Assine já
Distribuição

“Há uma aposta muito forte no mercado português“

Diamantino Pereira, director para Portugal da Ávoris Reinventing Travel, divisão de viagens do Grupo Barceló, num encontro com parceiros, sublinha que a empresa vai conquistar a sua quota de mercado, seja pelos voos charters como voos regulares com a TAP para os mais diversos destinos.

Raquel Relvas Neto
Distribuição

“Há uma aposta muito forte no mercado português“

Diamantino Pereira, director para Portugal da Ávoris Reinventing Travel, divisão de viagens do Grupo Barceló, num encontro com parceiros, sublinha que a empresa vai conquistar a sua quota de mercado, seja pelos voos charters como voos regulares com a TAP para os mais diversos destinos.

Sobre o autor
Raquel Relvas Neto
Artigos relacionados
Ávoris assume-se como operador generalista
Homepage
Soltrópico aposta na proximidade aos agentes de viagens com lançamento de academia
Homepage
Diamantino Pereira deixa Ávoris
Homepage
Diamantino Pereira é o novo director-geral para Portugal da Barceló Viajes
Homepage

“Acreditamos e há uma aposta muito forte no mercado português. A Ávoris não está aqui para fazer experiências de laboratório, isto é para dar”, sublinhou Diamantino Pereira, director para Portugal da Ávoris Reinventing Travel, divisão de viagens do Grupo Barceló. O profissional falava um encontro com a imprensa e parceiros, maioritariamente agentes de viagens, no qual aproveitou para saudar o apoio recebido ao longo das operações decorridas em 2017, mas também para levantar o véu sobre as apostas que a empresa vai efectuar no mercado português no próximo ano.

Os sete voos charter semanais para as Caraíbas, que já estiveram em operação este ano, vão manter-se em 2018. No total, a empresa vai disponibilizar ao mercado três voos para Punta Cana, dois para Cancun, um para Varadero e outro para a Jamaica. Acresce ainda a operação estreia para a Costa Rica, à saída de Lisboa, em voos directos da Orbest. A operação vai realizar-se de 4 de Maio a 13 de Julho e está disponível desde 1350 euros. “Acreditamos bastante neste destino”, sublinhou.

No próximo ano, a Ávoris vai contar também com dez voos semanais para as Canárias e as Baleares, numa operação que não será partilhada com outro operador turístico e será operada em voos Evelop. “Não vamos inovar absolutamente nada ao destino Canárias, nem acrescentar, mas temos excelentes relações com a cadeia Iberostar, RIU, Meliá. O nosso grande argumento é a companhia aérea, temos toda a garantia de uma companhia aérea certificada”, referiu.

Recentemente, a Ávoris conseguiu a exclusividade de venda da cadeia hoteleira RIU para Portugal, adiantou, concretamente para as unidades da cadeia espanhola para o México e República Dominicana.

Também a formação é uma das apostas-chave da Ávoris para o próximo ano, desde formações físicas a webinars. Já em Janeiro, a Ávoris vai lançar o primeiro webinar para os agentes de viagens portugueses sobre a Costa Rica em parceria com o Publituris.

A entrada no mercado da SpecialTours, um dos principais operadores de circuitos europeus em autocarros, ou a entrada de um responsável por contratação para o mercado português – Diogo Santos – na Jotelclick foram outras das novidades apresentadas.

Diamantino Pereira deixou claro que a Ávoris é “um operador generalista, não queremos conquistar Portugal inteiro, mas queremos conquistar uma determinada quota de mercado, de uma maneira séria, transparente sem agredir ninguém, respeitando as regras de mercado”. Com voos charters ou com voos regulares, o responsável frisou que a aposta em Portugal é forte para o próximo ano: “Por muito que as pessoas não gostem, nós vamos ter Brasil, Madeira, Cabo Verde, Açores com a TAP, é uma honra trabalhar com a TAP”.

Diamantino Pereira destacou também que as futuras instalações da Ávoris vão estar localizadas junto ao Marriott Lisboa Hotel e à Clinica Maló, para as quais deverão mudar no final de Fevereiro. As novas instalações vão servir sobretudo para “desenvolver o backoffice que será muito profissionalizado para apoiar as agências de viagens”.

Sobre o autorRaquel Relvas Neto

Raquel Relvas Neto

Mais artigos
Artigos relacionados
Transportes

Delta Air Lines alarga voos diários entre Lisboa-Nova Iorque-JFK a todo o ano

Companhia aérea vai operar 14 voos semanais entre Portugal e os EUA este verão, oferecendo 440 lugares diários nos meses de pico da estação, o que corresponde a um aumento de 22% em lugares face ao verão de 2019.

A Delta Air Lines vai passar a contar com voos diários na rota entre Lisboa e Nova Iorque -JFK ao longo de todo o ano, informou a companhia aérea norte-americana, que está a comemorar o 5.º aniversário do regresso da Portugal e que, a 3 e junho, retoma também as ligações entre a capital portuguesa e Boston.

“No total, a Delta vai oferecer 14 voos semanais entre Portugal e os EUA este verão, oferecendo 440 lugares diários nos meses de pico da estação, incluindo 50 lugares diários na Delta One. Este é um aumento de 22% em lugares face ao verão de 2019″, destaca a Delta Air Lines, num comunicado divulgado esta sexta-feira, 27 de maio.

Os voos diários da Delta Air Lines durante todo o ano para Nova Iorque-JFK e o serviço de verão entre Boston e Lisboa vão ser operados em aviões Boeing 767-300 e em conjunto com os parceiros da joint venture transatlântica Air France, KLM e Virgin Atlantic.

“Portugal é um mercado importante para a Delta e um destino cada vez mais popular entre os turistas norte-americanos e mais além”, afirma Nicolas Ferri, Vice-Presidente da Delta para a Europa, Médio Oriente, África e Índia (EMEAI), revelando que a companhia tem “fortes reservas” por parte de clientes americanos, mas também de “viajantes portugueses ansiosos para visitar os EUA pela primeira vez em mais de dois anos”.

Entusiasmado com o anuncio do aumento da oferta da Delta Air Lines mostra-se também Francisco Pita, CCO da ANA – Aeroportos de Portugal/Vinci Airports, que refere que este “regresso ocorre num contexto de forte crescimento do tráfego aéreo entre os EUA e Portugal, com Lisboa a ultrapassar valores pré-covid e, em particular, evidenciando a importância que o destino Portugal tem vindo a assumir no mercado americano”.

Na rota entre Lisboa e Nova Iorque-JFK, os voos da Delta partem de Lisboa pelas 10h00, chegando à cidade norte-americana às 13h20. Em sentido contrário, a partida de Nova Iorque é às 19h55, para chegar a Lisboa pelas 08h00 do dia seguinte e sempre em horários locais.

Já a rota Lisboa-Boston parte da capital portuguesa pelas 12h45 e chega a Boston às 15h15, enquanto em sentido contrário a partida da cidade dos EUA decorre pelas 23h15, chegando a Lisboa às 10h45 do dia seguinte, também em horários locais.

Sobre o autorPublituris

Publituris

Mais artigos
Destinos

Países Bálticos e Nórdicos mostram oferta em Lisboa para impulsionar mercado português

O Workshop dos Países Bálticos e Nórdicos contou com a participação de seis empresas de serviços turísticos destes países, recebeu cerca de 20 representantes de agências de viagens e operadores turísticos nacionais, e mereceu balanço positivo.

Os países Bálticos e Nórdicos promoveram esta quinta-feira, 26 de maio, um workshop na capital portuguesa para dar a conhecer a oferta turística que disponibilizam, com o objetivo de estimular o contacto e negócios com o trade turístico nacional e, com isso, aumentar o número de turistas portugueses que visitam o destino.

A iniciativa, que contou com a participação de seis empresas que fornecem serviços turísticos nestes países, entre hotelaria, regiões de turismo, transportes marítimos, museus e atividades de animação turística, e recebeu cerca de 20 representantes de agências de viagens e operadores turísticos nacionais, mereceu um balanço positivo.

“Tentámos trazer aqui um pouco da oferta turística dos Países Nórdicos e Bálticos, porque queremos que as agências de viagens portuguesas, operadores turísticos e de incentivos conheçam aquilo que estes países têm para oferecer e possam iniciar conversações e uma cooperação enquanto distribuidores do produto”, explicou Sami Auvinen, CEO da Inseltrade, uma consultora que promove oportunidades de negócio em Portugal e Espanha junto das empresas destes países e que organizou a iniciativa com a APG Portugal.

De acordo com o responsável, são ainda poucos os portugueses que visitam os países Bálticos e Nórdicos, pelo que esse foi também um dos objetivos deste workshop, que decorreu no Neya Lisboa Hotel.

“Claro que esperamos que, com esta ação, mais portugueses possam visitar estes países, tanto no verão como no inverno. Sabemos que o inverno é mais famoso por causa do Natal, do Pai Natal na Lapónia e dos Mercados de Natal, mas penso que estes são também destinos perfeitos para o verão”, acrescentou o CEO da Inseltrade.

Com um verão mais ameno, os países Bálticos e Nórdicos oferece, segundo o responsável, “locais muito agradáveis para visitar nesta altura, como lagos, alojamento de verão e atividades muito variadas”, grande parte delas na natureza.

Sami Auvinen mostra-se por isso confiante que o workshop “vai cumprir o seu objetivo”, ainda que admita que este países venham a sofrer algum impacto no turismo devido à guerra na Ucrânia, até pelo receio devido à proximidade ao conflito militar, apesar de não acreditar que a guerra se possa alargar a algum dos países Bálticos ou Nórdicos.

“A guerra vai afetar o turismo, não temos dúvidas. A guerra está a decorrer na Ucrânia e não acredito, sinceramente, que se vá alargar aos países Bálticos ou Nórdicos. Esse é um longo debate, não vejo que isso possa acontecer, mas é perfeitamente natural que as pessoas tenham medo de viajar para esses países”, admitiu, garantindo, no entanto, que estes são “países pacíficos e seguros”.

Eckerö Line Ab Oy, Finnlines Oyj, Hotel Kalevala/Arctic Lakeland, Paljakka Finland / Arctic Lakeland, Vasa Museum e Vuokatti Finland foram as empresas dos Países Bálticos e Nórdicos que marcaram presença neste workshop que, além de Lisboa, passou também por Barcelona e Madrid, em Espanha.

Sobre o autorInês de Matos

Inês de Matos

Mais artigos
Natureza Fotos de banco de imagens por Vecteezy
Destinos

Centro e Porto e Norte de Portugal juntam-se aos Observatórios Regionais de Turismo Sustentável

O Observatório para o Turismo Sustentável do Centro de Portugal e o Observatório para o Turismo Sustentável do Porto e Norte juntam-se ao Observatório do Turismo Sustentável do Alentejo (ASTO), dos Açores e o Observatório Regional para o Turismo Sustentável do Algarve (AlgSTO).

O Observatório para o Turismo Sustentável do Centro de Portugal e o Observatório para o Turismo Sustentável do Porto e Norte foram recentemente lançados através da formalização dos respetivos protocolos entre as entidades envolvidas.

Ambos os observatórios pretendem ser reconhecidos pela Organização Mundial do Turismo (OMT) enquanto membros da sua Rede Internacional de Observatórios de Turismo Sustentável (INSTO), consolidando assim a posição de Portugal como líder da monitorização da sustentabilidade dos destinos. Atualmente Portugal tem três observatórios a funcionar na rede nacional: o Observatório do Turismo Sustentável do Alentejo (ASTO), o Observatório de Turismo dos Açores e o Observatório Regional para o Turismo Sustentável do Algarve (AlgSTO), todos pertencentes à rede internacional da OMT (INSTO).

De referir que o Turismo de Portugal tem vindo a trabalhar com as entidades regionais para a criação de observatórios de sustentabilidade nas diversas regiões, dando prossecução aos objetivos definidos na Estratégia Turismo 2027 que preconiza que o destino Portugal se deve posicionar como um dos mais competitivos e sustentáveis do Mundo. O objetivo, segundo a entidade, é “obter um conhecimento aprofundado dos impactes da atividade no território e uma maior eficiência no planeamento e gestão dos destinos”.

Enquanto autoridade turística nacional e responsável pela implementação do Plano “Reativar o Turismo |Construir o Futuro”, o Turismo de Portugal tem vindo a desenvolver uma série de iniciativas para afirmar o turismo como hub para o desenvolvimento de todo o território, desencadeando ações e iniciativas várias, e estabelecendo metas específicas de sustentabilidade, nomeadamente através do recentemente lançado Plano Turismo +Sustentável 20-23.

Sobre o autorPublituris

Publituris

Mais artigos
Transportes

Eurowings Discover inaugura rota entre Frankfurt e o Porto Santo

Nova operação sazonal da Eurowings Discover conta com um voo por semana, às quintas-feiras, até 27 de outubro.

A Eurowings Discover, companhia aérea do grupo Lufthansa, inaugurou esta sexta-feira, 27 de maio, uma nova rota sazonal direta entre Frankfurt, na Alemanha, e o Porto Santo, na Madeira, numa operação que se vai manter até 27 de outubro.

De acordo com um comunicado da ANA – Aeroportos de Portugal/Vinci Airports, esta nova operação é realizada em aviões Airbus 320, com 168 lugares, contando com uma ligação por semana, às quintas-feiras, num total de 23 voos com destino ao Porto Santo.

“Esta nova rota assume importância na oferta e diversificação do mercado turístico alemão para a ilha do Porto Santo.  Este voo regular vem assim contribuir fortemente para a recuperação, e reforço, deste mercado, já que as ligações com origem no mercado alemão para o aeroporto de Porto Santo não eram operadas desde o verão de 2020”, refere a ANA – Aeroportos de Portugal/Vinci Airports.

A nova operação resulta de um trabalho conjunto da ANA| VINCI Airports com o grupo Lufthansa no desenvolvimento de novas ligações para o aeroporto do Porto Santo, em coordenação com o Governo Regional da Madeira, Associação de Promoção da Madeira, e com o Turismo de Portugal.

“A chegada da Eurowings Discover, deixa-nos particularmente orgulhosos do trabalho desenvolvido para garantir que a ilha do Porto Santo tenha uma conectividade e uma oferta regulares que responda à crescente procura turística que resulta do dinamismo que a região da Madeira e a ilha do Porto Santo, em particular, têm demonstrado nos últimos anos”, considera Francisco Pita, CCO da ANA – Aeroportos de Portugal.

Já Rupert Kraus, Head of Network & Airport Relations da Eurowings Discover, destaca as “belas praias de areia e ótimo tempo” que fazem do Porto Santo um “destino de férias ideal” para os clientes da companhia aérea, até porque está a apenas quatro horas de voo desde Frankfurt.

“Foi com gosto especial que embarquei a bordo do nosso voo inaugural da Eurowings Discover de Frankfurt para Porto Santo, representando não só o primeiro voo para nós como nova companhia aérea dedicada a férias, como para todo o grupo Lufthansa. Porto Santo é uma grande adição ao mapa de destinos da Eurowings Discover e a toda a rede do Grupo Lufthansa”, acrescenta o responsável da companhia aérea.

Para o destino, a inauguração desta rota é também vista como uma notícia positiva, com Eduardo Jesus, secretário Regional de Turismo e Cultura e presidente da Associação de Promoção da Madeira, a referir que “a entrada da Eurowings Discover no Porto Santo representa um reforço dos mercados de origem, com especial enfoque no alemão”.

“Com esta operação, a ilha ganha novas frequências que se estendem até ao final de outubro, o que responde ao desafio assumido pelo Governo Regional da Madeira de fazer crescer a época de verão, procurando esbater a sazonalidade na ilha do Porto Santo”, defende o governante regional.

Sobre o autorPublituris

Publituris

Mais artigos
Distribuição

Nortravel oferece a Europa em mini circuitos de quatro dias

O operador turístico Nortravel apresenta ao mercado uma oferta de mini circuitos de quatro dias para algumas cidades e regiões da Europa.

Estes programas já estão disponíveis em nortravel.pt para reserva online com confirmação imediata.

Trata-se, segundo a Nortravel, de “uma ótima sugestão para os viajantes que pretendem umas férias curtas com o máximo de aproveitamento de tempo e qualidade”.

Em nota de imprensa, o operador turístico indica ainda que, com este novo conceito, “vai ao encontro do desejo dos habituais clientes de circuitos que pretendem escapadinhas na Europa com a garantia e qualidade que estão acostumados com a Nortravel”, com preços desde os 935 euros por pessoa em duplo.

Os mini circuitos “O Melhor de Amesterdão e Países Baixos”, “Toscânia Clássica”, “Berlim e Saxónia” e “Baviera Completa” incluem uma refeição diária, para além dos pequenos almoços buffet, hotéis de três e quatro estrelas bem localizados, todas as visitas acompanhadas pelo guia exclusivo em português e guias locais (quando indicado), seguro (incluindo cobertura Covid-19), taxas de aviação e IVA.

Sobre o autorPublituris

Publituris

Mais artigos
Tecnologia

eDreams ODIGEO termina ano fiscal com bons resultados

A eDreams ODIGEO anuncia os resultados do exercício findos a 31 de março de 2022, e revela que superou o mercado, triplicou os membros Prime para 2.9 milhões e registou progressos substanciais nos objetivos para 2025.

Com 247 websites e aplicações em 44 países, 21 idiomas e 37 moedas diferentes numa única plataforma central, a eDreams ODIGEO (eDO) cobre atualmente 80% do mercado global de viagens.

Ao longo do período em análise, a empresa considera, em nota de imprensa, que “superou o mercado (e os seus concorrentes) por uma margem significativa, tendo-se posicionado para o sucesso futuro através da sua abordagem inovadora, incluindo o primeiro programa de subscrições de viagens – o Prime – que é líder de mercado e conta, ao dia de hoje, com 2.9 milhões de membros, triplicando os números do ano passado”.

Para além de uma sólida melhoria da situação financeira e operacional acompanhada de um aumento de capital em 75 milhões de euros, os resultados da eDO dão conta de um recorde de 12.5 milhões de reservas, superando os níveis pré-pandemia em 10%.

Neste exercício a empresa apontou uma expansão significativa do mercado e da quota da carteira de viagens, através da oferta de hotéis, carros, comboios e quaisquer outros complementos às viagens, acompanhado de um aperfeiçoamento contínuo da sua plataforma tecnológica para proporcionar a melhor e mais rápida experiência online, mas com o objetivo de 7.25 milhões de membros Prime: 2.9 milhões atingidos e a crescer a um ritmo exponencial.

Dana Dunne, CEO da eDreams ODIGEO, afirmou que ao longo do ano fiscal de 2022, “continuámos a registar um sólido progresso na revolução das viagens e na reinvenção da experiência de viagem através do sucesso contínuo do nosso modelo de subscrição líder global, o Prime, e de uma posição privilegiada e de destaque mundial nas reservas de voos. Ganhámos quota de mercado, aperfeiçoámos ainda mais a nossa proposta e continuamos a prosperar enquanto empresa global”.

Globalmente, o ano fiscal 22 apresentou tendências constantemente ascendentes e o retorno aos lucros. A Receita Média por Utilizador (ARPU) aumentou 55% face ao exercício de 2021, fixando-se em 88 euros por membro. A Margem de Receitas no AF22 aumentou 244% relativamente ao mesmo período do ano passado, com as reservas a aumentar 286%.

 

Sobre o autorPublituris

Publituris

Mais artigos
Hotelaria

AHP quer intervenção de António Costa para facilitar circuito da imigração no seio da CPLP

A AHP apela a uma intervenção do Primeiro-Ministro, António Costa, com vista à simplificação e desburocratização dos circuitos da imigração dentro da CPLP, por considerar que “este é um tema que exige clara coordenação de políticas públicas, multissectorial, o que não se alcança sem uma intervenção ao mais alto nível, como se está a demonstrar”.

A Associação sublinha, mais uma vez, que o turismo não pode existir sem pessoas ao serviço, sendo que, neste momento, faltam cerca de 45 mil trabalhadores no setor, cerca de 15 mil só na hotelaria.

Em comunicado, a AHP dá conta de uma reunião, esta semana, com a secretária de Estado do Turismo, Comércio e Serviços, Rita Marques, em que entre os vários pontos da agenda estava a questão dos Recursos Humanos, mas “a informação partilhada pela governante deixou a Associação extremamente preocupada”.

Para a AHP, “os resultados da reunião não foram os esperados”, uma vez que havia fortes expectativas relativamente aos acordos de mobilidade que foram celebrados, quer com os países da CPLP, quer com a Índia e Marrocos.  A Associação estava convencida que esses acordos já estivessem a funcionar,” mas não é isso que está a acontecer”, refere a nota de imprensa.

Perante esta situação, Bernardo Trindade afirma que “viemos muito desapontados, porque o caminho que já tínhamos feito na anterior legislatura foi agora interrompido”, para destacar ser “preocupante que este tema não seja tratado ao nível do Estado como um tema central para o desenvolvimento do país”.

O presidente da AHP diz não compreender “como é que não há simplificação de procedimentos e articulação entre serviços, como os Serviços Consulares e o SEF, para simplificar e desburocratizar os circuitos da imigração dentro da CPLP, mais ainda quando Portugal e vários Estados da CPLP já ratificaram o Acordo sobre a Mobilidade.”

Tendo em conta que tema da escassez dos RH para a hotelaria e turismo pressiona toda a Europa Ocidental, a AHP lembra, no seu comunicado, que vários países estão a tomar medidas para lhe fazer frente, designadamente criando mecanismos de maior agilidade na captação de imigrantes.

Estando a Associação ciente que esta situação não se resolve de um momento para o outro, que é um problema de fundo do nosso país, e que se projeta sobre o futuro, Bernardo Trindade defende que “temos de o encarar como uma questão que exige um envolvimento e uma política de Estado, quer quanto à imigração, quer quanto à fixação de pessoas no nosso território”.

 

Sobre o autorCarolina Morgado

Carolina Morgado

Mais artigos
Destinos

Turismo de Portugal diz desenvolver trabalho no sentido de “reforçar as ligações das companhias aéreas para todos os aeroportos nacionais”

Depois das notícias que vieram a público, o Turismo de Portugal diz, em comunicado, que é “indiscutível que a TAP desempenha um papel crucial na conectividade e acessibilidade ao Destino Portugal”.

Victor Jorge

O Turismo de Portugal (TdP) salientou esta quinta-feira, em comunicado, “tem desenvolvido um importante trabalho em estreita colaboração com todos os players do setor, desde cada uma das Associações e Entidades Regionais de Promoção Turística até aos inúmeros empresários e diversas associações que representam o turismo nacional”.

“O Turismo de Portugal tem como missão promover Portugal como destino turístico, apoiar o desenvolvimento das infraestruturas turísticas e o investimento no setor”, lê-se no comunicado emitido após o Jornal de Notícia ter noticiado que o presidente do Turismo de Portugal tinha “incentivado agentes da região Norte a apostar na Ibéria como parceiro estratégico e em Madrid enquanto aeroporto de ligação internacional, em vez de esperarem pela TAP”.

“Sendo a conectividade aérea uma importante parte desta equação, tem sido desenvolvido um trabalho, sobretudo no pós-pandemia, no sentido de reforçar as ligações das companhias aéreas para todos os aeroportos nacionais, atrair novas companhias áreas – uma vez que asseguram as ligações de novos mercados ou mercados já existentes aos aeroportos nacionais– e colaborar nos programas de venda e distribuição das companhias nesses mesmos mercados (como os programas STOPOVER)”, refere-se no comunicado.

A entidade tutelada pelo Ministério da Economia e do Mar, sublinha ainda que “a TAP, enquanto companhia aérea nacional, é não só essencial para o setor em todo o território nacional como um parceiro estratégico do Turismo de Portugal, implementando parcerias e iniciativas conjuntas sempre que tal se afigurou necessário e pertinente para dinamizar o turismo nacional”.

O TdP reconhece ainda que “há ainda muito trabalho a fazer no longo caminho que percorremos juntos, sendo indiscutível que a TAP desempenha um papel crucial na conectividade e acessibilidade ao Destino Portugal”.

Depois da Iberia ter incluído, recentemente, os destinos de Porto e Lisboa no seu programa, o TdP salienta que “tem sido desenvolvido um trabalho no sentido de tornar ainda mais atrativos estes destinos para os passageiros que fazem ligação em Espanha”, destacando, ainda que “o mesmo se passa com o programa STOPOVER da TAP com quem o Turismo de Portugal tem trabalhado no sentido de aumentar a sua atratividade e impacte para todos os aeroportos nacionais”, conclui o comunicado.

Sobre o autorVictor Jorge

Victor Jorge

Mais artigos
Destinos

Ceará mostra-se em Portugal até 02 de junho

O estado brasileiro do Ceará está a mostrar o potencial do seu turismo em Portugal até ao próximo dia 02 de junho, num roadshow que percorre várias cidades.

O governo do Ceará, através da Secretaria de Turismo do Estado, reúne os principais operadores e agentes de viagens de Portugal através de um roadshow intitulado “Descubra Ceará” , que percorre as cidades de Lisboa, Setúbal, Santarém, Cascais, Porto, Coimbra, Braga e Avieiro..

Com o intuito de reapresentar o Ceará como destino turístico, a SETUR está a divulgar as principais novidades dentro dos eixos de infraestrutura turística da capital e cidades do interior, rotas aéreas nacionais e internacionais, hotelaria, gastronomia, cultura e eventos, destacando as qualidades do estado nordestino.

De entre as novidades apresentadas, destacam-se a infraestrutura da rede hoteleira, com a chegada de resorts de renome internacional, a oportunidade de experimentar a culinária local, além de se poder desfrutar de um litoral de quase 600km de extensão. O estado mostra ainda o grande crescimento ao nível da prática de desportos náuticos, como o kitesurf.

Sobre o autorCarolina Morgado

Carolina Morgado

Mais artigos
Meeting Industry

Lisboa vai acolher a Cruise Europe Conference em 2023

A candidatura apresentada pelo Porto de Lisboa saiu vencedora e vai trazer, pela primeira vez, à capital portuguesa a conferência internacional da Cruise Europe, no primeiro trimestre de 2023.

Publituris

Este evento internacional de três dias, vai reunir os principais stakeholders do setor e envolve mais de 150 participantes de 20 países.

Segundo nota de imprensa do Porto de Lisboa, a  notícia chega numa altura em que o mercado de cruzeiros passa por profundas alterações qualitativas e em que esta instituição lisboeta, alinhado com as melhores práticas do setor, “se encontra a implementar um conjunto de soluções de qualificação ambiental das operações portuárias e de reforço da relação com os núcleos urbanos vizinhos”, isto enquanto, progressivamente, a indústria dos cruzeiros retoma a sua atividade normal um pouco por todo o mundo.

Segundo Ricardo Medeiros, vogal da Administração Porto de Lisboa (APL), este evento “faz parte da estratégia de valorização e qualificação da indústria de cruzeiros na cidade de Lisboa que a APL, em conjunto com vários parceiros, tem em curso: as campanhas de monitorização da qualidade do ar e da água na área de influência do terminal de cruzeiros, a implementação de soluções de Onshore Power Suply aos navios que escalam o Porto de Lisboa e o estudo, em curso, de avaliação dos impactes ambientais da atividade são outros tantos passos neste caminho”.

Refira-se que a Cruise Europe, criada em Copenhaga, em dezembro de 1991, é a associação que reúne os portos e destinos de cruzeiro da costa atlântica europeia, e que tem como principal objetivo promover o desenvolvimento e a qualificação da atividade de cruzeiros na região. Reúne atualmente cerca de 140 membros, que representam mais de 20 países.

Sobre o autorPublituris

Publituris

Mais artigos

Navegue

Sobre nós

Grupo Workmedia

Mantenha-se conectado

©2021 PUBLITURIS. Todos os direitos reservados.