“TAP faz aquilo que as suas principais concorrentes fazem por toda a Europa”, diz Pedro Nuno Santos

Por a 16 de Junho de 2021 as 11:17

O ministro das Infraestruturas e da Habitação, Pedro Nuno Santos, justificou esta terça-feira, 15 de junho, a estratégia que a TAP tem vindo a seguir, e que passa pelo lançamento de rotas de médio e longo curso no hub de Lisboa, considerando que a companhia de bandeira nacional faz “aquilo que as suas principais concorrentes fazem por toda a Europa” e que é a única estratégia que permite a sobrevivência destas companhias.

“A TAP faz em Portugal aquilo que as suas principais concorrentes fazem por toda a Europa. Tem sido essa a tendência do mercado da aviação nos últimos anos, uma especialização nos hubs e nas ligações de longo curso”, afirmou o governante durante a sua intervenção na inauguração da base da easyJet em Faro, explicando, mais tarde, aos jornalistas, que esta é  a “única estratégia que permite às companhias aéreas de bandeira europeias sobreviverem”.

Para Pedro Nuno Santos, “isso aumenta ainda mais a importância” de investimentos como o da easyJet em Faro, uma vez que Portugal também precisa de ter companhias aéreas “a apostar em investir em operações nos outros aeroportos” do país.

O ministro das Infraestruturas e da Habitação sublinhou ainda a “excelente relação” que o Estado português tem com a easyJet, uma  companhia aérea que “respeita a legislação nacional e a legislação laboral”, destacou o governante, numa clara alusão aos conflitos com a Ryanair, com quem Pedro Nuno Santos tem vindo a trocar críticas na comunicação social, seja por a transportadora não cumprir a legislação laboral, seja pelos apoios públicos concedidos à TAP.

“A easyJet é uma companhia aérea que tem uma excelente relação com o estado português, existe uma relação de respeito mútuo entre nós. É uma companhia aérea que não tem nenhum conflito social com organizações sindicais representativas dos trabalhadores em Portugal, é uma companhia que respeita a legislação nacional e a legislação laboral. E isso é, obviamente, também um motivo de satisfação muito grande para nós, porque podemos ter uma relação estável, construtiva e de respeito mútuo”, afirmou.

Deixe aqui o seu comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *