Edição digital
Assine já
PUB
Aviação

Iberia mantém voos para as Maldivas no inverno

Depois do sucesso no verão, a Iberia vai manter a operação para as Maldivas este inverno, com dois voos por semana, e, em Portugal, tem planos para aumentar a capacidade nas rotas de Lisboa e Porto.

Publituris
Aviação

Iberia mantém voos para as Maldivas no inverno

Depois do sucesso no verão, a Iberia vai manter a operação para as Maldivas este inverno, com dois voos por semana, e, em Portugal, tem planos para aumentar a capacidade nas rotas de Lisboa e Porto.

Publituris
Sobre o autor
Publituris
Artigos relacionados
Iberojet, Conversas com o Presidente (Sintra), Viagem à Turquia e Turismo Desportivo na edição 1509 do Publituris
Transportes
Edição Digital: Iberojet, Conversas com o Presidente (Sintra), Viagem à Turquia e Turismo Desportivo
Edição Digital
eDreams ODIGEO aposta na melhoria da transformação tecnológica orientada pela IA
Tecnologia
12.ª Expo Internacional de Turismo de Macau aguarda operadores de todo o mundo para explorar oportunidades de negócios
Meeting Industry
Antigo Hotel Real Parque dá lugar ao Kimpton Lisbon
Alojamento
Governo dos Açores reforça aposta no turismo de aventura
Destinos
Indústria europeia de viagens e turismo une-se para combater as mudanças climáticas
Destinos
Fado in Chiado completa 15 anos de braço dado com o Turismo
Destinos
Passageiros de cruzeiros chegam aos 31,7 milhões em 2023 e ultrapassam valores pré-pandemia
Transportes
Delta Air Lines regressa aos lucros e apresenta resultado positivo de 34,4 M€
Aviação

A Iberia vai manter os voos para as Maldivas, que arrancaram no início de julho, também  durante a temporada de inverno, com a companhia aérea espanhola a revelar que a decisão foi tomada na sequência do “bom funcionamento desta rota nos meses de verão” e que, na época baixa, os voos decorrem entre dezembro e fevereiro, com duas ligações por semana. Já para Lisboa e Porto, está previsto um aumento para o triplo dos voos diários, ao longo dos próximos meses.

“Entre as principais novidades, destaca-se a incorporação do destino estrela do verão, as Ilhas Maldivas. Após o bom funcionamento da rota nos meses de verão, a companhia aérea decidiu retomar os voos a partir de dezembro com duas frequências diretas por semana, que vão até fevereiro de 2022”, lê-se na informação divulgada pela companhia aérea sobre o plano de rotas para este inverno.

Além das Maldivas, a Iberia vai manter também no inverno os voos para Cali, na Colômbia, outra das rotas que a companhia aérea também operou este verão e que, no inverno vai contar com três frequências por  semana, entre dezembro e março.

Neste inverno, a Iberia vai ainda aumentar o número de voos disponíveis na ponte aérea entre Madrid e Barcelona, que em setembro já tinha sido aumentada em 32%, mas que, segundo a Iberia, vai ainda conhecer novos aumentos este inverno, até um total de 68 voos por semana, o que totaliza 11 voos por dia em cada trajeto.

Na informação divulgada, a Iberia explica que os aumentos previstos para a ponte aérea visam a reativação das viagens de negócios, motivo pelo qual a transportadora vai também reforçar a operação em alguns destinos europeus, a exemplo de Paris, para onde a Iberia conta disponibilizar até sete voos por dia em cada sentido, mas também de Londres, que passa a contar com até cinco voos por dia e por trajeto, enquanto cidades como Lisboa, Porto, Frankfurt, Bruxelas, Genebra, Milão, Roma, Zurique, Dusseldorf, Munique, Veneza, Lyon e Marselha vão chegar aos três voos por dia, ao longo deste inverno. Já Frankfurt, vai contar com um aumento até 18 frequências por semana.

Na rede de longo curso, e além das Maldivas e de Cali, a Iberia vai também aumentar a sua oferta para a América Latina e EUA, estimando voar para 23 cidades em 17 países, num total de 280 voos por semana, à partida de Madrid. Apenas na América Latina, a companhia aérea vai operar para 17 destinos em 15 países, superando os 200 voos por semana.

“Os mercados com maiores taxas de crescimento são o México – que já conta com dois voos diários -, a República Dominicana – com mais três voos semanais, até 13 frequências – e a Colômbia, com mais três frequências para Bogotá, chegando a 10; e Cali, para onde a Iberia voa três vezes por semana”, indica a transportadora.

Além disso, acrescenta a Iberia, vai ser também aumentada a capacidade para a América do Centro e Caraíbas, em concreto para o Panamá, Costa Rica e Guatemala/El Salvador, que passam a contar com mais um voo por semana, até seis frequências semanais no caso do Panamá e Costa Rica, enquanto a Guatemala/El  Salvador passa a contar com cinco ligações semanais.

Para San Juan de Porto Rico, a Iberia vai passar de três para quatro frequências por semana, enquanto o Uruguai passa a seis voos diretos por semana. Já Buenos Aires, Lima, São Paulo e Santiago do Chile mantêm um voo diário, ainda que, no caso da capital argentina, a operação esteja ainda sujeita a aprovação governamental.

Já nos EUA, onde a Iberia diz estar ainda dependente da reabertura turística, a companhia tem planos para recuperar as frequências que oferecia antes da pandemia, e conta operar 10 voos por semana para Nova Iorque e Miami, ou seja, mais três que no verão, e espera manter ainda as ligações a Chicago, Boston e Los Angeles.

Este inverno, a Iberia conta ainda com uma campanha especial que pretende estimular a procura ao longo dos próximos meses e que oferece tarifas especiais para reservas até 22 de setembro e que se aplica a viagens até 9 de junho de 2022.

Sobre o autorPublituris

Publituris

Mais artigos
Artigos relacionados
Iberojet, Conversas com o Presidente (Sintra), Viagem à Turquia e Turismo Desportivo na edição 1509 do Publituris
Transportes
Edição Digital: Iberojet, Conversas com o Presidente (Sintra), Viagem à Turquia e Turismo Desportivo
Edição Digital
eDreams ODIGEO aposta na melhoria da transformação tecnológica orientada pela IA
Tecnologia
12.ª Expo Internacional de Turismo de Macau aguarda operadores de todo o mundo para explorar oportunidades de negócios
Meeting Industry
Antigo Hotel Real Parque dá lugar ao Kimpton Lisbon
Alojamento
Governo dos Açores reforça aposta no turismo de aventura
Destinos
Indústria europeia de viagens e turismo une-se para combater as mudanças climáticas
Destinos
Fado in Chiado completa 15 anos de braço dado com o Turismo
Destinos
Passageiros de cruzeiros chegam aos 31,7 milhões em 2023 e ultrapassam valores pré-pandemia
Transportes
Delta Air Lines regressa aos lucros e apresenta resultado positivo de 34,4 M€
Aviação
PUB
Aviação

Delta Air Lines regressa aos lucros e apresenta resultado positivo de 34,4 M€

Entre janeiro e março, as receitas operacionais da Delta Air Lines cresceram 8% e somaram um total de 12.786 milhões de euros, enquanto as despesas operacionais subiram perto de 1%, totalizando 12.217 milhões de euros.

Publituris

A Delta Air Lines regressou aos lucros e, no primeiro trimestre de 2024, apresentou um resultado positivo de 34,4 milhões de euros, valor que compara com o prejuízo de 337,6 milhões de euros apurado em igual período do ano passado.

De acordo com um comunicado da companhia aérea dos EUA, as receitas operacionais cresceram, entre janeiro e março de 2024, 8% e somaram um total de 12.786 milhões de euros, enquanto as despesas operacionais subiram perto de 1%, totalizando 12.217 milhões de euros.

“No trimestre de março obtivemos receitas recorde graças a um desempenho operacional excecional, que permitiu um forte crescimento dos lucros”, congratula-se Ed Bastian, presidente executivo da Delta Air Lines, citado no comunicado divulgado pela companhia aérea.

O responsável espera que seja possível manter os bons resultados também no segundo trimestre do ano, estimando que, entre abril e junho, a Delta Air Lines atinja “resultados recorde”.

Sobre o autorPublituris

Publituris

Mais artigos
Aviação

SPAC fica sem direção e vai para novas eleições

Tiago Faria Lopes, atual presidente da direção do SPAC, deverá candidatar-se novamente à liderança da estrutura sindical, cujo atual mandato terminava em novembro.

Publituris

A direção do Sindicato dos Pilotos da Aviação Civil (SPAC) caiu na sequência da demissão de dois membros, o que vai levar a novas eleições na estrutura sindical, avança o Expresso.

Tiago Faria Lopes, atual presidente da direção do SPAC, deverá candidatar-se novamente à liderança da estrutura sindical, apurou o Expresso, que lembra que o mandato desta direção terminava em novembro.

João Lira Abreu e Nuno Vaz foram os elementos da direção do SPAC que se demitiram.

O Expresso diz que, nos últimos dias, houve a informação de que existia desconforto na direção no SPAC devido à recente Assembleia Geral, onde foi aprovada por uma escassa maioria a suspensão dos aumentos salariais em 2024, uma vez que os custos com trabalhadores quase duplicaram de 2022 para 2023.

 

Sobre o autorPublituris

Publituris

Mais artigos
Aviação

Bestfly diz estar a trabalhar para “assegurar o bom funcionamento da ligação entre ilhas em Cabo Verde”

A Bestfly, que controla o capital social da TICV – Transportes Interilhas de Cabo Verde, garante que a venda de bilhetes foi “suspensa temporariamente” como medida preventiva face à indisponibilidade de dois aviões ATR 72-600 e garante estar a trabalhar para “assegurar o bom funcionamento da ligação entre ilhas em Cabo Verde”.

Publituris

A Bestfly veio esta terça-feira, 9 de abril, esclarecer que a venda de bilhetes da TICV – Transportes Interilhas de Cabo Verde foi “suspensa temporariamente no dia 4 de março de 2024 como medida preventiva face à indisponibilidade dos dois aviões ATR 72-600” e garante que está a trabalhar para “assegurar o bom funcionamento da ligação entre ilhas em Cabo Verde”.

Num nota enviada à imprensa, a empresa de aviação nega a notícia avançada pela Lusa e que dava conta que a transportadora aérea tinha suspendido as ligações entre as ilhas cabo-verdianas e sem previsões de regresso, tendo a venda de bilhetes sido igualmente suspensa.

Agora, a Bestfly, que controla o capital social da TICV, que é a companhia aérea que está a operar voos entre as várias ilhas do arquipélago, veio esclarecer que a “venda de bilhetes foi suspensa temporariamente no dia 4 de março de 2024 como medida preventiva face à indisponibilidade dos dois aviões ATR 72-600, que executavam a ligação inter-ilhas e que foram submetidos aos normais procedimentos de manutenção a que estão obrigados”.

“É, por isso, falso que esta suspensão tenha sido realizada “sem previsões de regresso”, lê-se na nota informativa divulgada, na qual a Bestfly explica ainda que esta suspensão foi uma “ação responsável da TICV e de caráter temporário, com efeito até entrar em vigor a solução para regularizar a ligação inter-ilhas”.

A empresa acrescenta que esta suspensão “constituiu uma medida tomada proativamente pela TICV, de acordo com o seu dever de não comercialização de bilhetes neste cenário transitório e de proteção dos passageiros com bilhetes adquiridos previamente”.

A Bestfly diz, por isso, que “continua comprometida com a prestação de um bom serviço inter-ilhas em Cabo Verde, tendo com esta decisão assumido a responsabilidade de preservar, acima de tudo, o interesse dos seus passageiros”.

A Bestfly aproveita também para revelar que, a 8 de abril de 2024, foram iniciados “os procedimentos de envio para Cabo Verde de uma aeronave contratualizada pela TICV para assegurar a manutenção da ligação inter-ilhas no arquipélago, cuja entrada foi autorizada pela Agência de Aviação Civil”.

Este aparelho, acrescenta a informação divulgada, é um “Bombardier Dash 8 Q300, com capacidade para transportar 50 passageiros”, que estava na África do Sul e que deverá ter chegado esta quarta-feira, 10 de abril, a Cabo Verde.

“Estando concluída a mobilização da aeronave para Cabo Verde, a operação da TICV será regularizada com brevidade. Esta aeronave ficará ao serviço da TICV até à entrada em linha dos ATR 72-600 que se encontram em manutenção”, lê-se ainda no comunicado enviado à imprensa.

Nuno Pereira, CEO da BestFly World Wide, garante que a empresa vai continuar a “trabalhar no sentido de assegurar o bom funcionamento da ligação entre ilhas em Cabo Verde”, até porque está ciente da importância deste serviço para a coesão territorial e social do arquipélago.

“Desempenhamos esta missão com um grande sentido de responsabilidade. Procurámos agir de forma responsável e proativa para evitar a aquisição de bilhetes neste momento de transição, antes da chegada de uma nova aeronave que irá repor o funcionamento da conectividade inter-ilhas”, garante o responsável.

 

Sobre o autorPublituris

Publituris

Mais artigos
Aviação

Azul retoma voos para o Acre e passa a voar para todas as capitais brasileiras

Com a abertura de dois voos diários para Rio Branco, no estado brasileiro do Acre, a 4 de outubro, a Azul passa a voar para todas as 27 capitais brasileiras.

Publituris

A Azul – Linhas Aéreas do Brasil vai retomar, a 4 de outubro, os voos para Rio Branco, no estado brasileiro do Acre, passando a ligar todas as 27 capitais brasileiras, informou a companhia aérea, em comunicado.

A operação para o Acre, indica a companhia aérea, vai contar com dois voos por dia, ligando a capital acreana com Rondônia e Minas Gerais, sendo a única rota direta do Acre com a região Sudeste.

“Os voos serão operados por aeronaves Airbus A320, com capacidade para 174 Clientes, o que aumentará em 50% a oferta de assentos no aeroporto de Rio Branco”, revela a Azul, explicando que “os dois voos vão conectar as três capitais, Rio Branco (AC), Porto Velho (RO) e Belo Horizonte (MG)”.

De acordo com a transportadora, o primeiro voo sai às 08h45 de Belo Horizonte e chega em Rio Branco às 11h00, depois segue em direção a Porto Velho, pousando às 13h55, e retornando para a capital mineira às 14h40 com chegada prevista às 19h05.

Já o segundo voo parte às 21h40 de Belo Horizonte e chega em Porto Velho às 0h05, pousando em Rio Branco às 01h00, retornando para a capital mineira às 01h45 com chegada prevista às 07h40.

“Esta retoma é um marco muito importante para a Azul, pois operar em todas as capitais vai ao encontro da proposta da empresa de conectar o Brasil com os brasileiros. Isso é especialmente importante num país de dimensões continentais, em que o transporte regional que fazemos assume um protagonismo maior”, refere Fábio Campos, vice-presidente Institucional da Azul.

Os voos da Azul para o Acre permitem também conexão com outros 54 destinos no Brasil, como Brasília, Rio de Janeiro, Recife e São Paulo, além de voos internacionais como Fort Lauderdale e Orlando, nos Estados Unidos, e Curaçao no caribe, através do BH Airport, o hub da Azul em Belo Horizonte.

 

Sobre o autorPublituris

Publituris

Mais artigos
Aviação

easyJet recebe mais um avião A321neo

A easyJet recebeu esta terça-feira, 9 de abril, mais um aparelho A321neo, o 400.º a juntar-se à frota da companhia aérea low cost e cujo primeiro voo foi realizado com uma mistura com 5% de Combustível de Aviação Sustentável (SAF).

Publituris

A easyJet recebeu esta terça-feira, 9 de abril, mais um avião A321neo, o 400.º a juntar-se à frota da companhia aérea low cost e cuja entrega foi assinalada com uma cerimónia na fábrica da Airbus em Hamburgo, na Alemanha.

“A mais nova aquisição à frota apresenta um design de pintura especial, com o número 400 composto por aviões em miniatura”, refere a easyJet, explicando que também o primeiro voo deste novo avião foi especial.

Este primeiro voo do novo avião da easyJet, que decorreu esta terça-feira e ligou Hamburgo-Finkenwerder ao hangar de manutenção da easyJet em Berlim/Brandemburgo, foi alimentado “com 5% de Combustível de Aviação Sustentável (SAF), marcando a primeira utilização de SAF num serviço easyJet na Alemanha”.

“À medida que continuamos o nosso programa de renovação da frota com aeronaves mais eficientes em termos de consumo de combustível e mais silenciosas da família A320neo, estamos orgulhosos de continuar a trabalhar com a Airbus e a CFM, que têm uma abordagem persistente ao nível da produção e sustentabilidade e continuam a ser parceiros fiáveis da easyJet”, congratula-se David Morgan, Diretor de Operações da easyJet, citado no comunicado divulgado pela companhia aérea.

Recorde-se que o primeiro avião Airbus A320 foi entregue à easyJet há 20 anos e, desde então, a companhia aérea tornou-se num dos maiores operadores destes aparelhos, contando, atualmente, com mais de 330 destas aeronaves ao serviço.

Sobre o autorPublituris

Publituris

Mais artigos
Aviação

Turkish Airlines fecha 2023 com recorde de 83,4 milhões de passageiros transportados

A Turkish Airlines fechou 2023 com 83,4 milhões de passageiros, registando aumentos de passageiros transportados tanto a nível doméstico como internacional

Publituris

A Turkish Airlines fechou 2023 com um recorde de 83,4 milhões de passageiros transportados, número que traduz fortes aumentos tanto a nível doméstico como internacional, segundo um comunicado da transportadora aérea de bandeira da Turquia.

Na informação divulgada, a Turkish Airlines indica que, a nível doméstico, transportou mais de 30 milhões de passageiros, num aumento de capacidade de 23,5% face a 2022, enquanto a nível internacional foram transportados 53 milhões de passageiros, o que corresponde a um aumento de 14% e que resulta de um acréscimo de capacidade de 16% face ao ano anterior.

A Turkish Airlines destaca ainda o bom comportamento dos mercados europeus que contam com comunidades turcas residentes e onde o número de passageiros cresceu 20% em 2023.

A companhia aérea da Turquia refere ainda que, desde 2019, já realizou um aumento de 27% na capacidade oferecida a nível internacional, o que traduz uma subida muito superior à média das companhias aéreas internacionais, onde este indicador continua ainda 12% abaixo do período pré-pandemia.

“Além disso, como resultado dos investimentos do nosso país em infraestruturas de aviação, o Aeroporto de Istambul emergiu como o principal aeroporto europeu em termos de número diário de voos”, destaca ainda a Turkish Airlines, que está baseada na maior cidade da Turquia.

A Turkish Airlines lembra ainda que está também a expandir a sua frota e que tem o objetivo de chegar aos 800 aparelhos até 2033, quando a transportadora aérea assinala o seu 100.º aniversário, motivo pelo qual, em 2023, a companhia aérea aumentou o seu número de aeronaves em 12%, para 440, “apesar dos desafios globais na aquisição de aeronaves e dos estrangulamentos na sua produção”.

 

 

Sobre o autorPublituris

Publituris

Mais artigos
Aviação

TAP vai expandir Centro de Treino no Aeródromo Municipal de Cascais

A TAP vai aumentar o número de simuladores no Centro de Treino do Aeródromo Municipal de Cascais, bem como o espaço de formação para técnicos de manutenção e tripulantes, reservando ainda espaço para vir a prestar serviços de manutenção nestas instalações.

Publituris

A TAP e a Câmara Municipal de Cascais chegaram a acordo para a expansão do Centro de Treino da companhia aérea de bandeira nacional no Aeródromo Municipal de Cascais, num alargamento que vai decorrer em duas fases, avança a transportadora, em comunicado.

De acordo com a informação avançada pela TAP, numa primeira fase, o Centro de Treino vai passar a contar com mais um simulador Airbus A320, prevendo-se que, numa fase posterior, venham a ser acrescentados até mais quatro simuladores, aumentando o total para sete, o que está dependente de parcerias com entidades terceiras.

Para a TAP, esta é a oportunidade de concretizar a “ambição de criar na freguesia de São Domingos de Rana, em Cascais, um polo universitário e de formação profissional na aviação com a importante presença da Academia TAP”.

“Tanto as áreas de formação como as de Manutenção e Engenharia são áreas de grande valor acrescentado que faz sentido fazermos no país para valorizarmos as nossas pessoas. O nosso ecossistema tem oportunidade de criar novas áreas de exportação em vez de pagarmos caro serviços lá fora. Cascais entendeu perfeitamente essa oportunidade”, afirma Luís Rodrigues, presidente da TAP, citado no comunicado divulgado pela transportadora.

Já Carlos Carreiras, presidente da Câmara Municipal de Cascais, considera que esta é uma “parceria virtuosa”, que visa a “execução de um centro de excelência na aviação de nível mundial no nosso país”.

“Que essa visão se cumpra a partir de Tires, São Domingos de Rana, é reveladora dos esforços desta autarquia para levar o desenvolvimento e criar cadeias de valor e emprego qualificado em todos os pontos do concelho”, acrescenta Carlos Carreiras.

Além dos novos simuladores, o Centro de Treino da TAP vai passar a contar também com novos espaços de formação para Técnicos de Manutenção de Aeronaves e Pessoal Navegante de Cabina, sendo ainda reservado espaço para instalações onde a TAP Manutenção e Engenharia “poderá vir a desenvolver várias atividades, incluindo manutenção de motores”, assim como para a manutenção da frota Embraer 190/195 da PGA (Portugália Airlines).

Sobre o autorPublituris

Publituris

Mais artigos
Aviação

Sindicato pede que seja travada “imediatamente” privatização da Azores Airlines

O Sindicato dos Trabalhadores da Aviação e Aeroportos (Sitava) pediu ao Governo Regional dos Açores para que “pare imediatamente” a privatização da Azores Airlines, depois de o júri do concurso ter manifestado reservas sobre o único concorrente.

Publituris

Num comunicado, a estrutura sindical lembrou que “o júri constituído para avaliar o processo de privatização da Azores Airlines entregou, na passada sexta-feira (5 de abril), o relatório final sobre o processo”, tendo mantido “a sua posição já expressa no relatório preliminar”.

Ou seja, destacou, “manteve apenas um dos consórcios que concorreram” e mesmo esse “não apresenta as mínimas condições para garantir a continuidade da operação da companhia”.

O Sitava recordou também que “o presidente do júri foi ainda mais longe”, admitindo “reservas quanto à capacidade financeira do consórcio para garantir a viabilidade futura da companhia”.

O sindicato considera, assim, que “entregar a companhia a esta entidade seria um verdadeiro desastre”.

“Parece-nos, pois, óbvio que com a entrega deste relatório e principalmente com o seu resultado, este processo terá que parar imediatamente”, destacou, indicando: “a traumática experiência por que passámos deve servir de exemplo para não voltar a repetir”.

“Ao Governo Regional voltamos agora a apelar para que pare imediatamente o processo”, salientou o sindicato, defendendo que “reconhecer um erro e inverter a trajetória não fragiliza o Governo”.

O júri do concurso público da privatização da Azores Airlines manteve a decisão de aceitar apenas um concorrente no relatório final, mas admitiu reservas quanto à capacidade do consórcio Newtour/MS Aviation em assegurar a viabilidade da companhia.

“Entregámos o relatório final. Esse relatório final, no essencial, mantém o que já estava no relatório preliminar”, declarou o presidente do júri, Augusto Mateus, numa conferência de imprensa no Teatro Micaelense, em Ponta Delgada, na semana passada.

O júri manteve a nota que tinha sido atribuída à Newtour/MS Aviation (46,69), único concorrente admitido, e que foi contestada pelo consórcio aquando da apresentação do relatório intercalar, em outubro de 2023.

“No caderno de encargos, a positiva começa com nota de 25 e nota máxima é 100. A nota que atribuímos à proposta é 46,69. Percebe-se que 46,69 está mais próximo de 25 do que de 100. Não é uma nota muito expressiva. Chamamos à atenção para isso”, afirmou.

O caderno de encargos da privatização da Azores Airlines prevê uma alienação no “mínimo” de 51% e no “máximo” de 85% do capital social da companhia.

Sobre o autorPublituris

Publituris

Mais artigos
Aviação

TAP adere à plataforma NDC da APG

A plataforma NDC da APG permite que o conteúdo da companhia aérea de bandeira nacional passe a estar disponível para reserva para mais de 1500 agências de viagens em 120 países.

Publituris

A TAP aderiu à APG Platform, a plataforma NDC da APG, que permite que o conteúdo da companhia aérea de bandeira nacional passe a estar disponível para reserva para mais de 1500 agências de viagens em 120 países.

Além da emissão de bilhetes, a adesão da transportadora aérea portuguesa a esta plataforma permite também que os agentes de viagens possam “reservar, emitir, anular, reembolsar e adicionar serviços auxiliares, como malas, equipamento específico, embarque prioritário e refeições especiais, em toda a rede TAP”.

“A TAP Air Portugal está feliz com a parceria com a APG, que tem feito um trabalho pioneiro na promoção da tecnologia NDC por todo o mundo. A TAP continua a promover conteúdos NDC através deste canal e continua empenhada em melhorar as suas capacidades de retalho em benefício dos agentes de viagens”, afirma Justin Jovignot, diretor de Estratégia Comercial e Distribuição da TAP.

Já Heloise Parrain, diretora da Plataforma APG, considera que o “NDC está a mudar a distribuição das companhias aéreas, que não evoluía nos últimos 40 anos”, permitindo que as companhias aéreas  promovam o seu produto. 

A APG Platform conta, atualmente, com 30 companhias aéreas aderentes, permitindo a “emissão de bilhetes que pode ajudar os agentes de viagens a gerar receitas adicionais, alargando o seu catálogo e vendendo acessórios aéreos e não aéreos combinados”, destaca a APG Portugal, num comunicado divulgado esta segunda-feira, 8 de abril.

Esta plataforma, que é usada em 150 países, está ainda em consonância com a mais recente tecnologia XML e segue todos os padrões IATA, estando acessível para agências de viagens IATA e não IATA.

Sobre o autorPublituris

Publituris

Mais artigos
Aviação

Qatar Airways chega ao Congo e aumenta voos para Luanda

Além da capital congolesa, a nova rota da Qatar Airways segue para Luanda, aumentando de uma para quatro frequências semanais as ligações aéreas à capital angolana.

Publituris

A Qatar Airways vai abrir, a 1 de junho de 2024, uma nova rota para Kinshasa, capital da República Democrática do Congo, que vai servir também para aumentar a capacidade disponibilizada pela companhia aérea de bandeira do Qatar para Luanda, capital angolana.

De acordo com a Qatar Airways, esta é a primeira vez que a transportadora aérea do Qatar abre uma rota para Kinshasa, que vai ser realizada num avião Boeing 787-8 Dreamliner, equipado com 22 lugares em Classe Executiva e 232 assentos em Classe Económica.

“Vimos marcos significativos na expansão da nossa rede em 2024 e esta última adição é particularmente especial, pois dá continuidade ao nosso objetivo estratégico de aumentar a nossa presença em África”, congratula-se Thierry Antinori, diretor Comercial da Qatar Airways.

Além da capital congolesa, a nova rota da Qatar Airways segue para Luanda, aumentando de uma para quatro frequências semanais as ligações aéreas à capital angolana.

Os voos partem de Doha, capital do Qatar, pelas 02h45 e chegam a Kinshasa às 08h10, num voos que segue para Luanda pelas 09h40, onde tem chegada prevista para as 10h55. Já a partida de Luanda decorre às 12h25 e a chegada a Doha acontece pelas 22h50.

A Qatar Airways vai também realizar a mesma rota mas com paragem primeiro em Luanda, num voo que sai de Doha pelas 09h20 e chega a Luanda às 15h40, de onde volta a sair pelas 17h10 para chegar a Kinshasa às 18h25. No regresso, a partida de Kinshasa acontece às 19h55 e a chegada a Doha está prevista para as 05:45+1, sempre em horários locais.

 

Sobre o autorPublituris

Publituris

Mais artigos
PUB
PUB
PUB
PUB
PUB
PUB
PUB
PUB
PUB
PUB
PUB
PUB

Navegue

Sobre nós

Grupo Workmedia

Mantenha-se informado

©2021 PUBLITURIS. Todos os direitos reservados.