Edição digital
Assine já
PUB
Alojamento

Marca Kimpton chega a Portugal através da IHG Hotels & Resorts em parceria com a Highgate

A IHG Hotels & Resorts estreia esta quarta-feira, 11 de outubro, a presença da marca Kimpton Hotels & Restaurants em Portugal, com a assinatura do Kimpton Algarve São Rafael Atlântico.

Publituris
Alojamento

Marca Kimpton chega a Portugal através da IHG Hotels & Resorts em parceria com a Highgate

A IHG Hotels & Resorts estreia esta quarta-feira, 11 de outubro, a presença da marca Kimpton Hotels & Restaurants em Portugal, com a assinatura do Kimpton Algarve São Rafael Atlântico.

Publituris
Sobre o autor
Publituris
Artigos relacionados
Turismo de Portugal distinguiu 294 empresas turísticas que assumem práticas ambientalmente responsáveis
Turismo
Área de Turismo e Hospitalidade da Universidade Europeia assinala 60 anos com conjunto de atividades e eventos ao longo
Emprego e Formação
Agentes de viagens portugueses vão poder tornar-se “especialistas” em Macau
Distribuição
Promoção, parcerias e criação de sinergias apontados como ingredientes para afirmação do Enoturismo em Portugal
Turismo
TOURBIT financiou nove PME portuguesas do turismo com 72 mil euros para projetos digitais
Turismo
“Todos os nossos maiores mercados estão cobertos por este aumento de capacidade”, anuncia CEO da TAP na BTL
Aviação
Air Transat aposta no lazer e vê reservas a subir para o verão
Aviação
AP Hotels & Resorts aposta em Sines com nova unidade em 2025
Alojamento
Maioria dos visitantes dos Açores fica satisfeita e 87,1% recomendam o destino
Destinos
Aviação viveu ano mais seguro da última década em 2023
Aviação

Em nota de imprensa, o grupo refere que “esta unidade reforça a robustez da marca Kimpton como parte da oferta Luxury & Lifestyle da IHG na Europa, onde opera atualmente 93 hotéis neste segmento e tem outros 57 estão em desenvolvimento”.

Através da assinatura de um contrato de franchising com a Highgate Portugal, a abertura do hotel está prevista para 2025. Contará com 149 quartos, mais de 1.300 metros quadrados de salas de reuniões, restaurantes e bares. O hotel também oferecerá uma experiência de bem-estar com piscinas interior e exterior, ginásio e spa. O design de interiores inspira-se no ambiente envolvente de natureza e cultura da região, incluindo os laranjais, azulejos e cerâmica, sendo que a unidade localiza-se a poucos passos da praia de São Rafael, em Albufeira.

“Assinar a nossa primeira propriedade Kimpton em Portugal é um importante marco. Focámo-nos em construir a nossa presença no país, especialmente no segmento de luxo e lifestyle com os nossos recém-inaugurados primeiros hotéis Vignette Collection em Lisboa e no Porto, que complementam as três unidades InterContinental existentes e um Six Senses no Vale do Douro. [Este] promete ser um hotel deslumbrante e estamos ansiosos para receber os nossos primeiros hóspedes, em 2025”, refere Willemijn Geels, vice-presidente de desenvolvimento, Europa, IHG Hotels & Resorts.

Já Alexandre Solleiro, CEO da Highgate Portugal afirma que “estamos orgulhosos por trazer o primeiro hotel Kimpton para um dos destinos turísticos mais populares de Portugal, juntamente com a IHG Hotels & Resorts. Vimos o sucesso da marca em toda a Europa em países como Espanha, França, Holanda e Reino Unido, e acreditamos que este hotel será uma adição perfeita ao portefólio. Estamos muito satisfeitos por trabalhar em conjunto para concretizar todo o potencial desta propriedade e mostrar o nosso investimento contínuo em Portugal.”

O IHG opera 19 hotéis com seis marcas em Portugal, incluindo Six Senses, InterContinental, Vignette Collection, Crowne Plaza, Holiday Inn e Holiday Inn Express. Na Península Ibérica, o IHG tem 66 hotéis abertos e um pipeline de 26 propriedades.

Sobre o autorPublituris

Publituris

Mais artigos
Artigos relacionados
Turismo de Portugal distinguiu 294 empresas turísticas que assumem práticas ambientalmente responsáveis
Turismo
Área de Turismo e Hospitalidade da Universidade Europeia assinala 60 anos com conjunto de atividades e eventos ao longo
Emprego e Formação
Agentes de viagens portugueses vão poder tornar-se “especialistas” em Macau
Distribuição
Promoção, parcerias e criação de sinergias apontados como ingredientes para afirmação do Enoturismo em Portugal
Turismo
TOURBIT financiou nove PME portuguesas do turismo com 72 mil euros para projetos digitais
Turismo
“Todos os nossos maiores mercados estão cobertos por este aumento de capacidade”, anuncia CEO da TAP na BTL
Aviação
Air Transat aposta no lazer e vê reservas a subir para o verão
Aviação
AP Hotels & Resorts aposta em Sines com nova unidade em 2025
Alojamento
Maioria dos visitantes dos Açores fica satisfeita e 87,1% recomendam o destino
Destinos
Aviação viveu ano mais seguro da última década em 2023
Aviação
PUB
Turismo

Turismo de Portugal distinguiu 294 empresas turísticas que assumem práticas ambientalmente responsáveis

Fruto do seu envolvimento no Programa Empresas Turismo 360º, 294 empresas turísticas foram distinguidas pelo Turismo de Portugal, durante a BTL, pelos compromissos assumidos em matéria de sustentabilidade.

Na cerimónia, 45 empresas receberam o selo Sustainability | Engaged que reconhece as empresas que já produziram relatórios de sustentabilidade através da Ferramenta Organizacional e Reporte da Sustentabilidade no Turismo (FOREST).

Por outro lado, 249 empresas foram galardoadas com o selo Sustainability | Committed, que reconhece a adesão ao programa e o assumir da respetiva Carta de Compromissos.

Em ambos os casos, Engaged e Committed, as empresas agora distinguidas encontram-se presentes em todo o território nacional, são representativas da diversidade de atividades turísticas e englobam as várias dimensões – pequenas, médias e grandes empresas.

Valorizar empresas ambientalmente responsáveis, reconhecer o compromisso com as boas práticas e trilhar um futuro sustentável é o objetivo deste Programa, que assenta numa visão onde a sustentabilidade das empresas turísticas não é mais uma opção, antes uma necessidade absoluta e prioritária.

O Programa Empresas Turismo 360º visa incentivar as empresas turísticas a assumirem compromissos nas dimensões ambiental, social e da governação, garantindo desse modo, maior capacidade de acesso a financiamento e em melhores condições, melhor retorno sobre os investimentos, otimização da eficiência global, redução de custos operacionais e mesmo um melhor desempenho financeiro.

Depois de um ano com resultados recordes para o setor do turismo, esta iniciativa serviu também para refletir sobre o caminho que é necessário percorrer para garantir um turismo de futuro com qualidade, responsabilidade e transformador.

Neste sentido, o evento contou com um conjunto de personalidades de várias áreas que contribuíram para o debate, nomeadamente um painel de quatro empresas de diferentes dimensões e áreas de atividade. Em cima da mesa estiveram questões relacionadas com a sustentabilidade ambiental, económica e social no desenvolvimento e gestão das infraestruturas e da atividade/operação.

Na ocasião, Carlos Abade, presidente do Turismo de Portugal referiu que “é crucial que o setor do turismo tenha um papel de liderança na adoção de práticas ESG e no reporte do seu desempenho, contribuindo para o objetivo estabelecido na Estratégia para o Turismo 2027 quanto ao posicionamento de Portugal como um dos destinos turísticos mais competitivos e sustentáveis do mundo”.

Inscrito no Plano Reativar o Turismo | Construir o Futuro, o Programa Empresas Turismo 360° foi lançado em novembro de 2021 e assenta numa parceria com 20 organizações com o objetivo de incentivar as empresas a reportar o seu desempenho em sustentabilidade através da integração dos fatores ESG – Environmental, Social and Governance na cultura organizacional e na estratégia de negócio, orientando-as no processo de reporte de um sistema de indicadores criado com o objetivo de refletir as suas práticas ambientais, sociais e de governação.

Sobre o autorPublituris

Publituris

Mais artigos
Emprego e Formação

Área de Turismo e Hospitalidade da Universidade Europeia assinala 60 anos com conjunto de atividades e eventos ao longo

A Universidade Europeia assinala, em 2024, os 60 anos do lançamento do seu primeiro curso na área de Turismo e Hospitalidade, com um conjunto de atividades e eventos ao longo do ano, entre os quais a criação de IN_SPIRA, uma Bolsa de Mentores e do podcast “NÓS, VOZ”, cujo 1º episódio já está disponível.

As diferentes atividades de celebração também vão visar o corpo docente e não docente, parceiros do setor, organizações, associações de referência e o tecido empresarial do turismo e hospitalidade em Portugal, de acordo com Sofia Almeida, Coordenadora da Área de Turismo e Hospitalidade da Universidade Europeia.

Uma destas iniciativas é a criação da Bolsa de Mentores IN_SPIRA, em que profissionais experientes, reconhecidos como mentores, oferecem orientação, conselhos e suporte a estudantes e/ou recém-licenciados. Esta relação de mentoria visa ajudar no desenvolvimento e crescimento profissional e pessoal do mentorado, partilhando conhecimentos, experiências e insights relevantes para o crescimento da sua carreira. A Bolsa de Mentores IN_SPIRA será apresentada formalmente durante as comemorações dos 60 anos.

Previsto está também o lançamento de uma temporada de podcasts que têm como objetivo destacar os 60 anos de excelência académica e contribuições significativas da Universidade Europeia para o desenvolvimento e avanço da indústria do turismo, reconhecendo e celebrando os projetos e as iniciativas atuais, passadas e futuras. O podcast “NÓS, VOZ” pretende envolver ativamente professores e profissionais do setor em discussões relevantes sobre o turismo, incentivando a participação, o orgulho institucional e a colaboração em iniciativas futuras relacionadas com a área de Turismo na Universidade.

O podcast visa promover a conscientização sobre questões importantes relacionadas com a área do Turismo, como sustentabilidade, responsabilidade social, diversidade e inclusão, além de incentivar o diálogo e o engagement da comunidade académica e do público em geral. O podcast estará disponível mensalmente nas plataformas de YouTube e Spotify da Universidade Europeia, bem como através das redes sociais. O 1º episódio já está disponível.

Outra das iniciativas que visa assinalar a celebração dos 60 anos é o lançamento do “Livro 60 Anos Turismo e Hospitalidade”, que vai compilar 60 Anos de história e legado na área do Turismo e Hospitalidade que a Universidade Europeia continua a preservar.

A oferta formativa em Turismo e Gestão Hoteleira da Universidade Europeia destaca-se pelo seu modelo académico inovador, que combina aulas presenciais com conteúdos digitais, oferecendo uma experiência de aprendizagem flexível e personalizada. Estes cursos são também reconhecidos pela abordagem única que integra a mais avançada tecnologia com o conhecimento humano, preparando os estudantes para alcançar os seus objetivos profissionais.

Com esta celebração, a Universidade Europeia pretende valorizar o setor do turismo e hospitalidade em Portugal e reforçar o seu papel enquanto agente ativo de promoção e divulgação do turismo e hospitalidade.

Sobre o autorPublituris

Publituris

Mais artigos
Distribuição

Agentes de viagens portugueses vão poder tornar-se “especialistas” em Macau

Os agentes de viagens portugueses vão poder tornar-se “especialistas” do destino Macau, graças a um programa de e-learning da APAVT lançado esta quinta-feira, durante a BTL, e que estará disponível a partir de segunda-feira.

O presidente da APAVT, Pedro Costa Ferreira, acredita no êxito deste programa que junta a motivação e a grande vontade da Associação, com um “destino turístico maravilhoso que é Macau”, e com a experiência da Message in a Bottle, agência de comunicação que desenvolveu a plataforma.

Pedro Costa Ferreira referiu que “ninguém consegue vender o que não conhece, e nós temos uma enorme motivação de dar a conhecer e dar armas técnicas aos agentes de viagens para vender melhor Macau”. Assim, reconhece que este e-learning “é o princípio de uma caminhada que temos de fazer juntos”.

Por sua vez, Maria Helena de Senna Fernandes, diretora dos Serviços de Turismo de Macau, considerou esta parceria de inovadora, realçando que esta ferramenta “foi concebida para equipar os agentes de viagens em Portugal com conhecimentos abrangentes sobre Macau em diferentes tópicos, incluindo detalhes para quem viajar para o território, gastronomia, património, cultura e entretenimento, transformando-os em verdadeiros especialistas do destino”.

A responsável revelou que há muitas novidades no destino. “Macau está em pleno processo de diversificação turística, temos um forte aumento da oferta em grandes eventos e festividades de turismo, mais convenções e exposições, revitalização das zonas históricas e o turismo multidestinos na Grande Baía Guangdong-Hong Kong-Macau, ao mesmo tempo, este ano Macau está empenhada na diversificação nos mercados de visitantes”, apontou, para referir que “para aumentar o número de visitantes de Portugal e de outros destinos internacionais, estamos a unir as celebrações do 25º aniversário do estabelecimento da Região Administrativa Especial de Macau com o lançamento de uma série de ofertas de viagens, incluindo bilhetes de transporte terrestre e de barco a partir de Hong Kong, a par de pacotes em parcerias com companhias aéreas”.

Em 2023 Macau “teve uma boa recuperação turística com a chegada de 28,2 milhões de visitantes, correspondente da 72% dos valores pré-pandemia, por isso, ainda temos espaço para trabalhar”, revelou Maria Helena Senna Fernandes, salientando que “o número de visitantes internacionais em 2023 atingiu cerca de 1,5 milhões, e Portugal, infelizmente, teve apenas seis mil, ou seja, temos ainda muito terreno para conquistar. Entre os nossos visitantes internacionais, Portugal neste momento só equivale a 37% dos valores antes da pandemia, uma vez que, em 2019, gerou quase 16 mil visitantes”. Entretanto, “em janeiro deste ano só tivemos 566 visitantes de Portugal”.

A diretora dos Serviços de Turismo de Macau reconhece que “temos terreno para trabalhar, e o mais importante é que os portugueses tendem a ficar várias noites em Macau, por isso compensa pela estadia”, referiu. Ao mesmo tempo, sublinhou que, “pelas nossas fortes ligações históricas, estou convicta que sentirão um fascínio especial pelo destino. Valorizamos profundamente a ligação entre Macau e Portugal e vemos um enorme potencial para um maior crescimento e colaboração turística, pois as iniciativas que temos alinhado e a forte parceria com a APAVT, estou confiante que estamos no caminho certo para voltar e até melhorar os valores antes da pandemia”.

Maria Helena Senna Fernandes convidou todos os agentes de viagens “a embarcarem nesta viagem connosco para se tornarem embaixadores da rica herança e da vibrante oferta turística de Macau”.

O projeto e-learning, segundo Ruben Obadia, CEO da Message in a Bottle, é que, ao longo de cinco módulos os agentes de viagens em Portugal, na comodidade do seu local de trabalho ou da sua casa possam aprender, de uma forma lúdica e interativa, com fotografias, vídeos e jogos consigam apreender o que Macau tem para oferecer e, no final, sentirem-se recompensados, após avaliação e um teste, com um diploma que lhes confere o título de especialista em Macau, e que é válido por um ano.

O agente de viagens que obtiver melhor classificação nesta certificação acompanhará a APAVT a Macau no próximo ano para experienciar no destino e viver o que aprendeu através deste processo.

Sobre o autorCarolina Morgado

Carolina Morgado

Mais artigos
Turismo

Promoção, parcerias e criação de sinergias apontados como ingredientes para afirmação do Enoturismo em Portugal

Promoção lá fora e cá dentro e desenvolvimento de parcerias que visam a obtenção de maiores sinergias, são alguns dos ingredientes apontamos por Lídia Monteiro, vogal do Conselho Diretivo do Turismo de Portugal; Pedro Valle Abrantes, Managing Partner da TryPor; Alexandra Leroy Maçanita, Events & Wine Tourism Manager da Fita Preta; Luís Santos, General Manager do Palácio Ludovice Wine Experience Hotel; e Ana Maria Lourenço, Public Relations do World of Wine (WoW), para a afirmação do Enoturismo em Portugal.

“Enoturismo – Um mundo de experiências” foi o título da conferência que o jornal Publituris co-organizou em parceria com a Bolsa Turismo de Lisboa – BTL 2024, que decorreu na tarde desta quinta-feira, em Lisboa, no âmbito da Feira.

Todos os intervenientes desta conferência reconheceram a importância deste segmento, que já é histórico no nosso país, tem grandes tradições, mas só há pouco tempo começou a ser olhado com maior atenção pelo valor acrescentado que traz ao destino Portugal, passando a ser considerado como um produto turístico que ajuda a incorporar o equilíbrio territorial e que permite um turismo ao longo do ano, esbatendo assim a sazonalidade, para além de atrair um público mais exigente, com maior poder de compra, e de países como os Estados Unidos, Canadá ou Brasil, para além dos europeus.

Numa altura em que se fala cada vez de um turismo de experiências, os participantes no debate realçaram que o Enoturismo será de facto o segmento que mais jus faz a este facto, uma vez que proporciona um cem número de emoções e experiências a quem visita as vinhas, as adegas e prova os vinhos portugueses, diferentes de região para região.

Neste sentido, e conforme foi dito, as parcerias entre os vários intervenientes deste setor com vista à obtenção de maiores sinergias, a relação entre o Enoturismo e o destino, também são fundamentais, até porque “o vinho é história, é cultura, é paisagem, é natureza, é gastronomia” e vale a pena comunicar essas conjugações”.

Autenticidade é o que ganha sempre, foi igualmente apontado. A inovação na promoção e a necessidade de busca de um público mais jovem, foram outros temas considerados relevantes, tendo todos os participantes defendido que, no Enoturismo, Portugal “tem uma oferta de grande qualidade que rivaliza com qualquer outro país”.

Ainda na tarde desta quinta-feira, o jornal Publituris lançou, na BTL, a primeira edição do Book de Enoturismo, que contou com o apoio do Turismo de Portugal e com a colaboração de Pedro Valle Abrantes – CEO & Founder da Trypor e André Villa de Brito – Sommelier e Tour Guide.

Os pormenores desta conferência sobre o Enoturismo poderão ser lidos na próxima edição do Publituris.

Sobre o autorCarolina Morgado

Carolina Morgado

Mais artigos
Turismo

TOURBIT financiou nove PME portuguesas do turismo com 72 mil euros para projetos digitais

O Programa de Aceleração Digital europeu TOURBIT, apoiado pelo NEST – Centro de Inovação do Turismo, acompanhou, ao longo de 10 meses nove PME portuguesas, que receberam 72 mil euros para aplicarem em projetos digitais.

Publituris

O NEST faz parte das oito organizações que lançaram o Programa de Aceleração Digital TOURBIT que, durante 10 meses, tem o propósito de apoiar financeiramente mais de 60 PME especializadas na transformação digital do setor do turismo.

Os participantes portugueses do programa receberam, cada um, um apoio financeiro de oito mil euros para desenvolverem os seus projetos de digitalização, contando com o apoio da rede de mentores, consultores e fornecedores de tecnologia que integram o TOURBIT. Os beneficiários nacionais deste ano foram: Car2U, Turaventur, Lda., Landescape – garden studios, Azores Boat Adventures, Casa da Avó Genoveva, Casa Velha – Turismo Rural, Casa dos Vales, Futurismo Azores Adventures, Travel 4 Experiences by TDO.

Entretanto, a conferência final da TOURBIT está marcada para esta sexta-feira, dia 1 de março, em Barcelona, no âmbito do Mobile World Congress. O evento tem como objetivo impulsionar a transformação digital das PME do setor do turismo, proporcionando aos participantes conhecimento sobre ferramentas digitais, melhores práticas e oportunidades de networking.

O programa da conferência integra mesas-redondas sobre investimento em digitalização, uma masterclass sobre Inteligência Artificial e uma sessão sobre as contribuições da TOURBIT para a adoção digital das PME do turismo.

O consórcio TOURBIT é formado por oito parceiros do setor do turismo europeu: a Agência Catalã de Turismo, líder do projeto, a Câmara de Comércio de Barcelona, Paris & Co, ARCTUR, o cluster hospitality.brussels hospedado pela hub.brussels, o Cluster de Turismo da Islândia, a Universidade de Ciências Aplicadas de Lapónia da Finlândia e o NEST – Centro de Inovação em Turismo, de Portugal.

Sobre o autorPublituris

Publituris

Mais artigos
Aviação

“Todos os nossos maiores mercados estão cobertos por este aumento de capacidade”, anuncia CEO da TAP na BTL

No próximo verão, a TAP vai reforçar a capacidade no Brasil e América do Norte, disponibilizando mais frequências em nove dos 11 destinos para onde a transportadora opera no Brasil, assim como mais cinco voos por semana para os EUA e outros cinco para o Canadá.

Inês de Matos

No próximo verão, a TAP vai reforçar a operação para o Brasil e América do Norte, disponibilizando “mais frequências em nove dos destinos” servidos no Brasil e 10 na América do Norte, revelou Luís Rodrigues, CEO da companhia aérea, esta quinta-feira, 29 de fevereiro, na BTL – Bolsa de Turismo de Lisboa.

“Todos os nossos maiores mercados estão cobertos por este aumento de capacidade”, afirmou Luís Rodrigues, durante uma apresentação da companhia aérea na principal feira do turismo nacional.

O CEO da TAP explicou que o maior aumento de capacidade está previsto para o Brasil, que vai contar com mais frequências em nove dos 11 destinos para onde a transportadora opera.

“Este ano, temos, no verão, um nível de oferta que nunca tínhamos conseguido ter, um aumento de capacidade para o nosso mercado maior e principal, que é o Brasil, com mais frequências em nove dos destinos, praticamente todos os destinos que voamos no Brasil, que são 11”, começou por anunciar o responsável da companhia aérea de bandeira nacional, revelando que, no total, a TAP vai realizar 96 frequências semanais para o Brasil, a partir de Lisboa e Porto.

Além do Brasil, a TAP vai também aumentar as ligações aéreas à América do Norte, prevendo-se aumentos de cinco frequências para os EUA e outras cinco para o Canadá, passando a disponibilizar 77 voos por semana entre Portugal e os EUA, bem como 20 ligações semanais ao Canadá.

Luís Rodrigues explicou depois que este aumento de capacidade não se deve à introdução de novos aviões na frota da TAP, mas sim às equipas de operações, manutenção e engenharia, e comercial, que fizeram um “magnifico trabalho” de optimização de operação, de libertação de slots internos de manutenção e de performance de rede.

“Conseguirmos disponibilizar mais com o mesmo, que é uma coisa que todos temos de aprender a fazer”, acrescentou o responsável, sublinhando que, “com a mesma frota e as mesmas capacidades, a TAP acrescenta uma quantidade nova de frequências aos mesmos destinos e pode oferecer um melhor serviço aos seus passageiros, nacionais ou internacionais”.

Novos chefs e parceria olímpica

Durante a apresentação, Luís Rodrigues deu ainda a conhecer a nova parceria que a companhia aérea estabeleceu com o Comité Olímpico Português, “na qualidade de levar a comitiva para Paris, para os Jogos Olímpicos”.

Além da parceria para levar até Paris os atletas nacionais que vão participar na próxima edição dos Jogos Olímpicos, a TAP lançou ainda a nova edição do projeto “Local Stars”, que conta com seis novos chefs e que vai levar vários produtos nacionais até à classe executiva dos voos de longo curso da companhia aérea, nos próximos 12 meses.

“A nossa gastronomia está a ser elevada a um nível em que até agora nunca esteve, e que nos puxa e motiva para elevar a experiência turística e a experiência do passageiro a um nível que até agora nunca conseguimos”, afirmou Luís Rodrigues, durante a apresentação.

 

Sobre o autorInês de Matos

Inês de Matos

Mais artigos
Aviação

Air Transat aposta no lazer e vê reservas a subir para o verão

Segundo Artur Sousa, diretor-geral da ATR, que representa a Air Transat em Portugal, as vendas para o verão estão a correr a bom ritmo, até porque a antecedência com que os portugueses fazem a reserva está a aumentar.

Inês de Matos

A Air Transat está satisfeita com o ritmo das reservas para o próximo verão e espera atrair um maior volume de tráfego de lazer, apesar de Artur Sousa, diretor-geral da ATR, que representa a companhia aérea canadiana em Portugal, admitir que é necessário “haver mais promoção do próprio Turismo de Portugal” no Canadá.

“A Air Transat aumentou novamente frequências este ano, temos uma maior oferta e estamos a falar de uma companhia que opera durante o ano todo, em Lisboa, Porto e Faro. O target que, para este ano, tem mais enfoque é a captação de mais turismo, mais lazer”, explicou Artur Sousa, durante um cocktail da ATR, na BTL – Bolsa de Turismo de Lisboa.

No entanto, as rotas da Air Transat continuam a captar mais tráfego étnico do que turístico, com Artur Sousa a indicar que também o tráfego corporativo tem vindo a crescer, o que leva o responsável a defender um aumento da promoção.

“Continua a ser um mercado muito étnico, já começa a haver mais corporativo, mas o turismo ainda não está muito promovido, não pela Air Transat, que faz o seu trabalho, mas somos uma companhia aérea e tem de haver mais promoção do próprio Turismo de Portugal”, queixou-se o responsável, admitindo, no entanto, que a Air Transat tem “algumas ideias para pôr em prática este ano”, que vão ajudar a impulsionar alguns nichos do mercado de lazer.

Apesar disso, as vendas para o verão estão a correr a bom ritmo, com Artur Sousa a destacar que também a antecedência com que os portugueses fazem a reserva está a aumentar.

“Houve uma mudança desde há um par de ano e que é muito significativa, que tem a ver com o Advance Booking, ou seja, os portugueses estão a comprar com maior antecedência, o que é bom para a Air Transat e para todos os nossos parceiros. Estamos com um Advance Booking muito interessante, temos objetivos que penso que vamos concretizar. Prevemos aumentos face ao ano passado”, afirmou ainda o responsável.

Quanto a rotas, Artur Sousa destaca essencialmente os voos do Porto, onde a Air Transat é a única companhia aérea a voar diretamente para o Canadá, numa oferta que tem também atraído muitos turistas americanos.

“Há americanos a apanhar voos no Canadá. O sucesso de algumas rotas para o Canadá, em grande parte, vem do mercado americano. Ou seja, muitos americanos preferem fazer EUA-Canadá-Portugal em várias situações”, revelou ainda Artur Sousa.

 

 

 

 

Sobre o autorInês de Matos

Inês de Matos

Mais artigos
Alojamento

AP Hotels & Resorts aposta em Sines com nova unidade em 2025

Este novo hotel vai surgir da reconversão do atual Sinerama Hotel, um três estrelas aparthotel que o grupo adquiriu recentemente à Teixeira Duarte, e para o qual tem em vista um plano de remodelações que deverá começar até ao final deste ano e que se espera que termine no início de 2025.

Carla Nunes

O grupo AP Hotels & Resorts vai contar com uma nova unidade hoteleira sob a marca AP em 2025 na cidade de Sines.

A informação foi adiantada ao Publituris por Emanuel Freitas, diretor-geral do AP Hotels & Resorts, durante a Bolsa de Turismo de Lisboa (BTL), não referindo, para já, nem o valor de aquisição deste hotel, nem o investimento previsto para as obras de remodelação, que transformarão a unidade num “hotel quatro estrelas superior, dentro do padrão daquilo que é um hotel AP”, como refere o profissional.

O Sinerama Hotel encontra-se atualmente em operação com 105 apartamentos, mas a expectativa é a de que a unidade passe a contar com 135 a 136 quartos após a intervenção, além de um restaurante, spa e piscina. Para este futuro quatro estrelas está a ser desenhado um conceito “muito corporativo, mas também muito virado para a cidade, com restaurante aberto [a passantes], e para famílias e lazer durante o verão”, já que está “muito próximo de Porto Covo e das praias da Costa Vicentina”, segundo Emanuel Freitas.

A escolha desta cidade para um novo hotel AP é justificada pelo diretor-geral com a oportunidade não só de desenvolver a marca numa nova região, como também de aproveitar o desenvolvimento da área para o crescimento do grupo.

“Vemos Sines com um potencial muito grande em termos do desenvolvimento industrial e tecnológico. A cidade está num forte crescimento em todas essas áreas, [pelo que] temos uma oportunidade de desenvolvimento da nossa marca nessa cidade e do nosso crescimento”, explica Emanuel Freitas.

Crescimento de receitas de 20% face a 2022 motiva novas remodelações

Outra das novidades do grupo AP Hotels & Resorts passa pelo Hotel Lago Montargil Villas, que o grupo adquiriu no final de dezembro de 2023 e que passa agora a designar-se AP Lago Montargil Conference and Spa. Emanuel Freitas explica que neste momento estão a fazer “pequenas remodelações e adaptações à marca AP”, com o intuito de criar um produto cinco estrelas virado não só para empresas, como também para famílias e crianças.

Já o AP Lisboa, a primeira unidade do grupo hoteleiro na capital, só deverá abrir em 2025, apesar de o grupo ter estimado o ano passado que a abertura decorreria ainda este ano.

Em entrevista ao Publituris, Emanuel Freitas deu conta que o grupo cresceu em receitas no ano passado “acima de 20% relativamente a 2022”, pelo que “o forte desenvolvimento que temos feito em termos da melhoria das unidades hoteleiras tem sido o reflexo deste aumento”.

Em Cabanas de Tavira, a unidade hoteleira do grupo que fechou em novembro do ano passado para remodelações vai reabrir com 340 quartos, por oposição aos anteriores 274 quartos. Já no AP Maria Nova Lounge Hotel, a intervenção prevista para terminar “daqui a mais duas semanas” vai acrescentar mais seis quartos no piso das suites.

Por fim, em novembro deste ano, o grupo vai acrescentar mais uma suite e quatro unidades de alojamento ao AP Oriental, além de estar a analisar a ampliação do recente AP Dona Aninhas para cerca de mais 30 quartos, entre outubro e novembro.

Sobre o autorCarla Nunes

Carla Nunes

Mais artigos
Destinos

Maioria dos visitantes dos Açores fica satisfeita e 87,1% recomendam o destino

De acordo com o mais recente Inquérito  de Satisfação do Turista nos Açores, a maioria dos turistas que visitou os Açores “expressou grande satisfação com o destino em geral, correspondendo este às suas expectativas” e 69,5% apresenta intenção de regressar.

Publituris

O mais recente Inquérito  de Satisfação do Turista nos Açores, conduzido pelo Observatório do Turismo dos Açores, apurou que a maioria dos visitantes do arquipélago sente-se satisfeita com o destino e 87,1% recomendariam mesmo os Açores a amigos e familiares.

O estudo, que abrangeu 1728 inquéritos válidos, procurou saber quem são os turistas que visitaram os Açores na época alta de 2023, abrangendo desde a caraterização dos indivíduos até à avaliação da viagem e satisfação.

Entre as principais conclusões está a satisfação com o destino, uma vez que 64,57% da amostra “expressou grande satisfação com o destino em geral, correspondendo este às suas expectativas”, sendo que 87,1% recomendaria o destino Açores a amigos e familiares e 69,5% apresenta intenção de regressar.

Entre os principais motivos de satisfação estão os recursos naturais, a paisagem, a tranquilidade e a segurança, que apresentam níveis elevados, com 65,3% da amostra a considerar que o preço do destino Açores, “em termos de caraterização e avaliação da viagem, é justo”.

O turista que visitou os Açores no verão de 2023 quis “maioritariamente visitar o arquipélago por recomendação de amigos e familiares, mas também pelo conhecimento do destino através da internet e das redes sociais” e “optou maioritariamente por Alojamento Local, em termos de tipologia de alojamento, sendo que está satisfeito com a relação preço/qualidade do mesmo”.

No entanto, o visitante também observa que “há necessidade de melhorias nos serviços de restauração, na agenda de eventos culturais, gastronómicos e/ou desportivos, bem como nos serviços de transportes públicos terrestres (táxis e autocarros)”.

Entre os entrevistados, 69,8% afirma que foi a primeira vez que visitaram o arquipélago e a maioria dos turistas, 78,9%, não optou por pacote turístico, tendo viajado através das companhias aéreas Azores Airlines e Tap Portugal, estando satisfeitos com a relação qualidade/preço da viagem.

Os visitantes parecem, contudo, ter pouco conhecimento sobre o facto dos Açores serem o primeiro e único arquipélago no mundo com certificação internacional de destino sustentável, já que 75,4% não conheciam a distinção.

Este relatório apurou ainda que, ao nível da caracterização, a maioria dos visitantes estava na faixa etária entre os 25 e 54 anos, e 82,4% residiam no estrangeiro, com destaque para as nacionalidades alemã, espanhola e americana.

A maioria eram profissionais liberais, 46,1% viajaram para o destino Açores em casal e 18,8% da amostra tinha um rendimento líquido mensal do agregado familiar superior a 8000 euros, sendo esta a faixa de rendimentos com maior número de respondentes.

Sobre o autorPublituris

Publituris

Mais artigos
Aviação

Aviação viveu ano mais seguro da última década em 2023

De acordo com o Relatório Anual de Segurança da IATA – Associação Internacional de Transporte Aéreo, no ano passado, apenas se registou um acidente fatal em 1,26 milhões de voos, a taxa mais baixa dos últimos 10 anos.

Publituris

2023 foi o ano mais seguro da última década na aviação, apurou o Relatório Anual de Segurança da IATA – Associação Internacional de Transporte Aéreo, que diz que, no ano passado, se registou apenas um acidente em 1,26 milhões de voos, a taxa mais baixa dos últimos 10 anos.

“Não houve perdas de casco ou acidentes fatais envolvendo aeronaves a jato de passageiros em 2023”, acrescenta a associação, num comunicado divulgado esta quarta-feira, 28 de fevereiro.

Os dados do relatório da IATA mostram que, em 37 milhões de movimentos de aeronaves em 2023, que corresponderam a mais 17% face ao ano anterior, houve apenas um acidente fatal com uma aeronave turboélice.

No ano passado, também o risco de mortalidade melhorou, num rácio que passou de 0,11 em 2022 para 0,03 em 2023, o que quer dizer que, “com este nível de segurança, em média, uma pessoa teria que viajar de avião todos os dias durante 103.239 anos para sofrer um acidente fatal”.

Nenhuma das companhias aéreas da IATA registou qualquer acidente fatal e, no total, houve apenas registo de uma ocorrência com um aparelho turboélice, o que, diz a associação, representa uma melhoria positiva em relação aos cinco acidentes fatais registados em 2022 e à média dos últimos cinco anos (2019-2023), que era de cinco fatalidades.

“O desempenho de segurança de 2023 continua a demonstrar que voar é o meio de transporte mais seguro. A aviação dá maior prioridade à segurança e isso ficou evidente no desempenho de 2023”, congratula-se Willie Walsh, diretor-geral da IATA.

 

Sobre o autorPublituris

Publituris

Mais artigos
PUB
PUB
PUB
PUB
PUB
PUB
PUB
PUB
PUB
PUB
PUB
PUB

Navegue

Sobre nós

Grupo Workmedia

Mantenha-se informado

©2021 PUBLITURIS. Todos os direitos reservados.