Edição digital
Assine já
PUB

OLYMPUS DIGITAL CAMERA

Aviação

Qualidade de serviço do Aeroporto do Porto volta a ser reconhecida

O Aeroporto do Porto sobe mais uma vez ao pódio no ranking ACI (Airport Council International), pela sua qualidade de serviço, seguindo-se outros três da rede VINCI: Belgrado (Sérvia), Guanacaste (Costa Rica) e Puerto Plata (República Dominicana), considerados os melhores na sua categoria e região.

Publituris

OLYMPUS DIGITAL CAMERA

Aviação

Qualidade de serviço do Aeroporto do Porto volta a ser reconhecida

O Aeroporto do Porto sobe mais uma vez ao pódio no ranking ACI (Airport Council International), pela sua qualidade de serviço, seguindo-se outros três da rede VINCI: Belgrado (Sérvia), Guanacaste (Costa Rica) e Puerto Plata (República Dominicana), considerados os melhores na sua categoria e região.

Publituris
Sobre o autor
Publituris
Artigos relacionados
Algarve conquista prémio de melhor destino europeu de praia nos WTA.
Destinos
Lisboa eleita Melhor Destino Urbano da Europa nos World Travel Awards
Destinos
19 e 20 de outubro: Termas de Portugal vão a congresso nas Caldas da Rainha
Meeting Industry
Agosto com recorde de 10 milhões de dormidas
Destinos
19ª Convenção GEA já tem data, mas falta anunciar local
Distribuição
Top Atlântico tem novas lojas
Agências
Os 5 melhores locais para mergulho em Portugal para promover o turismo de mergulho
Destinos
Small Portuguese Hotels integra mais três hotéis
Alojamento
CLIA foi ao Parlamento dar a conhecer medidas de sustentabilidade dos cruzeiros
Transportes
Governo aprova redução de 30% nas portagens eletrónicas no interior e onde não há alternativas
Destinos

Este ano, a VINCI Airports conseguiu colocar quatro aeroportos da sua rede entre os melhores do mundo em termos de qualidade de serviço no ranking ACI (Airport Council International), que é a referência mundial para a qualidade de serviço aeroportuário.

Os aeroportos do Porto, de Belgrado, na Sérvia, Guanacaste, na Costa Rica e Puerto Plata, na República Dominicana, foram considerados os melhores aeroportos da sua região (“ASQ Best airport by size and region” award).

O ACI atribuiu ainda o prémio do “aeroporto mais amigável” e da “equipa mais empenhada” ao aeroporto de Belgrado, e a “melhor jornada do passageiro” ao aeroporto de Guanacaste. Adicionalmente, no Japão, o aeroporto internacional de Osaka, também da VINCI Airports, foi recentemente distinguido pela sua pontualidade (OAG).

Estes prémios, refere a VINCI Airports em nota de imprensa, ilustram a sua capacidade “em manter o seu desempenho em termos de qualidade de serviço, apesar de um contexto de recuperação muito dinâmico”, tendo duplicado o tráfego de passageiros, entre 2021 e 2022, com 209 milhões de pessoas.

Sobre o autorPublituris

Publituris

Mais artigos
Artigos relacionados
Algarve conquista prémio de melhor destino europeu de praia nos WTA.
Destinos
Lisboa eleita Melhor Destino Urbano da Europa nos World Travel Awards
Destinos
19 e 20 de outubro: Termas de Portugal vão a congresso nas Caldas da Rainha
Meeting Industry
Agosto com recorde de 10 milhões de dormidas
Destinos
19ª Convenção GEA já tem data, mas falta anunciar local
Distribuição
Top Atlântico tem novas lojas
Agências
Os 5 melhores locais para mergulho em Portugal para promover o turismo de mergulho
Destinos
Small Portuguese Hotels integra mais três hotéis
Alojamento
CLIA foi ao Parlamento dar a conhecer medidas de sustentabilidade dos cruzeiros
Transportes
Governo aprova redução de 30% nas portagens eletrónicas no interior e onde não há alternativas
Destinos
PUB
Aviação

Air Serbia abre voos sazonais para o Porto a 10 de novembro

A rota sazonal da Air Serbia arranca a 10 de novembro e vai contar com dois voos por semana, às segundas e sextas-feiras, até 29 de março de 2024.

Publituris

A Air Serbia anunciou esta quinta-feira, 28 de setembro, que vai abrir uma rota sazonal para o Porto a partir de 10 de novembro, ligando Belgrado à cidade Invicta, numa operação com dois voos por semana, informou a companhia aérea da Sérvia.

Os voos entre Belgrado, capital da Sérvia, e o Porto vão decorrer às segundas e sexta-feiras, têm 03h45 de duração e vão ser operados num avião Airbus A319, com capacidade para 144 passageiros.

Às segundas-feiras, as partidas de Belgrado estão agendadas para as 13h50, chegando ao Porto às 16h35, enquanto em sentido contrário as partidas da cidade Invicta são às 17h35, chegando à capital da Sérvia às 22h00.

Já às sextas-feiras, os voos partem da capital sérvia pelas 07h50 e chegam ao Porto às 10h35, estando a partidas da cidade portuguesa agendadas para as 11h30, com chegada a Belgrado pelas 15h55, sempre em horários locais.

Os voos da Air Serbia entre Belgrado e o Porto vão decorrer até 29 de março de 2024 e já se encontram disponíveis para reserva.

Para assinalar o anúncio da abertura da nova rota, a companhia aérea vai ter, nos próximos 13 dias, uma oferta especial para as primeiras reservas.

Sobre o autorPublituris

Publituris

Mais artigos
Aviação

Governo aprova venda direta da TAP e quer alienar pelo menos 51% da companhia aérea

Segundo Fernando Medina, ministro das Finanças, a percentagem do capital da companhia aérea que será alienada ainda não está definida, mas o objetivo é vender a transportadora em 2024, com preferência pelas empresas do setor.

Publituris

O Governo aprovou esta quinta-feira, 28 de setembro, o decreto-lei de privatização da TAP e que prevê a venda direta de, pelo menos, 51% do capital da companhia aérea, revelou Fernando Medina, ministro das Finanças, na conferência de imprensa que decorreu após o Conselho de Ministros.

“Não está ainda definido se será privatizado 51%, 60%, 70%, 80% ou, até como o senhor primeiro-ministro já admitiu, 100%”, afirmou o governante, explicando que a percentagem a privatizar será determinada de acordo com o cumprimento dos objetivos estratégicos definidos pelo executivo.

Fernando Medina, que participou na conferência de imprensa ao lado de João Galamba, ministro das Infraestruturas, explicou que o objetivo do Governo é concluir a privatização em 2024, ainda que isso esteja dependente da negociação com a Comissão Europeia.

O governante garantiu ainda que o crescimento e desenvolvimento do hub de Lisboa será um dos critérios tidos em conta para a escolha do futuro comprador da TAP e que a preferência do executivo vai para as empresas do setor.

Após a conferência de imprensa, o Conselho de Ministros emitiu um comunicado que também adianta algumas informações sobre a venda da transportadora de bandeira nacional, nomeadamente o facto da modalidade escolhida para a alienação de capital ser a venda direta.

“Entende-se que esta modalidade é a que melhor salvaguarda o interesse nacional, indo ao encontro da estratégia definida para o setor, assente numa maior estabilidade da estrutura acionista e na preservação do valor e da importância da companhia para o país”, explica a informação divulgada.

O processo de privatização contempla também os trabalhadores da companhia aérea, uma vez que está prevista “uma oferta pública de venda dirigida exclusivamente a trabalhadores da TAP”, que deverá ser de 5% do capital.

No comunicado do Conselho de Ministros, o Governo diz ainda que “o processo de reprivatização foi precedido de uma avaliação prévia da empresa, concretizada por duas entidades independentes” e que o mesmo “não prejudica a vigência do plano de reestruturação da TAP aprovado pela Comissão Europeia, o qual tem um horizonte temporal até 31 de dezembro de 2025”.

A privatização da TAP volta a ser tema oito anos depois da primeira venda da companhia aérea, que aconteceu em 2015, quando o Governo de Pedro Passos Coelho alienou 61% do capital da TAP ao consórcio Atlantic Gateway, liderado por Humberto Pedrosa e David Neeleman.

Sobre o autorPublituris

Publituris

Mais artigos
Aviação

Portugal voltou a ser o segundo mercado para a Transavia no pico do verão

Em Lisboa a propósito do World Aviation Festival, Nicolas Henin, vice-presidente da Transavia France, falou com o Publituris e fez um balanço positivo do último verão em Portugal, revelando que o mercado nacional continua a ser dos mais importantes para a companhia aérea de baixo custo do grupo Air France/KLM.

Inês de Matos

A Transavia volta a fazer um balanço positivo do verão em Portugal e, segundo Nicolas Henin, vice-presidente da Transavia France, Portugal voltou a ser um dos “principais mercados” para a companhia aérea de baixo custo do grupo Air France/KLM, que registou níveis de ocupação semelhantes aos do período pré-pandemia.

“De uma forma geral, tivemos um verão muito bom. Vemos que os viajantes estão realmente de regresso e tivemos níveis de ocupação similares aos do período pré-COVID-19, ou seja, em volta dos 90% de load factor ao longo de todo o verão”, disse o responsável ao Publituris.

Segundo Nicolas Henin, que esteve em Lisboa a propósito do World Aviation Festival, que decorreu até esta quinta-feira, 28 de setembro, na FIL, “no ano passado, Portugal tinha sido o segundo mercado para a Transavia durante o pico do verão e, este ano, continuo a ser assim”.

“Espanha deverá ser o principal mercado para a Transavia França e Países Baixos, e, depois, vem Portugal. Penso que, do lado francês, Portugal é mesmo o maior mercado em termos de lugares, nomeadamente na rota entre o Porto e Paris. Portugal tem sido, desde sempre, um dos mercados chave para a companhia aérea e, apesar de termos crescido muito, continuamos a ver que o tráfego é muito forte e que Portugal continua a ser um dos nossos principais mercados na Europa. Estamos muito contentes com os resultados em Portugal”, congratulou-se Nicolas Henin.

Além de Portugal, a Transavia está satisfeita com a procura registada a nível global durante o período de verão, com o vice-presidente da Transavia France a revelar que a companhia aérea “teve um verão muito bom” e que, nos meses de pico, concretamente em julho e agosto, transportou “mais 20% de passageiros face ao ano anterior”.

“Vemos que a procura voltou ao normal, as pessoas estão a viajar e isso representa um grande sucesso para nós”, acrescentou Nicolas Henin, que se mostra também confiante relativamente à temporada de inverno, até porque a companhia aérea continuou a assistir a uma “procura muito forte” imediatamente após o verão.

Segundo Nicolas Henin, em setembro, o load factor da Transavia continuou em torno dos 90%, com a companhia aérea a registar já “uma procura forte para o inverno”.

“A procura para o inverno continua a ser forte. Nestes meses pós-verão de setembro e outubro, vimos que a procura continuou muito forte e que o pico do verão se tem vindo a estender para os meses seguintes. Por isso, em setembro, acabámos por ter também um load factor em torno dos 90% nos nossos voos e vemos que continua a haver uma procura forte para o inverno, as pessoas já estão a reservar para os meses de novembro ou dezembro e, até ao momento, não vemos um abrandamento”, explicou o responsável.

 

Sobre o autorInês de Matos

Inês de Matos

Mais artigos
Aviação

Ryanair reduz calendário de inverno devido a atrasos na entrega de aviões, incluindo no Porto

A base do Porto deverá ser uma das que vão ser afetadas por cortes na operação de inverno, devido aos atrasos a que a Ryanair está a assistir na entrega dos novos aviões Boeing B737.

Publituris

A Ryanair reduziu o seu calendário de voos para a temporada de inverno devido aos atrasos na entrega dos aviões Boeing, num corte de operação que vai afetar também a base da companhia aérea low cost no Porto, informou a transportadora em comunicado.

Segundo a Ryanair, entre setembro e dezembro, a companhia aérea esperava receber 27 aparelhos Boeing, no entanto, devido a “atrasos na produção nas instalações da Spirit Fuselage em Wichita, combinados com reparos da Boeing e atrasos na entrega em Seattle”, a transportadora vai apenas receber 14 aparelhos entre outubro e dezembro.

“A Ryanair está a trabalhar com a Boeing para tentar acelerar as entregas no período de janeiro a maio de 2024, para que possa entrar na alta temporada de viagens do verão de 2024 com todas as entregas de 57 novas aeronaves Boeing, conforme esperado”, explica a companhia aérea.

Os atrasos nas entregas de aviões da Boeing levaram a Ryanair a ajustar e reduzir o seu calendário de inverno, o que prevê cortes na operação nas bases de Charleroi, que vai ter menos três aviões baseados, assim como em Dublin (menos dois aviões), e em quatro bases italianas, incluindo Bérgamo, Nápoles e Pisa, que vão ter menos cinco aviões que no último inverno.

Os cortes na operação de inverno da Ryanair chegam também a Portugal, com a companhia aérea a revelar que “haverá também reduções de aeronaves em East Midlands, Porto e Colónia”.

Apesar de dizer que estas reduções são “inevitáveis”, a Ryanair pede desculpa aos seus passageiros e explica que “não tem aeronaves sobressalentes neste inverno, uma vez que é necessária a manutenção programada” em toda a frota da transportadora, que conta com mais de 550 aeronaves, de forma a que todos os aparelhos “estejam operacionais para o seu maior horário de verão de 2024”.

“Estamos trabalhando em estreita colaboração com a Boeing e seu fornecedor, Spirit, para minimizar esses atrasos nas entregas. É profundamente lamentável que problemas de produção em Wichita e em Seattle tenham atrasado mais uma vez as entregas contratadas da Boeing à Ryanair neste inverno. Mantemos um diálogo regular com a Boeing e o nosso principal objetivo é garantir a entrega de todas as 57 aeronaves B737 contratadas antes do final de maio de 2024”, refere Michael O’Leary, CEO do grupo Ryanair.

De acordo com o responsável, o cancelamento de voos vai acontecer a partir de final de outubro, altura em que arranca o inverno IATA, e vão ser comunicados aos passageiros afetados, por e-mail, ao longo dos próximos dias, com a Ryanair a garantir que os passageiros vão poder optar entre voos alternativos ou o reembolso total.

Michael O’Leary espera, contudo, que os cortes não venham a afetar a meta de tráfego anual da transportadora, que prevê transportar 183,5 milhões de passageiros, mas diz que, se os atrasos se mantiverem e continuarem a existir entre janeiro e março de 2024, a Ryanair poderá “ter que rever este número e possivelmente ajustar ligeiramente para baixo”.

 

 

Sobre o autorPublituris

Publituris

Mais artigos

DR: Newsavia

Aviação

TAP: CEO diz ser “grande defensor da privatização”

Durante uma intervenção no World Aviation Festival, que está a decorrer em Lisboa, o CEO da TAP, Luís Rodrigues, mostrou-se confiante no sucesso da privatização da companhia aérea, cujo decreto-lei que vai detalhar a privatização deverá ser aprovado esta quinta-feira, 28 de setembro, em Conselho de Ministros.

Publituris

O CEO da TAP, Luís Rodrigues, afirmou esta quarta-feira, 27 de setembro, que é “um grande defensor da privatização” da companhia aérea de bandeira nacional, cujo processo, acredita, “vai correr bem”.

“Acho que vai correr bem. Eu sou um grande defensor da privatização, não há dúvidas disso”, afirmou Luís Rodrigues, durante uma intervenção no World Aviation Festival, que está a decorrer em Lisboa e no qual a TAP é a companhia aérea oficial.

O CEO da TAP mostrou-se confiante no sucesso da privatização da companhia aérea, cujo decreto-lei que vai detalhar a privatização deverá ser aprovado esta quinta-feira, 28 de setembro, em Conselho de Ministros.

“Amanhã [quinta-feira] deverá ser um grande dia”, acrescentou o responsável, citado pela Lusa, reconhecendo hoje que “há sempre um passo depois do outro” nesse sentido.

O responsável da empresa sublinhou que esses passos estão a ser dados e que espera que “algures no próximo ano, já tenha sido feito um bocadinho mais”.

Sobre o autorPublituris

Publituris

Mais artigos
Aviação

Ryanair lança promoção de Natal com bilhetes desde 24,99 euros

A promoção de Natal da Ryanair apresenta preços desde 24,99 euros e é válida para vendas até 31 de outubro, cujas viagens decorram entre 15 de dezembro e 7 de janeiro.

Publituris

A Ryanair lançou uma nova promoção, desta vez, dedicada ao Natal, na qual está a disponibilizar preços desde 24,99 euros para viagens entre 15 de dezembro e 7 de janeiro, cujas vendas decorram até 31 de outubro, através do site da companhia aérea.

“A Ryanair tem o prazer de anunciar um presente de Natal antecipado para os nossos clientes com o lançamento da nossa alegre promoção de lugares, com tarifas disponíveis a partir de 24,99€ para viagens entre 15 de dezembro e 7 de janeiro. Na Ryanair nunca é demasiado cedo para conseguir uma pechincha de Natal”, afirma Jade Kirwan, chefe de comunicação da Ryanair.

A nova promoção da Ryanair está disponível para vendas até 31 de outubro, através do website da companhia aérea, que pode ser consultado aqui.

 

Sobre o autorPublituris

Publituris

Mais artigos
Aviação

Air France-KLM encomenda 50 Airbus A350

O grupo Air France-KLM encomendou, recentemente, 50 Airbus A350 com as entregas previstas entre 2026 e 2030.

Victor Jorge

O grupo Air France-KLM acaba de realizar uma encomenda de 50 Airbus A350, juntando-lhe os direitos de compra para mais 40 aeronaves, com o objetivo de acelerar a renovação da frota de longo curso, tornando-se, assim, no operador com mais aviões da família A350.

A encomenda dos novos aviões abrange os A350-900 e A350-1000 que deverão ser entregues entre 2026 e 2030, considerando o grupo que “esta será uma ordem evolutiva, proporcionando flexibilidade para alocar aeronaves dentro do portfólio de companhias aéreas, de acordo com a dinâmica do mercado e as condições regulatórias locais”.

Benjamin Smith, CEO da Air France-KLM, refere que este novo pedido será “um passo importante na renovação da frota do grupo. O Airbus A350 é uma aeronave de última geração com um excelente histórico na Air France, onde se tornou rapidamente um favorito entre passageiros e tripulantes desde a sua entrada em serviço em 2019. É a solução perfeita para as necessidades da rede do grupo e apresenta desempenhos excecionais”. Para o responsável máximo da Air France-KLM, trata-se de uma aeronave “mais silenciosa, mais eficiente em termos de combustível e mais económica em comparação com gerações anteriores”, admitindo que será “fundamental para ajudar o grupo a atingir as ambiciosas metas de sustentabilidade, incluindo -30% de emissões de CO2 por passageiro-quilómetro até 2030”.

As novas aeronaves irão substituir os Airbus A330 e os Boeing 777, somando-se a atual encomenda a uma já existente de 41 A350-900 feita para a Air France, dos quais 22 aviões já foram entregues.

Além da encomenda destas aeronaves, a Air France-KLM também será um dos primeiros clientes dos Airbus A350 Full Freighter, tendo encomendado oito destas aeronaves para renovar e expandir a frota de carga.

Com estas encomendas conjuntas, totalizando até 99 aviões, a Air France-KLM tornar-se-á no maior operador a utilizar a família A350.

O grupo informa ainda que, até 2028, a quota de aviões de nova geração da Air France-KLM ascenderá a 64%, comparado com os 5% em 2019.

Até 25 de setembro, a Air France-KLM operava uma frota de 533 aeronaves para mais de 300 destinos em todo o mundo. Com o atual acordo, o grupo terá mais de 220 aeronaves encomendadas, incluindo 100 aeronaves da família Airbus A320neo, com as primeiras entregas previstas para o final de 2023.

Sobre o autorVictor Jorge

Victor Jorge

Mais artigos
Aviação

TAP anuncia maior operação de sempre para a América do Norte em 2024

Em 2024, as rotas da TAP para “Toronto e São Francisco vão ter um aumento de frequências”, passando de 10 para 13 voos por semana, bem como de cinco para seis, respetivamente.  

Publituris

A TAP anunciou que, em 2024, vai contar com a maior operação de sempre para a América do Norte, disponibilizando 91 voos semanais para os EUA e Canadá, para onde a companhia aérea de bandeira nacional já transportou, este ano, mais de um milhão de passageiros.

De acordo com um comunicado da TAP, em 2024, as rotas para “Toronto e São Francisco vão ter um aumento de frequências”, passando de 10 para 13 voos por semana, bem como de cinco para seis, respetivamente.

Na informação avançada pela TAP, a companhia aérea de bandeira nacional lembra que realizou o seu primeiro voo para a América do Norte há 54 anos, em 1969, com destino a Nova Iorque, mas, desde então, a operação cresceu e conta, atualmente, com rotas a partir de Lisboa e do Porto para sete cidades dos EUA – Nova Iorque, Newark, Boston, Washington, Chicago, São Francisco, Miami – e para duas do Canadá – Toronto e Montreal.

No caso da América do Norte, a TAP alcançou, a 24 de setembro, a marca de um milhão de passageiros transportados este ano, número que representa um crescimento de 23% em comparação com o mesmo período do ano anterior.

Além da América do Norte, a TAP também já tinha transportado, este ano, mais de um milhão de passageiros para o Brasil, num marco que foi atingido em julho e que, neste caso, representou um crescimento de 30% face ao mesmo período do ano passado.

No caso do Brasil, a TAP também tem previsto um aumento de operação, que entra em vigor já a partir de outubro, prevendo-se que aumentem para 81 voos por semana as ligações que a companhia aérea realiza para os 11 destinos que serve no Brasil, número que deverá voltar a subir em 2024, chegando aos 91 voos por semana.

 

Sobre o autorPublituris

Publituris

Mais artigos
Agenda

Angola recebe Conferência Internacional da AASA

A 53.ª edição da Assembleia-geral da Airlines Association of Southern Africa (AASA) será realizada em Luanda (Angola), de 5 a 8 de outubro, reunindo várias delegações internacionais.

Publituris

Angola é o país anfitrião da 53.ª edição da Assembleia-geral da Airlines Association of Southern Africa (AASA), um evento de referência no setor da aviação e que vai refletir sobre o desenvolvimento da aviação comercial em África.

Este certame, anual, que terá a TAAG – Linhas Aéreas de Angola como coorganizadora, realiza-se pela primeira vez em Angola, reunindo companhias aéreas, reguladores, fabricantes, provedores de serviços, investidores, representações diplomáticas e entidades governamentais.

Este evento é uma plataforma privilegiada de networking e de reforço de relações entre os players da indústria, proporcionando ao ecossistema da aviação angolana, e ao país, a oportunidade de promover as suas valências junto da comunidade internacional.

O dia 6 de outubro, em particular, está reservado para a realização do ciclo de conferências/debate que vai juntar mais de 200 delegados e decisores de topo da indústria da aviação, com várias temáticas em agenda, nomeadamente: ambiente concorrencial, conectividade, financiamento, supply chain, custos operacionais, aspetos regulatórios, crescimento e sustentabilidade das companhias aéreas africanas. A AASA é uma associação regional que agrega as companhias aéreas africanas baseadas a sul do Equador, atuando como representante junto do Comité da Aviação Civil da SADC (Southern Africa Development Community).

Atualmente, a AASA conta com 16 companhias aéreas como membros, nomeadamente: TAAG, Air Austral, Air Botswana, Airlink, Air Zimbabwe, Congo Airways, Eswatini Air, Federal Airlines, FlyCobra, FlySafair, LAM Mozambique Airlines, LIFT, Mango Airlines, Mozambique Express, Proflight Zambia e South African Airways.

Além das companhias aéreas, a AASA conta também com 35 membros associados de setores direta ou indiretamente ligados a aviação. A AASA tem participação regular e contribuições junto da ICAO (International Civil Aviation Organization) e IATA (International Air Transport Association) em torno das matérias relacionadas com a região da África Austral.

Sobre o autorPublituris

Publituris

Mais artigos

Christian Scherer

Aviação

Airbus tem novo CEO para o negócio de aviões comerciais

O novo cargo de CEO para o negócio de aviões comerciais passou a ser desempenhado por Christian Scherer, que vai reportar diretamente ao CEO do construtor aeronáutico europeu, Guillaume Faury.

Publituris

A Airbus anunciou um novo CEO para o negócio de aviões comerciais, cargo que passou a ser desempenhado por Christian Scherer, que vai reportar diretamente ao CEO do construtor aeronáutico europeu, Guillaume Faury.

Num comunicado enviado à imprensa, a Airbus explica que, desde 2019, que as funções de liderança e do negócio de aviões comerciais estavam juntas, o que permitiu à empresa ter maior capacidade de decisão durante um período que foi marcado por “múltiplas crises e mudanças”.

Agora, a empresa decidiu separar ambas as funções e, segundo Guillaume Faury, CEO da Airbus, a nomeação de um CEO para o negócio dos aviões comerciais vai permitir à empresa “focar-se no sucesso de negócio de aeronaves comerciais”, libertando o CEO do construtor aeronáutico para liderar a empresa num “ambiente global complexo e em rápida evolução”.

“O Christian e eu temos trabalhado de mãos dadas nos últimos cinco anos e continuaremos a fazê-lo nesta nova configuração. Admiro a perspicácia empresarial de Christian e estou feliz em avançar com ele para cumprir as ambições da Airbus”, acrescenta o responsável.

Já Christian Scherer afirma que é “uma honra e uma emoção ser chamado para liderar” o negócio de aviões comerciais da Airbus, especialmente num “momento tão crítico” para a indústria aviação.

“Colocarei a minha paixão e a da equipa Airbus ao serviço dos nossos clientes para cumprir os nossos objetivos operacionais enquanto trabalhamos para consolidar o nosso sucesso, melhorar continuamente e preparar o futuro dos nossos produtos e serviços. Ao fazê-lo, trabalharemos em estreita colaboração com os nossos parceiros e fornecedores em todo o mundo no nosso roteiro comum para descarbonizar a aviação”, acrescenta o responsável.

A nova estrutura organizacional vai ser estabelecida nos próximos meses, com o objetivo de entrar em funcionamento em modo de projeto a partir de 1 de janeiro de 2024.

Sobre o autorPublituris

Publituris

Mais artigos
PUB
PUB
PUB
PUB
PUB
PUB
PUB
PUB
PUB
PUB
PUB
PUB

Navegue

Sobre nós

Grupo Workmedia

Mantenha-se informado

©2021 PUBLITURIS. Todos os direitos reservados.