Assine já
Aviação

Tráfego aéreo global cresce 4,5%

Apesar do comportamento positivo em Maio, o crescimento da procura está a desacelerar devido à conjuntura económica.

Patricia Afonso
Aviação

Tráfego aéreo global cresce 4,5%

Apesar do comportamento positivo em Maio, o crescimento da procura está a desacelerar devido à conjuntura económica.

Patricia Afonso
Sobre o autor
Patricia Afonso
Artigos relacionados
IATA: Maio trouxe melhorias mas tráfego continua “muito abaixo” dos níveis pré-pandemia
Homepage
IATA: Julho trouxe aumento de tráfego mas procura continua muito abaixo dos níveis pré-pandemia
Homepage
IATA: Procura internacional cai 88,3% em novembro e afunda ainda mais transporte aéreo
Homepage
Impacto da pandemia leva tráfego aéreo a cair para níveis de 1998
Homepage

O tráfego aéreo global no mês de Maio aumentou 4,5%, face ao mesmo mês do ano passado. Porém, de acordo com a IATA, a tendência de crescimento está a desacelerar, em linha com a “degradação das condições económicas globais.”

No mês em análise, apesar do crescimento da procura face a 2011, o mesmo

índice permaneceu “virtualmente estagnado” em comparação com o mês anterior. Segundo os números divulgados esta segunda-feira pela IATA, a capacidade colocada no mercado cresceu 4%, enquanto a taxa de ocupação média se fixou nos 77,6%, “abaixo dos níveis históricos registados em Abril.”

“A indústria da aviação está frágil. O alívio no preço do petróleo é uma boa notícias, mas, infelizmente, a calmaria nos mercados do petróleo surge paralelamente aos receios de uma deterioração da economia europeia”, afirmou Tony Tyler, presidente e CEO da associação internacional de transporte aéreo, acrescentando: “A confiança dos consumidores e empresas está a cair. Estamos a ver os primeiros sinais daquilo que é uma desaceleração na procura.”

Ainda segundo o responsável, “isto não augura nada de bom para a rentabilidade da indústria. É esperado que as companhias aéreas tenham um lucro de 2,4 mil milhões de euros este ano, com 498 mil milhões em receita. Isto traduz-se numa margem muito pequena de 0,5%.”

Sobre o autorPatricia Afonso

Patricia Afonso

Mais artigos
Artigos relacionados
Distribuição

Agências perderam 5 a 10 anos de resultados com a pandemia

Depois do anúncio do local do 47.º Congresso da APAVT, o presidente da Associação Portuguesa das Agências de Viagens e Turismo, Pedro Costa Ferreira confidenciou aos jornalistas que 2022 será um “bom ano”.

Segundo contas feitas por alto, as agências de viagens, em Portugal, terão perdido, com a pandemia, entre 5 a 10 anos de resultados, afirmou Pedro Costa Ferreira, presidente da Associação Portuguesa das Agências de Viagens e Turismo (APAVT), num encontro com jornalistas, em Ponta Delgada, depois de ter anunciado a cidade açoriana como próximo local do congresso (47.º) da associação.

Considerando que o “grande problema” continuam a ser os balanços e os desafios que enfrentam ao nível da tesouraria, o presidente da APAVT deixou claro que existe uma grande possibilidade de “o verão de 2022 vir a ser melhor do que o de 2023”, já que as poupanças das pessoas terão impacto neste ano, enquanto para o próximo ano já entram em equação fatores como a “inflação, redução do rendimento disponível”, além de uma previsível continuação na subida das taxas de juro.

“Se chegarmos aos números de 2019 seria extraordinário, tendo em vista que os primeiros três meses do ano foram menos positivos”, admitiu o presidente da APAVT, vincando que “a vontade de viajar ultrapassou todas as restrições”, e, por isso, as agências de viagens conseguiram “aumentar quota” pela confiança e apoio que deram aos seus clientes ao longo destes dois anos de pandemia.

Contudo, Pedro Costa Ferreira deixou bem claras as dificuldades vividas no turismo nacional, principalmente no que diz respeito à realidade vivida no Aeroporto Humberto Delgado, em Lisboa, esperando, por parte dos políticos, “um diálogo adulto”, frisando que a questão do aeroporto “não é uma questão de partidos, mas de políticos”.

Por isso, “ao estarmos a perder milhões de euros por dia”, o presidente da APAVT destacou que “as obras na Portela são uma prioridade”, não esclarecendo qual das opções recentemente apresentadas prefere.

Sobre o autorVictor Jorge

Victor Jorge

Mais artigos
Turismo

“Agenda Acelerar e Transformar o Turismo” selecionada pelo PRR e prevê investimento de 151M€

A “Agenda Acelerar e Transformar o Turismo” foi um dos 51 projetos selecionados no âmbito das Agendas Mobilizadoras para a inovação empresarial do Plano de Recuperação e Resiliência (PRR). Prevê um Investimento de 151 milhões de euros em projetos de inovação, digitalização e da transição climática,

Promovida por um consórcio empresarial e académico, de 44 entidades, dinamizado conjuntamente pela Confederação do Turismo de Portugal (CTP), pelo Turismo de Portugal e pelo NEST – Centro de Inovação do Turismo, a “Agenda Acelerar e Transformar o Turismo” prevê um Investimento de 151 milhões de euros num conjunto de projetos de inovação transformadores com particular destaque no plano da digitalização e da transição climática.

Apresenta-se, segundo nota de imprensa, como um projeto cujo impacto no Plano da Inovação e Transição climática no Turismo nacional “é essencial para o cumprimento das metas do Plano Reativar o Turismo e para que a atividade turística possa enfrentar os desafios do atual contexto altamente competitivo no pós pandemia”.

Pretende-se, com a ‘Agenda Acelerar e Transformar o Turismo’, contribuir para a alteração do perfil de especialização na área do Turismo e na economia portuguesa em geral; dotar as empresas de maior capacidade tecnológica e de inovação, permitindo também uma requalificação e especialização dos recursos humanos e a redução das emissões de CO2, tendo em conta a transição climática necessária.

Os investimentos desta Agenda, conforme adianta a mesma fonte, festão ocados no turista, “para dar resposta ao quadro competitivo entre destinos turísticos, o que implica um novo padrão de oferta em toda a jornada do turista, para chegar a um patamar mais exímio na eficiência e na proposta de valor adequada para os novos padrões de consumo e de sustentabilidade”.

“A CTP agradece a todos os intervenientes no consórcio a disponibilidade para participar e investir, provando que o Turismo tem capacidade para inovar e liderar também no plano da transição climática, da digitalização e da inovação, confirmando mais uma vez o seu papel de motor do crescimento da economia e do emprego“, afirma Francisco Calheiros, que acredita que “com o reforço dos apoios públicos anunciados de 930 milhões de euros para 3.000 milhões de euros estão criadas as condições para dar resposta aos projetos de investimento apresentados pelo Turismo”.

A definição da “Agenda Acelerar e Transformar o Turismo” iniciada em junho de 2021. Vai agora desenrolar-se um processo de negociação e contratação de cujo sucesso no plano dos apoios dependerá a concretização desta Agenda.

Por inerência dos projetos da Agenda do Turismo, o tecido empresarial terá aumentos da produtividade e competitividade através da inovação e introdução de tecnologia nas operações, com a consequente qualificação dos recursos humanos e pelo aumento da geração de valor através do conhecimento do turista, da eficiência energética e do uso de recursos com práticas sustentáveis.

Sobre o autorPublituris

Publituris

Mais artigos
Alojamento

Anantara Royal Vila Viçosa Resort abre portas em 2024

Com a abertura do Anantara Royal Vila Viçosa Resort, em 2024, a marca passa a contar com duas unidades hoteleiras de luxo em Portugal.

O projeto, que se enquadra no âmbito da expansão estratégica da cadeia hoteleira por toda a Europa, resulta de uma parceria estratégica com o grupo português Investaureum, com o objetivo de transformar um antigo mosteiro em Vila Viçosa, edifício icónico do século XV, num hotel de cinco estrelas.

Localizado no centro de Vila Viçosa, conhecida como a “Princesa do Alentejo”, este novo resort será constituído por 50 quartos, 10 suites, 16 residências, uma piscina exterior e interior, três restaurantes, incluindo uma área reservada a jantares, um bar e uma adega. O Anantara Spa, uma sala de fitness e três salas de conferência também farão parte das comodidades do resort.

O design de interiores é liderado pelo estúdio de arquitetura, urbanismo e design, Broadway Malyan, com o objetivo de manter e respeitar a história do edifício e o património de Vila Viçosa. O Anantara Royal Vila Viçosa vai ser distribuído por três pisos e o seu design procurará destacar as caraterísticas dos espaços originais do antigo convento.

A marca estreou-se na Europa em 2017 com o lançamento do Anantara Vilamoura Algarve Resort, seguido de um retiro de luxo em Marbella, o Anantara Villa Padierna Palace Resort. A marca tem prosseguido a sua expansão na Europa, e tem novas aberturas previstas até ao final de 2022.

Sobre o autorPublituris

Publituris

Mais artigos
Distribuição

47.º Congresso da APAVT será realizado em Ponta Delgada

Depois de revelada a data do próximo congresso da Associação Portuguesa das Agências de Viagens e Turismo (APAVT), faltava o local. Ponta Delgada, na ilha de São Miguel, foi o local escolhido para receber a 47.ª edição do congresso da APAVT.

Pela quinta vez, depois de 1995, 2006, 2013 e 2018, o arquipélago dos Açores vai receber o congresso da Associação Portuguesa das Agências de Viagens e Turismo (APAVT), entre os dias 8 e 11 de dezembro, no que será a 47.ª edição do evento.

O local escolhido foi a cidade de Ponta Delgada, na ilha de São Miguel, anúncio oficial feito esta segunda-feira, 4 de julho, pelos presidentes da APAVT e do Governo Regional dos Açores, Pedro Costa Ferreira e José Manuel Bolieiro, respetivamente, em cerimónia que contou também com a presença da secretária de Estado do Turismo, Comércio e Serviços (SETCS), Rita Marques, da secretaria Regional do Turismo, Mobilidade e Infraestrutura, Berta Cabral, da diretora Regional do Turismo, Rosa Costa, e do vice-presidente do Turismo de Portugal, Filipe Silva.

Na cerimónia, realizada no Palácio da Conceição, em Ponta Delgada, Pedro Costa Ferreira frisou que pretende que este seja mais do que o congresso das agências de viagens e ser “o congresso do turismo português”, salientando que é neste certame que se pretende fazer uma “reflexão do que tem acontecido” e onde serão traçadas as “bases do caminho” que falta percorrer.

“Não podíamos estar em melhor local para fazermos a reflexão sobre o futuro do turismo nacional”, considerou ainda o presidente da APAVT, destacando que para a escolha do local terá contribuído o facto de os Açores serem um destino “alicerçado” em “três grandes pilares” – “natureza, autenticidade e a sustentabilidade” -, observando que, mais do que ideias feitas, são “realidades” e “instrumentos de política” que servem de “base de crescimento coerente e sustentável”.

Num evento que na última edição juntou mais de 700 pessoas, Pedro Costa Ferreira lembrou que se trata de um congresso “organizado por agentes de viagens”, mas que é “o congresso do turismo português”.

Destacada foi, igualmente, a data do evento, realçando tanto o presidente da APAVT como o presidente do Governo Regional doa Açores, José Bolieiro, a importância de o congresso “combater a sazonalidade” por decorrer num período de “época baixa”.

De resto, José Bolieiro deixou bem claro que os Açores “não apostam num turismo em massa” e que estará para breve a apresentação de “um plano estratégico para o turismo regional, que dará resposta aos “passos consistentes” que os Açores têm vindo a dar, num “pensamento moderno” que, segundo o mesmo, “é considerado já um exemplo pela prática”, destacando o presidente do Governo Regional as preocupações com a sustentabilidade e natureza.

Bolieiro frisou que os Açores “não procuram o crescimento económico sem ter o enquadramento da sustentabilidade bem vincado”, concluindo que “apresentamos um rumo para o nosso desenvolvimento”.

Sobre o autorVictor Jorge

Victor Jorge

Mais artigos
Destinos

IPDAL promove XIII Fórum do Turismo “Portugal-América Latina

Promovido pelo IPDAL, o XIII Fórum do Turismo “Portugal-América Latina” vai ter lugar no próximo dia 07 de julho, quinta-feira, no Lux Lisboa Park Hotel.

Trata-se da iniciativa empresarial mais antiga do Instituto para a Promoção da América Latina e Caraíbas (IPDAL) onde se reúnem anualmente os principais atores do turismo português e latino-americano.

Realizados desde 2009, estes fóruns do Turismo constituem, segundo a organização, “a principal plataforma multi stakeholder e de alto nível em Portugal, dedicada a promover os intercâmbios turísticos com uma das regiões mais dinâmicas do mundo no setor, de maneira direcionada aos principais atores e decisores portugueses”.

O IPDAL indica ainda que, tratando-se de uma iniciativa de proximidade e alto nível, onde o acesso é exclusivo a convidados, e sendo direcionada apenas aos mais influentes representantes do turismo português e latino-americano, o fórum contará com cerca de 50 convidados.

Alguns dos oradores desta edição são a secretária de Estado do Turismo, Comércio e Serviços, Rita Marques, o vice-ministro do Turismo da Colômbia, Ricardo Galindo Bueno, o presidente do Turismo de Portugal, Luís Araújo e a presidente da Pro Colombia, Flavia Santoro.

Os objetivos do Fórum são promover o incoming e o outgoing de turistas entre Portugal e América Latina, juntando os embaixadores da região com os principais players portugueses do setor.

Sobre o autorPublituris

Publituris

Mais artigos
Alojamento

AHP quer solução “urgente” para o aeroporto e diz que polémica recente “é muito má para o país”

O presidente da AHP, Bernardo Trindade, considera que “a situação recentemente criada é muito má para o país”, pois arrasta a questão do aeroporto, que tem levado à “perda de oportunidades devido à incapacidade de resposta”, com consequências negativas para o turismo e economia.

O presidente da Associação da Hotelaria de Portugal (AHP), Bernardo Trindade, veio esta segunda-feira, 4 de julho, lamentar a polémica em torno do aeroporto de Lisboa, considerando que “a situação recentemente criada é muito má para o país”, já que arrasta a questão do aeroporto, cujo esgotamento tem levado à “perda de oportunidades devido à incapacidade de resposta”, com consequências negativas para o turismo e para a economia.

“A solução para o Aeroporto de Lisboa é, há muito, urgente, urgentíssima no curto prazo”, começa por considerar o presidente da AHP, que lamenta as oportunidades perdidas e o seu consequente efeito “prejudicial para o setor do Turismo, mas também para a economia do país”.

Bernardo Trindade considera que “Portugal não se pode dar ao luxo de rejeitar clientes por falta de soluções de mobilidade”, pelo que, defende o responsável, “uma decisão imediata, seja ela qual for, é estrutural”, principalmente numa altura em que o país ainda está a recuperar da pandemia e se vivem momento de instabilidade geopolítica.

“Esta indefinição traz, para já, problemas no imediato, mas também a médio e longo prazo que têm de ser resolvidos. Todas as soluções agora encontradas só trarão benefícios para Portugal daqui a uns anos”, considera o presidente da AHP, que defende também a necessidade de realização de “obras no Aeroporto Humberto Delgado que permitam aumentar o número de lugares de estacionamento, melhorar a circulação em terra com aumento do número de movimentos, tudo articulado com uma mais eficaz monitorização do espaço aéreo”.

Apesar do ruído político, Bernardo Trindade considera que as declarações dos responsáveis políticos mostram que “há vontade em definitivamente tomar decisões”, até porque o recém-eleito líder do maior partido da oposição, o Partido Social-Democrata (PSD), reconheceu que “o país e Lisboa precisam de reforçar a capacidade aeroportuária e suprir insuficiências que existem e prejudicam o interesse nacional”.

“Espero que assim seja e, sobretudo, que, além de tomadas, as mesmas sejam rapidamente executadas”, acrescenta o presidente da AHP, que apela ainda ao Governo e aos demais intervenientes para que, “apesar deste retrocesso, não se perca o foco e se trabalhe de forma célere para encontrar uma solução aeroportuária definitiva”.

Sobre o autorPublituris

Publituris

Mais artigos
Alojamento

chic & basic Gravity hotel celebra 1.º aniversário com oferta de estadias e muitos outros prémios

Além das estadias, neste primeiro aniversário, o chic & basic Gravity hotel vai também oferecer refeições no Restaurante Valentina’s, cocktails no bar do hotel e vales de desconto.

O chic & basic Gravity hotel, no Porto, está a comemorar o seu 1.º aniversário e, para assinalar a efeméride, está a oferecer estadias e muitos outros prémios aos hóspedes que, até 15 de julho, fiquem alojados na unidade hoteleira.

Além das estadias na unidade hoteleira, neste primeiro aniversário, o chic & basic Gravity hotel vai também oferecer refeições no Restaurante Valentina’s, cocktails no bar do hotel e vales de desconto.

“Queremos marcar esta data a parabenizar quem nos tem como hotel de eleição. Felizmente temos muitos hóspedes repetentes, mas na sua maioria são turistas que estão de visita à cidade do Porto. Com esta ação estamos, também, a mostrar a essência das gentes da terra, que gostam de receber bem”, justifica o diretor da unidade, Jorge Oliveira.

Para ganhar uma destas ofertas, os hóspedes do chic & basic Gravity hotel apenas necessitam de girar a tombola que se encontra na receção da unidade hoteleira e ter a sorte de lhe sair um dos muitos prémios em jogo, “sendo que é sempre garantido prémio”, segundo o comunicado divulgado.

O chic & basic Gravity hotel conta com 70 quartos e abriu portas em julho de 2021, apresentando um conceito diferenciador, já que se apresenta como um hotel que testa as leias da gravidade, “desde logo por ter uma piscina invertida, sapatilhas coladas no teto, vasos de plantas virados ao contrário ou letras que pairam no ar”.

A experiência começa logo na entrada do hotel, já que para entrarem no chic & basic Gravity hotel os hóspedes têm de passar por um cubo de espelhos que reproduz o seu reflexo ao infinito, enquanto no lobby “as letras parecem suspensas, as plantas estão invertidas no teto, o papel de parede está virado de cima para baixo e ainda existe um grande quadro negro de 11 metros repleto de fórmulas invertidas”.

No entanto, a grande atração “encontra-se no pátio interior e trata-se de uma piscina inversa” que, na realidade, é “uma escultura de arte contemporânea transitável do artista Luis Vidal, que consiste num jardim com uma piscina ao centro, dobrada ao meio, que faz com que tanto a relva do terreno como as plantas, mesas, cadeiras e a própria piscina, subam numa das paredes do playgroung”.

Sobre o autorPublituris

Publituris

Mais artigos
Transportes

Swiss aumenta frequências do Porto para Zurique e Genebra até 14 voos adicionais por semana

A Swiss adicionou um voo ‘early bird’ à operação para Zurique e uma ligação noturna para Genebra, passando a disponibilizar até 14 voos adicionais por semana para a Suíça à partida do Porto.

A Swiss vai aumentar para até 14 voos adicionais por semana o número de ligações aéreas do Porto para Zurique e Genebra, na Suíça, num aumento de oferta que chega aos 10 voos por semana para Zurique e que entrou em vigor sexta-feira, 1 de julho, enquanto Genebra conta com mais quatro voos por semana.

“A Swiss International Air Lines (SWISS) está a expandir os seus serviços para os passageiros portugueses tanto para voos de negócios como de lazer à partida do Porto no verão de 2022, com dez frequências semanais adicionais para Zurique e mais quatro voos semanais para Genebra”, destaca a companhia aérea helvética, que pertence ao Grupo Lufthansa, em comunicado.

No caso de Zurique, explica a Swiss, além do voo matinal que já existia e dos voos que decorrem a meio do dia, assim como à noite, passa a existir mais um voo ‘early bird’, que tem lugar quatro vezes por semana e que arrancou na passada sexta-feira, 1 de julho.

Esta nova ligação ‘early bird’ parte do Porto pelas 03h05 e chega à cidade suíça de Zurique pelas 06h30, horário que, segundo a companhia aérea, é ideal para os passageiros que têm voos de ligação através do hub da companhia aérea.

Além do aumento de oferta entre o Porto e Zurique, a Swiss está também a reforçar a operação entre a cidade Invicta e Genebra, destino que, além do voo diário ao meio-dia, passou também a contar, a partir de 17 de junho, com um voo noturno adicional.

“A Swiss tem estado presente no mercado português com voos do Porto e Lisboa desde a sua fundação há 20 anos”, destaca Thomas Ahlers, diretor-geral de Vendas do Lufthansa Group para Portugal, revelando que a companhia aérea está “a oferecer 70% mais voos a partir do Porto do que em 2019, antes da pandemia, até seis frequências diárias”.

“No total, a Swiss está a operar um número recorde de nove voos diários das cinco cidades portuguesas de Lisboa, Porto, Faro, Funchal e Ponta Delgada para a Suíça no horário de verão, o que sublinha o importante significado do mercado português para a Suíça”, acrescenta o responsável.

O aumento de oferta da Swiss no Porto coincide com o 20.º aniversário da companhia aérea, motivo pelo qual a Swiss está a oferecer tarifas mais baixas para ligações de ida e volta, cujos preços começam agora nos 99 euros, valor que já inclui taxas.

No âmbito do aniversário, a companhia aérea está ainda a oferecer um vale de 20 euros para o próximo voo da Swiss a partir de Portugal. Para obterem o código promocional, os interessados devem visitar o site swiss.com e, até ao final de julho, realizar uma reserva para uma viagem que tenha lugar até 31 de dezembro.

Sobre o autorPublituris

Publituris

Mais artigos

MSC Cruzeiros adiciona o MSC BELLISSIMA ao seu programa de verão no mediterrâneo em 2022

Para ir ao encontro da crescente procura por parte dos consumidores por férias com a MSC CRUZEIROS

Para que os portugueses saibam o custo exato das suas férias está disponível um pacote de 7 noites com voo e tudo incluído com embarque e desembarque em Valência. Com o MSC Bellissima no Mediterrâneo, a Companhia vai oferecer um recorde de 15 navios no Mediterrâneo. Não perca a oportunidade de viajar com a MSC Cruzeiros este Verão!

O MSC Bellissima vai navegar no Mediterrâneo neste verão para ir ao encontro da grande procura dos consumidores pelas férias de cruzeiro. Desde 849€ com a Promoção Tudo Incluído com voos, a que acresce a Taxa de Serviço de Hotel, poderá navegar pelo Mediterrâneo com a MSC Cruzeiros durante 8 dias com partidas de Valência.

A partir de 9 de julho, o MSC Bellissima oferecerá 16 cruzeiros de 7 noites com partida de Valência e Barcelona /Tarragona, Espanha, e dos portos italianos de Génova, Livorno e Nápoles. Chegará ao navio da forma mais fácil para dar início às suas férias de sonho. Explore a encantadora cidade de Portofino, admire as belezas renascentistas de  Florença, desfrute dos aromas e sons de  Nápoles e  Capri, mergulhe na vibrante  Valência, descubra a energia de  Madrid e desguste os sabores de  Barcelona ou  Tarragona.  

 A MSC Cruzeiros terá toda a sua frota de 19 navios a navegar durante o verão de 2022. Nas mais de 500 partidas que a Companhia tem para oferecer durante esta estação, cada passageiro tem a possibilidade de ter bebidas incluídas em todos os itinerários.  

Neste verão e no outono, a MSC Cruzeiros terá um recorde de 15 navios destacados no Mediterrâneo Oriental e Ocidentalo maior número de navios que a Companhia já teve na região. [Itinerários no Mediterrâneo]

www.msccruzeiros.pt

Siga-nos no Facebook em /msccruzeirosportugal.

 

Sobre a MSC Cruzeiros 

 A MSC Cruzeiros, marca contemporânea da Cruises Division do MSC Group, é a terceira maior marca de cruzeiros do mundo, bem como líder na Europa, incluindo Portugal, na América do Sul, na região do Golfo e no Sul de África com mais market share, bem como maior capacidade do que qualquer outra marca nestas regiões. É também a companhia de cruzeiros com maior crescimento no mundo, com forte presença nos mercados das Caraíbas, América do Norte e Extremo Oriente.

A frota dispõe de 19 modernos navios juntamente com um considerável futuro portfólio de investimento global para novos navios e está prevista crescer para 23 navios de cruzeiro até 2025, com opção para seis pedidos de navios actualmente em vigor, até 2030.

A MSC Cruzeiros oferece aos seus hóspedes uma experiência de cruzeiro segura, envolvente e enriquecedora inspirada na tradição europeia da companhia, onde poderá desfrutar de gastronomia internacional, entretenimento de classe mundial, programas familiares premiados e a mais recente tecnologia “user-friendly” a bordo. Para obter mais informações sobre os itinerários e a experiência da marca contemporânea a bordo dos navios, clique aqui..

Enquanto isto, a marca de luxo foi lançada no final de 2021 e deverá começar a operar em 2023 com uma frota com as mais recentes e avançadas tecnologias ambientais e marítimas disponíveis. A primeira delas terá uma arqueação bruta de 63.900 GT e contará com 461 das maiores suítes no mar, todas elas com varandas ou terraços com vista mar. Estes requintados navios introduzirão no segmento de luxo uma amplo leque de novas experiências para os hóspedes, assim como, outras actividades, bem como um amplo rácio de espaços públicos, para além de apresentarem um design altamente inovador.

A prioridade número um da MSC em todas as suas operações sempre foi a saúde, segurança e o bem-estar dos hóspedes e tripulantes, bem como das comunidades nos destinos onde os seus navios operam. Em Agosto de 2020, a MSC Cruzeiros implementou um novo abrangente e robusto protocolo de Saúde, Higiene e Segurança para se tornar na primeira grande companhia de cruzeiros a regressar ao mar. Para saber mais sobre o nosso protocolo de Saúde e Segurança, aceda aqui.

A MSC Cruzeiros está há muito comprometida com a gestão ambiental com o objetivo a longo prazo de atingir emissões zero para as suas operações. A companhia é também um investidor significativo em tecnologias marinhas ambientais navais de próxima geração, com o objetivo de apoiar o desenvolvimento acelerado e disponibilidade para toda a indústria. mais informações sobre os nossos procedimentos de Gestão Ambiental consulte aqui.

Finalmente, para saber mais sobre a MSC Foundation, associação própria do MSC Group para liderar, evidenciar e promover os seus compromissos de preservação, humanitários e culturais, aceda aqui.

 Mais informações em: http://www.mscpressarea.com/pt_PT

Sobre o autorBrand SHARE

Brand SHARE

Mais artigos
Alojamento

The Lince Santa Clara Historic Hotel & Spa recruta Diretor-Geral e Assistente de Direção

O Lince Santa Clara Historic Hotel & Spa é uma nova unidade de cinco estrelas em Vila do Conde, que tem abertura prevista para dezembro de 2022.

O The Lince Santa Clara Historic Hotel & Spa, nova unidade em Vila do Conde, que tem abertura prevista para dezembro de 2022, já abriu o processo de recrutamento para as vagas de Diretor-Geral e Assistente de Direção.

Num comunicado enviado à imprensa, a nova unidade hoteleira da cadeia The Lince Hotels & Resorts, que fica localizada no antigo Convento de Santa Clara, indica que os interessados em apresentar a sua candidatura às vagas de Diretor-Geral e Assistente de Direção devem candidatar-se através do site https://www.thelincehotels.com/recrutamento-tls.

Localizado no topo de uma colina na periferia de Vila do Conde, com excelentes vistas sobre o oceano, o Rio Ave e sobre a própria cidade, o The Lince Santa Clara Historic Hotel & Spa é uma unidade de cinco estrelas, que resulta da requalificação e ampliação do edifício existente e que conta com 89 quartos, incluindo nove suites, uma das quais preparada para hóspedes com mobilidade reduzida.

O hotel vai também disponibilizar biblioteca, livraria, sala de eventos, restauração, piscinas exterior e interior, SPA, além de centro interpretativo dedicado ao património histórico do edifício e adega e prova de vinhos.

“Estas valências, aliadas à riqueza histórica e arquitetónica do edifício, permitem posicionar este produto para o Turismo de Cultura e de Experiências, criando um produto turístico diferenciado, inovador na região e com um posicionamento distintivo”, lê-se num comunicado divulgado esta segunda-feira, 4 de julho.

Sobre o autorPublituris

Publituris

Mais artigos

Navegue

Sobre nós

Grupo Workmedia

Mantenha-se conectado

©2021 PUBLITURIS. Todos os direitos reservados.