Assine já
Homepage

Costa Cruzeiros com novo ‘pricing’ para Portugal

A Costa Cruzeiros passa a disponibilizar quatro tarifas distintas, nomeadamente Deluxe, Confort Premium, Confort Classic e Basic.

Inês de Matos
Homepage

Costa Cruzeiros com novo ‘pricing’ para Portugal

A Costa Cruzeiros passa a disponibilizar quatro tarifas distintas, nomeadamente Deluxe, Confort Premium, Confort Classic e Basic.

Inês de Matos
Sobre o autor
Inês de Matos
Artigos relacionados
Costa Cruzeiros: Gestão direta em Portugal foi “decisão baseada na vontade de crescer”
Homepage
Costa Cruzeiros lança novos itinerários para 2022 e 2023 com novidades em Portugal
Homepage
“2018 foi um ano de sucesso para as rotas portuguesas da British Airways”
Homepage
“Queremos vir a Portugal numa base muito mais regular”
Homepage

A Costa Cruzeiros apresentou esta quarta-feira, 17 de Maio, o novo sistema de tarifas que passa a vigorar no mercado português, através do qual a companhia pretende chegar aos vários tipos de público, oferecendo aos passageiros a possibilidade de viajarem “com preços controlados logo à partida”, segundo Jorge Carreiras, director-geral da Line C, representante da Costa Cruzeiros em Portugal.

“É um pricing que já foi ensaiado por outros mercados e que vai ao encontro de uma necessidade do próprio público-alvo, que é, por um lado, ter à partida os custos controlados e, aqui, os preços têm uma evolução em crescendo”, explicou o responsável, durante a apresentação das novas tarifas, que decorreu no Hotel Mundial, em Lisboa.

Com este novo sistema de preços, a Costa Cruzeiros passa a disponibilizar quatro tarifas distintas, nomeadamente Deluxe, Confort Premium, Confort Classic e Basic, cujas diferenças se prendem essencialmente com o pacote de bebidas incluído, ainda que existam também diferenças ao nível dos camarotes.

“Temos vários patamares, entre o que não tem qualquer tipo de bebidas, que é o Basic, depois temos o Confort Classic que tem bebidas às refeições, o Confort Premium que tem o pacote de bebidas incluídas, não só às refeições, mas durante todo o cruzeiro e, depois, ainda temos a tarifa Deluxe, em que temos um pacote de bebidas Premium. Este pacote destina-se às categorias mais altas, nomeadamente às suites”, resumiu Jorge Carreira.

O novo sistema de preços já se encontra disponível desde o início deste mês de Maio e aplica-se a todos os cruzeiros da Costa para a temporada 2018, com excepção dos itinerários de Volta ao Mundo.

Com as novas tarifas, a Costa Cruzeiros espera incentivar as reservas antecipadas, uma vez que também a política de cancelamentos é alterada, passando a ser oferecida ao cliente a possibilidade de cancelar a reserva até 45 antes da partida, pagando uma penalização de apenas 50 euros, com excepção apenas da tarifa Basic.

“Essencialmente é isto, queremos reforçar os benefícios da reserva antecipada. O facto de penalizarmos pouco o cancelamento até 45 dias antes da partida, acaba por ser um conforto maior para essas pessoas”, acrescentou Jorge Carreiras.

 

 

Sobre o autorInês de Matos

Inês de Matos

Mais artigos
Artigos relacionados
Sem categoria

“Prime” da eDreams ODIGEO alcança 2 milhões de membros

Tendo triplicado o número de membro em apenas num ano, a companhia prevê atingir os 7,5 milhões de subscritores até 2025.

Publituris

O Prime, serviço de subscrição de viagens da eDreams ODIGEO, alcançou dois milhões de membros, tendo percorrido mais de 16 milhões de quilómetros e visitado 215 países em todo o mundo.

O Prime é um serviço exclusivo e personalizado que oferece aos subscritores acesso a voos, hotéis e aluguer de viaturas, “permitindo-lhes beneficiar das opções de viagem mais flexíveis, convenientes e acessíveis, ao mesmo tempo que conseguem poupanças significativas”, refere a empresa em comunicado.

“À medida que a procura por viagens de lazer continua a recuperar solidamente, o serviço registou também um grande aumento da sua procura”, reconhece a companhia de viagens online, adiantando que o número de novos membros “praticamente triplicou em apenas um ano”, salientando, ainda que “o desempenho e crescimento do Prime provam que o modelo de subscrição é cada vez mais atrativo para os viajantes de todo o mundo”.

Com base no crescimento do Prime, a empresa prevê alcançar “7,5 milhões de membros até ao ano fiscal de 2025”.

Quase dois quintos (39%) das reservas de voos realizadas com as marcas de agências de viagens da eDreams ODIGEO (eDreams, Opodo e GO Voyages) são efetuadas por membros Prime, sendo que os subscritores têm 2-3 vezes maior probabilidade de reservar viagens adicionais do que os clientes que não são membros Prime, indica a companhia. O serviço provou ser “popular em todos os perfis e grupos etários de viajantes, e mais notavelmente na faixa etária dos 18 aos 35 anos”.

Dana Dunne, CEO da eDreams ODIGEO, salienta que “a abordagem impulsionada pela tecnologia e a nossa escala inigualável em termos de voos, sendo o fornecedor número 2 a nível global, ajudaram-nos a estimular o sucesso do Prime”.

No que diz respeito aos serviços de subscrição, destaca que “são muito populares noutras áreas das nossas vidas, mas o Prime é o primeiro serviço de subscrição de viagens do mundo, oferecendo soluções de viagem mais personalizadas, flexíveis e o mais adaptadas possível às necessidades individuais dos nossos membros. O programa ajudou-nos a aprofundar a nossa relação com os nossos clientes e a compreender melhor as suas expectativas crescentes no que toca à relação qualidade-preço, à escolha e à conveniência na reserva das suas férias”.

Dana Dunne, admite que, “à medida que a procura dos consumidores por viagens continua a evoluir no mundo pós-pandemia, acreditamos que nossa abordagem estratégica e os nossos produtos vão permitir-nos continuar na vanguarda do futuro das viagens”.

Sobre o autorPublituris

Publituris

Mais artigos
Destinos

Revive Natureza: Concursos para exploração de seis imóveis receberam 45 candidaturas

A Casa do Pinheiro Manso e o Chalet de S. Pedro, ambos em São Pedro de Moel, foram os imóveis que reuniram o maior número de propostas, com 17 e 12 candidaturas, respetivamente.

Publituris

Os concursos para atribuição de direitos de exploração de seis imóveis no âmbito do Revive Natureza, que foram lançados em junho e encerraram a 19 de novembro, receberam um total de 45 candidaturas, que vão agora ser analisadas “com vista à sua adjudicação”, informou o Gabinete do Ministro de Estado da Economia e Transição Digital em comunicado.

De acordo com a informação divulgada, “foram apresentadas propostas a todos os imóveis”, mas os que registaram maior procura foram a Casa do Pinheiro Manso e o Chalet de S. Pedro, ambos em São Pedro de Moel, bem como o Antigo Posto Fiscal em Monte Fidalgo, em Vila Velha de Rodão, com 17, 12 e oito candidaturas, respetivamente.

Além destes, estava ainda a concurso a exploração da Casa Florestal de Sul, em Coimbra, que recebeu duas propostas, a antiga Sede da Administração Florestal na Figueira da Foz, que obteve cinco candidaturas, e o Edifício Florestal da Abrigada, em Lisboa, para o qual foi apresentada uma proposta.

O Gabinete do Ministro de Estado, Economia e da Transição Digital explica ainda que “o Fundo Revive Natureza poderá vir a conceder financiamento às entidades a quem for atribuído o direito de exploração dos imóveis, criando-se, assim, as melhores condições para a concretização dos respetivos investimentos”.

Criado em 2019, o Programa Revive Natureza  tem como objetivos recuperar os imóveis, criar emprego local e dinamizar as economias locais, através das redes de oferta e valorização dos produtos endógenos, constituindo-se como mais um instrumento de concretização dos eixos estratégicos da Estratégia de Turismo 2027, nomeadamente a valorização do território nacional.

Sobre o autorPublituris

Publituris

Mais artigos
Alojamento

Cascade Wellness Resort já tem propostas para a época festiva

Já estão disponíveis as propostas de Natal e réveillon no Cascade Wellness Resort, unidade hoteleira de 5 estrelas em Lagos (Algarve).

Publituris

Já estão disponíveis as propostas de Natal e réveillon no Cascade Wellness Resort, unidade hoteleira de 5 estrelas em Lagos (Algarve), com várias opções de programas. 

A Christmas to Remember é o mote para os dois pacotes de Natal, um que a partir de 548€, inclui alojamento em quarto, suite, apartamento ou vila, com pequeno-almoço, jantar de Natal buffet no Restaurante Mundi com música ao vivo, show cooking e ainda brunch buffet no dia 25 de dezembro (bebidas incluídas).  

A opção do pacote A Christmas to Remember no Restaurante Senses, disponível a partir de 592€, inclui alojamento em quarto, suite, apartamento ou vila, e pequeno-almoço, jantar de Natal com Menu de degustação (de 5 pratos), wine pairing e brunch de Natal (bebidas incluídas). 

Para o réveillon também existem duas opções de programa, e desta vez o tema é The Glam Boat, a preços que variam desde os 799€ aos 879€.  Em ambas as opções, na noite de 31 de dezembro as crianças contam com um réveillon só seu, com jantar e entretenimento infantil disponível na sala das crianças. 

Sobre o autorPublituris

Publituris

Mais artigos
Distribuição

Solférias lança operação charter para o Senegal, de Lisboa e Porto

A Solférias anunciou ao mercado, esta terça-feira, que o Senegal passará a ser uma das apostas do operador para o novo ano, com uma operação charter.

A Solférias anunciou ao mercado, esta terça-feira, que o Senegal passará a ser uma das apostas do operador para o novo ano, com uma operação charter à saída de Lisboa e do Porto. 

A cadeia hoteleira RIU será o centro de uma operação em voos especiais que a Solférias tem já confirmada com partidas de Lisboa e Porto, às segundas-feiras, de 6 junho a 3 outubro 2022. 

 O lançamento deste destino vem na sequência do objetivo da Solférias de disponibilizar às agências e agentes de viagens portugueses a melhor e mais competitiva oferta, procurando desde sempre contribuir para a afirmação de alguns destinos no mercado nacional, indica comunicado da empresa. 

O operador refere o país, localizado na costa ocidental de África, como “um destino com fantásticas praias, uma cultura e tradição de receber assinaláveis, a uma distância de voo comparável com outro dos destinos favoritos dos portugueses (Cabo Verde). O Senegal reúne todas as condições para ser uma das grandes (boas) surpresas de 2022”. 

A operação do Senegal surge também na sequência da abertura do novo RIU Baobab, hotel de 5 estrelas da cadeia RIU, na primeira linha de praia na zona de Pointe Saréne,  prevista para 8 de abril de 2022. 

Antes do início desta operação, a Solférias disponibiliza já ao mercado um programa em voos TAP e com preços desde 887 euros por pessoa, num pacote de cinco noites em quarto duplo e regime do tudo incluído. 

  

Sobre o autorCarolina Morgado

Carolina Morgado

Mais artigos
Destinos

Açores destacam turismo cultural para valorizar destino

Os Açores destacam a importância do turismo cultural não só para a diversificação, mas também na valorização do destino e da experiência turística.

Publituris

Os Açores destacam a importância do turismo cultural não só para a diversificação, mas também na valorização do destino e da experiência turística, segundo o secretário Regional dos Transportes, Turismo e Energia. 

Mário Mota Borges falava na abertura de uma ação de capacitação sobre as temáticas Turismo Industrial em Portugal & a importância das Rotas Açores para a estruturação da oferta turística cultural, organizada pela Secretaria Regional ´dos Transportes, Turismo e Energia, na cidade da Horta. 

