Edição digital
Assine já
PUB
AL

AL lança “último apelo nacional” através de campanha publicitária

O setor do Alojamento Local (AL) lançou uma campanha esta semana para “chamar a atenção e sensibilizar a opinião pública para o impacto devastador que as medidas propostas pelas recentes votações do programa Mais Habitação do Governo terão no setor”.

Publituris
AL

AL lança “último apelo nacional” através de campanha publicitária

O setor do Alojamento Local (AL) lançou uma campanha esta semana para “chamar a atenção e sensibilizar a opinião pública para o impacto devastador que as medidas propostas pelas recentes votações do programa Mais Habitação do Governo terão no setor”.

Publituris
Sobre o autor
Publituris
Artigos relacionados
Alvaiázere e Ansião criam projeto “Sicó Outdoor Center” para valorizar Turismo de Natureza
Destinos
Grupo GEA promove famtrip à Turquia e Egito
Agências
SET diz que “vamos ouvir falar muito em breve” do Hotel Turismo da Guarda
Hotelaria
Turismo da ONU cria ferramenta digital de autoavaliação para destinos rurais
Destinos
Portugueses planeiam fazer férias em família, na praia e em regime de tudo incluído, revela a Revolut
Análise
Ryanair aumenta lucros para 1,92 MM€ e transporta 184 milhões de passageiros em 2024
Aviação
Sonhando aposta na Tunísia e leva agentes de viagens a ver a realidade do destino
Distribuição
Iberia integra novos Airbus A321XLR à frota no final do verão
Aviação
Açores: Berta Cabral defende investimento na qualificação dos recursos humanos no turismo
Destinos
TAAG abre loja de atendimento corporativo em Luanda
Transportes

Em comunicado de imprensa, a Associação do Alojamento Local em Portugal (ALEP) explica que a campanha que encabeça inclui outdoors em Lisboa, Porto e Algarve, “em locais de grande visibilidade”, além de spots na Rádio Comercial e TSF.

Com frases como “Derrubar 3.8% do PIB e 40% do Turismo é 100% insano” ou “O Alojamento Local vai acabar e as suas férias em família também”, a campanha a cargo da ALEP “visa enfatizar os riscos das restrições propostas” e surge com a aproximação da votação do diploma na generalidade, agendada para a próxima quarta-feira, 19 de julho na Assembleia da República.

Nesse sentido, o setor do AL “uniu-se para lançar um último apelo nacional”, frisando em comunicado que considera que o diploma terá um “resultado destruidor na vida dos trabalhadores do setor, na economia e no turismo do país”.

Na mesma nota de imprensa, a ALEP recorda que, “de acordo com as conclusões finais do estudo sobre a avaliação do impacto do alojamento local realizado pela Nova SBE, as dormidas em Alojamento Local (AL) ultrapassaram 38 milhões em 2019, representando cerca de 40% do total de dormidas em Portugal”.

Aponta ainda que “os turistas que usaram o alojamento local nas suas visitas a Portugal gastaram mais de oito mil milhões na economia nacional, um valor que representa 3,8% do PIB”.

Leia também: 76% dos novos registos de AL são efetivados fora de Lisboa e do Porto

No mesmo documento, a associação refere que o pacote de propostas para o alojamento local no Mais Habitação “inclui um conjunto de medidas extremamente gravosas como uma taxa adicional (CEAL) abusiva, suspensão de novos registos, caducidade das licenças existentes em 2030, autorização por unanimidade do condomínio para novos AL, possibilidade de cancelamento sem justa causa pela Assembleia de Condóminos e agravamento do IMI” – algo que a ALEP considera que “no seu efeito conjunto colocam em risco não só o futuro do setor, mas os registos existentes e, tendo em conta o peso do AL nas dormidas, o próprio Turismo”.

Leia também: ALEP aponta para “sinais de incoerência” do programa Mais Habitação

Numa última nota, a associação refere que “o crescimento e contributo do turismo para a economia não poderia ter acontecido sem o contributo do alojamento local”, pelo que “apela a todas as partes envolvidas, incluindo o Governo, os partidos políticos e a opinião pública, para que considerem os efeitos nocivos destas medidas propostas e encontrem soluções equilibradas que protejam a economia, o turismo e os direitos dos trabalhadores do setor”.

Sobre o autorPublituris

Publituris

Mais artigos
Artigos relacionados
Alvaiázere e Ansião criam projeto “Sicó Outdoor Center” para valorizar Turismo de Natureza
Destinos
Grupo GEA promove famtrip à Turquia e Egito
Agências
SET diz que “vamos ouvir falar muito em breve” do Hotel Turismo da Guarda
Hotelaria
Turismo da ONU cria ferramenta digital de autoavaliação para destinos rurais
Destinos
Portugueses planeiam fazer férias em família, na praia e em regime de tudo incluído, revela a Revolut
Análise
Ryanair aumenta lucros para 1,92 MM€ e transporta 184 milhões de passageiros em 2024
Aviação
Sonhando aposta na Tunísia e leva agentes de viagens a ver a realidade do destino
Distribuição
Iberia integra novos Airbus A321XLR à frota no final do verão
Aviação
Açores: Berta Cabral defende investimento na qualificação dos recursos humanos no turismo
Destinos
TAAG abre loja de atendimento corporativo em Luanda
Transportes
PUB
Destinos

Alvaiázere e Ansião criam projeto “Sicó Outdoor Center” para valorizar Turismo de Natureza

As câmaras de Alvaiázere e Ansião estão a desenvolver o projeto “Sicó Outdoor Center”, para potenciar os desportos ao ar livre e fazer com que os visitantes fiquem mais dias nos dois concelhos, foi apresentado esta segunda-feira na presença do secretário de Estado do Turismo, Pedro Machado.

O projeto visa impulsionar Sicó como um destino turístico de natureza de excelência ambiental e com uma oferta integrada de atividades outdoor.

Da união de esforços entre Alvaiázere e Ansião surgiu uma candidatura ao Turismo de Portugal, que financia em 90% o projeto, denominado “Sicó Outdoor Center”, apresentado em Pousaflores (Ansião), e superior a 800 mil euros.

A melhoria significativa nos circuitos de caminhada, incluindo os Caminhos da Fé, trail e ciclismo estão entre as ações previstas. No início de 2025 espera-se que sejam feitas as ações de lançamento das várias valências que vão ser melhoradas através deste investimento.

O projeto, conforme foi dito, tem também esta componente, valorizar e dar sustentabilidade ambiental” aos dois concelhos.

Na prática, irão ser criadas duas portas de entrada – estruturas de acolhimento -, uma a norte, que será instalada no Parque Verde do Nabão, em Ansião, e outra a sul, no Parque de Campismo de Alvaiázere, delimitando a zona.

Em Ansião, o Centro de Apoio à Rede de Percursos Pedestres irá ser dotado de tecnologia, o skate park vai ser renovado e será criada uma Pump Track.

Do lado de Alvaiázere, será instalado, no Museu, um simulador de parapente e, na serra, será feita a requalificação física das pistas de parapente, uma de descolagem e duas de aterragem. Será ainda requalificado o troço do Caminho de Santiago que atravessa o concelho.

No intervalo entre as duas portas, os circuitos de BTT, de estrada e trilhos ali existentes serão melhorados, certificados e homologados.

 

Sobre o autorPublituris

Publituris

Mais artigos
Agências

Grupo GEA promove famtrip à Turquia e Egito

O grupo GEA acaba de promover uma famtrip à Turquia e Egito que contou com a presença de oito agências associadas da rede – Click Viagens, Travel & Fun, Capitaltur, André Tours, Flyin, Voo4-620, FR Travel e Travelfeeling. A viagem teve o apoio das Viagens Tempo e Turkish Airlines.

Durante a viagem os agentes de viagens tiveram a oportunidade de visitar diversos destinos num programa repleto de atividades que contou com paragens em Istambul, onde pernoitaram duas noites. Na cidade turca, o grupo teve a oportunidade de conhecer o famoso Bazar Egípcio e embarcar num cruzeiro no Bósforo. Os profissionais visitaram ainda o Bairro de Sultanahmet, onde puderam entender mais sobre a história turca, bem como conhecer a famosa Mesquita Azul e Basílica Santa Sofia.

Já no Egipto, onde permaneceram durante oito noites, os agentes de viagens conheceram a diversidade que o país, com uma cultura e história riquíssima, tem para conhecer. Da capital Cairo, a Assuão, Abu Simbel, Edfu ou Luxor, os viajantes tiveram oportunidade de descobrir alguns dos lugares e momentos egípcios mais conhecidos como os Templos de Abu Simbel, o Templo do Deus Horus, a Necrópole de Tebas com o Vale dos Reis, o Templo de Habu e os Colossos de Mêmnon, entre outros. A viagem terminou em Hurghada onde puderam conhecer uma das mais famosas estâncias balneares egípcias.

Para Paulo Mendes, diretor de contratação e produto, “parte da estratégia comercial da GEA passa por criar ainda maior proximidade entre os agentes de viagens e os destinos que os nossos parceiros MundiGea comercializam”, destacando que “este tipo de experiência não apenas enriquece a sua base de conhecimento, mas também os capacita, de forma exponencial, a oferecer um serviço de consultoria mais eficaz quando combinado com o produto que promovemos”, para concluir que as famtrips exclusivas GEA são, sem dúvida, “um ponto fulcral na nossa estratégia comercial no qual continuaremos a apostar”.

Sobre o autorPublituris

Publituris

Mais artigos
Hotelaria

SET diz que “vamos ouvir falar muito em breve” do Hotel Turismo da Guarda

O secretário de Estado do Turismo, Pedro Machado, declarou que o dossier sobre o futuro do Hotel Turismo da Guarda, devoluto desde 2012 “está na pasta de transição” e garantiu que “é seguramente um dos temas que vamos ouvir falar muito em breve”.

Publituris

Pedro Machado, que fez estas declarações ao jornal “O Interior”, durante a visita à feira medieval de Marialva (Mêda), na sexta-feira, não quis adiantar mais pormenores ou novidades, mas garantiu que “o propósito” dos próximos tempos é “cumprir o que está contratado” entre o Turismo de Portugal e o grupo Pestana.

Conforme recorda aquele órgão de comunicação social, o Hotel Turismo da Guarda, edifício projetado por Vasco Regaleira na década de 30 do século passado, está fechado desde 2012 e dois anos antes tinha sido vendido pela Câmara, então liderada por Joaquim Valente, ao Turismo de Portugal por 3,5 milhões de euros. Em 2017, o imóvel foi um dos primeiros edifícios a integrar o Programa REVIVE, que pretendia salvaguardar e valorizar o património público com valor patrimonial.

Contudo, cinco anos depois, em outubro de 2022, o Hotel Turismo acabou por ser retirado do referido programa por falta de interessados e no mês seguinte surgiu outra solução: a sua inclusão na rede de Pousadas de Portugal. Em janeiro de 2023, o então ministro da Economia, António Costa e Silva, confirmou e anunciou a concessão do edifício à ENATUR – concessionária das Pousadas de Portugal, detida pelo Turismo de Portugal e pelo Grupo Pestana Pousadas. Um ano depois, pouco mais se avançou no processo do edifício emblemático da Guarda.

Entretanto, avança “O Interior”, o presidente da Câmara da Guarda, Sérgio Costa, tem criticado que o edifício “continue no mesmo ponto, ou pior, porque está a degradar-se” e, em janeiro deste ano, acrescentou que “ficámos a saber que o projeto não está feito, que os concursos não estão feitos e não sabemos sequer se a obra iniciará em 2024”, pelo que a abertura do Hotel Turismo da Guarda prevista para 2025 “não deverá acontecer”.

A memória descritiva do Hotel Turismo entregue pela ENATUR prevê transformar a unidade hoteleira num edifício de quatro estrelas, com 77 quartos, a integrar na rede de Pousadas de Portugal, num investimento previsto de 8 milhões de euros.

Sobre o autorPublituris

Publituris

Mais artigos
Destinos

Turismo da ONU cria ferramenta digital de autoavaliação para destinos rurais

O Turismo da ONU acaba de anunciar o lançamento da sua ferramenta pioneira de autoavaliação digital, concebida para promover o desenvolvimento do turismo nas zonas rurais.

Publituris

A Ferramenta de Autoavaliação do Turismo da ONU para Ajudar Destinos Rurais, STAR, permite, de acordo com comunicado do Turismo da ONU, que as autoridades públicas locais em destinos rurais autoavaliem e meçam o seu nível de desenvolvimento turístico. Por outro lado, fornece recomendações personalizadas, comparando diferentes destinos e gerando dados e conhecimentos valiosos para os Estados-Membros melhorarem as políticas de turismo sustentáveis ​​e inclusivas.

De acordo com Zurab Pololikashvili, Secretário-Geral do Turismo da ONU, citado na mesma nota, a STAR “capacita as autoridades locais com uma ferramenta que lhes permite autoavaliar as suas políticas e ações, fornecendo soluções práticas insights que promovem o desenvolvimento do turismo sustentável e contribuem para o crescimento geral das comunidades rurais.”

A ferramenta está disponível para todos os destinos rurais nos Estados Membros do Turismo da ONU. Está aberto às autoridades locais interessadas em medir o seu desenvolvimento turístico e obter um guia de recomendações personalizado para implementar um modelo de turismo sustentável, inclusivo e inteligente para os seus destinos.

Os principais recursos do STAR incluem: Autoavaliação: Os destinos rurais podem autoavaliar as suas políticas e iniciativas através de um conjunto de indicadores que abrangem cinco áreas – Governação do Turismo; Sustentabilidade Económica, Social e Cultural; Sustentabilidade ambiental; Desenvolvimento Turístico; e Infraestrutura. Esta ferramenta de autoavaliação permite que as partes interessadas se concentrem no planeamento estratégico, marketing e promoção, formação e educação, elaboração de políticas, diversificação de produtos e serviços, infraestruturas, preservação ambiental e cultural, colaboração com intervenientes locais, acesso a financiamento, dados ou mensuração de resultados, entre outros aspetos.

Recomendações Personalizadas: A ferramenta fornece aos usuários um guia de recomendações personalizado com recomendações alinhadas aos padrões de Turismo da ONU, considerando as características únicas dos destinos rurais.

Excelência em Benchmarking: Apoiando as autoridades locais na avaliação comparativa de políticas e práticas, a ferramenta facilita a avaliação de destinos em vários componentes.

Dados e informações: Fornecendo uma riqueza de dados aos Estados-Membros, a ferramenta digital permite análises aprofundadas sobre os destinos que fazem a avaliação. Ela esclarece os pontos fortes e fracos dos governos locais nas políticas, estratégias e intervenções do turismo, estabelecendo as bases para melhorias por parte das autoridades locais, regionais e nacionais nas áreas rurais.

Sobre o autorPublituris

Publituris

Mais artigos
Análise

Portugueses planeiam fazer férias em família, na praia e em regime de tudo incluído, revela a Revolut

O “Revolut Travel Report”, que apresenta dados sobre as preferências dos europeus quando se trata das férias, revela que Portugal continua a ser o destino preferido, sendo Espanha o país preferido dos portugueses para férias na Europa, e o Brasil, no que diz respeito a paragens mais longínquas.

Publituris

No caso dos portugueses, os resultados do estudo da Revolut, aplicação financeira global utilizada por mais de 40 milhões de clientes em todo o mundo e mais de 1,2 milhões de clientes em Portugal, revelam que a maioria irá fazer as suas férias de verão entre julho e agosto e que pretendem ficar pelo país. Para viagens fora de portas Espanha e Brasil são os destinos preferidos dentro e fora da Europa, respetivamente.

Os portugueses planeiam fazer férias em família, férias na praia e em regime de tudo incluído. No entanto, ainda que sejamos um povo muito ligado ao desporto, principalmente ao futebol, 1% admite ir de férias para acompanhar algum tipo de evento desportivo, indica a análise.

A aplicação perguntou a mais de 15 mil pessoas em 15 países, incluindo mil em Portugal, sobre os seus planos de viagem para o verão e, tal como os portugueses, os europeus também planeiam ir de férias para a praia (45%) e em família (33%).

A conclusão do estudo mostra que a maioria planeia as suas principais férias durante os meses de agosto (36%) e julho (19%). Setembro, que tem sido visto como o mês predileto para quem quer fugir às enchentes de verão, surge em terceiro lugar no pódio, com 13%. O mês dos arraiais, das sardinhas e das festas de rua é também o preferido de 7,8% dos portugueses inquiridos. Para quem gosta de relaxar com pouca gente à volta, os melhores meses para férias são outubro, que reúne 2,7%, dezembro 2% e novembro 1,4%, enquanto 7% dos inquiridos afirmaram não ter planos para fazer férias em 2024.

A análise dá ainda conta que 56% dos portugueses confirmam que “o que é nacional é bom” continua a ser verdade, uma vez que preferem passar as suas férias grandes no próprio país. No entanto, 2 em cada 10 pessoas inquiridas também afirmaram que optariam por umas férias na Europa. Sem surpresas, Espanha é o país mais escolhido pelos portugueses (10%), seguido de Itália (4,3%) e França (2,9%). Quando se trata de viajar para fora da Europa, 8,2% admitem fazê-lo este ano e o destino preferido é o Brasil (2,2%).

Por outro lado, fazer férias no próprio país é algo a que os europeus estão habituados – e até planeiam fazê-lo este ano. Quase metade dos europeus inquiridos admite ficar no país. Os croatas (72%) e os gregos (70%) são os que mais preferem ficar “em casa”, enquanto os suíços (21%) e os austríacos (25%) são os que menos o fazem.

Quanto aos europeus que preferem sair do país, Itália (5,3%), Grécia (4,4%), Espanha (4,3%), Croácia (2,9%) e França (2,3%) são os destinos preferidos. Para os que querem viajar para fora da Europa, os EUA (0,9%), o Egito (0,8%) e a Tailândia (0,5%) são os preferidos.

Sobre o autorPublituris

Publituris

Mais artigos
Aviação

Ryanair aumenta lucros para 1,92 MM€ e transporta 184 milhões de passageiros em 2024

O exercício de 2024 da Ryanair, terminado em março de 2024, foi marcado por crescimentos em todas as alíneas, desde as receitas aos lucros, passageiros, custos com combustível, etc.. Para 2025, as previsões apontam para os 200 milhões de passageiros, embora dependente das entregas dos aviões da Boeing.

Victor Jorge

A Ryanair registou, no exercício fiscal de 2024, um crescimento de 34% nos lucros, atingindo os 1,92 mil milhões de euros contra os 1,43 mil milhões de euros do ano anterior. Também as receitas cresceram, face ao exercício de 2023, totalizando, em março de 2024, 13,44 mil milhões de euros quando há um ano totalizavam 10,78 mil milhões de euros (+25%).

Em termos de aumentos, também os custos operacionais da Ryanair registaram um incremento, passando de 9,2 mil milhões de euros para 11,38 mil milhões de euros no ano fiscal que termina a 31 de março de 2024, correspondendo a uma subida de 24%.

Apesar das dificuldades em obter os aviões encomendados à Boeing, a Ryanair viu o número de passageiros passar dos 168,6 milhões, em 2023, para 183,7 milhões o que equivale a uma subida de 9%, indicando ainda a companhia lowcost que as vendas de “ancillaries” aumentaram 12% para atingir 4,3 mil milhões de euros, representando 23,40 euros por passageiros.

Do lado dos custos, destaque para o aumento de 32% no valor atribuído aos combustíveis, que representaram, no exercício de 2024, 5,14 mil milhões de euros, ou seja, mais 1,25 mil milhões que no ano anterior, indicando a Ryanair que mais de 70% das necessidades ao nível do combustível já estarão garantidas, significando isto uma poupança de 450 milhões de euros.

No que diz respeito à frota, a Ryanair refere, em comunicado, que a companhia tinha uma frota de 146 aviões B737 Gamechanger no final do ano, esperando “aumentar esta frota para 158 até ao final de julho, o que corresponde a menos 23 entregas por parte da Boeing face ao que está contratado”.

“Continuamos a trabalhar em estreita colaboração com o CEO da Boeing (Dave Calhoun), o CFO (Brian West) e a nova equipa de gestão de Seattle para melhorar a qualidade e acelerar as entregas de aviões B737”, reconhecendo a Ryanair que “continua a existir o risco de as entregas da Boeing poderem diminuir ainda mais”.

Quanto à operação para este verão de 2024, a Ryanair diz que a “a procura por viagens na Europa é forte e, apesar dos atrasos na entrega dos Boeing, iremos operar o nosso maior programa de verão de sempre com mais de 200 novas rotas (e 5 novas bases)”.

A companhia liderada por Michael O’Leary salienta, igualmente, que “a capacidade para o verão de 2024 para voos de curta distância na UE está condicionada pelo facto de as companhias aéreas concorrentes imobilizarem aviões A320 para reparação de motores P&W (estas interrupções prolongar-se-ão provavelmente até 2026) e de os fabricantes se esforçarem por recuperar as suas carteiras de entregas”.

Quanto à generalidade do mercado, a Ryanair prevê que a “consolidação das companhias aéreas europeias prossiga, com a aquisição da ITA (Itália) e da Air Europa (Espanha) a avançar e a venda da TAP (Portugal) a seguir”.

Para o exercício de 2025, a Ryanair espera aumentar o tráfego em 8%, para entre 198 e 200 milhões de passageiros, “sujeito ao regresso das entregas de Boeing aos níveis contratados antes do final do ano”.

“A nossa vantagem de custos sobre os nossos concorrentes continua a aumentar, apesar de esperarmos que os custos unitários no ano fiscal 2025 aumentem modestamente, uma vez que os custos, exceto combustível, “serão substancialmente compensados pelas nossas poupanças de hedge de combustível e pelo aumento das nossas receitas de juros”.

A companhia admite que, apesar da limitação da capacidade de voos de pequeno curso na UE, “a procura de voos no verão 2024 é positiva, com as reservas a registarem uma tendência superior à do ano passado”.

“Os preços recentes são mais baixos do que esperávamos, com o primeiro trimestre a exigir um maior estímulo dos preços do que no ano passado (em especial porque metade da Páscoa foi transferida para março e não para abril)”.

Assim, embora a estimativa seja limitada e o resultado dependa em grande medida dos preços do pico registados no verão, “continuamos cautelosamente otimistas quanto ao facto de as tarifas do verão se manterem estáveis ou ligeiramente acima do verão passado”.

