Assine já
Aviação

TAAG com novo horário entre Luanda e o Porto

Alteração entra em vigor já este mês de Maio, nos voos entre a capital angolana e o Porto.

Publituris
Aviação

TAAG com novo horário entre Luanda e o Porto

Alteração entra em vigor já este mês de Maio, nos voos entre a capital angolana e o Porto.

Publituris
Sobre o autor
Publituris
Artigos relacionados
TAAG lança campanha de Natal
Aviação
TAAG lança voos de Lisboa e Porto para a época festiva
Homepage
TAAG já tem em vigor nova estrutura tarifária
Homepage
Luanda e Lisboa ligadas por seis voos diretos por semana
Homepage

A TAAG – Linhas Aéreas de Angola anunciou um novo horário para os voos entre Luanda e o Porto, alteração que entra em vigor já este mês de Maio, informou a companhia aérea angolana em comunicado.

A TAAG informa que os voos Porto-Luanda passam a decorrer às terças, quintas e sábados, pelas 22h15, enquanto os voos em sentido oposto são às segundas, quartas e sextas-feiras, pelas 22h30.

 

Sobre o autorPublituris

Publituris

Mais artigos
Artigos relacionados
Transportes

Emirates é a companhia aérea com melhor reputação em Portugal

Pelo segundo ano consecutivo, a Emirates classificou-se em primeiro lugar enquanto companhia aérea com melhor reputação em Portugal no RepScore 2023, relatório da OnStrategy, que destaca as melhores marcas do país.

Publituris

Pelo segundo ano consecutivo, a Emirates classificou-se em primeiro lugar enquanto companhia aérea com melhor reputação em Portugal no RepScore 2023, relatório anual conduzido pela OnStrategy, que analisa mais de 2.000 empresas em Portugal e destaca as melhores marcas do país.

“Estamos muito felizes por sermos reconhecidos mais uma vez pelos nossos produtos e serviços líderes da indústria. Obrigado aos nossos passageiros por terem sempre optado por voar melhor connosco. Os passageiros permanecem no centro de tudo o que fazemos e esperamos continuar a oferecer experiências de viagem inigualáveis e a ligar Portugal ao mundo através do Dubai”, congratula-se David Quito, country manager da Emirates em Portugal.

Os prémios foram entregues na passada segunda-feira, 30 de janeiro, numa cerimónia que teve lugar no Hotel Ritz Four Seasons, em Lisboa, e que contou com a presença de David Quito, que recebeu o prémio entregue à Emirates.

Este ano, o relatório RepScore foi elaborado com base num inquérito aplicado a 50,000 cidadãos portugueses, focando no posicionamento da marca, na reputação, e na forma como os clientes veem as empresas nacionais e internacionais.

Sobre o autorPublituris

Publituris

Mais artigos
Transportes

Transavia lança nova campanha sob o mote “Os destinos que lhe dizem mais por menos”

A Transavia lançou uma nova campanha de media em Portugal, sob o mote “Os destinos que lhe dizem mais por menos”, que oferece tarifas desde 31 euros para voos de ida e que vai estar em vigor até 2 de abril.

Publituris

A Transavia lançou uma nova campanha de media em Portugal, sob o mote “Os destinos que lhe dizem mais por menos”, que oferece tarifas desde 31 euros para voos de ida e que vai estar em vigor até 2 de abril.

A nova campanha da Transavia, companhia aérea low cost do Grupo Air France/KLM, arrancou esta semana e inclui cartazes, cartazes digitais em centros comerciais, banners digitais e anúncios na imprensa local, redes sociais e plataformas de vídeo online, tendo sido desenvolvida pela agência Marcel do Grupo Publicis.

O vídeo da nova campanha da Transavia já está disponível para visualização online aqui.

 

Sobre o autorPublituris

Publituris

Mais artigos
Aviação

Tráfego de janeiro da Ryanair sobe 69% e chega aos 11,8 milhões de passageiros

No acumulado dos últimos 12 meses, a Ryanair contabiliza já 165,3 milhões de passageiros, o que indica um aumento de 111% face a igual período do ano anterior.

Publituris

A Ryanair transportou 11,8 milhões de passageiros em janeiro, valor que traduz um aumento de 69% face a igual mês de 2022, quando a companhia aérea low cost tinha transportado sete milhões de passageiros.

Num comunicado enviado à imprensa, a Ryanair lembra que o tráfego de janeiro de 2022 ainda foi prejudicado pela COVID-19, nomeadamente pela variante Ómicron, e pelas restrições à viagens que foram adotadas no seguimento da pandemia.

Em janeiro, a Ryanair obteve também um load factor de 91% nos 68,200 voos operados pela companhia aérea, valor que ficou 12% acima de janeiro de 2022, quando o load factor dos voos da Ryanair tinha sido de 79%.

No acumulado dos últimos 12 meses, a Ryanair contabiliza já 165,3 milhões de passageiros, o que indica um aumento de 111% face a igual período do ano anterior, enquanto o load factor acumulado chegou aos 93%, também 12% acima do registado anteriormente.

Sobre o autorPublituris

Publituris

Mais artigos
Transportes

AirHelp diz que Portugal foi dos países europeus mais afetados por perturbações de voos em 2022

Segundo a AirHelp, em 2022, houve 63 mil voos com algum tipo de perturbação em território nacional, que afetaram mais de nove mil passageiros.

Publituris

Portugal foi um dos países europeus mais afetados por perturbações de voos em 2022, avança a AirHelp, empresa de defesa dos direitos dos passageiros aéreos, que diz que, no ano passado, houve 63 mil voos com algum tipo de perturbação em território nacional, que afetaram mais de nove mil passageiros.

“De acordo com a análise realizada pela AirHelp, dos países europeus com maior tráfego aéreo, Portugal é dos que apresenta uma maior taxa de voos atrasados e de passageiros afetados. Só em 2022, mais de 63 mil voos sofreram algum tipo de perturbação – cancelamento ou atrasos – afetando mais de 9 milhões de passageiros, dos mais de 26 milhões que viajaram a partir de Portugal (34%)”, lê-se num comunicado da empresa, que estima que 650 mil passageiros sejam elegíveis para a obtenção de compensação, segundo o Regulamento CE 261/2004.

Por aeroportos, foi em Lisboa que se verificou o maior número de perturbações, com 39% dos voos afetados, seguindo-se o Aeródromo do Corvo, nos Açores, onde as perturbações afetaram 32% dos voos, e o Aeroporto da Madeira e o das Flores, ambos com 28% dos voos afetados.

No entanto, o país da Europa com maior número de passageiros afetados foi o Reino Unido, onde mais de 32 milhões de viajantes sofreram perturbações, o que significa que 35% do total de passageiros que voaram a partir do Reino Unido passaram por problemas nos voos.

Depois do Reino Unido, o país europeu com maior número de perturbações foi a Alemanha, com 26 milhões de passageiros a sofrerem perturbações nos seus voos, seguindo-se a Turquia, onde mais de 22 milhões de viajantes foram afetados (32%), colocando o país em terceiro lugar na lista em análise.

A AirHelp sublinha, contudo, que foi na Holanda que se registou a maior taxa de atrasos e cancelamentos, com 34% dos voos e mais de 11 milhões de pessoas afetadas, enquanto o Reino Unido e a Irlanda foram o segundo e terceiro países europeus, respetivamente, com a maior taxa de voos atrasados ou cancelados.

“O ano de 2022 não foi um bom ano para os passageiros aéreos. O verão, em particular, demonstrou que os aeroportos e as companhias aéreas não estavam preparados para o aumento das viagens aéreas após a pandemia”, afirma Pedro Miguel Madaleno, advogado da AirHelp especialista em direito dos passageiros aéreos, prevendo que a tendência se mantenha em 2023.

A nível global, a AirHelp diz ainda que, em 2022, “um em cada três passageiros viu o seu voo descolar fora do horário previsto e só nos meses de junho e julho mais de 40% dos viajantes sofreram problemas nos seus voos”.

 

 

Sobre o autorPublituris

Publituris

Mais artigos
Transportes

Emirates volta a recrutar em Portugal

A Emirates vai voltar a promover uma sessão de recrutamento em Portugal, levando os seus Open Days a quatro cidades nacionais entre 5 e 22 de fevereiro, com o objetivo de selecionar candidatos para a tripulação de cabine.

Publituris

A Emirates vai voltar a promover uma sessão de recrutamento em Portugal, levando os seus Open Days a quatro cidades nacionais entre 5 e 22 de fevereiro, com o objetivo de selecionar candidatos para integrar a sua tripulação de cabine.

De acordo com a companhia aérea do Dubai, os Open Days arrancam no domingo, 5 de fevereiro, em Lisboa, e seguem, no dia 7, para Faro, enquanto no dia 20 de fevereiro será a vez de Coimbra receber a iniciativa, que termina a 22 de fevereiro, no Porto.

Na informação divulgada, a Emirates explica que “o candidato ideal terá de liderar com confiança e assumir o controlo na gestão dos serviços a bordo, nomeadamente no que se refere aos procedimentos de segurança”, sublinhando que toda a sua tripulação vai “receber formação de excelência nas modernas instalações da companhia aérea no Dubai”.

Para se candidatarem, os interessados devem submeter uma candidatura online, incluindo CV atualizado em inglês e uma fotografia recente, ainda que, visto que se trata dos Open Days, é também possível que os candidatos se apresentem nos dias e locais indicados sem terem submetido a candidatura previamente, bastando que levem consigo os documentos necessários e cheguem ao local antes da hora de início. Todos os requisitos para o processo de seleção estão disponíveis aqui.

A Emirates sublinha ainda que “oferece aos seus candidatos excelentes oportunidades de carreira” e lembra que toda a sua tripulação está “baseada na cidade cosmopolita do Dubai e usufrui de um pacote salarial  distintivo no mercado que inclui uma variedade de benefícios”, como salário isento de impostos, alojamento gratuito, transporte gratuito de e para o trabalho, cobertura médica, bem como descontos exclusivos em compras e atividades de lazer no Dubai. 

Paralelamente, a tripulação da Emirates usufrui ainda de benefícios de viagem para si e para as suas famílias e amigos, para todos os destinos para os quais a companhia aérea voa.

Em Lisboa, os Open Days da Emirates decorrem no hotel Ramada Lisbon by Wyndham, enquanto em Faro a iniciativa vai ter lugar no Eva Senses Hotel. Já o Tivoli Coimbra Hotel recebe a sessão de recrutamento de Coimbra e o HF Ipanema Porto será o local dos Open Days no Porto.

 

Sobre o autorPublituris

Publituris

Mais artigos
Transportes

Sun d´Or lança operação sazonal de verão entre o Porto e Telavive

Os voos da Sun d’Or entre o Porto e Telavive, em Israel, vão decorrer às segundas e quartas-feiras, entre 15 de março e 27 de outubro de 2023.

Publituris

A Sun d´Or, companhia aérea subsidiária da israelita El Al e que é representada em Portugal pela ATR, vai lançar uma operação sazonal entre o Porto e Telavive, cujo início está previsto para 15 de março e que vai contar com dois voos diretos por semana, até 27 de outubro.

Os voos da Sun d’Or para o Porto vão decorrer às segundas e quartas-feiras, partindo do Porto pelas 21h30 e chegando a Telavive às 04h50, enquanto em sentido contrário as partidas de Telavive decorrem às 16h15, chegando à Invicta pelas 20h15, sempre em horários locais.

Num comunicado enviado à imprensa, a Sun d’Or, que é uma companhia aérea que se dedica à realização de voos regulares e charter para destinos de lazer sazonais na bacia do Mediterrâneo, explica que “Portugal surge novamente como um destino chave para a sua programação de 2023”.

Os voos da Sun d’Or já se encontram carregados nos sistemas de reservas.

Sobre o autorPublituris

Publituris

Mais artigos
Transportes

Ryanair antecipa subida dos preços dos bilhetes aéreos entre 5% e 10% em 2023

Apesar da subida prevista nos preços, o CEO da Ryanair, Michael O’Leary, acredita que os passageiros vão continuar a viajar e revela que as reservas do mercado britânico para destinos de praia, como Portugal, estão “muito fortes” para a Páscoa e também já para o verão.

