Edição digital
Assine já
PUB
Transportes

Comissão abre “investigação aprofundada” sobre a proposta de aquisição de participação na ITA Airways pela Lufthansa

O processo de aquisição de uma participação na ITA Airways pela Lufthansa conheceu mais um revés, com a Comissão Europeia a dar início a uma “investigação aprofundada”.

Victor Jorge
Transportes

Comissão abre “investigação aprofundada” sobre a proposta de aquisição de participação na ITA Airways pela Lufthansa

O processo de aquisição de uma participação na ITA Airways pela Lufthansa conheceu mais um revés, com a Comissão Europeia a dar início a uma “investigação aprofundada”.

Victor Jorge
Sobre o autor
Victor Jorge
Artigos relacionados

A Comissão Europeia abriu uma “investigação aprofundada” para avaliar, ao abrigo do Regulamento das Concentrações da UE, a proposta de aquisição do controlo conjunto da ITA Airways (‘ITA’) pela Deutsche Lufthansa AG (‘Lufthansa”) e pelo Ministério da Economia italiano e Finanças (‘MEF’).

Em nota de imprensa, a Comissão tem “preocupações preliminares de que a transação possa reduzir a concorrência no mercado de serviços de transporte aéreo de passageiros em várias rotas de curta e longa distância dentro e fora de Itália”.

A Lufthansa e a ITA operam uma extensa rede de rotas domésticas, rotas de curta distância dentro do Espaço Económico Europeu (‘EEE’), bem como rotas de longo curso entre o EEE e o resto do mundo. A Lufthansa também tem uma joint-venture com a United Airlines e a Air Canada, através da qual coordenam preços, capacidade e horários e partilham receitas em rotas transatlânticas.

As preocupações preliminares da Comissão
A investigação preliminar indica que a operação pode “reduzir a concorrência no mercado dos serviços de transporte aéreo de passageiros em diversas rotas de curta e longa distância”. A Lufthansa e a ITA são concorrentes fortes e próximos na prestação de serviços de transporte aéreo de passageiros em determinadas rotas de e para Itália.

A Comissão refere, em particular, que a transação poderá “reduzir a concorrência nas rotas de curta distância que ligam a Itália aos países da Europa Central”. Em algumas dessas rotas, a Lufthansa e a ITA competem frente a frente com ligações diretas, com concorrência apenas limitada, principalmente por parte de companhias aéreas de baixo custo, como a Ryanair, que em muitos casos operam a partir de aeroportos mais remotos.

Além disso, a Comissão examinará também as rotas em que uma das partes já oferece serviços e a outra deverá entrar em breve, e aquelas em que uma ou ambas as partes dispõem de uma ligação conveniente com escala única e em que as ligações diretas são limitadas. ou oferecido apenas pela outra parte.

Em relação às rotas de longo curso entre a Itália e a América do Norte, a Comissão avaliará “mais detalhadamente se as atividades da ITA, da Lufthansa e dos seus parceiros de joint-venture United Airlines e Air Canada deverão ser tratadas como as de uma única entidade após a concentração”.

A transação poderá reduzir a concorrência em algumas rotas de longo curso entre a Itália e os EUA, o Canadá, o Japão e a Índia, devido à “estreita concorrência” entre a ITA, a Lufthansa ou os parceiros de joint-venture da Lufthansa – através de ligações diretas ou convenientes com paragem única e convenientes localizações dos aeroportos – e devido à “concorrência potencialmente limitada” de outras companhias aéreas com ligações atraentes.

A operação poderia ainda “criar ou reforçar” a posição dominante da ITA no aeroporto Milão-Linate, o que poderia tornar “mais difícil aos rivais a prestação de serviços de transporte aéreo de passageiros de e para Milão-Linate”.

A Comissão examinará também os “possíveis efeitos negativos” nas rotas em que outras companhias aéreas dependem do acesso à rede doméstica e de curta distância da ITA para as suas próprias operações, o que poderá “afetar os seus serviços para destinos internacionais também servidos pela Lufthansa”.

Recorde-se que a transação foi notificada à Comissão em 30 de novembro de 2023. Em 8 de janeiro de 2024, a Lufthansa apresentou compromissos para dar resposta a algumas das preocupações preliminares da Comissão. No entanto, estes compromissos foram “insuficientes”, tanto em termos de âmbito como de eficácia, para afastar claramente as preocupações preliminares da Comissão. Por conseguinte, a Comissão não os testou junto dos participantes no mercado.

A Comissão dispõe agora de 90 dias úteis, até 6 de junho de 2024, para tomar uma decisão. A abertura de uma investigação aprofundada não prejudica o resultado da investigação.

“Ao abrir a investigação aprofundada, queremos avaliar melhor a transação e garantir que a aquisição da ITA não reduz a concorrência no tráfego de curto e longo curso e que não levará a preços mais elevados, menos capacidade ou menor qualidade dos serviços de transporte aéreo de passageiros dentro e fora da Itália”, diz Margrethe Vestager, vice-presidente executiva responsável pela política de concorrência.

Sobre o autorVictor Jorge

Victor Jorge

Mais artigos
PUB

DST atrai excursões de cruzeiros a Macau para promover desenvolvimento do turismo de ligação Hong Kong-Macau e expandir fontes de visitantes internacionais

Pacotes de excursão turística a Macau à venda em várias empresas internacionais de cruzeiros

A Direcção dos Serviços de Turismo (DST) tem-se empenhado na promoção do turismo de Macau, explorando diferentes mercados turísticos em todas as frentes. Tendo como alvo os visitantes internacionais de cruzeiros com poder de consumo, a DST lançou ofertas de promoção turística, para incentivar os visitantes internacionais atracados no terminal de cruzeiros de Hong Kong a visitarem Macau em excursões, para alargar as fontes de visitantes internacionais, promover o desenvolvimento do turismo de ligação entre Hong Kong e Macau, e impulsionar o consumo turístico de Macau.

12 empresas internacionais de cruzeiros lançam produtos de viagens para Macau

Aproveitando a recuperação do turismo internacional de cruzeiros, a DST lançou ofertas turísticas para os cruzeiros que atracam em Hong Kong este ano, para incentivar os turistas internacionais de todo o mundo a participarem em excursões para passear e consumir em Macau quando estão parados em Hong Kong. Actualmente, 12 companhias internacionais de cruzeiros já se encontram a vender pacotes de excursão a Macau, podendo os passageiros optar por consultar e adquirir excursões a Macau antes da partida, no cruzeiro ou à chegada a Hong Kong, na página electrónica das companhias de cruzeiros ou nos balcões de turismo a bordo. O itinerário do passeio inclui visitas ao Centro Histórico de Macau, ao Museu de Macau, à Torre de Macau e a grandes resorts, entre outros, para que os visitantes internacionais possam experienciar os ricos e diversificados elementos de “turismo +” de Macau.

Um porto com duas viagens

Aproveitando as vantagens do terminal de cruzeiros de Hong Kong, a DST pretende providenciar uma forma relaxada e conveniente para atrair os visitantes internacionais a incluírem Macau nos seus itinerários, aproveitando a viagem de cruzeiro para ter uma experiência “multi-destinos” Hong Kong-Macau, trazendo aos visitantes internacionais uma viagem diversificada que combina e promove o turismo de ligação dos dois destinos.

Promoção em diversas plataformas no mercado internacional

A DST continua a realizar diferentes tipos de promoções online e presenciais direccionadas aos mercados de visitantes internacionais, para em conjunto com os eventos anuais de Macau impulsionar mais visitantes internacionais a visitarem a cidade para passar férias e festividades, e experienciar os novos elementos e instalações de “turismo +” de Macau, aumentando o seu tempo de estadia e o consumo, num conjunto de esforços para expandir as fontes de visitantes.

Sobre o autorBrand SHARE

Brand SHARE

Mais artigos

DST oferece a partir de 1 de Fevereiro viagens gratuitas de autocarro e de barco aos visitantes internacionais de Hong Kong para promover extensão da viagem a Macau ajudando a expandir fontes de visitantes internacionais

Visitantes internacionais podem usufruir da oferta de bilhetes grátis de autocarro e barco

Através de diferentes planos e medidas, a Direcção dos Serviços de Turismo (DST) continua a expandir o mercado turístico internacional. A partir do dia 1 de Fevereiro, em conjunto com empresas de transporte de passageiros de autocarro e de barco entre Hong Kong e Macau, a DST vai lançar a oferta de bilhetes de autocarro directo e de barco gratuitos de Hong Kong para Macau, destinada aos visitantes internacionais que visitam Hong Kong (vindos de fora da Grande China). Através da oferta especial, a DST procura que mais visitantes internacionais optem por se deslocar a Macau para experienciar os elementos de “turismo +”, alargando as fontes de visitantes e promovendo o turismo e a economia.

Uma companhia de autocarro e duas de barco

A DST em cooperação com os Serviços de Transporte de Passageiros no Aeroporto Internacional de Hong Kong (Macau), S.A. (Ligação directa entre Macau e o Aeroporto de Hong Kong), a Shun Tak China Travel – Companhia de Gestão de Embarcações (Macau), Limitada (TurboJET) e a Cotai Companhia de Ferries, Limitada (Cotai Water Jet), proporcionará aos visitantes internacionais que visitam Hong Kong bilhetes gratuitos de autocarro directo e de barco. Os visitantes internacionais podem obter bilhetes gratuitos de autocarro ou de barco num só sentido de Hong Kong para Macau, durante um período de seis meses e sete meses, respectivamente. Devido ao limite no número de ofertas, os bilhetes são processados por ordem de chegada.

Autocarro directo gratuito

O período de promoção do serviço gratuito de autocarro directo decorre de 1 de Fevereiro a 31 de Agosto de 2024. Após a chegada ao Aeroporto Internacional de Hong Kong, basta mostrar o documento de viagem válido do estrangeiro e o cartão de embarque, dentro da zona restrita, para obter o bilhete gratuito e apanhar o autocarro directo para Macau, via Ponte Hong Kong-Zhuhai-Macau, no terminal de transferências SkyPier do Aeroporto Internacional de Hong Kong.

Serviço de autocarro directo entre Macau e aeroporto de Hong Kong

Página electrónica: https://www.macauhkairportbus.com

Informações em Hong Kong: (852) 3193 9188

Informações em Macau: (853) 6567 0900

Email: [email protected]

Viagem gratuita de barco

O período de promoção das embarcações de passageiros decorre de 1 de Fevereiro a 31 de Julho de 2024, com o objectivo de oferecer aos visitantes internacionais que visitam Hong Kong bilhetes de barco num só sentido para Macau, a fim de atrair os visitantes a prolongarem a sua viagem a Macau. Os visitantes internacionais elegíveis podem efectuar a reserva antecipada de bilhetes de jetfoil gratuitos, munidos apenas do documento de viagem estrangeiro válido e do talão do cartão de embarque, do bilhete electrónico ou do recibo de transporte, comprovativo de chegada a Hong Kong sete dias anteriores à deslocação a Macau.

TurboJet

Página electrónica: https://www.turbojet.com.hk/tc/

Informações em Hong Kong: (852) 2859 3333

Informações em Macau: (853) 2855 5025

Email: [email protected] / [email protected]

Cotai Water Jet

Página electrónica: https://hk.cotaiwaterjet.com/

Informações em Hong Kong: (852) 2859 1640

Informações em Macau: (853) 2885 0595

Email: [email protected]

A DST espera que este plano de promoção proporcione aos visitantes internacionais um serviço de transporte gratuito e conveniente, que aumente a sua vontade de escolher Macau como destino turístico.

Vários canais de promoção para atrair visitantes a Macau

A DST e as operadoras dos serviços de transportes vão acompanhar a oferta especial com uma série de promoções online e presenciais,para expandir activamente as fontes de visitantes, incluindo através das redes sociais como o Facebook, Instagram, Tiktok e Kakao. Em combinação com a série de eventos alinhados para decorrer em Macau, pretende-se que a nova oferta impulsione mais fluxos de visitantes internacionais a passar as festividades em Macau e vivenciar as novas ofertas e infraestruturas de “turismo +”, contribuindo para aumentar o seu tempo de estadia e consumo, e promover o desenvolvimento do turismo e da economia.

Sobre o autorBrand SHARE

Brand SHARE

Mais artigos
Aviação

Estado moçambicano quer MP a investigar desvios na transportadora aérea LAM

O Instituto de Gestão das Participações do Estado (IGEPE) de Moçambique quer ver os alegados desvios e atos de sabotagem interna na transportadora aérea estatal LAM apurados e pediu a investigação do Ministério Público.

“O IGEPE reitera o seu compromisso com a lisura, transparência e legalidade na gestão de capitais públicos e manifesta a sua disponibilidade em colaborar com as investigações com vista ao apuramento da verdade”, lê-se num comunicado.

O diretor de restruturação das Linhas Aéreas de Moçambique (LAM) denunciou em 12 de fevereiro um esquema de desvio de dinheiro, com prejuízos de pelo menos quase três milhões de euros, em lojas de venda de bilhetes, através de máquinas dos terminais de pagamento automático (TPA/POS) que não são da companhia.

“Fizemos um trabalho relâmpago com a segurança interna da LAM de recolher todos os POS e, dos 20 pontos de venda de bilhetes da LAM, recolhemos, até domingo, 81 POS. Há algumas lojas onde os próprios chefes dos estabelecimentos não reconhecem as máquinas e dizem não saber sequer a quem pertencem”, declarou Sérgio Matos, numa conferência de imprensa em Maputo.

A LAM está num processo de revitalização, com a empresa sul-africana Fly Modern Ark (FMA) encarregue da gestão desde abril, com um plano de restruturação em curso.

“Tendo em conta a gravidade das informações vindas a público, o IGEPE, representante do acionista Estado na LAM e entidade que gere e coordena o setor empresarial do Estado, instruiu a FMA e a LAM a apurarem os factos e canalizarem imediatamente as suspeitas às autoridades competentes, tendo sido apresentada uma solicitação de investigação na Procuradoria da República da cidade de Maputo”, acrescentou o instituto.

O primeiro-ministro de Moçambique, Adriano Maleiane, afirmou no domingo que o Governo quer “ajudar” os gestores da LAM a encontrarem “o caminho correto”, depois de revelados alegados desvios e atos de sabotagem interna.

“Se a regra de gestão foi violada, isto tem de ser corrigido, e há instrumentos legais, financeiros, para a resolução do problema. Todos os problemas na gestão vão surgindo, infelizmente. O importante é termos solução, para não termos problemas que temos e, se de facto existir alguma má intenção nesse processo, então temos as instituições que tratam desse problema”, disse Maleiane, questionado pelos jornalistas.

“Temos de ajudar a empresa e os gestores a encontrarem o caminho correto”, acrescentou.

A estratégia de revitalização da LAM segue-se a anos de problemas operacionais relacionados com uma frota reduzida e falta de investimento, com registo de alguns incidentes, não fatais, associados por especialistas à deficiente manutenção das aeronaves.

A fiscalização aos alegados desvios começou há mais de duas semanas, quando a LAM percebeu que, embora o número de bilhetes vendidos esteja a subir, as contas continuam longe do esperado.

“Está-se a vender, mas a empresa não está a ter todo o dinheiro e nos últimos três meses das avaliações fomos vendo que o diferencial que estávamos a ter estava na ordem entre dois milhões de dólares [1,8 milhões de euros] e três milhões de dólares [2,7 milhões de euros]. Só no mês de dezembro, estamos com um défice de 3,2 milhões de dólares [2,9 milhões de euros]”, observou, na altura, Sérgio Matos, avançando que a inspeção registou casos suspeitos mesmo na recolha de dinheiro vivo nas lojas.

A inspeção levada a cabo também identificou anomalias no que toca ao abastecimento de combustível às aeronaves.

“Se uma aeronave tem capacidade máxima de combustível na ordem de 80.000 litros, nós chamamos de 80 toneladas, [nos documentos] a mesma aeronave está a ser abastecida a 95 toneladas. Então a questão é onde as 15 toneladas restantes estão a entrar”, questionou.

A LAM opera 12 destinos no mercado doméstico, a nível regional voa regularmente para Joanesburgo, Dar-Es-Salaam, Harare, Lusaca, e Cidade do Cabo, e Lisboa é o único destino intercontinental.

Sobre o autorPublituris

Publituris

Mais artigos
Aviação

Kenya Airways abre voos diretos de Nairóbi para Maputo em junho

Os voos da Kenya Airways entre Nairóbi e Maputo arrancam a 14 de junho e vão decorrer às quartas, sextas e domingos.

A partir de 14 de junho, a Kenya Airways vai começar a operar voos diretos entre Nairóbi, capital do Quénia, e Maputo, em Moçambique, numa operação que vai contar com três ligações aéreas por semana.

De acordo com a APG Portugal, que representa a companhia aérea queniana em Portugal, os voos entre Nairóbi e Maputo vão decorrer às quartas, sextas e domingos.

As partidas da capital queniana decorrem pelas 09h50 e os voos chegam a Maputo às 13h00, enquanto em sentido  contrário as partidas da capital moçambicana estão agendadas para as 13h50, chegando a Nairóbi às 18h45.

A APG Portugal lembra que a Kenya Airways é membro da aliança Sky Team e voa para 54 destinos, incluindo 41 no continente africano, e transporta anualmente cerca de quatro milhões de passageiros.

A companhia aérea queniana conta ainda com uma frota composta por 37 aviões, incluindo oito aparelhos Boeing 737-800 Dreamliner, oito Boeing 737-800, quatro Boeing 737-700, dois Boeing 737-300F e 15 Embraer E190.

 

Sobre o autorPublituris

Publituris

Mais artigos
Aviação

easyJet é a companhia aérea oficial da Eurovisão

No âmbito desta parceria, a easyJet vai ser a companhia aérea responsável por levar aos visitantes que pretendem assistir ao evento até à Suécia, onde o Festival Eurovisão da Canção acontece em maio.

A easyJet tornou-se na companhia aérea parceira oficial do Festival Eurovisão da Canção, numa parceria plurianual que vai unir “o continente europeu para celebrar o maior evento musical do mundo”.

No âmbito desta parceria, a easyJet vai ser a companhia aérea responsável por levar aos visitantes que pretendem assistir ao evento até à Suécia, onde o Festival Eurovisão da Canção acontece em maio.

“A easyJet transportará milhares de visitantes que viajam para o concurso deste ano, para o aeroporto de Copenhaga, que proporciona acesso rápido e direto à cidade anfitriã de Malmö, na Suécia, onde as semifinais e finais acontecerão nos dias 7, 9 e 11 de maio. A companhia aérea irá operar mais de 10% de assentos de e para Copenhaga em comparação com o mesmo período do ano passado”, indica a easyJet, num comunicado enviado à imprensa.

Gabriella Neudecker, directora de Marketing da easyJet, mostra-se entusiasmada com a parceria e afirma que a companhia aérea está orgulhosa por servir de ligação “entre as pessoas em toda a Europa”, pelo que considera que esta parceria é uma “combinação perfeita”.

Já Martin Österdahl, supervisor executivo do Festival Eurovisão da Canção, considera que tanto a easyJet como o festival de música europeu partilham “a paixão de ligar pessoas e culturas”, mostrando-se ansioso por unir “a alegria da música e a liberdade de viajar”.

Recorde-se que a easyJet conta, atualmente, com mais de 1000 rotas para mais de 150 aeroportos em 35 países, incluindo 14 rotas desde Londres Gatwick, Bristol, Manchester, Edimburgo, Paris, Bordéus, Nice, Lyon, Basileia, Berlim, Genebra, Lisboa, Milão e Amesterdão para Copenhaga, cujas tarifas começam nos 40,99 euros.

 

Sobre o autorPublituris

Publituris

Mais artigos
Meeting Industry

Proximidade com profissionais e investidores do turismo: BPI volta a ser o banco oficial da BTL

Num compromisso contínuo de fortalecer e explorar a proximidade e uma relação de confiança com os profissionais e investidores do setor do turismo, o BPI volta a ser o banco oficial da BTL, uma parceria que se mantém desde 2016.

Na edição deste ano da BTL, o BPI marcará presença com um espaço de atendimento comercial, onde os visitantes terão acesso a informações detalhadas sobre as Soluções BPI Turismo para Empresas. Além disso, no Palco BPI, situado no Pavilhão 3, terão lugar conferências e encontros que promovem o diálogo entre todos os stakeholders, potenciando a partilha de conhecimento e boas práticas. Ainda durante a feira, o banco oficial da BTL destacará instrumentos financeiros essenciais e abordará temas relevantes para o setor, como sustentabilidade e digitalização.

“A BTL enquanto promotor de negócios, potencia o desenvolvimento da criatividade em que muitas ideias e projetos florescem, são pensados e encontram rampas de lançamento”, refere Dália Palma, gestora coordenadora da Bolsa de Turismo de Lisboa. Neste sentido, sublinha que, um parceiro como o BPI “desempenha um papel fundamental no processo de apoiar e sustentar essas ideias, promovendo a qualificação da nossa oferta turística e apostando em projetos capazes de criar valor acrescentado para a economia nacional”.

A organização da BTL lembra que, ao longo dos anos, o BPI tem mantido uma relação próxima com o turismo, dispondo de uma equipa de gestores especialmente dedicada ao setor, e oferecendo soluções para todas as fases do negócio de empresas ligadas ao turismo.

Estes instrumentos incluem, nomeadamente, apoio ao investimento através de linhas complementares a apoios públicos como a Linha de Apoio ao Turismo e a Linha de Apoio à Qualificação da Oferta-Turismo. O banco disponibiliza, também, o portal BPI Apoios Públicos, que agrega informações sobre incentivos nacionais e europeus.

Numa altura em que a sustentabilidade se assume como um dos temas mais relevantes do setor turístico, o BPI dinamiza iniciativas para a promoção da transição sustentável das empresas, como linhas de crédito, conteúdos formativos e o projeto ‘Acelerador de Sustentabilidade’, que oferece sessões personalizadas e exclusivas sobre turismo sustentável.

Ainda para apoiar as empresas da área do turismo, o BPI é parceiro fundador do NEST – Centro de Inovação do Turismo, aderente ao Programa Empresas Turismo 360, uma parceria promovida pelo Turismo de Portugal, que pretende mobilizar as empresas do sector a incorporarem indicadores ESG (Environmental, Social and Corporate Governance) na sua gestão, e integra a plataforma Invest in Tourism, que tem como objetivo ser um dinamizador do investimento nacional, mas sobretudo estrangeiro, no setor turístico português.

Sobre o autorPublituris

Publituris

Mais artigos

França marca presença sem precedente na BTL com a sua delegação “French Travel Tech”

Pela primeira vez, a França estará presente na BTL – Bolsa de Turismo de Lisboa, de 28 de fevereiro a 1 de março de 2024, representada por 8 start-ups dedicadas à “Travel Tech” (soluções digitais para viagens e turismo). Estas empresas contribuíram para vários projectos internacionais e têm excelentes referências no sector. Venha conhecê-las.

O Ministério francês da Economia e das Finanças, o BPI France, banco de investimento francês, e a Business France, agência francesa para a internacionalização da economia francesa, apoiam 8 empresas na segunda fase da missão “Digitalização do turismo no Sul da Europa” em Portugal. Este programa de apoio e de promoção permitirá às empresas Broke & Abroad, Clorofil (Majorian), Ezus, Guidap, Keru Project, MTrip, Peek´in e The City Hub prepararem-se para as especificidades deste mercado e desenvolverem a sua atividade no mesmo.

Para mergulhar no ecossistema tecnológico do turismo em Portugal, as empresas terão um stand (Pavilhão 3, 3E41) na Bolsa de Turismo de Lisboa. Este espaço permitir-lhes-á apresentar as suas soluções inovadoras aos grandes investidores portugueses e a outros visitantes, identificando simultaneamente os actores locais do sector do turismo e das viagens, de forma a criar oportunidades de negócio no país.

Desde já, pode descobrir 8 soluções que melhoram a produtividade das agências de viagens ou dos centros de lazer, a experiência dos hospedes nos hotéis, a pegada ambiental destes últimos e até a ligação entre os sítios turísticos e os seus visitantes https://www.french-tourism-solutions.com/pt

Se estiver de visita à feira, passe pelo pavilhão Choose France para conhecer os fundadores destas oito start-ups. Pode assistir às sessões de apresentação de empresas todos os dias, entre as 11h30 e as 12h00. Se não estiver presente no evento, pode sempre contactar as equipas da Business France para o pôr em contacto com as empresas: https://world.businessfrance.fr/portugal/contate-nos/

 

INOVAÇÃO FRANCESA DEDICADA À TECNOLOGIA DE TURISMO E VIAGENS

No âmbito do programa de aceleração, a Business France e os seus parceiros selecionaram cuidadosamente 8 empresas francesas do sector das tecnologias de viagem.

  • GUIDAP, o software de gestão do seu smartphone para empresas de lazer
  • mTrip, aplicações móveis para o sector das viagens
  • BROKE AND ABROAD, a viagem da nova geração
  • EZUS, o software de agência de viagens para viagens a medida
  • KERU, ampliar as suas experiências, criar lembranças digitais
  • CLOROFIL, a solução para calcular a sua pegada de carbono
  • PeeK’in, a solução de gestão de bens perdidos para profissionais da hotelaria
  • The City Hub, explore a cidade com o City Hub

A MISSÃO DE DIGITALIZAR O TURISMO E OS EVENTOS NO SUL DA EUROPA

Business France e Bpifrance lançam a primeira edição da missão Digitalização do Turismo e dos Eventos no Sul da Europa, com o apoio da Direção-Geral das Empresas, no âmbito do plano de recuperação e transformação do turismo (PRTT) anunciado pelo Primeiro-Ministro no dia 20 de novembro de 2021.

Este programa destina-se a start-ups tecnológicas francesas inovadoras nos sectores do turismo e dos eventos. Entre janeiro e outubro de 2024, as 8 empresas selecionadas participarão em três feiras internacionais em Espanha, Portugal e Itália. Este programa de aceleração, destinado a favorecer o desenvolvimento das empresas, permitir-lhes-á conhecer melhor as especificidades do mercado do turismo e dos eventos do Sul da Europa, desenvolver a sua rede de contactos e acelerar o seu desenvolvimento nesta região. Espanha, Portugal e Itália destacam-se como actores-chave do turismo na Europa e no mundo. Portugal é o 7º país mais visitado por turistas internacionais na Europa. O país investiu 2,5 mil milhões de euros na sua transição digital e no desenvolvimento do seu património nacional.

 

 

 

 

 

Sobre o autorBrand SHARE

Brand SHARE

Mais artigos
Destinos

Dia Internacional do Guia-Intérprete: AGIA apela a maior união dos profissionais de informação turística

No dia em que, a nível internacional, são celebrados os profissionais de informação turística (guias-intérpretes) a AGIA apela a uma maior união à associação alentejana, tendo em conta os novos desafios que se apresentam nos próximos anos.

A celebração do Dia Internacional do Guia-Intérprete, comemorado anualmente a 21 de fevereiro, tem sido promovido desde 1990 pela WFTGA (Federação Mundial de Associações de Guias), à qual se une, desde a primeira hora, a AGIA – Associação de Guias-Intérpretes do Alentejo.

Assim, no dia em que, a nível internacional, são celebrados os guias-intérpretes, a AGIA apela que, apesar da desregulamentação da profissão ocorrida em 2011, cada vez é mais notória a necessidade da união dos profissionais de informação turística em torno da associação que os representa no Alentejo, tendo em conta os novos desafios que se apresentam nos próximos anos.

Segundo Verónica Chinca, presidente da direção da AGIA, “os guias-intérpretes são os verdadeiros anfitriões de quem visita Portugal, e no caso o Alentejo. Celebrar o dia 21 de fevereiro, é a demonstração de que temos orgulho na nossa profissão, que adoramos exercê-la e partilhar a cultura da região com quem nos visita”.

A AGIA foi fundada em 24 de junho de 2003, partindo da permissa das especificidades da região Alentejo e do carácter pluriculturalidade que é exigida a estes profissionais. Assim um grupo de guias-intérpretes nacionais que há muito trabalhavam no Alentejo, conjuntamente com novos profissionais chegados à região e os então recém-formados guias-intérpretes regionais criam a primeira associação de técnicos de informação turística de Portugal, sedeada em Évora, cidade-âncora do turismo na região.

A AGIA lembra, em comunicado de imprensa, que o exercício da profissão de guia-intérprete rege-se pela qualidade e pelo profissionalismo, sublinhado no objetivo da existência da associação, ou seja, na divulgação, incentivo e na promoção destes profissionais e na contribuição para o prestígio e dinamização do turismo na região.

Assim, a AGIA tem vindo a estabelecer desde há muitos anos laços de colaboração com a ERT do Alentejo e comissões municipais de turismo, Universidade de Évora e Escola de Hotelaria e Turismo de Portalegre, sendo ainda associada da Agência Regional de Promoção Turística do Alentejo.

Refira-se que os guias-intérpretes associados da AGIA usufruem de ações de formação internas, e tendo em conta os novos desafios do turismo no Alentejo, prepara-se a certificação dos novos profissionais que escolhem esta área de trabalho, destacando que “estes devem ser conscientes que o exercício profissional passa por uma constante atualização dos conhecimentos, que vão muito além da comunicação de conteúdos de caracter histórico e patrimonial, trata-se, na verdade, de criar um vínculo entre a cultura do Alentejo, e aquela que trazem os visitantes desde os seus países de origem”.

Sobre o autorPublituris

Publituris

Mais artigos

Geres, Portugal; August 31, 2022: General view of the olive tree square in guimarães with several tourists

Meeting Industry

Guimarães vai mostrar-se na Navartur em Pamplona

O Turismo de Guimarães vai marcar presença na Navartur – Feira Internacional de Turismo de Navarra, que decorrerá em Pamplona, Espanha, de 23 a 25 de fevereiro. Esta participação surge no âmbito da estratégia de promoção do território como destino turístico de excelência.

A Navartur, que em 2023 teve mais de 45 mil visitantes, e já vai na sua 17ª edição, é reconhecida como uma das feiras mais relevantes dedicadas ao turismo na Península Ibérica. Destina-se a um mercado com um elevado poder de compra, como é o caso de Navarra e do País Basco, contando com um público-alvo com uma forte propensão para realizar viagens turísticas.

Para além da promoção direta e do atendimento personalizado aos visitantes, o Turismo de Guimarães terá a oportunidade de participar na Bolsa de Contratação Turística “B2B NAVARTUR Meetings”, que visa proporcionar reuniões e contactos com operadores e agências de viagens especializadas a nível internacional.

Integrando a representação do Norte de Portugal no stand da Entidade Regional de Turismo, a estratégia promocional de Guimarães incidirá especialmente no “Património Histórico e Cultural”, no “Turismo de Natureza” e na “Gastronomia e Vinhos”.

Sobre o autorPublituris

Publituris

Mais artigos
Distribuição

Consolidador.com moderniza identidade visual com olhos postos numa maior internacionalização

O Consolidador.com tem uma identidade visual mais moderna, numa releitura do logotipo que o acompanhou desde a sua criação, em 2008. Um dos principais objetivos deste rebranding é uma forte internacionalização que a empresa pretende consolidar este ano, passando a estar presente em 15 mercados, em vez dos 10 atuais.

Num encontro com jornalistas, esta terça-feira, em Lisboa, o CEO do Consolidador.com, Miguel Quintas, e a diretora de Marketing Lisangela Santos, revelaram o novo logotipo da empresa, que se pretende mais moderno e jovial, face ao existente há 15 anos, que já não estava a representar alguns pilares considerados muito importantes para a empresa: Inovação, Tecnologia e Pessoas.

Para Miguel Quintas, o novo logo quer “representar aquilo que a empresa é, uma evolução”, assumindo que “queremos e sabemos que é necessário, para uma empresa evoluir, ter capacidade de se renovar. Esta é a mensagem principal” com a nova identidade visual.

O Consolidador.com “está a entrar numa nova fase, particularmente, de internacionalização muito forte, e é um dos nossos objetivos”, assim “precisamos com isso demonstrar que o estamos a fazer não só para dentro, mas também para fora”, apontou o CEO da empresa.

Por sua vez, Lisangela Santos, referiu que “este novo logo vem trazer mais cor e mais jovialidade à empresa porque, se falamos o tempo inteiro em tecnologia e inovação, precisava de representar isso”.

A nova imagem, segundo a diretora de Marketing, realça o C para mostrar que se trata do Consolidador e ponto, seguido de um lettering “muito mais moderno e com muito mais curvas”.

“Mantivemos as cores que tínhamos anteriormente, mas fizemos uma releitura com dois níveis: uma para o digital, para trazer mais força, mais vivacidade e mais energia, e outra para as impressões”, disse, avançando que também “juntamos os elementos da nossa comunicação que representam a conectividade, enquanto a nossa cara (as nossas redes sociais), está mais moderna, mais dinâmica e mais viva, que acompanha ainda um novo material de merchandising, que estará em todos os pontos da nossa comunicação”.

Lisangela Santos revelou aos jornalistas que “fizemos toda esta mudança a nível de identidade visual, mas a mensagem principal que queremos deixar é que a nossa essência é a mesma: ‘Apaixonados pelo futuro das viagens’, apostando cada vez mais na tecnologia, na inovação e nas pessoas”, O próprio site do Consolidador.com foi completamente renovado e a comunicação está toda atualizada a nível digital e não só.

O símbolo C ponto, só vai ser utilizado de forma isolada daqui a seis meses, até que as pessoas comecem a associar, a assimilar e a entender que é essa a nova imagem do Consolidador.com, mas juntamente com o lettering que o acompanha, já está no mercado para toda a gente ver, realçou a responsável.

A outra aplicação da empresa, como é o Consolidador. com Hotels, plataforma para busca de hotéis e outros meios de alojamento, também acompanha, nos mesmo moldes, esta nova imagem.

Crescer num mercado limitado significa internacionalizar

O CEO do Consolidador.com disse que a empresa registou o ano passado um crescimento de 43%, mas “sabemos que Portugal, pela dimensão que tem é finito, cresce organicamente, mas não tem dimensão”, assim “para crescermos, temos de o fazer internacionalmente, ganhar espaço para novos mercados”. Nesse sentido, a empresa aposta em continuar a crescer em termos de dimensão “e nos mercados estratégicos que estão definidos pelos quais queremos entrar este ano, sabendo que a casa mão do Consolidador.com é Portugal”.

Miguel Quintas declarou que a empresa “tem de conquistar novos territórios e novos espaços, é isso que estamos à procura, é o que temos vindo a fazer há alguns anos para cá, mas agora, oficialmente, a abrir novos mercados, que espero que durante o 2024 possamos, em termos de presença internacional, crescer mais 50%”. Neste caso, o Consolidador.com passará de 10 para 15 mercados com presença local. Não avançou mais, pois disse que os contratos ainda não estão assinados, mas prometeu anunciar essas entradas ao longo de 2024.

“A marca tem de acompanhar a nossa presença internacional, queremos que seja visível no momento em que entremos em novos mercados e tem que estar presente nos próximos anos. Não faria muito sentido alargarmos internacionalmente baseados numa marca antiga”.

Os PALOP é uma forte possibilidade, “é um interesse nosso, mas não se esgota aí, até porque já estamos presentes em alguns países em África, e de língua portuguesa, mas apesar de não estar nada fechado, posso dizer que é um continente preferencial”, considerou Miguel Quintas.

Em relação ao Consolidador.com Hotels o empresário sublinhou que “somos conhecidos pela parte da aviação, é o nosso forte, mas também vendemos hotelaria. Embora não seja a nossa aposta estratégica, sabemos posicionar-nos e queremos posicionar-nos aí, e quando entrarmos em outros mercados também o vamos fazer com essa perspetiva”.

Sobre a importância de um consolidador na área das viagens, Miguel Quintas é perentório: “Qualquer grupo de agências de viagens em Portugal que queira comprar bilhetes de aviação só tem benefícios em fazê-lo com o consolidador, pelo que é a sua eficiência, a capacidade de serviço e pelo preço que apresenta”.

Sobre o autorCarolina Morgado

Carolina Morgado

Mais artigos
PUB
PUB
PUB
PUB
PUB
PUB
PUB
PUB
PUB
PUB
PUB
PUB

Navegue

Sobre nós

Grupo Workmedia

Mantenha-se informado

©2021 PUBLITURIS. Todos os direitos reservados.