Assine já
Destinos

“Aquilo que mais confiança nos dá é o facto de termos uma marca forte”

Presidente do Turismo de Portugal, Luís Araújo, foi um dos participantes no webinar “O poder das marcas regionais”, promovido esta sexta-feira, 5 de fevereiro, pelo TPNP.

Inês de Matos
Destinos

“Aquilo que mais confiança nos dá é o facto de termos uma marca forte”

Presidente do Turismo de Portugal, Luís Araújo, foi um dos participantes no webinar “O poder das marcas regionais”, promovido esta sexta-feira, 5 de fevereiro, pelo TPNP.

Inês de Matos
Sobre o autor
Inês de Matos
Artigos relacionados
SET: “Temos de liderar o futuro”
Homepage
Publituris Hoje: “Não fechamos a porta a nenhum mercado”
Homepage
Turismo de Portugal investe 100 mil euros na campanha ‘Portugal.The Summer’
Homepage
SET anuncia nova call do programa Valorizar para “muito brevemente”
Homepage

O presidente do Turismo de Portugal, Luís Araújo, considerou esta sexta-feira, 5 de fevereiro, que o facto de Portugal ter conseguido construir “uma marca forte, que se impos em todo o mundo enquanto destino turístico”, permite ter “mais confiança” no futuro.

“Aquilo que mais confiança nos dá, relativamente à luz ao fundo do túnel, é o facto de termos uma marca forte, que se impos em todo o mundo enquanto destino turístico, juntamente com as sete marcas regionais”, disse o responsável, durante o webinar “O poder das marcas regionais”, promovido pelo Turismo do Porto e Norte de Portugal (TPNP).

Reflexo do poder da marca que Portugal conseguiu construir é o feedback dos turistas que visitam Portugal que, segundo Luís Araújo, confirmam que a experiência proporcionada por Portugal supera as expetativas.

“Isto vê-se nos comentários que sentíamos e ouvíamos quando viajávamos, na expressão de felicidade de qualquer um dos 27 milhões de turistas que esteve em Portugal em 2019, assim como na experiência e superação das expetativas de cada pessoa que vem ao nosso país. Isso sim é a força de uma marca”, acrescentou.

Mas o presidente do Turismo de Portugal entende que, para o sucesso da marca Portugal, contribuem também outros três fatores, com destaque para a autenticidade da experiência que o destino é capaz de proporcionar, com o responsável a afirmar que, neste ponto, o “melhor aliado” do país “é o digital, que pode levar esta palavra, imagem e a marca Portugal muito mais longe”.

Já o segundo fator apontado por Luís Araújo é a sustentabilidade nas suas vertentes turística, ambiental e social, com o responsável a considerar que a sustentabilidade “não é só uma questão de marketing, é uma questão de experiência, de servir de exemplo e de Portugal liderar, também aqui, o turismo do futuro”.

O terceiro e último fator que contribui para o sucesso da marca Portugal é constituído pelas pessoas, com o presidente do Turismo de Portugal a explicar que, neste ponto, o sucesso se prende “com a forma como se lida ou promove uma marca, associando-a às pessoas”.

“Esse, sim, é o grande trunfo do nosso país. A força da marca Portugal e das marcas regionais está muito ancorada naquilo que são as pessoas, na autenticidade, simpatia e na forma como prestamos experiências a quem nos visita”, acrescentou.

Para Luís Araújo, estes três fatores são essenciais para a construção de uma marca e ajudam a explicar também a confiança com que o Turismo de Portugal olha para a retoma da atividade turística que, defendeu, poderá chegar muito mais brevemente do que aquilo que se previa.

“Estes são os três elementos essenciais que devem constituir uma marca no futuro e que nos dão muita confiança para aquilo que será a retoma, que esperamos que seja muito mais breve do que aquilo que esperamos e acreditamos que os sinais são positivos relativamente a isso”, afirmou.

 

 

 

 

 

 

Sobre o autorInês de Matos

Inês de Matos

Mais artigos
Artigos relacionados
Aviação

Aeroportos portugueses atingem nível 4 da acreditação ambiental

Os aeroportos portugueses geridos pela VINCI foram reconhecidos pela sua contribuição para a descarbonização do setor da aviação, tendo atingido o nível quatro da acreditação ambiental da Airport Carbon Accreditation (ACA).

