Assine já
Destinos

Reportagem | Cuba: impossível não se apaixonar por este país

Ir a Cuba é uma viagem no tempo e uma lição de história, já se sabe. As cidades, perdidas no tempo, parecem cenários de filmes e as praias são paraísos autênticos. Os cubanos são hospitaleiros e festivos. A isso, junta-se a música, a dança e o rum. Está feita a receita perfeita para umas férias de sonho.

Carina Monteiro
Destinos

Reportagem | Cuba: impossível não se apaixonar por este país

Ir a Cuba é uma viagem no tempo e uma lição de história, já se sabe. As cidades, perdidas no tempo, parecem cenários de filmes e as praias são paraísos autênticos. Os cubanos são hospitaleiros e festivos. A isso, junta-se a música, a dança e o rum. Está feita a receita perfeita para umas férias de sonho.

Carina Monteiro
Sobre o autor
Carina Monteiro
Artigos relacionados
Operação para Cuba chega às duas mil reservas no fim de Abril
Homepage
Sonhando prolonga campanha para Cuba
Distribuição
São Tomé e Príncipe. Um tesouro à espera de ser descoberto
Destinos
República Dominicana, uma nova era na segurança e na promoção
Destinos

Ir a Cuba é uma viagem no tempo e uma lição de história, já se sabe. As cidades, perdidas no tempo, parecem cenários de filmes e as praias são paraísos autênticos. Os cubanos são hospitaleiros e festivos. A isso, junta-se a música, a dança e o rum. Está feita a receita perfeita para umas férias de sonho.

Aos 28 anos, Eniel Navarro Leyva, um cubano natural da cidade de Baracoa, situada no extremo oriental da ilha, está pela primeira vez em Trinidad, cidade património da UNESCO. Eniel é jornalista e director de um canal televisivo regional, mas em Trinidad está como turista. Em frente à Casa da Música conversamos sobre o país, falamos da liberdade de imprensa, da situação económica dos cubanos e, claro, de viagens. Está encantado com Trinidad, que, na sua opinião, é a cidade que melhor preserva o património arquitectónico cubano. “É uma cidade parada no tempo com uma vida nocturna singular, muito activa, restaurantes com excelentes preços e cozinha de qualidade internacional e uma península com quilómetros de belas praias e, sobretudo, as pessoas são muito acolhedoras”, afirma. Eniel nem precisava de falar da hospitalidade cubana. Ao terceiro dia da viagem organizada pelo operador turístico Sonhando, e com a participação da Solférias, para um grupo de agentes de viagens, já todos reconhecíamos a hospitalidade cubana. Trinidad foi apenas uma das etapas desta longa viagem que deu a conhecer a oferta do operador para este destino.

Para aqueles que nunca visitaram Cuba, a expectativa para conhecer o país de Fidel Castro, dos charutos e do rum, é enorme. Cuba é muito ciosa dos seus símbolos, políticos e culturais, que inevitavelmente se cruzam ao longo da nossa viagem.

Havana, a sedutora
Havana é a primeira paragem. Se é para conhecer bem, então é preciso mais do que um dia para visitar a capital e centro administrativo, político e cultural do país. Mas tendo apenas um dia, então a visita obrigatória é ao centro histórico de Havana, conhecida como Havana Velha. Diz quem já cá esteve, que a recuperação dos edifícios é bastante notória, para a qual contribuiu a declaração de Património Mundial da UNESCO, em 1982, e mais tarde, em 2015, a eleição como uma das 7 cidades Maravilhas do Mundo na categoria de Cidades. Havana tem um certo ar decadente, mas, ao mesmo tempo, atraente, vibrante e sedutor, que nos faz querer conhecer mais e embrenharmo-nos pelas ruas ao som da salsa. O casco velho alberga praças, museus e cafés, deambular pelas ruas é uma viagem no tempo com os seus edifícios coloni ais. Os pontos principais são a praça San Francisco de Assis, onde se encontra a Igreja de São Francisco de Assis, agora transformada em museu e local onde se fazem espectáculos de música clássica, a Praça Velha, a Catedral e a Praça das Armas, todos a um distância a pé entre eles. Entre uma e outra praça, paragem para conhecer o café frequentado por Eça de Queirós na Calle de los Mercaderes e o Hotel Ambos os Mundos onde viveu o escritor Ernest Hemingway na década de 1930. O melhor é subir ao terraço do hotel para apreciar a vista, pedir um mojito ou uma cubata (o mesmo que uma cuba libre) e usufruir do ambiente. Ou se preferir, o famoso bar La Bodeguita del Médio é um dos pontos mais turísticos de Havana Velha. E porque estamos a falar de bares, porque não experimentar um Daikiri, no bar frequentado por Ernest Hemingway, o Floridita. Nesta viagem, o tempo foi curto para conhecer Havana, mas ainda houve possibilidade de conhecer a Praça da Revolução, um dos cartões-de-visita da cidade, imortalizada nas fotos tiradas à imagem de Che Guevara estampada no edifício do Ministério do Interior.

O povo cubano é hospitaleiro e festivo.

E como há clichés que valem a pena, uma das formas de conhecer Havana em grande  estilo é comprar um tour num dos carros clássicos de Cuba. Há de várias marcas e cores: Chevrolet, Buick, Ford, Dodge, Cadillac, entre outros. Os tours, na sua maioria, percorrem as principais atracções turísticas da cidade, como o Bairro Chino, Hotel Nacional, o Castillo del Moro  e o Malécon Habanero (passeio marítimo).

Trinidad, a bonita
Deixámos Havana para trás e o próximo destino é Trinidad, com paragem em Cienfuegos. Espera-nos, pelo menos, uma manhã de viagem. E é tempo de falar de Cuba com Jorge, o nosso guia, e fazer as perguntas que temos na cabeça. Como vivem os cubanos? O que pensam do novo presidente e quais as suas expectativas? Jorge vai respondendo a todas as inquietações de quem acompanha à distância a história do país. Insiste que Cuba vive num regime socialista, iniciado por Fidel Castro, continuado pelo irmão, Raul, e o que se espera agora de Miguel Díaz-Canel, o novo presidente, é que melhore as condições de vida do povo cubano. O acesso gratuito à educação e à saúde são as bandeiras do país que tem uma das mais baixas taxas de mortalidade infantil do mundo e cujo salário médio é de 600 pesos cubanos (20 euros). Sobre o Turismo, ficamos a saber que, em algumas empresas, 1% das gorjetas reverte para outras actividades não directamente relacionadas com a actividade turística, numa espécie de “uma mão lava a outra”.

O Palácio de Valle, em Cienfuegos

Chegados a Cienfuegos, encontrámos uma localidade costeira de casas senhoriais e apalaçadas, onde se destaca a baía e a marina, naquilo que podia ser uma Saint Tropéz cubana, já que foi fundada por franceses. Mas não, é conhecida como a Pérola do Sul. Cienfuegos é uma cidade diferente de todas as outras, já que apresenta uma topografia rectilínea. A cidade tem um centro histórico, também ele declarado património da UNESCO, em 2005. Aconselha-se a visita ao Palácio de Valle, com uma construção de estilo ecléctico que data dos fins do século XIX, sendo um símbolo da cidade. No palácio funcionam restaurante e bar. Vale a pena, pelo menos, subir ao terraço para apreciar a vista sobre a baía e beber um mojito.

Cienfuegos fica a 80 quilómetros de Trinidad, a próxima paragem, o que significa mais ou menos hora e meia de viagem. É preciso contar com todo o tipo de estradas e veículos, daí que circular em Cuba não seja comparável ao que estamos habituados e as distâncias levem mais tempo. Chegámos pelas 17h a Trinidad e o primeiro impacto não é o melhor. Se Havana parece parada no tempo, o que dizer de Trinidad? Trinidad não é daqueles casos de amor à primeira vista. Mas depois de conhecer, apaixonamo-nos. O autocarro deixa-nos o mais perto possível do centro histórico, mas ainda é preciso percorrer a pé algumas dezenas de metros até à praça central. Considerada a cidade museu de Cuba, Trinidad conserva a magia colonial da época e nem faltam as carroças puxadas por cavalos. Ruas empedradas, casas coloniais, com varandas e janelas generosas. Os cubanos resguardam-se do calor, mas as portas e as janelas protegidas com grades deixam-nos espreitar o seu interior. Recebem-nos com sorrisos e nem os turistas perturbam as suas rotinas. Uma mãe amamenta o filho à janela indiferente ao que se passa na rua.

Trinidad é considerada a cidade museu de Cuba.

À medida que nos aproximamos do centro, os edifícios estão mais cuidados e recuperados e começamos a perceber o charme desta cidade que não dá tudo logo à primeira vista. Passamos por várias casas que ostentam o símbolo de casas privadas que podem ser arrendadas, uma forma muito comum de alojamento na cidade. Trinidad foi fundada no século XVI e declarada Património da Unesco em 1988. Na praça central estão as principais atracções da cidade, como a igreja de La Santissima Trinidad e alguns museus, entre os quais o da Arquitectura. A poucos metros da praça, encontra-se a escadaria que nos leva à Casa da Música. Vários bares e esplanadas ladeiam o espaço. Ainda são 17h, mas fica a promessa que regressamos à noite onde o ambiente se faz ao som da salsa. Em Trinidad não se pode deixar de ir ao bar La Canchancharra e provar a bebida com o mesmo nome, feita à base de água ardente, mel, limão e gelo. A música é uma constante em Cuba, por todo o lado e a toda a hora, está para os cubanos, como o futebol para os brasileiros, como se tratasse de algo genético. Aliás, a música e a salsa. Os cubanos parecem ter nascido para dançar. E o primeiro contacto “a sério” com a salsa ocorreu na Casa da Música de Trinidad. Alguns de nós saltaram para a pista, onde nativos e turistas se misturam numa lógica de que a dança e a música aproximam as pessoas. 

Os Cayos

Nas águas cristalinas de Cayo Coco é possível mergulhar desde o barco ou fazer snorkeling

No dia seguinte, é tempo de despedida de Trinidad em direcção a Cayo Coco e Cayo Guillermo, ilhas tropicais localizadas no arquipélago de Jardines del Rey, ao largo do centro de Cuba. Conhecida pelas praias de areia branca e pelos recifes de coral, a costa norte está repleta de resorts com o regime de tudo incluído. Os Cayos estão unidos à ilha de Cuba através de uma estrada com 17 quilómetros de distância construída sobre o mar. Cayo Coco tem um aeroporto internacional, através do qual chegam a maior parte dos turistas que vão ficar alojados nos diversos resorts. Este destino foi um dos afectados pelo furacão Irma em Setembro do ano passado, e que obrigou inclusive ao cancelamento das operações da Sonhando para o destino. Quase um ano depois, os sinais da passagem do furacão pelos hotéis quase não se percebem. As unidades fizeram um trabalho extraordinário, num tempo recorde (apenas 62 dias) na recuperação das infraestruturas para voltarem rapidamente a receber hóspedes. O mesmo não se pode dizer da fauna e da flora. Para quem nunca visitou os cayos, talvez o choque não seja tão grande, no entanto é perceptível que a natureza foi madrasta. As árvores estão despidas, e flamingos, nem vê-los. De resto, as praias preservam a sua beleza natural. Além dos resorts, é possível fazer outras actividades no destino, conhecido para a prática de mergulho e de outros desportos náuticos ou passeios de barco.

Santa Clara e Varadero

Antes do destino final, Varadero, paragem em Santa Clara, que, à semelhança das outras cidades cubanas, tem uma praça central que concentra os principais edifícios e de diferentes períodos arquitectónicos. Mas a principal atracção de Santa Clara é o mausoléu do argentino Ché Guevara. O mausoléu de Che Guevara foi inaugurado em Outubro de 1997 quando chegaram a Cuba os restos mortais do guerrilheiro, 30 anos após sua morte na Bolívia e já foi visitado por mais de 4,5 milhões de pessoas. Ernesto Guevara nasceu em 14 de Junho de 1928, em Rosário, na Argentina. Filho de uma família de classe média alta, formou-se em Medicina na Universidade de Buenos Aires, em 1953. Juntamente com Fidel Castro, foi um dos ideólogos e comandantes que lideraram a Revolução Cubana, entre 1953-1959, que levou à queda do regime do general Fulgencio Batista. Santa Clara ficou para sempre ligado à história do comandante Che. A tomada da cidade em 1958 sob o comando de Guevara forçou a derrota de Fulgencio.

O mausoléu de Che Guevara já foi visitado por milhões de pessoas.

A viagem continua para Varadero. Situada numa península, de Hicacos, é o principal destino de sol e praia de Cuba. Varadero tem uma extensão de mais de 20 quilómetros de praia de areia branca e águas azul-turquesa, que além de calmas, têm temperaturas que rondam os 25°C, ideal para mergulhos e actividades aquáticas. Há também hotéis para todos os gostos (ver caixa). Varadero tem outros atractivos para oferecer além de umas férias de sol e praia. Há restaurantes de praia e várias actividades e festas organizadas diariamente pelos hotéis. Para os amantes da natureza, a norte de Varadero fica localizado o único parque submarino do país: Cayo Piedras del Norte, ideal para a prática de mergulho e snorkeling. Para aqueles que querem combinar sol com a história, nos arredores de Varadero podem visitar-se as cidades de Cárdenas, Matanzas e a Península de Zapata.

O plano de viagem era ambicioso, é preciso dizê-lo, condensar cinco destinos numa só uma viagem era uma tarefa difícil, mas, no final, a compensação, Varadero é um destino de sonho para relaxar.

* A jornalista viajou a convite da Sonhando


Como ir?

A operação charter da Sonhando, Solférias e iTravel para Varadero já começou no passado dia 2 de Junho e prolonga-se até 6 de Outubro, última data de partida. No caso de Varadero, às saídas são ao sábado e os voos operados pela Orbest. Para que o cliente não se surpreenda com o serviço que vai encontrar a bordo, nem sempre correspondente aos voos regulares, há serviços especiais que podem ser comprados antes da viagem. Por exemplo, por mais 89 euros é possível comprar o pacote Turista + que inclui assentos com mais espaço (primeiras filas e saídas de emergência), refeições premium, toalhitas refrescantes e auriculares, entre outros. Já a operação para Cayo Coco começou no dia 9 de Julho, e prolonga-se até 10 de Setembro, em voos operados às segundas-feiras pela EuroAtlantic, companhia aérea accionista da Sonhando. A companhia dispõe de classe executiva, o que é pouco habitual nos voos charter para Cuba durante o período do Verão. No conjunto, os operadores têm cinco mil lugares para venderem no período de Verão para Cuba. A programação dispõe ainda do circuito ‘Cuba Colonial’ (inclui Cayo Coco, Santa Clara, Trinidad e Havana); o combinado Havana e Varadero; e, desde o ano passado, que a operação para Cuba no Verão tem a parceria da MSC para a oferta de cruzeiros. Este ano estão disponíveis dois itinerários operados pelo navio MSC Armonia: Cuba e o Melhor do Mar das Caraíbas (inclui Havana, Montego Bay, George Town, Cozumel e Havana) e Os Trópicos entre Pirâmides e Fortalezas (inclui Havana, Belize, Ilha de Roatan, Costa Maya, Cozumel e Havana). Os preços incluem os voos para Varadero, transfers entre o aeroporto de Varadero e o porto de Havana e seguro de assistência de viagem. José Manuel Antunes, director-geral do operador Sonhando, é um apaixonado por Cuba. Contra todas as expectativas, retomou em 2014 os charters para Cayo Coco, que assumiu como uma paixão pessoal. “Tem sido um sucesso”, afirma. Sobre Cuba, José Manuel Antunes defende que é o melhor destino das Caraíbas, pela qualidade da praia, do mar e das pessoas. Desde que a operação se iniciou até agora, já vieram 9 mil passageiros e as reclamações são residuais. “As pessoas podem confiar no destino e há muitos repetentes sobretudo no segmento alto, porque as pessoas vêm e gostam”.

Onde Ficar?
A operação da Sonhando para Cuba está concentrada maioritariamente em três cadeias hoteleiras. São elas a Iberostar, Melia e Grand Memories. Mas também dispõe na sua programação da oferta do único hotel português no país, o Pestana Cayo Coco, e outros hotéis como o Royalton Hicacos Varadero.

