Assine já
Transportes

Ryanair vai reduzir emissão de CO2 com combustível sustentável

A Ryanair e a OMV – companhia internacional integrada de petróleo, gás e produtos químicos com sede em Viena, assinaram, esta quarta-feira, um Memorando de Entendimento para fornecer combustível de aviação sustentável (SAF) nos aeroportos da Ryanair através da Áustria, Alemanha e Roménia.

Publituris
Transportes

Ryanair vai reduzir emissão de CO2 com combustível sustentável

A Ryanair e a OMV – companhia internacional integrada de petróleo, gás e produtos químicos com sede em Viena, assinaram, esta quarta-feira, um Memorando de Entendimento para fornecer combustível de aviação sustentável (SAF) nos aeroportos da Ryanair através da Áustria, Alemanha e Roménia.

Publituris
Sobre o autor
Publituris
Artigos relacionados
Ryanair vai criar centro de combustível sustentável para a aviação
Homepage
Ryanair reduz emissões em parceria com Neste Holland
Transportes
Ryanair, Google e eDreams chegam a acordo em processo legal sobre anúncios online
Aviação
Ryanair lança nova política ambiental
Homepage

Este acordo vai permitir à Ryanair comprar até 160.000 toneladas (53m galões) de SAF à OMV durante os próximos oito anos, poupando mais de 400.000 toneladas em emissões de CO2 (equivalente a c.25.000 voos da Ryanair de Dublin para Viena).

Este acordo demonstra, de acordo com a transportadora aérea, o seu compromisso contínuo para com a meta de 12,5% de SAF até 2030 e a ambição de atingir emissões líquidas zero até 2050.

A Ryanair indica ainda, em nota de imprensa, que já fez progressos significativos em direção aos seus objetivos ambientais através do investimento de 22 mil milhões de dólares na nova frota Boeing 737 “Gamechanger”, que produz 16% menos emissões e 40% menos ruído, o Centro de Investigação da Aviação Sustentável no Trinity College Dublin, e agora a sua parceria com a OMV, que também está a avançar com ambiciosos objetivos estratégicos de sustentabilidade ao acrescentar SAF à sua gama de produtos, entre várias outras medidas.

 

 

Sobre o autorPublituris

Publituris

Mais artigos
Artigos relacionados
Transportes

Ryanair abre quatro novas rotas em Faro no inverno

A Ryanair vai disponibilizar um total de 30 rotas em Faro este inverno, incluindo quatro novas ligações que vão ligar a capital algarvia a Frankfurt, Luxemburgo, Madrid e Nuremberga.

Publituris

A Ryanair vai disponibilizar a maior programação de inverno de sempre em Faro, passando a oferecer 30 rotas entre a capital algarvia e destinos de  sol e city break, entre as quais se encontram quatro novas rotas, que vão ligar Faro a Frankfurt, Luxemburgo, Madrid e Nuremberga.

“A Ryanair tem o prazer de proporcionar a Faro e à região do Algarve mais escolha de rotas e conectividade, ao mesmo tempo que transporta mais turistas, contribuindo assim para o crescimento e economia da região durante a época de inverno”, destaca a companhia aérea.

As novas rotas estão já disponíveis para reserva através do site da Ryanair e apresentam preços desde 24,99 euros, valores promocionais válidos para viagens entre 22 de outubro e 23 de março de 2023, cujas reservas estão disponíveis até 8 de outubro.

“Temos o prazer de anunciar a nossa maior programação de inverno de sempre para o Algarve, que inclui quatro novas rotas para Frankfurt, Luxemburgo, Madrid e Nuremberga. Este Inverno, a Ryanair oferece aos seus clientes/visitantes do Algarve tarifas mais baixas e fiabilidade com os seus planos de viagem de inverno, uma vez que opera 3.000 voos diários”, indica Elena Cabrera, a Country Manager da Ryanair para Portugal e Espanha.