O governante realçou ainda que a estratégia para o desenvolvimento do turismo “passa por um turismo sustentável, com base na proteção do território e da qualificação do destino”, para acrescentar que o turismo cultural é um “elemento fundamental do destino, em temáticas como as que estão a ser trabalhadas nas Rotas Açores, através da criação de uma verdadeira rede cultural colaborativa, em torno da baleação, das vinhas e dos vulcões”. 

No que diz respeito ao turismo industrial, Mário Mota Borges deu como exemplos os produtos ligados ao agroturismo, como é o caso do chá, dos laticínios ou das conservas. 

O evento contou ainda com a participação da secretária de Estado do Turismo, Rita Marques, que realçou o entusiamo da região no envolvimento desde o primeiro momento neste projeto do turismo industrial em Portugal. 

Refira-se que as empresas da indústria viva dos Açores poderão concorrer às linhas de apoio que o Turismo de Portugal terá disponíveis para capacitar as suas instalações à visitação, ficou assegurado no encontro. 

 

Sobre o autorPublituris

Publituris

Mais artigos
Destinos

Grécia impõe novas medidas de restrição

A Grécia impôs, esta segunda-feira, um amplo conjunto de restrições para combater as infeções pelo novo coronavírus, que estará em vigor pelo menos até 6 de dezembro. 

Publituris

A Grécia impôs, esta segunda-feira, um amplo conjunto de restrições para combater as infeções pelo novo coronavírus. que elevou a taxa de mortalidade no país para quase o dobro da média da União Europeia (UE). 

Até o dia 6 de dezembro, será obrigatório o uso da máscara em todos os locais de trabalho e haverá horário de funcionamento escalonados nos setores público e privado. Além disso, para entrar em todos os espaços fechados de entretenimento, será obrigatória a apresentação do certificado de vacinação ou o comprovativo de que tenha tido a Covid-19 e se recuperado recentemente. Estão incluídos bares, restaurantes, cinemas e museus, entre outros. 

O Governo descartou o regresso ao confinamento geral e o ministro da Saúde, Thanos Plevris, disse que as restrições atuais seriam reavaliadas dentro de duas semanas. 

 

Sobre o autorPublituris

Publituris

Mais artigos
Destinos

OMT e Conselho da Europa formam parceria para desenvolver rotas culturais

Parceria visa o desenvolvimento de rotas culturais na Europa, numa iniciativa que pretende explorar as oportunidades do turismo para as comunidades locais e melhorar a experiência dos turistas na Europa.

Publituris

A Organização Mundial do Turismo (OMT) e o Conselho da Europa estabeleceram uma parceria com vista ao desenvolvimento de rotas culturais por toda a Europa, numa iniciativa que visa explorar as oportunidades que o turismo pode trazer para as comunidades locais e melhorar a experiência dos turistas na Europa.

De acordo com um comunicado enviado à imprensa pela OMT, esta parceria prevê o lançamento de ações conjuntas entre as duas entidades, que contribuam para o “reconhecimento do valor acrescentado que as rotas culturais oferecem ao desenvolvimento do turismo sustentável, a salvaguarda do património cultural e o diálogo intercultural”.

“A colaboração também vai destacar o potencial das rotas para o avanço do desenvolvimento social, económico e cultural, beneficiando tanto a Europa como os países parceiros, através do fortalecimento dos laços culturais e históricos”, refere ainda a OMT.

Numa primeira fase, explica a OMT, as duas entidades vão trabalhar o turismo criativo, no âmbito do Ano Internacional da Economia Criativa 2021, assim como promover destinos abrangidos pelo Acordo Parcial Alargado sobre Rotas Culturais (EPA) do Conselho da Europa .

Sobre o autorPublituris

Publituris

Mais artigos
Alojamento

Casas de Alpedrinha aptas para receber nómadas digitais

As Casas de Alpedrinha passaram a oferecer um espaço apropriado para receber profissionais em teletrabalho e nómadas digitais, que ultimamente têm procurado o interior do país. 

Publituris

As Casas de Alpedrinha passaram a oferecer um espaço apropriado para receber profissionais em teletrabalho e nómadas digitais, que ultimamente têm procurado o interior do país. 

O empreendimento está situado na Vila de Alpedrinha, em ambiente rural, no coração da Beira Baixa, cercada por aldeias históricas, de xisto e de montanha. Região próxima à fronteira com a Espanha torna-se alternativa para quem deseja ficar longe das aglomerações dos grandes centros e ganhar em qualidade de vida e experiências. 

São formadas por um conjunto de 10 casas de campo totalmente mobiladas que dispõem de sala de estar ampla – com salamandra abastecida com lenha encontrada na própria quinta – cozinha equipada, casa de banho com luz natural e jardim privativo; os hóspedes ainda podem escolher entre casas com um (suíte) ou dois quartos – e capacidade para receber até quatro. 

O ambiente conta ainda com piscina (aberta nos meses de verão), campo de ténis, roteiros turísticos personalizados, para dar a conhecer a região, vista panorâmica, lavandaria, estacionamento gratuito e serviços essenciais.  

 

Sobre o autorPublituris

Publituris

Mais artigos
Transportes

Transavia também vai voar entre Amesterdão e Ponta Delgada a partir de abril de 2022

Voos entre Amesterdão e Ponta Delgada arrancam em abril de 2022, com uma ligação por semana, aos domingos.

Publituris

Depois de anunciar o lançamento de uma rota entre Paris e Ponta Delgada, nos Açores, no verão do próximo ano, a Transavia revelou agora que também vai voar entre a capital micaelense e Amesterdão, numa operação que arranca em abril do próximo ano e que vai contar com um voo por semana, aos domingos.

“A Transavia vai abrir uma nova rota entre Ponta Delgada e Amesterdão-Schiphol na próxima Primavera – a ser inaugurada em abril de 2022. Após anunciar, recentemente, uma nova rota de verão a ligar Paris e a ilha de São Miguel, nos Açores, a subsidiária low-cost do grupo Air France-KLM propõe agora uma ligação totalmente nova entre os Países Baixos e o arquipélago dos Açores”, lê-se num comunicado enviado pela companhia aérea à imprensa esta segunda-feira, 22 de novembro.

Na informação divulgada, a Transavia avança preços desde 72 euros para voos de ida e explica que a abertura da nova rota é possível devido à expansão da sua frota, principalmente em França, uma vez que vai passar de 40 aviões 737-800s no início de 2021 para 61 aviões a partir de abril de 2022.

“Globalmente, a filial low-cost do grupo Air France-KLM terá uma frota total de 89 aviões a voar para mais de 100 destinos na Europa”, acrescenta a Transavia, que alerta, no entanto, que o “programa de voos mantém-se em constante evolução e continua sujeito às condições sanitárias e às restrições impostas pelas autoridades dos países em causa”.

Os bilhetes já se encontram à venda e podem ser adquiridos através do site da companhia aérea, em www.transavia.com.

.

 

Sobre o autorPublituris

Publituris

Mais artigos
Hotelaria

Vila Galé soma 20 anos no Brasil e segue para Alagoas, Cumbuco e Salvador da Bahia

O grupo hoteleiro celebrou o 20.º aniversário no Brasil e anunciou a expansão do portefólio no país com três novos projetos.

Rute Simão

Duas décadas depois de ter pisado as Terras de Vera Cruz, a Vila Galé vai expandir a oferta no Brasil com três novos projetos hoteleiros. Já no verão do próximo ano abre portas o Vila Galé Alagoas, na praia de Carro Quebrado. O resort com 514 quartos é fruto de um investimento de 150 milhões de reais (24 milhões de euros) e será o 10.º hotel do grupo no país. A unidade terá uma oferta de seis restaurantes, spa, oito salas de reunião e um parque aquático infantil . No total, vai gerar 600 empregos diretos.

O projeto  iniciou obras em plena pandemia, no segundo semestre de 2020, e, apesar do receio inicial em avançar com o novo investimento, o grupo acredita que a nova unidade será “um excelente negócio”.

“O Governador de Alagoas [Renan Filho] publicou uma legislação para captar investidores, não só na hotelaria. Desapropriou uma área e vendeu-nos a um preço simbólico. Quando começou a crise arrepiei. Podemos ser ousados e otimistas, mas também temos realismo. Ficámos muito preocupados em avançar com um investimento pesado num quadro de pandemia. Mas, depois, não tive coragem de chegar perto do Governador, que foi comprar um terreno para nos vender a um preço simbólico, e dizer que não haveria negócio. Não tinha jeito e por isso avançámos. Vale a pena avançar e vai ser um excelente negócio”, garantiu o presidente do grupo Vila Galé na conferência de imprensa em Fortaleza que assinalou os 20 anos do grupo no Brasil.

Jorge Rebelo de Almeida acredita que o Brasil tem “um potencial extraordinário”  e, por isso mesmo, vai continuar a apostar no país. Assim que o novo hotel em Alagoas for inaugurado, o grupo iniciará a construção do segundo projeto no Cumbuco. O Vila Galé Collection Cumbuco terá uma oferta de 130 unidades de alojamento bem como um lote com 80 moradias. O projeto, que será vizinho do Vila Galé Cumbuco, ainda não está fechado, garante o presidente, que não avançou com o valor do investimento.

Em fase de concurso encontra-se ainda uma terceira unidade em Salvador da Bahia, que resultará da reconstrução da antiga sede do Governo local, o Palácio de Rio Branco. “Estamos a preparar um sonho. Estamos a concorrer, já aprovamos o projeto, mas ainda não ganhamos o concurso. O Palácio de Rio Branco é uma peça monumental numa localização no centro histórico”, anunciou Jorge Rebeleo de Almeida que assume que a reconstrução de património histórico é “um vício” para a cadeia hoteleira portuguesa.

“Adoro a recuperação de património histórico. Defendo que as cidades com um centro histórico têm a obrigação moral de recuperar esse centro. As cidades que não têm centro perderam a alma.  É uma coisa que dá muito prazer, diria que é quase um vício recuperarmos património histórico”, assegurou.

“Democratizamos a oferta dos resorts no Brasil”
A Vila Galé assinalou este fim-de-semana o 20.º aniversário da operação no Brasil, num evento que decorreu no Vila Galé Fortaleza, o primeiro hotel do grupo a abrir portas no país,

“Começámos aqui porque era mais perto de Portugal, porque havia um voo direto da TAP, e a secretária do turismo do Ceará na altura, Anya Ribeiro, era muito insistente e persistente e tinha feito uma campanha extraordinária em Portugal divulgando o Ceará”, relembrou o presidente do grupo Vila Galé.

Em retrospetiva, Jorge Rebelo de Almeida assume que o panorama hoteleiro no país “melhorou muito” e que a teimosia o levou a não desistir do país. “Quando  chegámos aqui não havia resorts. Os resorts que havia há 20 anos tinham preços absurdos, só uma classe muito alta é que conseguia [pagar]. Hoje fazemos, com boa gestão, uma oferta de qualidade por um preço muitíssimo mais atrativo e com condições de pagamento. Diria que democratizámos a oferta dos resorts no Brasil. Hoje muito mais pessoas têm acesso a um resort”, admitiu.

Apesar do percurso de sucesso, o presidente do grupo hoteleiro sublinhou também os desafios da operação no Brasil e apontou os licenciamentos como um dos maiores constrangimentos. “O Brasil continua a adorar papel e adora complicação”, lamentou.

O preço do transporte aéreo é outro dos pontos que deve ser resolvido para incrementar o turismo no país.  “O Brasil continua sem fazer o trabalho de casa que deve fazer. O trabalho de casa do turismo não é especifico para o turismo. O turismo internacional precisa de transporte aéreo do mundo para o Brasil. O Brasil tem de baixar o preço do transporte aéreo”, assegurou.

Ainda no capítulo dos desafios, Jorge Rebelo de Almeida não tem dúvidas de que a imagem pouco positiva do país fora de portas é outra das pedras no sapato do turismo brasileiro. “O Brasil tem uma coisa, também parecida com os portugueses, e que é má. Adora dar tiros no pé e falar mal do que é do Brasil. Exemplo é a situação que passa para o mundo através da comunicação social, que são as imagens que temos do Brasil. Temos alguns problemas de insegurança, mas a imagem que passa para o exterior consegue ser 10 vezes pior do que a realidade. A imagem que passa muitas vezes na Europa prejudica gravemente o desenvolvimento turístico no Brasil”, acredita.

“O Brasil precisa de melhorar muita coisa e não consegue melhorar tudo de um dia para o outro. Mas os exemplos estão feitos no mundo. O México tem mais insegurança, é mais perigoso e mais violento do que o Brasil. No entanto, fez uma área protegida em Cancún, fez mais um pólo turístico na Riviera Maya. Nesses lugares a limpeza é de primeira, a infraestrutura é de primeira, a segurança é garantida”, acrescentou.

A questão TAP
Jorge Rebelo de Almeida aproveitou o encontro com jornalistas brasileiros e portugueses para sublinhar a importância da companhia aérea de bandeira nacional no desenvolvimento do turismo no Brasil. “O Brasil tem de ter uma simpatia muita grande pela TAP, porque  a TAP, ao longo dos anos, fez um trabalho extraordinário pelo Brasil que foi o de abrir ligações internacionais para a Europa em vários Estados onde não existiam. Como é que a capital de um país, da dimensão do Brasil, não tinha voos internacionais? Foi a TAP que veio lançar esse primeiro voo”, relembrou.

Ainda assim, e devido ao futuro incerto da TAP e ao plano de reestruturação de que está a ser alvo, o presidente do segundo maior grupo hoteleiro português acredita que é urgente pensar em alternativas. “Há um plano de reestruturação da TAP a ser apreciado em Bruxelas. Era bom para Portugal e para o Brasil que a TAP se mantivesse. Não sei, francamente. Mudou recentemente a administração e está numa situação que é preocupante. E torço para que a TAP continue a sobreviver. Se por acaso não sobreviver, já deveríamos estar a preparar alternativas”, garantiu.

Novos projetos em Portugal
A expansão do portefólio da Vila Galé faz-se também em Portugal, onde já tem 27 unidades. No próximo ano inicia-se a construção do primeiro hotel do grupo nos Açores, na cidade de Ponta Delgada, na ilha de São Miguel. A unidade, orçada em 10 milhões de euros, contará com 100 quartos, restaurantes, bar, piscina e spa e resultará da renovação de parte do edifício sede da Santa Casa da Misericórdia que dará lugar a um hotel de charme.

Também em 2022 deverão arrancar os trabalhos no  antigo Convento de Santa Iria, em Tomar. A Vila Galé tem ainda mais duas unidades em desenvolvimento em Beja; uma unidade dedicada ao segmento de famílias, oVila Galé Nep Kids, e uma outra dirigida ao segmento de adultos.

Fazer projetos com diferenciação é um dos objetivos estratégicos do grupo. “Nunca tive metas. Vamos fazendo o que vai aparecendo. Estamos numa fase em que já não fazemos por fazer. Fazemos coisas que tenham algum diferencial. Não é o número que nos interessa”, garantiu Jorge Rebelo de Almeida.

O presidente da Vila Galé relembra as perdas na operação do ano passado e assume que é hora de olhar para a recuperação. “Em 2020, em Portugal, deixámos de faturar 75 milhões de euros e no Brasil deixamos de faturar 136 milhões de reais (21 milhões de euros). O que perdemos não vem mais. Queremos agora  retomar a marcha que estava antes e voltar aos números de 2019 que eram simpáticos”, concluiu.

*O Publituris viajou para o Brasil a convite da Vila Galé

Sobre o autorRute Simão

Rute Simão

Mais artigos

Toda a informação sobre o sector do turismo, à distância de um clique.

Assine agora a newsletter e receba diariamente as principais notícias do Turismo. É gratuito e não demora mais do que 15 segundos.

Navegue

Sobre nós

Grupo Workmedia

Mantenha-se conectado

©2021 PUBLITURIS. Todos os direitos reservados.