Assine já
Aviação

ISEC convida easyJet para debater aeronáutica

Seminário conta com a participação de José Lopes, country manager da easyJet para Portugal, e tem início pelas 18h30.

Publituris
Aviação

ISEC convida easyJet para debater aeronáutica

Seminário conta com a participação de José Lopes, country manager da easyJet para Portugal, e tem início pelas 18h30.

Publituris
Sobre o autor
Publituris
Artigos relacionados

O ISEC – Instituto Superior de Educação e Ciências promove quarta-feira, 7 de Junho, um seminário sobre aeronáutica sobre o tema "EASYJET - A Winning Strategy", que vai debater a experiência da companhia aérea de baixo custo.

O seminário tem início pelas 18h30, nas instalações do ISEC Lisboa e conta com a participação de José Lopes, country manager da easyJet para Portugal, profissional que “conta com vários anos de experiência” na indústria da aviação, segundo informação à imprensa.

José Lopes iniciou a sua actividade no transporte aéreo na Portugália Airlines, onde dividiu a sua actividade entre a Direcção de Planeamento e Advisor na Direcção Geral. Em finais de 2007, o profissional torna-se Development Director no Aeroport Ciudad Real, em Madrid, tendo ingressado nos quadros superiores da easyJet em 2012.

Além da participação de José Lopes, o seminário inclui também as intervenções do professor Rui Quadros, coordenador da Licenciatura em Gestão Aeronáutica, bem como do professor Miguel Moreira, director da Escola de Aeronáutica, que encerram a sessão.

Sobre o autorPublituris

Publituris

Mais artigos
Artigos relacionados
Transportes

El Al mantém voos entre Lisboa e Telavive também no inverno

Companhia aérea israelita retomou a operação entre Lisboa e Telavive a 5 de julho, depois da paragem ditada pela COVID-19.

A El Al vai manter no inverno a rota entre Lisboa e Telavive, em Israel, que tinha sido retomada a 5 de julho, depois da paragem motivada pela COVID-19, informou a ATR - Atividades Turísticas e Representações, que representa a companhia aérea israelita em Portugal.

De acordo com a informação divulgada, a rota conta com voos aos domingos e quartas-feiras até 27 de outubro e, a 1 de novembro, também está previsto um voo em cada sentido. A partir de 3 de novembro e até 23 de fevereiro de 2022, passa a existir apenas voos às quartas-feiras, enquanto no período entre 27 de fevereiro e 23 de março de 2022, há voos às quartas, quintas e domingos.

A partir de 27 de março e até 2 de junho, a El Al passa a contar com voos todos os dias, com exceção das sextas-feiras e sábados. Estes voos mantêm-se até 6 de junho, data em que passam a ser realizados às segundas, terças, quartas e quintas-feiras, até 1 de setembro de 2022.

Entre 4 e 22 de setembro, a companhia aérea israelita volta a contar com voos diários entre Lisboa e Telavive, com exceção das sextas-feiras e sábados, e realiza também voos nos dias 28 e 29 de setembro, enquanto de 2 a 6 de outubro as ligações são às segundas, quintas e domingos.

Sobre o autorPublituris

Publituris

Mais artigos
Transportes

Movimento de passageiros dispara nos aeroportos nacionais em agosto mas continua 40% abaixo dos níveis pré-pandemia

Aeroportos nacionais contabilizaram 3,9 milhões de passageiros em agosto, crescimento de 76,3% face a igual mês do ano passado, mas que, face aos níveis pré-pandemia, continua a traduzir uma quebra de 39,9%.

No passado mês de agosto, o movimento de passageiros nos aeroportos nacionais cresceu 76,3%, chegando aos 3,9 milhões de passageiros, indica o Instituto Nacional de Estatística (INE), que realça, no entanto, que este indicador continua 39,9% abaixo dos níveis pré-pandemia.

Segundo o INE, agosto trouxe também um crescimento do número de aeronaves que aterraram nos aeroportos nacionais, num total de 17,4 mil aparelhos, o que indica uma subida de 39,9% face a agosto do ano passado.

"Neste mês atingiram-se os níveis mais elevados de aeronaves aterradas e passageiros movimentados desde o início da crise pandémica COVID-19", indica o INE, no comunicado divulgado esta terça-feira, 19 de outubro.

Ainda assim, face a igual mês de 2019, os números continuam a traduzir descidas, que chegaram aos 25,0% no número de aeronaves aterradas e aos 39,9% nos passageiros movimentados, embora menos expressivas do que tinham sido em julho, quando a quebra no número de aeronaves aterradas e no movimento de passageiros chegava aos 33,2% e 55,8%, respetivamente, face a julho de 2019.

Entre os passageiros que chegaram aos aeroportos nacionais em agosto, 74,4% corresponderam a tráfego internacional, quando em período homólogo essa percentagem era de 76,4%, tendo a maioria sido proveniente de aeroportos europeus (65,0%), enquanto entre os passageiros que embarcaram em território nacional, 75,6% corresponderam a tráfego internacional (77,2% no período homólogo), com os aeroportos europeus a serem também o destino da maioria destes passageiros (67,6%).

Já no acumulado do ano até agosto, os dados do INE indicam que houve uma diminuição de 9,2% no número de passageiros movimentados nos aeroportos nacionais face ao período homólogo do ano anterior, o que traduz uma recuperação significativa depois da quebra de 67,1% que tinha sido apurada no acumulado até agosto do ano passado.

No entanto, o INE indica que, "comparando com o mesmo período de 2019, a redução foi de 70,1%", até porque, no acumulado até agosto de 2019, o movimento de passageiros nos aeroportos nacionais tinha crescido 7,1%.

Até agosto, o aeroporto de Lisboa movimentou 44,9% do total de passageiros, o que corresponde a 5,5  milhões de passageiros, o que traduz um decréscimo de 22,3% face a igual período do ano passado. Já o aeroporto de Faro apresentou uma trajetória diferente e cresceu 3,8% no acumulado do ano, contabilizando 1,5 milhões de passageiros, com o INE a referir, contudo, que o valor está "ainda distante do registado no mesmo período em 2019 (6,3 milhões de passageiros, representando um decréscimo de 76,3%)".

Nos voos internacionais, França a foi o principal país de origem e de destino dos voos, registando, no entanto, decréscimos de -5,3% no número de passageiros desembarcados e de -8,2% no número de passageiros embarcados face ao mesmo período de 2020, seguindo-se o Reino Unido e a Alemanha, ainda que com "um volume significativamente mais reduzido de passageiros desembarcados e embarcados".

 

 

Sobre o autorInês de Matos

Inês de Matos

Mais artigos
Transportes

Air France regressa ao Brasil e reforça oferta nos EUA no inverno

No total, a companhia aérea francesa vai disponibilizar voos para 182 destinos, incluindo 87 de longo-curso e 95 de curto e médio-curso, nesta temporada de inverno.

A Air France está a está a reforçar a sua oferta para a época de inverno, temporada durante a qual estima disponibilizar voos para 182 destinos, incluindo 87 de longo-curso e 95 de curto e médio-curso, com destaque para o regresso da companhia aérea francesa ao Brasil, já esta sexta-feira, 22 de outubro, e para o reforço da oferta nos EUA, que se preparam para reabrir as fronteiras para turistas internacionais vacinados contra a COVID-19 a 8 de novembro.

No longo curso, e além das novas rotas para Zanzibar (Tanzânia), Colombo (Sri Lanka) e Muscat (Omã), a Air France revela que vai voar também para Banjul, na Gâmbia, com sete voos por semana, a partir de 1 de novembro.

Mas as maiores novidades são mesmo o regresso da companhia aérea francesa a destinos que foram encerrados devido à pandemia da COVID-19, como é o caso de Fortaleza, no Brasil, para onde a Air France volta a voar já esta sexta-feira, 22 de outubro, disponibilizando três voos por semana.

Além do Brasil, a Air France vai também retomar a operação para Mahé, nas Seychelles, com dois voos por semana a partir de 23 de outubro, assim como para a Cidade do Cabo, na África do Sul, com três ligações semanais a partir de 31 de outubro; Hong Kong, na China, com um voo por semana a partir de 5 de novembro; e ainda para Seattle, nos EUA, com três voos semanais a partir de 6 de dezembro.

Paralelamente, a transportadora aérea francesa vai também reforçar "gradualmente" a oferta disponibilizada nos EUA, onde as fronteiras voltam a abrir para turistas internacionais vacinados contra a COVID-19 a 8 de novembro, com a Air France a revelar que conta regressar a 90% da capacidade pré-pandemia e operar até 100 voos por semana para os 11 destinos que a companhia opera no país.

"A Air France vai fortalecer gradualmente a sua oferta de/para os Estados Unidos, onde serve 11 destinos (Nova Iorque-JFK, Boston, Washington-DC, Detroit, Atlanta, Chicago, Miami, Houston, Seattle, San Francisco, Los Angeles) com até 100 voos por semana. A partir de agora e até março de 2022, a Air France prevê regressar a uma oferta de cerca de 90% da capacidade proposta em 2019 (face aos 50% no verão de 2021), adicionando frequências para destinos importantes como Nova Iorque, Miami ou Los Angeles, e usando aviões de maior capacidade", explica a companhia em comunicado.

No longo curso, a Air France vai ainda ligar Paris-Orly a Saint-Martin a partir de 4 de dezembro, com três voos semanais, numa oferta que, segundo a companhia aérea, "complementa a que parte de Paris-CDG, elevando para 10 o número de voos semanais oferecidos para este destino".

A Air France conta também ampliar a oferta da Rede Regional das Caraíbas com a abertura de duas novas rotas a partir de Pointe-à-Pitre, concretamente Montreal, no Canadá, com dois voos por semana a partir de 23 de novembro, e Nova Iorque, nos EUA, também com dois voos semanais, mas com início no dia seguinte.

Este inverno, a Air France vai também colocar em serviço comercial o Airbus A220, novo aparelho da frota de curto e médio-curso da companhia aérea, que é mais amigo do ambiente e que vai começar a operar a 31 de outubro, 31 de outubro, para Berlim (Alemanha), Madrid e Barcelona (Espanha), Milão e Veneza (Itália) e, de seguida, ao longo o inverno, para Bolonha, Roma (Itália), Lisboa (Portugal) e Copenhaga (Dinamarca).

Já no curto e médio curso, a Air France vai oferecer dois novos destinos, já que, a partir de 1 de novembro, começa a voar com dois voos por semana para Tenerife, nas Canárias, enquanto a 4 de dezembro passa a disponibilizar dois voos semanais para Rovaniemi, na Lapónia, Finlândia, num operação que decorre até 5 de março.

Já os voos sazonais operados entre Paris-Charles de Gaulle e Sevilha (Espanha), Las Palmas (Ilhas Canárias, Espanha), Palma de Maiorca (Ilhas Baleares, Espanha), Tânger (Marrocos), Faro (Portugal), Djerba (Tunísia) e Cracóvia (Polónia) serão igualmente estendidas no inverno de 2021, enquanto a partir de Paris-Orly, vai ainda ser aberta uma rota para Berlim (Alemanha) a 31 de outubro, com um voo diário, em complemento à oferta a partir de Paris-Charles de Gaulle.

Para os passageiros portugueses, todos os destinos da Air France estão acessíveis através das rotas da companhia aérea entre Paris-CDG e Lisboa, Porto e Faro, sendo que, no caso da capital algarvia, os voos se mantém durante o inverno, numa oferta que, acrescenta a transportadora, é "complementada pela do seu parceiro dos Países Baixos, a KLM, com voos entre Lisboa ou Porto e Amesterdão-Schiphol".

 

 

Sobre o autorPublituris

Publituris

Mais artigos
Transportes

Iberia anuncia 70 voos por semana para os EUA com reabertura de fronteiras

Nova Iorque, Miami, Chicago, Boston e Los Angeles são os destinos norte-americanos que vão contar com um reforço da operação, a partir de 8 de novembro.

A Iberia anunciou esta terça-feira, 19 de outubro, que vai operar 70 voos por semana entre Espanha e os EUA a partir de 8 de novembro, data em que os EUA voltam a permitir a entrada de turistas internacionais que já estejam vacinados contra a COVID-19.

"Nos EUA e noutros mercados onde as restrições da Covid estão a ser suspensas, a Iberia está a planear um regresso em grande, com 70 voos de ida e volta por semana de Espanha para os destinos dos EUA que têm sido servidos numa base reduzida durante a pandemia", indica a companhia aérea, em comunicado.

Segundo a informação divulgada, a companhia aérea vai reforçar os voos para Nova Iorque, Miami, Chicago, Boston e Los Angeles, rotas que já estavam a ser operadas antes da reabertura para turistas internacionais vacinados, mas que a companhia vai aumentar a partir de 8 de novembro.

Para Nova Iorque e Miami, a Iberia planeia operar 10 voos por semana, aos quais se juntam cinco para Chicago e outros três para Boston e para Los Angeles, sem esquecer também a operação da companhia aérea espanhola para Porto Rico, que conta com quatro voos por semana e na qual a Iberia conta com um acordo de joint-venture com a American Airlines, British Airways e Finnair.

Além destas rotas, a Iberia disponibiliza ainda 117 destinos nos EUA através de acordos de code-share com parceiros locais, a exemplo do acordo recentemente estabelecido com a Alaska Airlines e com a Level, na costa oeste dos EUA e que veio adicionar 37 destinos à oferta da Iberia nos EUA através deste tipo de acordos.

Para estimular as reservas, a companhia aérea está a disponibilizar uma tarifa promocional de 111 euros para voos de ida, valor que é válido para voos à partida de Madrid e destino a Miami, enquanto os voos de Madrid para Nova Iorque têm preços desde 123 euros e para Chicago começam nos 131 euros.

As tarifas promocionais são válidas para reservas apenas até esta quarta-feira, 20 de outubro, e destinam-se a viagens que decorram entre novembro e o final de março de 2022, através do site da companhia aérea, em iberia.com

Sobre o autorPublituris

Publituris

Mais artigos
Transportes

Delta Air Lines aplaude reabertura de fronteiras nos EUA para vacinados “a tempo das férias”

Em comunicado, a companhia aérea norte-americana congratula-se com a decisão que vai reabrir os EUA às viagens internacionais e ajudar à recuperação do setor das viagens e turismo no país.

Publituris

A Delta Air Lines veio esta segunda-feira, 18 de outubro, aplaudir a decisão norte-americana de reabrir as fronteiras para turistas internacionais vacinados contra a COVID-19 a partir de 8 de novembro, o que vai permitir o reencontro de "milhares de famílias e amigos de todo o mundo que estão separados há mais de 18 meses, a tempo das férias".

De acordo com um comunicado da companhia aérea norte-americana, "as viagens internacionais são vitais para ajudar a reverter o impacto económico devastador" da COVID-19 na indústria das viagens e turismo dos EUA que, segundo a Delta Air Lines, foi "duramente atingida pela pandemia".

Para a companhia aérea, as viagens internacionais são também uma "componente essencial" para a recuperação do comércio global, nomeadamente através do Atlântico, motivo pelo qual, explica a transportadora, a rota entre Nova Iorque-JFK e Londres Heathrow é a "mais importante do mundo para viagens de negócios".

"Aplaudo a decisão da administração de voltar a receber cidadãos internacionais nos EUA, com início a 8 de novembro. Graças aos esforços científicos da administração para proteger a saúde pública através de programas de vacinação e protocolos de segurança sanitária líderes mundiais, as fronteiras dos EUA podem agora ser reabertas com segurança", destaca Ed Bastian, CEO da Delta Air Lines.

Para entrarem nos EUA, os turistas internacionais devem apresentar prova de vacinação, assim como teste negativo para a COVID-19 realizado até três dias antes da viagem, sendo que também os cidadãos dos EUA que regressem do estrangeiro devem apresentar um teste negativo à chegada e realizado até 72 horas antes da partida, numa medida que, segundo a companhia, já se encontra em vigor.

Já os cidadãos norte-americanos que ainda não estejam vacinados contra a COVID-19 devem apresentar um teste com resultado negativo realizado um dia antes da viagem e fazer outro teste assim que cheguem aos EUA.

Para facilitar a viagem aos seus passageiros, a Delta Air Lines lançou a aplicação Delta FlyReady, que identifica os requisitos de viagem conforme o destino dos passageiros, permitindo que os passageiros façam o upload dos documentos de viagem exigidos, como o certificado de vacinação ou o resultado dos testes à COVID-19.

 

Sobre o autorPublituris

Publituris

Mais artigos
Transportes

Air Canada mantém voos sazonais para Lisboa no próximo verão

Companhia aérea canadiana, que já tinha regressado a Lisboa este verão, conta voltar a realizar a operação sazonal para a capital portuguesa em março de 2022.

Publituris

A Air Canada vai manter, no verão do próximo ano, os voos sazonais para a capital portuguesa, que arrancam em março de 2022 e que, segundo comunicado da transportadora canadiana, são uma das novidades anunciadas pela Air Canada na passada quinta-feira, 14 de outubro, para a próxima época alta.

De acordo com a Air Canada, no próximo verão, a companhia aérea vai contar com operação para a Europa, África, Médio Oriente e Índia, à partida dos hubs da companhia aérea no Canadá, como Toronto, Vancouver, Montreal e Calgary.

"À medida que continuamos a reconstruir nossa rede global, a Air Canada está animada para planear o seu retorno a esses destinos de lazer populares na Europa, África e Oriente Médio, oferecendo a seus clientes a possibilidade de explorar o mundo novamente", refere Mark Galardo, vice-presidente sénior de gestão de rede, planeamento e receita da Air Canada.

Além do regresso da operação sazonal para Lisboa, que já tinha regressado no verão deste ano, a Air Canada vai também retomar os voos para Atenas, Barcelona, Cairo, Edimburgo, Manchester, Nice, Reykjavik, Roma e Veneza este verão.

Paralelamente à operação sazonal, a companhia aérea canadiana está também a retomar várias das suas rotas que operavam durante todo o ano antes da pandemia da COVID-19, nomeadamente Amesterdão, Bruxelas, Casablanca, Copenhaga, Doha, Dubai, Dublin, Frankfurt, Genebra, Londres, Lyon, Madrid, Milão, Munique, Delhi, Paris, Telavive, Viena e Zurique.

Apesar do planos, a Air Canada alerta que "a programação pode ser ajustada conforme seja necessário, com base na evolução da COVID-19 e das restrições governamentais".

Sobre o autorPublituris

Publituris

Mais artigos
Transportes

TAP confirma Frederic Gossot como novo diretor de vendas e distribuição

Novo diretor de vendas e distribuição da TAP conta com mais de 25 anos de experiência em gestão da aviação e deixa a Qatar Airways para integrar a direção da companhia aérea de bandeira nacional.

Publituris

A TAP confirmou esta segunda-feira, 18 de outubro, em comunicado, a contratação de Frederic Gossot como novo diretor de vendas e distribuição da companhia aérea, profissional de conta com mais de 25 anos de experiência em gestão da aviação e que deixa a Qatar Airways para integrar a direção da companhia aérea de bandeira nacional.

"Frederic Gossot é o novo diretor sénior de vendas e distribuição da TAP. De nacionalidade francesa, o novo responsável da transportadora aérea tem mais de 25 anos de experiência nas áreas de gestão no setor da aviação, destacando-se no seu percurso os cargos desempenhados na Air France, Air France/KLM e Qatar Airways, companhia onde desempenhava atualmente funções como Diretor Regional para a Europa ocidental", indica a TAP, na informação divulgada.

O novo diretor de vendas e distribuição da TAP é mestre em Gestão pela ESSEC Business School, concluiu um programa avançado de Gestão da HEC e é certificado pela London School of Economics em Finanças para Gestão.

Ao longo da sua carreira profissional, Frederic Gossot especializou-se em áreas como "gestão de grandes equipas, liderança e resolução de problemas em ambientes multiculturais, Gestão de Crise, participação e desenvolvimento de alianças e parcerias estratégicas, elaboração de planos de negócio e orientação para os resultados".

Frederic Gossot tem ainda uma vasta experiência internacional e multicultural, "tendo vivido e trabalhado em países como França, Nigéria, Indonésia, China, Líbano, Dubai e Alemanha, sempre em funções de liderança de equipas".

Sobre o autorPublituris

Publituris

Mais artigos
Transportes

Emirates disponibiliza HBO Max a bordo a partir de 1 de novembro

Novo serviço vai estar disponível, a partir de 1 de novembro, através do sistema de entretenimento a bordo da Emirates.

Publituris

A Emirates vai passar a disponibilizar, a partir de 1 de novembro, o serviço HBO Max a bordo dos seus aviões e para todos os clientes, através do programa de entretenimento da companhia aérea, denominado ICE.

Segundo a Emirates, graças à parceria que a companhia aérea estabeleceu com com a plataforma de filmes e séries, naquela que é a primeira parceria do género na aviação do Médio Oriente.

"Com esta parceria, os passageiros da Emirates, independentemente da classe em que viajem, podem assistir a grandes êxitos exclusivos da HBO Max nos ecrãs individuais dos seus lugares, incluindo os populares Friends: The Reunion – exibido pela primeira vez numa companhia aérea; as séries múltiplas vezes premiadas pelos Emmy®, Mare of Easttown, A Black Lady Sketch Show, e muito mais", refere a Emirates, em comunicado.

Numa fase inicial, a parceria disponibiliza mais de 160 horas de conteúdo de 31 filmes e séries mas, segundo a Emirates, no futuro, o objetivo da companhia aérea e da plataforma passa por "gradualmente expandir a oferta de conteúdo".

A partir de 1 de novembro, os conteúdo da HBO Max passam a estar disponíveis no sistema de entretenimento a bordo da Emirates, numa secção própria, sendo também possível consultar a lista de conteúdos disponíveis através do site da companhia aéreo ou da app da Emirates, que permite até sincronizar o smartphone e o sistema ICE.

 

Sobre o autorPublituris

Publituris

Mais artigos
Transportes

Delta Air Lines retoma voos entre Lisboa e Boston no verão de 2022

No verão de 2022, a Delta Air Lines vai operar até 160 voos diários sem escalas para 55 destinos, o que corresponde a um aumento de mais de 20% na capacidade face a outubro de 2019.

Inês de Matos

A Delta Air Lines vai retomar, no verão do próximo ano, os voos entre Lisboa e Boston, que eram operados antes da pandemia da COVID-19, informou a companhia aérea norte-americana em comunicado, sem adiantar, no entanto, mais pormenores sobre a operação.

O regresso dos voos de Lisboa é uma das novidades anunciadas pela Delta Air Lines esta terça-feira, 12 de outubro, para o próximo verão, para o qual estão também previstas cinco novas rotas, assim como o regresso de outros tantos destinos, sendo que, além de Lisboa, a companhia aérea norte-americana vai também retomar a operação para Dublin, Edimburgo, Londres e Paris.

No total, no próximo verão, a Delta Air Lines vai operar até 160 voos diários sem escalas para 55 destinos, o que corresponde a um aumento de mais de 20% na capacidade face a outubro de 2019, que tinha sido o mês com maior capacidade disponibilizada pela transportadora.

Entre as novas rotas, o destaque vai para os voos para Telavive, em Israel, e Atenas, na Grécia, que passam a contar com voos da transportadora norte-americana desde Boston a partir de 26 e 27 de maio de 2022, respetivamente, ambos com três ligações por semana.

De acordo com o comunicado da companhia aérea, os voos de Atenas e Telavive vão complementar a oferta que a companhia já disponibiliza para Roma e Amesterdão, assim como o regresso dos voos para Lisboa, Dublin, Edimburgo, Londres e Paris.

No próximo verão, a Delta Air Lines vai também manter os voos entre Boston e Cancun, no México, e, este inverno, conta com voos adicionais para Aruba (AUA), Montego Bay (MBJ), Nassau (NAS), Punta Cana (PUJ) e St. Thomas (STT).

A companhia vai ainda aumentar as ligações dentro dos EUA e, a partir de 11 de julho, passa a voar para Baltimore (BWI) e Denver (DEN), contando também introduzir novos voos para San Diego (SAN), enquanto Charlotte e Dallas/Fort Worth passaram a contar com voos diários desde 10 de outubro.

 

Sobre o autorInês de Matos

Inês de Matos

Mais artigos
Transportes

Transavia aumenta em 26% a capacidade entre Portugal e França no próximo verão

Companhia justifica o aumento de capacidade com o sucesso alcançado em Portugal no verão, quando transportou 290 mil passageiros em julho e agosto, com uma taxa de ocupação de 93%.

Publituris

A Transavia vai aumentar em 26% a capacidade de lugares disponibilizada entre Portugal e França no próximo verão face a igual período de 2019, num aumento de 34% em lugares-quilómetros (ASK) que, segundo a companhia aérea, coloca Portugal como segundo mercado para a Transavia, em paralelo com França e apenas atrás de Espanha.

"Com este aumento da oferta no próximo verão, Portugal vai ser o segundo mercado da Transavia, ex-aequo com França e apenas atrás de Espanha em capacidade", indica a companhia aérea low cost do Grupo Air France/KLM.

Na informação divulgada, a Transavia explica que o aumento agora anunciado foi decidido na sequência do sucesso alcançado pela companhia aérea no mercado português este verão, que permitiu à companhia aérea transportar 290 mil passageiros em julho e agosto, com uma taxa de ocupação de 93%.

"Sendo um mercado histórico e estratégico para a nossa operação global, Portugal é um dos melhores exemplos desta recuperação. Após anunciarmos uma oferta de voos equivalente ao verão 2019 no início de abril, mantivemos a nossa promessa e, em julho-agosto, aumentámos inclusivamente em 12% a nossa capacidade de lugares face ao pico do verão de 2019. E, apesar da presença da variante Delta e das restrições, transportámos cerca de 290.000 passageiros entre França e Portugal, com uma taxa de ocupação de 93% em setembro (equivalente às taxas pré-pandemia) e com Lisboa (#1) e Funchal (#4) no top-5 de destinos em volume no pico da estação", refere Nicolas Hénin, Chief Chief Commercial Officer da Transavia France.

A nível global, a Transavia vai oferecer 11 milhões de lugares entre 27 de março e 29 de outubro de 2022, o que, segundo a transportadora, é possível "graças ao forte aumento da frota (40 em 2021 para 61 em abril de 2022)".

A Transavia lembra também que, no inverno, vai manter a rota Faro-Lyon e lançar oito novas ligações para Amã, Roma, Cracóvia, Estocolmo, Berlim, Ilha do Sal (a partir de Orly) e Estocolmo (a partir de Lyon).

"A melhoria da situação sanitária na Europa, nomeadamente no mercado português, está a dar confiança à Transavia para retomar a sua atividade. Porém, de momento, o programa de voos mantém-se em constante evolução e sujeito às condições sanitárias e às restrições impostas pelas autoridades dos países em causa", refere ainda a transportadora.

 

Sobre o autorPublituris

Publituris

Mais artigos

Toda a informação sobre o sector do turismo, à distância de um clique.

Assine agora a newsletter e receba diariamente as principais notícias do Turismo. É gratuito e não demora mais do que 15 segundos.

Navegue

Sobre nós

Grupo Workmedia

Mantenha-se conectado

©2021 PUBLITURIS. Todos os direitos reservados.