Novo aumento da taxa turística de Lisboa “não está equacionado”, diz Medina

Por a 27 de Novembro de 2019 as 16:21

O presidente da Câmara Municipal de Lisboa, Fernando Medina, descartou esta quarta-feira, 27 de novembro, um novo aumento do valor da taxa turística da capital, afirmando que tal “não está equacionado” e que a cidade conta, neste momento, com as verbas necessárias para dar resposta aos investimentos mais importantes.

“Neste momento, não está equacionado. Neste momento, temos as verbas que necessitamos para dar resposta a importantíssimos investimentos na cidade”, afirmou o autarca em resposta a uma questão do Publituris, à margem da apresentação do projeto de reabilitação da frente ribeirinha central de Lisboa.

Além da recuperação da frente ribeirinha, Fernando Medina apontou também as intervenções em curso no Palácio da Ajuda, que vão fechar o monumento, como outra das obras mais importantes que Lisboa está a realizar com as verbas provenientes do Fundo de Desenvolvimento Turístico, que é alimentado pela taxa turística .

“Este é um desses investimentos [frente ribeirinha], no total de 27 milhões de euros, e está, neste momento, em curso um outro de grande importância e que é das obras que mais nos orgulham na cidade de Lisboa, que é o fecho do Palácio Nacional da Ajuda. Vamos encerrar uma obra que está inacabada há 200 anos e vamos fazê-lo, a Câmara e não o Estado Central, com verbas do Fundo de Desenvolvimento Turístico”, congratulou-se Fernando Medina, considerando que este investimento só é possível devido às “decisões políticas” da autarquia.

“Vai ser devolvido à cidade de Lisboa por uma iniciativa muito forte da Câmara de Lisboa, em parceria com o Ministério da Cultura, mas com o financiamento muito forte das verbas do fundo turístico”, acrescentou o autarca, garantindo que as “obras estão a correr bem” e que, por isso, se mantém a data prevista de abertura para 2020.

Recorde-se que a taxa turística de Lisboa entrou em vigor a 1 de janeiro de 2016 e, inicialmente, tinha um valor de um euro por cada noite passada nos estabelecimentos de alojamento turístico da cidade, valor que foi revisto no início deste ano, quando a taxa passou a custar dois euros por cada noite.

As verbas da taxa turística revertem para o Fundo de Desenvolvimento Turístico de Lisboa,  que visa o financiamento dos investimentos e ações prioritárias ao desenvolvimento e sustentabilidade da atividade turística
na cidade.

 

 

Deixe aqui o seu comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *