Edição digital
Assine já
PUB
Aviação

KLM lança voos directos para Bombaim no Inverno

Os voos decorrem às segundas, quintas e domingos, num avião Boeing 787-9 Dreamliner, com 294 lugares.

Publituris
Aviação

KLM lança voos directos para Bombaim no Inverno

Os voos decorrem às segundas, quintas e domingos, num avião Boeing 787-9 Dreamliner, com 294 lugares.

Publituris
Sobre o autor
Publituris
Artigos relacionados
Na BTL: Bestravel disponibiliza projeto piloto de aventura interativa
Agências
in.to: Business Tourism mostra na BTL que “o Turismo com Propósito pode beneficiar as empresas”
Meeting Industry
TUI Portugal apresentou novos catálogos na BTL
Distribuição
PortoBay adquire TUI Blue Falésia após acordo de joint venture com o grupo Humbria
Alojamento
APG Portugal é o novo GSA da FlyAngola no mercado português
Aviação
SIXT volta à BTL a 28 de fevereiro com novidades
Unidade da Hoti Hotéis em Luanda deverá abrir entre 2027 e 2028
Alojamento
Nova Edição: O Turismo nas eleições, os vencedores dos “Portugal Trade Awards”, as tendências dos mercados emissores, entrevistas Cabo Verde, BTL e easyJet, NDC e Turismo Cultural
Turismo
E os vencedores dos “Portugal Trade Awards by Publituris @BTL 2024” são:
Prémios
Sonhando reforça operação charter para Djerba em voos TAP de 5 de junho a 18 de setembro
Distribuição

A KLM vai lançar, a 29 de Outubro, voos directos entre Amesterdão e a cidade indiana de Bombaim, numa operação sazonal com três voos semanais, em aviões Boeing 787-9 Dreamliner, revelou a companhia aérea holandesa em comunicado.

“A presença da rede da KLM na Índia tem crescido de forma muito expressiva desde que iniciámos a cooperação com a Jet Airways. A introdução de um serviço direto para Bombaim (Mumbai), o coração económico da Índia, significa que a KLM oferece agora aos seus passageiros um ainda melhor acesso para 48 destinos na Índia”, refere Pieter Elbers, presidente e CEO da KLM.

Os voos decorrem às segundas, quintas e domingos, partindo de Amesterdão às 13h00 locais, chegando a Bombaim às 01h55 locais do dia seguinte. O voo de regresso parte de Bombaim às 04h00 locais, chegando a Amesterdão às 08h45.

Para a realização dos voos, a KLM escolheu a mais recente aquisição da sua frota, o Boeing 787-9 Dreamliner, que vai contar com três classes de bordo, incluindo 30 lugares World Business Class, 45 Economy Comfort e 219 Economy Class.

Sobre o autorPublituris

Publituris

Mais artigos
Artigos relacionados
Na BTL: Bestravel disponibiliza projeto piloto de aventura interativa
Agências
in.to: Business Tourism mostra na BTL que “o Turismo com Propósito pode beneficiar as empresas”
Meeting Industry
TUI Portugal apresentou novos catálogos na BTL
Distribuição
PortoBay adquire TUI Blue Falésia após acordo de joint venture com o grupo Humbria
Alojamento
APG Portugal é o novo GSA da FlyAngola no mercado português
Aviação
SIXT volta à BTL a 28 de fevereiro com novidades
Unidade da Hoti Hotéis em Luanda deverá abrir entre 2027 e 2028
Alojamento
Nova Edição: O Turismo nas eleições, os vencedores dos “Portugal Trade Awards”, as tendências dos mercados emissores, entrevistas Cabo Verde, BTL e easyJet, NDC e Turismo Cultural
Turismo
E os vencedores dos “Portugal Trade Awards by Publituris @BTL 2024” são:
Prémios
Sonhando reforça operação charter para Djerba em voos TAP de 5 de junho a 18 de setembro
Distribuição
PUB
Aviação

APG Portugal é o novo GSA da FlyAngola no mercado português

Apesar de não voar para aeroportos portugueses, a FlyAngola conta com uma rede de destinos relevantes para o mercado português, com destaque para os voos entre São Tomé e a ilha de Príncipe, bem como entre Luanda e Cabinda.

Publituris

A APG Portugal passou a representar comercialmente a FlyAngola no mercado nacional, depois de ter sido nomeada GSA da companhia aérea angolana em Portugal, segundo comunicado enviado à imprensa.

“Esta parceria estratégica visa fortalecer a presença e promover o desenvolvimento comercial da FlyAngola em Portugal”, lê-se na informação divulgada pela APG Portugal.

A empresa de representação salienta que, apesar da FlyAngola não voar para aeroportos portugueses, conta com uma rede de destinos que relevante, com destaque para os voos que a transportadora angolana opera entre São Tomé e a ilha de Príncipe, bem como entre Luanda e Cabinda, em aviões Embraer 145 de 50 lugares.

“A FlyAngola traz algo de muito relevante para o mercado Português que são os voos domésticos de São Tomé para a ilha do Príncipe. Estes vão permitir a reserva de grupos, todos os passageiros poderão levar uma mala de porão de 23kgs e acontecem em dias em que não existem voos ou em que existem menos voos entre as duas ilhas”, salienta Rute Rapaz, responsável pela APG em Portugal.

No caso dos voos entre Luanda e o enclave de Cabinda, que segundo a responsável é “a rota doméstica mais importante de Angola”, a FlyAngola tem ainda “tarifas flexíveis que permitem alterações de última hora, sem custos, o que é excelente para passageiros em ligação”.

 

Sobre o autorPublituris

Publituris

Mais artigos
Aviação

Emirates Skywards e Visa anunciam parceria

A Emirates e a Visa esperam esta parceria possa impulsionar o crescimento de ambas as organizações, aumentar os investimentos no programa de co-brand e abrir novas oportunidades de colaboração para o Emirates Skywards com parceiros financeiros na região.

Publituris

A Emirates anunciou uma parceria entre o Emirates Skywards, o programa de fidelização da companhia aérea do Dubai, e a Visa, numa aliança multianual que, segundo a transportadora, vai “fortalecer a colaboração entre o programa de fidelização da Emirates e os parceiros emissores de cartões co-branded no Conselho de Cooperação do Golfo (CCG)”.

“Esta parceria estratégica entre duas marcas globais irá impulsionar o crescimento de ambas as organizações, aumentar os investimentos no programa de co-brand e abrir novas oportunidades de colaboração para o Emirates Skywards com parceiros financeiros na região. Os membros poderão beneficiar de recompensas personalizadas e de melhores oportunidades de viagem através da utilização otimizada de dados, tecnologia e recursos”, explica a Emirates, em comunicado.

O acordo foi assinado na presença do Sheikh Ahmed bin Saeed Al Maktoum, presidente e diretor executivo da Emirates Airline and Group, e de executivos seniores da Emirates e da Visa.

“Estamos entusiasmados por anunciar esta parceria histórica com a Visa, naquele que é um acordo estratégico que irá desbloquear valor adicional para os nossos membros leais em todo o CCG e irá estreitar a nossa colaboração com os nossos parceiros bancários na região. Este acordo é um marco importante para o Emirates Skywards, que continua a liderar o setor com produtos e experiências digitais inovadoras”, afirma Nejib Ben Khedher, Vice-Presidente Sénior da Divisão Emirates Skywards.

Já Saeeda Jaffar, Vice-Presidente Sénior e Group Country Manager da Visa para o CCG, considera que este “acordo exclusivo com o Emirates Skywards, um dos maiores do género a nível mundial e o maior em escala na região, é um testemunho da liderança global da Visa em co-branded de viagens”, assim como um “marco significativo” no caminho para melhorar a experiência de pagamento para os viajantes de todo o mundo.

Os titulares de cartões co-branded Emirates Skywards e Visa poderão desfrutar de uma melhor experiência de cliente e ofertas exclusivas, incluindo oportunidades de acumulação de milhas, promoções personalizadas e outras experiências adaptadas às suas preferências.

 

Sobre o autorPublituris

Publituris

Mais artigos
Aviação

Etihad Airways lança promoção para o Dubai com preços desde 581 euros

A promoção da Etihad Airways aplica-se a voos de ida e volta, em classe económica, e é válida para vendas até 5 de março, cujas viagens decorram até 31 de maio.

Publituris

A Etihad Airways lançou uma promoção “early bird” para o Dubai, na qual oferece preços desde 581 euros por pessoa em voos da companhia aérea de Abu Dhabi desde Lisboa.

“A Etihad Airways tem o prazer de apresentar uma ação promocional ao mercado português para as partidas de Lisboa”, informa a companhia aérea de Abu Dhabi, em comunicado.

A promoção da Etihad Airways aplica-se a voos de ida e volta, em classe económica, e é válida para vendas até 5 de março, cujas viagens decorram até 31 de maio.

Sobre o autorPublituris

Publituris

Mais artigos
Aviação

TACV regressa aos voos domésticos

De acordo com a Lusa, o voos domésticos da TACV regressam “em regime de complementaridade” com a TICV, detida pela angolana Bestfly e que é, atualmente, a única que faz as ligações aéreas entre as ilhas, através de uma concessão estatal.

Publituris

A TACV – Cabo Verde Airlines anunciou para esta terça-feira, 27 de fevereiro, o regresso aos voos domésticos, operação que regressa quase sete anos depois e que vai abranger os quatro aeroportos internacionais de Cabo Verde.

De acordo com a Lusa, que cita a transportadora aérea cabo-verdiana, o voos domésticos regressam “em regime de complementaridade” com a TICV, detida pela angolana Bestfly e que é, atualmente, a única que faz as ligações aéreas entre as ilhas, através de uma concessão estatal.

A operação doméstica da TACV vai abranger os aeroportos da Praia, Sal, São Vicente e Boa Vista, com o objetivo de aumentar a mobilidade entre as ilhas, o que ao longo dos anos tem sido imprevisível, causando muita indignação no país.

“A programação está projetada para facilitar as conexões entre as ilhas e ao mesmo tempo aumentar a conectividade com os voos internacionais”, refere a TACV, que pretende ainda “maior circulação do tráfego doméstico e turístico.

Os novos voos domésticos da TACV já estão disponíveis através do website da companhia aérea, assim como através das agências de viagens.

A Lusa recorda que o regresso dos voos domésticos da TACV já tinha sido anunciado pelo ministro do Turismo e Transportes de Cabo Verde, Carlos Santos, que indicou que a operação será realizada num avião alugado à Air Senegal.

O ministro reconheceu ainda os “solavancos” que têm acontecido nos transportes interilhas e  que são motivados pela “crescente” procura turística, mas também pela “fraca capacidade” de resposta da Bestfly.

Recorde-se que, desde a pandemia, a TACV suspendeu totalmente a sua operação e o Estado cabo-verdiano voltou a ser o principal acionista da transportadora.

Atualmente, a companhia aérea faz ligações internacionais com Lisboa (Portugal), Paris (França) e Bérgamo (Itália) e tem ainda nos planos a retoma dos voos para Brasil, Bissau (Guiné-Bissau), bem como abrir ligações para Boston (Estados Unidos).

Sobre o autorPublituris

Publituris

Mais artigos

Foto: Carlos Miguel Seabra

Aviação

BestFly World Wide refuta “informações infundadas” divulgadas sobre a TICV – Transportes Interilhas de Cabo Verde

Num comunicado enviado à imprensa, a BestFly World Wide indica que o AOC da TICV não foi cancelado nem está “em risco de não ser renovado”, sendo também mentira que o AOC da TICV caduque no fim de março de 2024, uma vez que, indica a empresa, a “renovação do mesmo está prevista para julho de 2024”.

Publituris

A BestFly World Wide veio esta segunda-feira, 26 de fevereiro, refutar as “informações infundadas” sobre a TICV – Transportes Interilhas de Cabo Verde que têm vindo a ser divulgadas, explicando que “não é verdade que o Certificado do Operador Aéreo (AOC) da TICV tenha sido cancelado”, nem que o “AOC da TICV caduque no fim de março de 2024”.

Num comunicado enviado à imprensa, a BestFly World Wide indica que o AOC da TICV não foi cancelado nem está “em risco de não ser renovado”, sendo também mentira que o AOC da TICV caduque no fim de março de 2024, uma vez que, indica a empresa, a “renovação do mesmo está prevista para julho de 2024”.

Apesar de refutar as informações que têm vindo a ser divulgadas, a BestFly World Wide “reconhece e lamenta os desafios que a operação da TICV em Cabo Verde tem verificado” mas “garante a continuidade da sua operação no país”.

“A BestFly World Wide continua inteiramente comprometida com a manutenção da ligação inter-ilhas no arquipélago de Cabo Verde e com o serviço de elevado valor económico e social que assumiu para com Cabo Verde e os cabo-verdianos”, lê-se na informação divulgada.

A empresa acrescenta que está a ser levado a cabo “um reajustamento da sua estratégia em Cabo Verde”, através da qual se pretendem “implementar mudanças estruturais, a nível de gestão e a nível técnico, que permitam corrigir e suprimir os constrangimentos verificados até ao momento”.

“A BestFly continuará a fazer investimentos na sua operação em Cabo Verde que terão reflexo a curto prazo”, garante a empresa de aviação, na informação enviada à imprensa.

A BestFly World Wide diz ainda que, neste momento, o seu principal objetivo passa por “assegurar que a sua operação em Cabo Verde esteja estabilizada até ao início do verão de 2024, garantindo um serviço de qualidade, a melhoria da pontualidade e o reforço da confiabilidade e previsibilidade das ligações providenciadas pela companhia”.

Entretanto, a empresa de aviação revela que os bilhetes para o verão de 2024 já se encontram disponíveis para venda, “estando a companhia a trabalhar para responder à procura e assegurar o número de voos necessários”.

“A demora na efetivação da comercialização desses bilhetes não esteve relacionada com a ação operacional da TICV, tendo-se devido, exclusivamente, ao atraso na emissão de slots por parte da Cabo Verde Airports, devido a obras planeadas para aeroportos do país”, lê-se ainda na informação divulgada.

Nuno Pereira, CEO da BestFly World Wide, lamenta “a divulgação de informação incorreta e infundada na comunicação social”, até porque, considera, vem prejudicar “diretamente o maior beneficiário do rigor e da verdade: os clientes da TICV e a comunidade cabo-verdiana, que merecem estar inteirados sobre a realidade e a ação da nossa companhia”.

“A TICV assume com orgulho a sua missão de servir Cabo Verde e os cabo-verdianos, assegurando um serviço imprescindível para o desenvolvimento económico e para a coesão social do país. Estamos a trabalhar de forma contínua para ajustar a nossa operação e garantir melhorias efetivas, com reforço na confiabilidade e na qualidade do serviço que prestamos. Estamos convictos de que a revisão da nossa estratégia e o reforço de investimento terão efeitos tangíveis na qualidade do transporte aéreo inter-ilhas. Tudo faremos para continuar a apoiar e promover a ligação entre pessoas, a coesão entre ilhas e a união em Cabo Verde”, acrescenta o responsável.

Sobre o autorPublituris

Publituris

Mais artigos
Aviação

Acordo entre Portway e sindicatos

Depois de em julho do ano passado não terem chegado a acordo, Portway e sindicatos quebraram o impasse e estabelecem novo acordo.

Publituris

A Portway chegou a acordo com quatro estruturas sindicais representativas dos trabalhadores na empresa – SITAVA, SINDAV, SIMEMRVIP e STHA – para atualizações salariais e estabeleceu um novo Acordo de Empresa (AE2024) que revoga o AE2020.

Num breve comunicado, a Portway limita-se a sublinhar “a boa cooperação entre representantes dos trabalhadores e da empresa, que possibilitou a assinatura deste acordo”.

Sobre o autorPublituris

Publituris

Mais artigos
Aviação

Governo espanhol reduz voos de curta duração, inferiores a duas horas e meia

A medida será aplicada sempre que exista uma alternativa de comboio, exceto nos casos de ligação a aeroportos centrais que estabeleçam ligações com rotas internacionais.

Publituris

Na sequência do acordo entre o PSOE e o Sumar na Comissão de Transição Ecológica do Congresso, o Governo espanhol irá promover a redução dos voos que demorem menos de 2,5 horas e que tenham uma alternativa de comboio. Esta medida não será implementada nos casos de ligação com aeroportos centrais que fazem ligação com rotas internacionais.

Esta proposta levará o Executivo a analisar uma possível restrição dos voos em jatos privados, bem como um imposto sobre o combustível utilizada no setor da aviação. Com o objetivo de promover a sustentabilidade, o grupo político Sumar propôs também, recentemente, a criação de uma nova taxa turística que pretende aplicar às estadias dos turistas. Além disso, pretendem impor um limite turístico aos destinos espanhóis.

No que diz respeito a esta taxa, de acordo com o Boletim Oficial do Parlamento espanhol, o Sumar registou uma proposta não legislativa para a sua criação. Especificamente, seria “um imposto para compensar a sociedade pelo custo ambiental de certas atividades que distorcem ou deterioram o ambiente no território, o que contribui para melhorar as condições de vida dos territórios e, por conseguinte, da sociedade espanhola”.

“A liderança e as ferramentas podem ser promovidas a partir da administração central, embora as competências em matéria de turismo sejam descentralizadas, mas não as relacionadas com o emprego e a energia, entre outras. O objetivo do turismo deve ser a melhoria das condições de vida da sociedade e, neste sentido, a ecotaxa pode ajudar a atenuar um dos principais problemas gerados pelo turismo de massas, o impacto no território, que no final pode resultar na adaptação do modelo turístico para gerar diferentes condições de emprego e não introduzir incentivos para a persistência do aumento dos preços da habitação nas zonas turísticas”, acrescenta o Sumar.

Por todas estas razões, o grupo político Sumar propõe que o Ministério da Indústria e do Turismo crie um grupo de trabalho com as Comunidades Autónomas competentes para coordenar propostas destinadas a estabelecer taxas sobre as estadias turísticas e medidas de promoção do turismo sustentável.

Sobre o autorPublituris

Publituris

Mais artigos
Aviação

ANA tem 30 dias para começar a negociar qualidade do serviço nos aeroportos

A Autoridade Nacional de Aviação Civil (ANAC) determinou à ANA – Aeroportos de Portugal que inicie, no prazo de 30 dias, um processo negocial de modo a ajustar os níveis de qualidade de serviço nos aeroportos.

Victor Jorge

Depois de uma consulta anual por parte da ANA e, tendo em conta “o teor dos comentários produzidos pelos utilizadores [transportadoras aéreas e empresas de ‘handling’]”, e as respostas ou posição da concessionária, a ANAC concluiu que é necessário rever “o acordo assinado em 2014/2015 entre a ANA e os utilizadores”.

Segundo a entidade reguladora, “a ANA tem apresentado situações de incumprimento sistemático, em alguns dos indicadores sujeitos a RQSA [Regime de Qualidade de Serviço Aeroportuário], em particular no que diz respeito aos indicadores de entrega da primeira bagagem, à chegada nos aeroportos de Lisboa, Porto e Faro, e na entrega da última bagagem no aeroporto de Lisboa”, lê-se no comunicado da ANAC.

Além disso, “no âmbito das auditorias realizadas ao sistema de gestão de bagagem nos aeroportos de Lisboa, Porto e Faro, a ANAC tem vindo a identificar oportunidades de melhoria nas infraestruturas”.

Segundo a ANAC, “a avaliação da qualidade do serviço por parte dos passageiros, tem-se vindo consecutivamente a deteriorar (numa base homóloga)” e os “números de reclamações de passageiros têm vindo a ser mais expressivos”.

O regulador disse ainda que “os aumentos de taxas verificados não têm sido acompanhados de revisões em alta dos níveis de qualidade de serviço, demonstrando um desajuste entre os níveis das taxas aplicadas e a qualidade do serviço prestado”.

Por tudo isto, a “ANAC determinou à ANA que, no prazo de 30 dias, inicie um processo negocial com os utilizadores dos aeroportos nacionais de modo a ajustar os níveis de qualidade de serviço nos mesmos, à atual realidade”.

A ANA “remeteu à ANAC, em 27 de dezembro de 2023, a decisão final do processo de consulta sobre os níveis mínimos de serviço associados aos indicadores do Regime de Qualidade de Serviço Aeroportuário (RQSA), para vigorar a partir de 1 de abril de 2024”, explicou o regulador.

Este processo, anual, passa por uma consulta por parte da concessionária “aos utilizadores dos aeroportos abrangidos pelo RQSA no sentido de acordarem os níveis mínimos de serviço para cada um dos indicadores definidos” no contrato de concessão.

“A métrica final do RQSA foi aprovada pelas transportadoras aéreas representativas de 65% do tráfego de passageiros servidos nos aeroportos abrangidos pelo RQSA, em 2015, na sequência de negociações com a ANA”, lembrou.

De acordo com o regulador, a decisão da concessionária “respeitante ao RQSA, a vigorar a partir de 01 de abril de 2024, preconiza a manutenção da métrica, bem como dos níveis mínimos de serviço de 2023”, sendo que a ANA fundamenta a sua decisão final referindo que os atuais níveis de serviço e respetiva métrica “são adequados para assegurar uma correta representatividade e monitorização dos processos e garantem um bom nível de serviço às companhias aéreas e passageiros”, referiu a ANAC.

“O Decreto-Lei n.º 254/2012 estabelece claramente que os níveis de serviço aeroportuários devem estar relacionados com o nível das taxas praticado”, garantiu a ANAC, indicando que o “acordo alcançado entre a ANA e os utilizadores em 2014 e 2015 não tem caráter vitalício, devendo o mesmo ser alterado, de modo a refletir as alterações ocorridas, ao longo do tempo, nos aeroportos explorados pela ANA, especialmente no que tange às alterações inerentes à estrutura tarifária aplicável e vigente, e aos aumentos de tráfego e de passageiros”.

Por fim, o “regime legal vigente prevê que a ANA deve promover negociações com os utilizadores, devendo atender ao sistema e à estrutura tarifária aplicável, bem como ao nível de serviço a que os utilizadores têm direito como contrapartida das taxas”, disse o regulador, fundamentando a sua decisão.

Sobre o autorVictor Jorge

Victor Jorge

Mais artigos
Aviação

Angola assina acordo com Changi Airports International para rentabilizar aeroportos

A Sociedade Gestora de Aeroportos (SGA) angolana e a Changi Airports International (CAI) assinaram um acordo de parceria técnica de dois anos para maximizar e rentabilizar os 16 aeroportos geridos pela SGA.

Publituris

Em comunicado, a SGA referiu que o acordo assinado em 18 de fevereiro, à margem da Cimeira de Aviação da Changi e do Singapore Airshow 2024, deve melhorar o desempenho dos aeroportos em Angola e maximizar o seu potencial de tráfego.

Segundo a SGA, a CAI, na qualidade de consultor aeroportuário de referência, “emprestará a sua experiência em desenvolvimento de tráfego aéreo com vista a potencializar o tráfego aéreo dos aeroportos nacionais”.

Os planos incluem programas específicos de envolvimento das companhias aéreas para aumentar a conectividade aérea doméstica e regional, bem como campanhas de ‘marketing’ para atrair o tráfego de passageiros, refere-se no comunicado.

A Changi Airports International “melhorará as ofertas não aeronáuticas e o desempenho operacional dos aeroportos, incluindo o serviço ao cliente, a fim de melhorar a experiência aeroportuária”, realçou a SGA.

A revisão das instalações aeroportuárias existentes e do respetivo regime de manutenção, a elaboração de uma nova estratégia empresarial, que inclui o desenvolvimento do capital humano a longo prazo e a formação para a melhoria da produtividade, constam ainda das ações a serem desenvolvidas.

O presidente da comissão executiva da SGA, Manuel Gomes, citado no comunicado, referiu que a parceria com a CAI marca o início de uma “jornada emocionante e colaborativa” entre as partes, que unem forças para elevar os padrões de excelência em operações aeroportuárias.

Já o presidente da comissão executiva da CAI, Eugene Gan, disse estar expectante em trabalhar com a SGA para elevar os padrões dos aeroportos, de modo a facilitar uma maior e melhor circulação de bens e pessoas a nível interno e regional.

Sobre o autorPublituris

Publituris

Mais artigos
Aviação

Etihad Airways adiciona frequência à rota Abu Dhabi-Lisboa

A nova frequência começa a ser operada a 3 de abril e mantém-se até 23 de maio, aumentando o número de voos da Etihad Airways entre Lisboa e Abu Dhabi para cinco ligações aéreas por semana.

Publituris

A Etihad Airways vai adicionar uma frequência à rota entre Abu Dhabi, nos Emirados Árabes Unidos, e Lisboa, que passa a contar com um total de cinco voos por semana, informou a companhia aérea, em comunicado.

A nova frequência começa a ser operada a 3 de abril e mantém-se até 23 de maio, partindo de Lisboa às 09h05 para chegar a Abu Dhabi às 19h45, enquanto em sentido contrário a partida da capital dos Emirados Árabes Unidos decorre pelas 02h35, chegando a Lisboa às 07h40.

Com a introdução desta nova frequência, que vai ser operada às quartas-feiras, a Etihad Airways passa a contar com voos entre Lisboa e Abu Dhabi às terças, quartas, quintas, sábados e domingos.

 

Sobre o autorPublituris

Publituris

Mais artigos
PUB
PUB
PUB
PUB
PUB
PUB
PUB
PUB
PUB
PUB
PUB
PUB

Navegue

Sobre nós

Grupo Workmedia

Mantenha-se informado

©2021 PUBLITURIS. Todos os direitos reservados.