Assine já
Distribuição

“+Planeta” é o programa de viagens sustentáveis da Top Atlântico

Consciente do papel que o setor do turismo possui na sustentabilidade e no ambiente, o grupo Wamos lançou a “Top Atlântico +Planeta”.

Victor Jorge
Distribuição

“+Planeta” é o programa de viagens sustentáveis da Top Atlântico

Consciente do papel que o setor do turismo possui na sustentabilidade e no ambiente, o grupo Wamos lançou a “Top Atlântico +Planeta”.

Victor Jorge
Sobre o autor
Victor Jorge
Artigos relacionados
Thomas Cook deixa de vender bilhetes para parques com orcas em cativeiro
Homepage
Fusão entre Viajes El Corte Inglés e Logitravel cria empresa com mais de 500 agências
Homepage
Reservas eDreams Odigeo ultrapassam em 2% níveis pré-COVID-19
Homepage
APAVT “regozija-se” com a anunciada ”resolução definitiva da instabilidade” na Groundforce
Homepage

A Wamos Portugal acaba de lançar uma nova linha de produto especifica e dedicada ao desenvolvimento e criação de programas de viagens mais sustentáveis. Sob a marca Top Atlântico e com uma assinatura dedicada ao tema da sustentabilidade – a Top Atlântico +Planeta – esta iniciativa vem na sequência da elaboração do Relatório de Sustentabilidade 2021, em janeiro de 2021, onde além de ter diagnosticado as práticas sustentáveis já adotadas pelo grupo, identificou novos objetivos em conformidade com os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS) definidos pelas Nações Unidas.

A empresa admite que “é urgente satisfazer as necessidades das gerações atuais sem comprometer o futuro do planeta”, destacando que “precisamos de um planeta são para viver e para viajar”.

Assim, todas as ações e programas que a marca promoverá em prol da sustentabilidade, serão Top Atlântico e estarão identificados com o selo “+Planeta”. O Core da nossa atividade são as Viagens, pelo que temos como caminho incontornável trazer componentes sustentáveis ao ato de viajar, promovendo uma oferta de Viagens com cariz mais sustentável, para os que queiram assumir esse compromisso”.

Entre os fatores essenciais pela Wamos Portugal estão os critérios definidos pela Global Sustainable Tourism Council e que obedecem a três pontos na Sustentabilidade Turística: Social, Cultural e Ambiental:

Assim, a exploração e assédio, desrespeito pelo trabalho decente, venda de artefactos ilegais ou comercio e exploração de espécies selvagens estão entre os fatores a ter em conta. Mas também fatores que não causem dano ao ambiente ou não sendo possível, criem mecanismos de compensação do dano causado; com impacto positivo na comunidade de acolhimento e no ecossistema do destino; que sejam um impulsionador na qualidade de vida local e promovam a preservação do património cultural; ou que constituam uma inspiração na sensibilização não só dos fornecedores, mas também nos colaboradores, clientes e em todas as pessoas que interagem na criação e usufruto das viagens, são destacados pela Wamos Portugal para a estes programas Top Atlântico +Planeta.

Apesar de ainda não possuir uma estrutura organizacional exclusivamente dedicada ao projeto da sustentabilidade, foi criada uma equipa multidisciplinar de colaboradores de todas as áreas, que voluntariamente dedicam parte do seu tempo a alimentar e dinamizar o Projeto de Sustentabilidade da Wamos Portugal.

Desde ações internas de redução de desperdício, à melhoria das condições dos colaboradores, à mobilização dos mesmos no apoio a entidades mais carenciadas entre outros, os projetos começam agora a ganhar forma, foi, também, criado um portal na Intranet do grupo, através do qual todos têm acesso aos objetivos globais e a todas as novas iniciativas, formações e dicas lançadas pela Equipa de Sustentabilidade.

Entre as iniciativas resultantes deste projeto está a criação de dois marketplaces onde colaboradores comercializam produtos biológicos e de produção própria e trocam bens usados, “sendo também uma fonte de reativação das relações sociais e de entreajuda entre colaboradores afastados fisicamente pela pandemia”, refere o grupo.

A marca refere ainda que os programas de Viagem + Sustentáveis privilegiam sempre “o recurso a fornecedores locais que contratam trabalhadores locais” de modo a promover “a economia dos lugares”, Além disso, os programas incluem, igualmente, visitas aos mercados locais onde os viajantes podem fazer compras que alimentem e promovam os comerciantes e comunidades locais; visitas a parques naturais; visitas ou interação com as comunidades; entre outras componentes”.

Além de “+Planeta” também “Criar Bosques”
Além do programa “+Planeta”, a Wamos Portugal assinou um protocolo com o programa “Criar Bosques” da Quercus, para que todos os programas de viagem contribuam com a plantação de árvores, criando, assim, uma base para compensação de CO2 produzida por cada viajante.

Margarida Blattmann, diretora de marketing do grupo salienta que “esta é uma gota no oceano”, admitindo, no entanto, que “temos tanto a fazer, nomeadamente no que respeita à sensibilização de parceiros e fornecedores que partilhem este desejo de tornarmos o Turismo mais sustentável”.

Por isso, a Wamos Portugal “quer dar o exemplo” e identificar parceiros turísticos nacionais e internacionais “com este mesmo propósito e que queiram trabalhar em conjunto”.

“Apenas com o envolvimento de todos seremos bem-sucedidos neste desafio que é tornar o nosso Planeta num local mais saudável, mais verde, mais cuidado, mais amigo e justo para todos os que dele desfrutam agora e para as futuras gerações”, conclui Margarida Blattman.

Sobre o autorVictor Jorge

Victor Jorge

Mais artigos
Artigos relacionados
Press Releases

Escola de Vinho do WOW lança Summer Wine School

A Escola de Vinho do WOW tem um novo modelo de formação vínica. Chama-se Summer Wine School

A Escola de Vinho do WOW tem um novo modelo de formação vínica. Chama-se Summer Wine School e é composto por um conjunto de módulos formativas. Cada sessão tem entre 30 a 45 minutos, é lecionada em português ou inglês e está limitada a 6 pessoas. Há sessões de segunda a sexta, sempre às 11h30 e às 15h. Às 17h30, há um desafio em jeito de prova cega para aplicar e testar conhecimentos.

“A ideia é que os interessados se inscrevem no número de módulos que pretender, sem compromisso de frequentar todos, afinal de contas é verão e entendemos que a oferta deva ser leve e descontraída. É uma oportunidade de aprender mais sobre um tema fascinante como o vinho. É perfeito para ocupação de tempos livres, em férias ou folgas, é um bom programa para fazer sozinho e conhecer pessoas ou para partilhar com amigos e família”, elucida José Sá, diretor da Escola de Vinho.

Por entre os vários módulos, os temas são os mais diversos, tais como: “Como provar vinho”, “Descobrir o Vinho do Porto”, “Crie a sua própria adega” ou “Vinhos do Norte de Portugal”. Haja sede de aprender e a Escola de Vinho encontra as respostas certas para melhorar a experiência vínica de cada um. Cada módulo tem o custo de 18 euros e a participação não carece de reserva, estando sujeita à capacidade de cada sessão.

Sobre o autorPublituris

Publituris

Mais artigos
Destinos

CEIT integra radar de inteligência turística de João Pessoa

O Radar de Inteligência da Economia do Turismo (RIET) é uma ferramenta que, numa primeira fase, vai permitir “mapear informações, dados e indicadores sobre a marca territorial”.

O CEIT – Centro Estratégico de Inovação Territorial estabeleceu uma parceria com a prefeitura de João Pessoa, no Brasil, e com a Universidade Federal da Paraíba, no âmbito da qual foi já lançado o Radar de Inteligência da Economia do Turismo (RIET), ferramenta que, numa primeira fase, vai permitir “mapear informações, dados e indicadores sobre a marca territorial”.

De acordo com um comunicado enviado à imprensa pelo CEIT, estes dados serão, depois, apesentados a “toda a cadeia de valor do turismo através de publicações, painéis, boletins económicos e anuários estatísticos dinâmicos”.

“Será focado no mercado interno, integrando um conjunto de pesquisas técnicas para identificar os impactos, comportamentos e perfis socioeconómicos dos visitantes”, acrescenta a informação divulgada.

O RIET vai também disponibilizar “o acesso aos resultados das sondagens empresariais que serão desenvolvidas pelo órgão municipal de turismo”, com o objetivo de “avaliar o desempenho dos diferentes segmentos”.

No âmbito desta iniciativa, vai ainda ser criada “uma linha de subsídios para a construção de cenários estratégicos para o desenvolvimento turístico da Capital da Paraíba”.

“A intenção é potenciar a marca João Pessoa alicerçada num turismo sustentável para que a cidade possa ser mais competitiva e atrativa, não só para os turistas, mas também para os pessoenses”, destaca Ferdinando Lucena, coordenador do RIET.

Já Daniel Rodrigues, secretário de Turismo de João Pessoa, sublinha a importância da ferramenta, cujos resultados “ajudarão o destino e os demais órgãos ligados ao turismo a criar uma linha de ação focada nas necessidades da economia do setor”.

A importância deste projeto é ainda destacada por Cristóvão Monteiro, presidente executivo do CEIT, que refere que o RIET vai apoiar “processos de gestão da marca territorial em tempo real”, sendo também “fulcral” para dar uma “resposta mais fundamentada aos desafios do futuro”.

Para o responsável, esta é mais uma oportunidade de estreitar relações entre Portugal e o Brasil de forma a construir uma autêntica plataforma de benchmarking intercontinental.

Sobre o autorPublituris

Publituris

Mais artigos
Hotelaria

GuestCentric deixa dicas para hotéis aumentarem reservas diretas este verão

À medida que os negócios se recompõem no verão de 2022, a Guestcentric Systems considera importante que os hoteleiros continuem a investir nos seus canais diretos e, neste sentido, deixa algumas sugestões para os hotéis aumentarem as suas reservas diretas.

Embora as OTAs (online travel agencies) possam dominar em termos de visibilidade online, os hotéis independentes têm a vantagem de conhecer os seus hóspedes e saber exatamente aquilo que estes gostam de fazer durante as suas estadias, indica este fornecedor de websites hoteleiros.

A GuestCentric desafia os hoteleiros a reavaliarem o seu principal canal de reservas diretas – o website do seu hotel – analisando como é que o site comunica a unidade hoteleira, como é que inspira os seus clientes com a história da sua marca, em que medida os conduz até à reserva efetiva. E deixa algumas dicas para ajudar o setor a obter mais reservas diretas neste verão.

Tendo em conta que o website do hotel é o primeiro ponto de contacto para os hóspedes compreenderem mais sobre o que podem esperar da unidade e do destino, será necessário, segundo a GuestCentric, assegurar que as visitas podem ser convertidas em reservas de estadias, para gerar mais negócio direto.  O primeiro passo é usar o poder visual do website para fazer com que os hóspedes sonhem em visitar o hotel.

Refira-se que um inquérito da Hospitality Net concluiu que a decisão de reservar é 60% emocional e 40% racional. As imagens não só valem mil palavras, como inspiram uma reação emocional nos hóspedes – que os levará a reservar ou a abandonar o website do hotel. Assim, a empresa diz que, usando o poder de fotografias e vídeos, durante a tomada de decisão dos hóspedes, o hotel consegue converter visitas em reservas.

Além disso, é importante saber o que os visitantes querem e orientar as suas decisões de reserva.

