Edição digital
Assine já
PUB
Aviação

Airbus entrega mais 50 aeronaves comerciais em 2022

A Airbus entregou, em 2022, 661 aeronaves comerciais. Destaque para a família A320 da qual foram entregues 516 unidades. A carteira de encomendas, a 31 de dezembro de 2022, ascendia a 7.239 aeronaves.

Publituris
Aviação

Airbus entrega mais 50 aeronaves comerciais em 2022

A Airbus entregou, em 2022, 661 aeronaves comerciais. Destaque para a família A320 da qual foram entregues 516 unidades. A carteira de encomendas, a 31 de dezembro de 2022, ascendia a 7.239 aeronaves.

Publituris
Sobre o autor
Publituris
Artigos relacionados
TAP distingue os melhores parceiros de 2023
Transportes
Nova Edição: Os nomeados dos Publituris “Portugal Travel Awards 2024”. Conheça-os na edição 1512
Prémios
Edição Digital: Os nomeados dos Publituris Portugal Travel Awards 2024. Conheça-os na edição 1512
Edição Digital
Marca NH Collection celebra os 10 anos em cinco hotéis na Europa incluindo Lisboa
Hotelaria
Operadores turísticos promovem campanha para assinalar o Dia Nacional do Agente de Viagens
Distribuição
Coimbra: Projeto de turismo sustentável tem apoio de 4,9M€ da Comissão Europeia
Destinos
APG-IET integra Volotea
Aviação
AirHelp antecipa panorama dos voos em Portugal no verão
Transportes
Vamos Portugal chega ao mercado nacional do renting
Transportes
Praga continua entre os destinos de MICE mais procurados do mundo
Meeting Industry

A Airbus entregou, em 2022, 661 aeronaves comerciais a 84 clientes, tendo registado 1.078 novos pedidos brutos. A entrega destas 661 aeronaves correspondem a mais 50 unidades que no ano anterior de 2021, significando um aumento de 8% face ao exercício anterior quando a companhia entregou 611 aviões.

Entre as famílias de aeronaves entregues, em 2022, destaque para os A320, com 516 unidades, mais 33 unidades que em 2021. Dos A350, a Airbus entregou 60 unidades, mais cinco que em 2021, e dos A220 e A330 foram entregues 53 e 32 unidades, respetivamente (mais três e 14, em cada um dos casos). Já dos A380, a Airbus revela que não procedeu a qualquer entrega contra as cinco unidades entregues em 2021.

Relativamente à carteira de encomendas da Airbus, a 31 de dezembro de 2022, a companhia refere que esta ascendia a 7.239 aeronaves.

Face ás entregas efetuadas no ano passado, Guillaume Faury, CEO da Airbus, considera que foram “menos do que pretendíamos”, mas, adianta que “a significativa entrada de pedidos abrangendo todas as nossas famílias de aeronaves, incluindo cargueiros, reflete a força e a competitividade da nossa linha de produtos”.

A Airbus informa ainda ter recebido 1.078 novos pedidos (820 líquidos) em todos os programas e segmentos de mercado, incluindo vários compromissos de alto nível de algumas das principais operadoras do mundo. Em número de aeronaves, a Airbus registou um ratio líquido entre pedidos e entregas significativamente superior a um.

Por programas, o A220 obteve 127 novos pedidos brutos firmes. A Família A320neo conquistou 888 novos pedidos brutos. No segmento widebody, a Airbus obteve 63 novos pedidos brutos, incluindo 19 unidades A330 e 44 aeronaves A350, dos quais 24 foram para o recém-lançado A350F.

Sobre o autorPublituris

Publituris

Mais artigos
Artigos relacionados
TAP distingue os melhores parceiros de 2023
Transportes
Nova Edição: Os nomeados dos Publituris “Portugal Travel Awards 2024”. Conheça-os na edição 1512
Prémios
Edição Digital: Os nomeados dos Publituris Portugal Travel Awards 2024. Conheça-os na edição 1512
Edição Digital
Marca NH Collection celebra os 10 anos em cinco hotéis na Europa incluindo Lisboa
Hotelaria
Operadores turísticos promovem campanha para assinalar o Dia Nacional do Agente de Viagens
Distribuição
Coimbra: Projeto de turismo sustentável tem apoio de 4,9M€ da Comissão Europeia
Destinos
APG-IET integra Volotea
Aviação
AirHelp antecipa panorama dos voos em Portugal no verão
Transportes
Vamos Portugal chega ao mercado nacional do renting
Transportes
Praga continua entre os destinos de MICE mais procurados do mundo
Meeting Industry
PUB
Transportes

TAP distingue os melhores parceiros de 2023

No evento anual, a TAP Air Portugal premiou os melhores parceiros de vendas de 2023 que promoveram a companhia dentro e fora do país.

Victor Jorge

A TAP Air Portugal homenageou esta quinta-feira, 23 de maio, os agentes de viagens que mais se destacaram na venda de bilhetes para voos da companhia, nos principais mercados onde atua, com a tradicional cerimónia de entrega dos TAP Awards.

O evento, presidido pelo chaiman e CEO da TAP, Luís Rodrigues, contou com representantes do setor de viagens e turismo de Portugal, Brasil, Estados Unidos da América, África e dos principais mercados da Europa.

Os prémios TAP Awards foram entregues aos agentes de viagens que mais se distinguiram no último ano pelo volume de vendas realizado para voos da TAP, reforçando, assim, a companhia o reconhecimento da importância dos seus parceiros privilegiados de negócio para o desenvolvimento da atividade e dinamização da indústria de viagens e turismo e o contributo que dão para a consolidação das vendas e sustentabilidade da transportadora.

Os vencedores dos TAP Awards nas diferentes categorias foram:

LEISURE
Top Seller Global OTA – Etraveli
Top Seller Groups – Pinto Lopes
Top Seller Global Cruises – MSC Cruises

CORPORATE
Top Seller Global TMC – GBT AMEX
Top Seller Business Class Global TMC – BCD

EUROPA
Top Seller Itália – Gattinoni
Top Seller Business class Itália – Welcome Travel Group

Top Seller Reino Unido – Latitude Forty Travel
Top Seller Business Class – Travel Counsellors

Top Seller França – Selectour
Top Seller Business Class – Manor

Top Seller Alemanha – Aerticket
Top Seller Business Classe – Der Business Travel

Top Seller Espanha – AvorisSpain
Top Seller Business Class Espanha – El Corte Inglés

BRASIL
Top Seller Brasil – CVC Corp
Top Seller Business Class Brasil – BEFLY
Top TAP Partner Sales – Pontestur

AMÉRICA do NORTE
Top Growth América do Norte – Voyages à la Carte
Top Seller América do Norte – Expedia
Top Cruise Line América do Norte – Norwegian Cruise Line

ÁFRICA
Top Seller África – Realvitur
Top Seller Bussines Class África – Atlântida WTA Viagens
Top Growth All Cabins África – Travelstore

PORTUGAL
Top Seller Portugal – Wamos
Top Seller Business Class Portugal – Go4Travel
Top Seller South Atlantic Portugal – Abreu
Top Seller Tour Operator Portugal – Solférias

Sobre o autorVictor Jorge

Victor Jorge

Mais artigos
Prémios

Nova Edição: Os nomeados dos Publituris “Portugal Travel Awards 2024”. Conheça-os na edição 1512

A próxima edição do Publituris faz capa com os nomeados dos Publituris “Portugal Travel Awards” 2024. Nesta 19.ª edição, há 177 nomeados em 22 categorias. Além disso, falamos das restrições no turismo, do ATM 2024, WTTC e de seguros de viagens.

Publituris

A última edição de maio do jornal Publituris destaca os nomeados dos Publituris “Portugal Travel Awards” 2024. Nesta 19.ª edição, há 177 nomeados nas 22 categorias que estarão a votação a partir de segunda-feira, 27 de maio, no site dos prémios criado para o efeito e que estará online no dia do arranque da votação.

As categorias são: Melhor Companhia de Aviação, Melhor Companhia de Aviação Lowcost, Melhor Rent-a-Car, Melhor Operador Turístico, Melhor Rede de Agências de Viagens, Melhor Companhia de Cruzeiros, Melhor Cadeia Hoteleira, Melhor Hotel Cinco Estrelas, Melhor Hotel Quatro Estrelas, Melhor Hotel Resort, Melhor Boutique Hotel, Melhor Hotel de Cidade, Melhor Hotel MICE, Melhor Hotel de Praia, Melhor Turismo Rural, Melhor Enoturismo, Melhor Campo de Golfe, Melhor Parque Temático e Diversões, Melhor Empresa de Animação Turística, Melhor Marina, Melhor Destino Internacional, Melhor Região de Turismo Nacional.

Haverá ainda a lugar ao Prémio “Belmiro Santos”, atribuído diretamente pela redação do jornal Publituris.

Os vencedores serão conhecidos no dia 4 de julho, no Pestana Douro Riverside, no Porto, a partir das 19h00.

Os vencedores resultarão de uma média ponderada entre os votos do júri (45%), dos assinantes do jornal Publituris (45%) e subscritores da newsletter diária (10%).

Relativamente aos subscritores da newsletter diária, só serão contabilizados os votos dos registos efetuados até 24 de maio, ficando o registo suspenso até ao final da votação, ou seja, até dia 27 de junho de 2024.

O júri é composto por: Ana Jacinto (Secretária-geral da AHRESP); André Gomes (Presidente da Região de Turismo do Algarve); António Marques Vidal (Presidente da APECATE); Carla Salsinha (Presidente da ERT de Lisboa); Carlos Brandão (Presidente da ESHTE); Cristina Siza Vieira (Vice-presidente Executiva da AHP); Dália Palma (Gestora Coordenadora da BTL); Eduardo Jesus (Secretário Regional do Turismo da Madeira); Eduardo Miranda (Presidente da ALEP); Fernando Garrido (Presidente da ADHP); Francisco Pita (CCO da ANA – Aeroportos de Portugal); Francisco Serzedello (CEO da GR8 events); Jaime Quesado             (Economista e gestor); Joaquim Robalo de Almeida (Secretário-geral da ARAC); Jorge Costa (Presidente do IPDT); José Santos (Presidente da Turismo do Alentejo e Ribatejo); Lídia Monteiro (Vogal do Conselho Diretivo do Turismo de Portugal); Luís Pedro Martins (Presidente do Turismo do Porto e Norte de Portugal); Miguel Quintas (Presidente da ANAV); Nuno Abranja (Diretor do Departamento de Turismo do ISCE); Pedro Costa Ferreira (Presidente da APAVT); Raul Almeida (Presidente da Turismo do Centro de Portugal); Rodrigo Pinto Barros (Presidente da APHORT); Sérgio Guerreiro (Professor Convidado da NOVA SBE); Sofia Almeida (Coordenadora Vertical da Área Turismo & Hospitalidade da Universidade Europeia).

Também nesta edição, destacamos as medidas restritivas que estão a ser impostas para conter os fluxos de turistas, principalmente nas cidades europeias, que colocam constrangimentos aos operadores turísticos cujo core business são os circuitos culturais e viagens de grupo. Como é que estão a lidar com estas questões, nomeadamente das taxas turísticas, da burocracia, limitação do número de pessoas por guia, aumento constante, e quase sem aviso, do preço das entradas de grupos de turistas em monumentos e atrações turísticas, e a distância em que os autocarros, cada vez mais, são obrigados a ficar dos centros históricos de algumas cidades, foi o que o Publituris pretendeu conhecer, em conversa com diversos profissionais ligados à operação turística.

A viagem ao Arabian Travel Market (ATM) 2024, a convite do Turismo do Dubai, veio confirmar algo que já se suspeitava há muito. A região do Conselho de Cooperação do Golfo (CCG) não quer ficar somente por um destino turístico. Sejam os EAU, mas principalmente, o Dubai, pretendem tornar-se num hub global, no qual o turismo terá um papel fulcral.

Também no Dubai, tivemos uma conversa (curta) com Julia Simpson, presidente e CEO do World Travel & Tourism Council (WTTC), na qual se mostrou surpreendida (pela positiva) com os resultados obtidos pelo turismo em Portugal. Julia Simpson também mostrou uma certa curiosidade [a conversa foi tida antes de se conhecer a decisão sobre o novo aeroporto para a região de Lisboa] sobre como Portugal conseguirá manter esta performance. “Sem novo aeroporto, como irão crescer?” perguntou a CEO e presidente do WTTC, além de querer saber novidade sobre o processo de privatização da TAP.

O dossier desta edição é dedicado aos seguros de viagem. Depois de ultrapassado o período da pandemia, considerado por todos como o que criou uma das maiores crises económicas, especialmente nas viagens, a adaptação da oferta dos seguros foi não só necessária como obrigatória. Mas se antes os seguros de viagem eram vistos como uma precaução adicional, hoje são considerados indispensáveis para quem viaja.

Além do “Check-in”, as opiniões desta edição pertencem a Francisco Jaime Quesado (economista e gestor), Sílvia Dias (Savoy Signature), Carlos Torres (jurista), e Pedro Castro (SkyExpert).

A versão completa desta edição é exclusiva para subscritores do Publituris. Pode comprar apenas esta edição ou efetuar uma assinatura do Publituris aqui obtendo o acesso imediato.

Para mais informações contacte: Carmo David | [email protected] | 215 825 430

Nota: Se já é subscritor do Publituris entre no site com o seu Login de assinante, dirija-se à secção Premium – Edição Digital e escolha a edição que deseja ler, abra o epaper com os dados de acesso indicados no final do resumo de cada edição.

Boas leituras.

Sobre o autorPublituris

Publituris

Mais artigos
Transportes

Vamos Portugal chega ao mercado nacional do renting

Criada em Espanha, em 2019, a Vamos Portugal tem como objetivo tornar-se na plataforma líder e de referência em renting online de veículos, apostando em soluções perfeitamente direcionadas aos seus diferentes clientes.

Publituris

A Vamos Portugal é a nova plataforma de renting em Portugal, apresentando-se como a solução alternativa à atual vertente de negócios implementada no nosso país. Criada em Espanha, em 2019, por Mario Carranza, empresário espanhol com uma década de experiência no sector da mobilidade e da tecnologia, a plataforma Vamos alarga, agora, a sua área de intervenção à totalidade do espaço ibérico, fruto da criação da Vamos Portugal, entidade que no nosso país estará sob a direção de Anderson Miranda.

Assumindo objetivos ambiciosos, mas perfeitamente definidos, a Vamos Portugal pretende oferecer uma experiência totalmente digital à sua carteira de clientes – 7.100 entidades, entre particulares e estruturas profissionais como PMEs, Frotistas e Rent-a-Car e plataformas TVDE – permitindo-lhes a aquisição de veículos em renting de uma forma rápida e fácil, com soluções à medida, num pacote do tipo tudo incluído, associada a rendas mensais específicas, transparentes e perfeitamente balizadas.

“Apercebemo-nos de que, embora as pessoas adorem automóveis, nem toda a gente pretende, de facto, ter um em seu nome, fruto de todos os custos associados e das demais obrigatoriedades inerentes à posse de uma viatura, seja ela de âmbito particular ou profissional”, refere Anderson Miranda, cofundador e diretor-geral da Vamos Portugal.

Fortemente apostada na digitalização e na implementação de processos simples e imediatos, operados em ambiente online, a Vamos Portugal aposta num portal dedicado – em www.vamos.pt – através do qual apresenta parte significativa da sua oferta de viaturas e de soluções, num processo suportado por uma equipa de profissionais, aptos a ajudar os interessados a encontrarem soluções à medida das suas necessidades.

Sedeada nos arredores de Lisboa, a Vamos Portugal iniciou as suas operações em solo nacional em abril de 2024, contando, à data, com uma equipa de oito colaboradores, sob a direção de Anderson Miranda (diretor-geral) e da respetiva equipa de gestão, composta por Tiago Mendonça (diretor de Operações), Susana Varandas (diretora Comercial) e Brigite Correia (responsável de Pós-Venda).

A Vamos Portugal pretende fazer crescer, no curto prazo, em face dos contratos que têm neste momento em fase de lançamento ou execução, a operação não só em Portugal Continental, como nas Regiões Autónomas dos Açores e da Madeira.

Sobre o autorPublituris

Publituris

Mais artigos
Destinos

Governo alivia restrições impostas ao consumo de água no Algarve devido à seca

O Governo decidiu aliviar as restrições impostas aos consumos de água na agricultura e no setor urbano do Algarve, incluindo o turismo, para fazer face à seca na região, anunciou o primeiro-ministro, Luís Montenegro, em Faro.

Publituris

“O Governo decidiu revogar a resolução 26A de 2024, de 20 de fevereiro, e nas próximas semanas vai ser aprovada e publicada uma outra resolução que visa dar continuidade a uma política de responsabilidade, mas, ainda assim, aliviar as restrições que estão hoje em vigor face à situação de 2023”, afirmou o primeiro-ministro, após uma reunião da comissão de acompanhamento da seca, em Faro.

Luís Montenegro indicou que o Executivo vai aprovar um “alívio de cerca de 20 hectómetros cúbicos na restrição que está hoje em vigor em todas as áreas de atividade”, distribuindo-se este valor por “2,65 hectómetros cúbicos de alívio no consumo urbano, de 13,14 de alívio no consumo da agricultura e de 4,17 no alívio no consumo para o turismo”.

Em fevereiro, o anterior Governo, liderado por António Costa, decretou a situação de alerta no Algarve devido à seca e aplicou medidas de contingência que previam reduções de consumo de 25%, para a agricultura, e de 15%, para o setor urbano.

Agora, Luís Montenegro anunciou um alívio destas restrições, embora frisando que é preciso preservar ao máximo a água, que é “um recurso escasso” na região.

Montenegro disse ainda que os dados representam, “face a 2023, um diminuição de disponibilidade de 10% no consumo urbano e 13% no consumo para agricultura e turismo”.

O primeiro-ministro disse ainda que é necessário “diminuir perdas nas várias utilizações de água” e recorrer a águas residuais em casos onde esta fonte é viável, como nos golfes, assegurando que o objetivo do Governo é também promover investimento que “possa ajudar a esta gestão mais eficiente” da água.

Sobre o autorPublituris

Publituris

Mais artigos
Destinos

Porto entre as cidades mais baratas para uma “escapadinha” de fim de semana

Um recente estudo divulgado pela Stasher coloca a cidade do Porto entre as mais baratas para uma “escapadinha” de fim de semana na Europa.

Victor Jorge

A cidade do Porto aparece entre as 10 cidades mais baratas para uma “escapada” de fim de semana. Segundo o estudo divulgado pela Stasher, com base em dados da Hotels.com, Kayak.co.uk, e Numbeo.com, a cidade Invicta coloca-se em 9.º lugar, com um preço de 787 para uma viagem para duas pessoas, incluindo aeroporto, voos, quartos de hotel, refeições e transportes locais.

Em primeiro lugar, aparece Cracóvia (Polónia), com um preço de 617 euros, seguida de Bucareste (Roménia) com 655 euros, fechando Varsóvia (Polónia) o Top 3 com 656 euros.

Antes do Porto aparecem ainda Riga (Letónia, com 676 euros), Praga (Chéquia, com 716 euros), Budapeste (Hungria, com 730 euros), Istambul (Turquia, com 730 euros) e Estocolmo (Suécia, com 782 euros). A finalizar o ranking e no 10.º lugar, surge a cidade espanhola de Valência, com 793 euros.

Já nas cidades mais caras para a mesma escapadela de fim de semana, o 1.º lugar pertence a Zurique (Suíça), com 1.382 euros, seguida de Reiquiavique (Islândia), com 1.349 euros, fechando o Top 3 a cidade de Colónia (Alemanha), com 1.260 euros.

Fazem ainda parte deste ranking das cidades mais caras para um fim de semana: Edimburgo (Escócia), Genebra (Suíça), Florença, Veneza, Milão e Roma (Itália) e Copenhaga (Dinamarca).

Sobre o autorVictor Jorge

Victor Jorge

Mais artigos

Praia de Verandinha na ilha da Boavista, Cabo Verde

Destinos

Governo cabo-verdiano quer receber 1,2 milhões de turistas este ano

Cabo Verde quer antecipar para este ano a meta de receber 1,2 milhões de turistas, antes prevista para 2026, revelou, no parlamento, o ministro do Turismo e Transportes cabo-verdiano, Carlos Santos.

Publituris

“Depois da marca de um milhão de turistas em 2023, as perspectivas são de anteciparmos a meta prevista para 2026, ou seja, de atingirmos 1,2 milhões de turistas já este ano”, afirmou, no primeiro dia da sessão parlamentar de maio que decorre até sexta-feira.

Os estabelecimentos hoteleiros de Cabo Verde bateram o recorde de hóspedes em 2023, ultrapassando o total de um milhão: o ano fechou com 1.010.739 hóspedes, segundos o Instituto Nacional de Estatística (INE).

Os números superam também os valores pré-pandémicos: “face ao ano de 2019, registou-se um crescimento de 23,4% no número de hóspedes”.

O Governo e instituições privadas preveem que o setor (que representa um quarto do Produto Interno Bruto de Cabo Verde) continue a crescer, alavancado, em parte, no arranque de voos de companhias de baixo custo, em outubro, para a ilha do Sal – que concentra a larga maioria das atividades turísticas do arquipélago.

Sobre o autorPublituris

Publituris

Mais artigos
Destinos

Macau regista mais de 2,6 milhões de visitantes em abril

Macau recebeu mais de 2,6 milhões de visitantes em abril, uma subida de 14,4% em termos anuais, embora longe dos 3,4 milhões registados antes da pandemia de covid-19.

Publituris

Este número (2.600.717) representa ainda assim uma recuperação de entradas de visitantes em relação a abril de 2019, mas uma queda de 4,4%, face a março, referiu a Direção dos Serviços de Estatística e Censos (DSEC) em comunicado.

Em abril, “o número de entradas de excursionistas (1.349.927) e o de turistas (1.250.790) subiram 23% e 6,3%, respetivamente, em relação a abril de 2023”, indica-se na mesma nota.

A grande maioria dos visitantes no quarto mês do ano continuou a chegar da China continental (1.737.314).

Depois de três anos de rigorosas restrições devido à pandemia da covid-19, o território reabriu as fronteiras a todos os estrangeiros, incluindo turistas, a partir de 08 de janeiro de 2023.

Nesse ano, Macau recebeu mais de 28,2 milhões de visitantes, cinco vezes mais do que no ano anterior e um valor que representa 71,6% do registado antes do início da pandemia.

Sobre o autorPublituris

Publituris

Mais artigos
Eventos Publituris

Votação para os Publituris “Portugal Travel Awards” 2024 tem início a 27 de maio

Arranca no próximo dia 27 de maio a votação para as 22 categorias dos Publituris “Portugal Travel Awards” 2024. A votação só estará disponível aos assinantes do jornal Publituris e aos subscritores da newsletter diária. Por isso, registe-se até dia 24 de maio para votar.

Publituris

Os nomeados da 19.ª edição dos Publituris “Portugal Travel Awards” serão conhecidos na edição do próximo dia 24 de maio de 2024 do jornal Publituris, ficando o site para votação disponível a partir de segunda-feira, 27 de maio.

Nesta edição de 2024 há 177 nomeados em 22 categorias, existindo ainda o “Prémio Belmiro Santos”, atribuído diretamente pela redação do jornal Publituris.

As votações decorrerão, exclusivamente, no site dos Publituris “Portugal Travel Awards” 2024 e estarão disponíveis somente para os assinantes do jornal Publituris e subscritores da newsletter diária.

O júri, composto por 26 personalidades ligadas ao setor do turismo, em Portugal, também votarão online.

O registo na newsletter diária do Publituris só será permitido até dia 24 de maio de 2024, ficando o mesmo suspenso até ao dia 4 de julho de 2024.

Os vencedores resultam de uma média ponderada entre os votos do júri (45%), dos assinantes do jornal do Publituris (45%) e subscritores da newsletter diária (10%) e serão conhecidos no dia 4 de julho de 2024 numa cerimónia a realizar-se no Pestana Douro Riverside, no Porto, a partir das 19h00.

Sobre o autorPublituris

Publituris

Mais artigos
Destinos

Turismo internacional atinge 97% dos níveis pré-pandémicos no 1.º trimestre

As chegadas de turistas internacionais atingiram 97% dos níveis pré-pandémicos no primeiro trimestre de 2024, revelando a UN Tourism que mais de 285 milhões de turistas viajaram globalmente em janeiro-março, cerca de 20% mais do que no primeiro trimestre de 2023.

Victor Jorge

Mais de 285 milhões de turistas realizaram viagens internacionais no primeiro trimestre de 2024, correspondendo a uma subida de 20% face a igual período de 2023 e representando 97% dos níveis pré-pandemia.

Recorde-se que, em 2023, as chegadas de turistas internacionais recuperaram 96% dos níveis de 2019, enquanto as receitas de exportação do turismo permaneceram em 97% e o PIB direto do turismo atingiu os mesmos níveis de 2019.

A projeção da UN Tourism para 2024 aponta para uma recuperação total do turismo internacional, com as chegadas a crescer 2% acima dos níveis de 2019.

Por regiões, a Europa – maior região de destino do mundo – ultrapassou pela primeira vez os níveis pré-pandémicos num trimestre (+1% em relação ao 1.º trimestre de 2019), registando 120 milhões de turistas internacionais nos primeiros três meses do ano, apoiados por uma forte procura intra-regional.

Já o Médio Oriente registou o crescimento mais forte, com as chegadas internacionais a excederem em 36% os níveis pré-pandémicos no 1.º trimestre de 2024, ou 4% acima do 1.º trimestre de 2023. Esta evolução segue-se a um desempenho “extraordinário” em 2023, quando o Médio Oriente se tornou a primeira região do mundo a recuperar os números anteriores à pandemia (+22%).

Enquanto as Américas praticamente recuperaram os números anteriores à pandemia neste primeiro trimestre, com as chegadas a atingirem 99% dos níveis de 2019, a região de África recebeu mais 5% de turistas internacionais no primeiro trimestre de 2024 do que no primeiro trimestre de 2019 e mais 13% do que no primeiro trimestre de 2023.

Por fim, na Ásia-Pacífico o turismo internacional está a registar uma rápida recuperação, com as chegadas a atingirem 82% dos níveis pré-pandémicos no 1.º trimestre de 2024, após uma recuperação de 65% no ano de 2023.

Relativamente a estes números, o Secretário-Geral da UN Tourism, Zurab Pololikashvili, refere que “a recuperação do setor é uma notícia muito bem-vinda para as nossas economias e para os meios de subsistência de milhões de pessoas. No entanto, recorda também a necessidade de garantir políticas de turismo e gestão de destinos adequadas, com o objetivo de promover a sustentabilidade e a inclusão, abordando simultaneamente as externalidades e o impacto do sector nos recursos e nas comunidades”.

Por sub-regiões, o Norte de África registou o melhor desempenho no primeiro trimestre de 2024, com mais 23% de chegadas internacionais do que antes da pandemia, seguido da América Central (+15%), das Caraíbas e da Europa Ocidental (ambas +7%). O sul da Europa mediterrânica excedeu em 1% os níveis anteriores à pandemia, enquanto a América do Sul atingiu praticamente os níveis de 2019. O Norte da Europa recuperou 98% dos níveis anteriores à pandemia, enquanto a África Subsariana e a América do Norte recuperaram 95%.

Quanto às receitas do turismo internacional, estas atingiram 1,380 biliões de euros, em 2023, o que significa uma recuperação completa dos níveis pré-pandémicos em termos nominais, mas 97% em termos reais, ajustados pela inflação.

Por regiões, a Europa gerou as receitas mais elevadas em 2023, com os destinos a ganharem 607 mil milhões de euros, excedendo os níveis pré-pandémicos em 7% em termos reais. As receitas no Médio Oriente subiram 33 % acima dos níveis de 2019. As Américas recuperaram 96% das suas receitas pré-pandémicas em 2023 e a África 95%. A Ásia-Pacífico obtiveram 78% das suas receitas pré-crise, um resultado notável quando comparado com a recuperação de 65% das chegadas no ano passado.

O total das receitas de exportação do turismo internacional, incluindo receitas e transporte de passageiros, atingiu 1,560 biliões de euros, em 2023, cerca de 96% dos níveis pré-pandémicos em termos reais. O PIB direto do turismo recuperou os níveis pré-pandémicos, atingindo um valor estimado ligeiramente acima dos 3 biliões de euros, em 2023, equivalente a 3% do PIB mundial.

Segundo a UN Tourism, foram vários os destinos que obtiveram resultados notáveis em termos de receitas no primeiro trimestre de 2024, em comparação com os níveis de 2019, com base nos dados disponíveis, incluindo a Sérvia (+127%), a Turquia (+82%), o Paquistão (+72%), a Tanzânia (+62%), Portugal (+61%), a Roménia (+57%), o Japão (+53%), a Mongólia (+50%), as Maurícias (+46%) e Marrocos (+44%).

De referir que, segundo o mais recente Índice de Confiança do Turismo das Nações Unidas, as perspectivas são positivas para a próxima época de verão, com uma pontuação de 130 para o período de maio-agosto de 2024 (numa escala de 0 a 200), refletindo um sentimento mais otimista do que no início deste ano. Cerca de 62% dos especialistas em turismo que participaram no inquérito de confiança expressaram expectativas melhores (53%) ou muito melhores (9%) para este período de quatro meses, que abrange a época de verão do Hemisfério Norte, enquanto 31% preveem um desempenho semelhante ao de 2023.

Sobre o autorVictor Jorge

Victor Jorge

Mais artigos
Transportes

easyJet disponibiliza mais de 17.000 voos de e para Portugal no verão 2025

A easyJet colocou esta terça-feira à venda o seu calendário de verão de 2025. Para e de Portugal a companhia inclui mais de 17.000 voos.

Publituris

A easyJet colocou esta terça-feira, 21 de maio, à venda o seu calendário de verão de 2025, disponibilizando mais de 29 milhões de lugares em 162.000 voos entre 3 de março de 2025 e 15 de junho de 2025.

Na operação, a companhia aérea inclui mais de 17.000 voos de e para Portugal, que já estão disponíveis para que os clientes possam fazer as suas reservas a preços acessíveis e antecipadamente em easyjet.com ou através da aplicação móvel.

Com voos para mais de 90 destinos à escolha em toda a Europa, Norte de África e Médio Oriente a partir de cinco aeroportos de Portugal continental e ilhas, José Lopes, diretor-geral da easyJet Portugal, refere que, deste modo, a companhia “procura continuar a impulsionar o setor do turismo e aviação e a criar momentos únicos junto dos seus clientes”.

Sobre o autorPublituris

Publituris

Mais artigos
PUB
PUB
PUB
PUB
PUB
PUB
PUB
PUB
PUB
PUB
PUB
PUB

Navegue

Sobre nós

Grupo Workmedia

Mantenha-se informado

©2021 PUBLITURIS. Todos os direitos reservados.