Edição digital
Assine já
PUB
Análise

Nova Edição: Balanço 2023 e Perspectivas 2024, Viajar Tours, Air France-KLM e dossier Neve

A primeira edição do jornal PUBLITURIS de 2024 faz capa com o habitual balanço do ano e as perspectivas para 2024. Também nesta edição damos conta das novidades da Viajar Tours, da política de sustentabilidade da Air France-KLM e do mercado Neve.

Publituris
Análise

Nova Edição: Balanço 2023 e Perspectivas 2024, Viajar Tours, Air France-KLM e dossier Neve

A primeira edição do jornal PUBLITURIS de 2024 faz capa com o habitual balanço do ano e as perspectivas para 2024. Também nesta edição damos conta das novidades da Viajar Tours, da política de sustentabilidade da Air France-KLM e do mercado Neve.

Publituris
Sobre o autor
Publituris
Artigos relacionados
Solférias, Exoticoonline, Sonhando e Alto Astral lançam mais um voo charter para o Brasil no Fim de Ano
Distribuição
Highgate Portugal contrata dois novos vice-presidentes
Figuras
Tailândia promove Amazing Beach Life Festival em julho e agosto
Destinos
Aeroportos de Paris com greve a 17 de julho
Destinos
Opiniões sobre a Maxcolchon: O que valorizam os hóspedes quando estão de férias?
Lisboa é o terceiro destino mais procurado por europeus para o verão 2024
Destinos
Bruxelas abre investigação a ajuda estatal alemã de 6 MM€ à Lufthansa na pandemia
Aviação
The Verse: o novo aparthotel a abrir portas na Rua de São Bento em Lisboa
Alojamento
FIA Lisboa chega ao fim com 48 mil visitantes e “balanço muito positivo”
Destinos
Autarca de Lisboa insiste na subida da taxa turística para ter “melhor limpeza, melhores espaços, mas também mais cultura”
Alojamento

Começar um novo ano implica, naturalmente, fazer um balanço do ano que terminou e perspectivar o que poderão ser os próximos 365 dias. Como habitualmente, a primeira edição do jornal PUBLITURIS do ano falou com diversos players do setor do turismo em Portugal.

Fomos ouvir o que Francisco Calheiros (CTP), Cristina Siza Vieira (AHP), Ana Jacinto (AHRESP), Pedro Costa Ferreira (APAVT), António Marques Vidal (APECATE), Hélder Martins (AHETA), Miguel Quintas (ANAV), Eduardo Jesus (Madeira), Berta Cabral (Açores), Raul Almeida (Centro), Carla Salsinha (Lisboa), José Manuel Santos (Alentejo e Ribatejo), André Gomes (Algarve), Luís Henriques (Airmet), Ricardo Teles (Bestravel), Paulo Mendes (GEA Portugal), Adriano Portugal (Mercado das Viagens), Paulo Geisler (RENA), Joaquim Robalo de Almeida (ARAC) e Nikos Mertzanidis (CLIA) têm para dizer sobre o que foi 2023, mas, fundamentalmente, o que esperam de 2024.

Certo é que 2023 terminou batendo todos os recordes ao nível das receitas turísticas, dormidas e hóspedes, ultrapassando o “histórico” ano de 2019. Apesar da instabilidade que se vive interna e externamente, o setor espera, no entanto, um ano “normal”, com crescimento e “algumas” decisões.

Na “Distribuição”, damos a conhecer a novidade apresentada pela Viajar Tours. Álvaro Vilhena, general manager da Viajar Tours, refere ao Publituris que a operação charter para Puglia já estava pensada há muito, mas que, por força das circunstâncias, foram adiando.

Nos “Transportes”, a renovação do acordo com a Travelstore, que foi o primeiro player do setor das viagens em Portugal a aderir ao programa Air France-KLM SAF Corporate, serviu de mote para uma conversa com Miguel Mota, diretor comercial da Air France-KLM em Portugal, sobre a política de sustentabilidade do grupo de aviação, que tem vindo a dar vários passos para reduzir as suas emissões poluentes.

O “Dossier” desta edição é dedicado à Neve. Há cada vez menos operadores turísticos em Portugal a programar férias nas estâncias de neve, isto porque, com as facilidades que as novas tecnologias trouxeram, os aficionados dos desportos de inverno encontraram formas de reservar diretamente ou via online.

Quanto às ofertas existentes, os objetivos passam, por um lado, por dar cada vez melhor serviço aos clientes, e por outro numa aposta clara nas novas tecnologias e na sustentabilidade, acautelando-se face às alterações climáticas.

Além do Pulse Report, uma parceria entre a GuestCentric e o jornal Publituris, as opiniões pertencem a Francisco Jaime Quesado (economista e gestor), António Marques Vidal (APECATE) e Joaquim Robalo de Almeida (ARAC).

A versão completa desta edição é exclusiva para subscritores do Publituris. Pode comprar apenas esta edição ou efetuar uma assinatura do Publituris aqui obtendo o acesso imediato.

Para mais informações contacte: Carmo David | [email protected] | 215 825 430

Nota: Se já é subscritor do Publituris entre no site com o seu Login de assinante, dirija-se à secção Premium – Edição Digital e escolha a edição que deseja ler, abra o epaper com os dados de acesso indicados no final do resumo de cada edição.

 

Sobre o autorPublituris

Publituris

Mais artigos
Artigos relacionados
Solférias, Exoticoonline, Sonhando e Alto Astral lançam mais um voo charter para o Brasil no Fim de Ano
Distribuição
Highgate Portugal contrata dois novos vice-presidentes
Figuras
Tailândia promove Amazing Beach Life Festival em julho e agosto
Destinos
Aeroportos de Paris com greve a 17 de julho
Destinos
Opiniões sobre a Maxcolchon: O que valorizam os hóspedes quando estão de férias?
Lisboa é o terceiro destino mais procurado por europeus para o verão 2024
Destinos
Bruxelas abre investigação a ajuda estatal alemã de 6 MM€ à Lufthansa na pandemia
Aviação
The Verse: o novo aparthotel a abrir portas na Rua de São Bento em Lisboa
Alojamento
FIA Lisboa chega ao fim com 48 mil visitantes e “balanço muito positivo”
Destinos
Autarca de Lisboa insiste na subida da taxa turística para ter “melhor limpeza, melhores espaços, mas também mais cultura”
Alojamento
PUB
Distribuição

Solférias, Exoticoonline, Sonhando e Alto Astral lançam mais um voo charter para o Brasil no Fim de Ano

O novo voo charter, o quarto anunciado pela Solférias, Exoticoonline, Sonhando e Alto Astral para o Brasil no Fim de Ano, vai ter destino a Natal e conta com partida do Porto, a 26 de dezembro.

A Solférias, a Exoticoonline, a Sonhando e a Alto Astral anunciaram mais um voo charter para o Brasil no Fim do Ano, que vai ter Natal como destino e que conta com partida do Porto no dia 26 de dezembro.

De acordo com os operadores turísticos, este será o quarto voo charter para o Brasil no período do Fim de Ano, o que se deve à “elevada procura existente para esta época do ano”.

“Esta parceria dá não só continuidade ao sucesso das operações recentes, como reforça a posição dos operadores como especialistas na venda do destino Brasil”, lê-se num comunicado conjunto divulgado esta terça-feira, 9 de julho.

O voo charter desde o Porto para Natal vai contar com programas para alojamento de sete noites no destino, cujas informações vão estar disponíveis nos sites dos operadores parceiros nesta operação.

“A Solférias, Exoticoonline, Sonhando e Alto Astral (este último com a responsabilidade da venda dos trajetos Brasil/Portugal), numa estreita colaboração com todos os seus parceiros no destino, proporcionam aos agentes de viagem a capacidade de responder à crescente procura por este encantador país, e mais concretamente por esta época emblemática do ano”, lê-se ainda na informação divulgada.

Sobre o autorPublituris

Publituris

Mais artigos
Figuras

Highgate Portugal contrata dois novos vice-presidentes

A multinacional de gestão hoteleira apostou em Gaurav Garg para o cargo de vice-presidente de Revenue Management & Distribution. Já Nuno Sancho ficará responsável pela vice-presidência de Desenvolvimento de Negócio da Highgate Portugal.

A Highgate Portugal contratou Gaurav Garg e Nuno Sancho para cargos de vice-presidência na multinacional de gestão hoteleira, investimento, tecnologia e desenvolvimento.

Desta forma, Gaurav Garg assume o cargo de vice-presidente de Revenue Management & Distribution, enquanto Nuno Sancho passa a desempenhar a função de vice-presidente de Desenvolvimento de Negócio da empresa.

Com um percurso profissional de mais de 23 anos, Gaurav Garg passou pelo Grupo MGM Muthu Hotels enquanto diretor comercial e diretor do grupo, entre 2016 e 2024. Anteriormente, exerceu diferentes funções no Grupo Oberoi Hotels & Resorts, em Deli, Índia, entre as quais a de vice-presidente adjunto de Revenue Management & Contact Centre.

Neste novo cargo na Highgate Portugal, Gaurav Garg ficará responsável pela implementação das estratégias e processos de Revenue Management e Distribuição, “com o objetivo de continuar a otimizar e maximizar as receitas da operação do portefólio dos 18 hotéis e dos três campos de golfe em Portugal”, como a empresa refere em nota de imprensa.

Já Nuno Sancho terá como principais funções identificar e avaliar novas oportunidades para a gestão e aquisição de ativos hoteleiros, “impulsionando a expansão do portfolio da Highgate Portugal tanto no mercado português como no mercado espanhol”.

Com mais de duas décadas de experiência, Nuno Sancho ocupou o cargo de consultor sénior na JLL Portugal. Já entre 2019 e 2022, enquanto Business Development Manager, na Eurostars Hotel Company, liderou os esforços de expansão em várias regiões, incluindo Brasil, Portugal e Marrocos.

Sobre o autorPublituris

Publituris

Mais artigos
Destinos

Tailândia promove Amazing Beach Life Festival em julho e agosto

A Tailândia vai promover, nos meses de julho e agosto, o Amazing Beach Life Festival, iniciativa organizada pela Autoridade de Turismo da Tailândia (TAT) e que passa por quatro destinos de praia tailandeses.

A Tailândia vai promover, nos meses de julho e agosto, o Amazing Beach Life Festival, iniciativa organizada pela Autoridade de Turismo da Tailândia (TAT) e que passa por quatro destinos de praia tailandeses.

Rayong, Phang-Nga, Phuket e Songkhla são os destinos de praia da Tailândia onde vai decorrer o Amazing Beach Life Festival, que visa “impulsionar o turismo durante a estação verde da Tailândia”.

“Este projeto destaca a visão do governo ‘Ignite Tourism Thailand’ de tornar a Tailândia num centro de turismo e eventos a nível mundial. O objetivo é atingir mais de 88 mil milhões de euros em receitas turísticas para este ano e muito mais nos próximos anos”, afirma Phonpoom Vipattipumiprates, vice-ministro do Turismo e Desporto da Tailândia.

Em Rayong, o evento vai ter lugar na praia de Laem Charoen entre 12 a 14 de julho, enquanto Phang-Nga recebe o festival entre 26 a 28 de julho. Já a praia Patong, em Phuket, é palco do Amazing Beach Life Festival entre 2 e 4 de agosto, com a iniciativa a terminar em Chalatat Beach, em Songkhla, entre 9 e 11 de agosto.

O Amazing Beach Life Festival conta com diversas atividades, com destaque para os desportos aquáticos como o Sup-Board Surfskate, concertos musicais de artistas tailandeses famosos, atuações dos principais DJ’s da Tailândia, tatuagens, festas na praia e workshops DIY, como pinturas em tabuleiros de madeira e porta-chaves.

Uma feira de arte e artesanato local, food trucks, bar de praia e artigos de moda vão também fazer parte do Amazing Beach Life Festival, que vai ainda contar com instalações artísticas e pontos de referência alusivos a cada local anfitrião.

“O objetivo do evento é estimular mais viagens entre turistas estrangeiros e tailandeses com elevado poder de compra, o que ajudará a promover os benefícios do turismo pelas comunidades locais nestes quatro destinos de praia”, acrescenta Apichai Chatchalermkit, vice-governador de Produtos e Negócios Turísticos da TAT.

O evento pretende ainda destacar o esforço da TAT na promoção de um turismo mais sustentável e responsável, motivo pelo qual o festival vai contar com decorações sustentáveis e um stand para promoção de empresas premiadas de turismo sustentável.

A entrada no Amazing Beach Life Festival é gratuita e estão disponíveis mais informações aqui.

Sobre o autorPublituris

Publituris

Mais artigos

Anneaux JO Troca

Destinos

Aeroportos de Paris com greve a 17 de julho

O pré-aviso de greve surge a poucos dias do arranque dos Jogos Olímpicos de Paris e, além de melhores condições salariais, reclama também a contratação de pessoal para dar resposta ao aumento do fluxo de passageiros esperado durante o evento.

Os aeroportos da capital francesa foram alvo de um pré-aviso de greve que promete paralisar a aviação em Paris no dia 17 de julho, avança a Lusa, que cita vários sindicatos da ADP, o grupo que faz a gestão aeroportuária da capital francesa.

O pré-aviso de greve foi emitido porque os trabalhadores da ADP passar a ter um incentivo salarial que já foi atribuído a outros funcionários do grupo e que tem levado a acusações de “deterioração das condições de trabalho”.

Segundo a Lusa, os sindicatos que convocaram a greve reclamam um “bónus para todos os funcionários”, um plano de contratação “massivo” de 1.000 trabalhadores e a garantia de que será possível gozar folgas durante os Jogos Olímpicos, que arrancam a 26 de julho, na capital francesa.

A Lusa lembra ainda que a greve surge pouco antes da realização da competição desportiva, que deverá levar a um considerável aumento do fluxo de passageiros aeroportuários nesse período, o que leva os trabalhadores a pedir garantias de que os serviços não vão ficar sobrecarregados e de que o esforço será recompensado.

As organizações sindicais têm vindo a pedir mais meios para organizar o trabalho durante o evento e, numa assembleia geral na passada sexta-feira, 5 de julho, quase 300 funcionários “apoiaram a decisão unânime dos sindicatos de interromper a sua participação em todas as formas de reuniões com a gestão”, disseram os sindicatos.

Em reação ao anúncio, a administração da ADP sinalizou que “esta greve não deve levar ao cancelamento de voos”.

Sobre o autorPublituris

Publituris

Mais artigos

Opiniões sobre a Maxcolchon: O que valorizam os hóspedes quando estão de férias?

O setor de turismo está em constante evolução, e a satisfação dos hóspedes é um dos pilares fundamentais para o sucesso de qualquer empreendimento

Nesse contexto, o conforto durante a estadia é um fator crucial que pode determinar a experiência geral do viajante. A Maxcolchon, uma marca reconhecida no mercado de colchões, tem sido frequentemente mencionada em avaliações de hóspedes que procuram uma boa noite de sono durante suas férias. Este artigo explora as opiniões sobre Maxcolchon e destaca os aspectos mais valorizados pelos hóspedes quando estão de férias.

Conforto e qualidade do sono

Um dos principais fatores mencionados pelos hóspedes nas avaliações de Maxcolchon é o conforto dos colchões. Viajar pode ser exaustivo, e um colchão de qualidade pode fazer toda a diferença na recuperação do viajante. Hóspedes frequentemente elogiam a firmeza e o suporte oferecidos pelos colchões da marca, ressaltando como isso contribui para um sono reparador. Para os profissionais do setor de turismo, garantir que os seus hóspedes tenham acesso a um descanso de qualidade pode melhorar significativamente a satisfação e fidelidade dos clientes.

Higiene e durabilidade

Além do conforto, a higiene dos colchões é outro ponto crítico para os hóspedes. A marca Maxcolchon é frequentemente elogiada pela durabilidade e facilidade de manutenção dos seus produtos. Num ambiente onde a rotatividade de hóspedes é alta, como em hotéis e pousadas, investir em colchões que mantêm a sua qualidade ao longo do tempo e são fáceis de limpar é uma vantagem competitiva.

Personalização e variedade

Os hóspedes também valorizam a capacidade de personalização que Maxcolchon oferece. A marca disponibiliza uma ampla gama de produtos que atendem diferentes preferências de firmeza e materiais. Essa variedade permite que estabelecimentos turísticos escolham os melhores colchões que atendam às expectativas de um público diversificado com as melhores ofertas de colchões baratos do mercado nacional. Para um gestor de hotel ou pousada, poder oferecer opções de colchões que se adaptam a diferentes necessidades é um diferencial que pode atrair mais clientes.

Preço e acessibilidade

Embora a qualidade seja fundamental, o custo também é uma consideração importante. Os hóspedes frequentemente mencionam a relação custo-benefício dos colchões Maxcolchon. Para os profissionais do turismo, conseguir os melhores produtos pelo melhor preço é essencial, pois permite aos gestores de estabelecimentos turísticos oferecer um conforto de qualidade a preços acessíveis, otimizando os seus investimentos e aumentando a satisfação dos clientes.

Experiência do cliente

Por fim, a experiência de compra e atendimento ao cliente proporcionada pela Maxcolchon também é frequentemente mencionada nas avaliações. Um suporte eficaz e uma logística ágil contribuem para uma experiência positiva desde a compra até a entrega e uso do produto. Para profissionais do turismo, essa confiabilidade é crucial, pois garante que os colchões cheguem em bom estado e no prazo, evitando transtornos e insatisfações.

A escolha dos colchões em estabelecimentos turísticos é um fator que impacta diretamente a experiência dos hóspedes. As opiniões sobre a Maxcolchon destacam a importância de investir em produtos que oferecem conforto, higiene, durabilidade, variedade e uma boa relação custo-benefício. Ao considerar as melhores ofertas de colchões da marca, os profissionais do setor de turismo podem garantir que os seus hóspedes desfrutem de uma estadia agradável e reparadora, contribuindo para a fidelização e satisfação dos clientes.

Investir em colchões de qualidade não é apenas uma questão de conforto, mas também de estratégia para melhorar a experiência do cliente e, consequentemente, o sucesso do empreendimento no competitivo mercado do turismo.

 

Sobre o autorBrand SHARE

Brand SHARE

Mais artigos
Destinos

Lisboa é o terceiro destino mais procurado por europeus para o verão 2024

Segundo o relatório “Tendências de viagens de verão 2024” da plataforma de marketing digital para profissionais do turismo Sojern, Lisboa é o terceiro destino mais procurado por turistas europeus, o quarto por turistas da América Latina e o nono entre os turistas norte-americanos.

A capital portuguesa está em alta e volta a ser apontada como um dos destinos mais procurados por turistas de todo o mundo para férias, com destaque para os europeus, que colocam Lisboa como o terceiro destino preferido para o verão de 2024, segundo um recente estudo da Sojern, plataforma de marketing digital para profissionais do turismo.

Segundo o relatório “Tendências de viagens de verão 2024”, Londres permanece no topo das preferências para turistas da Europa, América do Norte, Médio Oriente e África, mas Lisboa destaca-se em várias regiões, sendo mesmo o terceiro destino mais procurado por turistas europeus, o quarto por turistas da América Latina e o nono entre os turistas norte-americanos.

“Estes dados, que colocam Lisboa no TOP 10 de três dos mercados mais relevantes, sublinham a atratividade crescente da capital portuguesa entre os viajantes de todo o mundo”, considera a Sojern, num comunicado divulgado esta terça-feira, 9 de julho.

Os dados deste relatório são confirmados por um estudo anterior, datado de fevereiro de 2024, que também indicava que “Portugal continua a ser um destino muito procurado em alguns mercados chave, com cerca de 75% das reservas de voos provenientes de 10 países”.

“A Alemanha lidera como o maior mercado emissor com 15,3%, seguida pelos Estados Unidos com 11,0%. Comparado com 2023, observa-se um aumento nas reservas de voos provenientes da Alemanha e dos Estados Unidos, refletindo uma crescente atratividade de Portugal entre os turistas destes países”, acrescenta a Sojern.

O “Travel Outlook” da Sojern mostra ainda que os viajantes para Portugal estão a planear as suas viagens com maior antecedência, com 38,53% das reservas feitas com mais de três meses de antecedência, sendo as estadias predominantemente de quatro a sete dias (34,46%) ou de oito a 14 dias (29,74%), existindo ainda um equilíbrio entre viajantes individuais (36,1%), casais (32,8%) e famílias (31,1%).

“Estas tendências indicam uma preferência por estadias mais longas e um planeamento mais cuidadoso das viagens”, considera a Sojern.

Os dados mostram também que já há “um crescimento significativo nas reservas de viagens para o período de Natal”, uma vez que se verifica um aumento de 48% no número de bilhetes emitidos em comparação com o mesmo período de 2023.

“Este aumento pode ser atribuído ao clima mais ameno de Portugal, tornando-o uma opção atrativa para turistas do norte da Europa durante os meses mais frios. A tendência de viagens distribuídas de maneira mais uniforme ao longo do ano, com picos em fevereiro, março e os meses de verão, mas com um interesse crescente no final do ano”, refere ainda a Sojern.

Segundo Jesús Ramírez Medina, Sales Director da divisão Hotéis da Sojern, os dados mais recentes mostram que “Portugal, e especialmente Lisboa, está a ganhar destaque como um destino preferencial para turistas de diversas partes do mundo”.

“O planeamento antecipado, as estadias mais longas e o aumento das reservas para o período de final de ano sublinham a atratividade contínua do país, consolidando a sua posição como um dos destinos mais desejados para 2024”, acrescenta o responsável.

 

 

Sobre o autorPublituris

Publituris

Mais artigos
Aviação

Bruxelas abre investigação a ajuda estatal alemã de 6 MM€ à Lufthansa na pandemia

A Comissão Europeia anunciou uma investigação à ajuda estatal alemã de seis mil milhões de euros para recapitalizar a Lufthansa no contexto da pandemia de Covid-19, visando averiguar conformidade com as regras da União Europeia (UE).

Victor Jorge

“A Comissão Europeia deu início a uma investigação aprofundada para avaliar se uma medida de recapitalização alemã de seis mil milhões de euros a favor da Deutsche Lufthansa AG está em conformidade com as regras da UE em matéria de auxílios estatais”, divulga a instituição em comunicado hoje publicado.

Em causa estava um apoio público (dos mais elevados dados a companhias aéreas durante a pandemia) da Alemanha para “restabelecer a posição do balanço e a liquidez da Lufthansa na situação excecional causada pelo coronavírus”, medida que foi aprovada pelo executivo comunitário em 25 de junho de 2020 ao abrigo do quadro temporário relativo aos auxílios estatais.

Porém, esta ajuda estatal foi posteriormente anulada pelo Tribunal Geral da UE em 10 de maio de 2023, por se considerar que “a Comissão cometeu vários erros” aquando da aprovação e que não estava em conformidade com as regras da UE, tendo sido depois interposto um recurso.

Foi aliás devido ao acórdão que Bruxelas decidiu avançar com a investigação aprofundada agora anunciada, que visa “avaliar melhor a medida de recapitalização” no que toca à elegibilidade da Lufthansa para o auxílio, à necessidade de um mecanismo para saída do Estado do capital da empresa, ao preço das ações, à existência de um peso ainda significativo no mercado e ao cumprimento dos compromissos impostos à Lufthansa (em questões como a alienação de faixas horárias e à proibição de distribuição de dividendos).

Em meados de maio, o Tribunal Geral da UE, primeira instância, anulou então a decisão da Comissão Europeia que aprovou uma ajuda estatal de seis mil milhões de euros da Alemanha para recapitalização da Lufthansa durante a pandemia de covid-19.

O tribunal alegou que “a Comissão cometeu vários erros, nomeadamente quando considerou que não era possível à Lufthansa encontrar financiamento nos mercados para cobrir todas as suas necessidades”.

Ao mesmo, o executivo comunitário “não exigiu um mecanismo que incentivasse a Lufthansa a voltar a adquirir a participação da Alemanha o mais rapidamente possível, quando negou que existia um poder de mercado significativo da Lufthansa em certos aeroportos e quando aceitou determinados compromissos que não garantiam a preservação de uma concorrência efetiva no mercado”.

A decisão preliminar do tribunal, entretanto alvo de recurso, surgiu após uma ação interposta pela companhia aérea de baixo custo Ryanair, que contestou várias ajudas estatais dadas ao setor aéreo durante a pandemia, nomeadamente relativa à TAP.

Em junho de 2020, devido às consequências da covid-19 na aviação, a Alemanha pediu autorização a Bruxelas para avançar com um auxílio estatal sob a forma de uma recapitalização no montante de seis mil milhões de euros à Lufthansa AG, empresa mãe do grupo, medida que integrava um conjunto de apoios públicos para restabelecer a liquidez (de um total de nove mil milhões de euros).

Este auxílio consistia numa participação no capital de cerca de 306 milhões de euros, numa participação passiva não convertível em ações de cerca de 4,7 mil milhões de euros e numa participação passiva de mil milhões de euros como obrigação convertível.

Por norma, este tipo de apoios públicos são vedados pelas regras europeias para concorrência equitativa, mas tais normas foram aliviadas durante a pandemia para facilitar a recuperação de importantes empresas da UE, como as companhias aéreas comunitárias, que ficaram paradas durante algum tempo.

Sobre o autorVictor Jorge

Victor Jorge

Mais artigos

323_Fachada_A_Cam002

Alojamento

The Verse: o novo aparthotel a abrir portas na Rua de São Bento em Lisboa

O número 39 da Rua de São Bento, em Lisboa, passa a contar com um novo boutique aparthotel com 15 unidades de alojamento nas tipologias T1 e T2, divididas por cinco pisos. O edifício, totalmente renovado, tem a assinatura do arquiteto Carrilho da Graça.

Publituris

O The Verse é o mais recente aparthotel da Rua de São Bento, em Lisboa, cuja data de abertura está marcada para 15 de agosto.

Este boutique aparthotel conta com cinco pisos e divide-se entre 15 unidades de alojamento, num projeto detido pelos sócios David Clarkin e Andrew Richardson, bem como pelos respetivos filhos, Henry Clarkin e Anna Richardson.

No piso 0 é possível encontrar dois apartamentos T1 com pátio privativo. Os restantes 13 apartamentos dividem-se pelos pisos superiores, sendo que um deles é um T2 com terraço.

Estas unidades de alojamento estão totalmente equipadas com cozinha e sala de estar e, apesar de seguirem a mesma linha, “todas as tipologias apresentam características e pormenores que as tornam especiais à sua maneira”, como referido em comunicado. Destaque também para o rés-do-chão, onde uma zona híbrida de lobby junta uma receção ativa 24 horas por dia e um espaço de bar pronto para receber eventos especiais com sessões de DJ.

Créditos: The Verse

O mais recente aparthotel no número 39 da Rua de São Bento está integrado num edifício totalmente renovado pelo arquiteto Carrilho da Graça, sendo que o design de interiores, a decoração e curadoria artística ficaram a cargo do Studio Astolfi.

Por forma a “deixar transparecer a essência portuguesa”, todos os espaços do The Verse são decorados com peças feitas à medida por artistas e artesãos portugueses. A ideia passa por transmitir “uma narrativa forte com movimentos elegantes e inesperados, apresentando um ambiente convidativo, acolhedor, contemporâneo e requintado”.

Os preços de estadia nas unidades de alojamento do The Verse variam entre os 300 e os 700 euros.

Créditos: The Verse

Sobre o autorPublituris

Publituris

Mais artigos
Destinos

FIA Lisboa chega ao fim com 48 mil visitantes e “balanço muito positivo”

Na edição deste ano, que terminou domingo, 7 de julho, a FIA Lisboa recebeu um total de 48 mil visitantes, num crescimento de 12% relativamente à edição anterior.

Publituris

A edição de 2024 da FIA Lisboa – Feira Internacional do Artesanato chegou ao fim este domingo, 7 de julho, e mereceu um “balanço muito positivo”, uma vez que contabilizou um total de 48 mil visitantes, num crescimento de 12% relativamente à edição anterior.

“O artesanato é nossa identidade. É cultura, arte e tradição. Mas é também um sector da nossa economia com um elevado potencial de gerar receitas para os artesãos e para o turismo das suas regiões. Esse é o principal objetivo da FIA e do IEFP, que mais uma vez foi, amplamente, atingido nesta edição”, refere Carla Borges, gestora da FIA, citada num comunicado divulgado esta segunda-feira, 8 de julho.

Segundo um inquérito realizado aos visitantes da FIA Lisboa, 87,8% dos indivíduos que visitaram o certame classificaram a sua visita como “boa” ou “muito boa”, enquanto 98,2% afirmaram que recomendariam a visita à FIA Lisboa a amigos e familiares e 94,1% manifestaram interesse em visitar a próxima edição, que vai ter lugar em 2025.

“Estes são números que, naturalmente, nos enchem de orgulho e que evidenciam a importância da FIA enquanto momento único de comunhão entre os artesãos e o grande público amante do artesanato”, acrescenta Carla Borges.

Na edição deste ano, a FIA Lisboa contou também com a participação de 30 países que estiveram representados no certame, com destaque para a Tunísia, que foi o país convidado desta edição da feira.

Nesta edição, foram ainda premiados os artesãos Catarina Tudella no “Artesanato Contemporâneo” e Fernando Rei no “Artesanato Tradicional”.

A próxima edição da FIA Lisboa vai ter lugar entre 28 de junho e 6 de julho, regressando novamente à FIL – Feira Internacional de Lisboa, no Parques das Nações, em Lisboa.

Sobre o autorPublituris

Publituris

Mais artigos
Alojamento

Autarca de Lisboa insiste na subida da taxa turística para ter “melhor limpeza, melhores espaços, mas também mais cultura”

Carlos Moedas defende que a taxa turística da capital deve subir de dois para quatro euros por noite, de forma a financiar mais equipamentos de cultura, a exemplo do “Centro Interpretativo dos Murais de Almada nas Gares Marítimas”, que recebeu cerca de 3,5 milhões de euros provenientes da taxa turística.

Publituris

O presidente da Câmara Municipal de Lisboa, Carlos Moedas, voltou esta segunda-feira, 8 de julho, a insistir na subida do valor da taxa turística cobrada sobre as dormidas em Lisboa, defendendo que o montante arrecadado será investido em “melhor limpeza, melhores espaços, mas também mais cultura”.

“Se a cidade vir o valor do turismo, seja em melhor limpeza, melhores espaços, mas também mais cultura, então o turismo vale mesmo a pena, ele é visível”, disse Carlos Moedas, durante a cerimónia de assinatura do contrato de concessão para criação do “Centro Interpretativo dos Murais de Almada nas Gares Marítimas”.

Carlos Moedas defende que a taxa turística da capital deve subir de dois para quatro euros por noite, dando como exemplo o novo “Centro Interpretativo dos Murais de Almada nas Gares Marítimas”, que recebeu cerca de 3,5 milhões de euros provenientes da taxa turística para a sua concretização.

“Quando eu digo que quero aumentar a taxa turística é exatamente para ter mais cultura, mais equipamentos de cultura, é para maior limpeza da cidade, é para ter espaços mais verdes”, insistiu o presidente da Câmara, em declarações aos jornalistas, no final da cerimónia.

Carlos Moedas mostrou-se, desta forma, indiferente às criticas da Confederação do Turismo de Portugal (CTP) e Associação de Hotelaria de Portugal (AHP), que são contra o aumento da taxa para o dobro do valor cobrado atualmente.

Além de permitir uma maior aposta na limpeza da cidade e na cultura, Carlos Moedas vincou ainda, segundo a Lusa, que esta medida permite “baixar os impostos aos lisboetas”, lembrando que o turismo corresponde a quase 20% da economia da cidade e 25% do emprego, garantindo, por isso, que a ideia “não é diminuir o turismo, mas apostar também em outras áreas”.

“Temos trabalhado com o Turismo de Lisboa para pensar novas centralidades, […], nós temos mais ou menos 35.000 turistas [diários] que entram na nossa cidade e esses 35.000 normalmente vão exatamente para os mesmos sítios, vão para as mesmas partes da cidade e aquilo que nós temos de conseguir é novas centralidades, como é o caso daquilo que estamos aqui a fazer”, acrescentou o autarca lisboeta.

Presente na cerimónia esteve também Vitor Costa,  diretor-geral da Associação de Turismo de Lisboa, que sublinhou que o importante é que a “qualidade da cidade seja melhorada com esses recursos também”.

Os turistas, quando vão a determinada cidade, também têm o seu peso, a sua interferência, e a nós o que nos preocupa no setor do turismo é que haja recursos para que os turistas tenham maior ligação com a cidade e que a qualidade da cidade seja melhorada com esses recursos também”, disse o responsável, considerando que “é bom para os turistas, mas é também, sobretudo, bom para os residentes”.

Relativamente aos receios manifestados por algumas entidades de que o aumento da taxa faça diminuir o número de turistas, Vítor Costa disse não partilhar desta visão e acredita que tal não vai acontecer.

“Já tivemos experiência de quando a taxa foi introduzida, com um euro, quando ela passou para dois euros, e isso não teve nenhum impacto. Este movimento de requalificação, da maior qualidade do turismo em Lisboa tem-se verificado”, argumentou.

Sobre o autorPublituris

Publituris

Mais artigos
PUB
PUB
PUB
PUB
PUB
PUB
PUB
PUB
PUB
PUB
PUB
PUB

Navegue

Sobre nós

Grupo Workmedia

Mantenha-se informado

©2024 PUBLITURIS. Todos os direitos reservados.