Sobre o autorPublituris

Publituris

Mais artigos
Transportes

IATA: Transporte aéreo encerra temporada alta com pico de procura em agosto

Em agosto, o tráfego aéreo global aumentou 67,7% face ao mesmo mês do ano passado e ficou a 73,7% dos níveis pré-crise, muito por culpa da reabertura de vários países na Ásia, segundo a IATA.

Inês de Matos

Em agosto, o tráfego aéreo global aumentou 67,7% face ao mesmo mês do ano passado e ficou a 73,7% dos níveis pré-crise, avança a Associação Internacional de Transporte Aéreo (IATA), que atribui a subida ao aumento da procura internacional, principalmente na Ásia.

“A temporada de viagens de verão no Hemisfério Norte terminou em alta. Considerando as incertezas económicas predominantes, a procura por viagens está a progredir bem. E a remoção ou flexibilização das restrições de viagem em alguns dos principais destinos asiáticos, incluindo o Japão, certamente acelerará a recuperação na Ásia”, congratula-se Willie Walsh, diretor-geral da IATA.

Em agosto, tráfego internacional aumentou 115,6% em relação a agosto de 2021, com a procura a chegar a 67,4% dos níveis de agosto de 2019, com a IATA a indicar que “as maiores taxas de crescimento” foram registadas na Ásia.

Recuperação significativa no mês de agosto registou também o tráfego doméstico, com a IATA a apontar uma subida de 26,5% face ao oitavo mês de 2021, ficando a 85,4% do nível de agosto de 2019.

Por regiões, foi na Ásia Pacífico que o tráfego internacional de passageiros mais cresceu, num aumento que chegou aos 449.2%, enquanto a capacidade aumentou 167.0% e o load factor cresceu 40,1 pontos percentuais, fixando-se nos 78%.

“Embora a região tenha experimentado o crescimento mais forte ano a ano, as restrições de viagens que ainda existem na China continuam a dificultar a recuperação geral da região”, aponta a IATA, em relação à recuperação registada na região Ásia Pacífico.

No Médio Oriente, a recuperação também foi animadora, com a IATA a indicar um crescimento de 144.9% no tráfego internacional de agosto, enquanto a capacidade subiu 72.2% e o load factor aumentou 23,7 pontos percentuais, para 79,8%.

Na América do Norte, a subida do tráfego internacional chegou aos 110.4% e a capacidade de agosto subiu 69.7%, enquanto o load factor aumentou 16.9 pontos percentuais, para 87.2%, “o mais alto entre todas as regiões”, indica a IATA.

Na América Latina, houve ainda uma subida de 102.5% no tráfego aéreo internacional e de 80.8% na capacidade, enquanto o load factor cresceu 8.9 pontos percentuais, fixando-se nos 83.5%.

Na Europa, houve ainda um aumento de tráfego internacional de 78.8% e a capacidade subiu 48.0%, tendo-se registado ainda um crescimento de 14.7 pontos percentuais no load factor, que passou para 85,5%, o “segundo load factor mais alto, depois da América do Norte”.

Já em África os resultados de agosto foram mais modestos e o tráfego internacional cresceu 69.5%, enquanto a capacidade aumentou 45.3% e o load factor subiu 10,8 pontos percentuais, para 75,9%, “o mais baixo entre todas as regiões”, ainda que a IATA assinale que “o tráfego internacional entre África e as regiões vizinhas está próximo dos níveis pré-pandemia”.

 

Sobre o autorInês de Matos

Inês de Matos

Mais artigos
Transportes

TAP está contra o aumento de taxas aeroportuárias e diz que medida é “desproporcionada”

A TAP considera que o aumento das taxas aeroportuárias vai ter “impacto nos preços das viagens para os residentes em Portugal” e na competitividade do país enquanto destino turístico.

Publituris

A TAP veio terça-feira, 4 de outubro, manifestar-se “bastante preocupada” com a intenção da empresa que gere os aeroportos nacionais de aumentar as taxas aeroportuárias, considerando que se trata de uma medida “desproporcionada” e que vai acabar por ter “impacto nos preços das viagens para os residentes em Portugal” e na competitividade do país enquanto destino turístico.

A preocupação da TAP prende-se com a intenção da ANA – Aeroportos de Portugal de aumentar, a partir de 1 de janeiro de 2023, as taxas aeroportuárias em 35 cêntimos por passageiro nos Açores, 79 cêntimos na Madeira, 80 cêntimos em Faro, 81 cêntimos no Porto e 1,53 euros em Lisboa.

“A TAP Air Portugal está bastante preocupada com a anunciada intenção de aumentar as taxas aeroportuárias revelada pelo concessionário dos principais aeroportos portugueses”, indica a TAP em comunicado, considerando que se trata de uma medida “desproporcionada” porque não têm existido investimentos significativos nos aeroportos e porque há uma série de “ineficiências e constrangimentos recorrentes” que afetam “o nível de serviço prestado” no aeroporto de Lisboa.

A TAP considera também que o impacto do aumento das taxas, somado à forte subida no preço dos combustíveis, vai levar a “um aumento dos custos das companhias aéreas”, que terá “impacto nos preços das viagens para os residentes em Portugal” e que pode também afetar “a competitividade de Portugal como destino turístico”.

“Estes aumentos contribuiriam também para agravar a situação económica da TAP Air Portugal, principal cliente dos aeroportos nacionais, dos passageiros aéreos em geral e dos passageiros portugueses em particular, especialmente os que vivem nas regiões autónomas”, admite ainda a companhia aérea.

A TAP queixa-se que os valores cobrados aos passageiros dos voos domésticos entre aeroportos portugueses ou com escala no hub de Lisboa “são já significativamente mais elevadas do que as cobradas nos aeroportos e hubs das principais companhias aéreas europeias que concorrem com a TAP”, assim como acontece também nos valores cobrados aos passageiros que viajam da Europa para o Brasil, Estados Unidos ou África.

A companhia aérea de bandeira nacional garante ainda que “será parte ativa no processo de consulta lançado pela ANA Aeroportos” e que “informará a ANAC e outras autoridades competentes da sua oposição determinada a estes aumentos das taxas aeroportuárias em Portugal”, bem como da necessidade de “encontrar uma abordagem diferente em relação às taxas aeroportuárias que possa funcionar como fator competitivo para a economia portuguesa”.

 

Sobre o autorPublituris

Publituris

Mais artigos
Transportes

KLM voa para 163 destinos este inverno e aumenta em 30% os voos em Portugal

De 28 de outubro de 2022 a 25 de março de 2023, a KLM voará para 92 destinos europeus e mais 71 intercontinentais. Em Portugal, companhia destaca o reforço em 30% no número de voos face ao período de inverno de 2019.

Publituris

A KLM oferecerá, no seu programa de inverno – de 28 de outubro de 2022 a 25 de março de 2023 – um total de 163 destinos: 92 europeus e 71 intercontinentais, anunciou a companhia aérea.

Entre os novos destinos de inverno na rede estão Nantes (França), Rovaniemi (Finlândia), Aarhus (Dinamarca) ou Katowice (Polónia), com a companhia a informar que irá continuar a operar os voos para Austin (Texas) nos EUA, que foram introduzidos no verão.

No que diz respeito à operação em Portugal, a KLM indica um crescimento mais de 30% este inverno face a período homólogo de 2019, fruto do aumento de frequências entre o Porto e Amesterdão-Schiphol, passando a operar dois voos diários em ambos os sentidos contra o voo por dia que tinha, em 2019.

Já de/para Lisboa e o hub da companhia nos Países Baixos, somar-se-á também mais um voo aos dois que a KLM tinha diariamente, em 2019. Assim, a capital portuguesa passar a ter três voos diários em ambos os sentidos, sendo a oferta complementada pela da sua parceira Air France, que prossegue os seus voos entre Lisboa ou o Porto e o hub da companhia em Paris-Charles de Gaulle (CDG).