“Quando se trata de saber aquilo de que os hóspedes gostam, os hotéis têm uma grande vantagem sobre as OTAs porque observam, em primeira mão, as preferências dos clientes durante a sua estadia”, considera a Guestcentric Systems, para acrescentar que “o hotel deve assumir a liderança no processo de compreender bem os seus hóspedes. Caso contrário, é bem possível que deixe de beneficiar desta posição privilegiada”.

Depois de observar os hóspedes e compreender as suas preferências (ou aversões), há quatro passos que devem ser implementados pelo hotel no seu website: Criar ofertas e serviços em torno do que os hóspedes querem e incentivá-los a reservarem diretamente; Comunicar informações precisas e atualizadas sobre o hotel e destino; Manter e comunicar políticas flexíveis; Falar a mesma língua que os hóspedes.

Finalmente, a empresa destaca que, tal como no website do hotel, o motor de reservas deve encorajar todos os comportamentos ligados à compra em si. Assim, o melhor preço garantido, as ofertas especiais, promoções e alertas de ativação/recuperação de compras irão criar um sentido de urgência e inspirar os visitantes a reservar.

 

Sobre o autorCarolina Morgado

Carolina Morgado

Mais artigos
Destinos

Portugal entre os destinos mais procurados pelos americanos para o 4 de julho, revela a Mabrian

Entre os destinos europeus mais procurados pelos americanos para os feriados do 4 de julho, Portugal só é ultrapassado pela Espanha. No que diz respeito aos preços, a consultora refere que o nosso país apresenta os voos com os preços mais em conta.

Portugal aparece entre os destinos internacionais mais procurados pelos norte-americanos para o fim de semana do feriado nacional de 4 de julho. De acordo com os dados da Mabrian, Portugal só é suplantando pelo México e Espanha.

Enquanto Portugal aparece com mais de 13 milhões de buscas, à frente da Grécia (com 11,7 milhões), Itália (com 10,3 milhões) e França (com 9,6 milhões), a liderança pertence ao México, destino que registou 36 milhões de buscas. Já Espanha aparece em segundo lugar e primeiro destino europeu procurado neste ranking, mercê das mais de 20 milhões de buscas.

Segundo os dados analisados pela Mabrian, regista-se uma procura crescente, indicando, igualmente, que “Grécia e Itália são os destinos com maior interesse dos americanos”.

No que diz respeito aos preços, a Mabrian indica que os preços mais competitivos para voos diretos (uma viagem) a partir dos EUA têm como destinos o México e a República Dominicana, com valores a não excederem os 350 euros. Já os preços mais caros para voos diretos a partir dos EUA e com destino à Europa, têm como destino a Grécia, apontando a Mabrian valores médios de 1.000 euros.

Para a Europa, Portugal aparece, novamente, bem classificado, com os valores mais baixos entre os destinos europeus, com um preço médio de 670 euros.

Em média, os preços para os destinos europeus começam nos 855 euros.

Sobre o autorPublituris

Publituris

Mais artigos
Alojamento

Novo cinco estrelas Art Legacy Hotel abre em Lisboa até ao final do ano

O Art Legacy Hotel vai contar com 53 quartos e cinco suites, e vai funcionar num conceito “top luxury”, ficando localizada na Rua do Ouro, na Baixa lisboeta.

O AT Group vai abrir, até ao final do ano, um novo hotel de cinco estrelas em Lisboa, o Art Legacy Hotel, unidade de luxo, com 53 quartos e cinco suites, que fica localizada na Rua do Ouro, na Baixa lisboeta.

Num comunicado divulgado esta quinta-feira, 30 de junho, o AT Group revela que o Art Legacy Hotel vai posicionar-se “num conceito “top luxury”, que se impõe desde logo pela originalidade do Design Mooi, marca de referência na área de decoração a nível internacional”.

“O Art Legacy apresenta-se assim com um diferencial de imagem que, do mobiliário dos quartos e casas-de-banho, aos quadros e outras peças decorativas, assenta na diferenciação, bom gosto e modernidade”, indica o grupo, no comunicado divulgado.

A unidade fica localizada no edifício onde, no passado, funcionaram os escritórios da Companhia de Seguros Sagres, em plena Baixa lisboeta, e que foi reabilita e convertido em hotel pelo arquiteto Luis Rebelo de Andrade.

 

Sobre o autorPublituris

Publituris

Mais artigos
Meeting Industry

Madeira acolhe edição especial “Madeira acolhe edição especial “M&I VIP Connect”

A Worldwide Events promove até ao dia 06 de julho, quarta-feira, na Madeira, a edição especial “M&I VIP Connect”. Trata-se de um evento privado, destinado a profissionais de elite da indústria MICE, desenhado para reunir buyers e supplier.

Para além das reuniões one to one, o evento inclui também um programa social com experiências no destino.

Esta edição com destaque especial na sustentabilidade, um desafio permanente para a indústria, conta com a parceria entre a Worldwide Events e especialistas suecos como o Hermes Group e o Climate First, que irão partilhar conhecimentos e perspetivas sobre o futuro eco friendly deste setor.

O mote do evento é a partilha de conhecimento entre os principais players do segmento MICE e, por isso, os convidados do M&I VIP Connect terão oportunidade de trocar ideias para o crescimento de uma indústria mais sustentável e apresentar as iniciativas já implementadas, com o objetivo de alcançar uma maior consciencialização sobre o impacte do turismo no planeta.

Sobre o autorPublituris

Publituris

Mais artigos
Transportes

KLM reembolsa empréstimo do Governo neerlandês

Com este pagamento, a KLM reembolsa a totalidade dos empréstimos contraídos junto do Governo neerlandês e bancos, no valor de 942 milhões de euros. A companhia refere, contudo, que tem ainda á disposição uma linha de crédito futuro de 2,4 mil milhões de euros.

A KLM Royal Dutch Airlines anunciou o pagamento de 277 milhões de euros relativamente ao empréstimo contraído junto do Governo neerlandês e bancos, em 2020, por causa da pandemia da COVID-19.

A companhia de bandeira dos Países Baixos contraiu um total de 942 milhões de euros de uma linha de crédito que ascendeu aos 3,4 mil milhões de euros.

Com este pagamento, a KLM conclui o pagamento de todos os empréstimos contraídos. Em três etapas, a KLM já tinha pago 311 milhões de euros aos bancos a 3 de maio e outros 354 milhões de euros a 3 de junho, correspondendo ao pagamento da quantia total em empréstimos bancários de 665 milhões de euros. Ao reembolsar agora os restantes 277 milhões de euros, a KLM também resgatou a parte do empréstimo emitida pelo Governo neerlandês.

Vários fatores, incluindo “a saída de 6.000 funcionários da KLM, uma forte redução nos custos, a remoção das restrições de viagem e a crescente procura por passagens aéreas permitiram à KLM reembolsar os empréstimos contraídos, refere a companhia.

Apesar da recente recuperação do setor da aviação, o futuro próximo permanece “incerto” devido a fatores como a “alta taxa de inflação, custos crescentes, presença constante da COVID-19 em todo o mundo e volatilidades geopolíticas como a guerra na Ucrânia”, salienta a companhia.

Como resultado, a KLM decidiu manter o acesso ao crédito futuro sendo que, após o reembolso do empréstimo, “a KLM continuará a ter à sua disposição uma linha de crédito de 2,4 mil milhões de euros (723 milhões de euros de empréstimos governamentais e 1,735 mil milhões de euros dos bancos), permitindo-lhe fazer uso das opções de financiamento existentes”, refere a companhia.

A KLM conclui, no entanto, que as previsões atuais mostram que a companhia dispõe de “recursos financeiros suficientes para os próximos anos”.

Sobre o autorVictor Jorge

Victor Jorge

Mais artigos
Transportes

TAAG já voa para Madrid

As ligações aéreas decorrem às quintas-feiras e domingos, no sentido Luanda-Madrid, enquanto em sentido contrário há voos às segundas e sextas-feiras. Os voos são realizados num avião Boeing 777-300ER, com capacidade para 293 passageiros.

A TAAG – Linhas Aéreas de Angola abriu segunda-feira, 27 de junho, a nova rota que passou a ligar Luanda à capital espanhola, numa operação que conta com dois voos por semana e que, segundo Eduardo Fairen, CEO da companhia aérea angolana, “representa a vontade da TAAG em promover uma maior ligação entre África e a Europa”.

“Esta nova rota Luanda-Madrid-Luanda representa a vontade da TAAG em promover uma maior ligação entre África e a Europa. Estamos focados em aumentar a nossa rede de destinos e a oferecer aos nossos clientes o melhor serviço possível. Estamos entusiasmados com o acordo com a IBERIA que permite que cada companhia possa incorporar a rede do parceiro na sua oferta de destinos, e proporcionar às famílias e ao segmento corporativo mais opções de viagens a partir do nosso hub de Luanda para a Europa, via Madrid”, congratula-se o CEO da TAAG.

Os voos para Madrid são realizados em aviões m Boeing 777-300ER, com capacidade para 293 passageiros, incluindo 12 na classe business plus, 56 lugares na classe standard business e 225 lugares na classe económica.

As ligações aéreas decorrem às quintas-feiras e domingos no sentido Luanda-Madrid, partindo de Luanda pelas 21h00 para chegar a Madrid às 05h15 (+1), enquanto no sentido contrário os voos são às segundas e sextas-feiras, com saída da capital espanhola pelas 23h55, enquanto a chegada a Luanda está prevista para as 06h25 (+1).

Nesta operação, a TAAG estabeleceu um acordo de codeshare e interline com a Iberia, o que permite que os passageiros oriundos de Luanda possam, através de um bilhete único, pago em Kwanzas, chegar a Madrid como destino final ou escala para um voo de ligação (operado pela IBERIA) para diversas cidades em Espanha e na Europa, incluindo o Porto.

“Os passageiros beneficiam de mais destinos para fins de turismo bem como, os empresários interessados em conhecer e investir em Angola e demais geografias cobertas pela TAAG (vice-versa) passam a ter múltiplas possibilidades de ligação Europa-África-América latina”, sublinha ainda a TAAG.

O voo inaugural da TAAG para Madrid contou com uma delegação composta por entidades governamentais de Angola e Espanha, incluindo a administração da TAAG, representantes do tecido empresarial e os primeiros passageiros regulares.

O início dos voos foi ainda assinalado já em Madrid, com um evento comemorativo com entretenimento cultural típico de Angola e de Espanha que juntou vários stakeholders, com destaque para a presença do Embaixador de Angola em Espanha, José Luís de Matos Agostinho, e do Embaixador do Reino de Espanha em Angola, Manuel Lejarreta.

 

 

 

Sobre o autorPublituris

Publituris

Mais artigos
Destinos

Viseu Dão Lafões aspira a números históricos este verão

A região Viseu Dão Lafões pretende atingir números históricos este verão, e entende que os pode conseguir com a nova campanha de promoção turística que acaba de lançar, que aposta nas caraterísticas mais fortes e identitárias do território.

“Queremos impulsionar aquele que pode vir a ser o melhor verão de sempre para o turismo da região”, afirma Fernando Ruas, presidente da Comunidade Intermunicipal (CIM) Viseu Dão Lafões, entidade responsável pela campanha.

Designada “Um Verão sem Comparação”, a campanha está sustentada naquilo que de melhor existe nos 14 municípios que a compõem e vem impulsionar aquele que poderá ser “um verão histórico” para o turismo local.

“Queremos com esta campanha impulsionar um desempenho que será a todos os títulos excecional, pelo que representa em termos de recuperação dos anos marcados pela pandemia, e considerando até os melhores números anteriores”, destacou o presidente da CIM Viseu Dão Lafões.

Na campanha, o território de Viseu Dão Lafões assume-se como ponto de referência para as férias de sonho dos amantes da natureza, dos apaixonados pela gastronomia e vinhos, bem como de todos os adeptos de propostas de saúde e bem-estar, que, sozinhos ou acompanhados, desejam tirar o melhor partido do seu tempo de lazer, indica nota de imprensa da entidade.

 

A campanha sucede a uma proposta anterior, “O Verão é Aqui!”, que foi dinamizada no verão de 2021.

Com uma comunicação a ser desenvolvida em diferentes formatos e plataformas (em meios físicos, online, na rádio e na imprensa escrita), focada nas experiências que o território pode oferecer a quem o visita, esta campanha, de âmbito nacional, está ancorada nas mais-valias da região, composta por 14 municípios.

Paralelamente, a CIM aposta na iniciativa “Viseu Dão Lafões Pé ante Pé”, uma proposta de ativação da Rede de Percursos Pedestres da região, desenvolvida em colaboração com os municípios. Esta iniciativa apresenta um calendário de 14 caminhadas – uma por cada município da CIM Viseu Dão Lafões –, com níveis de dificuldade que variam entre o 1 (fácil) e o 2 (médio).

 

Sobre o autorPublituris

Publituris

Mais artigos
Transportes

Operação de verão da British Airways para os Açores arranca sábado

A operação sazonal da British Airways, que liga o aeroporto de London Heathrow e Ponta Delgada, nos Açores, conta com um voo por semana, aos sábados, até ao final do verão.

Publituris

A British Airways começa este sábado, 2 de julho, a operação de verão entre o aeroporto de London Heathrow e Ponta Delgada, nos Açores, e que conta com um voo por semana, aos sábados, até ao final do verão.

“Tendo sempre em vista a promoção do destino, o alargamento de acessibilidades e a captação de novas rotas, esta é mais uma conquista da Associação de Turismo dos Açores (ATA) que visa contribuir para o sucesso inequívoco da retoma do setor na Região Autónoma dos Açores”, sublinha a associação, num comunicado divulgado esta quinta-feira, 30 de junho.

No total, a British Airways vai realizar 10 voos para Ponta Delgada este verão, ligações aéreas que vão ser operadas num avião Airbus A320-NEO, com 180 lugares, o que totaliza 1.800 lugares disponibilizados no conjunto desta operação aérea sazonal.

“A presença da British Airways nos Açores no verão 2022 demonstra o trabalho de consolidação da promoção dos Açores que a ATA tem vindo a desenvolver, em particular no Reino Unido. É uma grande oportunidade para o setor do turismo dos Açores, na medida em que o Reino Unido é um importante mercado internacional emissor de turistas nos Açores e a British Airways uma das mais importantes companhias aéreas mundiais, com potencial para estimular novos segmentos de mercado”, congratula-se Carlos Morais, presidente da ATA.

Para estimular a procura pelos Açores, a ATA e a British Airways lançaram uma campanha de marketing conjunta que está atualmente em vigor, estando ainda previsto o desenvolvimento de várias ações promocionais por parte da associação e que vão decorrer em “parceria com os operadores turísticos do mercado do Reino Unido”.

Paralelamente, a ATA vai também promover a organização de “viagens educacionais com jornalistas, com vista ao necessário aumento da notoriedade do destino Açores naquele mercado”.

 

Sobre o autorPublituris

Publituris

Mais artigos

Navegue

Sobre nós

Grupo Workmedia

Mantenha-se conectado

©2021 PUBLITURIS. Todos os direitos reservados.