Inês de Matos

O CEO da Ryanair, Michael O’Leary, estima que, em 2023, os preços dos bilhetes aéreos aumentem entre 5% e 10% face ao último verão, uma vez que a procura por viagens aéreas está a aumentar, enquanto a capacidade diminuiu, antecipou o responsável esta quarta-feira, 1 de fevereiro, em conferência de imprensa.

“Há menos capacidade e maior procura na Europa e, desde que não existam mais notícias negativas, seja sobre a COVID-19, a guerra na Ucrânia ou outros eventos negativos, acredito que este verão os bilhetes aéreos vão subir entre 5 e 10% face ao verão de 2022”, afirmou o responsável.

Apesar da subida dos preços, Michael O’Leary não acredita que os passageiros deixem de viajar porque as tarifas aéreas estão mais elevadas e deu o exemplo do mercado britânico, cujas reservas para a Páscoa e verão estão muito elevadas para destinos de praia no sul da Europa.

“Nada vai afastar as pessoas de viajar. Depois de um isolamento de dois anos e meio devido à COVID-19, em que as pessoas não puderam ver a família e os amigos, em que não puderam viajar para as praias de Portugal, penso que vão voltar a viajar. Podem cortar noutras áreas, como em carros ou na casa, mas vão viajar”, considerou.

Para Michael O’Leary, as viagens de longo curso deverão demorar mais a recuperar, seja porque o dólar está mais elevado ou porque as restrições à COVID-19 na Ásia ainda estão a ser levantadas, ao contrário do médio curso e da curta distância, onde já se está a assistir a um aumento das reservas.

“Penso que o longo curso vai ser mais fraco, devido à subida do dólar e às restrições na Ásia, mas o médio curso e a curta distância, particularmente desde o Reino Unido, vai ser muito forte, as reservas do Reino Unido para as praias da Europa estão muito fortes, seja para a Páscoa ou já para o verão e penso que nada as vai afetar, a não ser que existam eventos pouco comuns”, acrescentou.

Este verão, a Ryanair vai contar com 19 novas rotas em Portugal, incluindo 11 no Porto e oito em Faro, com Michael O’Leary a explicar que a Ryanair não vai crescer em Lisboa, Madeira e Açores porque as taxas estão demasiado elevadas e, no caso de Lisboa, também porque a TAP não liberta os slots que não está a utilizar, nem é construído um novo aeroporto.

“Infelizmente não há crescimento em Lisboa porque a TAP continua a bloquear os slots que tem e que não usa. Continuamos a pedir ao Governo que peça à TAP que liberte estes slots e que acelere a abertura do aeroporto do Montijo. Isso iria criar uma fantástica oportunidade de aumentar o tráfego, o turismo e os empregos em Lisboa”, admitiu o CEO da Ryanair.

Apesar de não existir crescimento em Lisboa, Madeira e Açores, a Ryanair conta crescer 13% em Portugal e transportar um total de 13 milhões de passageiros na rotas nacionais em 2023, tornando-se na companhia aérea número 1 no país.

“Mesmo com tudo isto, continuamos a crescer e vamos ser a companhia aérea número 1 do país, com 13 milhões de passageiros para o ano fiscal de 2024”, afirmou, indicando que a Ryanair está “a crescer fortemente em Portugal” e vai basear mais quatro aviões em território nacional, concretamente dois no Porto e outros dois em Faro.

Sobre o autorInês de Matos

Inês de Matos

Mais artigos
Transportes

TAAG lança promoção com 40% de desconto em voos domésticos, regionais e internacionais

A promoção é válida para vendas até 10 de fevereiro, cujas viagens decorram até 31 de dezembro de 2023 e aplica-se a tarifas de ida e volta,

Publituris

A TAAG – Linhas Aéreas de Angola lançou uma promoção que oferece um desconto de 40% em voos domésticos, regionais e internacionais, incluindo voos operados em codeshare com a Iberia.

A promoção é válida para vendas até 10 de fevereiro, cujas viagens decorram até 31 de dezembro de 2023 e aplica-se a tarifas de ida e volta, em voos domésticos (com exceção de Cabinda), regionais e internacionais, incluindo os operados em codeshare com a Ibéria e os seus respetivos pontos domésticos.

A promoção da TAAG inclui ainda o transporte de dois volumes de bagagem nos voos internacionais e regionais, enquanto os voos domésticos incluem o transporte de um volume de bagagem.

Mais informações através das agências de viagens ou do call center da TAAG, pelo e-mail  [email protected].

Sobre o autorPublituris

Publituris

Mais artigos
Aviação

Governo do Reino Unido atribui perto de 190 milhões de euros à produção de SAF

O Governo do Reino Unido está aposta em atingir o ano de 2050 com zero emissões de CO2 na aviação. Para tal, apoiará cinco projetos para a produção de SAF.

Publituris

O Governo do Reino unido irá financiar cinco projetos que estão a trabalhar na produção de Sustainable Aviation Fuel (SAF) com 165 milhões de libras, cerca de 188 milhões de euros, nos próximos anos.

Estes cinco projetos, espalhados pelo território britânico, receberão este apoio do Advanced Fuels Fund (AFF) que faz parte da Estratégia Jet Zero para descarbonizar a aviação até 2050.

O departamento para a concorrência nos transportes AFF foi criado para apoiar o setor dos combustíveis britânico para desenvolver e iniciar a comercialização de tecnologias de produção de combustíveis inovadores capazes de reduzir significativamente as emissões na aviação a curto prazo, reforçando os projetos em andamento e alargar as opções tecnológicas.

Mark Harper, ministro dos Transportes, referiu na apresentação deste apoio aos cinco projetos que irão tornar os voos “amigos do ambiente uma realidade”.

Os projetos em questão terão a capacidade de produzir mais de 300 mil toneladas de SAF por ano uma vez iniciada a produção, reduzindo as emissões de CO2 em 200 mil toneladas numa média anual, avança o Governo britânico.

Até 2025, pelo menos cinco unidades comerciais de produção de SAF estarão em construção nos Reino Unido.

Sobre o autorPublituris

Publituris

Mais artigos
Aviação

Prejuízos da Boeing aumentam 17,44 % em 2022

Com prejuízos há quatro anos, a subida de 7% na faturação, para mais de 66 mil milhões de dólares (cerca de 60 mil milhões de euros) não foi suficiente para a Boeing sair da zona vermelha nos que diz respeito aos prejuízos.

Victor Jorge

A Boeing anunciou que no exercício de 2022 aumentou os prejuízos em 17,44% para 4.935 milhões de dólares (cerca de 4.531 milhões de euros).

O construtor aeronáutico norte-americano mantém os prejuízos há quatro anos, primeiro com os problemas nos aviões 737 MAX, depois com a crise económica causada pela pandemia de covid-19, que ainda afeta a empresa, já que hesitou em aumentar a produção à espera que a cadeia de fornecimento estivesse estabilizada.

Em comunicado, a empresa revela que teve uma faturação anual acumulada de 66.608 milhões de dólares, mais 7% em relação a 2021.

O presidente executivo da Boeing, Dave Calhoun, considerou que 2022 foi um “ano importante” na recuperação da empresa.

“A procura em toda a nossa carteira é sólida e seguimos focados em impulsionar a estabilidade nas nossas operações e na cadeia de fornecimento para cumprir os nossos compromissos em 2023 e nos anos seguintes”, acrescentou.

A companhia está a produzir 31 aparelhos do modelo 737 por mês e conta aumentar essa produção para 50 unidades mensais em 2025 e 2026.

No quarto trimestre, o mais seguido pelos analistas de Wall Street, a companhia teve perdas de 634 milhões de dólares (581 milhões de euros), o que representa uma redução de 84,69% em relação ao mesmo período de 2021.

As receitas entre outubro e dezembro alcançaram 19.980 milhões de dólares, mais 35,06% em comparação com o mesmo período do ano anterior.

Os resultados não foram bem recebidos na bolsa e as ações da Boeing recuavam 2,35% nas operações eletrónicas antes da abertura de Wall Street.

Sobre o autorVictor Jorge

Victor Jorge

Mais artigos

Navegue

Sobre nós

Grupo Workmedia

Mantenha-se conectado

©2021 PUBLITURIS. Todos os direitos reservados.