O grupo também vai continuar a oferecer voos diretos em codeshare com o seu parceiro da joint venture transatlântica, a Delta Air Lines, a partir de Lisboa para Nova Iorque-JFK.

Europa
Além dos destinos já referidos em espaço europeu – Nantes (França), Rovaniemi (Finlândia), Aarhus (Dinamarca) ou Katowice (Polónia) – KLM vai aumentar o número de voos que opera para Teeside, Humberside, Cardiff, Southampton (Reino Unido) e Graz (Áustria). Também Nápoles (Itália) e Split (Croácia) passarão a ser servidas diariamente. serão oferecidas diariamente.

América do Norte
Este inverno, a KLM vai servir um total de 19 destinos na América do Norte (Canadá, EUA, México), o que equivale a mais 11% em lugares face a 2019. Assim, Los Angeles terá mais três voos semanais, passando para uma dezena o total de voos para a cidade americana. O serviço para Austin, lançado no verão, é continuado no inverno, bem como Cancun, introduzido em 2021.

Este inverno, a nova Premium Comfort Class da KLM vai estar disponível para reserva em vários destinos nos EUA e Canadá. Nesta classe, que combina elementos da Economy Class e da World Business Class, os clientes vão poder experimentar o novo conceito de serviço da KLM numa parte separada da cabine, com assentos confortáveis e muito espaço para as pernas.

Caraíbas
O número de lugares para as Caraíbas (especialmente as Antilhas Holandesas) aumenta mais de 20% este inverno face a 2019, com a KLM a servir Curaçao pelo menos 10 vezes/semana, com dois voos diários no Natal. O voo diário para Aruba – combinado com Bonaire – será operado com o maior avião da frota da KLM, o Boeing 777-300ER (408 lugares).

Tal como no inverno de 2021, a KLM também vai operar voos para Bridgetown (Barbados) e Port of Spain (Trinidad e Tobago) esta época de inverno.

América do Sul e África
A KLM irá aumentar em 6% o número de lugares disponíveis nos voos para a América do Sul este inverno face a 2021, operando voos diários para a Argentina, Brasil, Chile, Colômbia e Peru. Já a Costa Rica será servida quatro vezes por semana.

Já no continente africano, a KLM vai introduzir três voos adicionais por semana para a Cidade do Cabo (África do Sul), passando a ter, além do voo diurno diário, três voos noturnos por semana.

Neste inverno, a KLM dá, também, a possibilidade de voar para Zanzibar, combinado com Dar es Salaam (ambos na Tanzânia).

Além disso, vai ser progressivamente possível reservar a nova Premium Comfort Class da KLM nos voos para Nairobi e Dar es Salaam, salientando a KLM, em comunicado, que está a “reconfigurar mais aviões de longo curso para oferecer esta nova classe na próxima época”, iniciando com os seus Boeing 787 Dreamliners.

Ásia
Finalmente, para a Ásia, o número de lugares disponíveis vai aumentar 50% face a 2021, já que muitos destinos do Sudeste Asiático reabriram as portas aos visitantes estrangeiros.

Assim, os voos de/para Tóquio Narita vão ser de novo operados sem escalas neste inverno, embora estes mesmos voos continuem a ser desviados desde que o espaço aéreo russo foi fechado.

Os serviços para Kuala Lumpur (Malásia) – com destino a Jacarta (Indonésia) – também vão ser operados diretamente este inverno, em vez de serem servidos via Singapura.

A KLM também informa que o serviço para Bangalore (Índia), retomado o verão passado, vai continuar este inverno.

Para a China, os voos permanecerão limitados, indicando a KLM que vai voar para Xangai/Hangzhou três vezes por semana neste inverno com escala em Seul Incheon.

Sobre o autorPublituris

Publituris

Mais artigos
Transportes

Delta e LATAM avançam na joint-venture depois de aprovação norte-americana

Em comunicado, as duas companhias aéreas explicam que, com a aprovação do Departamento de Transportes dos EUA, vai ser possível melhorar a conectividade entre a América do Sul, os EUA e o Canadá.

