Edição digital
Assine já
PUB
Alojamento

Monte Santo Resort promove Jazz Night

Este sábado, 29 de Junho, pelas 19h00.

Patricia Afonso
Alojamento

Monte Santo Resort promove Jazz Night

Este sábado, 29 de Junho, pelas 19h00.

Patricia Afonso
Sobre o autor
Patricia Afonso
Artigos relacionados
Finnair volta a Faro com voos de Helsínquia no próximo inverno
Transportes
Pinto da Costa, Rita Marques e Ribau Esteves à conversa dia 30 de novembro no Congresso da APAVT
Meeting Industry
Jon Arriaga assume direção geral do grupo DIT em Portugal
Figuras
L’AND Vineyards e Valverde Santar Hotel & SPA integram a rede Relais & Châteaux
Alojamento
Lisboa promove Turismo LGBTI+ em parceria com a Associação Variações
Destinos
Lagos distinguido nos Swiss Tourism Awards 2023
Destinos
“Há companhias aéreas a quererem criar novas rotas a partir de novas cidades do Reino Unido para Portugal”
Destinos
easyJet holidays fecha parceria com a SiteMinder
Distribuição
Encontro anual da Central de Recetivos está de volta com dois workshops em Portugal
Distribuição
ANAV coloca no ar o seu website
Agências

O Monte Santo Resort, no Algarve, vai organizar este sábado, 29 de Junho, um jantar-concerto ao som da música jazz.

“O jazz desenvolveu se com a mistura de várias tradições musicais, em particular aafro-americana. Esta nova forma de se fazer música incorporava blue notes, polirritmia, improvisação e notas com swing do ragtime que nos transportam para uma leveza harmoniosa e rítmica”, explica a unidade em comunicado, indicando que a banda ‘Lynn meets JG’ será a protagonista neta noite.

Este jantar-concerto tem início pelas 19h00 nos terraços do Restaurante Club House, “com vista para os nossos jardins e piscinas promete uma noite marcada com aromas e sabores deliciosos e divinos num ambiente singular.”

Sobre o autorPatricia Afonso

Patricia Afonso

Mais artigos
Artigos relacionados
Finnair volta a Faro com voos de Helsínquia no próximo inverno
Transportes
Pinto da Costa, Rita Marques e Ribau Esteves à conversa dia 30 de novembro no Congresso da APAVT
Meeting Industry
Jon Arriaga assume direção geral do grupo DIT em Portugal
Figuras
L’AND Vineyards e Valverde Santar Hotel & SPA integram a rede Relais & Châteaux
Alojamento
Lisboa promove Turismo LGBTI+ em parceria com a Associação Variações
Destinos
Lagos distinguido nos Swiss Tourism Awards 2023
Destinos
“Há companhias aéreas a quererem criar novas rotas a partir de novas cidades do Reino Unido para Portugal”
Destinos
easyJet holidays fecha parceria com a SiteMinder
Distribuição
Encontro anual da Central de Recetivos está de volta com dois workshops em Portugal
Distribuição
ANAV coloca no ar o seu website
Agências
PUB
Transportes

Finnair volta a Faro com voos de Helsínquia no próximo inverno

A Finnair acabar de anunciar que no próximo inverno o Algarve é um dos seus novos destinos. O Aeroporto de Faro volta assim a receber a companhia aérea finlandesa, com voos diretos de Helsínquia, duas vezes por semana.

A companhia aérea finlandesa, Finnair, anunciou nas redes sociais que a partir de outubro de 2024 vai iniciar dois voos regulares por semana para Faro, um dos seus antigos destinos charter.

Tanto o Aeroporto de Faro como a Região de Turismo do Algarve já reagiram, também nas redes sociais, a volta da companhia aérea a Faro.

A companhia aérea finlandesa comemorou no dia 1 de novembro o seu 100.º aniversário, “o que nos torna uma das companhias aéreas mais antigas ainda em operação no mundo. 100 anos unindo pessoas, 100 anos de lembranças maravilhosas. Um grande obrigado a todos que fizeram parte da nossa jornada”, destaca a Finnair numa publicação no Facebook.

A localização geográfica do seu hub de Helsínquia confere à transportadora aérea uma vantagem competitiva, uma vez que as ligações mais rápidas entre muitos destinos europeus e mega cidades asiáticas sobrevoam a Finlândia, refere ainda a Finnair.

 

Sobre o autorPublituris

Publituris

Mais artigos
Meeting Industry

Pinto da Costa, Rita Marques e Ribau Esteves à conversa dia 30 de novembro no Congresso da APAVT

O presidente do Futebol Clube do Porto, Jorge Nuno Pinto da Costa, o presidente da Câmara Municipal de Aveiro, José Ribau Esteves, e a Codiretora da Pós-Graduação em Tourism Management da Porto Business School e ex-secretária de Estado do Turismo, Rita Marques, vão estar “À conversa…” durante o Congresso da APAVT, dia 30 de novembro.

O presidente do Futebol Clube do Porto, Jorge Nuno Pinto da Costa e a Codiretora da Pós-Graduação em Tourism Management da Porto Business School e ex-secretária de Estado do Turismo, Rita Marques, vão partilhar um momento e o palco do 48º Congresso da APAVT, no Porto, num diálogo que será dirigido pelo presidente da Câmara de Aveiro, José Ribau Esteves logo no primeiro dia, a 30 de novembro, naquilo a que no programa se designa “Conversas improváveis”.

Este é o mais recente acréscimo ao programa do congresso da APAVT, que começou a ser divulgado a semana passada, que este ano decorre na Alfândega do Porto, de 30 de novembro a 2 de dezembro, subordinado ao tema central “Inteligência Artificial: A Revolução do Século XXI”.

 

Sobre o autorPublituris

Publituris

Mais artigos
Figuras

Jon Arriaga assume direção geral do grupo DIT em Portugal

A direção geral da DIT Portugal passa a ser assumida por Jon Arriaga, após saída, de forma voluntárias, de Paulo Lages, no passado dia 1 de novembro, anuncia o grupo de gestão de agências de viagens.

A par da IV convenção DIT Gestion, que decorreu na cidade espanhola de Cádiz, de 1 a 5 de novembro, Jon Arriaga anunciou que esta decisão foi tomada para demonstrar que o projeto DIT Portugal é e será para continuar a crescer como até aqui, afirmando também que a sua presença no nosso país vai ser cada vez mais constante mostrando a todas as agências do grupo uma proximidade muito grande.

Na ocasião, Jon Arriaga, que acumula o cargo de CEO da DIT Gestión, deixou também uma mensagem de agradecimento e empenho de Paulo Lages pelo projeto DIT Portugal e desejar-lhe toda a sorte no seu futuro profissional e pessoal, ao mesmo tempo que informou que Rúben Nunes irá manter toda a direção comercial do grupo em Portugal, assegurando que toda a equipa que fazia parte da rede no nosso país irá se manter cada vez mais motivada e unida.

Sobre o autorPublituris

Publituris

Mais artigos
Alojamento

L’AND Vineyards e Valverde Santar Hotel & SPA integram a rede Relais & Châteaux

A Relais & Chatêaux integrou este mês dez novos membros na sua rede internacional, entre os quais os portugueses L’AND Vineyards e Valverde Santar Hotel & SPA.

Pela primeira vez, o Egito junta-se também ao leque de destinos propostos pela Relais & Châteaux que este ano já passou a integrar mais 27 unidades hoteleiras, “sempre com o propósito de sublimar, transmitir e preservar o património gastronómico, cultural e ambiental de cada região”, como indica em nota de imprensa.

Na lista de dez novos membros, além dos hotéis portugueses mencionados, estão incluídos o Al Moudira Hotel, em Luxor (Egipto); Cap Maison Resort & Spa, em Santa Lúcia; Château de la Gaude, em Aix-en-Provence (França); Fogo Island Inn, em Terra Nova (Canadá); Palazzo Ripetta, em Roma (Itália); o restaurante La Tanière***, no Québec (Canadá); Casa Chameleon at Las Catalinas, (Guanacaste, Costa Rica) e o Catalochee Ranch, na Carolina do Norte (Estados Unidos).

“É com enorme satisfação que acolhemos estas dez novas unidades no seio da rede Relais & Châteaux, que vêm completar a nossa oferta atual. No total, 27 novos membros integraram a associação em 2023, demonstrando o dinamismo da nossa rede e a nossa constante preocupação em consolidar a qualidade e a diversidade da experiência do cliente nas nossas propriedades. Partilhamos com cada um deles a mesma visão: tornar o mundo num lugar melhor pela gastronomia e pela hotelaria”, afirma Laurent Gardinier, presidente da Relais & Châteaux.

L’AND Vineyards explica a sua estratégia de “posicionamento e internacionalização”

Situado em Montemor-o-Novo, o Relais & Châteaux L’AND Vineyards está integrado num edifício contemporâneo caraterizado por linhas brancas, cujos interiores modernos foram projetados pelo arquiteto brasileiro Márcio Kogan. O edifício foi pensado para “tirar o máximo partido da beleza natural” envolvente, razão pela qual as suites deste estabelecimento têm “tetos retráteis que permitem contemplar as estrelas a partir da cama”.

Pormenores como “tapetes tecidos à mão provenientes da região de Reguengos-de-Monsaraz e pisos de ardósia ou em madeira de eucalipto”, com inspiração no artesanato local, foram incluídos para envolver os hóspedes neste ambiente alentejano. A oferta fica completa com  seis hectares de vinha biológica e a possibilidade de frequentar cursos de enologia ou de criar as suas próprias garrafas com rótulos personalizados no Wine Club; o restaurante Mapa; uma piscina exterior infinita e um spa de enoterapia com produtos da Vinoble.

Marta Passarinho, diretora geral do hotel, explica que “o L’AND tem vindo a desenvolver uma estratégia de posicionamento e internacionalização que passou por investimentos consideráveis em novas Suites, em melhorias de paisagismo e na área da gastronomia, nomeadamente com a integração do novo chef-executivo David Jesus, no restaurante Mapa”.

“Entrar no universo Relais & Châteaux é integrar uma cultura de hospitalidade que já partilhamos e com a qual nos identificamos totalmente. É também uma oportunidade de nos associarmos a um grupo de pessoas cujo trabalho é reconhecido internacionalmente e que nos ajudará a explorar mercados alargados que valorizam o nosso conceito de hospitalidade e experiências exclusivas”, refere a diretora hoteleira.

As 44 suites do Relais & Châteaux L’AND Vineyards, das quais sete são villas, têm preços que variam entre os 400 e os 750 euros. No restaurante Mapa, de 50 lugares, a refeição ronda os 85 euros, enquanto no café Viagem, de 40 lugares, é cerca de 50 euros.

Valverde Santar Hotel & Spa, uma unidade integrada numa casa senhorial do século XVII

Já o Relais & Châteaux Valverde Santar Hotel & Spa localiza-se na Vila de Santar, no concelho de Nelas. Recentemente inaugurado numa típica casa senhorial do século XVII, parcialmente pertencente à família real portuguesa, este hotel é fruto de um projeto de recuperação que durou quatro anos.

Nos espaços comuns e nos quartos, “o mobiliário de época e os quadros de antigos mestres coabitam sob os tetos pintados ou apainelados”, como referido em comunicado. No restaurante da unidade, Memórias, o chef Luís Almeida propõe uma cozinha moderna inspirada nas receitas tradicionais da região, onde integra produtos sazonais.

Créditos: Bruno Barbosa

“O grupo Valverde Living está muito satisfeito com a aliança estabelecida entre a Relais & Châteaux e o Valverde Santar Hotel & Spa. Vai ser certamente uma parceria de enorme sucesso, devido ao facto de as condições naturais do projeto Santar se coadunarem perfeitamente com os standards da associação. O destino Santar/Viseu irá ser reforçado internacionalmente e a riqueza que oferece em termos de hotelaria, gastronomia e vinhos e jardins será seguramente muito valorizada”, refere Adélia Carvalho, COO do grupo Valverde Living.

Com um total de 20 quartos, dos quais oito são suites, as unidades de alojamento do Valverde Santar Hotel & Spa variam entre os 450 e os 650 euros por noite, cujo restaurante gastronómico inclui 38 lugares.

Créditos: Bruno Barbosa
Sobre o autorPublituris

Publituris

Mais artigos
Destinos

Lisboa promove Turismo LGBTI+ em parceria com a Associação Variações

Para potenciar a captação de um segmento turístico em crescimento e enriquecer a diversidade e a inclusão no setor, a Associação Turismo de Lisboa (ATL) e Associação Variações estabelecem parceria para promoção do Turismo LGBTI+.

No âmbito desta parceria, as duas associações vão trabalhar em conjunto, durante um ano, para identificar os mercados externos, produtos e ferramentas mais eficazes para a captação de fluxos turísticos internacionais do segmento LGBTI+.

Da mesma forma, a ATL poderá apoiar iniciativas propostas pela Variações, desde que as mesmas estejam alinhadas com o Plano Estratégico do Turismo da Região de Lisboa.

Para o Turismo de Lisboa, esta iniciativa ganha especial relevância ao considerarmos que Lisboa foi a cidade eleita para acolher o EuroPride, em 2025, um evento histórico que, ao longo de três décadas, tem lutado pela visibilidade e pelos direitos da comunidade LGBTI+ na Europa.

À semelhança de outras cidades que já receberam o EuroPride, o programa deverá incluir uma grande marcha e outras iniciativas culturais, nomeadamente conferências, peças de teatro, filmes e exposições de arte.

 

Sobre o autorPublituris

Publituris

Mais artigos
Destinos

Lagos distinguido nos Swiss Tourism Awards 2023

O município de Lagos recebeu o galardão de “Destino de Excelência” dos Swiss Tourism Awards 2023, que decorreram no âmbito da 20.ª edição da Swiss International Holiday Exhibition, realizada em Lugano (Suíça), evento que reuniu mais de 400 destinos de todo o mundo.

Os Swiss Tourism Awards têm como principal objetivo mostrar a excelência em diferentes segmentos da indústria do Turismo e descobrir destinos com forte vocação turística e que, para além das tradicionais ofertas também apostam na sustentabilidade e em atividades alternativas. Este acabaria, segundo a autarquia, em comunicado, por ser o motivo para Lagos ser classificado como “Web2rism Certified Destination” e, portanto, considerado adequado para nomeação para os Swiss Tourism Awards.

Tendo em conta os rigorosos critérios de análise e certificação dos destinos presentes na feira e candidatos (em categorias que envolvem destinos, mas também operadores turísticos e hoteleiros), o concelho de Lagos acabou por ser um dos distinguidos na categoria “Destinos de Excelência”, tendo em conta a beleza das suas praias e costa, ambiente autêntico e compromisso com as estratégias de sustentabilidade do turismo, anuncia a Câmara Municipal.

O município destaca que “é nossa determinação trabalhar para promover a qualidade e bem-estar da nossa comunidade, continuando a partilhar a beleza, a cultura e a hospitalidade que nos caracterizam, tanto com os residentes locais como com os visitantes do concelho”.

Sobre o autorPublituris

Publituris

Mais artigos
Destinos

“Há companhias aéreas a quererem criar novas rotas a partir de novas cidades do Reino Unido para Portugal”

Com a maior participação de empresas – 108, mais as sete regiões – no World Travel Market (WTM) London, o mercado britânico continua a ser um dos, senão, o maior mercado para o turismo português. Com os dados a indicarem 2,1 milhões de hóspedes britânicos até setembro de 2023, Lídia Monteiro, membro do Conselho Diretivo do Turismo de Portugal, admitiu ao jornal PUBLITURIS, no WTM London, chegar aos 2,5 milhões no final do presente exercício.

Os dados internos do Instituto Nacional de Estatística (INE), até setembro, são animadores relativamente ao turismo proveniente do Reino Unido e com destino a Portugal. A ABTA – The Travel Association (Associação de Viagens e Operadores Turísticos do Reino Unido) divulgou uma análise referente às intenções de viagens dos britânicos para os próximos 12 meses e Portugal aparece bem posicionado, indicando que há mais de pessoas a planear viajar para o exterior (64% para 2024 contra 61% de 2023). Portugal sobe um lugar, passando de 7.º para 6.º lugar nas preferências dos britânicos, o que deixa Lídia Monteiro, membro do Conselho Diretivo do Turismo de Portugal, confiante para o futuro.

Os últimos dados dão conta que o mercado britânico está em crescendo. A mais recente análise da ABTA dá, no entanto, que o mercado britânico já não procura o destino Portugal somente para sol e praia. Além disso, revela, igualmente, que a procura já não está concentrada nos meses de verão (julho e agosto), mas antes para meses como maio e junho e setembro e outubro. Portanto está-se a esbater um pouco a sazonalidade, bem como os destinos dentro do próprio destino. O que é que Portugal tem feito e poderá fazer ainda mais para que se continue a esbater esta sazonalidade e destinos dentro do destino?
É verdade. O último relatório que foi publicado pela ABTA indica justamente isso, que o perfil e motivação do turista britânico que visita Portugal já não é maioritariamente Sol e Mar, tendo passado de primeiro para segundo lugar. A primeira motivação são os city-break e seguem-se um conjunto de outras motivações que refletem aquilo que nós também vemos na performance deste mercado emissor, que é o estar de facto espalhado por todo o país. Portanto, já não se trata de um mercado como destino ao Algarve, embora continue a ser o primeiro destino, mas os outros destinos regionais começam a ser e são interessantes para o mercado britânico.

Portanto, é um reflexo do trabalho que tem sido feito nos mercados externos?
Exatamente. O mercado britânico tem sido alvo de um excelente trabalho, um trabalho de proximidade com a operação turística, com os operadores que são relevantes, muito para o mercado nacional.

Para o mercado português temos feito muitas iniciativas, mais dirigidas ao consumidor e temos estado presentes em alguns eventos de cariz B2C e não tanto B2B.

A presença nestes eventos permite uma maior diversidade de segmentos. Este ano estivemos no Taste London como país convidado em que a gastronomia portuguesa referência. Também temos estado nos últimos anos no Financial Times Weekend numa partilha com um público mais exigente.

Exigente e sofisticado, com maior poder de compra?
Sim, mais sofisticado, mais exigente. Temos procurado apresentar novas motivações, novas ofertas turísticas e novos produtos turísticos que passam, por exemplo, pelo turismo literário, pelo enoturismo, pelo turismo cultural, no sentido da imersão cultural que o turismo cultural permite, de autenticidade da relação com as comunidades da natureza, do cycling, do walking. Portanto, um conjunto de ofertas turísticas e de produtos que o britânico tem vindo a responder muito positivamente.

Em função dos números que tem foram revelados até setembro, que números é que poderão ser atingidos no mercado britânico?
Neste momento, até setembro, tivemos 2,1 milhões hóspedes britânicos. Acreditamos que irá subir.

Subir até quanto?
Poderemos, eventualmente, chegar aos 2,5 milhões de hóspedes ou muito próximo disso, já quer ainda faltam os dados de um trimestre inteiro.

Sabemos da afinidade que existe entre do Reino Unido e dos Estados Unidos da América. O facto de o mercado português estar a registar um grande boom do mercado norte americano, pode ser visto também como um fator influenciador para o mercado britânico?
É provável que sim. Devo dizer que não tenho nenhuma evidência dessa questão. Porém, também sabemos da influência que têm os consumidores e pelo mimetismo que os próprios consumidores têm relativamente aos outros turistas. Aliás, todos sabemos a relevância que é para o turista quando um outro turista recomenda um determinado produto ou uma determinada oferta.

A promoção boca-a-boca ainda é muito relevante e tem um impacto muito maior na recomendação, bem como na decisão e todos sabemos da relação que existe efetivamente entre o mercado britânico e o mercado americano.

Nós temos estado a crescer de uma forma muito significativa no mercado americano e também com esta particularidade de ser um turista que viaja por todo o país, viaja ao longo de todo o ano, com estadias mais longas e interesses muito alargados.

Isso é muito interessante para, justamente, podermos dinamizar o turismo e levá-lo a todo o território e ao longo de todo o ano.

Esta é a maior participação de empresas portuguesas no WTM London?
Sim estão presentes 108 empresas mais as regiões turísticas de Portugal. É a maior presença de sempre no WTM ficando somente atrás da FITUR.

Isso revela ou dá-vos garantias que, de facto, o mercado britânico é e continuará a ser importante para o os agentes portugueses?
Sim, sem dúvida. Torna evidente que as empresas portuguesas continuam a apostar neste mercado e que os britânicos continuam a apostar no destino Portugal. E é muito interessante até ver no relatório que referiu que Portugal aparece como o sexto mercado preferencial para os britânicos em 2024.

Portanto, Portugal sobe nas preferências?
Sim, exatamente. Portugal passa do 7.º para o 6.º lugar.

Este país é, de facto, muito relevante, tendo em conta que é um mercado maduro para Portugal. E nesse sentido, é fácil que existe cansaço relativamente ao destino, mas não é isso que acontece.

O mercado britânico continua a gerar e a ter interesse em Portugal. Mas isso também significa que as empresas portuguesas têm continuado a gerir, inovar e a criar novas ofertas e novas oportunidades. E os novos territórios também estão a acrescentar valor e diversificação a este portfólio de oferta que temos estado a apresentar no Reino Unido.

Mas sabemos que os tempos também não estão fáceis no mercado britânico, com a situação económico-financeira das famílias britânicas a não ser a mais favorável. Isso assusta-vos de alguma forma?
A incerteza nunca é positiva e claro que existe uma preocupação. Mas a análise da ABTA também aponta indicadores que os próprios operadores nos têm transmitido. Apesar de a confiança global do ponto de vista da economia no mercado ser naturalmente baixa, não o é no que diz respeito às viagens. Portanto, os britânicos continuam a colocar as viagens como uma das prioridades e vontades.

Mas pode baixar no que diz respeito ao gasto durante a estadia?
Pode, mas a informação que temos recebido dos operadores é que a vontade para viajar é alta e Portugal está em 6.º lugar como destino preferido.

Portanto, aparentemente as viagens não são influenciadas por essa incerteza económica que existe no Reino Unido.

Durante a pandemia Portugal diversificou a sua oferta, com uma forte contribuição das várias regiões que deram a conhecer produtos que até o próprio mercado interno desconhecia.
A questão é que o consumidor, o turista quer sempre coisas nova. Que capacidade tem Portugal para inovar e criar mais produtos diferentes?

O turismo é um setor de atividade que depende, justamente, da criatividade, da inovação, da capacidade de fazer diferente.

Além da autenticidade e propostas diferentes e inovadoras que Portugal tem vindo a apresentar, há algo onde não precisamos de inovar muito que é na capacidade natural de receber bem. Portanto, esta nossa forma de receber, esta nossa capacidade de cuidar de quem vem ao nosso país é desde logo uma oferta inigualável.

Os destinos, as empresas, os operadores, as pessoas os lugares pequenos, todos eles apresentam ofertas criativas inovadoras. Mas todas elas com um cariz de autenticidade, que é isso que torna, de facto, Portugal num destino onde se pode encontrar experiências únicas. E isso é muito importante para o mercado britânicos.

A conectividade já não é uma questão com e para o mercado britânico?
Temos uma conectividade muito forte, mas continuamos a crescer e continuamos há companhias aéreas a quererem criar novas rotas a partir de novas cidades do Reino Unido para Portugal e para diferentes aeroportos em Portugal.

Isso revela o interesse que existe em todo o Reino Unido pelo destino Portugal e alarga a possibilidade e atratividade de conexões mais rápidas e fáceis para os britânicos nos visitarem.

Portugal irá ter, em 2024, um novo stand para estar presente em feiras. Já há data para essa estreia?
Este stand tem um prazo de validade que decorre do próprio contrato. Um breve iremos entrar num processo de concurso público, o que é normal no Turismo de Portugal como entidade pública que é.

Portanto o concurso será lançado brevemente, não conseguindo dizer a data exata, mas queremos o novo stand em 2024. está. Quando é que esse, portanto, será lançado brevemente? Exatamente a data, mas não. Durante este ano para que em 2024, para o final não.

Será para estrear aqui no WTM 2024?
Possivelmente. Como sabe, os concursos públicos são processos dinâmicos. O contrato termina agora, mas o que posso afirmar é que o novo stand seguirá um conceito que refletirá o mais pertinente que Portugal terá para oferecer ao turismo do mundo.

 

Sobre o autorVictor Jorge

Victor Jorge

Mais artigos
Distribuição

easyJet holidays fecha parceria com a SiteMinder

O operador turístico do Reino Unido – easyJet holidays acaba de estabelecer uma parceria com a plataforma de software SiteMinder com vista a desbloquear todo o potencial de receita de hotéis, e oferecer às suas cinco mil unidades litadas a capacidade de serem reservados até ao último minuto.

A parceria integra a easyJet holidays à plataforma da SiteMinder, permitindo que os hotéis listados ofereçam tarifas dinâmicas aos viajantes e tornem todo o seu inventário disponível para reserva. Ao ganharem a capacidade de vender todos os seus quartos na easyJet holidays, os hotéis listados podem otimizar o seu rendimento e inventário, especialmente durante períodos de maior procura, principalmente quando a necessidade de preencher os últimos quartos restantes a um preço otimizado é crucial.

Assim, os hotéis à venda pela easyJet holidays que incluem o Palladium Hotel Group e o Grupo Pestana, já podem estabelecer um valor por quarto com base na procura de viagens, usando a capacidade de distribuição da SiteMinder, que realiza mais de 100 milhões de reservas de hotéis mundialmente por ano, e está acessível à easyJet holidays através do TravelGateX.

Dados da SiteMinder demonstram que as reservas de hotéis em várias partes da Europa estão agora acima dos níveis de 2019, incluindo no Reino Unido, Espanha, Portugal e Itália. Além disso, as reservas estão a ser feitas principalmente pelos viajantes próximos da data de chegada.

 

Sobre o autorPublituris

Publituris

Mais artigos
Distribuição

Encontro anual da Central de Recetivos está de volta com dois workshops em Portugal

No seu 10º aniversário, a Central de Recetivos – consolidadora de DMC em todo o mundo – regressa a Portugal com dois eventos em Lisboa, a 17 de novembro, e Porto, no dia 20.

A consolidadora de recetivos em todo o mundo comemora seu décimo aniversário a trabalhar exclusivamente para as agências de viagens, oferecendo recetivos que falam espanhol e português em todo o mundo.

Com esta celebração, a CDR anuncia a abertura das inscrições para o encontro anual mais importante entre os seus recetivos e agências de viagens de Espanha e de Portugal. As inscrições para os workshops, em Lisboa e no Porto, estão abertas no site da Central de Recetivos, em www.centraldereceptivos.com/roadshow-23.

A marca indica, em nota de imprensa, que desde o seu início há uma década, consolidou-se como “o parceiro de confiança para mais de sete mil agências de viagens, oferecendo recetivos de alta qualidade e garantia em destinos de mais de 150 países”.

O VIII Roadshow da Central de Recetivos será, adianta a mesma fonte, uma oportunidade para que as agências de viagens descubram as últimas novidades em destinos, experiências, serviços recetivos e, acima de tudo, para ganhar e gerar confiança com os operadores de destino.

Os dois workshops em Portugal serão realizados em Lisboa, na sexta-feira, 17 de novembro, no Hotel Olissippo Oriente, e no Porto, na segunda-feira, 20 de novembro, no Hotel Sheraton Porto .

O VIII roadshow oferece às agências de viagens a oportunidade de se conectar com os DMC da Central de Recetivos e explorar as opções de viagem que eles oferecem. Desde destinos exóticos até clássicos, estarão presentes nos diferentes workshops.

Em 2023, alguns destinos novos, como Madagascar, Nova Iorque, Uruguai ou Turquemenistão, participarão pela primeira vez do encontro. Além disso, alguns novos operadores que recentemente se juntaram à marca também se unirão e pretendem apresentar-se às agências de viagens.

 

Sobre o autorPublituris

Publituris

Mais artigos
Agências

ANAV coloca no ar o seu website

A ANAV – Associação Nacional de Agências de Viagens acaba de apresentar o seu novo site, com o objetivo de informar os seus associados e as agências de viagens no geral.

A ANAV pretende que o site seja “mais uma plataforma de aproximação de todas as agências de viagens, um veículo de informação fundamental e útil para os profissionais do setor e uma ferramenta de trabalho, onde estarão disponíveis acessos a todos os serviços e atividades especialmente pensados e desenvolvidos para os associados”.

Desde a inscrição em ações de formação gratuitas, a pedidos de contacto para aconselhamento ou consultoria nas áreas fundamentais para potenciar crescimento de negócio e melhorias contantes no trabalho de cada membro, o novo site a ANAV “procura informar e atualizar todo o setor com notícias, novidades e anúncios dos eventos que vão sendo planeados e levados a cabo, sempre numa ótica de proximidade, apoio mútuo e união”.

Para Miguel Quintas, presidente da Associação, este site, que está disponível em www.anav.pt, “é apenas o início daquilo que a ANAV pretende fazer no futuro e em breve existirão novos desenvolvimentos e ideias a serem apresentados para a distribuição

em Portugal”, para adiantar que “será um canal de comunicação constante do desenvolvimento, da prosperidade e da união do setor das viagens e turismo.”

Sobre o autorPublituris

Publituris

Mais artigos
PUB
PUB
PUB
PUB
PUB
PUB
PUB
PUB
PUB
PUB
PUB
PUB

Navegue

Sobre nós

Grupo Workmedia

Mantenha-se informado

©2021 PUBLITURIS. Todos os direitos reservados.