Assine já
Destinos

Europeus mais confiantes para viajar nos próximos meses

66% dos europeus dizem-se dispostos a viajar até março de 2022. A preferência vai para as viagens na Europa com as ‘city breaks’ intra-europeias a aparecerem no topo da lista.

Publituris
Destinos

Europeus mais confiantes para viajar nos próximos meses

66% dos europeus dizem-se dispostos a viajar até março de 2022. A preferência vai para as viagens na Europa com as ‘city breaks’ intra-europeias a aparecerem no topo da lista.

Publituris
Sobre o autor
Publituris
Artigos relacionados
ETC e Google juntam-se para fortalecer recuperação do turismo europeu
Análise
Vacinação e certificado digital fazem europeus querer viajar entre junho e setembro
Destinos
Europa: Recuperação turística vai ser lenta, particularmente nas viagens organizadas
Homepage
UE estuda opções para facilitar viagens este verão
Homepage

2 em cada 3 europeus, ou seja, 66% planeiam viajar nos próximos seis meses, com base na confiança restaurada durante este verão, avança um estudo recente da European Travel Commission (ETC), demonstrando, assim, o aumento da confiança dos europeus e apontando para uma perspetiva positiva para o turismo nos próximos tempos.

A 9.ª atualização do “Monitoring Sentiment for Domestic and Intra-European Travel” refere que as viagens intra-europeias superam as viagens domésticas, indicando que 55% dos viajantes de curto prazo preferem visitar outro país europeu.

Já as viagens aéreas também estão a aumentar, com mais de 50% dos entrevistados para o relatório da ETC a afirmar que “se sentem confortáveis apanhar um avião novamente”.

Os dados do estudo demonstram que, pela primeira vez desde outubro de 2020, os planos de viagem dos europeus estão distribuídos uniformemente nos próximos seis meses: 26% optam por viagens entre outubro e novembro, 28% entre dezembro de 2021 e janeiro de 2022 e 25% viajam em fevereiro e março 2022. Estes resultados indicam que um número crescente de europeus já não se encontra em “modo de espera” para viajar e se sente muito mais confiante para embarcar em viagens espontâneas.

À medida que o sentimento de viagem continua a melhorar e as restrições à pandemia se tornam o novo normal, os europeus ‘prontos para viajar’ estão mais determinados a cumprir os seus planos de viagem (mais 39% em relação ao relatório anterior), em vez de esperar ou adiar.

City breaks de última hora
As city breaks intra-europeias estão agora no topo das preferências dos europeus, indicando, assim, maior confiança para viajar a nível internacional: mais de 1 em cada 2 europeus com planos de viagem de curto prazo irão para outros países europeus, correspondendo a um aumento de 41% desde setembro de 2020.

Já as preferências por viagens domésticas (32%) diminuíram 18% nos últimos doze meses. Os destinos do Mediterrâneo estão em primeiro lugar na lista dos viajantes, com Espanha e Itália (ambos 9%), França (8%) e Grécia (7%) como as principais preferências.

Por outro lado, as férias na cidade (18%) atingiram agora o pico em 2021, com um aumento de 43% desde o verão de 2021, embora o apelo de férias no litoral também continue forte. Ao mesmo tempo, o planeamento de viagens está a tornar-se cada vez mais de última hora, já que apenas 29% dos europeus com planos de viagem para outubro ou novembro reservaram a sua viagem atempadamente. Esse valor cai ainda mais, para 15%, entre os que viajam no final de 2021.

O relatório da ETC aponta, de resto, que “o maior interesse em city breaks e reservas de última hora é outro indicador do retorno gradual à normalidade e de viagens mais espontâneas no futuro próximo”.

As férias na cidade vêm acompanhadas por um aumento da popularidade das viagens mais curtas de até 3 noites (30% dos viajantes em férias na cidade). A redução da duração da viagem também afeta os orçamentos, uma vez que o número de viajantes que pretendem gastar até 500 euros na viagem aumenta 20% em relação ao inquérito anterior, em detrimento de níveis de despesas mais elevados (mais de 1.000 euros).

Segurança acima de tudo
Os dados do relatório da ETC indicam, igualmente, um aumento na preferência por viagens aéreas, embora as preocupações com saúde e segurança continuem a manter-se no topo dos cuidados a ter por parte dos viajantes.

Apesar de existir uma hesitação persistente em relação às viagens aéreas, mais de 50% dos europeus “prontos para viajar” estão ansiosos para mudar para o transporte aéreo (um aumento de 13% em relação ao estudo anterior). “Este é outro sinal de maior confiança do consumidor em relação ao uso de voos comerciais para otimizar o tempo de viagem”, salienta a ETC em comunicado.

Apesar da maior vontade de viajar nos próximos seis meses, 63% dos viajantes “madrugadores” ainda contam com protocolos de saúde e segurança no destino, realidade que os faz sentir “mais confortáveis e propensos a aproveitar a viagem”.

Por isso, diz a ETC, “os destinos e as empresas de turismo devem tranquilizar os viajantes por meio de medidas eficazes contra a COVID-19, especialmente em relação às áreas de maior preocupação: viagens aéreas, transporte no destino e atrações locais”.

Sobre o autorPublituris

Publituris

Mais artigos
Artigos relacionados
Destinos

Receitas turísticas de novembro ultrapassam pela primeira vez os mil milhões de euros

Os dados do Banco de Portugal (BdP) mostram que em novembro, pela primeira vez neste mês, as receitas turísticas ultrapassaram os mil milhões de euros, ultrapassando igual mês de 2019 em 35,1%, que tinha sido o melhor mês de novembro de sempre para o turismo nacional.

As receitas provenientes da atividade turística voltaram a subir no passado mês de novembro e, pela primeira vez, ultrapassaram os mil milhões de euros neste mês, que se tornou já no melhor novembro de sempre para o turismo nacional, com as receitas a somarem 1.226,67 milhões de euros, segundo os dados revelados esta quinta-feira, 19 de janeiro, pelo Banco de Portugal (BdP).

De acordo com o BdP, as receitas turísticas de novembro, que se encontram pelos gastos dos turistas estrangeiros em Portugal, ficaram 35,1% acima do apurado em igual mês de 2021 e ultrapassaram mesmo novembro de 2019, que tinha sido o melhor mês de novembro de sempre para o turismo nacional, em 24,4%.

Tal como as receitas turísticas, também as importações do turismo, que são apuradas pelos gastos dos turistas portugueses no estrangeiro, somaram, em novembro, o valor mais elevado de sempre para este mês, chegando aos 394,98 milhões de euros, o que traduz uma subida de 22,4% face ao valor apurado em novembro de 2021 e de 8,5% em comparação com novembro de 2019.

E também o saldo da rubrica “Viagens e Turismo” aumentou em novembro de 2022 e somou 831,69 milhões de euros, valor que ficou 42% acima do apurado em igual mês de 2021 e 33,4% do registado em novembro de 2019.

O BdP indica que, em novembro,  “a rubrica de viagens e turismo, cujas exportações e importações cresceram, em termos homólogos, respetivamente, 35,1% e 22,4%”, contribuiu para a subida das exportações e das importações na balança de serviços, que registou mesmo um excedente e compensou “parcialmente” o aumento do défice da balança de bens.

Acumulado também sobe

Tal como em novembro, também o acumulado desde o início do ano traz boas notícias, uma vez que as receitas turísticas somam já 19.722,13 milhões de euros, o que traduz um aumento de 16,1% face aos 16.955,7 milhões de euros que tinham sido apurados em novembro de 2019.

As boas notícias são ainda comuns às importações do turismo, que somaram, em novembro, 5.116,18 milhões de euros, ultrapassando em 8,3% o valor de 4.722,2 milhões de euros acumulado até novembro de 2019.

No saldo da rubrica “Viagens e Turismo”, o aumento foi de 16,5%, uma vez que os 12.508,73 milhões de euros apurados no acumulado dos primeiros 11 meses de 2019 comparam agora com um valor que chega aos 14.569,97 milhões de euros.

 

Sobre o autorInês de Matos

Inês de Matos

Mais artigos
Destinos

Turismo Industrial de S. João da Madeira assinala 11º aniversário com várias iniciativas

O Turismo Industrial de S. João da Madeira está a assinalar o seu 11º aniversário com várias atividades e visitas orientadas, a decorrer nas empresas e instituições parceiras deste programa municipal.

Este programa pioneiro de turismo industrial, iniciado em janeiro de 2012 pelo município de S. João da Madeira, que visa proporcionar a descoberta do património industrial e da indústria viva que caraterizam e diferenciam o território do concelho, engloba empresas como a Viarco – Fábrica Portuguesa de Lápis, Fepsa – Feltros Portugueses, Cortadoria Nacional de Pêlo, Heliotextil, Bulhosas, Flexitex, Molaflex, Belcinto, CEI – Companhia de Equipamentos Industriais, ERT – Têxtil Portugal, Mariano Shoes, Faurecia e Monte Campo.

Do roteiro de visitas do Turismo Industrial de S. João da Madeira, fazem ainda parte a Academia de Design e Calçado, Centro Tecnológico do Calçado de Portugal e Sanjotec, além de equipamentos municipais como o Museu da Chapelaria, o Museu do Calçado, a Torre da Oliva e a Oliva Creative Factory (onde se encontra o Centro de Arte Oliva).

Segundo avança a imprensa local, no ano passado, com o objetivo de dar continuidade ao processo de afirmação e crescimento deste projeto, a Câmara Municipal assinou, com a Entidade Regional de Turismo Porto e Norte de Portugal, a Declaração de Colaboração, no quadro da dinamização do Turismo Industrial em Portugal.

Refira-se, por outro lado que o Turismo Industrial de S. João da Madeira foi distinguido, no início de janeiro, com o Prémio de Mérito da Society for Historical Archaeology, passando, assim, a ser um dos quatro primeiros projetos portugueses a receberem este galardão internacional atribuído por essa organização educacional, fundada em 1967 e sediada nos Estados Unidos da América, que, desde 1988, reconhece, dessa forma, indivíduos e organizações que se distinguem na causa da arqueologia histórica.

Sobre o autorPublituris

Publituris

Mais artigos
Destinos

Baixa Pombalina de Lisboa é candidata a Património Mundial da UNESCO

A Câmara Municipal de Lisboa está a formalizar a candidatura da Baixa Pombalina a Património Mundial, com o pedido junto da Comissão Nacional da UNESCO, fundamentando, segundo o presidente da autarquia, Carlos Moedas, como sendo “uma cidade única: histórica e inovadora, tradicional e cosmopolita”, e tendo em conta “a excecionalidade desta zona histórica” e os contributos para a história da humanidade.

“Estamos muito empenhados em obter a classificação da Baixa Pombalina como Património da Humanidade. Lisboa é uma cidade única: histórica e inovadora, tradicional e cosmopolita, com uma identidade singular, mas sempre aberta ao mundo”, afirma o presidente da Câmara Municipal de Lisboa, Carlos Moedas, citado pela Lusa.

O autarca destaca os bens patrimoniais da cidade, “em particular aqueles que lembram a impressionante capacidade de resposta que o povo português teve ao terramoto de 1755, um dos mais destruidores de sempre”, considerando que “são dotados de um valor universal excecional e merecem ser distinguidos e protegidos”.

O processo de candidatura da Baixa Pombalina à distinção atribuída pela Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (UNESCO), para proteger os sítios de valor universal excecional, decorreu durante o ano de 2022 e o pedido acaba de ser formalizado, com a comunicação do interesse em que este conjunto monumental seja inscrito na Lista Indicativa de Portugal.

A Câmara Municipal de Lisboa considera “fundamental” a inscrição da zona na Lista Indicativa de Portugal, para que seja possível “uma futura classificação, justificada pela excecionalidade desta zona histórica e pelos seus contributos para a história da humanidade”.

Carlos Moedas acredita que estes bens materiais “são dotados de um valor universal excecional e merecem ser distinguidos e protegidos”. O pedido é formalizado com a comunicação do interesse de inscrever este conjunto na Lista Indicativa de Portugal.

Para o autarca, a Baixa Pombalina “é um sítio monumental único”, que inclui “múltiplos edifícios de reconhecido valor histórico e patrimonial, que representam diferentes épocas e conservam a sua autenticidade”, nos quais se incluem o Torreão Poente da Praça do Comércio, que “será alvo de requalificação para acolher um núcleo do Museu de Lisboa”.

Uma das vantagens desta classificação enumeradas pela autarquia é no âmbito da reabilitação do património, pela possibilidade de atribuição de incentivos e benefícios fiscais, isenção de taxas ou criação de um banco de materiais e de uma bolsa de projetistas com experiência de reabilitação. Por outro lado, destaca as mais-valias na proteção e conservação do conjunto edificado e ao nível da educação, pela possibilidade de promover campanhas de divulgação e de informação sobre o património.

 

Sobre o autorPublituris

Publituris

Mais artigos
Destinos

Cabo Verde: Empreendimento “Duargena five star living” vai nascer na ilha do Fogo

Com um investimento de 17,5 milhões de euros, vai nascer na ilha cabo-verdiana do fogo o empreendimento turístico e imobiliário “Duargena five star living”, cujo projeto acaba de ser apresentado às autoridades municipais locais.

O empreendimento, com uma área de mais de 40 mil metros quadrados, vai nascer na zona sul da cidade de São Filipe, e segundo notícia veiculada pela Agência de Notícias Inforpress, é uma iniciativa da engenheira Mónica Sofia, em parceria com investidores da República Checa.

O “Duargena five star living” terá 110 apartamentos, vilas de luxo, Spa, seis lojas, um restaurante, campos para desportos náuticos, três clubes de praia, mais de três dezenas de piscinas, monumentos, espaços verdes, sistema de tratamento das águas e energia renováveis.

Os imóveis são equipados sendo localizados numa zona integrada e sustentável e com uma vista direcionada para o mar e para a ilha Brava.

A ideia é lançar a primeira pedra em meados de abril deste ano para que as obras possam iniciar, esperando-se concretizar o investimento o mais depressa possível.

O “Duargena five star living” vai impulsionar vários outros projetos e em colaboração com o poder local e o Governo está-se a equacionar a possibilidade da expansão da pista do aeródromo de São Filipe e a sua transformação num aeroporto de médio porte capaz de dar vazão a este investimento e a outros.

Segundo o presidente da autarquia de São Filipe, a Nuías Silva, com a expansão do aeródromo e resolução do o problema de ligação Fogo e Brava diariamente vai-se criar um novo polo de desenvolvimento de turismo de qualidade e ligado à natureza e comodidade, alternativo ao turismo de sol e praia.

 

Sobre o autorPublituris

Publituris

Mais artigos
Destinos

Ministro do Turismo da Jordânia visita Fátima no 2.º semestre para analisar parcerias

O crescimento do Turismo Religioso faz com que o novo ministro do Turismo da Jordânia, Markam Al-Queisi, visite Fátima no 2.º semestre deste ano para analisar a possibilidade de futuras parcerias em prol de ambos os destinos.

Victor Jorge

O ministro do Turismo da Jordânia, Makram Al-Queisi, referiu esta quarta-feira, durante o decorrer na FITUR Madrid, que se realiza até ao próximo dia 22 de janeiro, que virá a Portugal para estudar com as entidades de Fátima uma possível parceria “para benefício de ambos os destinos”.

Em entrevista ao Publituris, Makram Al-Queisi considera que ambos os destinos possuem “uma forte componente no Turismo Religioso” e que uma parceria seria “uma boa forma de promover os dois destinos em muitos mercados internacionais e estabelecer trabalho conjunto no segmento que tem vindo a crescer exponencialmente”.

De referir que Makram Al-Queisi, que foi nomeado ministro do Turismo e das Antiguidades da Jordânia há pouco mais de um mês, conhece Portugal, uma vez que exerceu o cargo de Embaixador Extraordinário não residente no nosso país em 2014.

“Fátima é um lugar único e sabemos as visitas internacionais que possui ao longo do ano”, referiu Makram Al-Queisi ao Publituris. “Naturalmente que o nosso interesse em Portugal não se limita a Fátima”, avançando o ministro jordano que em termos de operação turística, a Jordânia irá contar com um voo charter a partir de maio e que irá prolongar-se até novembro, começando com um voo semanal, esperando, contudo, “e dado os números que esperamos de turistas portugueses, esse voo poderá passar a bissemanal”.

A Jordânia recebeu, em 2022, mais de 4.000 turistas portugueses, número que as autoridades do Turismo da Jordânia esperam duplicar com esta operação entregue à Avoris.

Sobre o autorVictor Jorge

Victor Jorge

Mais artigos
Destinos

Ministros Ibero-americanos do Turismo apostam na sustentabilidade e cooperação para relançar o setor

Os ministros ibero-americanos do Turismo, reunidos em Madrid (presencial e online) optaram pela sustentabilidade ambiental e pelo estreitamento das relações entre os países desta região para relançar o setor, após os anos da pandemia.

Responsáveis ​​do turismo de 14 países ibero-americanos reuniram-se na XXVI Conferência Ibero-Americana de Ministros e Empresários do Turismo (CIMET), encontro que tradicionalmente antecede à Fitur – Feira Internacional de Turismo, que abriu portas esta quarta-feira, em Madrid.

“A primeira responsabilidade de todos nós deve ser a conservação do planeta, e assim deve ser para todos os setores”, afirmou o diretor de Turismo do Banco de Desenvolvimento da América Latina, Óscar Rueda, citado pela Agência EFE.

A subsecretária de Turismo do Chile, Verónica Kunze Neubauer, também concordou com este propósito, tendo destacado a importância da sustentabilidade para o seu país, ao mesmo tempo que o definiu diretamente como um “destino totalmente sustentável”.

O ministro mexicano, Miguel Torruco, definiu o setor “como um grande meio de reconciliação para todas as comunidades”.

Os ministros e altos funcionários do Turismo presentes no encontro também apresentaram as suas linhas de ação para promover o “turismo de encontro” nos seus territórios.

Por sua vez, o co-presidente do CIMET, Eugenio de Quesada, sublinhou que “a promoção e internacionalização do setor do turismo é um esforço coletivo, de todos”, e destacou a importância do trabalho entre países para a defesa e promoção dos destinos.

Do governo espanhol, a secretária de Estado do Turismo, Rosana Morillo, sublinhou que “não só o setor está a reativar, como estamos a recuperar de forma mais forte”.

 

Sobre o autorCarolina Morgado

Carolina Morgado

Mais artigos
Destinos

Parque Nacional da Peneda-Gerês entre os 10 melhores da Europa para caminhadas

O Parque Nacional da Peneda-Gerês está classificado entre os 10 melhores parques naturais da Europa para caminhadas, segundo os resultados da mais recente pesquisa da Cotswold Outdoor.

Publituris

A pesquisa mais recente da Cotswold Outdoor, especialista britânica em equipamentos para atividade ao ar livre, identificou os principais cenários naturais da Europa que também proporcionam as melhores experiências de caminhada. Analisados mais de 80 parques nacionais europeus, tendo sido avaliados vários fatores nas categorias de popularidade, dificuldade e atividades/comodidades, o Parque Nacional da Peneda-Gerês foi revelado como o décimo melhor da Europa para caminhadas.

O Parque Nacional da Peneda-Gerês deve a sua classificação geral elevada ao facto de ser a sexta melhor escolha de atividades e comodidades, e também ser classificado como o oitavo mais popular da Europa.

O popular local de beleza do norte de Portugal oferece aos visitantes 96 trilhos para caminhadas, 10 parques de campismo e seis miradouros/pontos de referência.

Nas apostas de popularidade, o parque também está entre os dez mais populares da Europa, em oitavo lugar. Obtém uma média de pouco menos de 10.000 pesquisas anuais globais, tem uma classificação de 4,8 e sumou mais de 167.000 hashtags no Instagram.

Finalmente, no que diz respeito à dificuldade da caminhada, a distância média e a duração da caminhada do parque definitivamente não são para os fracos de coração, classificando-se na faixa intermediária de 19,7 km e 5,4 horas, respetivamente.

O Peak District e o Lake District (Reino Unido), Teide (Espanha), Calanques (França) e Krka (Croácia) compõem os cinco primeiros lugares, respetivamente.

De acordo com a análise, as caminhadas se tornaram uma tendência massiva nos últimos dois anos, comprovada ainda mais pelas tendências de viagem previstas para 2023, que indicam um aumento ao nível do turismo de aventura.

 

Sobre o autorPublituris

Publituris

Mais artigos
Destinos

Novo presidente da Embratur quer reconquistar lugar de relevo do Brasil no panorama internacional

Marcelo Freixo anunciou, logo no primeiro dia enquanto presidente da Embratur, que o trabalho vai começar com uma reorganização interna da agência de promoção internacional.

Publituris

Marcelo Freixo já assumiu a presidência da Embratur – Agência Brasileira de Promoção Internacional do Turismo e estabeleceu a recuperação do lugar de relevo do Brasil no panorama internacional, incluindo no turismo, como principal prioridade do seu mandato, que arrancou na passada sexta-feira, 13 de janeiro.

“Após quatro anos de isolamento internacional ditado pela irresponsabilidade do anterior governo, o Brasil está novamente empenhado em retomar o seu papel de protagonista na promoção do diálogo, da cooperação e das questões ambientais e climáticas no plano internacional. Na Embratur, a nossa missão será colocar o turismo brasileiro no patamar de relevância expectável”, afirmou o novo presidente da Embratur.

Marcelo Freixo anunciou, logo no primeiro dia enquanto presidente da Embratur, que o trabalho vai começar com uma reorganização interna da agência de promoção internacional, que garanta “uma gestão técnica e transparente, com base nas boas práticas do mercado”.

Além disso, Marcelo Freixo quer também voltar a focar a Embratur “no marketing, na promoção e apoio à comercialização do Brasil no exterior, com base em inteligência de dados e big data, nas parcerias com os setores público e privado, nos investimentos em inovação, na inserção da agenda de sustentabilidade, ações climáticas e com foco nos resultados”.

O novo presidente da Embratur garantiu ainda que pretende trabalhar em conjunto com os ministros cuja atuação está diretamente relacionada com a modernização das políticas públicas e com programas voltados para a promoção do turismo no exterior.

“Além de integrar as ações da nossa agência na agenda de política externa e de vários ministérios do governo do Presidente Lula da Silva, retomaremos o diálogo com o mercado e as entidades que desenvolvem ações de promoção internacional. Vamos construir uma Embratur moderna, profissional, eficiente e comprometida com o desenvolvimento sustentável”, acrescentou o responsável.

Com 55 anos de idade, Marcelo Freixo é originário da região do Rio de Janeiro, é professor de História, foi eleito deputado estadual no Rio de Janeiro pela primeira vez em 2006 e deputado federal em 2018.

Sobre o autorPublituris

Publituris

Mais artigos
Destinos

Feira de Emprego ‘Trabalhar num Navio’ regressa a 16 de março de 2023

A 8.ª edição da Feira Internacional de Emprego & Carreiras ‘Trabalhar num Navio’ já está confirmada e vai decorrer a 16 de março de 2023, no Hotel Olissippo Oriente, no Parque das Nações, em Lisboa.

Publituris

A 8.ª edição da Feira Internacional de Emprego & Carreiras ‘Trabalhar num Navio’ já está confirmada e vai decorrer a 16 de março de 2023, voltando a contar com entrada gratuita, informou a APORMAR – Agência Portuguesa de Marítimos, entidade responsável pela organização do evento.

A próxima edição desta feira de emprego dedicada às carreiras marítimas vai voltar também a contar com a participação “de várias companhias de navios e de ensino e formação marítima, antecipando o sucesso das edições anteriores”, lê-se na informação divulgada .

Segundo o comunicado enviado à imprensa, este evento é “fundamental para quem trabalha ou pretende trabalhar em navios de carga, cruzeiros, ferries, offshore e iates”.

A feira está também aberta a profissionais e estudantes das áreas de restauração, hotelaria, turismo, lojas, saúde, beleza, desporto, animação, audiovisual, entretenimento, segurança, convés, engenharia, máquinas, eletricidade, ar condicionado e manutenção hoteleira.

Nesta edição, a Feira Internacional de Emprego & Carreiras ‘Trabalhar num Navio’ vai decorrer no Hotel Olissippo Oriente, no Parque das Nações, em Lisboa, e inclui também um congresso com a apresentação e objetivos das empresas expositoras, cujo início está previsto para as 09h30.

As inscrições para o certame já se encontram a decorrer e podem ser realizadas online através do website do evento, que está disponível aqui.

Sobre o autorPublituris

Publituris

Mais artigos
Destinos

Saccharum hotel promove Wedding Open Day a 4 e 5 de fevereiro

O Saccharum, hotel que integra a coleção Savoy Signature, vai promover um Wedding Open Day, nos dias 4 e 5 de fevereiro entre as 11h00 e as 19h00.

Publituris

A unidade hoteleira na Calheta (Madeira) vai vestir-se a rigor para apresentação da cerimónia e do copo-de-água, pensados com todos os detalhes. Os casais poderão conhecer os diferentes espaços do hotel e os serviços exigidos para uma celebração perfeita.

No entanto a experiência romântica vai mais longe. O programa inclui uma visita a um dos quartos do hotel, já preparado para uma lua de mel, mas também as salas de eventos decoradas com romantismo para a ocasião. As zonas de cocktail, de cerimónia e a área da piscina principal também integram o roteiro.

Para recriar uma experiência ainda mais aproximada à realidade, a equipa do Saccharum providenciou uma exposição com diferentes carros, além de serviços de vestuário, de cabeleireiro e de maquilhagem. Depois, os noivos poderão ser fotografados e filmados por equipas profissionais destas áreas, além de usufruírem de animação ao vivo, cocktail, jantar, bolo de casamento e festa.

Sobre o autorPublituris

Publituris

Mais artigos

Navegue

Sobre nós

Grupo Workmedia

Mantenha-se conectado

©2021 PUBLITURIS. Todos os direitos reservados.