Assine já
Aviação

Air France-KLM, Delta e Virgin Atlantic lançam joint-venture

Air France-KLM adquire 31% do capital da Virgin Atlantic, enquanto a Delta Air Lines e China Eastern ficam, cada uma, com 10% de participação da Air France.

Publituris
Aviação

Air France-KLM, Delta e Virgin Atlantic lançam joint-venture

Air France-KLM adquire 31% do capital da Virgin Atlantic, enquanto a Delta Air Lines e China Eastern ficam, cada uma, com 10% de participação da Air France.

Publituris
Sobre o autor
Publituris
Artigos relacionados
Jet Airways alarga acordos de codeshare para a Europa
Aviação
Air France, KLM e Virgin Atlantic lançam primeiro code-share
Homepage
Air France, KLM e Delta celebram 10.º aniversário da joint-venture transatlântica
Homepage
KLM começa a voar Porto-Amesterdão/Schipol em Maio
Transportes

A Air France-KLM, a Delta Air Lines e a Virgin Atlantic uniram-se para lançar uma joint-venture transatlântica, parceria que visa fazer face à concorrência e que implica mudanças no capital de algumas das companhias. A China Eastern Airlines também entra no negócio, com o objectivo de reforçar a parceria com a companhia norte-americana.

Com esta junção de forças, a Air France-KLM adquire 31% do capital da Virgin Atlantic por um montante de 220 milhões de libras, numa operação que só deverá ser concluída em 2018, enquanto a Delta Air Lines e China Eastern ficam, cada uma, com 10% de participação da Air France, num negócio avaliado em 751 milhões de euros.

A mudança visa fortalecer as parcerias entre as principais companhias aéreas do Atlântico Norte, um mercado que, no último ano, assistiu a várias mudanças, essencialmente devido à entrada de novas companhias de baixo custo.

Com este negócio, a Air France passa a ser o segundo maior acionista da Virgin Atlantic, depois da Delta, enquanto a entrada da companhia aérea francesa no capital da China Eastern visa ainda consolidar o mercado chinês, estabelecendo um canal prioritário na Europa.

O acordo vai ser ainda sujeito à aprovação das autoridades de regulação, mas, caso seja aprovado, vai conceder às companhias envolvidas uma posição de liderança no mercado norte-americano e transatlântico, com 27% da capacidade oferecida.

Sobre o autorPublituris

Publituris

Mais artigos
Artigos relacionados
Transportes

Delta e LATAM avançam na joint-venture depois de aprovação norte-americana

Em comunicado, as duas companhias aéreas explicam que, com a aprovação do Departamento de Transportes dos EUA, vai ser possível melhorar a conectividade entre a América do Sul, os EUA e o Canadá.

Publituris

A Delta Air Lines e o Grupo LATAM Airlines vão dar continuidade ao acordo de joint-venture, que deu os primeiros passos em 2019 e que foi agora aprovado pelo Departamento de Transportes (DOT) dos EUA.

Num comunicado enviado à imprensa, as duas companhias aéreas explicam que, com esta aprovação, vai ser possível dar continuidade ao acordo e melhorar a conectividade entre a América do Sul, os EUA e o Canadá.

“Assim que a JV for implementada, as companhias aéreas irão trabalhar para criar um acordo comercial líder entre os EUA/Canadá e a América do Sul (Brasil, Chile, Colômbia, Paraguai, Peru e Uruguai). Mais detalhes sobre os benefícios deste acordo serão partilhados nos próximos meses”, lê-se no comunicado enviado à imprensa, que frisa que vai ser possível oferecer “melhor serviço e mais rotas”, além do code-share que já existe.

Segundo Ed Bastian, CEO da Delta Air Lines, que aplaude a aprovação, esta joint-venture vai ajudar ao “crescimento do mercado entre a América do Norte e a América do Sul, proporcionando benefícios significativos e necessários para os clientes”.

Já Roberto Alvo, CEO do Grupo LATAM Airlines, destaca as “ligações mais rápidas” e o “cúmulo conjunto de milhas em programas de passageiro frequente” como alguns dos benefícios mais imediatos para os clientes da companhias aéreas e diz ter a certeza que, com o tempo, será possível “oferecer as melhores ligações incorporando uma visão sustentável de futuro”.

Recorde-se que o primeiro acordo entre a Delta Air Lines e o Grupo LATAM Airlines data de 2019, quando as companhias aéreas decidiram “expandir significativamente as opções de viagem na América do Norte e do Sul e oferecer uma experiência líder do setor”.

Desde essa data, foram dados vários passos e passou, nomeadamente, a ser possível fazer o resgate mútuo de milhas, ter benefícios recíprocos, partilhar os terminais em aeroportos como Nova York (JFK), São Paulo/Guarulhos (GRU) e Santiago (SCL), ter acesso mútuo a 53 salas VIP Delta Sky Club nos Estados Unidos e cinco salas LATAM na América do Sul, incluindo o novo Delta Sky Club em Los Angeles (LAX) e o novo LATAM Lounge Santiago, no Chile.

Em 2020, a Delta e a LATAM introduziram os primeiros serviços de code-share na América do Sul e, em 2021, expandiram o acordo para mais de 20 rotas entre os EUA e a América do Sul, além de ligações para uma ampla rede de destinos nacionais e regionais a partir de centros de conexão em Atlanta, Nova York e Los Angeles, bem como em Santiago, Lima, Bogotá e São Paulo.

Sobre o autorPublituris

Publituris

Mais artigos
Transportes

Ryanair triplica passageiros transportados no acumulado até setembro

Até setembro, a Ryanair transportou 153 milhões de passageiros, num aumento de 209% face aos 49,5 milhões de passageiros que tinham sido transportados pela companhia aérea de baixo custo em igual período de 2022.

Publituris

A Ryanair transportou 15,9 milhões de passageiros no passado mês de setembro, número que fica 49% acima do total de passageiros contabilizados em igual mês de 2021 e que, no acumulado até setembro, chega já aos 153 milhões de passageiros, mais de três vezes acima do resultado de igual período do ano passado.

Numa nota enviada à imprensa esta terça-feira, 4 de outubro, a Ryanair revela que, no nono mês do ano, transportou 15,9 milhões de passageiros, quando em setembro do ano passado este número não ultrapassava os 10,6 milhões, o que traduz um aumento de 49,%.

Em setembro, também a ocupação dos voos da transportadora aérea low cost aumentou 13%, passando de um load factor de 83% em setembro de 2021 para 94% nos 88,850 voos realizados pela Ryanair.

No entanto, é no acumulado do ano que se verifica a maior subida no total de passageiros transportados pela Ryanair, uma vez que a companhia aérea contabilizou já 153 milhões de passageiros, quando até setembro do ano passado tinham sido transportados 49,5 milhões, o que traduz um aumento de 209%.

A ocupação dos voos também tem vindo a subir ao longo do ano e, em setembro, chegou aos 90%, 13% acima do registado em igual período de 2021, quando o load factor acumulado dos voos da Ryanair se ficava pelos 77%.

Sobre o autorPublituris

Publituris

Mais artigos
Transportes

Portugal foi o 2.º mercado da Transavia no pico do verão

Em julho e agosto, Portugal foi o segundo mercado para a Transavia France, low cost do Grupo Air France-KLM, que destaca o Porto como o destino mais popular durante o pico do verão, enquanto Lisboa foi o terceiro.

Publituris

Em julho e agosto, Portugal foi o segundo mercado para a Transavia France, companhia aérea low cost do Grupo Air France-KLM, que destaca mesmo o Porto como o destino mais popular durante o pico do verão, indica a transportadora em comunicado.

“Para a companhia low-cost do Grupo Air France-KLM, o mercado português foi o segundo em passageiros transportados (359.624), atrás apenas da Grécia e acima de Espanha, representando um aumento de 13% face a igual período de 2019 (e 26 % vs. 2021)”, lê-se no comunicado da Transavia France.

Por destinos nacionais, o destaque vai para o Porto, que foi o primeiro destino da companhia aérea durante o pico do verão, com 126.017 passageiros transportados, enquanto a capital portuguesa ocupou o terceiro lugar do pódio, com 88.200 viajantes transportados, em igual período.

“A história de sucesso da Transavia France em Portugal e, sobretudo, nas rotas de/para o Porto prossegue. Portugal é e continua a ser um mercado emblemático e histórico para a nossa companhia aérea e os resultados de tráfego alcançados no pico do verão 2022, onde Porto e Lisboa aparecem no top3 dos nossos destinos preferidos, e o reconhecimento pelos nossos clientes do nosso serviço de/para o Porto, são a melhor prova disto”, afirmou Nicolas Hénin, Chief Commercial Officer of Transavia France.

A companhia aérea indica mesmo que, segundo o Net Promoter Score, no Porto, os seus passageiros valorizaram o serviço de/para o Porto em julho, com “a rota de/para Brest a receber uma pontuação de 66 (a 2ª melhor do mês), Nantes 48 e Lyon 45”.

“As aberturas em Portugal em 2022, incluindo nos Açores e na rota Porto – Brest (agora, durante todo o ano!), ou o aumento de frequências em rotas, como Porto – Paris-Orly, Faro – Paris-Orly, Lisboa – Nantes , Faro – Roterdão ou Funchal – Amesterdão, também consequência do vigoroso investimento na nossa frota, significou uma oferta total de 1,5 milhões de assentos no mercado português este Verão, um aumento de 23% face ao período homólogo pré-pandemia de 2019”, acrescenta a companhia.

 

Sobre o autorPublituris

Publituris

Mais artigos
Transportes

Air Transat é a melhor companhia aérea de lazer da América do Norte nos prémios Skytrax

Companhia aérea canadiana, que se destacou no segmento de lazer nos Skytrax World Airline Awards 2022, voa para 60 destinos em três continentes.

Publituris

A Air Transat foi eleita como a melhor companhia aérea de lazer da América do Norte nos Skytrax World Airline Awards 2022, prémios que são considerados os Óscares da aviação e que foram entregues na sexta-feira, 23 de setembro, numa cerimónia que decorreu em Londres.

“Estamos honrados por receber este prémio, apesar dos muitos desafios enfrentados por todas as empresas do setor nos últimos meses”, disse Annick Guérard, presidente e CEO da Transat.

A responsável da companhia aérea canadiana garante que a Air Transat está comprometida a continuar a oferecer aos seus clientes a melhor experiência de viagem, considerando que este prémio “é a prova” de que a transportadora continua a cumprir essa promessa.

A Air Transat voa para 60 destinos em três continentes e com uma frota de nova geração, composta por aparelhos Airbus A321LR e vai receber, em breve, mais quatro aviões Airbus A321XLR.

Os Skytrax World Airline Awards são entregues anualmente desde 1999 e reconhecem o desempenho das melhores companhia aéreas do longo do ano, com base na votação dos passageiros aéreos de todo o mundo.

Na edição deste ano, a votação decorreu entre setembro de 2021 a agosto de 2022 e foi contabilizada a participação de passageiros de mais de 100 nacionalidades, num total de 14,32 milhões de votos

Sobre o autorPublituris

Publituris

Mais artigos
Transportes

airBaltic começa a voar para o Porto no verão de 2023

Companhia aérea dos Países Bálticos vai voar entre o Porto e Riga a partir de 1 de maio de 2023, disponibilizando duas ligações aéreas por semana. Em Lisboa, há ainda um reforço de frequências no próximo verão.

Publituris

A airBaltic vai abrir uma nova rota para Portugal, passando a ligar a cidade do Porto a Riga, capital da Letónia, duas vezes por semana a partir de 1 de maio de 2023, informou a companhia aérea dos Países Bálticos, em comunicado.

A rota para o Porto é uma das 18 novas operações anunciadas pela transportadora para o próximo verão e que inclui também a abertura de voos desde Riga para Istambul, Hannover, Bucharest, Burgas, Bilbao, Tivat, Yerevan, Belgrado e Baku, desde Riga.

Além de Riga, a airBaltic vai também voar desde Tallin, na Estónia, para Split, Rhodes, Dubrovnik e Heraklion, assim como de Vilnius, capital da Lituânia, para Málaga, Palma de Maiorca, Nice e Heraklion.

A par do lançamento de novas rotas, a companhia aérea dos Países Bálticos anunciou também o reforço da capacidade em várias outras rotas, num aumento frequências de voo que, segundo a airBaltic, abrange “rotas tão populares a partir de Riga, tais como Barcelona, Lisboa ou Roma”.

“Este é o maior número de novas rotas anunciadas numa única estação, alguma vez vista na AirBaltic. Continuamos empenhados nas nossas cidades de origem nos Países Bálticos e em melhorar as ligações de e para a região. Estamos exultantes por expandir a oferta airBaltic para a próxima estação de verão, adicionando novas rotas e aumentando a frequência de voos nas nossas rotas de lazer e city breaks já existentes”, afirma Martin Gauss, presidente e CEO da AirBaltic.

O programa completo de voos da airBaltic está já disponível no website da companhia aérea, onde é também possível reservar as novas rotas, incluindo os voos Riga-Porto. As reservas também estão disponíveis nas agências de viagens.

Sobre o autorPublituris

Publituris

Mais artigos
Transportes

TAP eleita companhia aérea europeia líder para África e América do Sul nos WTA

A TAP foi eleita como a companhia aérea europeia líder para África e para a América do Sul na última gala europeia dos World Travel Awards (WTA), que foram entregues no passado sábado, 1 de outubro, em Maiorca, Espanha.

Publituris

A TAP foi eleita como a companhia aérea europeia líder para África e para a América do Sul na última gala europeia dos World Travel Awards (WTA), que foram entregues no passado sábado, 1 de outubro, em Maiorca, Espanha.

“Estas distinções internacionais, referentes a mercados muito importantes para a companhia, são o reconhecimento de um forte trabalho de recuperação que todos na TAP têm vindo a realizar. Além de serem um incentivo, ajudam-nos também a definir e a melhorar continuamente o serviço de excelência que pretendemos oferecer aos nossos clientes, assente na simpatia e na arte de bem receber portuguesas”, afirma Christine Ourmières-Widener, presidente Executiva da TAP.

A eleição da TAP como companhia aérea europeia líder para África e América do Sul resultou de um processo de votação online, que contou com a participação de profissionais da área de turismo e viagens, designadamente agentes de viagens, operadores e organizações de turismo, oriundos de mais de 100 países, bem como pelo público em geral.

Os prémios conquistados pela TAP vêm juntar-se a várias outras distinções que a companhia aérea de bandeira nacional alcançou já em edições passadas dos WTA, que premiaram a TAP como companhia aérea europeia líder para África e companhia aérea europeia líder para a América do Sul ininterruptamente entre 2014 e 2021.

“A TAP foi ainda considerada Companhia Aérea Líder Mundial para África em 2011, 2012, 2018, 2019, 2020 e 2021, bem como Companhia Aérea Líder Mundial para a América do Sul em 2009, 2010, 2011, 2012, 2018, 2019, 2020 e 2021”, acrescenta a transportadora.

Já a Revista de Bordo da TAP, a UP, que foi descontinuada devido à pandemia, foi considerada a Revista de Bordo Líder na Europa entre 2015 e 2020, e Líder Mundial entre 2018 e 2020.

Considerados os Óscares do Turismo, os WTA são entregues desde 1993, com o objetivo de reconhecer, premiar e celebrar a excelência em todos os setores de atividade da indústria global de viagens e turismo.

Sobre o autorPublituris

Publituris

Mais artigos
Transportes

Emirates aumenta voos para as Maurícias

A Emirates passou a disponibilizar três voos diários para as Maurícias desde o passado sábado, 1 de outubro, num reforço de operação que aumenta a capacidade para o arquipélago do Oceano Índico em cerca de 35%.

Publituris

A Emirates passou a disponibilizar três voos diários para as Maurícias desde o passado sábado, 1 de outubro, num reforço de operação que, segundo a companhia aérea do Dubai, aumenta “a capacidade de lugares de e para as Ilhas Maurícias em aproximadamente 35%”.

“O novo voo complementa os serviços diários existentes dos Airbus A380 e vai oferecer aos passageiros que viajam para as Maurícias uma maior flexibilidade. Ao planear a sua viagem, os passageiros poderão escolher chegar de manhã ao Aeroporto Internacional Sir Seewoosagur Ramgoolam, para além dos serviços EK 0701 e EK0703 que chegam a meio da manhã e ao início da noite”, refere a Emirates, num comunicado divulgado esta segunda-feira, 3 de outubro.

Os voos para as Maurícias são ideais para um escapadinha no Oceano Índico, região para onde a Emirates disponibiliza um total de nove voos diários para as Seychelles, Maurícias e Maldivas a partir da sua base, o Aeroporto Internacional do Dubai.

Sobre o autorPublituris

Publituris

Mais artigos
Aviação

Novo aeroporto de Lisboa: Comissão técnica vai estudar cinco soluções

A comissão técnica que vai fazer a avaliação ambiental estratégica para o novo aeroporto de Lisboa terá em mãos cinco soluções, mas podem ainda propor mais caso entenda, revelou aos jornalistas o ministro das Infraestruturas e Habitação, Pedro Nuno Santos no final do Conselho de Ministros desta quinta-feira.

Em causa, segundo o governante citado pela Lusa, está a solução em que o aeroporto Humberto Delgado fica como aeroporto principal e Montijo como complementar, uma segunda em que o Montijo adquire progressivamente o estatuto de principal e Humberto Delgado de complementar, uma terceira em que Alcochete substitui integralmente o aeroporto Humberto Delgado, uma quarta em que será este aeroporto o principal e Santarém o complementar e uma quinta em que Santarém substitui integralmente a Portela.

Já na quarta-feira à noite, em entrevista à RTP3, Pedro Nuno Santos, havia avançado que a comissão técnica do novo aeroporto de Lisboa, com responsabilidade de apresentar um estudo de avaliação ambiental estratégica com conclusões até final de 2023, vai poder estudar mais localizações, além de Montijo, Alcochete e Santarém, lembrando que em 50 anos já foram analisados 17 locais.

A comissão técnica vai poder “incluir, se o entender, outras localizações na avaliação ambiental estratégica”, além das “que se conhecem”, disse, lembrando que “todo o trabalho que foi feito antes ao longo dos últimos anos será também utilizado”, estimando-se terem sido gastos cerca de 70 milhões de euros em estudos para a localização do novo aeroporto.

Ainda segundo o ministro, a comissão técnica vai ser liderada por um coordenador geral escolhido pelo primeiro-ministro, António Costa, mas sob a indicação do presidente do Conselho Superior de Obras Públicas, do presidente do Conselho de Reitores das Universidades Portuguesas e do presidente do Conselho Nacional do Ambiente e do Desenvolvimento sustentável. “Estas três personalidades vão sugerir um coordenador geral que depois vai constituir seis equipas que vão trabalhar em seis dossiers diferentes”, acrescentou.

Refira-se que o Governo aprovou esta quinta-feira, em Conselho de Ministros, uma resolução que determina a avaliação ambiental estratégica para escolher a localização do novo aeroporto de Lisboa, através de uma comissão técnica independente que terá um coordenador geral, sob proposta de três personalidades.

Além disso, foi aprovada uma proposta de lei que clarifica a intervenção dos municípios nos “procedimentos de construção, ampliação ou modificação de um aeródromo, de forma a clarificar que no procedimento de apreciação prévia de viabilidade relativa à construção de aeroportos os pareceres das câmaras municipais não são vinculativos”, adiantou André Moz Caldas, secretário de Estado da Presidência do Conselho de Ministros, também citado pela Lusa.

Portela precisa de obras “já” diz Nuno Pedro Santos

O ministro das Infraestruturas e Habitação, declarou também aos jornalistas, no final do Conselho de Ministros desta quinta-feira, que o aeroporto Humberto Delgado, em Lisboa, precisa de obras “já”, não permitindo aumentar a sua capacidade, mas pelo menos a sua fluidez operacional e conforto do passageiro, tendo em conta que o novo aeroporto “vai demorar”.

Como esta iniciativa implica investimento alteração das bases da concessão com a ANA – Aeroportos de Portugal, detida pelo grupo Vinci, Pedro Nuno Santos indicou que é nesse quadro que é possível “chegar a um valor” para este investimento, chegando a um “entendimento” com a concessionária.

Sobre o autorCarolina Morgado

Carolina Morgado

Mais artigos

LATAM Boeing 787-9 Dreamliner photographed on May 13, 2016 from Wolfe Air Aviation Learjet 25B.

Transportes

LATAM Airlines é a melhor companhia aérea da América do Sul nos prémios Skytrax

Além do prémio para melhor companhia aérea da América do Sul, a LATAM Airlines arrecadou também a distinção de Melhor Pessoal de Companhia Aérea da América do Sul, ambos com base na votação dos passageiros.

Publituris

A LATAM Airlines foi eleita melhor companhia aérea da América do Sul nos Skytrax World Airline Awards, prémios que são considerados os Óscares da aviação e que foram entregues na passada sexta-feira, 23 de setembro, numa cerimónia que decorreu em Londres.

Além do prémio para melhor companhia aérea da América do Sul, a LATAM Airlines arrecadou também de Melhor Pessoal de Companhia Aérea da América do Sul, ambos com base na votação dos passageiros.

“Recebemos estes prémios com orgulho, mas também com grande responsabilidade. Temos um profundo compromisso de prestar um serviço de excelência, alinhado com as expectativas dos nossos clientes, mas também estamos empenhados em fazer do nosso planeta um lugar melhor para os passageiros de hoje e os de amanhã”, afirmou Paulo Miranda, Chief Experience and Customer Officer da LATAM Airlines Group.

Os Skytrax World Airline Awards são entregues anualmente desde 1999 e reconhecem o desempenho das melhores companhia aéreas do longo do ano, com base na votação dos passageiros aéreos de todo o mundo.

Na edição deste ano, a votação decorreu entre setembro de 2021 a agosto de 2022 e foi contabilizada a participação de passageiros de mais de 100 nacionalidades, num total de 14,32 milhões de votos.

Sobre o autorPublituris

Publituris

Mais artigos
Transportes

Air France abre cinco novos destinos no inverno e aumenta capacidade em Portugal

A Air France vai voar para 171 destinos no inverno, incluindo 86 no longo curso e 85 no curto e no médio curso, numa capacidade que já se aproxima do inverno de 2019 e que cresce também 18% em Portugal.

Publituris

A Air France vai voar, durante o próximo inverno, para 171 destinos, incluindo 86 no longo curso e 85 no curto e no médio curso, numa oferta cuja capacidade já se aproxima do inverno de 2019 e que prevê também um aumento de 18% na capacidade oferecida pela companhia aérea francesa em Portugal.

“A oferta da Air France cresce 18% este Inverno em Portugal face a período homólogo de 2021”, indica a Air France, revelando que esta oferta é “idêntica à oferecida e operada em 2019” e tem por base um maior número de frequências de/para o Porto a partir de Paris-CDG, que passam a sete em vez das seis disponibilizadas no inverno de 2021.

Além do aumento de frequências no Porto, a Air France vai também aumentar a capacidade na rota de Lisboa para Paris, que passa a ser operada por “aviões de maior capacidade”, mantendo-se as quatro frequências que a companhia aérea já oferecia no inverno passado.

As rotas de Lisboa e Porto podem, no entanto, ser utilizadas para chegar a Paris e viajar para um dos cinco novos destinos que a Air France vai abrir este inverno e vão passar a ligar Paris-CDG a Nova Iorque-Newark (EUA), Tromsø (Noruega), Kittilä (Finlândia), Innsbruck e Salzburg (Áustria).

No caso de Nova Iorque-Newark, os voos arrancam a 12 de dezembro de 2022 e contam com uma ligação diária e direta, marcando o regresso da Air France ao segundo maior aeroporto de Nova Iorque.

“Este voo será adicionado ao produto do tipo “Shuttle” oferecido entre Paris-CDG e Nova Iorque-JFK, com 6 voos diários operados pela Air France e 2 pela sua parceira na aliança Skyteam, a Delta Air Lines”, indica a Air France em comunicado.

Este inverno, a Air France decidiu também manter a rota de verão que liga Paris-CDG – Dallas e que vai contar com três voos por semana, operados em aviões 777-200 ER.

Também no longo curso, destaque ainda para o regresso dos voos da Air France entre Paris-CDG e a Cidade do Cabo, na África do Sul, operação que estava suspensa desde o início da COVID-19 e que vai regressar a 30 de outubro, com três voos por semana, em avião Boeing 787-9.

Além da Cidade do Cabo, a Air France vai também voar para Joanesburgo este inverno, disponibilizando um total de sete voos por semana entre a capital francesa e a cidade sul-africana.

De assinalar é ainda o regresso dos voos da Air France para o Japão, numa retoma que é permitida pela reabertura gradual de fronteiras no país depois da COVID-19 e que, segundo a Air France, conta com cinco voos por semana para Tóquio-Haneda, em aviões Boeing 787-9.

“A Air France passa, assim, a ligar Paris aos dois aeroportos de Tóquio neste inverno, com o aeroporto de Tóquio-Narita a ser servido até 5 vezes por semana a partir de Paris-Charles de Gaulle”, refere ainda a transportadora gaulesa.

As novidades da Air France para este inverno incluem ainda quatro novas rotas de curta distância e médio curso, que vão passar a ligar Paris às cidades de Tromsø (Noruega), Kittilä (Finlândia), Innsbruck e Salzburg (Áustria), além de outras novidades nomeadamente no Norte de África.

A partir de 30 de outubro, a Air France passa a voar entre Paris-Orly e Casablanca, em Marrocos, com um voo diário operado em Airbus A320, data em que as ligações entre Nice e Londres Heathrow passam a ser anuais, contando com um voo por dia, uma vez que atualmente apenas decorriam no verão.

Já o serviço sazonal Paris-CDG – Rovaniemi (Finlândia), que tinha sido inaugurado em 2021, vai ser retomado este ano a partir de 27 de novembro, com até um voo diário operado em Airbus A320 durante os feriados de fim de ano.

O dia 10 de dezembro marca a inauguração das quatro novas rotas da Air France de curta distância e médio curso, já que a partir deste dia a companhia aérea francesa passa a voar para Kittilä (Finlândia) e Tromsø (Noruega), com um voo por semana, realizado em aviões A320 e Airbus A319, respetivamente.

Já Innsbruck e Salzburg (Áustria) vão contar com dois e um voo por semana, respetivamente, que vão ser operados em aviões Embraer 190, também com início a partir de 10 de dezembro de 2022.

Além destas novidades, a Air France vai ainda estender ao longo de todo o ano os voos Paris-Orly – Tunes (Tunísia), Marselha – Argel (Argélia), Toulouse – Argel (Argélia) e Toulouse – Oran (Argélia), que até aqui eram apenas realizados na temporada de verão.

Todos os destalhes sobre os novos destinos, programas de voo e tarifas podem já ser consultados em airfrance.pt.

A companhia aérea francesa alerta, no entanto, que “este programa de voos é suscetível de mudanças e mantém-se sujeito à obtenção das necessárias autorizações governamentais”.

 

Sobre o autorPublituris

Publituris

Mais artigos

Navegue

Sobre nós

Grupo Workmedia

Mantenha-se conectado

©2021 PUBLITURIS. Todos os direitos reservados.