The Lince Hotels & Resorts vai ter o seu primeiro cinco estrelas em Vila do Conde

Por a 3 de Agosto de 2021 as 17:06

A cadeia hoteleira The Lince Hotels & Resorts, que conta com dois hotéis nos Açores, na ilha de São Miguel, – o The Lince Azores e o The Lince Nordeste – , vai abrir no próximo ano aquele que será o seu primeiro cinco estrelas.

O The Lince  Convento de Santa Clara & SPA vai resultar da reconversão do Convento de Santa Clara, numa concessão por 50 anos que o grupo ganhou no âmbito do concurso Revive. Ao Publituris, Bernardo Mesquita, director geral de operações dos The Lince Hotels & Resorts, explica que se trata de uma unidade  com 85 quartos e suites inseridos numa zona em vias de classificação, com os quartos a apresentarem vistas sobre o rio Ave e o mar. O cinco estrelas vai também disponibilizar “amplos espaços exteriores, SPA com todas as valências, piscina exterior e restauração de qualidade em espaços repletos de história e elegância”.

“A recuperação do património e a ambição de fazer deste produto uma referência da hotelaria no Norte, foram os principais motivos para este investimento”, justifica Bernardo Mesquita, perspetivando que este será “um  produto de excelência em ambiente sofisticado e elegante, um serviço diferenciador”.

Com abertura prevista para o terceiro trimestre de 2022 e fruto de um investimento de 12,5 milhões de euros, o The Lince Convento de Santa Clara & SPA vai estar direcionado para os segmentos de luxo corporate e lazer, que procuram Vila do Conde, mas também as cidades próximas como o Porto, Viana do Castelo, Braga e Guimarães. O diretor-geral de operações prevê que a unidade hoteleira se torne “a referência para os eventos sociais na Região e, o ponto de encontro das pessoas que procurem sofisticação, elegância, conforto e requinte”.

Atentos ao  crescimento da  operação nos Açores, o grupo hoteleiro analisa possibilidades no continente, em cidades como o Porto e Lisboa, “assim como outras oportunidades que nos têm sido colocadas para avaliação”, indica.

Os investimentos do grupo passam também pela requalificação das suas unidades nos Açores.  “No final do corrente ano, iremos iniciar uma remodelação no The Lince Nordeste e a requalificação do espaço exterior do The Lince Azores, com a introdução de equipamentos de lazer de enorme relevância para os hóspedes”, adianta Bernardo Mesquita, considerando que este investimento “nos irá posicionar ainda melhor no sustentável destino Açores”.

Operação

Questionado acerca do estado atual da operação, o responsável releva que ambas as unidades têm registado procura tanto pelos açorianos, como pelos portugueses do continente, o queleva o mesmo a apontar um crescimento acima de 2020. “O The Lince Nordeste já está a ter procura pelo mercado externo, pelos continentais e, tendo fidelizado o mercado local, estes têm regressado para confirmar a nossa excelência gastronómica, tranquilidade do SPA e da região”, constata. Quanto ao The Lince Azores, depois de um “excelente” mês de junho, Bernardo Mesquita prevê que em julho e agosto se verifique um crescimento volume e na receita média quarto. “Estamos a posicionar o nosso produto e serviços numa categoria superior e, os hóspedes têm percepcionado este upgrade nos nossos hotéis”, assinala.

The Lince Nordeste

À semelhança de todo o setor hoteleiro, os The Lince Hotels & Resorts também têm registado desafios  na gestão durante este período pandémico, onde se destacam as reservas feitas com poucos dias de antecedência, a redução ainda da presença da operação turística de mercados emissores e a “escassa” operação de grupos. Porém, isto não afetou os recursos humanos das unidades do grupo, pois Bernardo Mesquita garante que mantevieram “as nossas equipas na íntegra,  tendo reforçado a formação o que nos coloca em posição de elevarmos a excelência do serviço”. “A equipa tem sabido muito bem responder a toda as alterações de normas e regras que foram criadas desde o ano passado. O cliente, tem sentido muita confiança e segurança nos nossos hotéis. Aliás, os hotéis são um excelente exemplo na boa preservação da higiene e segurança aos seus consumidores”, sustenta.

Quanto a previsões de melhorias efetivas, o diretor-geral de operações considera que “2021 é um ano ainda cheio de incógnitas para o que poderá ser o negócio do último trimestre”. No entanto, em 2022 as perspetivas são mais animadoras: “2022 será certamente um ano de forte crescimento para os Açores e para nós em particular. Estaremos com excelentes produtos e serviço para captarmos mais clientes”.

Deixe aqui o seu comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *