Assine já
Alojamento

Concurso para construção de hotel no CCB lançado esta quinta-feira

O projecto prevê o desenvolvimento de uma unidade hoteleira entre 140 a 180 quartos de quatro estrelas ou superior. A conclusão do projecto está prevista no prazo de quatro anos e tem um investimento previsto de 65 milhões de euros.

Raquel Relvas Neto
Alojamento

Concurso para construção de hotel no CCB lançado esta quinta-feira

O projecto prevê o desenvolvimento de uma unidade hoteleira entre 140 a 180 quartos de quatro estrelas ou superior. A conclusão do projecto está prevista no prazo de quatro anos e tem um investimento previsto de 65 milhões de euros.

Sobre o autor
Raquel Relvas Neto
Artigos relacionados

Vai ser lançado, esta quinta-feira, dia 29 de Novembro, o concurso internacional para a subcessão do direito à superfície de dois dos últimos módulos do projecto do Centro Cultural de Belém, que prevê a construção, instalação e exploração de uma ou mais unidades hoteleiras, retalho e serviços, entre as quais lojas e escritórios, pelo período de 50 anos.

Desde a inauguração há 25 anos, que o projecto do Centro Cultural de Belém, em Lisboa, previa o desenvolvimento de dois módulos (4 e 5) para este fim, concretizando assim o projecto inicial de Cidade Aberta, perspectivado pelos projectistas Gregotti Associatti e Risco.

Numa apresentação pública, Elísio Summavielle, presidente da Fundação Centro Cultural de Belém, considerou que este é o “ponto de chegada que é vital para o futuro da Fundação”. Também Fernando Medina, presidente de Lisboa, realçou que “este projecto vai permitir fechar uma ambição antiga da cidade e desta zona da cidade”, que permitirá valorizar ainda mais a zona de Belém. O autarca deixou ainda uma palavra de incentivo aos promotores presentes para “agarrarem esta oportunidade”.

Com frente para o rio Tejo, o projecto para a unidade hoteleira prevê que ali se desenvolva um ou dois hotéis, que respeitem a linha arquitectónica dos edifícios já existentes. O Pedido de Informação Prévia (PIP) da Câmara Municipal de Lisboa, que já se encontra aprovado, prevê um total de 16,330 m2 de superfície de pavimento para desenvolvimento de dois projectos hoteleiros no módulo 5. Estes podem ter entre 140 a 180 quartos, espaços para realização de eventos de cariz social e estacionamento subterrâneo. A unidade, ou unidades, têm de ter uma classificação de quatro estrelas ou mais, estarem posicionadas para o segmento ‘upper midscale’, seguirem as tendências internacionais e conceitos de ‘lean luxury’ e ‘lifestyle’.

Os valores mínimos de renda serão, numa fase inicial e durante a sua construção, de 300 mil euros por ano, passando depois para 900 mil euros anuais. Valores que Elísio Summavielle espera que sejam ultrapassados nas propostas apresentadas pelos candidatos. Os imóveis que virão a ser construídos reverterão para a Fundação CCB gratuitamente no termo do contrato, que finaliza no período de 50 anos, podendo ser renovado se a Fundação o entender.  O investimento previsto por parte do promotor é de 65 milhões de euros.

Segundo Isabel Cordeiro, administradora da Fundação CCB, o concurso prevê que se possam candidatar empresas a título individual, para explorar a parte comercial e a hoteleira, ou um consórcio que explore igualmente ambas as partes. “A questão aponta à partida para um consórcio justamente pelas valências que estão aqui implícitas. Pode ser um promotor individual, mas à partida temos uma componente de investimento, outra hoteleira e temos a parte comercial de retalho, escritórios e restaurantes. Estes três blocos no fundo é que fazem o projecto CCB New Development. Pode surgir individualmente ou em consórcio”.

O anúncio, programa de procedimento e o caderno de encargos estão disponíveis no website da Fundação Centro Cultural de Belém. O presidente da Fundação CCB referiu que o concurso vai decorrer durante seis meses e que, passado o processo de licenciamento e de construção, prevê-se que o projecto esteja concluído no prazo de quatro anos.

Sobre o autorRaquel Relvas Neto

Raquel Relvas Neto

Mais artigos
Artigos relacionados
novo aeroporto
Transportes

Mudança da Vueling para o Terminal 2 do aeroporto de Lisboa acontece a 4 de novembro

A ANA Aeroportos de Portugal explica que a mudança se deve à alteração das “quotas de mercado das companhias aéreas” no aeroporto de Lisboa e visa “garantir uma utilização otimizada dos recursos aeroportuários”.

A ANA Aeroportos de Portugal veio esta sexta-feira, 28 de outubro, esclarecer que a mudança da Vueling para o Terminal 2 do Aeroporto Humberto Delgado, em Lisboa, acontece a 4 de novembro, ao contrário do que a empresa que gere os aeroportos nacionais tinha inicialmente indicado.

Numa nota informativa enviada à imprensa, a ANA Aeroportos de Portugal explica que a mudança se deve à alteração das “quotas de mercado das companhias aéreas no Aeroporto Humberto Delgado” e visa “garantir uma utilização otimizada dos recursos aeroportuários”.

Esta alteração já tinha sido comunicado a 20 de outubro, ainda que, na ocasião, a ANA Aeroportos de Portugal indicasse que a passagem da Vueling para o Terminal 2 da infraestrutura aeroportuária lisboeta deveria acontecer a 30 de outubro, data em que também a easyJet e a Eurowings mudam de terminal, passando a low cost britânica para o Terminal 1, enquanto a transportadora de baixo custo do Grupo Lufthansa passa a operar no Terminal 2.

A ANA Aeroportos de Portugal pede, no entanto, aos passageiros que contactem a companhia aérea ou consultem o website do aeroporto de Lisboa, de forma a obterem mais informações.

Sobre o autorPublituris

Publituris

Mais artigos
Alojamento

Dolce by Wyndham CampoReal Lisboa tem novo diretor de F&B

Ricardo Soares Ferreira é o novo diretor de F&B do Dolce by Wyndham CampoReal Lisboa, ficando responsável pela estratégia da área nos bares e restaurantes do hotel, e pelo serviço de banquetes para eventos e MICE.

O Dolce by Wyndham CampoReal Lisboa anunciou esta quinta-feira, 27 de outubro, a contratação de Ricardo Soares Ferreira para diretor de Comidas & Bebidas (F&B), profissional que passa a ser responsável pelo “desenvolvimento da estratégia da área no que toca ao serviço dos quatro restaurantes e bares do hotel, assim como o serviço de banquetes para eventos de lazer e MICE”.

Num comunicado enviado à imprensa, a unidade hoteleira indica que, antes de chegar ao Dolce by Wyndham CampoReal Lisboa, Ricardo Soares Ferreira esteve cerca de oito anos em unidades da marca Tivoli Hotels & Resorts, onde foi, numa primeira fase, diretor do restaurante Hippopotamus, no hotel Tivoli Oriente Lisboa, passando, posteriormente, a diretor de F&B do mesmo hotel, liderando uma equipa de 80 pessoas.

Mais recentemente, Ricardo Soares Ferreira passou pelo grupo Marriot Hotels & Resorts, onde também exerceu o cargo de diretor de comidas e bebidas, acrescenta a informação divulgada.

O novo diretor de F&B do Dolce by Wyndham CampoReal Lisboa é formado pela Escola Superior de Hotelaria e Turismo do Estoril, conta com mais de 20 anos de experiência em gestão hoteleira, catering, consultoria, direção de F&B, e operacionalização em eventos.

Ricardo Soares Ferreira começou o seu percurso profissional no Hotel Vila Galé Estoril e, posteriormente, passou também pelo grupo Portugália e Areas Portugal, onde este sempre em funções de direção e coordenação.

Ricardo Soares Ferreira integrou ainda a gestão de F&B nas edições de 2012, 2014, 2016 e 2018 do festival Rock in Rio Lisboa, e mais recentemente do festival MEO Kalorama.

“O Dolce by Wyndham CampoReal Lisboa é um projeto simultaneamente desafiante e entusiasmante. Com a minha experiência, espero promover o desenvolvimento da qualidade do serviço de comidas e bebidas, principalmente no segmento de eventos e reuniões, onde a marca Dolce Hotels & Resort é já bastante reconhecida e onde o nosso objetivo de crescimento, enquanto propriedade, é mais ambicioso”, afirma o novo diretor de F&B do hotel, citado no comunicado divulgado.

Sobre o autorPublituris

Publituris

Mais artigos
Destinos

Porto Duck Tours lança passeios no Douro em veículos anfíbios

Os passeios que são realizados em terra e na água, a bordo de veículos anfíbios, originais da segunda guerra mundial, conhecidos como DUKW.

A Porto Duck Tours vai passar a disponibilizar uma nova forma de conhecer o Porto e Gaia a partir do rio Douro, passeios que são realizados em terra e na água, a bordo de veículos anfíbios, originais da segunda guerra mundial, conhecidos como DUKW.

“Diferentemente de outros anfíbios modernos, os nossos “patos” têm características únicas e transportam-nos aos meados do século passado com o seu design da época”, indica a Porto Duck Tours, num comunicado enviado à imprensa esta quinta-feira, 27 de outubro.

Os novos passeios, cujos bilhetes vão estar em breve à venda, não implicam mudança de veículo, já que os DUKW podem circular em terra e na água, o que, segundo a empresa, permite disponibilizar “o passeio mais elegante da cidade”.

Para mais informações sobre estas nova atividade no Porto, está disponível o e-mail [email protected], assim como o número de telefone 913 029 944.

 

 

Sobre o autorPublituris

Publituris

Mais artigos

Arquivo: WTM London 2017

Destinos

WTM London confirma realização apesar da greve nos transportes na capital britânica

O WTM London está a aconselhar os participantes a utilizarem “rotas alternativas” para chegarem ao ExCel London, já que está marcada uma greve que deverá afetar os comboios de Londres no primeiro e último dia do certame.

A organização do World Travel Market London (WTM) veio esta quinta-feira, 27 de outubro, confirmar a realização da feira, apesar da greve que deverá afetar os comboios na capital britânica, no primeiro e último dia do certame.

“É decepcionante que tenham sido convocadas greves no primeiro e no último dia do World Travel Market London, mas a nossa mensagem é: negócios como de costume”, considera Juliette Losardo, diretora do WTM London.

Devido à greve, que deverá provocar perturbações nos comboios e possivelmente também em algumas linhas de metro de Londres, o WTM London está a aconselhar expositores e visitantes a confirmarem a disponibilidade dos transportes antes de se deslocarem para a feira, através do site www.tfl.gov.uk ou a aplicação “TfL Go”.

A organização da feira sugere também a utilização de viatura própria nas deslocações para o certame, uma vez que o ExCel London disponibiliza 1.500 lugares de estacionamento, além de contar com vários outros parques de estacionamento nas proximidades.

“Não é tarde demais para participar do principal evento da indústria de viagens”, acrescenta Juliette Losardo, indicando que “existem rotas alternativas” e que a feira está a aconselhar os participantes a “planearem a sua deslocação com antecedência”.

Recorde-se que o WTM London vai decorrer entre 7 e 9 de novembro, no ExCel London, na capital britânica, sendo considerada uma das principais feiras de turismo da Europa.

 

Sobre o autorPublituris

Publituris

Mais artigos
Destinos

Nova Edição: Publituris Portugal Travel Awards 2022 e Mundial do Qatar

A mais recente edição do Publituris faz capa com os Publituris Portugal Travel Awards 2022, que foram entregues a 18 de outubro, numa cerimónia que teve lugar na Quinta da Pimenteira, em Lisboa, e que voltou a juntar o trade turístico nacional, depois de dois anos de interregno.

A mais recente edição do Publituris, a última de outubro, faz capa com os Publituris Portugal Travel Awards 2022, que foram entregues a 18 de outubro, numa cerimónia que teve lugar na Quinta da Pimenteira, em Lisboa.

Conheça os vencedores da última edição dos prémios, assim como a personalidade que recebeu o Prémio Belmiro Santos, entregue diretamente pela redação do Publituris, e veja ainda a fotorreportagem sobre a festa, que voltou a juntar o trade turístico nacional, depois de dois anos de interregno.

Nesta edição, não perca também um artigo sobre o Mundial de Futebol de 2022, que vai decorrer no Qatar, entre 20 de novembro e 18 de dezembro. A competição, para a qual a seleção nacional de futebol se apurou, conta já com uma vasta oferta no mercado para levar os adeptos portugueses até este país do Médio Oriente, que promete surpreender os turistas nacionais.

Destaque também para um trabalho especial dedicado ao World Travel Market London (WTM), uma das principais feiras de turismo europeias, que vai decorrer na capital britânica, entre 7 e 9 de novembro. Não perca as sete entrevistas aos sete responsáveis pelas regiões de turismo de Portugal, que regressam à feira britânica para dar a conhecer a melhor oferta turística dos seus territórios.

Na secção Distribuição, leia ainda sobre a AREA Travel, agência de viagens que abriu em fevereiro deste ano e que faz do atendimento personalizado uma bandeira, enquanto em Transportes o destaque vai para a abertura da nova rota da easyJet entre Lisboa e Marraquexe, que arranca na segunda-feira, 31 de outubro, e em relação à qual a companhia aérea indica expetativas em alta.

Além do Check-in, as opiniões desta edição são de Sílvia Dias (diretora de Marketing da Savoy Signature), Jorge Sobrado (coordenador da Pós-Graduação em Comunicação Autárquica do ISAG), Paulo F. Cardoso (especialista em Segurança de Informação CISA), António Paquete (economista) e Pedro Castro (diretor da SkyExpert Consulting e docente no ISCE).

Boas leituras!

A versão completa desta edição é exclusiva para subscritores do Publituris. Pode comprar apenas esta edição ou efetuar uma assinatura do Publituris aqui obtendo o acesso imediato.

Para mais informações contacte: Carmo David | [email protected] | 215 825 43

Nota: Se já é subscritor do Publituris entre no site com o seu Login de assinante, dirija-se à secção Premium – Edição Digital e escolha a edição que deseja ler, abra o epaper com os dados de acesso indicados no final do resumo de cada edição.

Sobre o autorPublituris

Publituris

Mais artigos
Destinos

Edição Digital: Publituris Portugal Travel Awards 2022 e Mundial do Qatar

A mais recente edição do Publituris faz capa com os Publituris Portugal Travel Awards 2022, que foram entregues a 18 de outubro, numa cerimónia que teve lugar na Quinta da Pimenteira, em Lisboa, e que voltou a juntar o trade turístico nacional, depois de dois anos de interregno.

A mais recente edição do Publituris, a última de outubro, faz capa com os Publituris Portugal Travel Awards 2022, que foram entregues a 18 de outubro, numa cerimónia que teve lugar na Quinta da Pimenteira, em Lisboa.

Conheça os vencedores da última edição dos prémios, assim como a personalidade que recebeu o Prémio Belmiro Santos, entregue diretamente pela redação do Publituris, e veja ainda a fotorreportagem sobre a festa, que voltou a juntar o trade turístico nacional, depois de dois anos de interregno.

Nesta edição, não perca também um artigo sobre o Mundial de Futebol de 2022, que vai decorrer no Qatar, entre 20 de novembro e 18 de dezembro. A competição, para a qual a seleção nacional de futebol se apurou, conta já com uma vasta oferta no mercado para levar os adeptos portugueses até este país do Médio Oriente, que promete surpreender os turistas nacionais.

Destaque também para um trabalho especial dedicado ao World Travel Market London (WTM), uma das principais feiras de turismo europeias, que vai decorrer na capital britânica, entre 7 e 9 de novembro. Não perca as sete entrevistas aos sete responsáveis pelas regiões de turismo de Portugal, que regressam à feira britânica para dar a conhecer a melhor oferta turística dos seus territórios.

Na secção Distribuição, leia ainda sobre a AREA Travel, agência de viagens que abriu em fevereiro deste ano e que faz do atendimento personalizado uma bandeira, enquanto em Transportes o destaque vai para a abertura da nova rota da easyJet entre Lisboa e Marraquexe, que arranca na segunda-feira, 31 de outubro, e em relação à qual a companhia aérea indica expetativas em alta.

Além do Check-in, as opiniões desta edição são de Sílvia Dias (diretora de Marketing da Savoy Signature), Jorge Sobrado (coordenador da Pós-Graduação em Comunicação Autárquica do ISAG), Paulo F. Cardoso (especialista em Segurança de Informação CISA), António Paquete (economista) e Pedro Castro (diretor da SkyExpert Consulting e docente no ISCE).

Leia a edição aqui.

 

 

Sobre o autorPublituris

Publituris

Mais artigos
Transportes

Azul aumenta oferta para Lisboa no fim do ano

Entre 19 de dezembro e 31 de janeiro, a Azul vai aumentar a oferta de voos para Lisboa, passando a disponibilizar uma nova ligação aérea entre Viracopos e a capital portuguesa.

Publituris

A Azul anunciou que, entre 19 de dezembro e 31 de janeiro, vai aumentar a oferta de voos para Lisboa, passando a disponibilizar uma nova ligação aérea entre Viracopos e a capital portuguesa.

“Para Lisboa, capital de Portugal e a porta de entrada da Azul para a Europa, a operação de final de ano ocorre entre os dias 19 de dezembro e 31 de janeiro. Além dos dois voos operados regularmente, a partir de Viracopos, a companhia vai aumentar a oferta para a capital portuguesa com um terceiro voo, partindo de Viracopos às segundas e retornando de Lisboa às terças-feiras”, indica a companhia aérea brasileira, em comunicado.

O aumento de oferta da Azul para Lisboa é acompanhado também pelo reforço da capacidade para Orlando e Fort Lauderdale, nos EUA, assim como para Punta del Este e Montevidéu, no Uruguai, que passam a contar com maior oferta no período do fim de ano.

“Para a alta temporada, a companhia vai ofertar 1.121 voos internacionais, entre voos regulares e reforço de malha, partindo de diversas bases brasileiras, como os aeroportos de Campinas (SP), Foz do Iguaçu (PR), Florianópolis (SC), Porto Alegre (RS), Recife (PE), Belém (PA) e Manaus (AM)”, lê-se no comunicado divulgado pela Azul, que indica também que a venda de bilhetes já está disponível nos canais oficiais da companhia aérea.

No caso de Orlando, a Azul vai passar a operar mais um voo desde Viracopos, em Campinas, totalizando dois voos diários, aos quais se juntam mais dois voos diários para Fort Lauderdale, na Flórida, desde Viracopos, numa operação que vai ainda contar com um aumento das ligações diretas desde as cidades de Belém, no Pará, e Manaus, no Amazonas.

“A partir do dia 15 de dezembro, a capital do Amazonas passa a ter ligação direta com o aeroporto de Fort Lauderdale três vezes na semana, enquanto a capital paraense retoma sua ligação direta com o mesmo terminal a partir do dia 16, oferecendo voos quatro vezes na semana”, refere ainda a Azul.

Já no caso do Uruguai, a companhia aérea tem previsto um aumento da oferta de voos para Punta del Este, desde Campinas, enquanto no período entre 21 de dezembro de 2022 e 28 de janeiro de 2023 passam a existir dois voos semanais.

A partir de 21 de dezembro, a companhia aérea brasileira vai também passar a oferecer mais uma opção de ligação com Montevidéu, no Uruguai, com partida de Florianópolis, em Santa Catarina, numa operação que vai decorrer ao longo de todo o ano.

Além destes voos, a Azul vai também ligar Montevidéu a Foz do Iguaçu, no Paraná, cujos voos arrancam a 20 de dezembro, incluindo duas ligações aéreas por semana nos dois sentidos, estando ainda prevista uma ligação direta entre Recife e a capital do Uruguai com início em novembro, que passa a dois voos por semana, a partir de 21 de dezembro.

“Estamos muito felizes por implementar estas novidades nas rotas internacionais, que gradualmente vão retomando os níveis anteriores e, principalmente, por descentralizar as operações partindo de diferentes localidades do Brasil, em concordância com a premissa da Azul que é interligar todas as regiões do país aos mais diferentes destinos”, destaca Vitor Silva, gerente de Planeamento de Malha da Azul.

 

Sobre o autorPublituris

Publituris

Mais artigos
Destinos

Viagens de residentes ao estrangeiro aumentam 592,8% mas continuam 6,5% abaixo de 2019

Segundo o INE, entre abril e junho, os residentes em Portugal realizaram 5,5 milhões de viagens, aumento de 52,2% face a igual período do ano passado e descida de 1,7% face a igual período de 2019, com destaque para as viagens ao estrangeiro, que subiram 592,8%, apesar de manterem uma descida face a igual período de 2019.

Inês de Matos

No segundo trimestre de 2022, os residentes em Portugal realizaram 5,5 milhões de viagens, o que corresponde a um aumento de 52,2% face a igual período do ano passado, mas a uma descida de 1,7% face a igual período de 2019, com destaque para as viagens ao estrangeiro, que subiram 592,8%, apesar de ainda continuarem abaixo do mesmo período de 2019.

De acordo com as estatística da procura turística dos residentes, divulgadas esta quinta-feira, 27 de outubro, pelo Instituto Nacional de Estatística (INE), entre abril e junho, os residentes em Portugal realizaram ainda 4,7 milhões de viagens em território nacional, o que traduz um aumento de 34,9% face ao mesmo trimestre do ano passado e um descida de 0,9% face ao segundo trimestre de 2019.

Já as viagens com destino ao estrangeiro, que totalizaram 774,2 mil viagens entre abril e junho, cresceram 592,8% em comparação com o segundo trimestre de 2021, mas continuam 6,5% abaixo dos níveis de 2019.

O INE diz ainda que o “número de viagens aumentou em todos os meses do trimestre”, concretamente 102,8% em abril, 35,9% em maio e 31,1% em junho, ainda que, em comparação com o mesmo período de 2019, apenas se tenha registado um crescimento de 0,5% em maio, uma vez que, em abril e junho, se observaram reduções de 2,9% e 2,3%, respetivamente. O INE lembra, no entanto, que em abril de 2021, o país estava em estado de emergência e com “diversas restrições à mobilidade”, devido à pandemia da COVID-19.

Por motivação, as “lazer, recreio ou férias” foram as mais realizadas e representaram 47,6% do total, com o INE a indicar que originaram  2,6 milhões de viagens, o que traduz um aumento de 49,9% face ao segundo trimestre de 2021, mas uma descida de 3,7% em comparação com o mesmo período de 2019.

Já as “visitas a familiares ou amigos” corresponderam a 2,1 milhões de viagens e representaram 38,0% do total, o que evidencia um aumento de 44,4% face ao segundo trimestre de 2021, mas uma descida de 1,0% em comparação com período homólogo de 2019.

Por outro lado, as viagens “profissionais ou de negócios”, que justificaram 495,8 mil deslocações, aumentaram 118,0%, ainda que continuem a apresentar uma descida de 4,9% face ao segundo trimestre de 2019. As viagens “profissionais ou de negócios” foram, no entanto, as únicas que assistiram a um aumento da representatividade, uma vez que motivaram 9,0% do total de viagens, o que traduz um aumento de 2,7 pontos percentuais face ao mesmo trimestre de 2021. Já no segundo trimestre de 2019, estas viagens representam 9,3% do total.

A principal ferramenta utilizada para marcar as viagens foi a internet, com o INE a indicar que 26,9% das deslocações foram marcadas online, o que traduz um aumento de 12,7 pontos percentuais, tendo este meio sido opção em 71,9% das viagens para o estrangeiro e em 19,5% das viagens em território nacional, o que traduz aumentos de 18,4 e 6,6 pontos percentuais, respetivamente.

Já os “hotéis e similares” concentraram 31,7% das dormidas resultantes das viagens turísticas, o que corresponde a 6,0 milhões de dormidas, num aumento de 181,1% face a igual período de 2021 e a uma descida de 1,5% face ao segundo trimestre de 2019.

O alojamento em “hotéis e similares” também assistiu a um aumento da representatividade, que cresceu 15,2 pontos percentuais face a igual período do ano passado e a um aumento de 0,2 pontos percentuais em comparação com o mesmo período de 2019.

Já o “alojamento particular gratuito” manteve-se, segundo o INE, como a principal
opção de alojamento, representando 62,1% do total e 11,7 milhões de dormidas, o que traduz uma subida de 18,0% face ao mesmo período de 2021 e a um aumento de 5,6% em comparação com igual trimestre de 2019, ainda que se tenha registado uma diminuição do seu peso no total, que desceu 14,8 pontos percentuais em comparação com o mesmo trimestre de 2021, ainda que se tenha verificado um subida de 57,5% face ao mesmo período de 2019.

No segundo trimestre do ano, foi ainda registada uma redução da duração média de cada viagem, que passou para 3,42 noites, quando em igual período do ano passado era de 3,57 noites e de 3,44 noites no mesmo trimestre de 2019.

“A duração média mais baixa foi registada no mês de maio (2, 81 noites) enquanto a mais elevada foi registada em junho (4,07 noites)”, acrescenta o INE, no comunicado divulgado.

A concluir, o INE indica também que, neste trimestre, se registou um aumento da proporção de turistas residentes, uma vez que, entre abril e junho, 24,4% dos residentes realizaram pelo menos uma deslocação turística, o que traduz um acréscimo de 8,2 pontos percentuais face ao mesmo período do ano anterior, mas abaixo da proporção observada no segundo trimestre de 2019, que foi de 28,7%.

Já a percentagem de residentes que viajou registou acréscimos em todos os meses face aos mesmos meses de 2021, subindo 7,7 pontos percentuais, 3,3 pontos percentuais e 3,5 pontos percentuais, entre abril e junho.

“Em comparação com os mesmos meses de 2019, as variações observadas foram de -5,2 p.p., -1,4 p.p. e -0,3 p.p., respetivamente”, conclui o INE.

 

 

Sobre o autorInês de Matos

Inês de Matos

Mais artigos
Distribuição

Lusanova relança Índia após dois anos de interregno

Para assinalar o relançamento da programação, a Lusanova disponibilizou já três pacotes premium para a Índia, cujos preços começam nos 1.799 euros.

Publituris

A Lusanova anunciou esta quarta-feira, 26 de outubro, o relançamento da oferta para o destino Índia após dois anos de interregno devido à pandemia da COVID-19 e, para assinalar o regresso da programação, o operador turístico disponibilizou já três programas Premium, cujos preços começam nos 1.799 euros.

Segundo um comunicado enviado à imprensa pelo operador turístico, os três pacotes para a Índia “já estão disponíveis para venda e reservas online”, através do site da Lusanova, e vão ser também “divulgados via webmail para todas as agências de viagens do país”.

O preço mais baixo diz respeito a um programa de sete noites, denominado Triangulo Dourado, estando também disponível uma versão de nove dias que, além do Triangulo Dourado, inclui ainda Varanasi e cujos preços começam nos 2.299 euros.

Além destes dois programas, a Lusanova lançou também o programa Esplendor do Rajastão, de 10 dias e que apresenta valores desde 2.850 euros por pessoa.

A Lusanova diz ainda que “estes circuitos serão em privado para um mínimo de dois participantes” e incluem alojamento em hotéis de cinco estrelas da cadeia Taj Hotels & Resorts.

Os novos programas da Lusanova para a Índia são válidos entre novembro de 2022 e março de 2023, com o operador a revelar que, em breve, conta ainda lançar “toda a programação regular” para a Índia.

Sobre o autorPublituris

Publituris

Mais artigos
Alojamento

Gondomar terá hotel e empreendimento de luxo no valor de 85 milhões de euros

O projeto da Horizonte Urbano Group “Porto Douro Marina & Villas” contempla a construção de um hotel de cinco estrelas, 90 villas e a ampliação da Marina de Angra do Douro.

Publituris

A Horizonte Urbano Group, empresa portuguesa de construção, reabilitação e promoção imobiliária, vai investir 85 milhões de euros na construção do empreendimento “Porto Douro Marina & Villas”. O investimento contempla ainda a compra da Nordzee Náutica, empresa que atualmente explora a Marina Angra do Douro.

Localizado no concelho de Gondomar, nas margens do Rio Douro, a área de obra inclui 213 mil metros quadrados a montante da barragem Crestuma-Lever. É neste local que se prevê a construção de um hotel de cinco estrelas com 120 quartos, salas de conferência, spa e piscinas, bem como a edificação de 90 villas, com áreas de construção entre os 250 e 500 metros quadrados, “caracterizadas por uma arquitetura contemporânea e acabamentos de luxo”, como se pode ler em comunicado.

Do plano fazem ainda parte a gestão e exploração da Marina de Angra do Douro, bem como o aumento da sua capacidade de ancoragem em 40% − de 300 para 500 embarcações −, pelo que a Horizonte Urbano acaba de formalizar a aquisição da Nordzee Náutica, empresa gestora da Marina.

A empresa prevê que as obras de urbanização estejam concluídas no primeiro semestre de 2023, apontando que a construção do hotel e das villas será desenvolvida num período de 36 meses.

A 15 minutos do Porto e com ligação direta às principais vias de comunicação de entrada e saída da cidade, a Horizonte Urbano Group considera que “o empreendimento se constitui como um grande atrativo para as famílias”.

“O projeto surge como uma excelente solução para quem quer viver fora dos grandes centros urbanos, mas dentro de um perímetro razoável, que permita aceder de forma rápida à oferta de produtos, serviços e cultura. Acreditamos que cada vez mais as pessoas procuram um tipo de vida tranquilo, em maior contacto com a natureza e rodeadas por uma bela paisagem. E a nossa oferta é, sem dúvida, uma resposta para esta nova postura de vida”, explica Nuno Esteves, CEO da Horizonte Urbano.

Para além da criação de emprego qualificado e outros benefícios para a comunidade em que se insere, esta construção trará inevitavelmente uma valorização ao local e à região e um natural aumento do turismo, dada a proximidade à cidade do Porto e à sua localização estratégica na rota da região do Douro.

Em comunicado, a empresa enumera ainda alguns exemplos de construção sustentável a que este plano obedece, como a integração do projeto com o meio ambiente; a preservação das características naturais do lugar e das espécies nativas; a utilização de materiais sustentáveis; a colocação de painéis fotovoltaicos e de vidros com proteção solar; as coberturas ajardinadas e a criação de amplas áreas verdes utilizáveis.

“Não há outra forma de estar hoje neste setor. A sustentabilidade, juntamente com a inovação, o profissionalismo e a dedicação, faz parte integrante do ADN da Horizonte Urbano e é um dos valores que mais preservamos”, refere Nuno Esteves.

Sobre o autorPublituris

Publituris

Mais artigos

Navegue

Sobre nós

Grupo Workmedia

Mantenha-se conectado

©2021 PUBLITURIS. Todos os direitos reservados.