O resultado final do ano fiscal de 2025 “dependerá em grande medida de se evitarem acontecimentos adversos durante o exercício, tais como guerras na Ucrânia e no Médio Oriente, perturbações extensas no controlo aéreo ou novos atrasos na entrega da Boeing”, conclui a Ryanair.

Sobre o autorVictor Jorge

Victor Jorge

Mais artigos
Distribuição

Sonhando aposta na Tunísia e leva agentes de viagens a ver a realidade do destino

Com uma forte aposta na Tunísia este verão, o operador turístico Sonhando levou um pequeno grupo de agentes de viagens a ver a realidade do destino, pois acredita que só conhecendo as várias ofertas no local é possível vender com segurança. A viagem, de uma semana, que contou com um jornalista do Publituris, aconteceu no voo inaugural que Tunisair entre Lisboa e Tunes, marcando o regresso da companhia aérea tunisina a Portugal com uma operação semanal às segundas-feiras, pelo menos até outubro.

“É com grande entusiasmo que partilhamos o sucesso do voo inaugural da Tunisair entre Lisboa e Tunes, marcando o regresso dos voos regulares entre Portugal e a vibrante Tunísia. A Sonhando S.A. teve o privilégio de fazer parte deste momento histórico”, é assim que o operador turístico escreve nas redes sociais.

Avança ainda que “embarcámos juntamente com 10 agentes de viagens e um jornalista numa jornada inesquecível para explorar tudo o que a Tunísia tem para oferecer”, destacando que “com a Sonhando S.A., o seu sonho de explorar a Tunísia está mais próximo do que nunca”, até porque a aposta do operador turístico é grande e está disponível no mercado uma vasta programação.

Ana Tomás, da Sonhando, que acompanhou o grupo, lembrou, em declarações ao Publituris, que “a Tunísia é uma grande aposta” do operador turístico, que já programa o destino há vários anos. “Temos operações para Djerba quatro vezes por semana (2 de Lisboa e 2 do Porto), Monastir, em voos apenas do Porto, duas vezes por semana, além da parceria com a Tunisair nos voos regulares de Lisboa para Tunes”, disse, para acrescentar que a primeira partida desta operação teve início a 18 de maio para Djerba, e termina em outubro com os últimos voos da Tunisair, enquanto os charters vão até setembro.

Responderam ao convite da Sonhando Azmina Santos, Travel B, Dora Seco, De volta ao mundo, João Morgado, Turitubucci, Bernardo Dias Bestravel, Sílvia Oliveira, Turiworld, Tânia Martins, Silva & Campogrande, Inês Carvalho, El Corte Inglés, Maria Pereira, Portugal Travel Center, Zolia Diaz, Abreu, e Cláudia Catroga, Click Viaja.

O grupo teve a oportunidade de explorar as estâncias turísticas mais procuradas na Tunísia como Monastir, Mahdia, Port El Kantaoui, Hammamet e a famosa Djerba, e ainda descobrir a cidade azul e branca de Sidi Bou Said às portas da capital Tunes, bem como inspecionar a vasta oferta hoteleira existe nesses locais, para todos os gostos e bolsos.

Toda a reportagem desta famtrip para conhecer em pormenor na próxima edição do Publituris, bem como as opiniões destes profissionais sobre o que retiveram do destino.

Sobre o autorCarolina Morgado

Carolina Morgado

Mais artigos
Aviação

Iberia integra novos Airbus A321XLR à frota no final do verão

Com a introdução destas aeronaves no final deste verão, a Iberia reforçará a sua rede de longo-curso. A primeira rota será operada na temporada de inverno, provavelmente, para os EUA.

Victor Jorge

No final do verão de 2024, a Iberia irá reforçar a sua frota de longo curso com a introdução dos Airbus A321XLR, admitindo que esta aeronave irá fazê-lo de forma “mais sustentável e inovadora, oferecendo a possibilidade de operar as rotas transoceânicas da companhia aérea com um avião narrow-body, ou seja, com um único corredor”.

Esta introdução dos A321XLR reforçará, segundo a Iberia, “a rede de destinos da companhia aérea com especial incidência na América, pois, para além de dispor de mais unidades com autonomia para efetuar viagens transoceânicas, o A321XLR permitirá uma utilização mais eficiente da frota, de acordo com a procura de cada um dos mercados da companhia aérea”.

Apontado como primeiro destino para a viagem de longo-curso, a Iberia indica destinos como “Washington DC e depois Boston”.

Uma das grandes novidades do A321XLR é a capacidade, como avião de um só corredor, para efetuar voos de longo curso, oferecendo ao mesmo tempo um serviço premium ao mesmo nível dos modelos de fuselagem larga como os A330 e A350 da frota da Iberia.

Este modelo terá 182 lugares dispostos em cabina Business e Económica, e incluirá várias melhorias que oferecem maior conforto aos passageiros, tais como compartimentos superiores maiores, que podem armazenar até 60 % mais malas de mão, seis estilos diferentes de iluminação da cabina e um painel inovador à entrada do avião, entre outros.

Na sua cabina Business, o A321XLR terá 14 lugares individuais à janela com acesso direto ao corredor. Além disso, os assentos oferecem o máximo conforto, com um assento “full flat” que se converte em cama, um amplo apoio de cabeça em pele, compartimentos para objetos pessoais e uma estrutura que oferece grande conforto e privacidade.

Todos os assentos Business têm um ecrã 4K individual de 18 polegadas, que oferece imagens mais nítidas e melhores tons no modo escuro. Tudo isso, acompanhado do melhor entretenimento a bordo.

Para maior conforto, cada lugar terá o seu próprio sistema de iluminação, que pode ser ajustado independentemente ao ambiente desejado, e cada lugar terá o seu número iluminado durante o modo noturno, para que possa ser mais facilmente encontrado.

Da mesma forma, o Airbus A321XLR terá 168 lugares na cabine Económica com o último modelo Recaro, o CL3810, que evoluiu a partir dos assentos dos atuais aviões de longo curso, com uma reclinação de quatro polegadas e apoios de cabeça em pele. Os assentos terão dois bolsos adicionais para guardar objetos pessoais.

Todas as cabinas do novo A321XLR oferecerão aos passageiros a possibilidade de trazerem os seus próprios auscultadores e de os ligarem através de Bluetooth. Além disso, dispõem de portas de carregamento USB tipo A e C melhoradas, enquanto os tabuleiros dos assentos permitem que os clientes coloquem os seus próprios dispositivos eletrónicos para poderem utilizá-los de forma mais confortável.

Como referido, o primeiro A321XLR deverá integrar a frota da Iberia após o verão, altura em que, juntamente com os sete aviões adicionais deste modelo que a Iberia receberá nos meses seguintes, permitirá à companhia aérea continuar a expandir a sua rede de destinos de longo curso, bem como aumentar a capacidade nas cidades para onde voa atualmente.

Sobre o autorVictor Jorge

Victor Jorge

Mais artigos
Destinos

Açores: Berta Cabral defende investimento na qualificação dos recursos humanos no turismo

Berta Cabral, secretária Regional do Turismo, Mobilidade e Infraestruturas dos Açores, defende como fundamental o investimento na qualificação dos recursos humanos, na melhoria contínua dos serviços e na inovação dos produtos atuais e das práticas de gestão, bem como na criação de novos produtos, permitindo que as infraestruturas também se atualizem e evoluam face às necessidades do setor do turismo.

Publituris

A secretária Regional do Turismo, Mobilidade e Infraestruturas dos Açores, Berta Cabral, reconheceu o papel da Universidade dos Açores na formação de profissionais do turismo “É uma riqueza de conhecimento imensa, que temos o dever de aproveitar e alavancar para o desenvolvimento dos Açores como destino turístico de nível superior”, disse, falando no seminário “Excelência e Sustentabilidade no Turismo – Criando experiências, superando expetativas”, realizado naquela instituição universitária.

Na ocasião, forme avança nota publicada no site oficial do Governo açoriano, Berta Cabral recordou que o Plano Estratégico e de Marketing para o Turismo dos Açores (PEMTA 2030) conduz a região “para novos patamares de excelência”.

E justificou: “De forma consciente e estrategicamente desafiadora, definimos a sustentabilidade como o pilar central, procurando responder a quatro grandes objetivos: consolidar internacionalmente os Açores enquanto destino sustentável; reduzir a sazonalidade e distribuir os fluxos pelo território; elevar os padrões de qualidade e gerar mais valor; alavancar a notoriedade junto do consumidor final”.

“Este plano não visa apenas atrair visitantes, pois incorpora também a missão de afirmar o turismo dos Açores pela qualidade e pela diferenciação”, acentuou, para realçar que “há muito tempo que no turismo já não basta ter um bom produto ou um bom serviço. O turismo é, cada vez mais, feito de vivências e emoções, de interações com significado e de momentos de imersividade e abstração”, sustentou ainda.

Na prática, referiu a governante, o turismo “é feito de experiências tendencialmente memoráveis, que rompem com a rotina diária, mas que colocam o turista perante uma avaliação face às suas expetativas, fantasias e idealizações. A capacidade de responder assertivamente a este novo paradigma é o segredo do sucesso dos melhores destinos do mundo”.

Reconheceu que “temos sabido acompanhar essa tendência nos Açores, construindo, de forma consistente, uma proposta de valor coerente e uma imagem externa adequada à tipologia e à qualidade da nossa oferta turística”. Um facto que se comprova com os números do desempenho turístico dos últimos anos, que dão conta de que os Açores têm vindo sucessivamente a bater recordes e de forma sustentável”, disse.

Refira-se que o último ano foi, de acordo com o governo regional, o melhor de sempre para o turismo açoriano, com mais de 3,8 milhões de dormidas e uma receita recorde na hotelaria de cerca 158 milhões de euros, e com crescimentos de 14,4% nas dormidas e de 23% nos proveitos da hotelaria relativamente a 2022 – comparando com 2019, assiste-se a um aumento de quase 30% nas dormidas e mais de 50% nos proveitos.

Assim, a governante adiantou que estes indicadores revelam “a elevação da qualidade e da sustentabilidade do destino Açores, uma vez que o crescimento em receitas foi muito superior ao crescimento em dormidas, significando que um crescimento mais em valor do que em quantidade”.

No entanto, Berta Cabral sublinhou ser elevada “a responsabilidade conjunta de continuar a desenvolver proativamente a oferta turística, trabalhando para elevar a estruturação, a qualidade e a consistência da experiência e dos serviços à disposição dos turistas”.

A secretária regional defendeu como fundamental o investimento na qualificação dos recursos humanos, na melhoria contínua dos serviços e na inovação dos produtos atuais e das práticas de gestão, bem como na criação de novos produtos, permitindo que as infraestruturas também se atualizem e evoluam face às necessidades do setor, tendo evidenciado que “estamos muito empenhados nesta matriz de pensamento, procurando potenciar os melhores recursos à nossa disposição para criar cada vez melhores experiências para os nossos visitantes”, para avançar que “temos, neste aspeto, um rumo claro onde a nossa natureza – em terra ou em mar – e a nossa natureza humana se destacam como pedras angulares da nossa estratégia de valorização do território”.

Destacando o turismo de natureza como produto prioritário, alicerçado em recursos naturais inigualáveis, Berta Cabral também disse, ainda segundo a notícia que “o turismo cultural assume cada vez mais maior protagonismo, reforçando o papel da natureza humana e da genuinidade na valorização dos Açores enquanto destino turístico de eleição”.

“Estamos a preservar as nossas tradições e história, mas sobretudo a reconhecer as nossas comunidades, valores, costumes e vivências. O turismo só é bom enquanto for bom para quem nos visita e, acima de tudo, para quem cá vive”, acrescentou Berta Cabral.

A secretária da tutela defendeu a necessidade de se “ponderar, de forma construtiva, novas políticas de desenvolvimento turístico”, sendo inevitável olhar a tecnologia como mecanismo de gestão e de apoio a esta decisão, mas “vital interpretar de forma crítica os sinais do mercado e do território no que concerne ao desenvolvimento da oferta de restauração, de alojamento e de tantos outros serviços de suporte”.

 

 

Sobre o autorPublituris

Publituris

Mais artigos
Transportes

TAAG abre loja de atendimento corporativo em Luanda

A companhia aérea angolana abriu uma loja de atendimento corporativo em Luanda, a TAAG Corporate, no âmbito do compromisso com a melhoria da experiência dos seus clientes e passageiros.

Publituris

A infraestrutura composta por dois balcões de atendimento prestará serviços de apoio ao cliente e venda de bilhetes, de segunda a sexta-feira, no período das 7h30 às 15h30, visando responder positivamente a um atendimento à medida, moderno e humanizado e melhorando significativamente a experiência da jornada do cliente.

Na inauguração do novo estabelecimento, o presidente da Comissão Executiva da TAAG, Nelson de Oliveira, disse que a companhia aérea “tem um programa de continuidade para a renovação da sua imagem e abertura de novas lojas de atendimento ao público, com o objetivo de melhorar o serviço prestado aos nossos clientes”.

Com esta inauguração, a TAAG passa a contar com três lojas de atendimento ao cliente em funcionamento, sendo duas no Aeroporto Internacional 4 de Fevereiro e uma no Condomínio Dolce Vita.

Sobre o autorPublituris

Publituris

Mais artigos
PUB
PUB
PUB
PUB
PUB
PUB
PUB
PUB
PUB
PUB
PUB
PUB

Navegue

Sobre nós

Grupo Workmedia

Mantenha-se informado

©2021 PUBLITURIS. Todos os direitos reservados.