Publituris

A Delta Air Lines e o Grupo LATAM Airlines vão dar continuidade ao acordo de joint-venture, que deu os primeiros passos em 2019 e que foi agora aprovado pelo Departamento de Transportes (DOT) dos EUA.

Num comunicado enviado à imprensa, as duas companhias aéreas explicam que, com esta aprovação, vai ser possível dar continuidade ao acordo e melhorar a conectividade entre a América do Sul, os EUA e o Canadá.

“Assim que a JV for implementada, as companhias aéreas irão trabalhar para criar um acordo comercial líder entre os EUA/Canadá e a América do Sul (Brasil, Chile, Colômbia, Paraguai, Peru e Uruguai). Mais detalhes sobre os benefícios deste acordo serão partilhados nos próximos meses”, lê-se no comunicado enviado à imprensa, que frisa que vai ser possível oferecer “melhor serviço e mais rotas”, além do code-share que já existe.

Segundo Ed Bastian, CEO da Delta Air Lines, que aplaude a aprovação, esta joint-venture vai ajudar ao “crescimento do mercado entre a América do Norte e a América do Sul, proporcionando benefícios significativos e necessários para os clientes”.

Já Roberto Alvo, CEO do Grupo LATAM Airlines, destaca as “ligações mais rápidas” e o “cúmulo conjunto de milhas em programas de passageiro frequente” como alguns dos benefícios mais imediatos para os clientes da companhias aéreas e diz ter a certeza que, com o tempo, será possível “oferecer as melhores ligações incorporando uma visão sustentável de futuro”.

Recorde-se que o primeiro acordo entre a Delta Air Lines e o Grupo LATAM Airlines data de 2019, quando as companhias aéreas decidiram “expandir significativamente as opções de viagem na América do Norte e do Sul e oferecer uma experiência líder do setor”.

Desde essa data, foram dados vários passos e passou, nomeadamente, a ser possível fazer o resgate mútuo de milhas, ter benefícios recíprocos, partilhar os terminais em aeroportos como Nova York (JFK), São Paulo/Guarulhos (GRU) e Santiago (SCL), ter acesso mútuo a 53 salas VIP Delta Sky Club nos Estados Unidos e cinco salas LATAM na América do Sul, incluindo o novo Delta Sky Club em Los Angeles (LAX) e o novo LATAM Lounge Santiago, no Chile.

Em 2020, a Delta e a LATAM introduziram os primeiros serviços de code-share na América do Sul e, em 2021, expandiram o acordo para mais de 20 rotas entre os EUA e a América do Sul, além de ligações para uma ampla rede de destinos nacionais e regionais a partir de centros de conexão em Atlanta, Nova York e Los Angeles, bem como em Santiago, Lima, Bogotá e São Paulo.

Sobre o autorPublituris

Publituris

Mais artigos
Transportes

Ryanair triplica passageiros transportados no acumulado até setembro

Até setembro, a Ryanair transportou 153 milhões de passageiros, num aumento de 209% face aos 49,5 milhões de passageiros que tinham sido transportados pela companhia aérea de baixo custo em igual período de 2022.

Publituris

A Ryanair transportou 15,9 milhões de passageiros no passado mês de setembro, número que fica 49% acima do total de passageiros contabilizados em igual mês de 2021 e que, no acumulado até setembro, chega já aos 153 milhões de passageiros, mais de três vezes acima do resultado de igual período do ano passado.

Numa nota enviada à imprensa esta terça-feira, 4 de outubro, a Ryanair revela que, no nono mês do ano, transportou 15,9 milhões de passageiros, quando em setembro do ano passado este número não ultrapassava os 10,6 milhões, o que traduz um aumento de 49,%.

Em setembro, também a ocupação dos voos da transportadora aérea low cost aumentou 13%, passando de um load factor de 83% em setembro de 2021 para 94% nos 88,850 voos realizados pela Ryanair.

No entanto, é no acumulado do ano que se verifica a maior subida no total de passageiros transportados pela Ryanair, uma vez que a companhia aérea contabilizou já 153 milhões de passageiros, quando até setembro do ano passado tinham sido transportados 49,5 milhões, o que traduz um aumento de 209%.

A ocupação dos voos também tem vindo a subir ao longo do ano e, em setembro, chegou aos 90%, 13% acima do registado em igual período de 2021, quando o load factor acumulado dos voos da Ryanair se ficava pelos 77%.

Sobre o autorPublituris

Publituris

Mais artigos
Transportes

Portugal foi o 2.º mercado da Transavia no pico do verão

Em julho e agosto, Portugal foi o segundo mercado para a Transavia France, low cost do Grupo Air France-KLM, que destaca o Porto como o destino mais popular durante o pico do verão, enquanto Lisboa foi o terceiro.

Publituris

Em julho e agosto, Portugal foi o segundo mercado para a Transavia France, companhia aérea low cost do Grupo Air France-KLM, que destaca mesmo o Porto como o destino mais popular durante o pico do verão, indica a transportadora em comunicado.

“Para a companhia low-cost do Grupo Air France-KLM, o mercado português foi o segundo em passageiros transportados (359.624), atrás apenas da Grécia e acima de Espanha, representando um aumento de 13% face a igual período de 2019 (e 26 % vs. 2021)”, lê-se no comunicado da Transavia France.

Por destinos nacionais, o destaque vai para o Porto, que foi o primeiro destino da companhia aérea durante o pico do verão, com 126.017 passageiros transportados, enquanto a capital portuguesa ocupou o terceiro lugar do pódio, com 88.200 viajantes transportados, em igual período.

“A história de sucesso da Transavia France em Portugal e, sobretudo, nas rotas de/para o Porto prossegue. Portugal é e continua a ser um mercado emblemático e histórico para a nossa companhia aérea e os resultados de tráfego alcançados no pico do verão 2022, onde Porto e Lisboa aparecem no top3 dos nossos destinos preferidos, e o reconhecimento pelos nossos clientes do nosso serviço de/para o Porto, são a melhor prova disto”, afirmou Nicolas Hénin, Chief Commercial Officer of Transavia France.

A companhia aérea indica mesmo que, segundo o Net Promoter Score, no Porto, os seus passageiros valorizaram o serviço de/para o Porto em julho, com “a rota de/para Brest a receber uma pontuação de 66 (a 2ª melhor do mês), Nantes 48 e Lyon 45”.

“As aberturas em Portugal em 2022, incluindo nos Açores e na rota Porto – Brest (agora, durante todo o ano!), ou o aumento de frequências em rotas, como Porto – Paris-Orly, Faro – Paris-Orly, Lisboa – Nantes , Faro – Roterdão ou Funchal – Amesterdão, também consequência do vigoroso investimento na nossa frota, significou uma oferta total de 1,5 milhões de assentos no mercado português este Verão, um aumento de 23% face ao período homólogo pré-pandemia de 2019”, acrescenta a companhia.

 

Sobre o autorPublituris

Publituris

Mais artigos
Transportes

Air Transat é a melhor companhia aérea de lazer da América do Norte nos prémios Skytrax

Companhia aérea canadiana, que se destacou no segmento de lazer nos Skytrax World Airline Awards 2022, voa para 60 destinos em três continentes.

Publituris

A Air Transat foi eleita como a melhor companhia aérea de lazer da América do Norte nos Skytrax World Airline Awards 2022, prémios que são considerados os Óscares da aviação e que foram entregues na sexta-feira, 23 de setembro, numa cerimónia que decorreu em Londres.

“Estamos honrados por receber este prémio, apesar dos muitos desafios enfrentados por todas as empresas do setor nos últimos meses”, disse Annick Guérard, presidente e CEO da Transat.

A responsável da companhia aérea canadiana garante que a Air Transat está comprometida a continuar a oferecer aos seus clientes a melhor experiência de viagem, considerando que este prémio “é a prova” de que a transportadora continua a cumprir essa promessa.

A Air Transat voa para 60 destinos em três continentes e com uma frota de nova geração, composta por aparelhos Airbus A321LR e vai receber, em breve, mais quatro aviões Airbus A321XLR.

Os Skytrax World Airline Awards são entregues anualmente desde 1999 e reconhecem o desempenho das melhores companhia aéreas do longo do ano, com base na votação dos passageiros aéreos de todo o mundo.

Na edição deste ano, a votação decorreu entre setembro de 2021 a agosto de 2022 e foi contabilizada a participação de passageiros de mais de 100 nacionalidades, num total de 14,32 milhões de votos

Sobre o autorPublituris

Publituris

Mais artigos
Transportes

Solução para a Linha do Tua está a ser trabalhada para bem do turismo, assegura Pedro Nuno Santos

O ministro das Infraestruturas, Pedro Nuno Santos, disse esta segunda-feira que se está a trabalhar para encontrar uma solução para viabilizar a Linha do Tua, onde se mantém um impasse na concretização do plano de mobilidade. O objetivo é também servir o turismo.

Publituris

“Nós estamos a trabalhar para encontrar uma solução para viabilizar a linha do Tua e é esse o trabalho que nós faremos com muito afinco”, afirmou o ministro, que falava aos jornalistas em Freixo de Espada à Cinta, distrito de Bragança, à margem de uma cerimónia sobre a Linha do Douro.

De Mirandela até ao Tua está previsto o regresso do comboio do anunciado e adiado plano de mobilidade prometido como contrapartida pela construção da barragem de Foz Tua.

A parte turística do plano de mobilidade foi concessionada ao empresário Mário Ferreira, dono da Douro Azul, onde estão incluídas viagens de barco e comboio. A EDP deu 10 milhões de euros ao empresário para investir no Vale do Tua.

“Nós sobre a Linha do Tua temos que encontrar, e vamos ter a cooperação dos municípios e do Ministério da Coesão Territorial, um novo modelo para podermos olhar para a Linha do Tua e ver como é que nós a podemos rentabilizar e operar, essa é a nossa intenção”, acrescentou Pedro Nuno Santos.

Outra linha que visa servir o turismo é a do Douro. Conjuntamente com a ministra Ana Abrunhosa, Pedro Nuno Santos assistiu, à apresentação de estudos de viabilidade económica técnica e ambiental da reabertura do troço de 18 quilómetros entre o Pocinho e Barca d’Alva.

O ministro das Infraestruturas Pedro Nuno Santos anunciou a intenção do Governo de arrancar com o concurso para a extensão da linha do Douro até Barca D’Alva durante o primeiro trimestre de 2023.

Sem comboios em circulação desde 1 de janeiro de 1989, o troço entre Pocinho e Barca d’Alva conta com 27,11 quilómetros de extensão e é considerado um investimento estrutural para a região, beneficiando, diretamente, quatro municípios Figueira de Castelo Rodrigo, Vila Nova de Foz Côa, Torre de Moncorvo e Freixo de Espada à Cinta, mas com reflexos significativos em outros 17 concelhos, como Vila Real, Régua, Lamego, Tarouca, Alijó e Sabrosa.

A vertente turística é, efetivamente, a principal justificação económica para a reabertura da linha.

Sobre o autorPublituris

Publituris

Mais artigos
Transportes

MSC Cruzeiros apresenta itinerários com partida de Lisboa e Funchal em roadshow

No roadshow de 2022, a MSC Cruzeiros vai dar a conhecer os 13 cruzeiros com embarque e desembarque em Lisboa, bem como as duas partidas e chegadas ao Funchal, que são um dos destaque do verão do próximo ano.

