Assine já
Aviação

ANA premiada internacionalmente

Por aplicação tecnológica social.

Patricia Afonso
Aviação

ANA premiada internacionalmente

Por aplicação tecnológica social.

Patricia Afonso
Sobre o autor
Patricia Afonso
Artigos relacionados
Transavia premiada pela relação com o cliente nos canais online
Homepage
Novo processo de embarque com “Face Express”
Homepage
Aeroporto de Lisboa reabre Terminal 2 no dia 1 de julho
Homepage
Greve
ANA nega que a pandemia tenha retirado argumentos à necessidade do novo aeroporto
Homepage

Em comunicado, a gestora aeroportuária revela que esta plataforma foi considerada “o melhor programa de colaboração na categoria Business-to-Employee: Innovation Program, Collaboration Program, Mobile Application.”

“Criada para transformar o conhecimento e a criatividade dos colaboradores da ANA em oportunidades concretas de melhorias ou novos negócios, a ANA IN cria um ambiente de partilha focado na resolução de problemas e na busca da inovação. Os colaboradores são estimulados a partilhar, desenvolver e implementar novas ideias para responder aos desafios que se colocam à empresa. Com a ANA IN, a ANA usa a tecnologia mais recente para focalizar a inteligência colectiva da empresa na resolução de problemas e na criação de oportunidades reais. É ao mesmo tempo um poderoso instrumento de geração de conhecimento e um factor de produtividade e de motivação”, explica a gestora.

Sobre o autorPatricia Afonso

Patricia Afonso

Mais artigos
Artigos relacionados
Destinos

Britânicos e alemães estão a optar por reserva de férias em regime tudo incluído

A tendência é justificada pela necessidade de as famílias administrarem bem suas finanças numa situação de crise, e já há inúmeras reservas em carteira para o próximo verão em regime tudo incluído, segundo a ABTA (britânica) e a DRV (alemã).

Diz a associação britânica das agências de viagens, em declarações prestadas ao jornal espanhol de turismo, Hosteltur, que “cerca de um terço dos turistas do Reino Unido que viajam para o estrangeiro planeiam fazer um regime tudo incluído em 2023”, populares entre todas as gerações, especialmente famílias com crianças pequenas, especificando que as reservas no país estão a aumentar para 40% entre os menores de 44 anos e 57% nas famílias jovens.

A razão desta mudança de tendência justifica-se pela necessidade de as famílias gerirem bem as suas finanças na situação de crise que se alastra pelo Reino Unido e restante Europa, por razões bem conhecidas como a pandemia de COVID-19 e a guerra na Ucrânia, e no caso britânico, somam-se também os efeitos do Brexit.

 

 

“Apesar do custo de vida mais elevado colocar pressão nas finanças das pessoas, muitos britânicos ainda querem ir de férias, e os planos tudo incluído revelam-se a opção preferida para ajudar as pessoas a controlar os seus gastos com viagens e férias este ano”, aponta a ABTA, citada pelo mesmo jornal, que acrescenta que, entre todos os destinos possíveis, muitos deles são no Mediterrâneo.

O mesmo está a acontecer em relação aos alemães. A DRV confirmou à Hosteltur, ainda que sem arriscar números nem proporções, “existem já numerosas reservas para o próximo verão”, e “devido à atual situação de elevados custos de energia e inflação, pode-se supor que o preço terá um papel ainda maior na escolha de um destino de férias este ano”.

Sobre o autorPublituris

Publituris

Mais artigos
Emprego e Formação

Município de Redondo promove formação na área do turismo

Através do Programa “Formação + Próxima”, o curso é destinado a profissionais do setor e incide sobre conteúdos como a hotelaria, enoturismo, restauração e bebidas. A próxima sessão está agendada para dia 19 de janeiro.

No âmbito da parceria estabelecida com o Turismo de Portugal, decorreu, na Enoteca de Redondo, a primeira sessão de formação do Curso de Serviço de Vinhos na Restauração, que o Município disponibiliza, de forma gratuita, aos agentes económicos. Através do Programa “Formação + Próxima”, o curso é destinado a profissionais do setor e incide sobre conteúdos como a hotelaria, enoturismo, restauração e bebidas.

Pretende, por um lado, fornecer conhecimentos inerentes a um serviço de vinhos de qualidade nos estabelecimentos e, por outro, refletir sobre a importância dos pormenores “invisíveis” aos olhos do cliente, trabalhando sobre a elaboração da Carta e protocolo do serviço. Partindo da importância crescente do turismo vínico na região, esta é mais uma iniciativa que vem reforçar a aposta do Município no apoio ao setor.

A próxima sessão está agendada para dia 19 de janeiro e, ao longo do ano, preveem-se módulos noutras áreas de interesse para a atividade turística.

Sobre o autorPublituris

Publituris

Mais artigos

SONY DSC

Hotelaria

Hotel Turismo da Guarda vai ser integrado na rede de Pousadas de Portugal

O ministro da Economia e Mar, António Costa e Silva anunciou uma nova solução para o Hotel Turismo da Guarda, que vai passar pela sua integração na rede de Pousadas de Portugal, através da Enatur.

Publituris

O Hotel Turismo da Guarda, edifício emblemático da cidade da Guarda, construído de raiz como unidade hoteleira de referência na região e inaugurado em 1947, será integrado na rede de Pousadas de Portugal e entregue à Enatur (Empresa Nacional de Turismo, SA.), para reabilitação e subsequente exploração, anunciou, esta terça-feira, o ministro da Economia e do Mar, António Costa e Silva, na Assembleia da República, na Comissão de Economia, Inovação, Obras Públicas e Habitação.

O imóvel, que encerrou a sua atividade comercial como unidade hoteleira, em outubro de 2010 e, em abril de 2011, foi adquirido pelo Turismo de Portugal à Câmara Municipal da Guarda, esteve afetado ao programa Revive, desde 2011 e até à data presente, não gerou interessados.

Hoje, com a sua integração na rede de Pousadas de Portugal, e entregue para reabilitação e subsequente exploração à Enatur, o Hotel Turismo da Guarda vê, assim, mais de 12 anos depois do seu encerramento, a solução final para a sua reabertura ao público, indica comunicado do Governo.

Sobre o autorPublituris

Publituris

Mais artigos
Transportes

Tribunal de Contas avança com auditoria à TAP

O presidente do Tribunal de Contas (TdC), José Tavares, anunciou que a instituição vai avançar com uma auditoria à TAP, após as notícias vindas a público sobre a companhia aérea.

Publituris

“Temos também prevista uma auditoria em TAP”, disse hoje José Tavares, numa audição na Comissão de Orçamento e Finanças, no parlamento.

O responsável do Tribunal de Contas (TdC) respondia à pergunta do deputado social-democrata Hugo Carneiro sobre se a instituição previa uma ação de auditoria à TAP.

José Tavares realçou que perante polémicas o Tribunal tende a manter-se à margem, mas “acompanha, vê, ouve e lê”, estando prevista a ação no plano da instituição.

O presidente do TdC revelou ainda que tenciona apresentar dois relatórios este ano sobre a auditoria solicitada à ANA – Aeroportos de Portugal.

Até ao final deste semestre deverá ser entregue o relatório sobre a privatização da gestora aeroportuária e até ao final do ano um segundo relatório sobre a gestão da empresa.

O responsável do TdC indicou ainda que “muito em breve” será apresentada uma auditoria sobre o modelo de controlo do Plano de Recuperação e Resiliência (PRR), com um “ponto da situação sobre a execução” do plano.

Sobre o autorPublituris

Publituris

Mais artigos

Site antigo tamanho capa (1080 × 1080 mm) – 5

Hotelaria

Pagamentos com criptomoeda garantem uma noite grátis no The 7 Hotel

Esta modalidade de pagamento já está disponível nesta unidade hoteleira desde maio de 2022.

Publituris

O The 7 Hotel vai oferecer uma noite grátis aos clientes que optem por fazer pagamentos com criptomoeda.

Esta modalidade de pagamento, que já está disponível nesta unidade hoteleira desde maio de 2022, “tem tido bastante adesão por parte dos hóspedes”, de acordo informação disponibilizada pelo hotel em comunicado. Por essa razão, e “a pensar nas necessidades dos clientes”, o The 7 Hotel lançou esta promoção especial.

A oferta está em vigor até ao final de março e só está disponível para reservas diretas, sendo que esta modalidade de pagamento está integrada com as principais carteiras e marcas do mercado, como é o caso da Binance, Trust Wallet, Uphold, Ledger, entre outras.

Sobre o autorPublituris

Publituris

Mais artigos
Transportes

easyJet soma mais 5 novas rotas às 20 já apresentadas para o verão de 2023

O número de rotas operadas pela easyJet, no verão de 2023, ascenderá a um total de 89, fazendo com que o diretor-geral da companhia no nosso país, José Lopes, antecipe um novo recorde de lugares: 11,2 milhões.

Victor Jorge

A easyJet anunciou esta terça-feira, 17 de janeiro, mais cinco novas rotas para o verão para o verão de 2023 que se juntam, assim, às 20 previamente anunciadas, totalizando 89 rotas a serem operadas em Portugal.

As novas rotas ligarão Lisboa a Glasgow (duas vezes por semana, a partir de 2 de junho), o Porto a Nápoles (2 voos por semana, a partir de 1 de abril) e Palermo (um voo semanal, a partir de 1 de julho), e Faro a Barcelona e Toulouse (ambos com dois voos semanais, com voos a partir de 26 de junho e 28 de junho, respetivamente).

Com este aumento da oferta, a easyJet passará a oferecer um total de 89 rotas, distribuídas pelos aeroportos de Lisboa, que conta agora com um total de 35 rotas (17 novas), o Porto com 26 destinos (3 novas) e Faro com 21 trajetos (2 novas). Já no Funchal, a easyJet conta com o total de 9 rotas (3 novas) e mantém duas rotas no Porto Santo.

Um recorde de 11,2 milhões de passageiros para 2023
Este aumento do número de rotas em Portugal faz crescer também a capacidade de lugares disponíveis, anunciando a companhia que, para 2023, estão previstos 11,2 milhões de lugares, que em comparação com o ano anterior representa um aumento de 36% face aos 8,2 milhões de lugares disponibilizados em 2022.

No encontro com a imprensa, José Lopes, diretor-geral da easyJet Portugal, destacou “o forte investimento da companhia no país, antevendo “o verão mais movimentado de sempre”, admitindo que “iremos fulminar o nosso recorde”.

Destacando o investimento “realmente forte” que a easyJet irá fazer em Portugal, José Lopes revelou que a estas cinco novas rotas agora anunciadas poderá ser somada mais uma, sendo que esta está dependente de ‘slot’ no mercado de destino e não em Portugal.

Este aumento de oferta é, de acordo com José Lopes, o último que deverá acontecer, reconhecendo que “no futuro não deverão existir mais ‘slots’ a disponibilizar no mercado nacional”, admitindo mesmo que “Lisboa não terá capacidade para aumentos nos próximos seis a oito anos”, ou seja, até a região de Lisboa conhecer uma nova infraestrutura aeroportuária.

Já no Porto, José Lopes referiu alguns constrangimentos que poderão existir, devido à repavimentação da pista que já deveria estar a decorrer, mas que sofreu atrasos. Esta obra será, segundo informação avançada pelo diretor-geral da easyJet Portugal, por troços, com o horário das obras a decorrer da meia-noite às seis horas da manhã.

Certo é que a operação da easyJet cresceu mais em Lisboa do que as ‘slots’ disponibilizadas pela Comissão Europeia, situação que resultou da transferência de ‘slots’ da TAP para o mercado, bem como por mais seis ‘slots’ que a companhia passou a ter por perda da concorrência.

Com 10 aeronaves baseadas em Portugal, não foi somente o número de aviões que cresceu, revelando José Lopes que, face ao período pré-pandemia, a companhia cresceu para 830 colaboradores, quando em 2019 eram 350 e há uma década esse número não ultrapassava a centena. “Isto tem impacto direto na economia e na vida das pessoas”, frisou José Lopes.

Relativamente à operação, o diretor-geral da companhia no nosso país admitiu que a easyJet “não se vê como companhia com um caráter exclusivamente de lazer, já que tem uma forte operação étnica (emigração)”, fazendo referência, por exemplo, ao grande fluxo de emigrantes que a easyJet transportou aquando da ida de portugueses para o Reino Unido, especialmente, para a região londrina.

“75% dos passageiros que transportamos vêm de fora para Portugal”, considerando que os “city-breaks assumiram um papel essencial na atual conjuntura. Contudo, o objetivo da easyJet “não é só trazer turistas de fora para Portugal, mas também proporcionar aos portugueses a possibilidade de realizarem as suas escapadas”.

Para tal, a o responsável da easyJet revelou que os preços não aumentaram, até porque, “não podemos aumentar preço e querer aumentar a oferta e apresentar preços atrativos para que o mercado seja estimulado”.

E se as rotas e a operação crescem, também o número de aeronaves aumentou, com Lisboa a ter mais um A320 e mais três A321 neo, enquanto no Porto passaram as estar disponíveis seis A320 neo e em Faro 3 aeronaves do mesmo tipo.

Normalização da situação nos aeroportos
Depois de um verão atribulado em grande parte dos aeroportos europeus, José Lopes antecipa que neste verão de 2023 a situação já esteja “regularizada”, considerando que as grandes disrupções aconteceram devido à “falta de pessoal, principalmente no handling, mas que tem vindo a ser colmatada com novas contratações”. Neste aspeto, José Lopes referiu que tem vindo a manter um diálogo não só com a empresa de handling parceira da easyJet (Portway), mas também com a ANA e as entidades oficiais.

“Em 2022, o mercado não teve o número de passageiros que registou em 2019. Por isso, há margem para melhorar, já que o desejo para viajar mantém-se, senão mesmo aumentou”, referiu José Lopes. O que esta instabilidade criou foi, segundo o diretor-geral da easyJet Portugal, “um aumento das reservas ‘last-minute’”, sendo, por isso, necessário “dar confiança para dar estabilidade ao consumidor”, para que “em 2024 já possamos navegar num ano normal”.

Quanto ao tipo de viagens que os turistas farão no futuro próximo, José Lopes admite uma predominância das viagens de curto e médio curso em detrimento das viagens de longo curso.

Assim, José Lopes deixou um pedido ao setor da hotelaria: “em virtude de Portugal ser um destino com muita procura e uma vez que as viagens de curto e médio curso ainda irão prevalecer, seria bom que os hoteleiros não ‘estiquem’ os preços e assim não afastar as pessoas que queiram vir visitar Portugal. Até porque essa realidade impactará a nossa oferta. Se os preços forem demasiados altos, ninguém quererá voar para Portugal”.

A terminar José Lopes conclui: “queremos ser a companhia aérea mais amada em Portugal. Logo temos de investir e estamos a investir de modo a manter-nos um passo à frente”.

Sobre o autorVictor Jorge

Victor Jorge

Mais artigos
Distribuição

Grupo Ávoris apresenta novidades para 2023 em roadshow

O roadshow do Grupo Ávoris decorre entre 31 de janeiro e 8 de fevereiro, conta com a participação dos operadores turísticos do grupo e vai visitar “várias cidades do país”.

Publituris

O Grupo Ávoris anunciou que, entre 31 de janeiro e 8 de fevereiro, vai promover um roadshow para apresentar as novidades da programação dos seus operadores turísticos para 2023.

Num comunicado enviado à imprensa, o grupo turístico revela que o roadshow vai passar por “várias cidades do país” e conta com a participação dos operadores turísticos Jolidey, LePlan, Nortravel, LeSki, Travelplan, Rhodasol, Marsol e Catai Portugal.

Por enquanto, o Grupo Ávoris não adianta mais informações sobre o roadshow ou sobre as cidades que a iniciativa vai visitar, garantindo apenas que “brevemente” serão fornecidos mais detalhes sobre o evento.

 

Sobre o autorPublituris

Publituris

Mais artigos
Destinos

Tailândia relança campanha ‘Amazing New Chapters’ para atingir 25 milhões de turistas em 2023

Este ano, a campanha assume a denominação de “Visit Thailand Year 2023: Amazing New Chapters” para ajudar a Tailândia a alcançar a meta de 25 milhões de turistas internacionais e receitas de 66 mil milhões de euros.

Publituris

A Tailândia relançou a campanha “Visit Thailand Year: Amazing New Chapters” com o objetivo de chegar, este ano, à marca de 25 milhões de turistas internacionais, informou a Autoridade de Turismo da Tailândia (TAT).

Num comunicado enviado à imprensa, a TAT explica que a campanha, que está agora a iniciar o segundo ano, tem como “propósito garantir receitas turísticas superiores a 2,38 mil milhões de Baht (cerca de 66 mil milhões de euros) em 2023, o que representa uma recuperação de 80% das receitas obtidas em 2019”.

Por isso, este ano, a campanha assume a denominação de “Visit Thailand Year 2023: Amazing New Chapters”, representando um “compromisso da TAT e de todas os seus parceiros públicos e privados, bem como do povo tailandês, em manter a confiança dos turistas internacionais na Tailândia, recuperando o estatuto de destino preferido”, segundo Yuthasak Supasorn, governador da TAT.

No âmbito desta estratégia, a Tailândia vai voltar a marcar presença na FITUR, a feira de turismo de Espanha, que arranca esta quarta-feira, 18 de janeiro, em Madrid, e ao longo da qual os responsáveis da TAT vão “reunir com um grupo de operadores turísticos e agências de viagens portugueses, não só para lhes dar a conhecer a estratégia do turismo tailandês para este ano, mas também para conhecerem as expectativas do trade nacional sobre a evolução das vendas do destino em Portugal”.

Este ano, a Tailândia vai promover-se nos mercados de longo curso, como é o caso de Portugal, como um destino para desfrutar ao longo de todo o ano, apostando ainda em segmentos de mercado como as Luas-de-Mel, Saúde e Bem-estar, Golfe e Gastronomia.

Em 2023, a TAT vai ainda divulgar o novo conceito “Amazing 5F and More”, destinado a proporcionar experiências de viagem em novos segmentos como “Food, Film, Festival, Fight and Fashion“, garantindo ainda estar focada “na melhoria da qualidade dos produtos e serviços turísticos, a fim de conduzir a indústria do turismo tailandês a um crescimento sustentável”.

“Entre as principais atividades estão o projeto Good Host New Chapter Season 2, a certificação Amazing Thailand Safety and Health Administration (SHA) e ainda um leque de eventos centrados nos 5F já mencionados”, acrescenta a TAT.

Sobre o autorPublituris

Publituris

Mais artigos
Hotelaria

AP Hotels & Resorts estreia-se no Norte com a abertura do AP Dona Aninhas

A unidade de 64 quartos e suites torna-se assim o primeiro hotel do grupo fora do Algarve. A aposta é justificada por Emanuel Freitas, General Manager da AP Hotels & Resorts, pelos “resultados bem acima do esperado alcançados em 2022, que levaram a que o grupo desenhasse um plano de investimentos para 2023”.

Carla Nunes

O Grupo AP Hotels & Resorts aposta numa nova unidade hoteleira, o AP Dona Aninhas, um boutique hotel de charme localizado no centro da cidade de Viana do Castelo, como indicado em comunicado.

Em entrevista à Publituris Hotelaria para a edição 201 de janeiro, Emanuel Freitas, General Manager da AP Hotels & Resorts, justifica a nova abertura com “os resultados bem acima do esperado alcançados em 2022, que levaram a que o grupo AP Hotels & Resorts desenhasse um plano de investimentos para 2023 que contempla duas vias: crescimento e renovações”.

Desta forma nasce o Dona Aninhas, a primeira unidade do grupo fora do Algarve, cuja data de abertura está prevista “para o primeiro trimestre de 2023”, como adiantado à Publituris Hotelaria.

O hotel com decoração inspirada na arte deco, localizado numa antiga unidade hoteleira no centro histórico da cidade, oferece 64 quartos e suites baseados em três temáticas: navegadores, filigrana e bordados de Viana. Para Emanuel Freitas, o objetivo é claro: “homenagear as gentes de Viana e os seus costumes”.

Das valências do hotel fazem parte um restaurante que “aposta na gastronomia local, disponível ao pequeno-almoço, almoço e jantar”, como indicado em nota de imprensa, além de um ginásio e spa equipado com “piscina interior, banho turco, jacuzzi, sauna e solário”, onde também será possível usufruir de tratamentos e massagens. Destaque também para a capacidade da unidade para a organização de “eventos corporativos e sociais”, dada a existência de uma sala de reuniões com serviço de coffee break e banquetes.

A proximidade da unidade ao centro histórico e a possibilidade de visita ao Santuário de Santa Luzia, à praia do Cabedelo e a museus e igrejas da região são apontados em comunicado como mais valias da localização do hotel. Aliás, o General Manager da AP Hotels & Resorts garante que “a dinâmica de Viana do Castelo, tanto cultural como económica, faz desta uma das capitais de distrito mais interessante do Norte de Portugal, [o que] ajudará ao sucesso deste investimento”.

Grupo chega a Lisboa no primeiro semestre de 2024

Além da expansão a Norte, o Grupo AP Hotels & Resorts também chegará à capital, através de “uma parceira para a abertura da primeira unidade em Lisboa”, tal como explica Emanuel Freitas à Publituris Hotelaria.

Previsto para o primeiro semestre de 2024, o hotel AP Lisboa resulta de “uma parceria com a Pujol Invest Properties” e ficará situado num edifício histórico na Praça da Figueira. A unidade será composta por 62 quartos.

No capítulo das renovações, o grupo vai proceder à renovação da sua unidade “mais importante – tanto por capacidade como por faturação – o AP Adriana Beach Resort”, em Albufeira. A obra irá abranger os 116 quartos standard, “a última categoria que não estava totalmente renovada no resort”, bem como o anfiteatro com capacidade para 400 pessoas.

Ainda no Algarve, o grupo decidiu avançar com a renovação de 76 quartos no AP Cabanas Beach & Nature, numa obra que terá início no inverno de 2023.

Sobre o autorCarla Nunes

Carla Nunes

Mais artigos
Aviação

Airbus entrega mais 50 aeronaves comerciais em 2022

A Airbus entregou, em 2022, 661 aeronaves comerciais. Destaque para a família A320 da qual foram entregues 516 unidades. A carteira de encomendas, a 31 de dezembro de 2022, ascendia a 7.239 aeronaves.

Publituris

A Airbus entregou, em 2022, 661 aeronaves comerciais a 84 clientes, tendo registado 1.078 novos pedidos brutos. A entrega destas 661 aeronaves correspondem a mais 50 unidades que no ano anterior de 2021, significando um aumento de 8% face ao exercício anterior quando a companhia entregou 611 aviões.

Entre as famílias de aeronaves entregues, em 2022, destaque para os A320, com 516 unidades, mais 33 unidades que em 2021. Dos A350, a Airbus entregou 60 unidades, mais cinco que em 2021, e dos A220 e A330 foram entregues 53 e 32 unidades, respetivamente (mais três e 14, em cada um dos casos). Já dos A380, a Airbus revela que não procedeu a qualquer entrega contra as cinco unidades entregues em 2021.

Relativamente à carteira de encomendas da Airbus, a 31 de dezembro de 2022, a companhia refere que esta ascendia a 7.239 aeronaves.

Face ás entregas efetuadas no ano passado, Guillaume Faury, CEO da Airbus, considera que foram “menos do que pretendíamos”, mas, adianta que “a significativa entrada de pedidos abrangendo todas as nossas famílias de aeronaves, incluindo cargueiros, reflete a força e a competitividade da nossa linha de produtos”.

A Airbus informa ainda ter recebido 1.078 novos pedidos (820 líquidos) em todos os programas e segmentos de mercado, incluindo vários compromissos de alto nível de algumas das principais operadoras do mundo. Em número de aeronaves, a Airbus registou um ratio líquido entre pedidos e entregas significativamente superior a um.

Por programas, o A220 obteve 127 novos pedidos brutos firmes. A Família A320neo conquistou 888 novos pedidos brutos. No segmento widebody, a Airbus obteve 63 novos pedidos brutos, incluindo 19 unidades A330 e 44 aeronaves A350, dos quais 24 foram para o recém-lançado A350F.

Sobre o autorPublituris

Publituris

Mais artigos

Navegue

Sobre nós

Grupo Workmedia

Mantenha-se conectado

©2021 PUBLITURIS. Todos os direitos reservados.