Assine já
Homepage

ViniPortugal promove vinhos portugueses no Brasil

A Expovinis arranca no próximo dia 24, em São Paulo, com a presença de 56 produtores portugueses.

Tiago da Cunha Esteves
Homepage

ViniPortugal promove vinhos portugueses no Brasil

A Expovinis arranca no próximo dia 24, em São Paulo, com a presença de 56 produtores portugueses.

Sobre o autor
Tiago da Cunha Esteves
Artigos relacionados
Portugal presente na London International Wine Fair
Homepage
ViniPortugal promove vinhos portugueses na China
Homepage
ViniPortugal promove o melhor dos vinhos portugueses na China
Homepage
vinho
21ª BNTM recebe 290 ‘buyers’
Homepage

Para o director de marketing da ViniPortugal, Nuno Vale, esta aposta no mercado brasileiro faz sentido, já que “continua a ser o segundo mercado prioritário a nível da promoção da imagem dos vinhos portugueses, com elevado potencial de crescimento”.

O secretário de Estado da Agricultura, José Diogo Albuquerque, vai estar presente na cerimónia de inauguração da Expovinis, assim como outras individualidades brasileiras e portuguesas.

A ViniPortugal informa ainda que, na véspera da feira, “o universo do vinho português será distinguido na ‘Premiação dos Melhores do Vinho 2012’ da revista Prazeres da Mesa”, a decorrer no dia 23, também em São Paulo.

Sobre o autorTiago da Cunha Esteves

Tiago da Cunha Esteves

Mais artigos
Artigos relacionados
Transportes

CTP coloca contador na 2.ª Circular para portugueses saberem quanto perdem com não decisão sobre o novo aeroporto

No dia em que o contador é colocado na 2.ª Circular, em Lisboa, a CTP contabiliza já perto de 650 milhões de euros de perdas pela não decisão de um novo aeroporto.

A Confederação do Turismo de Portugal colocou esta terça-feira, 7 de fevereiro, um contador eletrónico na 2.ª Circular, em Lisboa, que informa quanto o país e os portugueses estão a perder em cada segundo pela não decisão sobre a implementação de um novo aeroporto.

Esta será uma réplica do contador que a CTP tem disponível no seu site desde o dia 14 de julho de 2022 e que agora estará visível a milhares de condutores que entram e saem de Lisboa todos os dias. O contador está colocado à entrada da 2.ª Circular, no sentido Norte-Sul, mas com visibilidade também no sentido contrário.

Os valores em euros apresentados pelo contador da CTP estão a crescer desde julho do ano passado ao ritmo de 35,93 euros por segundo, 2.155 euros por minuto, 129.348 euros por hora ou 3,1 milhões de euros por dia.

Recorde-se que um estudo sobre o impacto económico da não decisão sobre a implementação do Novo Aeroporto de Lisboa, realizado pela consultora Ernst & Young (EY) para a Confederação do Turismo de Portugal (CTP) e apresentado em julho do ano passado, aponta para elevados impactos económicos e sociais. O cenário mais otimista revela que a não decisão sobre o novo aeroporto, terá no mínimo um custo de quase 7 mil milhões de euros; menos 28 mil empregos e uma perda de receita fiscal de 2 mil milhões de euros.

Por isso, o presidente da CTP, Francisco Calheiros, afirma que, “aquilo que os empresários do Turismo esperam é que a Comissão Independente que vai estudar as localizações possíveis do novo aeroporto cumpra os prazos que já definiu, que agilize processos e que até ao final do ano esteja finalmente escolhida a localização do novo aeroporto”.

Sobre o autorVictor Jorge

Victor Jorge

Mais artigos
Aethos Ericeira
Alojamento

Aethos Ericeira abre Spa

Unidade de luxo, que começou a operar a 1 de setembro de 2022 na Ericeira, já abriu o Spa, que disponibiliza piscina de água salgada aquecida, sauna, jacuzzi, hammam, salas de tratamento e ginásio.

O Spa do Aethos Ericeira, unidade de luxo que começou a operar a 1 de setembro do ano passado na Ericeira, já abriu e disponibiliza piscina de água salgada aquecida, sauna, jacuzzi, hammam, salas de tratamento e um ginásio com produtos orgânicos da marca sueca “Under Your Skin”.

Focado no bem-estar físico e mental, o Spa do Aethos Ericeira disponibiliza também uma vasta gama de tratamentos, incluindo uma “ampla variedade de massagens” realizadas por terapeutas especializados.

Disponíveis estão ainda massagens relaxantes e tratamentos faciais revitalizantes, sendo que, antes do acesso ao Spa, os clientes podem usufruir de uma consulta individual para apurar as necessidade de cada um.

Além do Spa, o Aethos Ericeira conta com 46 quartos e quatro suítes, bem como restaurante, situando-se numa falésia na Ericeira, a 40 metros do mar, sendo dirigido “à nova geração de viajantes de luxo”, nomeadamente aos surfistas.

Devido ao público alvo, o Aethos Ericeira também disponibiliza aulas de surf, assim como um espaço individual para armazenar pranchas e fatos, além de um concierge de surf, que indica os melhores locais para surfar à distância de uma notificação no telemóvel.

Disponíveis estão também aulas de surf adicionais para famílias ou grupos, com um instrutor privado, mediante reserva numa plataforma dedicada para o efeito.

As reservas para o Spa podem ser realizadas diretamente no website do Aethos Ericeira, aqui.

Sobre o autorPublituris

Publituris

Mais artigos
Distribuição

Soltour lança vendas antecipadas para Samaná

O operador turístico colocou no mercado uma campanha de vendas antecipadas para a sua operação de verão para Samaná (República Dominicana).

Quem reservar as férias para este destino das Caraíbas até ao dia 28 de fevereiro pode usufruir dos melhores descontos. O pacote de sete noites custa desde 1.322 euros por pessoa em duplo, em regime do tudo incluído no Bahia Principe Grand Cayacoa, de cinco estrelas, para a partida de Lisboa de 30 de junho.

A Soltour refere na sua comunicação que “quando o viajante viaja até Samaná, descobre uma península deste país caribenho, na qual se destaca a autenticidade e um paraíso natural, pronto a ser explorado longe de qualquer massificação turística”.

Quando à unidade hoteleira proposta, refira-se que está localizada num ambiente natural e exclusivo, com vistas espetaculares para a baía de Samaná e rodeado por duas praias. Oferece, entre outros serviços e infraestruturas, um restaurante buffet, três restaurantes de especialidades, snack bar e três bares, piscina principal com hidromassagem rodeada de solário e jardins, ginásio & Spa.

Sobre o autorPublituris

Publituris

Mais artigos
Distribuição

Lusanova reforça equipa com três novos quadros

O operador turístico Lusanova acaba de reforçar a sua equipa com três novas contratações. Os novos quadros iniciaram funções no passado mês de janeiro.

Inês Rei junta-se ao departamento de autocarro do operador turístico, enquanto Cristina Pequeno integra a área de recetivo (DMC), e Tiago Sanches da Gama, que conta com largos anos de experiência no mercado da distribuição turística, reforça a equipa de promoção da Lusanova para a zona norte do país.

O operador turístico “destaca-se por ter profissionais de excelência e com experiência comprovada no mercado onde atua, que é o que pretendemos manter com os novos elementos que integram agora a nossa equipa”, indica Tiago Encarnação, diretor de operações da Lusanova, para realçar que “este crescimento da equipa é também fruto da estratégia da empresa para melhorar o serviço prestado face às necessidades atuais do mercado nacional”.

Sobre o autorPublituris

Publituris

Mais artigos

Crédito: Rita Ansone

Meeting Industry

“Onde estaríamos se houvesse uma estratégia para o mercado LGBTI+? Talvez a liderar este segmento na Europa”

A VARIAÇÕES – Associação de Comércio e Turismo LGBTI+ de Portugal vai marcar presença na BTL 2023. Diogo Vieira da Silva, diretor-executivo da organização, admite que o mercado LGBTI+ é dos segmentos que mais tem crescido em Portugal nos últimos anos. Segundo o mesmo, “não existe nenhuma estratégia para este segmento”, que, de acordo com números de 2012, vale 8% dos gastos em atividades relacionadas com viagens e turismo na Europa, ou seja, 50 mil milhões de euros.

Depois de conquistar o ‘EuroPride’ 2025, que se realiza de 14 a 21 de junho de 2025, que trará a Lisboa um milhão de visitantes e ter um impacto económico entre 100 a 250 milhões de euros, a VARIAÇÕES vai à BTL 2023 com o objetivo fazer com que os players nacionais do setor do turismo “deixem de ter receio de comunicar e ter campanhas de marketing específicas para o segmento LGBTI+”. Até porque, “só em 2019, houve mais de dois milhões de turistas LGBTI a visitar o nosso país”.

Inclusão e diversidade têm sido temas destacados no setor do turismo. Em que âmbito se insere a participação da VARIAÇÕES – Associação de Comércio e Turismo LGBTI+ de Portugal, enquanto parceiro para a área LGBTI+ na BTL 2023?
A VARIAÇÕES – Associação de Comércio e Turismo LGBTI+ de Portugal é a primeira organização de âmbito empresarial a trabalhar o segmento LGBTI+ com a perspetiva económica e de criação de mais valias. Neste sentido, e atendendo ao enorme crescimento do turismo na última década em Portugal, o segmento LGBTI+ é sem dúvida alguma o que tem mais potencial de crescimento no futuro.

A nossa participação enquadra-se no âmbito de trazer os agentes de oferta Turista LGBTI+ nacionais, que trabalham muitos deles há décadas neste segmento. Se há uns anos o faziam sozinhos e isolados de outros negócios, no presente e futuro cada vez mais agentes económicos e turístico compreendem que o segmento LGBTI+ é dos mais exigentes e lucrativos. Por isso ter uma estratégia e comunicação específica para o mesmo é importante.

Que importância tem, efetivamente, esta comunidade para o setor do turismo em Portugal?
Em 2012, segundo um estudo da GETA (associação europeia de turismo gay), o mercado gay representava na Europa 8% dos gastos em atividades relacionadas com viagens e turismo (ou seja, 50 mil milhões de euros).

Infelizmente a falta de visibilidade sobre as questões LGBTI, em geral, também são existentes no que atende a estudos de mercado sobre este segmento, nomeadamente em Portugal. Existem muito poucos estudos e os que existem habitualmente provêm do mundo académico e de iniciativa individual de alunos de mestrado e de doutoramento. Mas apesar deste facto, podemos sempre usar os dados de estudos internacionais e fazer uma analogia para o mercado português, pelo que só em 2019, houve mais de dois milhões de Turistas LGBTI a visitar o nosso país.

O mercado LGBTI+ é dos segmentos que mais tem crescido em Portugal nos últimos anos

Promoção “orgulhosa”
De que forma se pode promover Portugal como destino a nível internacional junto da comunidade LGBTI+?
Em 2019, nasceu a campanha ‘Proudly Portugal’, a primeira campanha de promoção de Portugal enquanto destino LGBTI, mas que também é um agregador da oferta nacional para quem nos visita. Esta plataforma interativa permite, através do seu diretório, dar acesso aos locais que os turistas mais apreciam, bem como aos lugares emblemáticos da comunidade.

A próxima etapa passa pela reestruturação da oferta e tal só é possível com investimento. Exatamente por isso existe a intenção de renovar a campanha ‘Proudly Portugal’ e fazer com que a mesma seja um motivador de investimento estrangeiro para aumentar a oferta LGBTI+ nacional. Abrir novos projetos e negócios para o mercado LGBTI é o primeiro passo para conseguir por Lisboa o mapa de destinos do segmento. Após este feito, a atração de eventos internacionais será um sedimentar desta estratégia.

Há mercados específicos de aposta para atrair esta comunidade ou a estratégia é global?
O mercado LGBTI+ é dos segmentos que mais tem crescido em Portugal nos últimos anos, muito devido à grande procura do mercado francês, norte-americano, inglês e brasileiro que são os principais mercados emissores de Turistas LGBTI+ do mundo. E é aqui que Portugal tem uma vantagem competitiva. Pois tem relações históricas, sociais e culturais com todos eles. Apenas é preciso haver visão, vontade e fazer para que Portugal seja verdadeiramente um destino para todos/as!

Quais são os mercados emissores mais interessantes para Portugal explorar?
Tanto devido à estratégia de penetração que tem havido nos últimos anos, bem como à ligação histórica que existe, os EUA e o Brasil são os mercados mais interessantes para Portugal. Mas se no primeiro vivemos o efeito de invisibilidade, por exemplo, a nossa vizinha Espanha há mais de 20 anos que se promove enquanto destino LGBTI; no segundo temos a perceção de sermos um destino tradicional e conservador.