Nesta viagem, visitámos diversos hotéis que estão na programação do operador. Em Havana, o grupo ficou hospedado no Iberostar Parque Central, hotel com uma arquitectura colonial e uma localização central junto ao Capitólio. Em alternativa, o Melia Havana ou o Melia Cohiba, que apesar de não serem tão centrais, dispõem de transporte regular para o centro da cidade. Alguns hotéis que visitámos, como é o caso do Cohiba (Havana) ou do Memories Varadero, encontram-se em remodelação, pelo que o melhor será confirmar se o cliente fica num quarto já remodelado. Em Cayo Coco, as opções também são variadas. Como já referido, o destino foi afectado pelo furacão Irma no ano passado, mas as unidades já se encontram recuperadas. O Melia Cayo Coco, com os seus bungalows sobre a lagoa natural de água salgada, foi um dos mais afectados, mas está recuperado. É uma unidade só para adultos. Já o Melia Jardines Del Rey (na foto) é para adultos e crianças. Tem uma arquitectura contemporânea, um ambiente moderno e muito confortável. Indicados para as famílias, os hotéis Pullman Cayo Coco e o Pestana Cayo Coco são também uma boa opção de alojamento. O Pullman dispõe de duas opções: o hotel onde estão a maioria dos quartos e uma secção apenas para adultos: o The Collection By Pullman constituída por junior suites, suites e private golden villa. Em Cayo Guillermo, o Meliá Cayo Guillermo é uma boa opção, o espaço exterior, assim como a praia e os seus passadiços sobre o mar criam um ambiente bastante agradável.

Melia Jardines Del Rey

Em Varadero, a estadia no Iberostar Varadero é bastante recomendável. É uma unidade de cinco estrelas capaz de satisfazer os clientes mais exigentes, sejam famílias ou casais. Os quartos têm áreas generosas e são confortáveis e a oferta de F&B é boa, assim como a praia. Com um estilo completamente diferente, apresenta-se o novo Iberostar Bella Vista Varadero. Enquanto o primeiro é mais clássico, o segundo é moderno e recente (tem pouco mais de um ano). Uma boa opção para férias em família.

O Paradisus Varadero é o único da marca premium de resorts da Melia indicado para famílias, dispondo de um serviço família.

O Royalton Hicacos é só para adultos e distingue-se pelo serviço de mordomo para todos os clientes e os altos standards de F&B. O Melia Marina Varadero é também uma boa opção de estadia. Sendo um resort com marina, surpreende pelo seu fácil acesso à praia.

Dicas

Em Cuba, existem duas moedas: os pesos cubanos (CUP) e os pesos (CUC). Os primeiros só são usados pelos habitantes. O Cuc é a moeda usado no turismo. A internet nos hotéis é disponibilizada através da compra de cartões que custam 1 Cuc e têm a duração de 60 minutos (podem ser usados em qualquer hotel ou espaço), desde que haja rede. Na hora de fazer a mala, não deve esquecer o repelente, e colocar na bagagem uma roupa um pouco mais formal para os jantares.

Fam trip

 No total foram 25 os elementos que viajaram a convite da Sonhando e da Soférias para Cuba. Um grupo grande, mas que esteve sempre bastante animado. Adriano Portugal (Orbita), Ana Luísa Luz (Sonhando), Ana Rita Lopes, (Viagens Abreu), Ana Rita Queiroz (Multidestinos), Ana Silva (By Travel), Carina Monteiro (Publituris), Carlos Carreira (Viagens Carreira), Custódia Carvalho (Top Atlântico Leiria), Dalila Silva (Viagens Abreu), Emília Parra (Geostar), Fernando Santos (Mercado das Viagens São João da Madeira), Joana Lopes (Rivieratur), João Real (Avic), José Luís Elias (Turisver), José Manuel Antunes (Sonhando), José Marques da Costa (Sonhando) Katy Lourenço (Sonhando), Magda Silva (By Travel), Maria João Elisário (Best Travel), Paula Moreira (Optimatours), Paulo Cordeiro, (Açoribérica), Rómulo Gonçalves (Clubtour), Rosário Santos (Solférias), Vânia Ferreira (Navitur) e Vera Caeiro (Em Viagem Évora).


Sobre o autorCarina Monteiro

Carina Monteiro

Mais artigos
Artigos relacionados
Turismo

Educação e investimentos considerados pilares para transformar o turismo na reunião da OMT

Zurab Pololikashvili, secretário-geral da OMT, deixou a mensagem que “a janela de oportunidade para transformar o setor não ficará aberta por muito tempo”, enfatizando ainda que “agora é a hora de acelerar a construção de um setor mais inclusivo, resiliente e sustentável”.

Publituris

Organização Mundial do Turismo (OMT) reuniu em Marrakesh, Marrocos, os líderes do turismo de todas as regiões do mundo para apresentar planos para transformar o setor num cenário de “desafios antigos e novos”.

Segundo dados da OMT divulgados recentes, as chegadas internacionais estão a caminho de atingir 65% dos níveis pré-pandêmicos até o final do ano. No entanto, com base no seu apelo de há um ano para que os líderes do setor público e privado “repensem o turismo”, a OMT colocou a “inovação, os investimentos, a educação e o empoderamento da juventude” no centro das discussões, ao mesmo tempo em que enfatizou o “maior interesse pela transformação por meio da Ação Climática” e da “importância do setor para o desenvolvimento rural em todos os lugares”.

Zurab Pololikashvili, secretário-geral da OMT, referiu no discurso de boas-vindas aos 16 ministros do Turismo e delegações de 36 países, por altura da 117.ª reunião do Conselho Executivo da organização, que “a janela de oportunidade para transformar o nosso setor não ficará aberta por muito tempo”, enfatizando ainda que “agora é a hora de acelerar a construção de um setor mais inclusivo, resiliente e sustentável”.

Pololikashvili lembrou também que o sucesso do turismo não pode mais ser medido com base apenas em números, “mas sim no impacto que nosso setor tem nas vidas, nos meios de subsistência e no bem-estar das pessoas e do planeta”.

Sobre o autorPublituris

Publituris

Mais artigos
Alojamento

Air Cairo abre voos para Lisboa e passa a ser representada pela ATR em Portugal

A companhia aérea egípcia de baixo custo Air Cairo passou a ser representada em Portugal pela ATR e prepara-se para abrir, a 30 de dezembro, voos entre Lisboa, Assuão e o Cairo, passando a ligar, no verão, Lisboa a Hurghada.

Publituris

A companhia aérea egípcia de baixo custo Air Cairo vai abrir, a 30 de dezembro, voos entre Lisboa, Assuão e o Cairo, capital do Egito, informação que é avançada em comunicado pela ATR, que passou a representar a transportadora no mercado português.

“Atualmente, a Air Cairo é uma companhia aérea nacional egípcia de baixo custo com uma frota de 10 aviões, operando mais de 200 voos semanais para 25 destinos internacionais e domésticos”, indica a ATR, recordando que a companhia aérea nasceu em 2003.

A 30 de dezembro, a Air Cairo inicia uma operação de inverno que vai ligar Lisboa, o Cairo e Assuão, que conta com um voo por semana, às sextas-feiras, e que vai operar até 24 de março de 2023.

A partir de 28 de março, os voos da Air Cairo passam a ligar a capital portuguesa a Hurghada, estância balnear egípcia localizada no Mar Vermelho, que vai contar com voos às terças-feiras, até 24 de outubro de 2023.

“Em breve teremos mais novidades em relação ao verão IATA”, acrescenta a ATR, revelando que os voos e as tarifas já se encontram carregados no GDS da Amadeus, enquanto as agências que utilizam o Galileo, da Travelport, devem contactar a ATR através do e-mail [email protected] ou pelo número de telefone +351 217618987.

Sobre o autorPublituris

Publituris

Mais artigos
Destinos

Walter Chicharro admite suceder a Pedro Machado na Turismo do Centro

O presidente da Câmara Municipal da Nazaré, Walter Chicharro, admite que tem reunidas as condições para ser candidato, no próximo ano, à presidência da entidade regional de turismo, para a qual tem vindo a recolher apoios.

Publituris

O presidente da Câmara Municipal da Nazaré, Walter Chicharro, admite vir a candidatar-se à liderança da Turismo Centro de Portugal (TCP), sucedendo a Pedro Machado, atual presidente da entidade regional de turismo, cujo mandato termina em 2023.

Em entrevista aos jornais do grupo Diário de Coimbra, Walter Chicharro destaca os resultados alcançados no seu concelho e admite que tem reunidas as condições para ser candidato, no próximo ano, à presidência da entidade regional de turismo, para a qual tem vindo a recolher apoios.

Recorde-se que Pedro Machado foi reeleito, em julho de 2018, para a liderança da Turismo Centro de Portugal, num mandato que termina no próximo ano e que o responsável não poderá renovar, uma vez que chegou ao limite de mandatos na entidade regional de turismo.

Walter Chicharro tem 52 anos, é presidente da Câmara Municipal da Nazaré desde 2013 e também está em fim de ciclo devido à limitação de mandatos autárquicos.

 

Sobre o autorPublituris

Publituris

Mais artigos
Transportes

Ryanair abre nova rota entre o Porto e Shannon no verão de 2023

A nova rota da Ryanair entre o Porto e Shannon, na Irlanda, vai contar com duas frequências semanais e, para assinalar o lançamento, a companhia aérea lançou uma promoção, com preços desde 29,99 euros.

Publituris

A Ryanair vai abrir uma nova rota no Porto no próximo verão, passando a ligar a cidade Invicta a Shannon, na Irlanda, a partir de 23 de abril, anunciou a companhia aérea de baixo custo em comunicado.

A nova rota da Ryanair entre o Porto e Shannon vai contar com duas frequências semanais e, para assinalar o lançamento, a companhia aérea lançou uma promoção, com preços desde 29,99 euros, disponível para reservas através do site da Ryanair.

“Com a Páscoa e o Verão de 23 a aproximarem-se rapidamente, estamos muito satisfeitos por trazer ainda mais opções e valor aos nossos clientes no Norte de Portugal, com a adição desta nova rota de Shannon à nossa programação de Verão de 23”, afirma Dara Brady, da Ryanair.

Segundo o responsável da companhia aérea, a nova rota oferece aos passageiros da Ryanair a oportunidade de visitarem “a Ilha Esmeralda e explorar as muitas maravilhas do centro-oeste” da Irlanda, como castelos cheios de história ou cruzeiros panorâmicos nas falésias e grutas da região.

Sobre o autorPublituris

Publituris

Mais artigos
Distribuição

Solférias e Viajar Tours lançam charters de Lisboa e Porto para Saïdia no verão

 A operação da Solférias e da Viajar Tours para Saïdia conta com um voo charter desde Lisboa e outro do Porto, ambos com partida aos sábados, com a primeira saída a decorrer a 3 de junho, enquanto a última acontece a 16 de setembro.

Publituris

A Solférias e a Viajar Tours vão voltar a contar com uma operação charter para Saïdia, em Marrocos, disponibilizando voos à saída de Lisboa e Porto ao longo do próximo verão, cuja programação foi já lançada de forma antecipada.

Segundo um comunicado dos operadores turísticos, “a estância balnear de Saïdia, a apenas 1h30 de voo à partida de Portugal, tem já um lugar relevante junto dos viajantes portugueses, sobretudo como um excelente destino para as férias de verão”, motivo pelo qual voltam a programar charters para este destino marroquino.

 A operação conta com um voo charter desde Lisboa e outro desde o Porto, ambos com partida aos sábados, com a primeira saída a decorrer a 3 de junho, enquanto a última acontece a 16 de setembro.

“A Solférias e o Viajar Tours, numa estreita colaboração com todos os seus parceiros no destino, mantêm a convicção que a antecipação da oferta vai aumentar ainda mais a capacidade dos agentes de viagem em responder à crescente procura dos viajantes nacionais, que optam por reservar as suas férias atempadamente”, acrescentam os operadores turísticos, na informação divulgada.

Todas as informações sobre a programação para Saïdia está já disponível através dos sites de ambos os operadores turísticos, através dos quais é também possível realizar a reserva.

Sobre o autorPublituris

Publituris

Mais artigos
Destinos

Turismo internacional recupera e deve atingir 65% dos níveis pré-pandemia, prevê OMT

Até setembro, as chegadas internacionais alcançaram 63% dos níveis pré-pandemia, enquanto os gastos turísticos ultrapassaram 2019 em vários países, incluindo Portugal. No entanto, o ambiente económico continua a ser “desafiante”, o que leva a OMT a mostrar-se “cautelosamente otimista” para os últimos meses do ano.

Inês de Matos

Até setembro, cerca de 700 milhões de turistas realizaram viagens internacionais, mais do dobro (+133%) do registado em igual período do ano passado, o que permitiu uma recuperação para 63% dos níveis pré-pandemia, indica a Organização Mundial do Turismo (OMT), que prevê, no entanto, que até final do ano seja possível chegar a 65% dos níveis de 2019.

De acordo com a OMT, a recuperação registada até setembro foi impulsionada “pela forte procura reprimida, pela melhoria dos níveis de confiança e pelo levantamento de restrições num número crescente de destinos”.

Os resultados, que constam do mais recente Barómetro Mundial do Turismo da OMT, indicam que as chegadas mensais ficaram 64% abaixo dos níveis de 2019 em janeiro de 2022 e atingiram -27% em setembro, com a OMT a estimar ainda que cerca de 340 milhões de chegadas internacionais tenham sido registradas apenas no terceiro trimestre de 2022, o que corresponde a quase 50% do total dos nove meses.

Por regiões, a Europa continua a liderar a recuperação no que diz respeito ao internacional e, até setembro, contabilizou 477 milhões de chegadas internacionais, o que corresponde a 68% do total mundial e permitiu atingir 81% dos níveis pré-pandémicos.

Segundo a OMT, os resultados alcançados na Europa representaram mais do dobro de 2021 (+126%) e foram impulsionados pela “forte procura intrarregional e viagens dos Estados Unidos”, que ditaram um desempenho “particularmente robusto” da Europa no terceiro trimestre de 2022, “quando as chegadas atingiram quase 90% dos níveis de 2019”.

No mesmo período, também o Médio Oriente se destacou, já que as chegadas internacionais mais do que triplicaram e cresceram 225%, subindo para 77% dos níveis pré-pandémicos.

Em África, houve ainda um crescimento de 166% nas chegadas internacionais e nas Américas a subida foi de 106%, atingindo 63% e 66% dos níveis de 2019, respetivamente.

Já nas região Ásia-Pacífico, as chegadas internacionais aumentaram 230%, o que corresponde a mais do triplo do mesmo período do ano passado, o que, segundo a OMT, reflete a “abertura de muitos destinos, incluindo o Japão no final de setembro”.

Contudo, acrescenta a OMT, as chegadas internacionais na Ásia-Pacífico permaneceram 83% abaixo dos níveis de 2019, uma vez que a China, que é “um importante mercado de origem para a região, permanece fechada”.

Por sub-regiões, a OMT acrescenta ainda que várias “atingiram 80% a 90% das chegadas pré-pandémicas em janeiro-setembro de 2022”, a exemplo da Europa Ocidental (88%) e do sul da Europa mediterrânea (86%) que, segundo a OMT, registaram a “recuperação mais rápida em relação aos níveis de 2019”.

Já as Caraíbas, a América Central (ambas com 82%) e o norte da Europa (81%) “também registraram bons resultados”, com a OMT a destacar ainda países como Albânia, Etiópia, Honduras, Andorra, Porto Rico, República Dominicana, Colômbia, El Salvador e Islândia onde as chegadas ficaram acima dos níveis pré-pandémicos.

Apenas em setembro, as chegadas superaram os níveis pré-pandémicos no Oriente Médio (+3% em relação a 2019) e nas Caraíbas (+1%), enquanto na América Central registaram uma aproximação ao resultado de mês homólogo de 2019, ficando apenas -7% abaixo. Já a Europa do Norte houve uma descida de 9% e na Europa Meridional e Mediterrânica as descidas foram de 10% .

Portugal entre os destinos com maior aumento nas receitas turísticas

Apesar da recuperação ainda estar em curso, a OMT destaca que vários países já “conseguiram aumentos notáveis ​​nas receitas do turismo internacional nos primeiros sete a nove meses de 2022”, a exemplo de Portugal.

Além de Portugal, as receitas turísticas aumentaram também na Sérvia, Roménia, Turquia, Letónia, Paquistão, México, Marrocos e França.

Além das receitas, a OMT invoca também a recuperação dos gastos com turismo emissor dos principais mercados de origem e dá como exemplo a França, onde os gastos atingiram -8% até setembro, em comparação com 2019.

Tal como a França, também a Alemanha, Bélgica, Itália, Estados Unidos, Catar, Índia e Arábia Saudita registaram “fortes gastos nos primeiros seis a nove meses de 2022”, indica a OMT.

Os resultados dos primeiros nove meses de 2022 levam a OMT a mostrar-se otimista face aos próximos meses, ainda que a organização sublinhe que este otimismo é cauteloso, uma vez que o ambiente económico continua a ser “desafiante” e a inflação continua “persistentemente alta”, o que se junta ao aumento dos preços da energia, que foi “agravado pela ofensiva russa na Ucrânia”.

Todos estes fatores, defende a OMT, podem “pesar no ritmo de recuperação” no quarto trimestre e em 2023, até porque os últimos resultados do inquérito ao Painel de Especialistas em Turismo da OMT indicam uma descida da confiança face aos últimos quatro meses do ano, o que reflete um “otimismo mais cauteloso”.

Ainda assim, a OMT estima que as receitas provenientes da atividade turística se situem entre os 1,2 a 1,3 biliões de dólares em 2022, o que corresponde a um aumento de 60% a 70% face a 2021 e a 70% a 80% 1,8 biliões de dólares contabilizados em 2019.

 

Sobre o autorInês de Matos

Inês de Matos

Mais artigos
Distribuição

Nortravel anuncia charters de Lisboa e Porto para Cabo Verde no verão de 2023

A Nortravel vai programar dois charters para a ilha do Sal, com partidas de Lisboa e Porto, assim como uma operação desde o Porto para a Boa Vista. Os preços começam nos 726 euros e as reservas online já estão disponíveis.

Publituris

O arquipélago de Cabo Verde vai ser uma das apostas da Nortravel para o próximo verão, com o operador turístico a anunciar charters com partida de Lisboa e Porto, com destino às ilhas do Sal e Boa Vista.

De acordo com um comunicado da Nortravel, para a ilha do Sal estão previstos charters com saída de Lisboa e do Porto, com as partidas de Lisboa a acontecerem todas as sextas, de 7 de julho a 8 de setembro, enquanto as partidas do Porto, que também decorrem às sextas-feiras, realizam-se entre 2 de junho a 29 de setembro.

Já no caso da ilha da Boa Vista, o operador turístico vai ainda programar um charter à partida do Porto, com saídas às quintas-feiras, entre 22 de Junho a 14 de Setembro.

“Estas propostas serão realizadas em modernos aviões Boeing 737/800 da companhia polaca Enter Air, com capacidade para 189 passageiros”, indica ainda a Nortravel no comunicado divulgado.

Para as partidas de Lisboa com destino ao Sal, o operador turístico disponibiliza preços desde 834 euros, em regime de alojamento e pequeno-almoço, enquanto no caso das partidas do Porto os preços começam nos 726 euros, também em regime de alojamento e pequeno-almoço.

Já para a operação com destino à Boa Vista, cujas partidas decorrem do Porto, a Nortravel está a disponibilizar valores que começam nos 1.019 euros, em regime de tudo incluído.

As propostas do operador turístico para o verão de 2023 em Cabo Verde já se encontram disponíveis para reservas online com confirmação imediata, através do site da Nortravel.

Sobre o autorPublituris

Publituris

Mais artigos
Transportes

Grupo MSC desiste de comprar a Ita Airways

O Grupo MSC retirou a proposta para adquirir o capital da companhia aérea italiana Ita Airways, que nasceu em 2021, depois da insolvência e liquidação da Alitalia.

Publituris

O Grupo MSC retirou a proposta para adquirir o capital da companhia aérea italiana Ita Airways, que nasceu em 2021, depois da insolvência e liquidação da Alitalia.

De acordo com a Lusa, o grupo marítimo, a que pertence a MSC Cruzeiros, informou em comunicado a desistência do negócio, explicando que já tinha informado “as autoridades competentes que não tem mais interesse em participar na privatização da Ita Airways”.

A desistência da compra da Ita Airways deve-se ao facto de o Grupo MSC não entender “as condições atuais do procedimento”, optando, assim, por retirar a proposta que tinha sido apresentada.

A Lusa recorda que, em outubro, o executivo de Giorgia Meloni já tinha interrompido as negociações com um consórcio formado pelas companhias aéreas Delta e Air France e pelo fundo americano Certares.

No entanto, as negociações com o Grupo MSC e com a Lufthansa continuaram, tendo mesmo chegado a ser apresentada uma proposta que previa a aquisição de 80% do capital da Ita Airways, ficando o Grupo MSC com 60% da companhia aérea italiana e a Lufthansa com os restantes 20%.

Recorde-se que a Ita Airways foi fundada em outubro de 2021, depois da liquidação da Alitalia, cuja situação financeira, que já era difícil antes da pandemia da COVID-19, se ter tornado insustentável e ter ditado a criação da nova companhia aérea.

O Ministério da Economia de Itália é, atualmente, o único acionista da Ita Airways.

Sobre o autorPublituris

Publituris

Mais artigos
Transportes

Emirates começa a introduzir nova classe Premium Economy na frota A380

A nova cabina Premium Economy da Emirates vai oferecer “lugares luxuosos, mais espaço para as pernas, e um serviço que rivaliza com a oferta de muitas companhias aéreas de Classe Executiva”, segundo a companhia aérea.

Publituris

A Emirates deu início ao programa que prevê a renovação e introdução da nova classe de bordo Premium Economy na sua frota de aviões A380, alterações que vão chegar a 67 aviões A380 e a 53 B777 da Emirates e que deverão estar concluídas no prazo de dois anos.

De acordo com um comunicado da companhia aérea do Dubai, “este projeto ambicioso representa um investimento multibilionário para assegurar que os passageiros voem melhor nos próximos anos”.

Até 23 de maio de 2024, a Emirates conta ter todos os 67 aviões A380 destinados ao programa de reequipamento de volta ao serviço, seguindo-se, posteriormente, intervenções em 53 aparelhos Boeing 777, num trabalho que deverá estar concluído até março de 2025 e que vai levar a nova classe de bordo a um total de 120 aviões da Emirates.

O primeiro avião A380 da Emirates a ser sujeito à renovação e reequipamento já se encontra no Centro de Engenharia da Emirates, onde, “durante os próximos dias e 24 horas por dia, equipas de engenheiros e técnicos desmontarão todo o interior da cabina”, que será posteriormente montado “numa sequência cuidadosamente planeada e testada”.

Depois da renovação, que vai até implicar mudanças nas Shower Spa da Emirates, o avião vai passar a contar com 56 lugares em Premium Economy, o que obriga a retirar 88 assentos Economy da parte da frente do avião.

Mas a renovação chega também às cabines de executiva e primeira classe, localizadas no primeiro andar do aparelho, cujos assentos vão ser igualmente substituídos por outros mais recentes, sendo que também as alcatifas e pavimentos das cabines dos aviões serão substituídos antes da reinstalação dos novos assentos.

Depois deste primeiro avião, a Emirates tem já prevista a renovação do próximo aparelho para 1 de dezembro, uma vez que, à medida que o programa vai avançando, os engenheiros da companhia aérea vão poder trabalhar em dois aviões em simultâneo.

“Isto significa que, a cada oito dias, um avião será imobilizado e transportado para a Emirates Engineering para reequipamento”, indica a Emirates, num comunicado divulgado esta terça-feira, 22 de novembro.

A nova cabina Premium Economy da Emirates vai oferecer “lugares luxuosos, mais espaço para as pernas, e um serviço que rivaliza com a oferta de muitas companhias aéreas de Classe Executiva” e que, atualmente, está apenas disponível nos aparelhos A380 que realizam as rotas de Londres, Paris e Sydney.

Até final de março de 2023, a Emirates conta ter também a Premium Economy nas rotas para Nova Iorque JFK, São Francisco, Melbourne, Auckland e Singapura.

 

Sobre o autorPublituris

Publituris

Mais artigos
Transportes

Americanos consideram várias opções para voar mais barato

São várias as possibilidades que os americanos equacionam para obter voos mais baratos. Desde viajar de pé, não ter acesso a casas de banho ou sujeitar-se a diversos ‘stopovers’, se o desconto for adequado, estes são alguns dos “sacrifícios” que os viajantes estão dispostos fazer.

Publituris

Uma recente pesquisa realizada pela WayAway, motor de busca de viagens, revela que a maioria dos americanos consideraria diversas opções para obter viagens de avião mais baratas. Entre as opções estão viajar de pé, não ter acesso às casas de banho ou realizar cinco ‘stopovers’, tudo para ter voos mais baratos no próximo ‘Black Friday’, dia que inaugura a temporada de compras natalícias com significativas promoções e que tem início um dia depois do Dia de Ação de Graças nos Estados Unidos, ou seja, no dia seguinte à quarta quinta-feira do mês de novembro.

Com os preços dos voos a subir, a pesquisa conclui que os viajantes procuram preços mais baixos, revelando que 8,6% estaria disposto a voar de pé se obtivessem um desconto entre 5 a 10%. Já 30,8% consideraria esta opção se o desconto fosse de 20 a 30% e 31,6% admite esta possibilidade se a promoção chegasse aos 50%. Já 29% não consideraria qualquer dessas possibilidades de desconto.

No que diz respeito à opção de viajar sem acesso às casas de banho, 8,7% dos inquiridos consideraria essa hipótese se o desconto fosse de 5 a 10%, sendo que 23% optaria por um voo com esta limitação se o desconto chegasse aos 20 a 30%. Já 29,2% admite voar caso o desconto fosse de 50%, enquanto 39% não considera voar com estas limitações nos voos.

Finalmente, no que diz respeito aos ‘stopovers’, 4,6% considera essa possibilidade se o desconto chegasse aos 10%, subindo para 18% em descontos entre os 20 a 30%. Já 35,4% optaria por este tipo de voos, caso o desconto atingisse os 50%, enquanto 42% não optaria por esta possibilidade.

Janis Dzenis, porta-voz da WayAway, diz-se “surpreendida com a quantidade de americanos que estão dispostos a enfrentar alguns inconvenientes realmente sérios para obter preços com desconto”, considerando que “não podemos deixar de nos perguntar se isso reflete os atuais altos preços dos bilhetes ou se sempre foi esse o caso”.

Dzenis refere, contudo, que existem opções mais fáceis de economizar nos voos. Em primeiro lugar, “ser flexível com as datas”, frisando que “escolher um dia da semana em vez de um fim de semana pode ser a chave”. Em segundo lugar, “reservar com antecedência, especialmente ao escolher os destinos mais procurados”. E, finalmente, “assinar um plano de assinatura pago para obter reembolso de até 7% em todas as ofertas de viagens”.

Sobre o autorPublituris

Publituris

Mais artigos

Navegue

Sobre nós

Grupo Workmedia

Mantenha-se conectado

©2021 PUBLITURIS. Todos os direitos reservados.