Edição digital
Assine já
PUB
Transportes

Empresas de David Neeleman não estão falidas e empresário quer pedido de desculpas de António Costa

Antigo acionista da TAP acusa o primeiro-ministro de ter “faltado à verdade” quando disse que as empresas de David Neeleman estavam falidas e lembra a criação da Breeze Airways nos EUA, que nasceu em “plena pandemia”.

Publituris
Transportes

Empresas de David Neeleman não estão falidas e empresário quer pedido de desculpas de António Costa

Antigo acionista da TAP acusa o primeiro-ministro de ter “faltado à verdade” quando disse que as empresas de David Neeleman estavam falidas e lembra a criação da Breeze Airways nos EUA, que nasceu em “plena pandemia”.

Publituris
Sobre o autor
Publituris
Artigos relacionados
Bruxelas abre investigação a ajuda estatal alemã de 6 MM€ à Lufthansa na pandemia
Aviação
The Verse: o novo aparthotel a abrir portas na Rua de São Bento em Lisboa
Alojamento
FIA Lisboa chega ao fim com 48 mil visitantes e “balanço muito positivo”
Destinos
Autarca de Lisboa insiste na subida da taxa turística para ter “melhor limpeza, melhores espaços, mas também mais cultura”
Alojamento
Costa Cruzeiros lança novos itinerários no Japão e sudeste asiático para o inverno 2025-26
Transportes
TAP lança promoção para assinalar 60.º aniversário de voos para a Madeira
Aviação
Centro Interpretativo “Os Murais de Almada nas Gares Marítimas” abre em fevereiro de 2025
Destinos
INE confirma que atividade turística superou níveis de 2019 no ano passado
Alojamento
“As tecnologias e aplicações que estão já disponíveis são muitas, mas ainda muito pouco expressivas em relação ao que aí vem”
Tecnologia
CEO da Iberia mostra interesse na TAP e espera aprovação da compra da Air Europa
Aviação

O empresário e ex-acionista da TAP, David Neeleman, reagiu esta terça-feira, 18 de janeiro, às palavras de António Costa, acusando o primeiro-ministro e líder do Partido Socialista (PS) de ter “faltado à verdade” num debate para as eleições legislativas de 30 de janeiro, uma vez que, apesar do período difícil por que a aviação tem passado com a pandemia, nenhuma das suas “empresas foi à falência nem foi sujeita a qualquer tipo de intervenção similar até à presente data”.

Num comunicado enviado à Lusa, David Neeleman considera que, no debate que opôs António Costa a Rui Rio, presidente do Partido Social Democrata (PSD), a 13 de janeiro, o primeiro-ministro e secretário-geral do PS proferiu “afirmações falsas”, que afetaram o seu “nome e reputação”, quando disse que o Estado nacionalizou a TAP “para prevenir precisamente que aquele privado que lá estava e que não merecia confiança, não daria cabo da TAP no dia em que fosse à falência'”.

Na reação enviada à Lusa, o empresário explica que “desde o início” da sua carreira teve “a oportunidade de criar cinco empresas de aviação em diferentes países como os Estados Unidos da América, Canadá e Brasil” e que, “apesar de nos dois últimos anos a indústria da aviação ter passado pela sua maior crise de sempre, nenhuma dessas empresas foi à falência nem foi sujeita a qualquer tipo de intervenção similar até à presente data”.

“Ao contrário do que o Dr. António Costa disse nesse debate, todas as empresas de aviação que fundei foram e continuam a ser projetos de grande sucesso com valorizações consideráveis para os seus ‘stakeholders’, tendo demonstrado ser sustentáveis e resilientes o suficiente para sobreviver neste cenário de crise”, reforça David Neeleman na nota enviada à Lusa.

David Neeleman garante que nenhuma das suas empresas está falida e diz até que isso pode ser comprovado, uma vez que  “há muita informação sobre essas empresas, desde logo por serem cotadas”, considerando, por isso, que não é necessário “detalhar a situação de cada uma delas”, ainda que destaque notícias que dão conta dos “enormes sucessos” da Jet Blue e da Azul, assim como do mais recente projeto do empresário nos EUA, a Breeze Airways, que “iniciou atividade em plena pandemia”.

“É com surpresa que noto que o Dr. António Costa entende que eu não sou merecedor de ‘confiança’, isto depois de após o início da pandemia o Dr. António Costa ter reconhecido em 30 de abril de 2020 em entrevista à RTP que a TAP até à pandemia estava a executar o plano estratégico que tinha sido aprovado pelo Estado”, acrescenta David Neeleman, que quer um pedido de desculpas por parte do primeiro-ministro.

“O Dr. António Costa faltou à verdade e com as suas declarações afetou o meu nome e a minha reputação, pelo que espero um pedido de desculpas”, lê-se na nota enviada à Lusa.

Sobre o autorPublituris

Publituris

Mais artigos
Artigos relacionados
Bruxelas abre investigação a ajuda estatal alemã de 6 MM€ à Lufthansa na pandemia
Aviação
The Verse: o novo aparthotel a abrir portas na Rua de São Bento em Lisboa
Alojamento
FIA Lisboa chega ao fim com 48 mil visitantes e “balanço muito positivo”
Destinos
Autarca de Lisboa insiste na subida da taxa turística para ter “melhor limpeza, melhores espaços, mas também mais cultura”
Alojamento
Costa Cruzeiros lança novos itinerários no Japão e sudeste asiático para o inverno 2025-26
Transportes
TAP lança promoção para assinalar 60.º aniversário de voos para a Madeira
Aviação
Centro Interpretativo “Os Murais de Almada nas Gares Marítimas” abre em fevereiro de 2025
Destinos
INE confirma que atividade turística superou níveis de 2019 no ano passado
Alojamento
“As tecnologias e aplicações que estão já disponíveis são muitas, mas ainda muito pouco expressivas em relação ao que aí vem”
Tecnologia
CEO da Iberia mostra interesse na TAP e espera aprovação da compra da Air Europa
Aviação
PUB
Transportes

Costa Cruzeiros lança novos itinerários no Japão e sudeste asiático para o inverno 2025-26

No inverno 2025-26, o navio Costa Serena a realizar dois novos itinerários de 15 dias pela Ásia, um dos quais pelo Japão, ambos com voos a partir da Europa na opção ‘fly & cruise’.

Publituris

A Costa Cruzeiros vai contar com novos itinerários para o inverno 2025-26, anunciou a companhia de cruzeiros, que vai colocar o navio Costa Serena a realizar dois novos itinerários de 15 dias pela Ásia, um dos quais pelo Japão, ambos com  voos a partir da Europa.

“Além dos cruzeiros pelo Mediterrâneo, Ilhas Canárias, Caraíbas, Emirados Árabes Unidos, América do Sul e pelo Mundo, de novembro de 2025 a janeiro de 2026, a empresa italiana oferecerá a oportunidade de visitar alguns dos mais belos destinos da Ásia, a partir da perspectiva único do mar, a bordo do Costa Serena”, lê-se num comunicado divulgado esta segunda-feira, 8 de julho.

Os cruzeiros da Costa Cruzeiros na Ásia estão disponíveis através da fórmula ‘fly & cruise’, que conta com voos desde Madrid ou Barcelona até ao terminal de partida do navio, numa oferta que também está disponível para passageiros portugueses.

Para o Japão, a Costa Cruzeiros propõe um itinerário de 15 dias que visita Hong Kong, Keelung (Taiwan), Naha (Japão), Kagoshima (Japão), Tóquio (Japão), Kobe (Japão), Nagasaki (Japão), Busan (Coreia do Sul) e Hong Kong.

Também para o sudeste asiático, a Costa Cruzeiros propõe ainda outro itinerário de 15 dias que visita o Vietname, a Tailândia, Singapura, Filipinas, Brunei, numa viagem que conta com escalas em Hong Kong, Nha Trang (Vietname), Phu My (Vietname), Koh Samui (Tailândia), Singapura, Bandar Seri Begawan (Brunei), com escala de 12 horas, Puerto Princesa, Palawan (Filipinas) e Hong Kong.

Segundo a Costa Cruzeiros, o itinerário para o Japão encontra-se disponível de 21 de novembro de 2025 a 30 de janeiro de 2026, com embarque em Hong Kong e Tóquio, sendo esta viagem alternada com o cruzeiro do Sudeste Asiático, que tem embarques em Hong Kong e Singapura.

“Os dois itinerários podem ser combinados numas férias únicas de 28 noites, visitando todos os 14 destinos das duas rotas. A solução ideal, por exemplo, para celebrar o final de 2025 e o início do Ano Novo. Além disso, haverá a possibilidade de prolongar a estadia nos destinos, e os passageiros podem escolher as datas de voo da sua preferência, independentemente das que já estão determinadas para o cruzeiro”, explica ainda a Costa Cruzeiros.

O Costa Serena é o navio da Costa Cruzeiros que vai realizar os dois novos itinerários do Japão e sudeste asiático, com a companhia de cruzeiros a adiantar que, antes de começar a realizar os novos cruzeiros, o navio vai ser sujeito a “obras significativas de renovação que irão melhorar ainda mais a experiência a bordo”.

Para quem tem menos tempo disponível, é ainda possível realizar estes itinerários ao longo de apenas uma semana e as reservas podem ser realizadas aqui.

 

 

Sobre o autorPublituris

Publituris

Mais artigos
Aviação

TAP lança promoção para assinalar 60.º aniversário de voos para a Madeira

Com esta oferta da TAP, há bilhetes só de ida para a Madeira com preços a partir de 25 euros, enquanto os voos de ida e volta apresentam preços a partir de 49 euros. A oferta é válida até 16 de julho.

Publituris

A TAP lançou esta segunda-feira, 8 de julho, uma nova promoção com preços especiais em viagens para a Madeira, oferta que visa assinalar o 60.º aniversário da abertura dos voos da companhia aérea de bandeira nacional entre Lisboa e a Madeira.

“Hoje, a TAP realiza sete voos por dia entre Lisboa e o Aeroporto Cristiano Ronaldo e dois voos por dia que ligam o Porto e a Madeira, reforçando o impulso decisivo que deu desde o início à afirmação e consolidação da Madeira como destino turístico com forte reputação e procura nacional e internacional”, lê-se num comunicado da TAP.

A companhia aérea de bandeira nacional indica que, com esta oferta, há bilhetes só de ida para a Madeira com preços a partir de 25 euros, enquanto os voos de ida e volta apresentam preços a partir de 49 euros.

A promoção da TAP está em vigor até 16 de julho e é válida para partidas de Lisboa e do Funchal, entre 15 de setembro de 2024 e 30 de abril de 2025, com exceção do período de Natal, Ano Novo e Páscoa, e os preços apresentados já incluem todas as taxas aeroportuárias.

“Adicionalmente, o programa TAP Miles&Go oferece ainda 60 por cento de Milhas Bónus em todas as reservas de e para a Madeira”, acrescenta a informação divulgada pela TAP.

Os bilhetes podem ser adquiridos aqui, onde é também possível consultar mais informações sobre a oferta da TAP, assim como nas agências de viagens.

Sobre o autorPublituris

Publituris

Mais artigos
Aviação

CEO da Iberia mostra interesse na TAP e espera aprovação da compra da Air Europa

O CEO da Iberia, Luis Gallego, está confiante de que Bruxelas vai aprovar a compra da Air Europa pelo grupo IAG e não descarta o interesse na TAP pelas oportunidades de crescimento em África e no Brasil.

Publituris

O CEO da Iberia, Luis Gallego, está confiante de que a Comissão Europeia vai aprovar a compra da Air Europa pelo grupo IAG, depois de Bruxelas ter dado luz verde à aquisição da ITA Airways pela Lufthansa, e mostra-se também interessado na TAP, não descartando uma possível oferta pela companhia aérea de bandeira portuguesa.

De acordo com o Hosteltur, Luis Gallego, manifestou a sua satisfação com a aprovação pela Comissão Europeia, ainda que com condições, da aquisição pela Lufthansa de 41% da ITA Airways.

O responsável diz esperar que a luz verde de Bruxelas ao negócio entre a Lufthansa e a ITA Airways seja um “sinal” de que também a compra da Air Europa pelo grupo IAG poderá avançar, uma vez que tem seguido o mesmo caminho e praticamente em simultâneo.

Luis Gallego considera que a aprovação mostra que a Comissão Europeia consegue ver o “valor da consolidação, para ter um setor aéreo mais forte na Europa” e admitiu que o grupo que detém a Iberia tem interesse em expandir-se para a América Latina, o que poderá levar à aquisição de uma companhia aérea sul-americana para aumentar a oferta de voos entre a América Latina e a Europa.

Nesse sentido, o CEO da Iberia não descartou que o grupo IAG possa avançar com uma proposta para aquisição de uma participação na TAP, até porque, explicou, o grupo “tem sempre outras opções no radar”, caso o acordo sobre a Air Europa seja bloqueado em Bruxelas.

O HostelTur recorda que esta não é a primeira vez que o CEO da Iberia demonstra interesse na TAP, o que é justificado pela oportunidades de crescimento no Brasil e África que a transportadora portuguesa oferece, ainda que este negócio esteja sujeito ao que poderá acontecer com a Air Europa.

 

Sobre o autorPublituris

Publituris

Mais artigos
Destinos

Madeira e TAP assinalam 60.º aniversário dos voos entre Lisboa e a região

Além do aniversário da abertura dos voos da TAP entre Lisboa e a Madeira, a região está também a comemorar os 60 anos da inauguração do Aeroporto da Madeira.

Publituris

A Associação de Promoção da Madeira (AP-Madeira) e a TAP estão a assinalar esta segunda-feira, 8 de julho, o 60.º aniversário da abertura dos voos entre Lisboa e a região, efeméride que está a ser assinalada com um celebração no Aeroporto de Lisboa e ofertas especiais para os passageiros a bordo.

“A companhia portuguesa fez a primeira ligação para o Aeroporto de Santa Catarina naquele ano de 1964, utilizando um avião “Lockheed L- 1049G Super Constellation” (operado pela TAP, de 1955 a 1967), pilotado pelo Comandante Pereira, que inauguraria a pista madeirense (na altura com 1.600 metro de comprimento), ao aterrar pelas 11h24”, recorda a AP-Madeira.

Além dos 60 anos da abertura dos voos entre Lisboa e a Madeira, a região está também a comemorar os 60 anos da inauguração do Aeroporto da Madeira, que foi construído na zona de Santa Catarina, em Santa Cruz, após estudos técnicos sobre a sua localização.

O aniversário foi assinalado com uma cerimónia invocativa no Aeroporto de Lisboa, que contou com uma área decorada para o efeito na zona das partidas da infraestrutura aeroportuária, onde houve bolo e bebidas para os passageiros, que receberam ainda algumas ofertas alusivas à ocasião.

O voos de regresso a Lisboa também assinalou o aniversário dos 60 anos desde a abertura dos voos da TAP para a Madeira, tendo os passageiros sido igualmente presenteados com algumas ofertas alusivas à celebração.

“A construção desta infraestrutura foi essencial para o desenvolvimento da Região, já que abriu a Madeira ao mundo e permitiu que o mundo tivesse uma outra porta de entrada à ilha, até então limitada ao Porto do Funchal”, recorda Eduardo Jesus,  secretário Regional de Economia, Turismo e Cultura e presidente da AP-Madeira.

Segundo o responsável, a “TAP desempenhou um papel preponderante nas ligações a Portugal continental e a outras paragens na Europa e no Mundo, sendo que, atualmente, continua a ser um importante parceiro da Região no que respeita a conectividade aérea”.

“Celebrar o 60.º aniversário do primeiro voo entre Lisboa e Funchal é celebrar uma relação entre a Região e a TAP, que tem sido fundamental e que se pretende continuamente reforçada”, conclui Eduardo Jesus.

 

Sobre o autorPublituris

Publituris

Mais artigos
Destinos

Transportes em queda provocam descida na constituição de novas empresas no 1.º semestre

Nos primeiros seis meses do ano, o número de empresas constituídas desceu 3,0%, num total de 27 263 novas empresas, com o setor dos Transportes a liderar a descida verificada.

Inês de Matos

O setor dos Transportes foi o grande responsável pela descida verificada na constituição de novas empresas no primeiro semestre do ano, apurou o relatório Business by Data da Informa D&B.

De acordo com esta pesquisa, divulgada esta sexta-feira, 5 de julho, nos primeiros seis meses do ano o número de empresas constituídas desceu 3,0%, num total de 27 263 novas empresas, com o setor dos Transportes a liderar a descida verificada.

“Depois do aumento acentuado nos últimos anos, a atividade do Transporte ocasional de passageiros em veículos ligeiros cai pelo 7º mês consecutivo, sendo responsável por grande parte da descida do semestre (-899; -32% constituições de empresas)”, lê-se na informação divulgada.

Tal como os Transportes, também o setor das Atividades imobiliárias está em queda há quatro semestres consecutivos, “com menos 179 constituições de empresas (-6,7% constituições) do que no período homólogo”.

Em sentido contrário encontra-se a Construção de edifícios (residenciais e não residenciais), que foi “a atividade com o maior número de constituições de novas empresas no semestre (2 049 constituições de empresas), registando igualmente o maior crescimento face ao semestre homologo (+188; +10% constituições de empresas)”.

“Além da Construção (+258; +8,3% constituições), os setores dos Serviços gerais (+118; +3,0% constituições), Tecnologias da informação e comunicação (+85; +5,1% constituições) e Retalho (+77; +3,1% constituições) contrariam também a tendência geral e registam um aumento no número de constituições de empresas”, refere ainda o comunicado da Informa D&B.

Insolvências aumentam e Transportes lideram encerramentos

Nos primeiros seis meses do ano, também o número de insolvências aumentou, subindo 11% face ao primeiro semestre do ano anterior, num total de 1 074, o que representa um aumento de 110 processos de insolvência.

“Este aumento não é transversal a todos os setores, estando maioritariamente concentrado nas Indústrias de Têxtil e Moda. No acumulado do semestre, este subsetor registou 196 empresas em insolvência (+110; +128% processos de insolvência)”, explica a Informa D&B.

Já os encerramentos desceram 5,3% no primeiro semestre do ano, num total de 6 022 empresas, mas subiram no acumulado dos últimos 12 meses, num aumento de 0,9% ou mais 137 encerramentos face aos 12 meses anteriores, atingindo um total de 15 020 empresas.

No caso dos encerramentos, o destaque volta a ir para o setor dos Transportes, com a atividade de Transporte Ocasional de Passageiros a liderar nesta indicar, com um aumento de 41% face aos 12 meses anteriores.

“A atividade do Transporte ocasional de passageiros em veículos ligeiros é, também nos encerramentos, a principal responsável pelo aumento dos últimos 12 meses, registando neste período 477 encerramentos, o que corresponde a um aumento de 41% face aos 12 meses anteriores (+139 encerramentos)”, refere a Informa D&B.

Nos restantes setores e também nos últimos 12 meses, destaca-se o aumento do número de encerramentos de empresas nos Serviços empresariais (+9,0%; +192 encerramentos) e no Alojamento e restauração (+4,7%; +78 encerramentos).

 

Sobre o autorInês de Matos

Inês de Matos

Mais artigos
Aviação

Emirates oferece duas noites em hotel de luxo na compra de viagens em Primeira Classe ou Executiva

A Emirates vai oferecer, entre 1 de julho de 2024 e até 21 de julho de 2024, uma estadia de duas noites no hotel de luxo de 5 estrelas JW Marriott Marquis Hotel Dubai aos passageiros que comprarem uma viagem com a companhia aérea, em Primeira Classe ou Executiva. Em Premium Economy, a oferta inclui apenas uma noite no mesmo hotel.

Publituris

A Emirates vai oferecer, entre 1 de julho de 2024 e até 21 de julho de 2024, uma estadia de duas noites no hotel de luxo de 5 estrelas JW Marriott Marquis Hotel Dubai aos passageiros que comprarem um bilhete de viagem com a companhia aérea, em Primeira Classe ou Executiva.

“Esta oferta especial é válida para todos os bilhetes de ida e volta para o Dubai ou com escala no Dubai por mais de 24 horas, para passageiros que viajem entre 4 de julho de 2024 e 15 de setembro de 2024″, indica a Emirares, explicando que os passageiros da Premium Economy ganham uma noite de alojamento no mesmo hotel.

“Os passageiros que chegam ao Dubai são realmente surpreendidos no verão. Com o festival anual de entretenimento e compras da cidade a decorrer, o Dubai Summer Surprises, os turistas poderão experimentar um conjunto interminável de atrações e de atividades. Como incentivo adicional, a Emirates está a oferecer estadias gratuitas em hotéis aos passageiros que viajam para e através do Dubai”, refere Adnan Kazim, vice-presidente e diretor Comercial da Emirates Airline.

A oferta da Emirates está em vigor para aquisições através do website da companhia aérea, na Emirates App, através dos balcões e call centers da Emirates ou ainda dos agentes de viagens participantes, desde que as reservas sejam efetuadas com pelo menos 96 horas de antecedência em relação à chegada dos passageiros.

Composto por duas torres icónicas com 355 metros de altura, o JW Marriott Marquis Hotel Dubai é o hotel de 5 estrelas mais alto do mundo, proporcionando aos visitantes algumas das vistas mais deslumbrantes sobre a cidade.

Sobre o autorPublituris

Publituris

Mais artigos
Aviação

Aerolineas Argentinas passa a voar entre Buenos Aires e Porto Seguro

A companhia aérea Aerolineas Argentinas começa este sábado, 6 de julho, a voar entre Buenos Aires e Porto Seguro, disponibilizando um voo por semana, num avião B737.

Publituris

A Aerolineas Argentinas vai abrir uma nova rota para o Brasil, passando a ligar a capital argentina à cidade brasileira de Porto Seguro, na Bahia, numa operação que deverá arrancar no sábado, 6 de julho, com um voo por semana.

De acordo com a imprensa brasileira, os voos para Porto Seguro vão ser operados num aparelho B737 e visam responder à crescente procura por viagens aéreas entre a Argentina e o Brasil, seja por motivos de lazer ou negócios.

Os bilhetes para os voos entre Buenos Aires e Porto Seguro já se encontram disponíveis para aquisição através dos canais oficiais da companhia aérea, que dá assim continuidade à sua estratégia de expansão na América do Sul.

Recorde-se que Porto Seguro é um conhecido destino turístico localizado na Bahia, famoso pelas praias, assim como pela animação noturna e importância histórica.

Sobre o autorPublituris

Publituris

Mais artigos

Foto: Depositphotos.com

Aviação

Maio traz aumento de 10,7% na procura por viagens aéreas e maior load factor

A IATA indica que, em maio, a procura internacional por viagens aéreas subiu 10,7% e todas as regiões do mundo registaram um aumento de passageiros internacionais, assim como do load factor, com exceção da América do Norte.

Inês de Matos

Em maio, a procura por viagens aéreas registou um aumento de 10,7%, avança a Associação Internacional de Transporte Aéreo (IATA), que destaca ainda o load factor, que chegou aos 83,4%, valor que representa um recorde para o  quinto mês do ano.

“A forte procura por viagens continua com as companhias aéreas a registarem um aumento anual de 10,7% nas viagens em maio. As companhias aéreas preencheram 83,4% dos seus assentos, um recorde para este mês. Com as vendas de bilhetes em maio para viagens no início da época alta a subirem quase 6%, a tendência de crescimento não mostra sinais de abrandamento”, congratula-se Willie Walsh, diretor-geral da IATA.

Os dados da IATA relativos ao mês de maio mostram que também a capacidade oferecida pelas companhias aéreas aumentou globalmente 8,5% face ao mesmo mês de 2023, enquanto o load factor, que chegou aos 83,4%, aumentou 1,7 pontos percentuais face ao mesmo período do ano passado.

A procura interna cresceu 4,7% comparativamente a maio de 2023 e a capacidade aumentou 0,1%, enquanto a taxa de ocupação dos voos internos chegou aos 84,5%, numa subida de 3,8 pontos percentuais face a maio de 2023.

Em maio, o destaque foi, contudo, para a procura internacional, que aumentou 14,6% em comparação com maio de 2023, enquanto a capacidade subiu 14,1% em relação ao ano anterior e a taxa de ocupação melhorou para 82,8%, depois de um crescimento de 0,3% pontos percentuais.

Passageiros internacionais crescem em todas as regiões

A IATA indica que, em maio, todas as regiões do mundo registaram um aumento de passageiros internacionais, assim como do load factor, com exceção da América do Norte.

No que diz respeito à procura internacional, o destaque vai para a região da Ásia-Pacífico, onde este indicador subiu 27.0% face a maio de 2023. Já a capacidade subiu 26.0% nesta região e o load factor chegou aos 81.6%, depois de um aumento de 0,6 pontos percentuais face a maio do ano passado.

“Este desempenho mantém as transportadoras asiáticas como o maior contribuinte para
crescimento de toda a indústria em maio, respondendo por 42% do aumento anual”, destaca a IATA, no comunicado que acompanha os números relativos ao mês de maio.

Na América Latina, o aumento da procura internacional foi de 15.9% em maio, enquanto a capacidade subiu 14.3% e o load factor chegou aos 85.1%, depois de um aumento de 1,2 pontos percentuais, assumindo-se como a ocupação mais elevada entre todas as regiões do mundo.

Em África, a procura internacional subiu ainda 14.1% e a capacidade cresceu 8.2%, enquanto o load factor aumentou 3,7 pontos percentuais, fixando-se nos 72.3%, com a IATA a sublinhar que este foi “o aumento mais rápido no load factor entre todas as regiões”, ainda que África continue a apresentar o load factor mais baixo a nível global.

Na Europa, a procura internacional cresceu ainda 11,7% face a maio de 2023, enquanto a capacidade cresceu 11.3% e o load factor subiu 0,3 pontos percentuais, fixando-se nos 84.7%.

No Médio Oriente, o aumento da procura internacional por viagens aéreas chegou aos 9.7% e a capacidade registou um acréscimo de 9.0%, enquanto o load factor aumentou 0.5 pontos percentuais, subindo para 80.7%, com a IATA a destacar as rotas asiáticas que têm como destino o Médio Oriente, que estão já 32% acima de 2019.

“Outro desenvolvimento notável é a rota Europa-Médio Oriente, que registou um aumento do RPK entre abril e maio durante dois anos consecutivos, revertendo o histórico anterior. Nos próximos meses, ficará mais claro até que ponto estas tendências poderão estar relacionadas com a guerra Rússia-Ucrânia”, acrescenta a IATA.

Já a região da América do Norte apresentou uma performance mais modesta e cresceu apenas 8.1% na procura internacional, enquanto a capacidade subiu 9.7% e o load factor passou para os 84.0%, caindo 1,2 pontos percentuais face a maio do ano passado.

 

 

 

 

Sobre o autorInês de Matos

Inês de Matos

Mais artigos
Aviação

Lufthansa autorizada a comprar ITA Airways mas com condições

A Comissão Europeia autorizou esta terça-feira, 2 de julho, a compra de 41% da ITA Airways pela Lufthansa, ainda que o negócio esteja sujeito a algumas condições por forma a evitar restrições à concorrência e preços mais altos.

Publituris

A Comissão Europeia autorizou esta terça-feira, 2 de julho, a compra de 41% da ITA Airways pela Lufthansa, ainda que o negócio esteja sujeito a algumas condições por forma a evitar restrições à concorrência e preços mais altos.

De acordo com a Lusa, que cita um comunicado divulgado pelo executivo comunitário, Bruxelas aprovou a “aquisição conjunta da ITA Airways pela Lufthansa e pelo Ministério da Economia e das Finanças de Itália”, ao abrigo das regras da União Europeia (UE) para fusões.

A Comissão Europeia diz, no entanto, que “a aprovação está condicionada ao cumprimento integral das medidas corretivas propostas pela Lufthansa e pelo Ministério da Economia e das Finanças”, assentando elas no acesso das companhias concorrentes às rotas de curta e longa distância através de acordos e na cedência de ‘slots’ (faixas horárias para descolagem e aterragem) no aeroporto de Milão Linate.

Recorde-se que, em março passado, o executivo comunitário indicou, a título preliminar, que o negócio poderia restringir a concorrência em determinadas rotas (de curto e longo curso) no mercado dos serviços de transporte aéreo de passageiros com origem e destino em Itália, o que poderia levar a um aumento dos preços ou uma diminuição da qualidade dos serviços.

Foi para evitar este cenário que a Comissão Europeia impôs estes ‘remédios’, argumentando na nota hoje divulgada que “a Lufthansa e a ITA exploram uma vasta rede de rotas a partir dos seus respetivos aeroportos centrais na Áustria, Bélgica, Alemanha, Suíça e Itália”.

A Comissão Europeia argumenta ainda que, “embora a ITA apresente atualmente bons resultados, a sua sustentabilidade a longo prazo enquanto transportadora autónoma continuaria a ser muito incerta na ausência da operação”, motivo pelo qual foi dada ‘luz verde’ à transação.

A Lufthansa pretende adquirir uma participação de 41% na ITA Airways, companhia aérea de bandeira italiana, que sucedeu à Alitalia, por 325 milhões de euros, com o restante a dizer respeito à participação do Estado italiano.

Sobre o autorPublituris

Publituris

Mais artigos
Aviação

Transavia alarga Flying Blue a todos os passageiros

Até agora, este programa de passageiro frequente do Grupo Air France/KLM apenas estava disponível para as tarifas Plus e Max da Transavia.

Publituris

A Transavia anunciou que o programa de fidelização Flying Blue passou a estar disponível para todos os passageiros, uma vez que, até agora, este programa de passageiro frequente do Grupo Air France/KLM apenas estava disponível para as tarifas Plus e Max.

“Os membros Flying Blue já podem acumular Milhas em todas as tarifas (Basic, Plus e Max) e ganhar XP (ou Pontos de Experiência) ao reservarem um voo operado pela Transavia. Até agora, apenas as tarifas Plus e Max permitiam essa acumulação”, adianta a companhia aérea low cost do Grupo Air France/KLM, em comunicado.

A Transavia explica que o número de Milhas acumuladas “é progressivo e depende do estatuto”, sendo que, por cada voo de ida e volta reservado, cada cliente da Transavia France acumula 200 Milhas e 4 XP”, que podem ser usados para comprar um bilhete-prime numa das companhias parceiras do Flying Blue ou beneficiar de ofertas de outros parceiros do programa de fidelização.

“Além disso, os clientes da Transavia podem agora pagar todas as tarifas em Milhas Flying Blue. Até agora, apenas a tarifa Basic poderia ser paga em Milhas”, lê-se ainda na informação divulgada pela companhia aérea.

Segundo Nicolas Hénin, Chief Commercial Officer da Transavia France, “a relação com o cliente está no centro da estratégia comercial da Transavia”, pelo que a transportadora low cost do Grupo Air France/KLM pretende “construir uma relação duradoura” com os seus clientes, fidelizando-os aos seus voos.

“É por isso que estamos muito felizes por fazer evoluir o programa Flying Blue. Esta evolução de produtos vem responder às necessidades dos nossos clientes de negócios e lazer, aos quais pretendemos oferecer os melhores serviços”, explica o responsável.

 

Sobre o autorPublituris

Publituris

Mais artigos
PUB
PUB
PUB
PUB
PUB
PUB
PUB
PUB
PUB
PUB
PUB
PUB

Navegue

Sobre nós

Grupo Workmedia

Mantenha-se informado

©2024 PUBLITURIS. Todos os direitos reservados.