refere que “para muitas pessoas, férias duplas são impraticáveis, pois têm compromissos no seu país”.

Agora com o cancelamento das férias para 2021 e sem reembolsos à vista, a ECC deixa a questão: “será que irão oferecer férias triplas para 2022 para compensar as férias não gozadas em 2020 e 2021?”.

Deixe aqui o seu comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *