SET diz que resultados de 2017 mostram que PENT “valeu a pena”

Por a 15 de Fevereiro de 2018 as 15:52

A secretária de Estado do Turismo, Ana Mendes Godinho, considera que os resultados turísticos de 2017 são a prova de que o Plano Estratégico Nacional para o Turismo (PENT), lançado há 10 anos, estava certo e que “valeu a pena haver uma estratégia” para o sector.

“É bom ver que, passados 10 anos, valeu a pena haver uma estratégia, uma aposta de conjugação dos vários interesses para atingirmos objectivos comuns e, agora, chegamos ao final de 2017 com números que nos deixam a todos muito confiantes”, congratulou-se a governante, durante o X Fórum do Turismo “Portugal – América Latina”, organizado pelo Instituto para a Promoção da América Latina e Caraíbas (IPDAL), que decorreu esta quinta-feira, 15 de Fevereiro, em Lisboa.

Ana Mendes Godinho diz que “Portugal vive, claramente, um bom momento” e lembrou que quando o PENT foi lançado, há 10 anos, foi criticado pelo “excesso de optimismo” e por ser ambicioso nas metas traçadas, considerando que os números agora conhecidos mostram que, afinal, os objectivos eram acertados.

“Há 10 anos, precisamente, estávamos a lançar o Plano Estratégico Nacional para o Turismo, o PENT, em que se discutia e éramos acusados, na altura, de excesso de optimismo e ambição para os números. Na altura, apontávamos para chegar ao final de 2016 com o Turismo a representar 15% das exportações. Neste momento, já ultrapassa os 17% das exportações”, sublinhou.

A secretária de Estado do Turismo destacou os números da hotelaria divulgados esta quarta-feira, 14 de Fevereiro, pelo Instituto Nacional de Estatística (INE), segundo os quais Portugal terá contabilizado, pela primeira vez, mais de 20 milhões de hóspedes em 2017, enquanto os proveitos turísticos subiram 16% e as receitas 19,7%.

“Isto é fantástico, no fundo, porque demonstra que estamos cada vez mais a atingir os mercados que deixam mais valor quando vêm a Portugal. E também a conseguir que o Turismo, cada vez mais, assuma um papel importante, concretamente na criação de emprego”, sublinhou, referindo que, só no ano passado, o Turismo “criou 53 mil novos postos de trabalho”.

Um comentário

  1. João Marques

    16 de Fevereiro de 2018 at 12:26

    Então se foi bom para as pessoas e para o país, não o queiram destruir.

Deixe aqui o seu comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *