Assine já
Distribuição

Air France/KLM e Travelport chegam a acordo para distribuição de conteúdo NDC

Conteúdo NDC do grupo Air France-KLM deverá passar a estar disponível através da plataforma Travelport+ a partir do início de 2022.

Publituris
Distribuição

Air France/KLM e Travelport chegam a acordo para distribuição de conteúdo NDC

Conteúdo NDC do grupo Air France-KLM deverá passar a estar disponível através da plataforma Travelport+ a partir do início de 2022.

Publituris
Sobre o autor
Publituris
Artigos relacionados
Travelport fecha acordo com a australiana Qantas
Homepage
Travelport torna-se no primeiro GDS a oferecer conteúdo NDC
Homepage
American Airlines estende acordo de ‘full content’ com Travelport
Homepage
Travelport promove Galileo Graduate em países em desenvolvimento
Distribuição

A Air France/KLM e a Travelport chegaram a acordo para a distribuição do conteúdo NDC do grupo de aviação através da Travelport+, a plataforma de distribuição de conteúdo e retalho de viagens de última geração da Travelport e à qual os agentes de viagens podem aceder através de acordos bilaterais, a partir do início de 2022.

“Os agentes precisam de assinar acordos de acesso bilaterais com a Air France-KLM e a Travelport para poderem aceder ao conteúdo e aos serviços NDC (New Distribution Capability) do Grupo através da Travelport+, sendo esse conteúdo integrado nas ferramentas das agências através do módulo Smartpoint ou das conexões API modernas e leves”, explica a Air France/KLM, em comunicado.

Segundo Pieter Bootsma, Chief Revenue Officer da Air France-KLM, através deste acordo que vem expandir a cooperação entre o grupo de aviação e a empresa de software para a indústria das viagens e turismo, o conteúdo e serviços NDC da Air France-KLM fica acessível através da plataforma Travelport+, naquele que é um passo importante na estratégia de distribuição do grupo.

“Este é um passo importante na nossa estratégia de distribuição, que complementa a nossa rede de distribuição NDC já existente. A NDC é uma inovação-chave para a Air France-KLM, uma vez que permite que os nossos clientes beneficiem de ofertas mais atrativas e personalizadas, como o pricing contínuo e pacotes à medida. É um passo tecnológico notável que abre novas perspetivas para o retalho no futuro”, considera o responsável.

O conteúdo da Air France-KLM deverá ficar disponível através da plataforma Travelport+ no início de 2022, com o grupo a avançar que os “recursos e funcionalidades” vão ser “adicionados progressivamente” à plataforma.

 

Sobre o autorPublituris

Publituris

Mais artigos
Artigos relacionados
Distribuição

Agências de viagens sem capacidade para reembolsar clientes são casos “absolutamente residuais”, diz APAVT

Presidente da APAVT, Pedro Costa Ferreira, deixa uma mensagem de “tranquilidade” e garante que “todos os consumidores, que a tal tenham direito, serão reembolsados”.

Publituris

A Associação Portuguesa das Agências de Viagens e Turismo (APAVT) veio esta quinta-feira, 27 de janeiro, deixar uma mensagem de “tranquilidade”, garantindo que os casos em que as agências de viagens não têm capacidade para reembolsar os seus clientes são “absolutamente residuais, quer em número de casos, quer em valor envolvido, quer em número de agências envolvidas”.

De acordo com um comunicado enviado à Lusa, Pedro Costa Ferreira, presidente da APAVT, diz que a resposta do setor na questão dos reembolsos por viagens que não aconteceram devido à pandemia, tem sido “efetiva, mas naturalmente assimétrica, com algumas agências a serem incapazes de cumprir com os reembolsos”.

No entanto, o responsável deixa uma mensagem de “tranquilidade” e garante que “todos os consumidores, que a tal tenham direito, serão reembolsados”, a exemplo dos alunos finalistas, cuja devolução dos valores pagos tem sofrido incumprimentos por parte da agência Xtravel.

Pedro Costa Ferreira diz, contudo, que, por enquanto, apenas pode comentar o número de incidentes que já chegaram ao Provedor do Clientes das Agências de Viagens, e que confirmam, segundo o responsável, que estes casos são “absolutamente residuais, quer em número de casos, quer em valor envolvido, quer em número de agências envolvidas”.

A Lusa recorda que os consumidores que ainda não tenham recebido o reembolso de viagens canceladas em 2020, ultrapassado o prazo de 14 dias que a lei dá às agências, podem acionar o fundo de garantia de viagens e turismo, dispondo para isso de dois mecanismos: ou requerem a intervenção da comissão arbitral, junto do Turismo de Portugal, ou recorrem ao Provedor do Cliente das Agências de Viagem e Turismo sempre que a agência seja associada da APAVT.

“A totalidade dos casos recebidos no Provedor do Cliente não ultrapassa os 300. Sendo certo que a nossa sensibilidade é de que este número vai aumentar de forma que poderá ter significado, é também nossa sensibilidade que os valores envolvidos, se comparados com a nossa estimativa de valor inicial, cerca de 100 milhões de euros, será efetivamente residual, e concentrada num número igualmente residual de agências de viagens”, acrescenta o presidente da APAVT.

A associação defende ainda que o sistema de garantia do setor, que é responsabilidade das agências que o compõem, e que inclui apólices de seguro e um fundo de garantia, “responde com absoluta segurança” aos problemas de reembolsos, sendo ainda mais significativo fazê-lo numa “conjuntura absolutamente especial, que é a atual situação pandémica”.

O presidente da APAVT lembra também que os processos de reembolso carecem de ser escrutinados pelas vias legais colocadas ao dispor dos consumidores, nomeadamente o Provedor do Cliente da associação.

“É isso que sempre aconselhamos”, afirma, esclarecendo que denúncias nas redes sociais “não conferem, por si só”, direito a reembolso de uma viagem cancelada e ainda não reembolsada pela agência.

Recorde-se que, ainda na semana passada, a APAVT tinha informado que os vales emitidos pelas agências por viagens canceladas até final de setembro de 2020 atingiam 100 milhões de euros e estavam praticamente resolvidos, com os litígios a não serem “materialmente relevantes”, uma vez que não chegaram muitas reclamações aos tribunais arbitrais, provedor do cliente e Deco.

Sobre o autorPublituris

Publituris

Mais artigos
Distribuição

Singles Travel promove cruzeiro para solteiros no Mediterrâneo

Viagem vai decorrer entre 4 e 11 de junho, a bordo do navio Costa Firenze, e passa por Espanha, Itália e França.

Publituris

A Singles Travel vai promover, entre 4 e 11 de junho, um cruzeiro para solteiros no Mediterrâneo, numa viagem a bordo do navio Costa Firenze, com escalas em Espanha, Itália e França, informou a empresa que é especialista em viagens para pessoas descomprometidas.

Na nota divulgada esta quinta-feira, 27 de janeiro, a Singles Travel explica que “os participantes serão acompanhados a bordo por um Coordenador de Grupos” e que a viagem inclui “diversas atividades exclusivas para o grupo como um cocktail de boas vindas, jogos, noites temáticas, torneios desportivos e vários meeting points ao longo da semana”.

A Singles Travel explica que o navio Costa Firenze, da Costa Cruzeiros, é “um gigante dos mares”, que tem capacidade para 5.200 passageiros e que oferece variadas opções de entretenimento, como casino, discoteca, bares, ginásio, piscinas, jacuzzis, teatro, Spa, campo desportivo, minigolfe, restaurantes, lojas, biblioteca e sala de jogos.

As reservas para este cruzeiros para solteiros no Mediterrâneo decorrem até 5 de fevereiro e os preços começam nos 765 euros.

Além deste cruzeiro, a Singles Travel vai também organizar mais duas viagens para solteiros e propõe o programa Leiria Singles Weekend, que consiste num fim-de-semana com diversas atividades na zona de Leiria, entre 25 e 27 de março, bem como a viagem Isla Cristina Singles Break, que decorre por ocasião do feriado do 25 de Abril e comtempla cinco noites de alojamento num hotel de quatro estrelas, no Sul de Espanha.

Todos os programa para solteiros da Singles Travel estão disponíveis através do site www.singlestravel.pt.

Sobre o autorPublituris

Publituris

Mais artigos
Distribuição

RAVT encerra atividade de grupo de gestão a partir de 1 de março

A RAVT anunciou ao mercado, esta quarta-feira, que, a partir do próximo dia 01 de março, dará por encerrada a atividade de grupo de gestão das agências de viagens, convida as suas aliadas a integrarem o grupo GEA, mas indica que vai manter as suas restantes áreas de atuação, como sejam, de consultoria, investigação e formação em turismo.

A RAVT anuncia ao mercado que, a partir do próximo dia 01 de março, dará por encerrada a atividade de grupo de gestão das agências de viagens, convidando as suas aliadas a integrarem o grupo GEA.

Em comunicado de imprensa, a CEO da RAVT, Maria José Silva salienta que “não acabamos, não desistimos, adequamo-nos às circunstâncias globais e evoluímos”, considerando que desde março de 2020 “há necessidade de se criar maior força no setor das agências de viagens, altamente fragilizadas, que impera a necessidade de repensar atuações, com eventuais parcerias, que possam aportar mais valias a todos os intervenientes e ao setor”.

A responsável indica ainda que a RAVT vai manter as suas restantes áreas de atuação, como sejam, de consultoria, investigação e formação em turismo.

Maria José Silva justifica ainda esta decisão pela necessidade de mudança e de união que se impõem neste momento, destacando que “o futuro é significativamente desafiante e que 2022/2023 são anos em que o setor necessita de demonstrar vitalidade, força, poder negocial, para permitir manter e melhorar contratações e serviços, amenizando perdas de rentabilidade e de estruturas, mantendo acesso a assessorias diversas que isoladamente são mais difíceis de obter”.

Convenção marcada para 19 de fevereiro

A RAVT vai realizar a sua convenção no próximo dia 19 de fevereiro, no Hotel Cristal Praia da Vieira.

O evento terá início às 14h30, com convenção reservada às agências associadas, e às 17h30 decorrerá o Forum RAVT com diversos fornecedores, seguido de jantar de comemoração do 17º aniversário da rede, às 20h00.

Reconhecendo que o turismo tem que iniciar a retoma, reajustando-se e redesenhando-se nos objetivos, nos planos, nas estratégias, nas atuações, no modelo comercial, e nas operações, a RAVT pretende responder a esta premissa a partir de 2022, neste fórum de discussão.

Dos temas a serem abordados destacam-se a caraterização de 2019 a 2021, o raio x da operação e da distribuição turística, apresentação da performance da rede RAVT e dos fornecedores. Serão apresentados os novos modelos comerciais, novas plataformas, informações de vendas e de emissões.

De acordo com comunicado de imprensa, a RAVT garante que a convenção foi redesenhada de forma a poder realizar-se cumprindo as regras sanitárias e as medidas de prevenção para pequeno evento, ou seja, com menos de 80 pessoas em simultâneo.

Sobre o autorCarolina Morgado

Carolina Morgado

Mais artigos
Distribuição

Saiba quais são os 12 principais canais de reservas geradores de receita em 2021 em Portugal

A lista portuguesa da plataforma SiteMinder é liderada pela Booking, com as reservas diretas a ganharem terreno, concluindo-se que, “à medida que as condições do mercado se alteram, é vital que as unidades hoteleiras analisem e avaliem, continuamente, as suas estratégias de comércio online”.

Victor Jorge

A plataforma SiteMinder divulgou a lista de canais de distribuição que, ao longo do último ano, geraram a maior receita de reservas de hotéis em Portugal e em mais de 20 destinos turísticos populares em todo o mundo.

A lista de Portugal – em linha com as tendências globais – revela que o setor hoteleiro, “está a adotar uma estratégia de comércio online mais global, baseada, tanto em novos métodos, como nos já estabelecidos, de forma a alcançar novos clientes e a gerar receitas”.

Além disso, esta estratégia comercial holística, consiste num “maior equilíbrio entre os fluxos de receitas diretas e indiretas”, sendo que, de acordo com a análise feita pela SiteMinder “as reservas diretas – pelo segundo ano consecutivo – são ainda o segundo maior motor de receitas para os hotéis portugueses, impulsionado pelo aumento de investimentos nos motores de reserva, website de hotéis, metasearch, pagamentos com contactless, apoio de consultores hoteleiros e aplicações especializadas e desenhadas para a conversão”.

De resto, o ano de 2021 registou o crescimento sustentado das reservas diretas para hotéis ao nível global, verificando-se que, em 20 dos 21 mercados analisados, as reservas diretas mantiveram ou aumentaram a sua posição, subindo nos rankings em 10 ocasiões. Em 12 mercados, as reservas diretas estão agora classificadas como o segundo maior gerador de receitas de reserva para hotéis locais, ultrapassando os cinco mercados no ano passado e dos apenas dois de 2019. É o caso da África do Sul, Austrália, Áustria, França, Alemanha, Irlanda, Itália, Holanda, Nova Zelândia, Portugal, Espanha e Reino Unido.

Além disso, a plataforma conclui ainda que a maior adoção de uma estratégia global de comércio hoteleiro em Portugal, inclui “a contínua relevância dos canais regionais, principalmente em locais com redução constante de viagens internacionais”. Em Portugal, destaca-se a Abreu online, que saltou do sétimo para o quinto lugar, valendo-lhe a designação de ‘High Riser’, assim como a EC Travel e a Portimar, que mantiveram o oitavo e o décimo primeiro lugar da lista, respetivamente.

Também a constante importância dos distribuidores e outros fornecedores de canais de distribuição B2B, com os Bedbanks Hotelbeds, a liderar novamente o Top 12 em Portugal e em cada destino analisado é destacado pela SiteMinder.

A operadora turística Traveltino também continuou a ganhar impulso, alcançando, pela segunda vez, a designação ‘High Riser’ da SiteMinder, enquanto o DMC OTS Globe manteve a sua posição entre os 12 melhores.

De acordo com James Bishop, diretor sénior do ecossistema global da SiteMinder, “vivemos numa nova era de hóspedes hoteleiros, dominada pelo que identificamos como o ‘viajante dinâmico’, que se caracteriza por ter comportamentos e preferências de reserva mais evoluídos”.

Os dados da plataforma destacam, de resto, “a vontade que as unidades hoteleiras têm em adotar e estabelecer novos métodos para atrair esses mesmos clientes, à medida que procuram uma estratégia comercial mais global para vender, comercializar, gerir e expandir o seu negócio”, afirma James Bishop.

O executivo refere ainda que “o aumento das reservas diretas, reflete os crescentes investimentos que assistimos entre os hotéis e os seus websites – incluindo os seus motores de reserva e opções de pagamento, e as ferramentas de conversão especializadas com as quais se conectam – bem como as suas estratégias de metasearch e apoio local dos seus consultores. Enquanto isso, um novo grupo de 29 canais, mostra a abertura das empresas hoteleiras em adotar uma abordagem mais ampla e multicanal, como forma de se conectar com mais nichos ou segmentos de clientes mais difíceis de alcançar”.

A nível nacional, André Gois, gerente da SiteMinder em Portugal, acrescenta que a “relevância dos canais regionais é, particularmente notável, uma vez que o World Hotel Index da SiteMinder apontou Portugal como um dos primeiros destinos europeus a ultrapassar o número de reservas hoteleiras de 2019 e a assistir aos hóspedes internacionais voltarem a ser a maioria das chegadas aos hotéis em 2021”.

Isto mostra a “importância duradoura” dos especialistas nacionais, mesmo em mercados recuperados, salientando Gois que, “à medida que as condições do mercado se alteram, é vital que as unidades hoteleiras analisem e avaliem, continuamente, as suas estratégias de comércio online e garantam que estejam informados sobre quais os canais de distribuição mais eficazes para garantir reservas e receitas para negócios locais”.

Sobre o autorVictor Jorge

Victor Jorge

Mais artigos
Distribuição

Solférias lança programação de verão para Porto Santo

O operador turístico Solférias já tem disponível no mercado a sua programação de verão 2022 para o Porto Santo em voos especiais com saídas às segundas-feiras tanto de Lisboa como do Porto.

O operador turístico Solférias já tem disponível para venda a sua programação em voos especiais para férias de verão 2022 em Porto Santo.

A operação para a Ilha Dourada, em colaboração com a Sonhando, vai decorrer de 06 de junho a 10 de outubro 2022 (último regresso), em voos diretos da Sata Internacional – Azores Airlines, com direito a bagagem e catering, com partidas de Lisboa e do Porto, às segundas-feiras.

O pacote, de sete noites de alojamento, inclui seguro, serviço de assistência e transferes. Os preços anunciados pela Solférias tem como base a ocupação dupla, destacando-se 530€ por pessoa no Hotel Praia Dourada em regime de só alojamento e 807€ por pessoa no Porto Santo Hotel & Spa em regime de meia pensão. Em regime de tudo incluído os preços vão desde os 659€ por pessoa no Hotel Vila Baleira e desde 932€ por pessoa no Hotel Pestana Colombos.

O operador turístico indica, em comunicado de imprensa, que a ilha do Porto Santo “tem vindo a aumentar a sua relevância junto dos viajantes nacionais, graças a uma oferta hoteleira de excelente qualidade, que acompanha na perfeição os atrativos naturais deste destino: sol, praia, gastronomia, simpatia, acolhimento, segurança e um magnifico clima. Tudo a uma curta distância de voo desde Portugal continental.

Sobre o autorCarolina Morgado

Carolina Morgado

Mais artigos
Distribuição

Destinos já tem preços para verão e lança campanha de vendas antecipadas

O operador turístico Destino acaba de anunciar os seus preços para o próximo verão, e o lançamento de uma campanha de reservas antecipadas.

Publituris

O operador turístico Destinos já tem disponíveis os preços para o verão deste ano para consulta e reserva na sua plataforma, ao mesmo tempo que lança uma campanha de reservas antecipadas online.

A Destinos indica que, para além da forte e habitual contratação no Algarve e restantes regiões do continente, também aumentou o número de hotéis disponíveis nos Açores e Madeira.

As ofertas com descontos de reserva antecipada, integram unidades de diversas categorias, incluindo 156 no Algarve, com descontos entre os 30% e os 35%. No Alentejo, a oferta abrange quatro unidades, com descontos entre 30% e 40%, enquanto, no Co Centro de Portugal, seis hotéis fazem parte da campanha de reservas antecipadas, com 15% de desconto.

Na região de Lisboa e Vale do Tejo, o operador turístico oferece descontos de 33% num conjunto de mais de meia centena de unidades hoteleiras, e no Norte, os preços baixam até 40% em 13 hotéis que estão incluídos na vasta contratação.

Por sua vez, 20 unidades nos Açores integram a campanha, com descontos entre os 20% e os 25%, e na Madeira, mais de meia centena de unidades estão em oferta de até 30% de desconto.

 

Sobre o autorPublituris

Publituris

Mais artigos
Distribuição

Bestravel abre nova agência na Maia

Nova agência representa o regresso da marca Bestravel ao município da Maia.

Publituris

A Bestravel abriu uma nova agência de viagens no distrito do Porto, localizada na Maia e que foi inaugurada esta segunda-feira, 17 de janeiro, informou o grupo de agências de viagens em comunicado.

“É com grande satisfação que assinalamos esta abertura, não só pelo regresso da marca Bestravel a um Município que identificamos como de elevado potencial, como também, por toda a luta que travámos enquanto rede e sector nos últimos dois anos. Trata-se de mais um reforço da marca a norte do país e numa região periférica ao Grande Porto”, refere Carlos Baptista, administrador da Bestravel.

A nova agência da Bestravel na Maia é dirigida por Sérgio Rocha, que se afirma “muito satisfeito” com esta nova etapa e “por fazer parte deste projeto de referência que é a Bestravel”, aponta, citado no comunicado divulgado pelo grupo de agências de viagens.

“Contamos com um enorme entusiasmo para prestar o melhor e mais personalizado serviço na área das viagens. Em nome da Bestravel da Maia convido todos a visitar-nos e a reservar as suas férias de sonho”, acrescenta Sérgio Rocha.

 

Sobre o autorPublituris

Publituris

Mais artigos
Distribuição

Ricardo Teles é o novo diretor Comercial da Bestravel

A Bestravel acaba de nomear Ricardo Teles para o cargo de diretor Comercial da rede, funções que acumulará com a área de expansão da marca.

Publituris

Ricardo Teles acaba de ser nomeado diretor Comercial da rede de agências de viagens Bestravel, acumulando a área de expansão da marca.

O novo responsável comercial da marca conta com uma carreira na área turística de mais de 25 anos, tendo, no passado, exercido o mesmo cargo na marca Bestravel, bem como no operador turístico EgoTravel.

Ricardo Teles, Diretor Comercial, afirma que “assumo este novo desafio com o objetivo de reforçar o crescimento recente da rede e a sua melhoria operacional na procura da criação constante de valor para as nossas franquias e clientes, em estreita articulação com os nossos parceiros.”

Por sua vez, Carlos Baptista, administrador da Bestravel, acredita que a nomeação do Ricardo Teles como diretor Comercial “nos trará proximidade com os parceiros e determinação naquilo que é a estratégia comercial da Bestravel. Será, certamente, uma aposta ganha”.

Sobre o autorPublituris

Publituris

Mais artigos
Distribuição

Vouchers em litígio não são “materialmente relevantes”, garante APAVT

Prazo para que os clientes pedissem o reembolso por viagens canceladas na sequência da pandemia terminou esta sexta-feira, 14 de janeiro.

Publituris

O presidente da APAVT, Pedro Costa Ferreira, afirmou à Lusa que a questão os vouchers emitidos em 2020, devido às viagens que foram canceladas na sequência da pandemia e que se estima que valham cerca de 100 milhões de euros, está praticamente resolvida e que os litígios que se verificam não são “materialmente relevantes”.

“Na altura, não havendo valores concretos, porque pertencem aos negócios de cada empresa e não há um registo oficial de todos os inquéritos que fizemos, estimamos que possam ter sido emitidos vales na ordem dos 100 milhões de euros”, disse à Lusa Pedro Costa Ferreira.

De acordo com o responsável, parte dos vouchers acabou por ser utilizada em viagens, enquanto outra parte foi reembolsada “sob as mais diversas formas”, com Pedro Costa Ferreira a explicar que, apesar de não ser possível apresentar números exatos dos reembolsos, “há um valor que é possível calcular” e que “é o valor da linha de crédito que era exclusiva para pagamento de vales”.

Segundo o presidente da APAVT, este instrumento era “tão exclusivo que, para quem aderisse a essa linha de crédito, o banco emprestava o dinheiro pagando diretamente aos clientes dos vales. E foi utilizada em 37 milhões de euros”, ou seja, no mínimo houve reembolsos deste valor, sublinhou.

Em relação a questões mais sensíveis, que deram origem a litígios, Pedro Costa Ferreira garantiu que “não são visíveis litígios materialmente relevantes, no sentido em que nos tribunais arbitrais, no provedor do cliente, na Deco, não são conhecidas muitas reclamações”, existindo “até menos do que num período normal de vendas, se calhar”.

“A nossa sensibilidade é que a partir de dia 14 de janeiro [prazo final para a resolução desta questão] não vai haver um problema materialmente relevante, a maioria dos vales estará viajada ou reembolsada ou mesmo acordado o seu pagamento para mais tarde”, explicou, salientando que “há liberdade entre agência de viagens e os consumidores” e que, em muitos casos, há um acordo para que a viagem aconteça “mesmo com o fim do vale”.

“São acordos entre duas entidades livres do ponto de vista económico”, assegurou o presidente da APAVT, reconhecendo, no entanto, que possam existir “incidentes de incumprimento”, uma vez que “a resposta é assimétrica quando há milhares de empresas”.

Pedro Costa Ferreira recordou, no entanto que “os clientes que não forem reembolsados podem sê-lo através do fundo de garantia do setor que responde em nome das agências que não cumprirem”, sendo que “se as empresas não pagarem ao próprio fundo, deixam de ter autorização para atuar como agência de viagens”.

“É uma falha que acaba com a própria agência”, alertou, detalhando que este fundo “não é dinheiro público, nem dos contribuintes, é das agências de viagens, por lei só elas alimentam este fundo”, acrescentando que, por ser hoje o último dia, podem “vir à tona os litígios”.

Recorde-se que os vouchers de viagens canceladas durante a pandemia eram válidos até final de 2021, sendo que, após esse prazo, os clientes tinham 14 dias para solicitar o seu reembolso caso a viagem não tivesse sido reagendada até 31 de dezembro.

 

Sobre o autorPublituris

Publituris

Mais artigos
Distribuição

Travelplan lança vendas antecipadas para verão nas ilhas espanholas

A pensar já no verão, o operador turístico Travelplan, lançou no mercado vendas antecipadas para as ilhas espanholas das Canárias e Baleares.

Publituris

O operador turístico Travelplan acaba de lançar no mercado, em venda antecipada, as suas ofertas de verão para as ilhas espanholas: Canárias e Baleares.

Com avião mais hotel, a programação incide sobre Maiorca, Menorca e Ibiza, nas Baleares, e Tenerife, Gran Canaria, Lanzarote, Fuerteventura e La Palma, nas Canárias.

Sobre o autorPublituris

Publituris

Mais artigos

Toda a informação sobre o sector do turismo, à distância de um clique.

Assine agora a newsletter e receba diariamente as principais notícias do Turismo. É gratuito e não demora mais do que 15 segundos.

Navegue

Sobre nós

Grupo Workmedia

Mantenha-se conectado

©2021 PUBLITURIS. Todos os direitos reservados.