Edição digital
Assine já
PUB
Transportes

TAP garante “medidas de contenção e remediação adequadas” para proteger empresa e clientes de ciberataque

Companhia aérea nacional diz que continua a tomar “todas as medidas de contenção e remediação adequadas para proteger” a empresa e clientes, depois do grupo responsável pelo ataque de 25 de agosto ter alegado que obteve dados de clientes da TAP.

Publituris
Transportes

TAP garante “medidas de contenção e remediação adequadas” para proteger empresa e clientes de ciberataque

Companhia aérea nacional diz que continua a tomar “todas as medidas de contenção e remediação adequadas para proteger” a empresa e clientes, depois do grupo responsável pelo ataque de 25 de agosto ter alegado que obteve dados de clientes da TAP.

Publituris
Sobre o autor
Publituris
Artigos relacionados
Bairro Alto Hotel nomeia nova diretora-geral
Alojamento
“Vê-se mesmo que são do Norte” ganha bronze nos New York Festivals
Destinos
Macau regista mais de 8,8 milhões de visitantes no primeiro trimestre do ano
Destinos
INE lança plataforma interativa para estatísticas do Transporte Aéreo
Destinos
Presidente da Emirates explica consequências da tempestade e garante normalidade dentro de “mais alguns dias”
Aviação
Mais de 1,5 milhões de passageiros sofreram atrasos nos aeroportos portugueses no 1.º trimestre de 2024
Transportes
NH Hotel Group passa a designar-se Minor Hotels Europe & Americas
Hotelaria
AHRESP revela finalistas da sua 8ª edição de prémios esta terça-feira
Restauração
Rethinking Organizations: as diferentes visões sobre o Futuro das Organizações no QSP SUMMIT 2024
United Hotels of Portugal promove-se no Brasil
Hotelaria

A TAP veio esta quarta-feira, 31 de agosto, garantir que está a tomar “todas as medidas de contenção e remediação adequadas para proteger a empresa e os seus clientes” de ciberataques, como o que a companhia diz ter bloqueado a 25 de agosto.

O esclarecimento da companhia aérea de bandeira nacional surge depois do grupo alegadamente responsável pelo ciberataque de 25 de agosto ter alegado o roubo de dados de clientes da TAP, ao contrário do que a companhia aérea garantia a 26 de agosto, quando afirmava que “os mecanismos de segurança da TAP foram prontamente acionados e os acessos indevidos bloqueados”.

Agora, o grupo alegadamente responsável pelo ciberataque veio partilhar informação que prova que terá conseguido mesmo chegar aos dados dos clientes da companhia aérea, o que levou a TAP a garantir que está a tomar “todas as medidas de contenção e remediação adequadas para proteger” a empresa e os clientes, com a ajuda de “uma entidade externa internacional e em articulação com as autoridades”.

Recorde-se que a TAP admitiu, a 26 de agosto, que tinha sido alvo de um ciberataque na noite de 25 de agosto, garantindo, contudo, que “a integridade operacional” estava assegurada, pelo que não existia “qualquer risco para a segurança de voo”.

Na mesma informação, a companhia de bandeira nacional afirmava ainda que não tinha sido “apurado qualquer facto que permita concluir ter havido acesso indevido a dados de clientes”, garantindo ainda que “o plano de contingência da TAP” continuava ativo e que a companhia estava “a trabalhar em articulação com as autoridades com competências nesta matéria”.

 

Sobre o autorPublituris

Publituris

Mais artigos
Artigos relacionados
Bairro Alto Hotel nomeia nova diretora-geral
Alojamento
“Vê-se mesmo que são do Norte” ganha bronze nos New York Festivals
Destinos
Macau regista mais de 8,8 milhões de visitantes no primeiro trimestre do ano
Destinos
INE lança plataforma interativa para estatísticas do Transporte Aéreo
Destinos
Presidente da Emirates explica consequências da tempestade e garante normalidade dentro de “mais alguns dias”
Aviação
Mais de 1,5 milhões de passageiros sofreram atrasos nos aeroportos portugueses no 1.º trimestre de 2024
Transportes
NH Hotel Group passa a designar-se Minor Hotels Europe & Americas
Hotelaria
AHRESP revela finalistas da sua 8ª edição de prémios esta terça-feira
Restauração
Rethinking Organizations: as diferentes visões sobre o Futuro das Organizações no QSP SUMMIT 2024
United Hotels of Portugal promove-se no Brasil
Hotelaria
PUB

Foto: Depositphotos.com

Destinos

INE lança plataforma interativa para estatísticas do Transporte Aéreo

A nova plataforma interativa do INE vai passar a integrar “os indicadores mensais disponíveis mais relevantes das estatísticas de transporte aéreo”.

O Instituto Nacional de Estatística (INE) lançou na passada quinta-feira, 18 de abril, uma plataforma interativa que passa a integrar “os indicadores mensais disponíveis mais relevantes das estatísticas de transporte aéreo”.

Num comunicado publicado no website do INE, explica-se que esta plataforma interativa “é um relatório interativo de divulgação, com
o objetivo de proporcionar uma visão abrangente de um conjunto de indicadores selecionados no âmbito do transporte aéreo”.

“A Plataforma Interativa das Estatísticas do Transporte Aéreo agora disponibilizada pelo INE, oferece uma visualização global para um conjunto de indicadores selecionados, que podem ser visualizados em duas páginas distintas: uma apresenta os valores mensais e outra os valores mensais acumulados”, refere o INE.

A plataforma disponibiliza “indicadores globais, como o número de aeronaves aterradas, o número de passageiros movimentados e a quantidade de carga e correio movimentados”, assim como indicadores detalhados, nomeadamente por sentido, por tipo de tráfego e por natureza do tráfego.

Na parte interativa, também também é possível visualizar o relatório “em forma tabular e gráfica”, sendo que a plataforma permite igualmente a “extração direta das tabelas e dos gráficos”.

A informação mais específica referente aos dados apresentados pode ainda ser consultada na página “Notas e Extração de Dados”, onde é possível ver “os indicadores diretamente das Bases de Dados, consultar a metainformação correspondente ou ser redirecionado para a página do Portal do INE e para o Tema: Transportes > Transportes aéreos, que contém toda a informação publicada sobre esta temática”.

Sobre o autorPublituris

Publituris

Mais artigos
Aviação

Presidente da Emirates explica consequências da tempestade e garante normalidade dentro de “mais alguns dias”

O presidente da Emirates, Tim Clark, assume as consequências da tempestade que, a 16 de abril, afetou o Dubai e provocou perturbações no aeroporto que serve de hub à transportadora, garantindo que são necessários apenas “mais alguns dias” para que a situação volte à normalidade.

A Emirates divulgou no final da semana passada uma carta aberta assinada pelo presidente da companhia aérea, Tim Clark, na qual o responsável assume as consequências da tempestade que, a 16 de abril, afetou o Dubai e provocou perturbações no aeroporto que serve de hub à transportadora, garantindo que são necessários apenas “mais alguns dias” para que a situação volte à normalidade.

“A chuva e os ventos fortes da tempestade perturbaram a atividade em todas as cidades”, começa por reconhecer o responsável, que explica que num único dia, a 16 de abril, os Emirados Árabes Unidos registaram a maior queda de precipitação dos últimos 75 anos.

Apesar das perturbações, o hub da Emirates permaneceu aberto, mas houve uma redução da operação por questões de segurança e até porque, devido às estradas inundadas, os passageiros, pilotos, tripulação de cabine e funcionários do aeroporto foram impedidos de chegar ao aeroporto.

Devido à tempestade, a Emirates foi obrigada a desviar “dezenas de voos na terça-feira para evitar o pior das condições meteorológicas”, tendo ainda sido cancelados cerca de 400 voos, enquanto outros sofreram atrasos, uma vez que, diz o responsável, as operações da Emirates “nos aeroportos centrais continuaram a ser afetadas pela escassez de pessoal e de provisões”.

“As nossas duas prioridades eram claras: cuidar dos nossos passageiros que foram afetados pela perturbação e retomar as nossas operações de acordo com o calendário previsto”, explica Tim Clark, referindo que, para libertar recursos, a Emirates suspendeu ainda o check-in dos passageiros que partiam do Dubai, decretou um embargo à venda de bilhetes e suspendeu temporariamente o tráfego de passageiros de ligação com destino ao Dubai.

O presidente da Emirates diz que, “nos bastidores, milhares de funcionários de toda a organização estavam a trabalhar” para que as operações da companhia aérea voltassem ao normal, o que, no caso dos voos regulares, aconteceu na manhã de sábado, 20 de abril.

“Os passageiros que se encontravam retidos na zona de trânsito do aeroporto foram transferidos e estão a caminho dos seus destinos. Reunimos uma equipa de trabalho para classificar, reconciliar e entregar cerca de 30 mil bagagens deixadas para trás aos seus proprietários”, acrescenta o presidente da Emirates.

Tim Clark admite, no entanto, que “serão necessários mais alguns dias para resolver o problema da acumulação de passageiros e bagagens reagendados”, pelo que pede “paciência e compreensão” aos passageiros afetados por estas perturbações.

“Sabemos que a nossa resposta está longe de ser perfeita. Reconhecemos e compreendemos a frustração dos nossos passageiros devido ao congestionamento, à falta de informação e à confusão nos terminais. Reconhecemos que as longas filas de espera e os tempos de espera têm sido inaceitáveis”, lamenta ainda o responsável, que agradece às equipas da Emirates pelos “esforços incansáveis durante toda a semana, apesar das condições difíceis”.

O presidente da Emirates termina a carta aberta com um pedido de desculpas a todos os passageiros afetados.

 

Sobre o autorPublituris

Publituris

Mais artigos
Transportes

Mais de 1,5 milhões de passageiros sofreram atrasos nos aeroportos portugueses no 1.º trimestre de 2024

A TAP e o Aeroporto de Lisboa voltaram a apresentar os piores desempenhos, ainda que, segundo a AirHelp, o número de voos e passageiros tenha descido face ao 1.º trimestre de 2022, o que ditou menos perturbações.

No primeiro trimestre do ano, mais de cinco milhões e 700 mil passageiros apanharam um voo a partir de um aeroporto em Portugal, dos quais mais de 1,5 milhões viram as suas ligações sofrer algum atraso, avança a AirHelp, que diz que, contudo, este número baixou relativamente ao mesmo período de 2023.

“Em 2024, o número de perturbações apresentou melhorias com os voos atrasados ou cancelados a diminuírem”, indica a AirHelp, num comunicado divulgado esta segunda-feira, 22 de abril, onde a empresa de defesa dos direitos dos passageiros aéreos diz que, face a igual período do ano passado, também o número de passageiros aéreos e de voos diminuiu.

A empresa de defesa dos direitos dos passageiros aéreos acrescenta que, neste período, descolaram dos aeroportos nacionais cerca de 44 mil voos, 72% dos quais foram efetuados à hora prevista.

No entanto, e apesar da AirHelp também referir que, na maioria dos casos se tratasse de atrasos menores que não implicam uma compensação financeira, “mais de 67 mil passageiros ficaram aptos a receber uma indemnização seja devido a um atraso do seu voo superior a três horas, ao cancelamento do seu voo ou à perda de uma ligação causada pelo atraso do primeiro voo”.

A análise da AirHelp detalha as perturbações de cada mês e apurou que Março foi o mês de maior destaque, uma vez que, no terceiro mês do ano, “foram realizados mais de 15 mil voos e registados quase dois milhões de passageiros”, pelo que, diz a empresa, é “natural que se tenham registado mais perturbações com 35% dos voos a sofrer perturbações, bem como 35% dos passageiros a lidar com algum problema no seu voo”.

“Com estes dados, podemos concluir que Portugal continua o seu caminho de recuperação para os níveis pré-Covid, facto que nos agrada uma vez que contamos com um verão agitado e, por isso mesmo, com um aumento natural de voos e passageiros durante este período” refere Pedro Miguel Madaleno, advogado especialista em direitos dos passageiros aéreos e representante da AirHelp em Portugal.

Por companhias aéreas, a TAP  voltou a ser a transportadora que maior número de passageiros transportou e que, por isso, registou também o maior número de perturbações, contabilizando mais de dois milhões de passageiros em 16 mil voos, dos quais 33% dos passageiros sofreram algum tipo de perturbação no seu voo (cancelamento, atraso ou overbooking).

Em relação aos aeroportos, a AirHelp diz que o “panorama mantém o registo habitual, com o Porto a destacar-se pelo seu bom desempenho e Lisboa a encontrar-se no polo oposto”.

A análise da AirHelp mostra que, no Aeroporto do Porto, apenas 18% dos passageiros aéreos sofreu algum tipo de perturbação, enquanto, por outro lado, no Aeroporto de Lisboa, este número chegou aos 34%.

Tal como o Aeroporto do Porto, também os Aeroportos de Faro, Porto Santo e Graciosa apresentaram baixos níveis de perturbações, que afetaram 19% dos passageiros no Porto Santo, 18% em Faro e 25% na Graciosa.

Os restantes aeroportos dos Açores – Horta, Ponta Delgada e Pico -, assim como o Aeroporto da Madeira e o de Lisboa ficaram, em sentido contrário, entre os que apresentaram maiores perturbações.

“40% dos passageiros sofreu alguma perturbação em Santa Cruz; 33% sofreu alguma perturbação no Aeroporto da Horta (o mesmo número em Lisboa); 29% no Aeroporto de Ponta Delgada; e, por fim, 26% no Aeroporto do Pico”, lê-se na informação divulgada pela AirHelp.

“Os aeroportos portugueses melhoraram o seu desempenho durante o primeiro trimestre de 2024, com menos interrupções de voos, o que é uma boa notícia para os passageiros aéreos. Esperamos que este melhoramento seja constante”, acrescenta Pedro Miguel Madaleno.

 

Sobre o autorPublituris

Publituris

Mais artigos
Destinos

Porto de Lisboa cresce 6% nas escalas de cruzeiros em 2023

No ano passado, o Porto de Lisboa contabilizou 347 escalas, incluindo 107 em turnaround, e recebeu 758 328 passageiros, números que estabelecem novos recordes para a infraestrutura aeroportuária.

O Porto de Lisboa registou um crescimento de 6% nas escalas de navios de cruzeiros ao longo do ano passado, atingindo o valor recorde de 758 328 passageiros.

“Nos cruzeiros, 2023 foi o melhor ano de sempre, tanto em número de passageiros como em escalas. Superou-se pela primeira vez a barreira dos 700 mil passageiros (758 328), o que significou um crescimento de 54% face a 2022, ultrapassando o anterior recorde que datava 2018, ano que registou 577 603 passageiros de cruzeiro”, lê-se no comunicado em que o Porto de Lisboa faz um balanço do ano passado.

A infraestrutura aeroportuária contabilizou 347 escalas, mais 20 do que em 2022, sendo que também as escalas em turnaround registaram um novo recorde e chegaram às 107, “ultrapassando o máximo absoluto das 103 escalas contabilizadas no período homólogo”.

“Do total de passageiros, 204 mil são do segmento turnaround, ou seja, de cruzeiros que têm embarque e/ou desembarque no terminal de cruzeiros da capital portuguesa. Este número representa um aumento de 131% neste segmento. Destaque para a maior operação de sempre de turnaround no Porto de Lisboa, a 30 de julho, com a movimentação de 9 163 passageiros, dos quais 4 476 embarcados e 4 687 desembarcados”, destaca ainda o Porto de Lisboa.

A Europa manteve-se, segundo o Porto de Lisboa, como o principal mercado emissor de passageiros de cruzeiros para Lisboa, com o Reino Unido a liderar, representando 38% do total.

Já os EUA superaram a Alemanha, que passou para segundo lugar, com um aumento de 116% nos passageiros, representando 20% do total.

“A Alemanha apesar do crescimento de 14% caiu para o terceiro lugar com 15%. O Canadá e Portugal ocupam, respetivamente, o quarto e quinto lugares, com aumentos significativos nos números de passageiros (+172% e + 88%) face ao ano anterior”, lê-se ainda na informação divulgada.

Sobre o autorPublituris

Publituris

Mais artigos
Aviação

TICV recebe avião para repor ligações interilhas em Cabo Verde

Segundo a TICV, a entrada deste aparelho no país já foi autorizada pela Agência de Aviação Civil de Cabo Verde, prevendo-se que o aparelho comece a operar nos próximos dias, com capacidade para transportar 50 passageiros.

Publituris

A TICV – Transportes Interilhas de Cabo Verde recebeu um avião Bombardier Dash 8 Q300 que vai permitir a reposição das ligações interilhas em Cabo Verde, indicou a companhia aérea que realiza os voos entre as ilhas do arquipélago cabo-verdiano.

“A TICV – Transportes Interilhas de Cabo Verde recebeu uma aeronave Bombardier Dash 8 Q300, que foi mobilizada para suprir a ausência, por motivos de manutenção, de dois aviões ATR 72-600”, lê-se num comunicado da companhia aérea, que é controlada pela Bestfly.

A TICV indica que a entrada deste aparelho no país já foi autorizada pela Agência de Aviação Civil de Cabo Verde, prevendo-se que o aparelho comece a operar nos próximos dias.

“A aeronave ficará ao serviço da TICV até à entrada em linha dos aviões que se encontram em manutenção”, acrescenta a companhia aérea, que revela que este aparelho de substituição conta com capacidade para transportar 50 passageiros.

Segundo Nuno Pereira, CEO da BestFly World Wide, acionista maioritário da TICV, a empresa continua empenhada em “promover uma conectividade interilhas funcional, eficiente e confiável”, uma vez que está ciente do “importante papel” que desempenha em Cabo Verde.

“A entrada desta nova aeronave irá regularizar a operação da companhia e suprir as dificuldades verificadas nas últimas semanas. Estamos inteiramente comprometidos com a missão que assumimos para com Cabo Verde e os cabo-verdianos e continuaremos a mobilizar todos os esforços para prestar um serviço de qualidade”, acrescenta o responsável.

Sobre o autorPublituris

Publituris

Mais artigos
Aviação

Etihad Airways retoma voos para Bali a 25 de junho

Os voos da Etihad Airways para Bali são retomados a 25 de junho, com quatro ligações semanais que, segundo a companhia aérea, estão “programadas para chegar a Bali pela manhã”.

Publituris

A Etihad Airways vai retomar, a 25 de junho, a operação entre Abu Dhabi e a ilha de Bali, na Indonésia, disponibilizando quatro voos por semana entre os dois destinos.

“Os voos diretos para a ilha tropical da Indonésia começam a 25 de junho, com partida de Abu Dhabi, quatro vezes por semana”, lê-se numa nota informativa da companhia aérea.

A Etihad Airways indica que os voos estão “programados para chegar a Bali pela manhã”, permitindo que os passageiros passem “o resto da tarde a aproveitar tudo o que a ilha tem a oferecer”.

As partidas da Etihad Airways para Bali decorrem às terças, quintas, sábados e domingos, saindo de Abu Dhabi às 22h25 para chegar à ilha da Indonésia às 11h35 do dia seguinte. Em sentido contrário, as partidas de Bali são às segundas, quartas, sextas e domingos, pelas 18h45, chegando a Abu Dhabi às 23h45.

Além de Bali, a Etihad Airways vai abrir também voos para Al Qassim, Antalya, Jaipur, Málaga, Mykonos, Nairobi, Nice e Santorini, este verão.

Todos os destinos estão acessíveis para os passageiros portugueses através do Aeroporto Internacional de Abu Dhabi e dos voos que a companhia aérea realizar entre Lisboa e a capital dos Emirados Árabes Unidos.

Sobre o autorPublituris

Publituris

Mais artigos
Transportes

Aeroporto Internacional de Hamad é o “Melhor do Mundo”

Além de ter sido considerado como “Melhor Aeroporto do Mundo” nos Skytrax World Airport Awards de 2024, o Aeroporto Internacional de Hamad também foi reconhecido como “Melhor Aeroporto do Mundo para Compras” pela segunda vez consecutiva e “Melhor Aeroporto do Médio Oriente” pelo décimo ano consecutivo.

Publituris

O Aeroporto Internacional de Hamad (DOH) garantiu novamente a sua distinção como o “Melhor Aeroporto do Mundo” nos Skytrax World Airport Awards 2024, atribuídos na Passenger Terminal Expo 2024 em Frankfurt, Alemanha. O aeroporto também conquistou o título de “Melhor Aeroporto do Mundo para Compras” pela segunda vez consecutiva e de “Melhor Aeroporto do Médio Oriente” pelo décimo ano consecutivo.

O reconhecimento do Aeroporto Internacional de Hamad baseia-se em avaliações meticulosas efetuadas por passageiros de companhias aéreas. Estes avaliaram o desempenho do aeroporto em vários indicadores-chave e elegeram-no como o melhor do mundo entre um grupo com mais de 500 aeroportos concorrentes a nível mundial.

Badr Mohammed Al-Meer, CEO do Grupo Qatar Airways que liderou o desenvolvimento e crescimento do Aeroporto Internacional de Hamad durante a última década, considera que este feito é “um testemunho da dedicação da nossa equipa e dos nossos parceiros, que contribuíram para proporcionar aos passageiros a melhor experiência de viagem”.

Badr Mohammed Al-Meer sublinhou, de resto, a importância de compreender as necessidades dos passageiros e a evolução das tendências de viagem. “No centro da nossa estratégia de crescimento estão os passageiros, a evolução das suas necessidades e o nosso empenho em satisfazer e exceder as suas expectativas. Introduzimos uma série de experiências no aeroporto, incluindo o ‘Souq Al Matar’, que aproxima os viajantes da hospitalidade e da cultura do Qatar, o ‘Orchard’, local ideal para relaxar e repor energias entre voos, e um conjunto de lounges de luxo. Continuamos empenhados em superar os padrões da indústria para manter a nossa posição como o principal aeroporto do mundo.”

O Aeroporto Internacional de Hamad serviu mais de 45 milhões de passageiros, em 2023, correspondendo a um aumento de 31% em comparação com o ano anterior, ultrapassando o impulso que havia sido estabelecido durante o Campeonato do Mundo da FIFA. O aeroporto também deu as boas-vindas a novas companhias aéreas parceiras, incluindo a Vistara, Iberia, Xiamen Airlines, Garuda Indonesia e Japan Airlines, e serve mais de 250 destinos, incluindo voos de passageiros, de mercadorias e charter.

À medida que o Aeroporto Internacional de Hamad se aproxima do seu 10.º ano de operações, os responsáveis preveem um 2024 “cheio de atividade”. Os planos incluem o acolhimento de novas companhias aéreas parceiras, a melhoria das ligações e o apoio aos esforços do Qatar para receber diversos eventos globais. Comprometido com a Visão Nacional do Qatar para 2030, o Aeroporto Internacional de Hamad tem como objetivo aumentar os esforços de sustentabilidade através de investimentos em novas tecnologias e de iniciativas pioneiras no setor, solidificando ainda mais a sua posição como líder na indústria da aviação.

Sobre o autorPublituris

Publituris

Mais artigos

Foto: Depositphotos.com

Transportes

Grupo SATA com sistema braille a bordo

Com a adoção deste novo sistema, o grupo SATA pretende proporcionar viagens mais inclusivas e tranquilas para todos os passageiros.

Publituris

A companhia aérea Azores Airlines passou a disponibilizar a bordo das suas aeronaves folhetos de segurança em Sistema Braille e aposta na formação em língua gestual portuguesa. Estas iniciativas fazem parte do “Programa SATA Inclusiva” que tem como objetivo proporcionar a melhor experiência de viagem a todos os passageiros, garantindo o seu conforto e segurança.

Os folhetos em braille indicam os procedimentos que devem ser adotados em caso de emergência e serão entregues pela tripulação de bordo aos passageiros com deficiência visual. Estarão disponíveis a partir desta sexta-feira, 19 de abril, na Azores Airlines e, muito brevemente, na SATA Air Açores, sendo mais um passo a juntar-se a outros já incorporados nos serviços prestados pelas transportadoras aéreas do Grupo SATA.

O grupo informa, em comunicado, que a formação em linguagem gestual será “gradualmente introduzida nos planos de formação e é essencialmente destinada aos funcionários que desempenham funções nas áreas com maior contacto com os passageiros, em particular, aos que asseguram serviços de assistência especial”.

As companhias aéreas do Grupo SATA têm implementado medidas para assegurar a mobilidade dos passageiros com necessidades específicas, garantindo o cumprimento dos princípios de acessibilidade e mobilidade previstos nas leis e regulamentos dos países em que operam.

Assim, com vista a assegurar o conforto, bem-estar e segurança dos passageiros com incapacidades, as companhias aéreas já dispõem de medidas como o transporte gratuito de dispositivos auxiliares de locomoção e de cães de assistência; a assistência por pessoal com formação nos aeroportos e a bordo dos aviões; a acomodação em lugares adequados; a disponibilização de um website e de uma aplicação móvel adaptados.

Foto: Depositphotos.com
Sobre o autorPublituris

Publituris

Mais artigos
Transportes

MSC Cruzeiros apresenta os sete distritos do MSC World America

O MSC World America, o próximo navio da World Class da MSC Cruzeiros, vai ser inaugurado em 2025 e conta com sete distritos, cada um dos quais com “uma gama de experiências personalizadas” e incluindo bares, restaurantes, instalações de entretenimento e lazer.

Publituris

A MSC Cruzeiros revelou que o MSC World America, o próximo navio da World Class da companhia de cruzeiros, que vai ser inaugurado em 2025, conta com sete distritos, cada um dos quais com “uma gama de experiências personalizadas” e incluindo bares, restaurantes, instalações de entretenimento e lazer.

“O navio irá inaugurar um novo mundo de cruzeiros nas costas americanas quando for inaugurado em abril de 2025. Cada um dos sete distritos possui a sua própria atmosfera, instalações e experiências, concebidas para melhorar a experiência a bordo, permitindo que cada passageiro crie umas férias únicas e exclusivas, maximizando o seu tempo a bordo”, destaca a MSC Cruzeiros, em comunicado.

Como é habitual nos navios da MSC Cruzeiros, um dos destaque do MSC World America será o MSC Yacht Club, um espaço de luxo localizado nos decks na proa do navio.

“Os viajantes mais exigentes irão desfrutar do serviço personalizado no MSC Yacht Club, com serviço de mordomo 24 horas por dia, 7 dias por semana, embarque e desembarque prioritários, áreas de lounge e de jantar exclusivas e muito mais. Os passageiros do MSC Yacht Club serão mimados com a experiência única do MSC Yacht Club, onde poderão desfrutar de uma escapadela exclusiva do resto do navio”, refere a MSC Cruzeiros, em comunicado.

Outro destes distritos é o Family Aventura, destinado a famílias e que também se localiza no topo do navio, contando com o The Harbour, um novo e revolucionário parque ao ar livre, como coração.

“O The Harbour oferece um emocionante percurso de cordas altas e uma atração de última geração nunca antes vista no mar, que será revelada em breve, juntamente com uma área de residência familiar e um parque infantil inspirado no icónico farol da Ocean Cay MSC Marine Reserve”, indica a companhia de cruzeiros.

Este distrito inclui ainda um Doremiland, a área infantil com instalações desenvolvidas para cada faixa etária, desde bebés a adolescentes e que conta com carrinhos de choque, pistas de patinagem, escorregas aquáticos de alta emoção e um escorrega seco.

Destaque ainda para o Aqua Deck, onde se encontram as duas principais piscinas do navio e que muda de ambiente consoante a hora do dia, assim como para a Zen Area, reservada apenas a adultos, no alto da popa do navio e que se assume como um “refúgio de relaxamento e rejuvenescimento”.

“Descontraia ao sol ou observe as estrelas junto às duas piscinas exclusivas e saboreie um cocktail refrescante, enquanto relaxa durante a tarde e a noite, num local onde a tranquilidade se encontra com a sofisticação, tornando-o o local perfeito para os passageiros rejuvenescerem a mente, o corpo e a alma”, refere a MSC Cruzeiros.

No coração do navio, destaque ainda para a Galleria, uma zona que oferece diversas opções de refeições, compras exclusivas, jogos emocionantes e muito mais, enquanto o The Terraces é um distrito onde existem nove restaurantes e bares, quatro lojas de retalho e um clube de comédia que também funciona como bar de duelos de pianos e karaoke noturno.

“Um ambiente cativante envolve uma mistura harmoniosa de conceitos gastronómicos e de vanguarda, entretenimento sofisticado e ofertas de retalho atraentes numa área única abrangendo espaços internos e externos”, destaca a MSC Cruzeiros, sobre o The Terraces.

A Promenade encerra os distritos do MSC World America e oferece um passeio ao ar livre semi-coberto, contando igualmente com opções de entretenimentos para os mais pequenos, assim como atividades noturnas e gastronómicas para os adultos.

O MSC World America entra ao serviço no próximo ano e, durante a sua temporada inaugural, vai contar com partidas de Miami, EUA, para itinerários de sete noites para alguns dos destinos mais procurados nas Caraíbas Orientais e Ocidentais, com escalas na Ocean Cay MSC Marine Reserve, a ilha privada da MSC Cruzeiros nas Bahamas.

Além da vasta oferta de entretenimento, lazer e restauração, o MSC World America distingue-se também por ser um navio concebido para ajudar a reduzir o seu impacto no meio ambiente, sendo, por isso, movido a GNL, entre outras inovações ambientais.

 

 

Sobre o autorPublituris

Publituris

Mais artigos

Joaquim Robalo de Almeida, secretário-geral da ARAC

Transportes

ARAC reúne em assembleia geral para discutir plano de atividades e orçamento para 2024

A Associação Nacional dos Locadores de Veículos (ARAC) considera que, dada a progressiva substituição de veículos de combustão interna por veículos elétricos e híbridos plugin, “justifica-se” a atribuição de incentivos financeiros às empresas de rent-a-car, rent-a-cargo e carsharing para a aquisição destes equipamentos.

Publituris

A Associação Nacional dos Locadores de Veículos (ARAC) realizou uma assembleia geral ordinária no passado dia 15 de abril para discutir e aprovar o Relatório do Conselho Diretor e das Contas referentes ao exercício de 2023 e do Parecer do Conselho Fiscal. Num segundo ponto, a associação reuniu-se para discutir e aprovar o Plano de Atividades e Orçamento para 2024 apresentados pelo Conselho Diretor, bem como o Parecer do Conselho Fiscal sobre estes dois últimos documentos.

Em nota de imprensa, a associação que completou 49 anos de atividade em 2023 dá conta de ter alcançado a “maioria” dos objetivos estabelecidos no plano de atividades para 2023. Agora, para 2024, a associação elenca uma série de objetivos, entre eles a descarbonização da frota e transição digital.

Como refere em nota de imprensa, prevendo-se a substituição progressiva de veículos de combustão interna por veículos elétricos e híbridos plugin, a ARAC entende “justificar-se a atribuição de incentivos financeiros destinados à aquisição, pelas empresas de rent-a-car, rent-a-cargo e carsharing de: veículos elétricos e híbridos plug-in novos; de estações de carregamento para veículos elétricos e híbridos plug-in; de sistemas de entrega e receção de veículos com recurso a sistemas de contactless e de soluções informáticas com vista à otimização de processos e eliminação do papel na celebração de contratos de aluguer de veículos sem condutor”.

Outros dos objetivos da ARAC para este ano passa pelo estudo da criação de hub’s para carregamento de veículos elétricos, que a associação entende serem “sobretudo” importantes “junto dos terminais de transporte, como aeroportos e terminais de caminhos de ferro” e que refere estar dependente da “colaboração de parceiros como as câmaras municipais, fornecedores de energia e empresas de higienização de veículos”.

A lista de objetivos da ARAC para este ano inclui ainda o desenvolvimento de uma aplicação para gestão de sócios e veículos, com vista a garantir a informação estatística sobre os setores representados pela ARAC; pela formação profissional, com a realização de mais cursos profissionais dirigidos aos colaboradores das empresas associadas da ARAC e a “correção das distorções existentes no rent-a-car face aos restantes países da União Europeia”.

Num último ponto, a associação refere que “continuará a promover o combate ao aluguer ilegal, apresentando exposições junto do Secretário de Estado Adjunto e do Ambiente, do Secretário de Estado do Turismo, do presidente do Conselho Diretivo do IMT – Instituto da Mobilidade e dos Transportes, I.P. e da presidente do Conselho de Administração da AMT –Autoridade da Mobilidade e dos Transportes”.

Sobre o autorPublituris

Publituris

Mais artigos
PUB
PUB
PUB
PUB
PUB
PUB
PUB
PUB
PUB
PUB
PUB
PUB

Navegue

Sobre nós

Grupo Workmedia

Mantenha-se informado

©2021 PUBLITURIS. Todos os direitos reservados.