Publituris

A MSC Cruzeiros vai voltar a promover o seu roadshow nacional para dar a conhecer a oferta da companhia para a próxima temporada de cruzeiros, com destaque para os 13 cruzeiros com partida e chegada a Lisboa no verão, assim como para as duas partidas e chegadas ao Funchal.

A iniciativa, que vai passar pelo Porto e por Lisboa a 25 de outubro e 8 de novembro, respetivamente, inclui também webinares para agentes de viagens, durante os quais a companhia de cruzeiros vai dar a conhecer a sua programação para este inverno e para o verão de 2023, assim como o Novo Modelo de Categorias e os novos navios que se vão juntar à frota da companhia de cruzeiros.

No que diz respeito a partidas/chegadas a portos nacionais, a MSC Cruzeiros estima realizar 13 cruzeiros de 10 noites com partida de Lisboa, no MSC Orchestra, em junho, julho, agosto, setembro e outubro, com escalas em Génova, Olbia (Itália), Marselha (França), Málaga, Cádiz, Alicante e Mahón (Espanha).

Já no Funchal, a MSC Cruzeiros vai disponibilizar duas partidas de 11 noites, no MSC Divina, incluindo escalas em Málaga, Barcelona, Santa Cruz de Tenerife (Espanha), Marselha (França), Génova (Itália), Casablanca (Marrocos).

Além dos itinerários com partida e chegada a portos nacionais, a MSC Cruzeiros vai também apresentar a sua programação global, que abrange itinerários nos 21 navios da companhia de cruzeiros, em mais de 140 destinos, cuja duração varia desde os mini-cruzeiros a viagens de 21 noites.

O roadshow conta também com uma intervenção da Emirates, que é parceira da MSC Cruzeiros, assim como com uma apresentação da Campanha Preços Especiais, dedicada a este inverno e que vai estar em vigor entre novembro de 2022 e abril de 2023.

No âmbito desta campanha, o destaque vai para o pacote especial com voo incluído que engloba cruzeiros +transferes+ voo de Lisboa para o Dubai e regresso a Lisboa, para os cruzeiros do MSC World Europa e MSC Opera a navegarem na região.

O MSC World Europa, o primeiro navio da companhia movido a LNG, que será entregue em novembro de 2022, assim como o MSC Seascape, que também chega ainda este ano, são outros pontos de destaque da iniciativa, que, no Porto, decorre no Terminal de Cruzeiros de Leixões, enquanto em Lisboa acontece na Estufa Real/Jardim Botânico, ambos a partir das 19h00.

“A edição deste ano funcionará presencialmente nas cidades de Lisboa e Porto e em regime online com quatro webinares que serão realizados aos colegas agentes de viagens”, indica a MSC Cruzeiros, acrescentando que os webinares têm lugar a 27 de outubro, bem como 2 e 3 de novembro.

O primeiro webinar, que decorre pelas 11h00, no dia 27 de outubro, vai ser dedicado ao tema Novo Modelo de Categorias (Como vender um cruzeiro MSC) e vai estar disponível aqui, enquanto o segundo, no mesmo dia, pelas 15h00, vai dar destaque aos itinerários de inverno 22/23 e verão 22, contando com uma apresentação da Emirates, e estará disponível aqui.

No dia 2 de novembro, o webinar vai voltar a incidir na programação de inverno e verão da MSC Cruzeiros, contando novamente com a apresentação da Emirates, e vai ter lugar pelas 15h00. O webinar vai estar disponível aqui.

A última destas iniciativas acontece no dia seguinte, 3 de novembro, pelas 11h00, contando novamente com foco na programação da companhia de cruzeiros e com a apresentação da Emirates. O webinar pode ser acompanhado aqui.

Os links para acompanhar as quatro sessões do webinar da MSC Cruzeiros vão estar funcionais apenas no dia e perto da hora de inicio dos eventos.

 

 

Sobre o autorPublituris

Publituris

Mais artigos

Navegue

Sobre nós

Grupo Workmedia

Mantenha-se conectado

©2021 PUBLITURIS. Todos os direitos reservados.