Assine já
Alojamento

Pós-graduação de Cozinha Avançada começa em Fevereiro

Chef Miguel Rocha Vieira, Chef Paulo Pinto, Chef António Boia, Chef Carlos Madeira, Chef Nuno Dinis são alguns dos formadores confirmados.

Publituris
Alojamento

Pós-graduação de Cozinha Avançada começa em Fevereiro

Chef Miguel Rocha Vieira, Chef Paulo Pinto, Chef António Boia, Chef Carlos Madeira, Chef Nuno Dinis são alguns dos formadores confirmados.

Publituris
Sobre o autor
Publituris
Artigos relacionados
OMT e Sommet Education premeiam projetos disruptivos na hotelaria
Homepage
Porto Santo acolhe pólo de formação da Escola Profissional de Hotelaria da Madeira
Homepage
AHRESP lança plataforma de recrutamento
Homepage
Savoy Signature tem 80 vagas para reforçar equipa
Homepage

A Universidade Lusófona e a Associação dos Cozinheiros Profissionais de Portugal (ACPP) uniram-se em parceria para lançar a pós-graduação de Cozinha Avançada.

A formação que tem como missão desenvolver junto dos Cozinheiros de 1ª, Sub-Chefs, Chefs e Chefs Executivos ferramentas teóricas e práticas na área da Gestão e da Cozinha Avançada, através de uma forte componente prática.

Esta formação terá início no dia 1 de Fevereiro e decorrerá às segundas-feiras, das 10h00 às 14h00 e das 15h00 às 19h00.

Os principais objectivos desta Pós-graduação relacionam-se com a gestão de uma cozinha numa ótica global e integradora de vários ramos da gestão como a Gestão Financeira, Recursos Humanos, Estratégia Empresarial, Marketing e Stocks e Aprovisionamento; a compreensão e o desenvolvimento, através de experimentação prática das várias “Cozinhas do Mundo” e a actualização dos conhecimentos técnicos de gestão de cozinha associada aos novos conceitos e tecnologias de cozinha avançada.

O corpo docente é composto por especialistas nas várias áreas, como por exemplo Pedro Pinto (director-geral do Altis Belém Hotel), Cristina Madeira (Coaching – Recursos Humanos), Patrícia Dias (Directora de Comunicação – ChefsAgency), Chef Miguel Rocha Vieira, Chef Paulo Pinto, Chef António Boia, Chef Carlos Madeira, Chef Nuno Dinis, entre outros.

Sobre o autorPublituris

Publituris

Mais artigos
Artigos relacionados
Alojamento

Monte da Bemposta tem pacote completo para caminhantes da Rota Vicentina

Numa parceria com a Rota Vicentina, a unidade de agroturismo Monte da Bemposta, acaba de lançar um pacote completo para os caminhantes daqueles trilhos, com vista a promover o turismo de natureza e sustentável.

Publituris

‘Todos os trilhos vão dar à Bemposta’ é a nova proposta deste agroturismo situado na costa alentejana, em frente à Ilha do Pessegueiro, que vem na sequência de uma parceria com a Rota Vicentina.

O pacote, disponível por 432 euros por pessoa, inclui quatro noites de alojamento com pequeno-almoço, jantar diário na unidade hoteleira, transporte até aos diferentes trilhos e um piquenique para a caminhada.

Com esta parceria, o Monte da Bemposta pretende envolver-se ainda mais em iniciativas de promoção de turismo de natureza e sustentável.

Refira-se que os percursos desenhados pela Rota Vicentina são o Trilho Histórico e o Trilho dos Pescadores, que se desenrolam ao longo de 34km e passam pelas mais belas praias e zonas históricas da região.

Ostentando a certificação  Clean & Safe e afirmando-se como um turismo rural Pet Friendly, o Monte da Bemposta conta com 13 estúdios, de arquitetura simples e tipicamente alentejana, e ainda uma casa principal que pode ser a solução para grupos mais numerosos. Todas as unidades de alojamento têm um pequeno terraço com vista total ou parcial para o mar da Costa Vicentina.

A unidade oferece também um conjunto de outras propostas e atividades tanto para crianças como para adultos como alimentar os animais da quinta, passeios de bicicleta dentro e fora da herdade, a cavalo nos areais, ou de barco, aula de yoga, reiki ou surf, mergulho, caça submarina, bem como massagem ou padel nos campos do hotel, gerido pela Amazing Evolution.

Sobre o autorPublituris

Publituris

Mais artigos
Distribuição

Abreu, Solférias e Soltrópico reforçam operações especiais para Cabo Verde em 2022

Os operadores turísticos Abreu, Solférias e Soltrópico voltam a juntar-se e anunciam o reforço das operações especiais para Cabo Verde ao longo do próximo ano, com voos de Lisboa e do Porto, para a ilha do Sal.

Os operadores turísticos Abreu, Solférias e Soltrópico voltam a juntar-se e anunciam o reforço das operações especiais para Cabo Verde no próximo ano, mais concretamente para a ilha do Sal, com voos de Lisboa e do Porto.

Esta pool de operadores portugueses apostou sempre em Cabo Verde como destino de eleição para férias dos portugueses, uma aposta que as três empresas, em comunicado, consideram vencedora e que tem sido reforçada ao longo dos anos, fazendo com que Cabo Verde se tenha mantido sempre no topo dos destinos preferenciais em Portugal.

Assim, e já disponíveis para venda, os três operadores têm programado ao longo do ano 2022, três operações em aviões A312 de 214 lugares da Privilege, com partidas do Porto, sendo um voo aos sábados, de 02 de abril a 05 de novembro (último regresso), que já contempla o período da Páscoa, um voo aos sábados, de 04 de a 05 de novembro (último regresso), bem como uma ligação, também da Invicta, aos domingos, de 05 de junho a 09 de outubro (último regresso).

Com partidas de Lisboa, os três operadores turísticos oferecem igualmente três operações em aviões A321 da Azores Airlines com capacidade para 183 lugares. Essas operações incluem um voo aos sábados de 02 de abril a 05 de novembro (último regresso), um voo às sextas-feiras de 03 de junho a 04 de novembro (último regresso), e ainda outro às sextas-feiras de 03 junho a 07 de outubro (último regresso).

Sobre o autorCarolina Morgado

Carolina Morgado

Mais artigos
Aviação

35 companhias aéreas e 987 passageiros multados em 12 dias por não falta de teste à COVID-19

Medida que obriga à apresentação de um teste negativo ou de um certificado de recuperação entrou em vigor a 1 de dezembro para prevenir o aumento do número de casos de COVID-19, especialmente da variante Ómicron.

Publituris

Desde que a exigência de apresentação de teste negativo para a COVID-19 ou certificado de recuperação está em vigor, há 12 dias, foram já multadas 35 companhias aéreas e 987 passageiros por terem desembarcado em Portugal sem o referido documento, avança a Lusa, que cita dados revelados esta segunda-feira, 13 de dezembro, pelo Ministério da Administração Interna (MAI).

Num balanço desta medida para conter o aumento do número de casos de COVID-19, que entrou em vigor a 1 de dezembro, o Ministério da Administração Interna (MAI) avança que, entre 01 e 12 de dezembro, a PSP e o SEF fiscalizaram 377.751 passageiros e 3.843 voos, que resultaram em 987 contraordenações.

Dos 987 autos de contraordenação, 604 foram levantados pela PSP, que controla os passageiros provenientes de voos com origem no espaço Schengen, e 383 pelo SEF, que fiscaliza os viajantes oriundos de países fora do espaço Schengen (fora da Europa).

A Lusa lembra que estão isentos da obrigatoriedade de testes, PCR ou rápido, os passageiros de voos domésticos, os menores de 12 anos e as tripulações.

O MAI indica também que nas 987 contraordenações estão incluídos sete estrangeiros a quem foi recusada a entrada no país por não terem apresentado teste no desembarque, uma vez que apenas é permitida a realização do teste no aeroporto aos cidadãos de nacionalidade portuguesa, estrangeiros com residência em Portugal e pessoal diplomático.

Além dos passageiros, foram também multadas 35 companhias aéreas por terem transportado para Portugal passageiros que não tinham nem um teste negativo à COVID-19, nem o certificado de recuperação.

As companhias aéreas que transportem passageiros sem teste negativo à covid-19 incorrem numa multa entre 20.000 e 40.000 euros por passageiro e os viajantes são também alvo de uma contraordenação por não apresentarem teste à chegada, que pode ter multa entre os 300 e os 800 euros.

Os dados do MAI mostram ainda que foram realizados nos aeroportos 991 teste de diagnóstico à covid-19 a passageiros que entraram no país sem este documento.

 

Sobre o autorPublituris

Publituris

Mais artigos
Publituris Hotelaria

A edição de dezembro da Publituris Hotelaria

A última edição do ano da Publituris Hotelaria faz capa com o CEO do grupo NAU Hotels & Resorts, Mário Ferreira.

Publituris

Mário Azevedo Ferreira, CEO do grupo NAU Hotels & Resorts, faz a última capa de 2021 da revista Publituris Hotelaria e depois de fazer as contas ao ano, esmiuçou a estratégia que permitiu ao grupo ter “um ano excecional”.

Das vendas ao marketing, Mário Ferreira enumera os principais aspetos da gestão que impulsionaram os bons resultados. Das campanhas direcionadas para as famílias, ao aumento do peso das vendas diretas e à restruturação de unidades na época de verão, vários foram os aspetos que contribuíram para o sucesso.

Destaque nesta edição para os novos projetos da StayUpon Hospitality Group. A marca do grupo Libertas tem em andamento a construção do Hotel Mundet no Seixal, a reconversão do Al Foz, em Alcochete, e está de olho em Palmela. Em Lisboa vai apostar num projeto disruptivo que abre portas já em 2022.

E porque o final do ano é sempre a altura de balanços, Elmar Derkitsch, diretor-geral do Lisbon Marriott Hotel passa os olhos por 2021 e deixa em cima da mesa as apostas para 2022. O responsável acredita que o próximo ano trará melhores números ao setor mas relembra que são precisos apoios até ao verão para enfrentar a época baixa.

E já com os olhos no futuro, apresentamos ainda um ‘Especial 2022’. Associações e hoteleiros partilham os seus desejos e perspetivas para o ano que se avizinha.

A última ‘Inspeção’ do ano é dedicada ao novo Hilton Porto Gaia e o Dossier reúne as últimas novidades dos fornecedores para Cozinhas.

* Para ler a versão completa desta edição da Hotelaria – em papel ou digital – subscreva ou encomende aqui. Contacto: Carmo David | [email protected] | 215 825 430

Sobre o autorPublituris

Publituris

Mais artigos
Destinos

Gigante de viagens chinesa quer levar turistas de ‘alta gama’ para Portugal

Uma das maiores agências de viagens do mundo – Trip.com Group – pretende trazer turistas chineses a Portugal. Nesse sentido, foi lançada, recentemente, uma campanha conjunta com Turismo de Portugal com foco nos ‘millennials’ e ‘genZ’ chineses.

Publituris

A diretora executiva da Trip.com Group, uma das maiores agências de viagens do mundo, afirmou, recentemente, que, assim que a pandemia estabilizar, pretende enviar ‘clientes de alta gama’ para Portugal e que tenciona investir no país.

“Estamos muito avançados na preparação da recuperação [da pandemia] para enviar clientes para a Europa e Portugal” disse Jane Jie Sun, em entrevista à Lusa à margem de um evento realizado em Macau.

A responsável do grupo proprietário de empresas de viagens online como a Skyscanner, Trip.com, MakeMyTrip, Qunar, Ctrip.com, entre outras, explicou ainda que “a maioria dos países europeus quer muito atrair turistas chineses porque o poder de compra é muito forte”.

Apesar de toda esta confiança, existe um entrave que está a atrasar a chegada de visitantes chineses à Europa: as quarentenas no regresso a ‘casa’.

A China permanece praticamente isolada na política de casos zero covid-19 e impõe fortes restrições fronteiriças e elevadas quarentenas a quem queira regressar ao país.

Ainda assim, Jane Jie Sun mostrou-se relativamente confiante de que esta situação poderá ser alterada em 2022, mas que “tudo depende do controlo do vírus”.

“Se conseguirmos [A China] chegar ou ultrapassar 85% ou 90% [de vacinados], se a terceira dose for eficaz e se a taxa de mortalidade estiver sob controlo, há possibilidades”, frisou.

Até lá, garantiu, a empresa tem uma equipa de pesquisa a explorar locais e ‘resorts’ para a chegada de clientes da China.

“A Europa tem muitas boutiques hotéis e resorts lindos e nós queremos garantir que todos estes hotéis e resorts estejam disponíveis aos nossos clientes na China”, sublinhou.

Em Portugal essa pesquisa também está a ser feita e quando questionada sobre se o grupo estava a pensar investir em Portugal, a resposta foi pronta: ‘Claro’.

A prova deste compromisso por parte do grupo com Portugal ficou patente com o lançamento, este mês, de uma campanha conjunta com Turismo de Portugal.

Em resposta à Lusa, o Turismo de Portugal explicou que a campanha “vocacionada inteiramente para o segmento digital, em particular para os dispositivos móveis” tem como foco “essencialmente para ‘millennials’ e ‘genZ’ chineses e, geograficamente, privilegiando as principais cidades chinesas emissoras de turistas, nomeadamente Pequim, Xangai, Cantão, Chengdu, Chongqing, entre outras”.

O objetivo, detalhou o Turismo de Portugal, passa por “manter Portugal como ‘top of mind’ dos consumidores chineses para quando as viagens forem possíveis novamente”.

Segundo dados oficiais disponibilizados à agência noticiosa, “em 2020, fruto do contexto pandémico, a China foi o 13.º maior mercado externo em hóspedes e o 17.º em dormidas para Portugal, com quotas de, respetivamente, 1,5% e 0,8%”.

“Em relação às receitas turísticas, a China ocupou o 18.º lugar com 57,8 milhões de euros, que representaram 0,7% face ao total e um decréscimo, face a 2019, de 74,3%”, acrescentaram.

[Lusa]

Sobre o autorPublituris

Publituris

Mais artigos
Transportes

LATAM Airlines alarga horário do check-in

Devido às restrições de viagens e à necessária verificação de documentos motivada pela COVID-19, os balcões de check-in da LATAM Airlines passam a abrir cinco horas antes do voo.

Publituris

Os balcões de atendimento de check-in da LATAM Airlines vão passar a abrir cinco horas antes dos voos, informou a companhia aérea, que justifica a decisão com o “nível de restrições da COVID-19 em viagens e verificações de documentação que devem ser feitas no momento do check-in”.

“Estamos agindo para evitar interrupções e precisamos da sua ajuda para garantir que os clientes tenham as informações corretas e a melhor experiência possível, chegando ao aeroporto com tempo suficiente para fazer o check-in e poder voar connosco durantes essas festividades”, explica a companhia aérea.

A LATAM Airlines pede a todos os agentes de viagens que informem os seus clientes sobre o alargamento do horário do check-in, de forma a que possam chegar “ao aeroporto com antecedência”, o que é “fundamental para minimizar o impacto” da verificação de documentos.

Sobre o autorPublituris

Publituris

Mais artigos
Destinos

Marrocos sem data para retomar voos internacionais

As autoridades marroquinas prolongaram a suspensão de voos internacionais no país até 31 de dezembro, mas espera-se que a decisão venha a ser novamente prolongada depois dessa data.

Publituris

Marrocos prolongou a suspensão de voos internacionais até 31 de dezembro, mas espera-se que, depois desta data, a suspensão venha a ser novamente prolongada, avança o jornal espanhol Hosteltur, que lembra que a suspensão de voos internacionais entrou em vigor no país a 29 de novembro, devido à nova variante Ómicron.

De acordo com a informação avançada pelo jornal espanhol e que cita fonte próxima do processo, a suspensão de voos internacionais “vai prolongar-se até uma data posterior”, ou seja, deverá manter-se mesmo depois de 31 de dezembro.

O Hoteltur cita também a MAP, a agência de notícias marroquina, que diz que a suspensão devia ter durado duas semana, a contar desde 29 de novembro, mas foi prolongada devido “à rápida propagação da nova variante do vírus COVID-19, Ómicron, especialmente na Europa e África”.

“Esta suspensão faz parte das medidas tomadas para preservar as conquistas de Marrocos na gestão da pandemia COVID-19 e para proteger a saúde dos seus cidadãos”, acrescenta a mesma fonte.

O prolongamento da suspensão de voos internacionais também já foi confirmada pela Royal Air Maroc, a companhia aérea de bandeira marroquina, que adianta que está a seguir “a informação comunicada pela Direção Geral de Aviação Civil de Marrocos” e que os seus voos internacionais para e desde Marrocos ficam cancelados até às 23h59 de 31 de dezembro.

A decisão das autoridades marroquinas está, no entanto, a ser fortemente criticada pelo setor turístico do país, que diz ter ficado “em estado de choque” com o encerramento das fronteiras aéreas, principalmente porque o setor ainda não conseguiu recuperar da queda provocada pelas primeiras vagas da pandemia e teme agora perder também a época do Natal e Fim de Ano.

Sobre o autorPublituris

Publituris

Mais artigos
Meeting Industry

BTL 2022: Forte adesão por parte dos expositores na 1ª fase de atribuição dos espaços

A organização da BTL – Bolsa de Turismo de Lisboa, cuja edição de 2022 terá lugar de16 a 20 de março, na FIL, confirma uma forte adesão por parte dos expositores durante a primeira fase de atribuição dos espaços.

Publituris

A organização da BTL – Bolsa de Turismo de Lisboa confirma que, para a 32ª edição da Feira, houve uma forte adesão por parte dos expositores durante a primeira fase de atribuição dos espaços.

A gestora da Feira, Dália Palma, refere que “é com enorme otimismo que terminamos a primeira fase das adjudicações de espaço para a BTL 2022, onde se verificou um muito forte compromisso do sector com o evento”.

Mais de 90% dos expositores das áreas da hotelaria, dos equipamento e serviços, da animação turística, da distribuição (agências de viagens e tour operadores) e das companhias aéreas que estavam inscritos na BTL 2020 (as edições de 2020 e 2021 foram adiadas devido à pandemia) já confirmaram a sua presença na edição do próximo ano, que decorre na FIL de 16 a 20 de março. Fato que, para Dália Palma, é um resultado demonstrativo, quer da resiliência do setor, quer do reconhecimento da BTL como a maior montra de oferta turística que se realiza em Portugal, em particular o trade e para os agentes focados no público, nomeadamente a venda direta”.

A BTL 2022 vai ocupar os quatro pavilhões da FIL – Parque das Nações, contando com a presença de uma grande variedade de empresas ligadas à restauração e hotelaria, operadores e distribuidores turísticos, agências de viagens, bem como as entidades nacionais de promoção de turismo, associações e municípios.

Sobre o autorPublituris

Publituris

Mais artigos
Transportes

Qatar Airways inaugura rota para Odesa

Nova rota da companhia aérea do Qatar, a segunda para a Ucrânia, conta com três voos por semana.

Publituris

A Qatar Airways inaugurou na passada quinta-feira, 9 de dezembro, uma nova rota entre Doha, capital do Qatar, e Odesa, na Ucrânia, disponibilizando três por semana entre as duas cidades.

Com a rota para Odesa, a Qatar Airways passa a contar com duas rotas para a Ucrânia, sendo os voos para Odesa operados em aviões A320, com 12 lugares em classe executiva e 120 em económica.

“O arranque do serviço para Odesa assinala a crescente ligação entre o estado do Qatar e a Ucrânia. Odesa é popular tanto para negócios como para lazer”, afirma Akbar Al Baker, CEO da Qatar Airways, citado num comunicado enviado à imprensa.

A chegada do primeiro voo da Qatar Airways foi assinalada com uma cerimónia no Aeroporto Internacional de Odesa, que contou com a participação de vários representantes da companhia aérea e das autoridades locais, que destacaram a importância dos voos da Qatar Airways.

“Estamos muito contentes por receber a Qatar Airways em Odesa e estamos confiantes que esta será uma cooperação de longo termo e com benefícios mútuos”, considerou Volodymyr Semenchenko, diretor geral do Aeroporto Internacional de Odesa.

Sobre o autorPublituris

Publituris

Mais artigos
Alojamento

Meu Hotel Porto Gandra abre em Paredes

O Meu Hotel Porto Gandra acaba de abrir portas em soft opening em Paredes, perto da Cidade Invicta, num investimento que ronda os dois milhões de euros.

Publituris

Paredes aumenta a sua oferta hoteleira com a abertura do Meu Hotel Porto Gandra. A nova unidade abriu as portas em regime de soft opening no passado dia 08 e irá manter esta modalidade até ao final do ano.

O Meu Hotel Porto Gandra representa um investimento de cerca de 2 milhões de euros e a criação de 10 postos de trabalho diretos. A unidade hoteleira prevê faturar cerca de 500 mil euros em 2022.

Localizada na cidade de Gandra, Paredes, próximo do Porto, a nova unidade hoteleira, que oferece 50 quartos, é o primeiro da marca “Meu Hotel” lançado pelo Grupo S. Pintos – Engenharia e Construção, que detém diversas empresas do sector da construção e imobiliário.

O CEO da S. Pintos e administrador do Meu Hotel Porto Gandra, Vasco Pinto, considera que “o investimento em hotelaria diversifica as áreas de negócio do grupo e apesar da atual oscilação do mercado turístico devido à pandemia, Paredes necessitava de mais oferta hoteleira, com a proximidade à cidade do Porto e as boas acessibilidades”.

A decoração de interiores do Meu Hotel Porto Gandra é da responsabilidade de Bárbara Neto da Lemon Variance e foi pensado para proporcionar conforto num ambiente alegre e descontraído, com um design que incorpora elementos de natureza para conjugar em harmonia a cidade e o campo.

Os 50 quartos (Duplo Superior, Twin Superior, Premium Duplo, Triplo, Triplo, Standard Twin e para Mobilidade Reduzida) estão equipados com ar condicionado, TV cabo, telefone direto, tomadas USB, cofre, fechadura eletrónica de segurança, WI-FI gratuito, casa de banho privativa, secador de cabelo, espelho, produtos de higiene pessoal gratuitos. Alguns quartos dispõem de varanda.

O Meu Hotel Porto Gandra apresenta, ainda, um espaço fitness com equipamentos de cardio, indoor cycling, musculação, entre outros aparelhos e ecrãs LCD. Está também equipada com sala de reuniões e eventos, bar e restaurante com sala para o pequeno-almoço, parque de estacionamento gratuito e vai disponibilizar ainda três lugares de carregamento para veículos elétricos.

Sobre o autorPublituris

Publituris

Mais artigos

Toda a informação sobre o sector do turismo, à distância de um clique.

Assine agora a newsletter e receba diariamente as principais notícias do Turismo. É gratuito e não demora mais do que 15 segundos.

Navegue

Sobre nós

Grupo Workmedia

Mantenha-se conectado

©2021 PUBLITURIS. Todos os direitos reservados.