Edição digital
Assine já
PUB
Aviação

Tripulantes da TAP confirmam greve e anunciam nova paralisação

Reunido esta terça-feira, 6 de dezembro, em assembleia-geral, o sindicato que representa os tripulantes da TAP confirmou a greve de 8 e 9 de dezembro e decidiu marcar uma nova paralisação com um “mínimo de cinco dias de greve a realizar até dia 31 de janeiro”.

Publituris
Aviação

Tripulantes da TAP confirmam greve e anunciam nova paralisação

Reunido esta terça-feira, 6 de dezembro, em assembleia-geral, o sindicato que representa os tripulantes da TAP confirmou a greve de 8 e 9 de dezembro e decidiu marcar uma nova paralisação com um “mínimo de cinco dias de greve a realizar até dia 31 de janeiro”.

Publituris
Sobre o autor
Publituris
Artigos relacionados
“Black Week” da Airmet comparticipa investimento de marketing das agências
Distribuição
Projeto “Think Tanks on the way by NEST” leva Design Thinking às PME do Turismo
Turismo
Congresso da APAVT dedica tarde de 1 de dezembro ao destino anfitrião
Meeting Industry
Hilton associa-se ao Grupo Veleiro e investe 137 M€ em Angola
Hotelaria
Cruzeiros têm impacto mínimo na qualidade do ar em Lisboa, apura estudo
Destinos
“Mais Mundo Houvesse” reúne memórias de viagens de Joaquim Pinto Lopes
Turismo
Paulo Lages é novo coordenador comercial da GEA Portugal para a zona sul
Figuras
Nova erupção vulcânica na Islândia tem potencial para causar impacto nas viagens aéreas
Aviação
Mercado global de viagens de incentivo crescerá 400% em 10 anos
Análise
Aberto caminho para adoção final de novas regras do AL em toda a UE
AL

O Sindicato Nacional do Pessoal de Voo da Aviação Civil (SNPVAC) confirmou esta terça-feira, 6 de dezembro, a greve da tripulação de cabina da TAP para 8 e 9 de dezembro e anunciou, pelo menos, mais cinco dias de paralisação até 31 de janeiro.

Reunido esta terça-feira, 6 de dezembro, em assembleia-geral, o sindicato deliberou pela manutenção da greve para os dias 8 e 9 de dezembro, tendo ainda, segundo disse fonte do SNPVAC à Lusa, decidido marcar uma nova paralisação com um “mínimo de cinco dias de greve a realizar até dia 31 de janeiro”.

Apesar do anuncio de uma nova greve na TAP, as datas para a paragem ainda não são conhecidas e vão ser definidas pela direção do SNPVAC, sendo comunicadas aos associados do sindicato “24 horas antes da entrada do pré-aviso de greve”.

A assembleia-geral do SNPVAC que decorreu esta terça-feira contou com a participação de mais de 600 associados, entre presenças e procurações.

A Lusa recorda que a TAP e os seus tripulantes de cabina estão em negociações para a revisão do Acordo de Empresa (AE), no âmbito do plano de reestruturação da companhia aérea.

As negociações não têm, no entanto, chegado a bom-porto, com a TAP a retirar mesmo a proposta que tinha apresentado, mas que tinha sido considerada insuficiente pelo sindicato.

Entretanto, a companhia aérea anunciou já o cancelamento de cerca de 360 voos de um total de 500 previstos para os dias 8 e 9 de dezembro, dias em que se realiza a paralisação da tripulação de cabina da TAP.

Sobre o autorPublituris

Publituris

Mais artigos
Artigos relacionados
“Black Week” da Airmet comparticipa investimento de marketing das agências
Distribuição
Projeto “Think Tanks on the way by NEST” leva Design Thinking às PME do Turismo
Turismo
Congresso da APAVT dedica tarde de 1 de dezembro ao destino anfitrião
Meeting Industry
Hilton associa-se ao Grupo Veleiro e investe 137 M€ em Angola
Hotelaria
Cruzeiros têm impacto mínimo na qualidade do ar em Lisboa, apura estudo
Destinos
“Mais Mundo Houvesse” reúne memórias de viagens de Joaquim Pinto Lopes
Turismo
Paulo Lages é novo coordenador comercial da GEA Portugal para a zona sul
Figuras
Nova erupção vulcânica na Islândia tem potencial para causar impacto nas viagens aéreas
Aviação
Mercado global de viagens de incentivo crescerá 400% em 10 anos
Análise
Aberto caminho para adoção final de novas regras do AL em toda a UE
AL
PUB
Aviação

Nova erupção vulcânica na Islândia tem potencial para causar impacto nas viagens aéreas

A Islândia está à beira de uma nova erupção vulcânica, localizada perto de Grindavík, o que poderá ter impacto nas viagens aéreas nas próximas semanas, avançam os meteorologistas do AccuWeather.

A Islândia está à beira de uma nova erupção vulcânica, localizada perto de Grindavík, o que poderá ter impacto nas viagens aéreas nas próximas semanas, avançam os meteorologistas do AccuWeather, em comunicado.

Segundo os meteorologistas, os efeitos desta erupção devem variar consoante o momento em que ela ocorrer, estimando-se, contudo, que venha a causar impacto na Escandinávia, assim como em toda a Europa, especialmente no norte e centro europeus.

“O momento de qualquer potencial erupção vulcânica será muito importante para determinar os impactos nas viagens aéreas”, alerta Jonathan Porter, meteorologista-chefe do AccuWeather.

O especialista prevê que, caso a erupção aconteça até esta quarta-feira, os ventos poderão “direcionar quaisquer cinzas para o leste, em direção à Escandinávia ou mesmo para o norte da Escandinávia”.

Já se acontecer até sexta-feira, está previsto que aconteça uma queda substancial na corrente de jato na Europa, o que poderá “direcionar quaisquer cinzas elevadas para partes do norte e centro da Europa”.

Se a erupção se verificar no fim-de-semana, a previsão é que “qualquer cinza presente bem acima do solo poderá ser direcionada oeste ainda mais em toda a Europa”.

Além do impacto na aviação, a erupção vulcânica na Islândia deverá levar ainda ao risco de má qualidade do ar perto do local da erupção, devido ao aumento do teor de enxofre.

“Se uma erupção ocorrer no início da semana, a redução da qualidade do ar pode até ser um problema perto da capital, Reykjavik, já que o solo próximo os ventos serão do sul, o que pode direcionar o ar poluído para partes da área de Reykjavik”, refere ainda o comunicado do AccuWeather.

Já se a erupção ocorrer perto do final da semana, com as mudança de direção prevista nos ventos próximos ao solo, há um risco reduzido de redução da qualidade do ar na capital islandesa, “embora as preocupações com a qualidade do ar persistam perto do local da erupção”.

Recorde-se que, em 2010, a erupção do vulcão Eyjafjallajökull, também na Islândia, causou um forte impacto na Europa e parou a aviação durante várias semanas, provocando fortes prejuízos.

Sobre o autorPublituris

Publituris

Mais artigos
Aviação

Companhia aérea de David Neeleman nos EUA pede slots para voar para Lisboa

A JetBlue, companhia aérea do antigo acionista da TAP David Neeleman nos EUA, solicitou slots para voar para o aeroporto de Lisboa no próximo verão, naquele que poderá vir a ser o quinto destino da companhia aérea americana na Europa.

Publituris

A JetBlue, companhia aérea do antigo acionista da TAP David Neeleman nos EUA, solicitou slots para voar para o aeroporto de Lisboa no próximo verão, naquele que poderá vir a ser o quinto destino da companhia aérea americana na Europa.

De acordo com a imprensa internacional, a JetBlue pediu slots para realizar dois voos diários para a capital portuguesa, que seriam utilizados em voos para Lisboa realizados com um avião Airbus A321LR.

Numa publicação no X, antiga rede social Twitter, a Ishrion Aviation avança que, no total, a JetBlue solicitou slots para a realização de 840 voos, o que permite a realização de dois voos diários, que poderão ter partidas de Boston ou Nova Iorque.

De acordo com a informação avançada, o objetivo da JetBlue é entrar em rotas que atualmente não têm grande concorrência e que a transportadora dos EUA possa realizar com um avião Airbus A321LR, de forma a ter menos custos e oferecer tarifas mais atrativas.

A publicação diz, no entanto, que a JetBlue ainda não recebeu uma resposta positiva por parte do aeroporto da capital portuguesa, pelo que a companhia aérea não confirmou ainda a intenção de vir a voar para Lisboa.

Recorde-se que a JetBlue voa atualmente para Paris e Amesterdão e já anunciou que, no verão de 2024, vai iniciar também operação para Dublin e Edimburgo, na Irlanda e Reino Unido, em rotas sazonais com partidas de Boston e Nova Iorque.

 

Sobre o autorPublituris

Publituris

Mais artigos
Aviação

Ryanair volta a pedir proteção dos sobrevoos durante greve de controladores aéreos franceses

A Ryanair lembra que, desde o início do ano, os controladores aéreos fizeram 65 dias de greves, mais de 13 do que em 2022, o que levou “as companhias aéreas a cancelar milhares de voos”, mesmo que essas ligações aéreas não tivessem como destino o país afetado pela greve.

Publituris

A Ryanair voltou este domingo, 19 de novembro, a apelar à presidente da Comissão Europeia, Ursula von der Leyen, para que tome medidas de proteção dos sobrevoos durante uma nova greve dos controladores aéreos franceses, que decorre esta segunda-feira, 20 de novembro.

Num comunicado enviado à imprensa, a Ryanair lembra que, desde o início do ano, os controladores aéreos fizeram 65 dias de greves, mais de 13 do que em 2022, o que levou “as companhias aéreas a cancelar milhares de voos”.

“Isto é injusto. A França (e todos os outros estados da União Europeia) devem proteger os sobrevoos durante greves ATC [Air Traffic Controllers] , como fazem em Espanha, Itália e Grécia, e cancelar voos de/para o Estado afetado”, defende a Ryanair.

Recorde-se que há vários meses que a Ryanair vem a pedir à Comissão Europeia para que tome medidas que permitam a realização de sobrevoos durante as greves dos controladores aéreos, tal como acontece em alguns países, em que estes voos são controlados pelo Eurocontrol.

Em França, denuncia a Ryanair, a prioridade vai para os serviços mínimos e voos domésticos, os que leva ao cancelamento dos voos que atravessam o espaço aéreo do país, sempre que existem greves dos controladores aéreos e mesmo que estas ligações aéreas não tenham território francês como destino.

Por isso, a Ryanair vem apelar “à presidente da Comissão Europeia, Ursula von der Leyen, para que tome medidas urgentes para proteger os sobrevoos e a liberdade de circulação dos cidadãos da UE durante greves ATC”, ao mesmo tempo que apela aos passageiros para que assinem a petição “Proteger Passageiros: Manter Petição EU Skies Open”, que conta já com mais de dois milhões de assinaturas.

“É totalmente inaceitável que este ano tenham ocorrido 65 dias de greves dos ATC (13 vezes mais do que em todo o ano de 2022), que causaram o cancelamento de milhares de voos num curto espaço de tempo, perturbando injustamente os planos de viagem dos passageiros da UE”, denuncia um porta-voz da companhia aérea.

Até à data, acrescenta o responsável da Ryanair, Ursula von der Leyen “não tomou qualquer medida nesse sentido”, apesar de milhares de passageiros europeus voltarem a ser afetados esta segunda-feira, 20 de novembro, pela nova greve dos controladores aéreos franceses, mesmo que os seus voos não tenham França como destino.

“Os passageiros da UE estão fartos de sofrer cancelamentos desnecessários de sobrevoos durante greves de ATC”, refere ainda o porta-voz da Ryanair, considerando que os mais de dois milhões de assinaturas que a petição lançada pela companhia aérea já contabiliza são a prova de que os passageiros estão fartos desta política.

“Não há desculpa para os passageiros da UE que não voam de/para o Estado-Membro afetado suportarem o fardo das greves do ATC que não lhes estão completamente relacionadas e Ursula von der Leyen deve pôr imediatamente termo a isto”, conclui o porta-voz da Ryanair.

 

 

Sobre o autorPublituris

Publituris

Mais artigos
Aviação

Air France-KLM em cooperação estratégica com produtor de SAF DG Fuels

O Grupo Air France-KLM adquiriu uma opção de compra de até 75.000 toneladas de SAF por ano durante um período multianual a partir de 2029. Esta opção surge por acréscimo ao contrato de aquisição a longo prazo anunciado pela Air France-KLM e pela DG Fuels o ano passado.

Publituris

O Grupo Air France-KLM anunciou mais um passo na sua cooperação com a DG Fuels, com a Air France a investir 4,7 milhões de dólares neste produtor de combustível de aviação sustentável (Sustainable Aviation Fuel, SAF sigla em inglês).

Este investimento da Air France-KLM corresponde a um desenvolvimento fundamental no reforço da parceria entre o Grupo Air France-KLM e a DG Fuels e vai apoiar a conclusão do trabalho de desenvolvimento necessário para chegar à Decisão Final de Investimento (FID, da sigla em inglês) da primeira fábrica de combustível de aviação sustentável da DG Fuels, que se vai situar no Louisiana (EUA).

O investimento agora anunciado confirma a ambição do Grupo de participar no financiamento de estudos de projetos que permitam o desenvolvimento de capacidades de produção de SAF a nível mundial, com o objetivo de estabelecer gradualmente uma rede diversificada capaz de satisfazer a procura mundial.

Além deste investimento, a Air France-KLM adquiriu uma nova opção de compra de até 75.000 toneladas de SAF por ano à DG Fuels, com entregas previstas para começar já em 2029.

O Grupo Air France-KLM tem como objetivo reduzir as suas emissões de CO2 por passageiro/km em 30% até 2030, face a 2019. A sua trajetória de descarbonização prevê a incorporação de um mínimo de 10% de SAF até 2030, bem como a renovação da frota e a eco-pilotagem.

“A Air France-KLM congratula-se com esta cooperação alargada com a DG Fuels. Apoiar a expansão da tecnologia avançada de conversão de resíduos em combustível de aviação é um passo crucial para o crescimento da indústria de SAF. É a primeira vez que a Air France-KLM faz um investimento financeiro num produtor de SAF e esperamos reforçar ainda mais a nossa parceria a longo prazo com a DG Fuels”, refere Constance Thio, vice-presidente executiva de Recursos Humanos e Sustentabilidade da Air France-KLM.

De referir que o pilar “ambiente do Grupo pretende desenvolver uma estratégia de descarbonização que visa reduzir as suas emissões por passageiro/quilómetro em 30% até 2030 – face aos níveis de 2019, o ano de referência. Para atingir este objetivo, a Air France-KLM está a ativar todas as ferramentas de descarbonização à sua disposição.

Entre essas medidas está a renovação da frota com aviões de última geração: Airbus A220, Airbus A350, Boeing 787, aeronaves mais eficientes em termos de combustível, produzindo até menos 25% de emissões de CO2, e com uma redução do nível de ruído de 33% em média. Até 2028, estes aviões vão representar 64% da frota do Grupo Air France-KLM, graças a um investimento anual de dois mil milhões de euros.

O aumento da utilização de combustível de aviação sustentável (SAF), que reduz as emissões de CO2 em pelo menos 75%, em média, durante o ciclo de vida do combustível e não compete com a cadeia alimentar, é outro dos pilares. Até 2030, o Grupo tem como objetivo incorporar pelo menos 10% de SAF em todos os seus voos, e 63% até 2050.

Quanto às medidas operacionais, as operações em terra, as medidas de eco-pilotagem e outras iniciativas possibilitadas pelas ações das tripulações da Air France-KLM e do pessoal de terra formado nestas práticas permitem uma redução média entre 4 a 5% das emissões de CO2.

Sobre o autorPublituris

Publituris

Mais artigos
Aviação

Madeira confirma operação da TAP entre o Funchal e Caracas no próximo verão

Eduardo Jesus, secretário Regional de Turismo e Cultura da Madeira, confirmou esta quinta-feira, 16 de novembro, que a região vai contar com ligações aéreas diretas para Caracas, Venezuela, no próximo verão, numa operação realizada pela TAP, entre junho e outubro.

Inês de Matos

O secretário Regional do Turismo e Cultura da Madeira, Eduardo Jesus, confirmou esta quinta-feira, 16 de novembro, que a região vai contar com ligações aéreas diretas para Caracas, Venezuela, no próximo verão, numa operação realizada pela TAP, entre junho e outubro.

“Sim, vamos ter a ligação de Caracas de junho a agosto e de agosto a outubro, a TAP montou esta operação pensando no fluxo mais procurado, dado o histórico que existe”, afirmou o governante regional, em resposta a uma questão do deputado regional do PSD, Carlos Fernandes.

Segundo Eduardo Jesus, que interveio no debate setorial no âmbito do Programa do XIV Governo Regional da Madeira, “esta não é uma operação que se possa entender da mesma forma que as operações turísticas”, uma vez que “a permanência na região para um turista é completamente diferente da permanência de um madeirense que está emigrado”, neste caso, na Venezuela.

“A operação está montada desta forma, mas não está estanque, temos o compromisso da companhia de monitorizar permanentemente a procura e, aqui, é importante que essa procura aconteça, não só para justificar este desafio que foi lançado à companhia, mas também para viabilizar a operação, que é o que vai permitir a sua continuidade no tempo ou mesmo o aperfeiçoamento para que estas datas possam ser dilatadas”, explicou Eduardo Jesus.

Até ao momento, sabe-se apenas que estes voos vão ser operados pela TAP, que vai fazer escala na Madeira na rota Lisboa-Caracas-Lisboa, tendo a operação sido já aprovada pelas autoridades venezuelanas, depois de uma negociação que arrancou em maio e que terá decorrido ao longo de vários meses.

Na sua intervenção, Eduardo Jesus afirmou que a operação deve ser “viável, principalmente numa companhia que não pode apresentar uma rota que não dê esse contributo positivo” e defendeu que, se o mercado reagir “da melhor forma”, isso significa que a operação “foi bem idealizada” e que a Madeira tem “potencial para crescer” nesta rota.

Sobre o autorInês de Matos

Inês de Matos

Mais artigos
Aviação

Azul estabelece acordo técnico inédito com ANAC

Uma das principais vantagens deste acordo, que tem a duração de um ciclo completo de treino mas que pode ser renovado, passa pela segurança, contribuindo para elevar “os padrões de segurança e eficiência operacional”.

Publituris

A Azul estabeleceu um acordo técnico inédito que a ANAC – Agência Nacional de Aviação Civil do Brasil, que prevê a cooperação entre as duas partes com vista à “excelência e segurança na aviação do país”, informou a transportadora aérea brasileira, em comunicado.

Este acordo, que conta também com a participação da Associação Latino-Americana e do Caribe de Transporte Aéreo (ALTA), “possibilita que inspetores qualificados da ANAC, com experiência como pilotos, participem de um treinamento completo na Azul”.

“O treinamento inclui não apenas as partes de instrução teórica em solo e em simuladores, mas também dá a oportunidade aos inspetores de voar nas aeronaves da Azul, acompanhados por instrutores da companhia. Esta imersão visa elevar o nível de conhecimento dos inspetores, proporcionando uma compreensão prática das operações da empresa e uma compreensão mais profunda dos desafios e benefícios da legislação vigente”, explica Guilherme Holtmann, gerente Geral de Flight Standards e Treinamentos da Azul.

Já Luiz Ricardo Nascimento, diretor da ANAC, considera que este acordo tem o “potencial de desenvolvimento de habilidades técnicas e regulatórias”, que pode “aumentar o patamar de excelência da aviação civil no Brasil, colocando o país na vanguarda da inovação no setor aéreo no mundo”.

“Estamos muito animados com esse intercâmbio em razão da ampliação do conhecimento e do ganho de eficiência técnica para a nossa aviação”, afirmou o responsável da ANAC.

Uma das principais vantagens deste acordo, que tem a duração de um ciclo completo de treino mas que pode ser renovado, passa pela segurança, uma vez que vai contribuir para elevar “os padrões de segurança e eficiência operacional”.

 

Sobre o autorPublituris

Publituris

Mais artigos
Aviação

ACI Europe contradiz IATA e diz que tarifas aéreas europeias sobem muito acima da inflação

Depois de a IATA ter avançado que, em junho, as tarifas aéreas médias na UE registaram menor evolução que o índice médio de preços ao consumidor, a ACI Europe diz exatamente o contrário.

Publituris

A ACI EUROPE refutou as alegações feitas pela Associação Internacional de Transporte Aéreo (International Air Transport Association, IATA, sigla em inglês) de que o aumento das tarifas aéreas na Europa está abaixo da inflação, enquanto as taxas aeroportuárias teriam aumentado acima dos níveis da inflação.

Embora a IATA afirme que as tarifas aéreas na Europa aumentaram apenas 16% em junho deste ano em comparação com 2019, dados independentes e oficiais da RDC mostram que esse aumento se situa na verdade em 38% durante os meses de pico do verão (3.º trimestre) – quase duas vezes o aumento do índice médio de preços ao consumidor (+20,8%2).

De resto, a ACI Europe refere que outubro “confirmou esta tendência, com as tarifas aéreas a aumentar ainda mais em 47% quando reservadas com três meses de antecedência”.

A afirmação da IATA de que as taxas aeroportuárias “têm aumentado continuamente acima da inflação também não resiste a um exame minucioso, uma vez que se baseia em dados errados de apenas dois aeroportos”, afirma a ACI Europe, em comunicado.

Assim, a ACI Europe avança que “as taxas aeroportuárias na Europa aumentaram este ano 13,6%4, muito abaixo das pressões inflacionistas que atingem os aeroportos, e muito menos que as tarifas aéreas.

Olivier Jankovec, diretor-geral da ACI Europe, refere que, “confrontados com dados imprecisos e enganosos, é crucial esclarecer a forma como as tarifas aéreas e as taxas aeroportuárias realmente evoluíram. As companhias aéreas não só conseguiram refletir as pressões inflacionistas no que cobram aos consumidores, como também conseguiram exercer um poder de fixação de preços significativo graças às pressões da oferta e à disciplina de capacidade”.

Por outro lado, Jankovec considera que “muitos aeroportos ainda não refletiram totalmente as pressões inflacionistas nas suas taxas de utilização, com os reguladores muitas vezes alheios a estas pressões e à forma como a dívida acumulada através da COVID está a prejudicar as suas capacidades de investimento.”

Além disso, frisa que “é também intrigante ouvir a IATA afirmar que a recuperação do mercado europeu da aviação está a trazer condições ainda mais competitivas, com mais companhias aéreas e mais rotas por onde escolher, contrapondo que, na realidade, “a conectividade aérea recuperou a um ritmo mais lento do que o volume de passageiros”.

Assim, os dados da ACI Europe revelam que, em junho, a conectividade aérea dos aeroportos europeus permanecia 17% abaixo dos níveis pré-pandemia (2019), enquanto o tráfego de passageiros se situava em -5,9%.

Por isso, Jankovec assinala que, “além de pagarem tarifas aéreas muito inflacionadas, os consumidores tendem a ter menos opções de escolha”.

O diretor-geral da ACI Europe conclui que o mercado “mudou estruturalmente durante a pandemia e a recuperação, sendo crucial que os decisores políticos e os reguladores vejam agora estas mudanças e o que está por vir”

E destaca, em particular, “a aceleração da consolidação das companhias aéreas, juntamente com o facto de os aeroportos atingirem limites de capacidade que desafiará o nosso mercado único europeu da aviação e a evolução da conectividade aérea. É aqui que os reguladores económicos deveriam recuar, uma vez que o domínio atual das companhias aéreas torna obsoleta a regulação de preços dos aeroportos. É também aqui que a regulamentação da UE sobre faixas horárias nos aeroportos, com 30 anos de existência, exige uma revisão urgente.”

Foto crédito: Depositphotos.com
Sobre o autorPublituris

Publituris

Mais artigos

January 19, 2023, Brazil. In this photo illustration, the TAAG Linhas Aéreas de Angola logo is displayed on a smartphone screen. It is the national airline of Angola, having its headquarters in Luanda

Aviação

TAAG tem novo contacto de apoio ao cliente

A TAAG – Linhas Aéreas de Angola tem um novo contacto de apoio ao cliente, disponibilizando agora também o e-mail [email protected] para atender as necessidades e preocupações dos seus passageiros.

Publituris

A TAAG – Linhas Aéreas de Angola tem um novo contacto de apoio ao cliente, disponibilizando agora também o e-mail [email protected] para atender as necessidades e preocupações dos seus passageiros.

“A TAAG tem um novo e-mail de Apoio ao Cliente e uma equipa pronta para atender às suas necessidades e preocupações”, informa a companhia aérea de bandeira angolana, em comunicado.

Além deste novo e-mail, a TAAG disponibiliza também um call center para chamadas nacionais e internacionais, através do número de telefone +351 210 203 896, e que está disponível entre as 08h00  e as 20h00, nos dias úteis, bem como das 09h00 às 18h00, nos fins de semana e feriados.

Sobre o autorPublituris

Publituris

Mais artigos
Aviação

Turkish Airlines abre voos para Detroit

Os voos da Turkish Airlines para Detroit arrancaram na passada quarta-feira, 15 de novembro, e contam com três ligações aéreas por semana, passando a quatro a partir de 25 de dezembro.

Publituris

A Turkish Airlines abriu uma nova rota para os EUA e passou a operar em Detroit, cidade que se torna no 13.º destino da companhia aérea turca no país norte-americano, informou a transportadora em comunicado.

Os voos para Detroit arrancaram na passada quarta-feira, 15 de novembro, e contam com três ligações aéreas por semana, passando a quatro a partir de 25 de dezembro.

“Com a adição de Detroit, a Turkish Airlines aumentou a sua rede para 345 destinos e agora serve 13 destinos nos EUA”, sublinha a transportadora aérea de bandeira turca, na informação divulgada.

Segundo Ahmet Bolat, Chairman da Turkish Airlines, a abertura desta rota aproxima “duas grandes cidades, Istambul e Detroit” e cria “oportunidades para viagens, negócios e exploração cultural”.

“Alcançamos mais países do que qualquer outra companhia aérea no mundo, e adicionando novos destinos à nossa rede em constante expansão , como Detroit, continuamos a cumprir a nossa missão principal de unir pessoas e culturas em todo o mundo”, acrescenta o responsável.

Localizada no estado do Michigan, a cidade de Detroit é a 10ª maior dos EUA e é conhecida por ser um centro ligado à indústria automobilística, assim como pelo seu património musical e cultural.

 

Sobre o autorPublituris

Publituris

Mais artigos

OLYMPUS DIGITAL CAMERA

Aviação

Aeroporto do Porto distinguido pela qualidade do serviço prestado

O Aeroporto Francisco Sá Carneiro, no Porto, foi classificado como o quarto melhor a nível europeu na qualidade do serviço prestado, sendo mesmo a única infraestrutura aeroportuária nacional a constar de um ranking elaborado pela Bounce.

Publituris

O Aeroporto Francisco Sá Carneiro, no Porto, foi classificado como o quarto melhor a nível europeu na qualidade do serviço prestado, sendo mesmo a única infraestrutura aeroportuária nacional a constar do ranking, segundo um estudo da Bounce.

De acordo com informação publicada no portal Porto.pt, o estudo da empresa de armazenamento de bagagem teve em consideração o volume de passageiros, assim como as taxas de estacionamento, lojas e restaurantes dos aeroportos europeus com mais movimento, assim como a classificação atribuída pela AirHelp aos aeroportos europeus em termos de qualidade de serviço.

Desta forma, a lista é liderada pelo aeroporto Adolfo Suárez Madrid-Barajas, que obteve 8,25 pontos em 10 possíveis, enquanto o Aeroporto Internacional de Viena, na Áustria, com 7,79 pontos, ficou na segunda posição.

Já a terceira posição foi atribuída ao Aeroporto Josep Tarradellas Barcelona El-Prat, com 7,68 pontos, enquanto o quarto lugar é ocupado pelo Aeroporto Francisco Sá Carneiro, no Porto, que obteve 7,67 pontos.

O aeroporto portuense ficou, desta forma, à frente de infraestruturas aeroportuárias como a de Copenhaga, na Dinamarca; Paris-Orly, em França; Estocolmo Arlanda, na Suécia; Istambul Sabiha Gokcen International, na Turquia; e ainda do aeroporto de Alicante, em Espanha; e do aeroporto de Oslo, na Noruega, que encerra o Top10 deste ranking.

Em termos de experiência pré-voo, o aeroporto que mais se destacou foi o de Istambul, na Turquia, com uma pontuação de 9,57 valores, seguido das infraestruturas de Copenhaga e Barcelona.

Sobre o autorPublituris

Publituris

Mais artigos
PUB
PUB
PUB
PUB
PUB
PUB
PUB
PUB
PUB
PUB
PUB
PUB

Navegue

Sobre nós

Grupo Workmedia

Mantenha-se informado

©2021 PUBLITURIS. Todos os direitos reservados.