Atingiram este nível da acreditação ambiental nove aeroportos portugueses: Lisboa, Porto, Faro, Ponta Delgada, Santa Maria, Horta, Flores, Madeira e Porto Santo.

Este nível atesta que os aeroportos definiram uma estratégia de gestão de carbono a longo prazo, orientada para a redução absoluta das suas emissões (âmbitos 1 e 2), alinhada com os objetivos do Acordo de Paris, e que desenvolvem em conjunto com os seus parceiros (incluindo as companhias aéreas) uma estratégia de redução das emissões.

A VINCI Airports, destaca, em nota de imprensa, ter sido a primeira operadora aeroportuária a lançar uma estratégia ambiental internacional, em 2016, e a primeira a ter todos os seus 53 aeroportos, em 12 países, a aderir ao programa ACA, tendo atingido agora 12 aeroportos acreditados no nível 4 (nove em Portugal e três em Kansai, Japão).

A ANA Aeroportos de Portugal e a VINCI Airports estão a implementar o seu plano de ação ambiental em torno de quatro prioridades, que passam, designadamente pelo desenvolvimento de energia fotovoltaica nos aeroportos, implementação de soluções para companhias aéreas e passageiros através de uma ferramenta para a monitorização em tempo real das emissões de CO2 durante o taxiing das aeronaves, a adesão ao Fórum do Carbono, iniciativa que junta companhias aéreas, parceiros aeroportuários, câmaras municipais e empresas de transporte, para em conjunto diminuir a pegada carbónica no setor da aviação, bem como participação em ações do Programa de Reflorestação VINCI Airports.

Refira-se que, através da sua rede global, a empresa já reduziu as suas emissões brutas de CO2 em quase 30% entre 2018 e 2021 e tem como objetivo atingir zero emissões líquidas de carbono até 2030 para os seus aeroportos na União Europeia.

Sobre o autorPublituris

Publituris

Mais artigos
Eventos Publituris

Meeting Forums do Publituris contam já com 18 ’buyers’ internacionais

A 7.ª edição dos Meeting Forums do jornal Publituris, que decorre de 21 a 23 de junho, no Vila Galé Sintra Resort Hotel Conference & Spa, em Sintra, conta já com a confirmação de 18 ‘buyers’ internacionais e 18 ‘suppliers’ nacionais.

O jornal Publituris vai realizar a 7.ª edição dos Meeting Forums, de 21 a 23 de junho de 2022, em Sintra, no Vila Galé Sintra Resort Hotel Conference & Spa, contando já com a confirmação de 18 buyers internacionais e 18 suppliers nacionais.

Esta edição dos Meeting Forums, em co-organização com o Turismo de Portugal, conta com a TAP como companhia aérea oficial, e a PHC Hotels, YVU Produções, Tivoli Oriente, Associação Turismo de Sintra e Hotéis Vila Galé como parceiros.

No evento marcarão presença buyers dos mercados identificados como estrategicamente importantes para o mercado português.

Os buyers internacionais confirmados até agora são:

  • CCMG – Congress Consulting Management Group – Dinamarca
  • HBC Luxury Mice – Frankfurt (Alemanha)
  • Immens-Events – Munique (Alemanha)
  • Komp-Idee Marketing & Event – Estugarda (Alemanha)
  • Corporate Travel Agency s.r.o. – Praga (Rep. Checa)
  • Nyhavn Erhverv (Groups, Events & Incentives) – Dinamarca
  • Vice-versa – Dinamarca
  • Dan Tours – Ontario (Canadá)
  • Voyages Vision Travel – Virtuoso Member – Montreal (Canadá)
  • Goway Travel – Toronto (Canadá)
  • New Wave Travel – Toronto (Canadá)
  • The Travel Agent Next Door – Toronto (Canadá)
  • Exotik Journeys Travelbrands – Montreal (Canadá)
  • Windrose – Berlim (Alemanha)
  • Zitango Travel – Miami (EUA)
  • CVC Viagens – Brasil
  • Oner Travel – Brasil
  • Crescent Associates – (Reino Unido)

Os suppliers nacionais confirmados até esta data são:

  • Hotel Cascais Miragem
  • Hotel Palácio Estoril
  • Grupo Nau
  • Hotéis Olissippo
  • Pestana Hotels & Resorts
  • Go Health Portugal
  • EcorkHotel Évora
  • The Editory Hotels
  • PHC Hotels
  • Domitur DMC
  • Bensaude Hotels Collection
  • Around Portugal DMC
  • Azoris Hotels & Leisure
  • Vila Galé Hotéis
  • Liberty International DMC
  • Voqin
  • Picos de Aventura
  • Minor Hotels

Para além do programa de reuniões, haverá também um programa social que inclui cocktail, almoços, jantares exclusivos, animação e um programa de atividades que promovem o networking entre os diversos participantes.

Para mais informações contactar Lídia Luís: [email protected] / Telm.: +351 913 256 261

Sobre o autorPublituris

Publituris

Mais artigos
Destinos

Japão reabre fronteiras a turismo de grupo a 10 de junho

Serão 98 os países que, a partir de 10 de junho, poderão entrar com grupos de turistas no Japão. Além disso, passarão a ser sete os aeroportos que aceitarão voos internacionais.

O Japão vai permitir a entrada de grupos de turistas de 98 países a partir de 10 de junho, pondo fim a mais de dois anos de fronteiras fechadas a visitantes devido à pandemia da COVID-19.

A lista de 98 países e regiões, onde a situação da COVID-19 é considerada como relativamente estável, inclui os Estados Unidos, Reino Unido, Canadá, Austrália, Rússia e as vizinhas China, Taiwan e Coreia do Sul, assim como Brasil, Moçambique e Timor-Leste, de acordo com o anúncio feito na quinta-feira pelo primeiro-ministro japonês, Fumio Kishida.

O Japão vai também aumentar o número de aeroportos que aceitam voos internacionais para sete, adicionando Naha em Okinawa, no Sul, e Shin-Chitose em Hokkaido, no Norte.

Todos os turistas devem apresentar um teste com resultado negativo à COVID-19 antes de viajar para o Japão e alguns serão ainda testados novamente à chegada.

Pessoas já vacinadas com a dose de reforço poderão evitar o teste adicional, bem como uma quarentena de três dias.

Os turistas serão acompanhados e terão de respeitar o uso de máscara e outras medidas impostas para controlar a pandemia no Japão.

O anúncio acontece depois do Governo ter anunciado na semana passada que iria testar este mês pacotes turísticos para pequenos grupos vindos dos Estados Unidos, Austrália, Tailândia e Singapura.

O teste-piloto, que envolve apenas 50 pessoas que receberam vistos especiais, em vez de vistos de turista, deve terminar na terça-feira.

Durante a maior parte da pandemia, o Japão impediu a entrada de turistas e permitiu apenas o regresso de cidadãos japoneses e residentes estrangeiros, embora com algumas restrições.

“O intercâmbio livre e ativo de pessoas é a base da economia e da sociedade, bem como do desenvolvimento da Ásia”, disse Kishida.

O primeiro-ministro japonês disse que o objetivo é facilitar as medidas de controlo de fronteira, mas de forma gradual, pois a população apoia as restrições atuais.

O limite diário de entrada do Japão de passageiros em voos internacionais vai duplicar a partir de quarta-feira, para 20 mil pessoas, disse o responsável pelo gabinete encarregado das medidas de controlo da pandemia, Makoto Shimoaraiso.

Antes da pandemia, a economia japonesa dependia cada vez mais do turismo, tendo o país atingido um novo recorde, em 2019, ao receber 31,9 milhões de visitantes estrangeiros.

O Japão tinha estabelecido como objetivo 40 milhões de turistas em 2020, ano em que originalmente seriam realizados os Jogos Olímpicos de Tóquio. A pandemia arruinou esse objetivo e os Jogos foram adiados para 2021, tendo decorrido com muitas limitações.

Sobre o autorPublituris

Publituris

Mais artigos
Destinos

Países Bálticos e Nórdicos mostram oferta em Lisboa para impulsionar mercado português

O Workshop dos Países Bálticos e Nórdicos contou com a participação de seis empresas de serviços turísticos destes países, recebeu cerca de 20 representantes de agências de viagens e operadores turísticos nacionais, e mereceu balanço positivo.

Os países Bálticos e Nórdicos promoveram esta quinta-feira, 26 de maio, um workshop na capital portuguesa para dar a conhecer a oferta turística que disponibilizam, com o objetivo de estimular o contacto e negócios com o trade turístico nacional e, com isso, aumentar o número de turistas portugueses que visitam o destino.

A iniciativa, que contou com a participação de seis empresas que fornecem serviços turísticos nestes países, entre hotelaria, regiões de turismo, transportes marítimos, museus e atividades de animação turística, e recebeu cerca de 20 representantes de agências de viagens e operadores turísticos nacionais, mereceu um balanço positivo.

“Tentámos trazer aqui um pouco da oferta turística dos Países Nórdicos e Bálticos, porque queremos que as agências de viagens portuguesas, operadores turísticos e de incentivos conheçam aquilo que estes países têm para oferecer e possam iniciar conversações e uma cooperação enquanto distribuidores do produto”, explicou Sami Auvinen, CEO da Inseltrade, uma consultora que promove oportunidades de negócio em Portugal e Espanha junto das empresas destes países e que organizou a iniciativa com a APG Portugal.

De acordo com o responsável, são ainda poucos os portugueses que visitam os países Bálticos e Nórdicos, pelo que esse foi também um dos objetivos deste workshop, que decorreu no Neya Lisboa Hotel.

“Claro que esperamos que, com esta ação, mais portugueses possam visitar estes países, tanto no verão como no inverno. Sabemos que o inverno é mais famoso por causa do Natal, do Pai Natal na Lapónia e dos Mercados de Natal, mas penso que estes são também destinos perfeitos para o verão”, acrescentou o CEO da Inseltrade.

Com um verão mais ameno, os países Bálticos e Nórdicos oferece, segundo o responsável, “locais muito agradáveis para visitar nesta altura, como lagos, alojamento de verão e atividades muito variadas”, grande parte delas na natureza.

Sami Auvinen mostra-se por isso confiante que o workshop “vai cumprir o seu objetivo”, ainda que admita que este países venham a sofrer algum impacto no turismo devido à guerra na Ucrânia, até pelo receio devido à proximidade ao conflito militar, apesar de não acreditar que a guerra se possa alargar a algum dos países Bálticos ou Nórdicos.

“A guerra vai afetar o turismo, não temos dúvidas. A guerra está a decorrer na Ucrânia e não acredito, sinceramente, que se vá alargar aos países Bálticos ou Nórdicos. Esse é um longo debate, não vejo que isso possa acontecer, mas é perfeitamente natural que as pessoas tenham medo de viajar para esses países”, admitiu, garantindo, no entanto, que estes são “países pacíficos e seguros”.

Eckerö Line Ab Oy, Finnlines Oyj, Hotel Kalevala/Arctic Lakeland, Paljakka Finland / Arctic Lakeland, Vasa Museum e Vuokatti Finland foram as empresas dos Países Bálticos e Nórdicos que marcaram presença neste workshop que, além de Lisboa, passou também por Barcelona e Madrid, em Espanha.

Sobre o autorInês de Matos

Inês de Matos

Mais artigos
Distribuição

Soltour e Bahia Principe Hotels & Resorts lançam campanha para umas Caraíbas diferentes

O operador turístico Soltour e os Bahia Principe Hotels & Resorts propõem uma Caraíbas diferentes numa campanha criada por e para as agências de viagens, tanto em Portugal como em Espanha.

Trata-se de uma curta-metragem que nos convida a viver uma experiência completa neste destino, mais além do sol e da praia, protagonizado pelo ator espanhol Hugo Silva e dirigida pelo realizador Daniel Sánchez-Arévalo.

O operador turístico e a cadeia hoteleira unem forças para realçar este destino como um lugar onde se pode desfrutar de experiências únicas para além do tradicional pôr do sol e da praia, ao mesmo tempo que pretendem reforçar a sua ligação com os intermediários turísticos, fator chave no aconselhamento destes destinos.

Desta forma, a campanha trabalha a sustentabilidade do setor, centrando-se num modelo de distribuição através das agências de viagens, fazendo com que o ecossistema turístico seja sustentável.

Além disso, as suas empresas querem gerar tráfego para as agências de viagens, para o qual realizaram um acordo com a Google. Através de um sistema pioneiro de A.I. no setor do turismo, será possível medir o redirecionamento do tráfego em tempo real para as agências de viagens. A estratégia é impulsionada pela denominada campanha Maximum Performance (PMax) para visitas a lojas, que permitirá chegar ao público mais suscetível de reservar um pacote de férias numa agência de viagens.

Com um total de três resorts na região: o Bahia Principe Grand El Portillo, o Bahia Principe Grand Cayacoa e o Bahia Principe Luxury Samaná, e um voo semanal de Madrid e Lisboa entre 03 de julho e 11 de setembro, Samaná, localizada na costa nordeste da República Dominicana, é um dos locais destacados.

Cayo Levantado Resort reabre remodelado em 2023

Em março de 2023, o Cayo Levantado Resort, na ilha de Cayo Levantado, juntar-se-á ao portefólio da empresa. Após uma abrangente remodelação, abrirá as suas portas com base em três pilares fundamentais: sustentabilidade; ambiente; cultura local e bem-estar.

A unidade hoteleira, que contará com um total de 218 quartos, aposta no conceito “Ritmo Escondido”, que inspirou o projeto do novo resort, pela mão de uma equipa de designers de interiores e arquitetos dominicanos para refletir a cultura dominicana através das suas diferentes áreas. O resort terá uma proposta gastronómica e de cocktails, com restaurantes e bares, incluindo alguns de renome internacional.

Além disso, outro exemplo de umas Caraíbas diferentes é a proposta que a Soltour e os hotéis Bahia Principe Hotels & Resorts oferecem nas Caraíbas mexicanas, especificamente na área de Tulum, Riviera Maya. Aí, os hotéis Bahia Principe Hotels & Resorts contam com um portefólio de quatro resorts, todos localizados em áreas estratégicas: o Bahia Principe Grand Tulum, que reabriu em 2020 após uma remodelação completa, o Grand Coba, o Luxury Akumal e o Luxury Sian Ka’an (apenas para adultos).

Sobre o autorPublituris

Publituris

Mais artigos
Natureza Fotos de banco de imagens por Vecteezy
Destinos

Centro e Porto e Norte de Portugal juntam-se aos Observatórios Regionais de Turismo Sustentável

O Observatório para o Turismo Sustentável do Centro de Portugal e o Observatório para o Turismo Sustentável do Porto e Norte juntam-se ao Observatório do Turismo Sustentável do Alentejo (ASTO), dos Açores e o Observatório Regional para o Turismo Sustentável do Algarve (AlgSTO).

O Observatório para o Turismo Sustentável do Centro de Portugal e o Observatório para o Turismo Sustentável do Porto e Norte foram recentemente lançados através da formalização dos respetivos protocolos entre as entidades envolvidas.

Ambos os observatórios pretendem ser reconhecidos pela Organização Mundial do Turismo (OMT) enquanto membros da sua Rede Internacional de Observatórios de Turismo Sustentável (INSTO), consolidando assim a posição de Portugal como líder da monitorização da sustentabilidade dos destinos. Atualmente Portugal tem três observatórios a funcionar na rede nacional: o Observatório do Turismo Sustentável do Alentejo (ASTO), o Observatório de Turismo dos Açores e o Observatório Regional para o Turismo Sustentável do Algarve (AlgSTO), todos pertencentes à rede internacional da OMT (INSTO).

De referir que o Turismo de Portugal tem vindo a trabalhar com as entidades regionais para a criação de observatórios de sustentabilidade nas diversas regiões, dando prossecução aos objetivos definidos na Estratégia Turismo 2027 que preconiza que o destino Portugal se deve posicionar como um dos mais competitivos e sustentáveis do Mundo. O objetivo, segundo a entidade, é “obter um conhecimento aprofundado dos impactes da atividade no território e uma maior eficiência no planeamento e gestão dos destinos”.

Enquanto autoridade turística nacional e responsável pela implementação do Plano “Reativar o Turismo |Construir o Futuro”, o Turismo de Portugal tem vindo a desenvolver uma série de iniciativas para afirmar o turismo como hub para o desenvolvimento de todo o território, desencadeando ações e iniciativas várias, e estabelecendo metas específicas de sustentabilidade, nomeadamente através do recentemente lançado Plano Turismo +Sustentável 20-23.

Sobre o autorPublituris

Publituris

Mais artigos
Transportes

Eurowings Discover inaugura rota entre Frankfurt e o Porto Santo

Nova operação sazonal da Eurowings Discover conta com um voo por semana, às quintas-feiras, até 27 de outubro.

A Eurowings Discover, companhia aérea do grupo Lufthansa, inaugurou esta sexta-feira, 27 de maio, uma nova rota sazonal direta entre Frankfurt, na Alemanha, e o Porto Santo, na Madeira, numa operação que se vai manter até 27 de outubro.

De acordo com um comunicado da ANA – Aeroportos de Portugal/Vinci Airports, esta nova operação é realizada em aviões Airbus 320, com 168 lugares, contando com uma ligação por semana, às quintas-feiras, num total de 23 voos com destino ao Porto Santo.

“Esta nova rota assume importância na oferta e diversificação do mercado turístico alemão para a ilha do Porto Santo.  Este voo regular vem assim contribuir fortemente para a recuperação, e reforço, deste mercado, já que as ligações com origem no mercado alemão para o aeroporto de Porto Santo não eram operadas desde o verão de 2020”, refere a ANA – Aeroportos de Portugal/Vinci Airports.

A nova operação resulta de um trabalho conjunto da ANA| VINCI Airports com o grupo Lufthansa no desenvolvimento de novas ligações para o aeroporto do Porto Santo, em coordenação com o Governo Regional da Madeira, Associação de Promoção da Madeira, e com o Turismo de Portugal.

“A chegada da Eurowings Discover, deixa-nos particularmente orgulhosos do trabalho desenvolvido para garantir que a ilha do Porto Santo tenha uma conectividade e uma oferta regulares que responda à crescente procura turística que resulta do dinamismo que a região da Madeira e a ilha do Porto Santo, em particular, têm demonstrado nos últimos anos”, considera Francisco Pita, CCO da ANA – Aeroportos de Portugal.

Já Rupert Kraus, Head of Network & Airport Relations da Eurowings Discover, destaca as “belas praias de areia e ótimo tempo” que fazem do Porto Santo um “destino de férias ideal” para os clientes da companhia aérea, até porque está a apenas quatro horas de voo desde Frankfurt.

“Foi com gosto especial que embarquei a bordo do nosso voo inaugural da Eurowings Discover de Frankfurt para Porto Santo, representando não só o primeiro voo para nós como nova companhia aérea dedicada a férias, como para todo o grupo Lufthansa. Porto Santo é uma grande adição ao mapa de destinos da Eurowings Discover e a toda a rede do Grupo Lufthansa”, acrescenta o responsável da companhia aérea.

Para o destino, a inauguração desta rota é também vista como uma notícia positiva, com Eduardo Jesus, secretário Regional de Turismo e Cultura e presidente da Associação de Promoção da Madeira, a referir que “a entrada da Eurowings Discover no Porto Santo representa um reforço dos mercados de origem, com especial enfoque no alemão”.

“Com esta operação, a ilha ganha novas frequências que se estendem até ao final de outubro, o que responde ao desafio assumido pelo Governo Regional da Madeira de fazer crescer a época de verão, procurando esbater a sazonalidade na ilha do Porto Santo”, defende o governante regional.

Sobre o autorPublituris

Publituris

Mais artigos
Alojamento

Discovery Hotel Management reforça equipa comercial

A Discovery Hotel Management (DHM) contratou Mariana Alves e Raquel Patrício para reforçar a sua equipa comercial e consolidar os hotéis geridos pela empresa.

A Discovery Hotel Management (DHM) reforçou a sua equipa comercial com a contratação de Mariana Alves e Raquel Patrício, profissionais que vão contribuir para ajudar a “consolidar a atividade das unidades hoteleiras geridas pela empresa num importante momento de retoma do setor do turismo”.

Num comunicado enviado à imprensa, a DHM indica que Mariana Alves transita do Real Hotels Group, onde tinha a seu cargo a “promoção de vendas do segmento Corporate” dos hotéis do grupo, tendo desempenhado também funções nas vendas, gestão e direção de F&B (Food & Beverage) e organização de eventos de hotelaria.

Na DHM, Mariana Alves, que é licenciada em Gestão de Empresas Turísticas pela Escola Superior de Hotelaria e Turismo do Estoril (ESHTE), passa a integrar “a equipa de MICE e Corporate, assumindo funções de gestão e negociação com clientes corporativos nacionais e de apoio à organização de eventos de promoção de todo o portefólio DHM (Octant e H&R + Branded Hotels)”.

“Esta contratação constitui um importante reforço da nossa equipa, que se traduzirá na prestação de um serviço mais abrangente aos nossos clientes, nomeadamente ao nível da marca Wyndham”, indica Pedro Moura, Head of Mice & Corporate Sales da DHM.

Já Raquel Patrício, que é licenciada em Gestão de Empresas pelo ISEG e Mestre em Gestão Hoteleira pela Universidade Europeia de Madrid e pela Escola Les Roches International School of Hotel Management, passa a integrar “a equipa Octant Hotels, para atuar na promoção do portefólio Octant ao nível nacional e internacional e marcar presença nos mais relevantes eventos turísticos”.

Tal como Mariana Alves, também Raquel Patrício passou já por algumas das mais prestigiadas unidades hoteleiras do País, pertencentes a grupos como Four Seasons e Ritz-Carlton, e era até então Sales Executive na Olissipo Hotels.

Sobre o autorPublituris

Publituris

Mais artigos
Distribuição

Nortravel oferece a Europa em mini circuitos de quatro dias

O operador turístico Nortravel apresenta ao mercado uma oferta de mini circuitos de quatro dias para algumas cidades e regiões da Europa.

Estes programas já estão disponíveis em nortravel.pt para reserva online com confirmação imediata.

Trata-se, segundo a Nortravel, de “uma ótima sugestão para os viajantes que pretendem umas férias curtas com o máximo de aproveitamento de tempo e qualidade”.

Em nota de imprensa, o operador turístico indica ainda que, com este novo conceito, “vai ao encontro do desejo dos habituais clientes de circuitos que pretendem escapadinhas na Europa com a garantia e qualidade que estão acostumados com a Nortravel”, com preços desde os 935 euros por pessoa em duplo.

Os mini circuitos “O Melhor de Amesterdão e Países Baixos”, “Toscânia Clássica”, “Berlim e Saxónia” e “Baviera Completa” incluem uma refeição diária, para além dos pequenos almoços buffet, hotéis de três e quatro estrelas bem localizados, todas as visitas acompanhadas pelo guia exclusivo em português e guias locais (quando indicado), seguro (incluindo cobertura Covid-19), taxas de aviação e IVA.

Sobre o autorPublituris

Publituris

Mais artigos
Tecnologia

eDreams ODIGEO termina ano fiscal com bons resultados

A eDreams ODIGEO anuncia os resultados do exercício findos a 31 de março de 2022, e revela que superou o mercado, triplicou os membros Prime para 2.9 milhões e registou progressos substanciais nos objetivos para 2025.

Com 247 websites e aplicações em 44 países, 21 idiomas e 37 moedas diferentes numa única plataforma central, a eDreams ODIGEO (eDO) cobre atualmente 80% do mercado global de viagens.

Ao longo do período em análise, a empresa considera, em nota de imprensa, que “superou o mercado (e os seus concorrentes) por uma margem significativa, tendo-se posicionado para o sucesso futuro através da sua abordagem inovadora, incluindo o primeiro programa de subscrições de viagens – o Prime – que é líder de mercado e conta, ao dia de hoje, com 2.9 milhões de membros, triplicando os números do ano passado”.

Para além de uma sólida melhoria da situação financeira e operacional acompanhada de um aumento de capital em 75 milhões de euros, os resultados da eDO dão conta de um recorde de 12.5 milhões de reservas, superando os níveis pré-pandemia em 10%.

Neste exercício a empresa apontou uma expansão significativa do mercado e da quota da carteira de viagens, através da oferta de hotéis, carros, comboios e quaisquer outros complementos às viagens, acompanhado de um aperfeiçoamento contínuo da sua plataforma tecnológica para proporcionar a melhor e mais rápida experiência online, mas com o objetivo de 7.25 milhões de membros Prime: 2.9 milhões atingidos e a crescer a um ritmo exponencial.

Dana Dunne, CEO da eDreams ODIGEO, afirmou que ao longo do ano fiscal de 2022, “continuámos a registar um sólido progresso na revolução das viagens e na reinvenção da experiência de viagem através do sucesso contínuo do nosso modelo de subscrição líder global, o Prime, e de uma posição privilegiada e de destaque mundial nas reservas de voos. Ganhámos quota de mercado, aperfeiçoámos ainda mais a nossa proposta e continuamos a prosperar enquanto empresa global”.

Globalmente, o ano fiscal 22 apresentou tendências constantemente ascendentes e o retorno aos lucros. A Receita Média por Utilizador (ARPU) aumentou 55% face ao exercício de 2021, fixando-se em 88 euros por membro. A Margem de Receitas no AF22 aumentou 244% relativamente ao mesmo período do ano passado, com as reservas a aumentar 286%.

 

Sobre o autorPublituris

Publituris

Mais artigos

Navegue

Sobre nós

Grupo Workmedia

Mantenha-se conectado

©2021 PUBLITURIS. Todos os direitos reservados.