Assine já
Transportes

Empresas de David Neeleman não estão falidas e empresário quer pedido de desculpas de António Costa

Antigo acionista da TAP acusa o primeiro-ministro de ter “faltado à verdade” quando disse que as empresas de David Neeleman estavam falidas e lembra a criação da Breeze Airways nos EUA, que nasceu em “plena pandemia”.

Publituris
Transportes

Empresas de David Neeleman não estão falidas e empresário quer pedido de desculpas de António Costa

Antigo acionista da TAP acusa o primeiro-ministro de ter “faltado à verdade” quando disse que as empresas de David Neeleman estavam falidas e lembra a criação da Breeze Airways nos EUA, que nasceu em “plena pandemia”.

Publituris
Sobre o autor
Publituris
Artigos relacionados
Grupo Lufthansa “não comenta especulações dos media” sobre interesse na TAP
Homepage
“Nacionalização da TAP não garante postos de trabalho nem rotas”
Homepage
Air France/KLM recusa alimentar “especulação” sobre interesse na TAP
Homepage
Argentina “está disposta a investir” em voos da TAP para Buenos Aires
Homepage

O empresário e ex-acionista da TAP, David Neeleman, reagiu esta terça-feira, 18 de janeiro, às palavras de António Costa, acusando o primeiro-ministro e líder do Partido Socialista (PS) de ter “faltado à verdade” num debate para as eleições legislativas de 30 de janeiro, uma vez que, apesar do período difícil por que a aviação tem passado com a pandemia, nenhuma das suas “empresas foi à falência nem foi sujeita a qualquer tipo de intervenção similar até à presente data”.

Num comunicado enviado à Lusa, David Neeleman considera que, no debate que opôs António Costa a Rui Rio, presidente do Partido Social Democrata (PSD), a 13 de janeiro, o primeiro-ministro e secretário-geral do PS proferiu “afirmações falsas”, que afetaram o seu “nome e reputação”, quando disse que o Estado nacionalizou a TAP “para prevenir precisamente que aquele privado que lá estava e que não merecia confiança, não daria cabo da TAP no dia em que fosse à falência'”.

Na reação enviada à Lusa, o empresário explica que “desde o início” da sua carreira teve “a oportunidade de criar cinco empresas de aviação em diferentes países como os Estados Unidos da América, Canadá e Brasil” e que, “apesar de nos dois últimos anos a indústria da aviação ter passado pela sua maior crise de sempre, nenhuma dessas empresas foi à falência nem foi sujeita a qualquer tipo de intervenção similar até à presente data”.

“Ao contrário do que o Dr. António Costa disse nesse debate, todas as empresas de aviação que fundei foram e continuam a ser projetos de grande sucesso com valorizações consideráveis para os seus ‘stakeholders’, tendo demonstrado ser sustentáveis e resilientes o suficiente para sobreviver neste cenário de crise”, reforça David Neeleman na nota enviada à Lusa.

David Neeleman garante que nenhuma das suas empresas está falida e diz até que isso pode ser comprovado, uma vez que  “há muita informação sobre essas empresas, desde logo por serem cotadas”, considerando, por isso, que não é necessário “detalhar a situação de cada uma delas”, ainda que destaque notícias que dão conta dos “enormes sucessos” da Jet Blue e da Azul, assim como do mais recente projeto do empresário nos EUA, a Breeze Airways, que “iniciou atividade em plena pandemia”.

“É com surpresa que noto que o Dr. António Costa entende que eu não sou merecedor de ‘confiança’, isto depois de após o início da pandemia o Dr. António Costa ter reconhecido em 30 de abril de 2020 em entrevista à RTP que a TAP até à pandemia estava a executar o plano estratégico que tinha sido aprovado pelo Estado”, acrescenta David Neeleman, que quer um pedido de desculpas por parte do primeiro-ministro.

“O Dr. António Costa faltou à verdade e com as suas declarações afetou o meu nome e a minha reputação, pelo que espero um pedido de desculpas”, lê-se na nota enviada à Lusa.

Sobre o autorPublituris

Publituris

Mais artigos
Artigos relacionados
Transportes

Ryanair abre nova rota entre o Porto e Shannon no verão de 2023

A nova rota da Ryanair entre o Porto e Shannon, na Irlanda, vai contar com duas frequências semanais e, para assinalar o lançamento, a companhia aérea lançou uma promoção, com preços desde 29,99 euros.

Publituris

A Ryanair vai abrir uma nova rota no Porto no próximo verão, passando a ligar a cidade Invicta a Shannon, na Irlanda, a partir de 23 de abril, anunciou a companhia aérea de baixo custo em comunicado.

A nova rota da Ryanair entre o Porto e Shannon vai contar com duas frequências semanais e, para assinalar o lançamento, a companhia aérea lançou uma promoção, com preços desde 29,99 euros, disponível para reservas através do site da Ryanair.

“Com a Páscoa e o Verão de 23 a aproximarem-se rapidamente, estamos muito satisfeitos por trazer ainda mais opções e valor aos nossos clientes no Norte de Portugal, com a adição desta nova rota de Shannon à nossa programação de Verão de 23”, afirma Dara Brady, da Ryanair.

Segundo o responsável da companhia aérea, a nova rota oferece aos passageiros da Ryanair a oportunidade de visitarem “a Ilha Esmeralda e explorar as muitas maravilhas do centro-oeste” da Irlanda, como castelos cheios de história ou cruzeiros panorâmicos nas falésias e grutas da região.

Sobre o autorPublituris

Publituris

Mais artigos
Transportes

TAP cancela 360 voos devido à greve e estima perda de 8M€ em receitas

Apesar da greve ainda não estar totalmente garantida, a TAP não acredita que a mesma seja desconvocada e decidiu já cancelar perto de metade dos voos previstos para 8 e 9 de dezembro.

Publituris

A TAP vai cancelar um total de 360 voos nos dias 8 e 9 de dezembro, devido à greve dos tripulantes de cabine, decisão que afeta cerca de 50 mil passageiros e que, estima a companhia aérea de bandeira nacional, deverá levar a uma perda de receita de oito milhões de euros.

Numa conferência de imprensa que decorreu na tarde desta quarta-feira, 23 de novembro, Christine Ourmières-Widener, CEO da TAP, revelou que o Sindicato Nacional do Pessoal de Voo da Aviação Civil (SNPVAC), responsável pelo agendamento da greve, “decidiu manter a assembleia no dia 06 de dezembro, dois dias antes da greve”, considerando, no entanto, que independentemente do resultado e devido à dimensão da TAP, “será tarde para fazer algo devidamente organizado”.

Por isso, e apesar de não ter sido fácil, acrescentou a responsável da TAP, a companhia aérea tomou já “a decisão de cancelar 360 voos, nos dias 8 e 9 de dezembro”, o que corresponde a menos de metade dos cerca de 500 voos previstos para esse período.

Segundo Christine Ourmières-Widener, o cancelamento antecipado de grande parte dos voos programados para 8 e 9 de dezembro permite que a TAP possa  trabalhar com parceiros para encontrar alternativas para os clientes que tinham voos marcados para os dias de greve.

A CEO da TAP adiantou ainda que não acredita que o SNPVAC venha a desconvocar a greve agendada na assembleia de 6 de dezembro e revelou que a paralisação vai ter um “grande custo” para a empresa, prevendo-se que a companhia aérea perca cerca de oito milhões de euros em receitas.

Christine Ourmières-Widener revelou também que cerca de 25% dos passageiros com voos agendados para os dias da greve já procederam à alteração das suas viagens  “sem qualquer penalização e sem alteração de tarifa, para datas entre 28 de novembro e 19 de dezembro”.

Recorde-se que a greve agendada para 8 e 9 de dezembro deverá contar com uma oferta de serviços mínimos limitada, que não deverá abranger, nomeadamente, as ligações aéreas para as ilhas da Madeira e Açores, uma vez que o sindicato defende que existem alternativas asseguradas por outras companhias aéreas.

O SNPVAC considera que os voos de regresso diretamente para o território nacional para Lisboa e Porto, voos de emergência, voos militares e voos de Estado, nacional ou estrangeiro são considerados “como serviços mínimos a assegurar a satisfação das necessidades sociais impreteríveis, no período decretado de greve”.

 

Sobre o autorPublituris

Publituris

Mais artigos
Transportes

Celebrity Cruises lança programação 2024-2025 com quase 500 partidas e muitas novidades

A programação da Celebrity Cruises para 2024-2025 conta com quase 500 partidas nos 16 navios da companhia de cruzeiros e visita mais de 250 destinos e 70 países.

Publituris

A Celebrity Cruises já lançou a sua programação 2024-2025, que conta com quase 500 partidas nos 16 navios da companhia de cruzeiros e visita mais de 250 destinos e 70 países.

De acordo com a companhia de cruzeiros, que é representada em Portugal pela Melair Cruzeiros, esta é a “mais ambiciosa” programação da Celebrity Cruises de todos os tempos e contempla diversas novidades.

“As novas ofertas incluem novos portos de embarque para alguns dos navios da Classe Edge; partidas durante todo o ano na Europa, com novos portos; mais noites em escala e em alguns casos 2 noites em escala; e novas experiências em todas as regiões, enquanto desfruta da plenitude da experiência de um cruzeiro Celebrity”, resume a companhia de cruzeiros.

Na Europa, a Celebrity Cruises vai contar com partidas ao longo de todo o ano e mais de 40 itinerários diferentes, além de noites em escala em 11 das cidades mais belas do mundo, como é o caso de Lisboa, Portugal; Istambul, Turquia e Reykjavik, Islândia, e ainda novos portos de escala, incluindo Pauillac (Bordeaux), França; Brindisi e Trieste, Itália; e Kavala e Volos, Grécia.

“A Celebrity Cruises irá expandir a sua oferta de itinerários europeus com 153 viagens diferentes, com escalas em quase 100 destinos a bordo de 7 navios, incluindo três dos navios da Classe Edge – Celebrity Ascent, Celebrity, BeyondSM e Celebrity Apex”, indica a companhia.

Pela primeira vez, um navio da classe Edge, o Celebrity Apex, vai ter como porto de embarque Southampton, com destino aos Fiordes Noruegueses, num novo itinerário de 12 noites nos Fiordes Noruegueses e ao Círculo Ártico.

Já o Celebrity Ascent vai ter a sua temporada inaugural na Europa em 2024, visitando cidades culturais em toda a Espanha, Itália, França e Grécia; enquanto o Celebrity Beyond vai oferecer itinerários de 10 e 11 noites pela Grécia, Istambul e Nápoles.

Além destas opções, há ainda viagens adicionais que incluem cruzeiros pela Escandinávia, além de itinerários especiais ao Egito e Israel.

Já nas Caraíbas, onde a Celebrity Cruises vai disponibilizar três itinerários novos, há também de até 12 noites a partir dos quatro portos de embarque – Miami, Fort Lauderdale, Tampa (Flórida) e San Juan (Porto Rico).

“A temporada 2024-25 nas caraíbas, contará com oito navios Celebrity, incluindo três navios Classe Edge – Celebrity Ascent, Celebrity Beyond e Celebrity Apex – estes irão oferecer itinerários que variam entre mini-cruzeiros ao fim de semana de 3 noites e viagens mais longas de 12 noites”, lê-se na informação divulgada.

O Celebrity Ascent, o mais recente navio da companhia, vai fazer a sua estreia nas Caraíbas, realizando itinerários rotativos de 7 noites pelas Caraíbas Orientais e Ocidentais, que visitam os portos de St. Thomas e St. Maarten, Georgetown, Grand Cayman e a paisagem única de Labadee, no Haiti.

Já o Celebrity Beyond vai realizar cruzeiros de 10 e 11 noites no Sul das Caraíbas, visitando St. George, Granada; St. John’s Antigua, St. Maarten, assim como o Canal do Panamá, enquanto o Celebrity Apex vai ter cruzeiros de 7 noites para alguns dos destinos mais procurados da região, incluindo Puerto Plata, República Dominicana; Labadee, Haiti; Key West, Bimini, Bahamas; São Cristóvão e Tortola.

Para visitar o Alasca, a Celebrity Cruises disponibiliza o navio Celebrity Edge, que vai ter partidas de Seattle e realizar itinerários 7 noites até Endicott Arm Fjord e Dawes Glacier, incluindo escalas em Victoria, British Columbia e Ketchikan.

“Juntamente com o Celebrity Summit e o Celebrity Solstice, juntos, oferecem um conjunto de 57 viagens e uma variedade de itinerários de 6 a 8 noites de maio a setembro de 2024”, acrescenta a Celebrity Cruises.

A programação inclui ainda cruzeiros na Ásia, uma vez que, entre abril e outubro de 2024, o recém revitalizado Celebrity Millennium vai fazer um itinerário de 12 noites, com partida do porto de Yokohama, em Tóquio, no Japão.

Após a temporada no Japão, o Celebrity Millennium vai juntar-se ao Celebrity Solstice para oferecer cruzeiros de 11 a 14 noites pelo Sudeste Asiático, que 32 incluem destinos no Vietname, Tailândia, Malásia, Indonésia, Sri Lanka e Índia, entre setembro de 2024 e abril de 2025.

Além destas regiões, a Celebrity Cruises vai contar também com alguns cruzeiros especiais, nomeadamente nas Galápagos, onde os navios Celebrity Flora, Celebrity Xpedition e Celebrity Xploration vão disponibilizar “itinerários de seis ou sete noites cuidadosamente selecionados para garantir que os hóspedes tenham experiências únicas neste arquipélago extraordinário”.

Já o Celebrity Equinox vai realizar a sua temporada inaugural na América do Sul, com um cruzeiro de 14 noites que irá à Pantagónia, Argentina e Antártico, que permite que os passageiros possam assistir a um “espetáculo de tango ou desfrutem das belas praias de Montevidéu, Uruguai”.

O Celebrity Eclipse, por sua vez, vai viajar pelo Canadá e Nova Inglaterra, assim como pela Groenlândia e Islândia, disponibilizando itinerários de 7 noites nas Bermudas da área de Nova York.

A nova programação da Celebrity Cruises inclui algumas partidas únicas, às quais se aplica a campanha em vigor, que oferece até 75% de desconto no segundo passageiro e crédito a bordo até 800 dólares.

Esta campanha é válida para reservas efetuadas até 1 de dezembro de 2022 e aplica-se a partidas entre 10 de dezembro de 2022 e 30 de abril de 2025, excluindo os cruzeiros nas Galápagos.

Todas as propostas da Celebrity Cruises estão já disponíveis para reserva. Para mais informações, está disponível o número de telefone 210 329 400 ou o e-mail [email protected].

 

Sobre o autorPublituris

Publituris

Mais artigos
Transportes

Royal Air Maroc volta a voar para o Porto a 9 de dezembro

A companhia aérea de bandeira marroquina retoma a operação para o Porto a 9 de dezembro, com dois voos por semana, depois de um interregno de mais de dois anos devido à pandemia da COVID-19.

Inês de Matos

A Royal Air Maroc vai voltar a voar para o Porto a partir de 9 de dezembro, retomando a rota que liga a cidade Invicta a Casablanca, em Marrocos, que tinha sido abandonada na sequência da pandemia da COVID-19.

A informação foi avançada pelo CEO da companhia aérea, Abdelhamid Addou, numa conferência de imprensa em Madrid, na passada quinta-feira, durante a qual a Royal Air Maroc anunciou também o lançamento de uma nova rota entre Sevilha-Tânger-Casablanca, assim como o regresso das ligações entre Tenerife e Casablanca, que também tinha sido suspensa com a pandemia.

No caso do Porto, os voos da Royal Air Maroc regressam a 9 de dezembro, contando com duas ligações aéreas por semana, realizadas às segundas e sextas-feiras, com destino a Casablanca, onde se localiza o hub da companhia aérea marroquina.

Já a nova rota Sevilha-Tânger-Casablanca, que a companhia aérea marroquina vai abrir a 4 de dezembro, também vai disponibilizar duas frequências semanais, às sextas-feiras e domingos.

No caso da rota Tenerife-Casablanca, que tal como a operação do Porto também é retomada a 9 de dezembro, vão estar disponíveis igualmente dois voos por semana, às quintas-feiras e sábados.

“Com a retoma do tráfego aéreo, a Royal Air Maroc está a apostar no reforço da sua oferta para se afirmar como um player de referência no turismo marroquino e como uma das principais companhias do nosso continente”, afirmou Abdelhamid Addou, CEO da Royal Air Maroc, durante a conferência de imprensa em Madrid.

De acordo com o responsável, além do continente africano, a companhia aérea pretende também reforçar a sua posição nos principais mercados emissores de turismo, a exemplo de Espanha e França.

 

Sobre o autorInês de Matos

Inês de Matos

Mais artigos
Transportes

Grupo MSC desiste de comprar a Ita Airways

O Grupo MSC retirou a proposta para adquirir o capital da companhia aérea italiana Ita Airways, que nasceu em 2021, depois da insolvência e liquidação da Alitalia.

Publituris

O Grupo MSC retirou a proposta para adquirir o capital da companhia aérea italiana Ita Airways, que nasceu em 2021, depois da insolvência e liquidação da Alitalia.

De acordo com a Lusa, o grupo marítimo, a que pertence a MSC Cruzeiros, informou em comunicado a desistência do negócio, explicando que já tinha informado “as autoridades competentes que não tem mais interesse em participar na privatização da Ita Airways”.

A desistência da compra da Ita Airways deve-se ao facto de o Grupo MSC não entender “as condições atuais do procedimento”, optando, assim, por retirar a proposta que tinha sido apresentada.

A Lusa recorda que, em outubro, o executivo de Giorgia Meloni já tinha interrompido as negociações com um consórcio formado pelas companhias aéreas Delta e Air France e pelo fundo americano Certares.

No entanto, as negociações com o Grupo MSC e com a Lufthansa continuaram, tendo mesmo chegado a ser apresentada uma proposta que previa a aquisição de 80% do capital da Ita Airways, ficando o Grupo MSC com 60% da companhia aérea italiana e a Lufthansa com os restantes 20%.

Recorde-se que a Ita Airways foi fundada em outubro de 2021, depois da liquidação da Alitalia, cuja situação financeira, que já era difícil antes da pandemia da COVID-19, se ter tornado insustentável e ter ditado a criação da nova companhia aérea.

O Ministério da Economia de Itália é, atualmente, o único acionista da Ita Airways.

Sobre o autorPublituris

Publituris

Mais artigos
Transportes

Emirates começa a introduzir nova classe Premium Economy na frota A380

A nova cabina Premium Economy da Emirates vai oferecer “lugares luxuosos, mais espaço para as pernas, e um serviço que rivaliza com a oferta de muitas companhias aéreas de Classe Executiva”, segundo a companhia aérea.

Publituris

A Emirates deu início ao programa que prevê a renovação e introdução da nova classe de bordo Premium Economy na sua frota de aviões A380, alterações que vão chegar a 67 aviões A380 e a 53 B777 da Emirates e que deverão estar concluídas no prazo de dois anos.

De acordo com um comunicado da companhia aérea do Dubai, “este projeto ambicioso representa um investimento multibilionário para assegurar que os passageiros voem melhor nos próximos anos”.

Até 23 de maio de 2024, a Emirates conta ter todos os 67 aviões A380 destinados ao programa de reequipamento de volta ao serviço, seguindo-se, posteriormente, intervenções em 53 aparelhos Boeing 777, num trabalho que deverá estar concluído até março de 2025 e que vai levar a nova classe de bordo a um total de 120 aviões da Emirates.

O primeiro avião A380 da Emirates a ser sujeito à renovação e reequipamento já se encontra no Centro de Engenharia da Emirates, onde, “durante os próximos dias e 24 horas por dia, equipas de engenheiros e técnicos desmontarão todo o interior da cabina”, que será posteriormente montado “numa sequência cuidadosamente planeada e testada”.

Depois da renovação, que vai até implicar mudanças nas Shower Spa da Emirates, o avião vai passar a contar com 56 lugares em Premium Economy, o que obriga a retirar 88 assentos Economy da parte da frente do avião.

Mas a renovação chega também às cabines de executiva e primeira classe, localizadas no primeiro andar do aparelho, cujos assentos vão ser igualmente substituídos por outros mais recentes, sendo que também as alcatifas e pavimentos das cabines dos aviões serão substituídos antes da reinstalação dos novos assentos.

Depois deste primeiro avião, a Emirates tem já prevista a renovação do próximo aparelho para 1 de dezembro, uma vez que, à medida que o programa vai avançando, os engenheiros da companhia aérea vão poder trabalhar em dois aviões em simultâneo.

“Isto significa que, a cada oito dias, um avião será imobilizado e transportado para a Emirates Engineering para reequipamento”, indica a Emirates, num comunicado divulgado esta terça-feira, 22 de novembro.

A nova cabina Premium Economy da Emirates vai oferecer “lugares luxuosos, mais espaço para as pernas, e um serviço que rivaliza com a oferta de muitas companhias aéreas de Classe Executiva” e que, atualmente, está apenas disponível nos aparelhos A380 que realizam as rotas de Londres, Paris e Sydney.

Até final de março de 2023, a Emirates conta ter também a Premium Economy nas rotas para Nova Iorque JFK, São Francisco, Melbourne, Auckland e Singapura.

 

Sobre o autorPublituris

Publituris

Mais artigos
Transportes

Americanos consideram várias opções para voar mais barato

São várias as possibilidades que os americanos equacionam para obter voos mais baratos. Desde viajar de pé, não ter acesso a casas de banho ou sujeitar-se a diversos ‘stopovers’, se o desconto for adequado, estes são alguns dos “sacrifícios” que os viajantes estão dispostos fazer.

Publituris

Uma recente pesquisa realizada pela WayAway, motor de busca de viagens, revela que a maioria dos americanos consideraria diversas opções para obter viagens de avião mais baratas. Entre as opções estão viajar de pé, não ter acesso às casas de banho ou realizar cinco ‘stopovers’, tudo para ter voos mais baratos no próximo ‘Black Friday’, dia que inaugura a temporada de compras natalícias com significativas promoções e que tem início um dia depois do Dia de Ação de Graças nos Estados Unidos, ou seja, no dia seguinte à quarta quinta-feira do mês de novembro.

Com os preços dos voos a subir, a pesquisa conclui que os viajantes procuram preços mais baixos, revelando que 8,6% estaria disposto a voar de pé se obtivessem um desconto entre 5 a 10%. Já 30,8% consideraria esta opção se o desconto fosse de 20 a 30% e 31,6% admite esta possibilidade se a promoção chegasse aos 50%. Já 29% não consideraria qualquer dessas possibilidades de desconto.

No que diz respeito à opção de viajar sem acesso às casas de banho, 8,7% dos inquiridos consideraria essa hipótese se o desconto fosse de 5 a 10%, sendo que 23% optaria por um voo com esta limitação se o desconto chegasse aos 20 a 30%. Já 29,2% admite voar caso o desconto fosse de 50%, enquanto 39% não considera voar com estas limitações nos voos.

Finalmente, no que diz respeito aos ‘stopovers’, 4,6% considera essa possibilidade se o desconto chegasse aos 10%, subindo para 18% em descontos entre os 20 a 30%. Já 35,4% optaria por este tipo de voos, caso o desconto atingisse os 50%, enquanto 42% não optaria por esta possibilidade.

Janis Dzenis, porta-voz da WayAway, diz-se “surpreendida com a quantidade de americanos que estão dispostos a enfrentar alguns inconvenientes realmente sérios para obter preços com desconto”, considerando que “não podemos deixar de nos perguntar se isso reflete os atuais altos preços dos bilhetes ou se sempre foi esse o caso”.

Dzenis refere, contudo, que existem opções mais fáceis de economizar nos voos. Em primeiro lugar, “ser flexível com as datas”, frisando que “escolher um dia da semana em vez de um fim de semana pode ser a chave”. Em segundo lugar, “reservar com antecedência, especialmente ao escolher os destinos mais procurados”. E, finalmente, “assinar um plano de assinatura pago para obter reembolso de até 7% em todas as ofertas de viagens”.

Sobre o autorPublituris

Publituris

Mais artigos
Transportes

Terminal de Cruzeiros de Lisboa eleito o melhor da Europa

Inaugurado em 2017, esta é a primeira vez que o Terminal de Cruzeiros de Lisboa recebe o prémio de Melhor Terminal de Cruzeiros da Europa, atribuído pelos World Cruise Awards.

Publituris

O Terminal de Cruzeiros de Lisboa conquistou, pela primeira vez, o prémio de Melhor Terminal de Cruzeiros da Europa, atribuído pelos World Cruise Awards.

António Caracol, administrador do Porto de Lisboa, considera que esta distinção vem “destacar as excecionais condições que Lisboa dispõe para acolher navios e passageiros de cruzeiro com exigências cada vez maiores, prestando, assim, um serviço de excelência a quem visita a capital portuguesa”.

O responsável salienta ainda que o prémio vem numa fase em que a Administração do Porto de Lisboa (APL) está a desenvolver “um conjunto de ações no âmbito da estratégia de valorização e qualificação da indústria de cruzeiros na cidade, nomeadamente ao nível da sustentabilidade”, acreditando o mesmo que Lisboa – como porto e destino de cruzeiros – “garante uma resposta sustentável aos desafios presentes e futuros”.

A concorrer para este prémio, estiveram, juntamente com o Terminal de Cruzeiros de Lisboa, os terminais de Civitavecchia (Amesterdão), Limassol (Málaga), Barcelona, Kiel, Mónaco, Oslo, Rostock-Warnemunde, Portsmouth, Valletta e Zadar.

Inaugurado em 2017, o Terminal de Cruzeiros de Lisboa, projeto da autoria do arquiteto Carrilho da Graça, e que contou com um investimento de 28 milhões de euros, tem uma área de 13.800 m2 e um cais com 1.490 metros de comprimento com capacidade para receber navios de vários tipos e dimensões com um calado até 12 metros.

Sobre o autorPublituris

Publituris

Mais artigos
Transportes

TAP não consegue evitar greve e recomenda alteração de voos

A TAP indica que não foi possível desmarcar a greve dos tripulantes de cabina, que está agendada para 8 e 9 de dezembro, e está a recomendar aos seus passageiros que alterem os voos, sem qualquer penalização.

Publituris

A TAP está a recomendar aos seus passageiros com voos marcados para 8 e 9 de dezembro que procedam à sua alteração sem qualquer penalização, devido à greve agendada pelos tripulantes de cabina da companhia aérea de bandeira nacional que, segundo a companhia aérea, não foi possível desmarcar.

“Como é do conhecimento público, a TAP enfrenta um anúncio de greve do Pessoal de Cabina para os dias 8 e 9 de dezembro. Apesar de todos os esforços da Companhia para evitar esta greve, não foi possível chegar a um acordo com o sindicato que representa estes profissionais, ainda que se tenha conseguido alcançar entendimentos sobre várias matérias”, lê-se num comunicado divulgado esta segunda-feira, pela companhia aérea de bandeira nacional.

Na informação divulgada, a TAP diz que não sabe qual será o “nível de disrupção que a operação” vai sofrer nos dias de greve, pelo que “recomenda aos seus clientes que tentem remarcar os seus voos”.

“Deverão fazê-lo através do call center ou das suas agências de viagens. A alteração das datas dos voos previstos para este período poderá ser feita sem qualquer penalização e sem alteração de tarifa, para datas entre 28 de novembro e 19 de dezembro, e sem penalização, embora com alteração de tarifa, para qualquer outro período”, recomenda a transportadora nacional.

A TAP mostra-se ainda disponível para continuar as negociações com o sindicato que representa a tripulação de cabina e reitera que “fez todos os possíveis para que isso acontecesse em tempo útil, tendo agora de concentrar os seus esforços na organização da operação e na salvaguarda dos seus clientes”.

A companhia aérea pede desculpa aos passageiros pelos “efeitos nefastos desta greve anunciada”  e pela “perturbação que a mesma lhes poderá causar”, assegurando ainda que “está a fazer todos os esforços para os minimizar”.

Recorde-se que os tripulantes da TAP anunciaram uma greve nos dias 08 e 09 de dezembro, convocada pelo Sindicato Nacional do Pessoal de Voo da Aviação Civil (SNPVAC), apontando como motivos o “descontentamento, revolta e mal-estar” entre os trabalhadores.

A TAP e os sindicatos estiveram até esta segunda-feira, 21 de novembro, em negociações para a revisão do Acordo de Empresa (AE), no âmbito do plano de reestruturação, mas não foi possível chegar a acordo, uma vez que a companhia aérea propunha cortes nos salários e flexibilização de horários, enquanto os tripulantes queriam que o atual acordo de empresa fosse o ponto de partida e base para qualquer negociação futura.

 

Sobre o autorPublituris

Publituris

Mais artigos
Transportes

Programa SAF Corporativo arrecada prémio de sustentabilidade para a Air France-KLM

A Air France-KLM foi distinguida pelo seu programa SAF Corporativo na categoria ‘Grande Empresa’ durante a gala dos XIII prémios Corresponsables, em Espanha.

Publituris

A Air France-KLM foi distinguida pelo seu programa SAF Corporativo na categoria ‘Grande Empresa’ durante a gala dos XIII prémios Corresponsables, que foi atribuído na semana passada, numa cerimónia em Barcelona, Espanha.

De acordo com a Air Fran-KLM, os prémios Corresponsáveis “distinguem anualmente as melhores práticas de Responsabilidade Social, Sustentabilidade e ODS, além das melhores ações de comunicação corresponsável”.

Em destaque esteve o programa SAF Corporativo da Air France-KLM, que, segundo o grupo de aviação, “propõe às empresas desempenharem um papel ativo no futuro das viagens mais respeitosas com o ambiente”, uma vez que permite que os clientes corporativos possam estimar as emissões de CO2 das suas viagens e “determinar a contribuição anual que desejam dedicar ao referido programa”.

“Muito obrigado aos prémios Corresponsables e felicidades a todos os galardoados. É uma honra para a Air France-KLM receber este prémio, que nos incentiva a continuar a trabalhar em prol da sustentabilidade. O combustível de aviação sustentável é, hoje, uma das medidas mais eficazes para reduzir as emissões de CO2 das viagens aéreas. O nosso objetivo é aumentar cada vez mais a proporção de SAF que utilizamos”, afirma Laurent Perrier, diretor geral da Air France-KLM para Portugal e Espanha.

O responsável  espera também que este prémio funcione como “um incentivo” para que todos os clientes da Air France-KLM se juntem à iniciativa do programa SAF Corporativo.

Sobre o autorPublituris

Publituris

Mais artigos

Navegue

Sobre nós

Grupo Workmedia

Mantenha-se conectado

©2021 PUBLITURIS. Todos os direitos reservados.