Assine já
Destinos

Guimarães Cidade Europeia do Desporto 2013 arranca este sábado

Ao longo do ano, serão mais de 100 as acções que vão ter lugar na cidade que, no ano passado, foi Capital Europeia da Cultura.

Tiago da Cunha Esteves
Destinos

Guimarães Cidade Europeia do Desporto 2013 arranca este sábado

Ao longo do ano, serão mais de 100 as acções que vão ter lugar na cidade que, no ano passado, foi Capital Europeia da Cultura.

Sobre o autor
Tiago da Cunha Esteves
Artigos relacionados
Cidade Europeia do Desporto 2013 vai acolher quase 20 mil atletas
Destinos
Cidade Europeia do Desporto cria Bolsa de Voluntariado Desportivo
Destinos
Guimarães Cidade Europeia do Desporto ‘já mexe’
Destinos
Guimarães apresenta-se como Cidade Europeia do Desporto 2013
Destinos

O programa oficial de Guimarães Cidade Europeia do Desporto 2013 arranca este sábado. Ao longo do ano, serão mais de 100 as acções que vão ter lugar na cidade que, em 2012, foi Capital Europeia da Cultura.

Com o objectivo de “celebrar o desporto europeu, nacional e local, a partir de Guimarães”, serão vários os eventos de grande dimensão, à escala internacional, que vão acontecer. Exemplos disso são o Festival Ibérico de Natação Sincronizada (9 de Fevereiro), Torneio Internacional de Polo Aquático (9 de Março), Final Four da Taça de Portugal de Futsal (11 e 12 de Maio) e o Campeonato Europeu de Boccia (de 15 a 23 de Junho), entre outros.

Ao todo, lembra a organização, “estarão envolvidas mais de 50 modalidades, contando com a participação activa de 45 clubes desportivos, 10 federações, 16 associações desportivas regionais, seis universidades e 20 escolas”.

Por outro lado, vão passar por Guimarães mais de 20 mil atletas, treinadores e dirigentes, apoiados por mais de sete mil horas de voluntariado. Serão ainda utilizadas mais de 50 instalações desportivas e equipamentos públicos.

Este sábado, a abertura oficial vai ter lugar no Multiusos de Guimarães, pelas 18h30. “Guimarães não pára!” é o nome do espectáculo de fusão que convida a assistência a realizar uma viagem ao mundo do desporto e das modalidades desportivas, através da dança, artes circenses, acrobacia e ginástica. “Ao longo de 150 minutos, sobem ao palco mais de 600 pessoas – entre atletas, ginastas, bailarinos, músicos e figurantes –, para celebrar o desporto e a sua história no concelho vimaranense. Os bilhetes estão já praticamente esgotados”, informa a organização.

Sobre o autorTiago da Cunha Esteves

Tiago da Cunha Esteves

Mais artigos
Artigos relacionados
Destinos

Turismo do Centro “repensa turismo” com criatividade e sustentabilidade  

Inserido nas comemorações do Dia Mundial do Turismo (27 de setembro), o Turismo do Centro vai assinalar a data durante uma semana com diversas iniciativas. Destaque para o lançamento do Guia “Cidades Criativas do Centro de Portugal”, a que se junta a co-criação do “Manifesto para o Turismo Sustentável do Centro de Portugal”.

O Turismo Centro de Portugal (TCP) vai assinalar o Dia Mundial do Turismo, que se comemora a 27 de setembro, com uma série de iniciativas na região, focando-se na criatividade e na sustentabilidade.

Seguindo o mote da Organização Mundial do Turismo (OMT) – “Repensar o Turismo” – o TCP pretende “colocar as pessoas e o planeta em primeiro lugar e reunir todos, desde governos e empresas até comunidades locais, em torno de uma visão partilhada para um setor mais sustentável, inclusivo e resiliente”.

Para Pedro Machado, presidente do TCP, “repensar o Turismo é pôr a criatividade ao serviço das populações. É fundamental que todos os agentes da atividade turística, em conjunto, assumam que o Turismo de nada serve se não contribuir para a melhoria da qualidade de vida das populações e tornem assim esta atividade ainda mais aliciante e geradora de desenvolvimento”.

As principais iniciativas a realizar nos próximos dias têm como alvo a promoção dos cinco destinos da região Centro de Portugal que integram a “Rede das Cidades Criativas da UNESCO” – uma rede exclusiva, que distingue as melhores práticas criativas e que reconhece a importância da criatividade para tornar as nossas vidas mais completas.

As cinco cidades criativas do Centro de Portugal são Caldas da Rainha (Cidade Criativa do Artesanato e Artes Populares), Óbidos (Cidade Criativa da Literatura), Covilhã (Cidade Criativa do Design) e Idanha-a-Nova e Leiria (ambas cidades criativas da Música), dos distritos de Leiria e Castelo Branco.

Paralelamente, vai ser lançado, na semana em que se comemora o Dia Mundial do Turismo, o Guia “Cidades Criativas do Centro de Portugal”, a que se junta a co-criação do “Manifesto para o Turismo Sustentável do Centro de Portugal”. Prestes a ser apresentado, este manifesto assume-se como uma declaração formal que transmite as intenções, a visão e as ações que o TCP quer ver aplicadas no território. O manifesto resulta do Projeto do Centro Sustentável, que pretende afirmar o Centro de Portugal como um território sustentável, valorizando a sua autenticidade e a sua diversidade.

Sobre o autorPublituris

Publituris

Mais artigos
Alojamento

Reservas de verão da GuestReady 15 superiores a 2019

Entre os principais mercados da GuestReady neste verão de 2022, destaque para Espanha, França, EUA e Portugal.

O Alojamento Local da GuestReady registou, este verão, 15 vezes mais reservas do que em igual período de 2019, com o portefólio da empresa especialista na gestão de alugueres a curto e médio prazo a registar, igualmente, um crescimento detendo, hoje, quatro vezes mais propriedades do que no último ano de pré-pandemia.

De acordo com Rui Silva, Managing Director da GuestReady em Portugal e em Espanha, “este verão foi definitivamente uma consolidação do regresso à normalidade”, destacando os hóspedes franceses, espanhóis e norte-americanos, mas também portugueses, que representaram “12% de todas as reservas feitas em Portugal”.

Este verão, na cidade do Porto, a GuestReady recebeu principalmente hóspedes de Espanha (19%), de França (17%) e ainda portugueses (10%). Já em Lisboa as propriedades abriram portas principalmente a norte-americanos (15%), mas também franceses (13%) e espanhóis (10%).

A empresa revela ainda que durante os meses de verão – junho, julho e agosto – “a ocupação foi em média 15% superior ao verão de 2019”, atingindo, em Portugal, ao longo do verão 90%, tendo a média no nosso país superado a média global da GuestReady.

Presente em mais de 30 cidades em dois continentes, no pico do verão, no mês de agosto, a GuestReady atingiu a marca global das 18 mil reservas efetuadas, das quais mais de um terço tiveram lugar em Portugal, o que representa um crescimento de 12% na taxa de ocupação global por comparação ao mesmo período de 2019.

Sobre o autorPublituris

Publituris

Mais artigos

Distribuição

TUI Group espera regresso a resultados positivos em 2022

Depois de um verão que ficou ligeiramente abaixo dos níveis de 2019, as reservas para o Inverno fazem com que os responsáveis do grupo TUI apontem para bons resultado no final do exercício de 2022.

Depois de revelar que a operação de verão totalizou mais de 12,9 milhões de reservas, correspondendo a uma subida de 1,4 milhões desde a atualização feita para o 3.º trimestre do presente exercício, os responsáveis do TUI Group estimam um “bom ano de 2022”.

As reservas globais de verão, indica o grupo, em nota de imprensa, corresponderam a 91% dos níveis de período homólogo de 2019, sendo que os meses de julho e agosto, atingiram 94% das reservas realizadas nos mesmos meses de 2019.

No que diz respeito aos preços, a TUI refere um aumento de 18% face a 2019, o que “ajuda a suavizar o impacto da corrente inflação”.

Considerando que as disrupções nos voos “continuam com custos elevados”, prevendo uma “melhoria para o quarto trimestre”, os responsáveis da TUI revelam que, relativamente à operação de Inverno 2022/2023, as reservas estão a 78% dos níveis do Inverno de 2018/2019, com as partidas para os meses de novembro e dezembro a contarem já com 81% face ao período anterior referido. Para este período, a TUI refere que os preços sofreram um incremento de 26%.

Para o próximo Inverno, o TUI Group antecipa que “as Canárias, Egito, México e Cabo Verde serão chave na oferta disponibilizada”.

Fritz Joussen, CEO, e Sebastian Ebe, CFO do TUI Group, respetivamente, refere que, em 2022, “assistimos a um forte verão quase ao mesmo nível do verão de 2019”, confirmando a “orientação para fechar o exercício de 2022 com um EBIT subjacente significativamente positivo”.

Ambos os responsáveis do grupo concluem ainda que “a tendência tem sido para férias de maior valor ou mais longas com um orçamento geral de férias mais alto”, admitindo que essa realidade é “encorajadora e mostra a importância atual das férias e experiências de viagem na era pós-pandemia”.

Sobre o autorPublituris

Publituris

Mais artigos
Transportes

Voos de agosto já ficaram a 94,7% de 2019, segundo a NAV Portugal

Segundo a NAV Portugal, os dados de agosto mostram que o tráfego aéreo está em “recuperação clara e sustentável”.

A NAV Portugal revelou esta quinta-feira, 22 de setembro, que, em agosto, o total de voos controlados em território nacional já ficou a 94,7% de igual mês de 2019, antes da chegada da pandemia da COVID-19, o que indica que o tráfego aéreo está em “recuperação clara e sustentável”.

Segundo uma nota informativa da NAV Portugal, “o tráfego IFR (Instruments Flight Rules) na Região de Informação de Voo (RIV) de Lisboa totalizou 57.703 movimentos”, o que traduz uma diminuição de “5,3% face aos 60.941 voos registados no mês de agosto de 2019, ano de referência para a aviação”.

“Em termos médios, neste mês foram controlados 1.861 voos IFR diários, registando-se
uma perda de 104 voos diários face a agosto de 2019”, acrescenta a empresa de gestão de tráfego aéreo nacional.

Já na RIV de Santa Maria, “o tráfego IFR em agosto de 2022 ascendeu a 17.476 movimentos, traduzindo-se num aumento de 6,5% face aos 16.410 voos controlados no mesmo mês mas em 2019”.

“Em termos médios foram controlados este mês 564 voos IFR por dia, tendo-se registado
um ganho de 34 voos diários face a agosto de 2019”, refere também a empresa que gere o tráfego aéreo em Portugal.

No acumulado até agosto, foram já controlados 395.940 voos na RIV Lisboa, o que traduz uma quebra de 39.949 voos IFR face ao tráfego acumulado de 2019, enquanto na RIV Santa Maria foram controlados 107.702 voos, o que indica também uma perda de 3.871 voos IFR em comparação com o mesmo período de 2019.

Apesar de, no acumulado entre janeiro e agosto, continuarem a existir quebras face a igual período de 2019, a NAV Portugal diz que “em ambas as RIV’s, o tráfego acumulado até agosto de 2022, é superior ao total verificado em 2021”.

 

Sobre o autorPublituris

Publituris

Mais artigos
Alojamento

Vila Marim Country Houses é o novo enoturismo do Alto Douro Vinhateiro

A Vila Marim Country Houses disponibiliza 13 casas de matriz rural totalmente equipadas, bem como piscina exterior, sala de jogos e vistas panorâmicas sobre o Douro e as vinhas.

O Grupo Terras & Terroir abriu uma nova unidade de enoturismo no Alto Douro Vinhateiro, a Vila Marim Country Houses, que disponibiliza “13 casas de matriz rural, totalmente equipadas para atender às necessidades do turista moderno”.

A nova unidade de enoturismo, que se estende por uma área de dois hectares, oferece vistas panorâmicas para o jardim e vinhas, assim como piscina exterior, sala de jogos com bilhar, matraquilhos e dardos, internet, TV Led, ar condicionado e lareira de etanol em cada casa.

As 13 casas da Vila Marim Country Houses têm diferentes tipologias, mas todas estão equipadas com sofá-cama, o que permite “albergar famílias com crianças ou grupos de amigos”.

“Acreditamos muito no potencial enoturístico do país, porque é um produto turístico diferenciado, com forte atratividade, muito emocional e com grande capacidade de fidelização”, sustenta a administração do Grupo Terras & Terroir, detido pelos empresários Álvaro Lopes, Maria do Céu Gonçalves e Paulo Pereira.

A nova unidade do Grupo Terras & Terroir fica localizada a cerca de cinco quilómetros da sede do concelho de Mesão Frio, 15 quilómetros da Régua e 100 quilómetros do Porto e conta ainda com várias atrações turísticas nas imediações.

“Esta é uma unidade que nos permite chegar a clientes que procuram uma outra perspetiva do Douro, mais ancestral na ambiência e na localização, mais recolhido, mas muito autêntico. Quase nos faz recuar no tempo e é um verdadeiro paraíso de relaxamento”, sublinha a administração do Grupo Terras & Terroir.

Além da Vila Marim Country Houses, o Grupo Terras & Terroir integra também a Quinta da Pacheca, a Caminhos Cruzados, a Quinta do Ortigão e a Quinta S. José do Barrilário.

Sobre o autorPublituris

Publituris

Mais artigos
Transportes

Azul anuncia novos voos de Recife para o Uruguai e EUA na 43.ª edição da ABAV

A Azul anunciou o lançamento de novos voos para o Uruguai e EUA no primeiro dia da 43.ª edição da ABAV Expo Internacional, uma das principais feiras de turismo do Brasil, que arrancou esta quarta-feira, 21 de setembro, em Pernambuco.

A Azul anunciou esta quarta-feira, 21 de setembro, que vai abrir novos voos para Montevideu, capital do Uruguai, e para a Florida, nos EUA, num anúncio que foi feito no dia da abertura da 43.ª edição da ABAV Expo Internacional, uma das principais feiras de turismo do Brasil, que decorre no Centro de Convenções de Pernambuco, em Olinda, até esta sexta-feira, 23 de setembro.

De acordo com a companhia aérea brasileira, os voos para Montevideu têm inicio em novembro, contando com uma ligação aérea por semana, que passa a duas a partir de dezembro. Já os voos para a Florida arrancam no Carnaval de 2023, com duas ligações por semana, que passam a cinco voos semanais a partir de julho do próximo ano.

“Estávamos ansiosos para retomar os nossos voos internacionais em Recife, que é o nosso principal hub de conectividade no Nordeste. A capital pernambucana sempre recebeu a Azul de braços abertos e o carinho que os nordestinos têm para com a nossa companhia reflete-se nas nossas operações no aeroporto de Recife”, afirma Fábio Campos, diretor de Relações Institucionais da Azul.

Segundo Fábio Campos, a partir de janeiro de 2023, a Azul vai passar a contar com 90 descolagens diárias no aeroporto de Recife, num reforço de operação que vai tornar o hub da companhia aérea na capital pernambucana “cada vez mais forte”.

O anúncio dos novos voos foi realizado no primeiro dia da ABAV Expo Internacional, que arrancou esta quarta-feira, 21 de setembro, e que conta com a participação de agentes de viagens e fornecedores da indústria do Turismo do Brasil.

Na edição deste ano, a Azul conta com um stand de 81 metros quadrados na feira, onde a companhia aérea dá a conhecer as suas ligações aéreas, assim como os serviços da sua operadora de viagens, a Azul Viagens.

Recorde-se que, além dos novos voos para Montevideu e para a Florida desde Recife não são as únicas novidades que a companhia aérea brasileira anunciou para os próximos meses, uma vez que, a 15 de dezembro, a Azul vai também lançar novas ligações de Belém e Manaus, no Norte do Brasil, para Fort Lauderdale, na Flórida, EUA.

Sobre o autorPublituris

Publituris

Mais artigos
Destinos

“O turismo tem dois ingredientes que são comuns à sustentabilidade: pessoas e território”

O “Planetiers World Gathering” reunirá, em outubro, ‘changemakers’, ‘stakeholders’ – privados e públicos -, que estão a impulsionar a inovação sustentável. Sérgio Ribeiro, co-fundador da iniciativa, referiu ao Publituris que para o turista atual a sustentabilidade é “chave”.

Durante a apresentação do “Planetiers World Gathering”, evento que decorrerá em Lisboa, de 24 a 26 de outubro, e que juntará changemakers, stakeholders – privados e públicos -, que estão a impulsionar a inovação sustentável, Sérgio Ribeiro, co-fundador da iniciativa, referiu ao Publituris que, atualmente, “todo o mundo ainda tem um grande percurso a percorrer no que diz respeito à sustentabilidade”.

“Hoje fundamentalmente, e no turismo também, já se fala em regeneração, já que os objetivos globais que temos de atingir estão difíceis de atingir”, admitiu Sérgio Ribeiro, salientando que a pergunta que se coloca hoje é, “como é que as atividades podem regenerar os territórios e os locais?”. A resposta que o co-fundador da iniciativa dá é simples: “o turismo tem dois ingredientes que são comuns à sustentabilidade: pessoas e território”

Assim, defende que o papel do turismo é ”fundamental não só na experiência que se dá a quem vem de fora, mas como a experiência de quem cá está pode fazer esta diferença”. Ou seja, “como cuidar do território, das florestas, dos oceanos, da natureza onde estamos a viver e que, no fundo, proporciona qualidade de vida. No fundo, a sustentabilidade é isto”, refere, adiantando ainda que é essencial “preservar a qualidade de vida nos dias de hoje, mas principalmente mantê-la para os dias futuros”.

Sérgio Ribeiro recorda, também que a sustentabilidade “não é só ambiental, mas também social, económica e financeira” e que “tudo está interligado”, admitindo que “é este equilíbrio que faz a diferença”. Por isso, e com base no modelo sueco, “não há decisão nenhuma que não tome todas estas variáveis em consideração”, frisando que mesmo a vertente económica “não pode tomar decisões sem ter em conta as vertentes sociais e ambientais”.

Relativamente às consequências da pandemia, o co-fundador da “Planetiers World Gathering” admite que veio criar “extremos”. Ou seja, tanto criou grupos de pessoas muito dedicadas a deixar um legado positivo, seja nas suas organizações seja na sua vida pessoal” como, por outro lado, diz existirem entidades que estão a “ceder muito à necessidade de acelerar e abrir a torneira económica”, o que, considera, ser “uma falsa perspetiva”.

Assim, antecipa que, “se abrirmos rapidamente a torneira económica para sistemas anteriores, vai criar problemas mais à frente muito mais difíceis de recuperar”, destacando problemas como a falta de água e as alterações climáticas e que “não são bons para nenhum setor”.

No que diz respeito ao setor do turismo, Sérgio Ribeiro salienta a liderança que “temos tido. Temos visto que a liderança no turismo em Portugal e mesmo a nível governamental tem sido muito pragmática e séria naquilo que é a estratégia de sustentabilidade e está provado no mundo inteiro que uma organização sem a liderança focada na sustentabilidade não funciona”.

 

Os turistas estão, cada vez mais, à procura de uma experiência que, acima de tudo, esteja ligada a um contacto muito mais próximo com a natureza e, consequentemente, cuide da natureza. Este sim, é um dos efeitos da pandemia”

 

Além disso, faz referência à “rapidez” com que se tem de difundir junto dos stakeholders, neste caso do turismo, o que é, na realidade, a sustentabilidade, o que é a regeneração e a forma como podem adaptar o negócio a esta nova realidade que vai continuar.

Já quanto à crise económica que se avizinha e como esta poderá influenciar ou contrariar as políticas de sustentabilidade, Sérgio Ribeiro refere que tudo depende da “capacidade de visão que a liderança das organizações públicas e privadas – governos e empresas – produzem em conjunto e perceber que têm de se ser sistémicos na ação e dos stakeholders”. Contudo, garante que vai haver um “buraco à frente” e que poderá ser “muito maior do que atualmente estamos a ver”. Por isso, diz, “é preciso que a visão lá esteja”.

Por fim, do lado do turista, Sérgio Ribeiro destaca que, cada vez mais, a sustentabilidade é “chave”. “Estatisticamente está comprovado que os turistas estão, cada vez mais, à procura de uma experiência que, acima de tudo, esteja ligada a um contacto muito mais próximo com a natureza e, consequentemente, cuide da natureza. Este sim, é um dos efeitos da pandemia.”

“As pessoas querem um local onde possuam o verde, porque já relacionam isto com a saúde e bem-estar, e depois experiências genuínas com os locais, envolvendo as pessoas, as comunidades”, frisa o co-fundador da “Planetiers World Gathering”, concluindo que “passou-se do global para o local, passou-se a dar menos importância ao comercial e mais ao autêntico. E aí, não há nada mais autêntico do que a natureza”.

Já Luís Araújo, presidente do Turismo de Portugal, salientou a estratégia que o instituto definiu em 2016 para os próximos 10 anos, admitindo que “fomos dos primeiros países a perguntar o que deveríamos ser no futuro. E a resposta foi clara: sustentáveis”.

Considerando que a aposta passa por ser “um dos destinos mais sustentáveis do mundo”, Luís Araújo frisou, no entanto, que “sustentabilidade sem pessoas não existe”.

“Queremos crescer, ter receitas, mas tudo de forma sustentável. Depois da pandemia percebemos que temos de alterar algo para ter um resultado diferente e melhor”, concluindo que “não conseguimos alcançar os nossos objetivos sem inovação”.

Sobre o autorVictor Jorge

Victor Jorge

Mais artigos
Transportes

Nome, morada e ‘e-mail’ de passageiros entre os dados expostos após ataque à TAP

Embora não existam indícios de que dados de pagamento tenham sido exfiltrados dos sistemas, os dados pessoais dos clientes da TAP divulgados pelo grupo cibercriminoso Ragnar Locker vão do nome, morada, ‘e-mail’, data de nascimento até data de registo e número de passageiro. Para já a TAP diz que o acesso ao serviço Miles&Go ou à área reservada dos clientes não foi comprometido.

Os dados pessoais dos clientes da TAP divulgados pelo grupo de cibercriminosos Ragnar Locker, que atacou a companhia aérea em agostos, vão do nome, morada, ‘e-mail’, data de nascimento até data de registo e número de passageiro.

“Lamentavelmente, queremos informar que as categorias de dados pessoais de clientes TAP divulgadas consistem nas seguintes: nome, nacionalidade, sexo, data de nascimento, morada, e-mail, contacto telefónico, data de registo de cliente e número de passageiro frequente”, adiantou a TAP em comunicado.

A companhia aérea indicou que a informação divulgada relativamente a cada cliente pode variar, reiterando que “não há indícios de que dados de pagamento tenham sido exfiltrados dos sistemas”.

“Embora os ciberataques constituam uma ameaça constante para muitas empresas, a TAP tomou imediatamente medidas para a contenção e resolução do incidente, de forma a proteger todos os dados detidos ou geridos”, salientou.

No documento intitulado “Aviso Importante aos Clientes”, a TAP recomendou ainda a “verificação das condições de segurança que os (…) clientes utilizam para aceder à sua área reservada, nomeadamente através da utilização de uma senha forte e da sua alteração frequente”, embora o acesso ao serviço Miles&Go ou à área reservada dos clientes não tenha sido comprometido.

A TAP pediu ainda para que os clientes “se mantenham cautelosos” face “a comunicações não solicitadas que requeiram informações pessoais” e que “evitem clicar em ligações ou descarregar anexos enviados a partir de endereços de ‘e-mail’ suspeitos”.

Além disso, a companhia aérea informa que “não enviará mensagens diretamente a clientes individuais sobre este assunto, por qualquer meio”.

A 20 de setembro, terça-feira, a companhia aérea tinha garantido que conseguiu conter o ataque informático de que foi alvo em agosto numa fase inicial e diz não ter indicação de que os piratas tenham acedido a informações sensíveis, como dados de pagamento.

“Em agosto de 2022, os sistemas internos de cibersegurança da TAP Air Portugal (TAP) detetaram o acesso não autorizado a alguns sistemas informáticos. A TAP está preparada para este cenário e mobilizou de imediato uma equipa de especialistas internos e externos de TI e de peritos forenses para investigar em detalhe o sucedido e prevenir danos adicionais”, explicou a companhia aérea.

Recorde-se que o grupo de cibercriminosos Ragnar Locker publicou na segunda-feira, 19 de setembro, 581 gigabytes (GB) de dados que diz serem relativos a 1,5 milhões de clientes da TAP, garantido, numa mensagem publicada na Dark Web, que “continuam a ter acesso aos sistemas informáticos da TAP”.

Num email enviado aos clientes na semana passada, a TAP alertou os clientes afetados pelo ataque informático, cujos dados foram publicados, de que esta divulgação “pode aumentar o risco do seu uso ilegítimo”, pedindo atenção a comunicações suspeitas.

No email, a transportadora recordou que o ciberataque foi “prontamente comunicado às diversas autoridades competentes”, reiterando que “foram desencadeadas as medidas e procedimentos apropriados de cibersegurança para este tipo de eventos com o apoio de uma empresa internacional especializada e líder da indústria” e que “as medidas adotadas permitiram garantir a integridade dos dados e a operacionalidade, em segurança, de todos os sistemas” da companhia.

“Lamentamos muito que dados pessoais seus tenham sido incluídos nesta divulgação e por qualquer inconveniente que isso lhe possa causar”, disse a TAP, reafirmando ainda o seu “compromisso” com a proteção dos dados pessoais e adiantando que estão “a ser desenvolvidas medidas de reforço da segurança” dos dados.

Sobre o autorPublituris

Publituris

Mais artigos
Meeting Industry

MICE terá espaço de destaque na Fitur 2023

O segmento MICE terá espaço de destaque da edição de 2023 da Fitur e incluirá, pela primeira vez, as associações profissionais nacionais e internacionais.

A Fitur MICE, conforme foi anunciado pela organização, será realizada nos dias 16 e 17 de janeiro de 2023, dias anteriores ao início da feira propriamente dita, e visa estabelecer contatos e gerar negócios. Terá uma centena de participantes e já conta com 2.900 agendamentos pré-estabelecidos.

Os 45 compradores participantes selecionados incluem organizações nacionais e internacionais, compradores corporativos, agências de incentivo e organizadores de conferências, segundo notícia publicada pelo jornal espanhol Hosteltur.

A programação do encontro, com vagas limitadas, escreve ainda o jornal, oferece aos expositores participantes uma agenda de compromissos pré-estabelecidos com executivos da empresa, rigorosamente selecionados, com base em critérios que irão avaliar o alto potencial de negócios e decisão de compra.

A Fitur MICE será completada com um programa de networking composto pela celebração de diferentes eventos sociais que permitirá ampliar os contatos e fortalecer os vínculos entre os participantes.

 

Sobre o autorCarolina Morgado

Carolina Morgado

Mais artigos
ahresp
Homepage

AHRESP revela programa do próximo congresso em Coimbra

O congresso terá cerca de 60 oradores, 12 sessões paralelas e cinco workshops de parceiros, além de duas sessões plenárias.

Carla_Nunes

O próximo Congresso da Associação da Hotelaria, Restauração e Similares de Portugal (AHRESP), que decorre de 14 a 15 de outubro no Convento de São Francisco, em Coimbra, já tem um pré-programa definido.

Sob o tema, “Sustentabilidade: utopia ou sobrevivência?”, o congresso terá cerca de 60 oradores, 12 sessões paralelas e cinco workshops de parceiros, além de duas sessões plenárias.

A primeira sessão plenária, a cargo de Luís Marques Mendes, abre com o tema “Que conjuntura política e social teremos em 2023?”. Já a segunda sessão plenária vai consistir numa conversa entre a ministra da Coesão Territorial, Ana Abrunhosa, com as jornalistas Rosário Lira e Rosália Amorim, que serão também moderadoras em várias sessões paralelas.

De destacar ainda a sessão de abertura, que conta com a presença de Carlos Moura, presidente da direção da AHRESP, Pedro Machado, presidente da Turismo do Centro de Portugal, António Costa e Silva, ministro da Economia e do presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa. A sessão de encerramento, onde serão lidas as conclusões do congresso, ficará a cargo da Secretária de Estado do Turismo, Congresso e Serviços, Rita Marques.

Ao longo dos dois dias de congresso, as sessões paralelas tratarão temas como o futuro das acessibilidades em Portugal, a sustentabilidade económica e ambiental, a influência do digital na vida das empresas, entre outros assuntos, que podem ser consultados no programa disponível no website da AHRESP.

“O Congresso AHRESP surge no momento em que a recessão bate à porta da Europa, o que pode não deixar ninguém imune – nenhum país e nenhuma atividade – nem mesmo aquela que teve indesmentível recuperação no verão, mas insuficiente para fazer face aos desafios que se colocam à economia nacional como um todo e, em casos muito concretos, aos diversos setores da atividade turística”, refere a associação em comunicado.

Sobre o autorCarla_Nunes

Carla_Nunes

Mais artigos

Navegue

Sobre nós

Grupo Workmedia

Mantenha-se conectado

©2021 PUBLITURIS. Todos os direitos reservados.