Se conseguirmos alterar a narrativa em ambos os mercados, teremos proveitos e mais valias que facilmente nos tornarão nos destinos LGBTI+ de referência no mundo.

Em termos de países/mercados, quais são os que mais visitam Portugal? E há alguma preferência em termos de destino/região?
É inegável que o destino LGBTI+ de referência nacional é Lisboa. Tal se sucede única e exclusivamente graças à sua grande oferta para o segmento e empresários/as LGBTI+ que desenvolvem os seus negócios na cidade e região. Infelizmente não existe nenhuma estratégia para este segmento, tanto a nível autárquico como a nível da Agência Regional de Turismo. O que nos faz questionar, onde estaríamos se houvesse? Talvez a liderar este segmento na Europa.

Da mesma forma que existem equipas e estratégias para os outros segmentos turísticos, Turismo Religioso, Turismo de Desporto, Turismo Rural, etc., tem de haver equipas e estratégias para o Turismo LGBTI+

Segurança, hospitalidade e autenticidade procuram-se
O que procura a comunidade LGBTI+ num destino turístico?
A comunidade LGBTI+ é diversa, mas há fatores que são universais. Segurança, hospitalidade e autenticidade. Portugal tem estes três fatores, apenas lhe falta saber comunicar para o segmento LGBTI+.

Que destinos estão mais avançados nesta integração da comunidade LGBTI+ em termos turísticos?
Espanha, Holanda, Malta, França, Reino Unido, Alemanha, EUA, Canadá, Argentina ou Brasil, são alguns exemplos dos destinos que mais trabalham a integração do segmento LGBTI+ nas suas estratégias de turismo. Depois temos exemplos como Itália, que apesar de ser um país muito conservador a nível legal (estando nos lugares mais abaixo a nível de igualdade LGBTI+ na Europa) é dos países que mais se posiciona para este segmento na Europa e no mundo.

Que exemplos (países, campanhas, promoção, etc.) pode destacar relativamente à comunidade LGBTI+ no universo dos destinos turísticos?
A nível nacional posso destacar a campanha ‘Proudly Portugal’, a primeira campanha de promoção de Portugal enquanto destino LGBTI, mas que também é um agregador da oferta nacional para quem nos visita.

Esta plataforma interativa permite, através do seu diretório, dar acesso aos locais que os turistas mais apreciam, bem como aos lugares emblemáticos da comunidade. A próxima etapa passa pela reestruturação da oferta e tal só é possível com investimento.

Exatamente por isso existe a intenção de renovar a campanha ‘Proudly Portugal’ e fazer com que a mesma seja um motivador de investimento estrangeiro para aumentar a oferta LGBTI+ nacional. Abrir novos projetos e negócios para o mercado LGBTI é o primeiro passo para conseguir por Lisboa o mapa de destinos do segmento. Após este feito, a atração de eventos internacionais será um sedimentar desta estratégia.

A nível internacional, posso destacar a campanha do Ministério do Turismo de Israel, que juntamente com o município de Tel Aviv, realizou uma campanha multicanal celebrando uma das maiores semanas do ano para a cidade, ‘Tel Aviv Pride’. Com a reputação de ser uma das capitais gays mais proeminentes do mundo, a cidade recebeu em Junho de 2022 mais de 250.000 visitantes para o ‘Tel Aviv Pride’ – tornando-se um dos maiores festivais do orgulho gay em todo o mundo.

Para apoiar o evento, o Ministério do Turismo de Israel, juntamente com a cidade de Tel Aviv, investiu mais de 1 milhão de dólares na campanha ‘Back To Tel Aviv Pride’. Criada para aumentar a conscientização sobre a experiência única do Orgulho de Tel Aviv e reconhecer Tel Aviv como uma das maiores cidades LGBTQ + amigáveis, a campanha também impulsionará os esforços de turismo após o anúncio de Israel de que o país está descartando todos os requisitos de entrada cobiçosos.

Pode dizer-se que Portugal é “LGBTI+ friendly”? Em que aspeto?
Sim, tanto no aspeto de segurança, como de hospitalidade e de autenticidade. Mas ainda é preciso comunicar isso lá fora, isto é. Portugal ainda não é percecionado enquanto destino LGBTI+ de referência (com exceção da cidade de Lisboa). Tal se deve à falta de vontade em se promover enquanto tal e ter equipas dedicadas ao segmento LGBTI+.

Há ainda discriminação no universo turístico face à comunidade LGBTI+ em Portugal?
A discriminação infelizmente existe sempre, mas se surgir queremos que os viajantes sintam que podem e devem denunciar essa discriminação, uma vez que na lei tal já não é possível.

Que ações irão promover durante a BTL 2023?
Estão previstas ações de networking, ativação de marca, apresentação de negócios, debates, tertúlias e muita animação. Queremos apresentar a diversidade do segmento, que tanto passa pela diversão noturna, como hospedagem, tours bem como oferta mais cultural para o segmento.

O impacto turístico do evento [‘Europride 2025’] está no nível das Jornadas Mundiais da Juventude, podendo facilmente atrair até um milhão de visitantes e ter um impacto económico entre 100 a 250 milhões de euros

2025 é ano ‘EuroPride’
Lisboa vai acolher, 14 a 21 de junho de 2025, o ‘EuroPride’, considerado o maior evento de celebração do orgulho das entidades LGBTI+ na Europa. O que poderá significar este evento para Lisboa e Portugal em termos turísticos?
A vitória na conquista do ‘EuroPride’ 2025, que se irá realizar este ano na capital portuguesa, não é meramente um rastilho, mas mais a detonação, o ponto alto de uma tendência que já vinha de trás.

Lisboa já apoia a população LGBTI e seus eventos há vários anos, e isso potencio ser a cidade mais ‘Gay-Friendly’ em Portugal. Por exemplo, a vinda do Eurovisão para Portugal fez com que tanto o poder político, como os agentes económicos convencionais se aperceberam do potencial do mercado LGBTI. E foi essa consciencialização que potenciou o aumento da oferta.

O impacto turístico do evento está no nível das Jornadas Mundiais da Juventude, podendo facilmente atrair até um milhão de visitantes e ter um impacto económico entre 100 a 250 milhões de euros. Para tal basta que as instituições públicas e privadas de coordenam para organizar um evento que torna Lisboa e região no epicentro dos direitos humanos LGBTI+ na Europa.

Que ações estão previstas e programadas para o ‘EuroPride’ 2025?
Estamos a falar de um evento que, entre outras coisas, terá uma Conferência Internacional de Direitos Humanos, um Encontro de Jovens, um Encontro de Pais, etc.. Juntando entidades públicas e privadas, sociais e corporativas numa visão de um mundo cada vez mais Diverso, Equitativo e Inclusivo. Onde várias atividades culturais, empresariais e desportivas marcarão os nove dias de agenda bem como os meses antes e após o evento.

Este poderá ser um momento para Portugal provar que está na dianteira dos direitos humanos e na promoção de contextos de segurança e diversidade?
Sim, pode. Mas para tal se suceder é preciso sair-se da visão de falar para todos, para começar a comunicar para os diversos segmentos sem medo. Da mesma forma que existem equipas e estratégias para os outros segmentos turísticos, Turismo Religioso, Turismo de Desporto, Turismo Rural, etc., tem de haver equipas e estratégias para o Turismo LGBTI+, o que, infelizmente, até ao momento ainda não se concretizou.

Que apoios sentiram e tiveram para trazer este evento para Lisboa/Portugal?
A candidatura foi totalmente assegurada pelos empresários LGBTI+, nomeadamente a nível de custos e despesas. Contou com o apoio da CML, Turismo de Portugal e Governo de Portugal.

No final da BTL 2023, o que seria uma boa participação enquanto parceiro LGBTI+ da feira?
O facto de conseguirmos fazer com que os restantes players nacionais na área de Turismo, deixem de ter receio de comunicar e ter campanhas de marketing específicas para este segmento. Isso é que será a definição de uma boa participação.

 

Sobre o autorVictor Jorge

Victor Jorge

Mais artigos
Tecnologia

Jason Lalor é o novo diretor-executivo da Conferma Pay

Jason Lalor vai liderar a empresa no seu objetivo de criar novas e melhoradas capacidades digitais em cartões virtuais, transformando a experiência de pagamento para a indústria de viagens.

Depois da aquisição por parte da Sabre, em agosto de 2022, e de uma nova parceria e investimento minoritário pela Mastercard, em novembro de 2022, concluída a 31 de janeiro de 2023, a Conferma Pay e Sabre Corporation nomearam Jason Lalor como diretor-executivo da Conferma Pay.

Com mais de 20 anos de experiência de liderança em operações comerciais, desenvolvimento de estratégias e envolvimento de parceiros em algumas das mais conhecidas e inovadoras empresas de tecnologia financeira do mundo, Jason Lalor foi, mais recentemente, diretor-executivo da Square em Dublin, bem como diretor-executivo em vários conselhos internacionais da Square.

Antes de se juntar à Square, Lalor passou seis anos na Mastercard numa variedade de funções, incluindo diretor-geral da Irlanda e vice-presidente das Parcerias Europeias Fintech e Digital. Anteriormente ocupou posições de topo no Barclaycard, American Express e Dell.

A nomeação da Lalor marca o próximo passo na Conferma Pay e na viagem do Sabre para pagamentos virtuais. Com base nas novas parcerias da Conferma Pay com a Sabre e Mastercard, Lalor vai liderar a empresa no seu objetivo de criar novas e melhoradas capacidades digitais em cartões virtuais, transformando a experiência de pagamento para a indústria de viagens.

A Conferma Pay liga os emissores a mais de 700 empresas de gestão de viagens, sistemas de distribuição global líderes e mais de 100 ferramentas de reserva online. Está totalmente integrado com as principais redes de cartões e serve mais de 50 parceiros bancários, que emitem cartões virtuais gerados pela Conferma Pay em quase 100 moedas.

Sobre o autorPublituris

Publituris

Mais artigos
Transportes

Emirates realiza primeiro voo com combustível de aviação 100% sustentável

O voo de demonstração da Emirates sobrevoou a linha costeira do Dubai durante mais de uma hora e utilizou combustível 100% SAF num dos motores de um avião Boeing 777-300ER.

A Emirates realizou o primeiro voo com combustível de aviação 100% sustentável (SAF) num dos motores de um avião Boeing 777-300ER, num voo de demonstração que sobrevoou a linha costeira do Dubai durante mais de uma hora.

Num comunicado enviado à imprensa, a Emirates explica que este voo teve um significado particular, uma vez que que os Emirados Árabes Unidos (EAU) declaram que 2023 era o “Ano da Sustentabilidade”.

“Assim, mostraram este ano o compromisso do país em procurar soluções inovadoras para desafios que afetam a atualidade, tais como a energia, as alterações climáticas e outras questões relacionadas com a sustentabilidade. O voo apoia os esforços coletivos da indústria para permitir um futuro de voo 100% SAF e, desta forma, avançar naqueles que são os objetivos de sustentabilidade dos EAU”, acrescenta a Emirates.

O voo de demonstração da Emirates foi o primeiro realizado no Médio Oriente e Norte de África a utilizar 100% SAF, um tipo de combustível para a aviação que é menos poluente.

De acordo com a Emirates, este tipo de voos vão ajudar “a aperfeiçoar futuras demonstrações de SAF, e também apoiarão a certificação futura, onde o combustível SAF 100% drop-in é aprovado para aviões”.

“Atualmente, o SAF é aprovado para utilização em todos os aviões, mas apenas em misturas de até 50% com combustível de aviação convencional”, explica a companhia aérea do Dubai, indicando que tem vindo a trabalhar com parceiros como a GE Aerospace, a Boeing, a Honeywell, a Neste e a Virent, com “o intuito de encontrar e desenvolver uma mistura de SAF que consiga replicar fielmente as propriedades do combustível de aviação convencional”.

Este voo utilizou dezoito toneladas de SAF misturadas e compostas de HEFA-SPK, fornecidas pela Neste, e HDO-SAK da Virent, tendo o combustível de aviação 100% sustentável (SAF) abastecido um motor GE90, com o combustível convencional a abastecer o outro motor.

“Este voo de ensaio demonstra ainda mais a compatibilidade do SAF, especialmente misturado, como uma fonte de combustível segura e fiável. O resultado promissor desta iniciativa também acrescenta ao conjunto de dados da indústria e da investigação em torno das misturas SAF em proporções mais elevadas, abrindo caminho para a normalização e aprovação futura de SAF 100% drop-in como substituto do combustível para jatos, bem acima do atual limite de 50% de mistura”, considera a companhia aérea.

Para Al Redha, Chefe de Operações da Emirates, este voo representa “um momento marcante para a Emirates e um passo positivo” para a indústria, que tem trabalhado em conjunto para reduzir a sua pegada ambiental.

“Foi uma longa jornada para finalmente ver esta demonstração de voo 100% SAF levantar voo. A Emirates é a primeira companhia aérea de passageiros no mundo a operar um Boeing 777, a abastecer um motor GE com 100% SAF. Tais iniciativas são contributos fundamentais para o conhecimento da indústria sobre SAF, e fornecem dados para demonstrar a utilização de misturas mais elevadas de SAF para futuras aprovações regulamentares”, considera o responsável, que espera que estes voos “ajudem a abrir a porta para aumentar a escala da cadeia de fornecimento de SAF e torná-la mais acessível”.

A Emirates está empenhada em apoiar iniciativas que ajudem a minimizar as suas emissões de CO2, e não só já fez grandes progressos na eficiência e conservação de combustível, como também em avanços operacionais em todas as suas ações.

A companhia aérea apoia ainda o compromisso coletivo da IATA para alcançar emissões líquidas zero até 2050, e está a explorar oportunidades para aumentar a eficiência operacional do combustível, SAF, combustíveis de aviação de baixo carbono (LCAF) e energia renovável.

Recorde-se que o primeiro voo da Emirates alimentado por SAF misturado com combustível de avião decorreu em 2017 e foi operado a partir do aeroporto de Chicago O’Hare, nos EUA, num Boeing 777.

Mais recentemente, a companhia aérea recebeu a sua primeira entrega de aviões A380 alimentado por SAF, que ocorreu em 2020, e também aumentou 32 toneladas de SAF para os seus voos a partir de Estocolmo nesse mesmo ano.

Sobre o autorPublituris

Publituris

Mais artigos
Tecnologia

Parceria entre Host e MTI focada na eficiência energética hoteleira

A parceria entre as duas empresas portuguesas tem como foco a eficiência e sustentabilidade nos hotéis.

A Host Hotel Systems e a MTI-Managing The Intelligence, duas empresas portuguesas focadas em soluções tecnológicas inovadoras para hotelaria, anunciaram uma parceria através da qual prometem “potenciar a eficiência e sustentabilidade dos hotéis”.

Com esta parceria, será possível integrar informações provenientes do Host PMS acerca dos hóspedes e da sua respetiva ocupação do quarto, de modo a ser possível controlar remotamente várias comodidades dos quartos, tais como os sistemas de ar condicionado, nível de luminosidade, entre outros, na plataforma da MTI.

Assim, os benefícios desta parceria para os hotéis “passam pelo acesso a soluções inovadoras que permitem aumentar a eficiência reduzindo custos operacionais e aumentando, assim, a sua rentabilidade, mas também o conforto do hóspede”, explicam as empresas em comunicado. O alinhamento desta estratégia comercial foi traçado tendo em conta a complementaridade da prioridade de ambas as empresas: a criação de valor para os seus clientes.

“As temáticas da sustentabilidade e da eficiência energética na hotelaria são uma preocupação da Host. É neste âmbito que surge a parceria com a MTI, para dar resposta a esta questão da atualidade, ao permitir aos hotéis uma gestão mais eficiente dos seus recursos, sem esquecer a importância do conforto na experiência do hóspede”, refere João Freitas, Director of Growth & Partnerships da Host Hotel Systems.

Miguel Silva, CEO da Managing The Intelligence, mantém-se com os olhos postos num “futuro promissor” e revela que “a MTI deposita grande confiança e ambição com a parceria iniciada com a Host”, acreditando que a mesma “possa aumentar a notoriedade de ambas as empresas e impulsionar a criação de valor comercial e técnico, beneficiando assim os nossos clientes”.

A integração da solução MTI Energy está disponível para integração no Sistema de Gestão de Propriedades (PMS) da Host Hotel Systems.

Sobre o autorPublituris

Publituris

Mais artigos
Destinos

‘Festival do Japão’ vai assinalar 480 anos de relações entre Portugal e o Japão

O “Festival do Japão” vai decorrer em junho e é uma das iniciativas que pretendem assinalar os 480 anos de relações entre Portugal e o Japão.

A Câmara de Comércio de Portugal e Japão vai organizar, em junho, o “Festival do Japão”, uma das iniciativas que visam assinalar os 480 anos de relações entre os dois países, avançou o embaixador do Japão em Portugal, Makoto Ota, em entrevista ao Diário de Notícias.

Segundo o embaixador, além do “Festival do Japão”, a efeméride será assinalada por várias outras iniciativas, que vão decorrer entre maio e junho, bem como entre setembro e novembro.

“Pretendemos realizar vários eventos comemorativos dos 480 anos de amizade entre Portugal e o Japão e um dos maiores é o Festival do Japão, organizado pela Câmara de Comércio de Portugal e Japão, que acontecerá em junho deste ano. Além disso, entre maio e junho e setembro e novembro pretendemos realizar vários eventos culturais para assinalar esses 480 anos de amizade entre os dois países”, indicou Makoto Ota.

No âmbito destas comemorações, estão ainda previstas exposições na Fundação Oriente e na Fundação Gulbenkian, tendo sido igualmente criado um logótipo para assinalar as celebrações, que foi desenvolvido por iniciativa conjunta da Embaixada do Japão em Lisboa e da Embaixada de Portugal em Tóquio, e que junta a flor de cerejeira, ícone japonês, ao azulejo, que é um dos símbolos de Portugal.

Recorde-se que os portugueses foram o primeiro povo europeu a estabelecer contacto com o Japão, em 1543, e desde então os dois países mantém relações próximas.

Sobre o autorPublituris

Publituris

Mais artigos

Unted Arab Emirates, Dubai

Destinos

Dubai recebeu 14,36 milhões de visitantes internacionais em 2022

Segundo o Departamento de Economia e Turismo do Dubai (DET), o destino alcançou, em 2022, 86% dos números de visitantes internacionais registados no período pré-pandémico.

O Dubai recebeu, no ano passado, um total de 14,36 milhões de visitantes internacionais, número que representa um crescimento de 97% em relação aos 7,28 milhões de turistas registados em 2021, indicam os mais recentes dados do Departamento de Economia e Turismo do Dubai (DET).

Segundo um comunicado enviado à imprensa pelo DET, o Dubai alcançou, em 2022, 86% dos números de visitantes internacionais registados no período pré-pandémico, quando o destino tinha recebido 16,73 milhões de visitantes internacionais.

“O crescimento excecional do fluxo de visitantes reflete o contínuo crescimento do Dubai como uma das cidades mais conectadas do mundo e a sua determinação em liderar o mundo em termos de infraestruturas de hospitalidade e níveis de serviço. Estou confiante de que o Dubai contribuirá ainda mais para o crescimento do turismo global e da conectividade das viagens nos próximos anos”, congratula-se Hamdan bin Mohammed bin Rashid Al Maktoum, príncipe herdeiro do Dubai e presidente do Conselho Executivo do Dubai.

O forte crescimento do Dubai foi ditado pela subida dos mercados tradicionais e emergentes, com a Europa Ocidental e as regiões do Golfo a representarem, cada uma, 21% das chegadas, enquanto a região do Gulf Cooperation Council (GCC) também representou 21% das chegadas, depois de um “aumento exponencial na sua quota de chegadas”, que era de 13% em 2021.

Já o Sul da Ásia contribuiu com 17% do volume total, enquanto a região do Médio Oriente e Norte de África (MENA, sigla em inglês) contribuiu com 12% e o continente Americano foi ainda responsável por sete por cento das chegadas, enquanto a região do Norte e Sudeste Asiático e África contribuíram com cinco por cento cada uma, e a Australásia com dois por cento.

O crescimento foi também comum à hotelaria do Dubai, que viu a ocupação média subir para 73%, estabelecendo-se como “uma das mais elevadas do mundo”, já  que este indicador estava, no ano anterior, nos 67%.

De acordo com o DET, a recuperação da hotelaria está ainda abaixo do período pré-pandemia, quando a ocupação média era de 75%, o que também se explica pelo aumento de 16% na oferta de quartos que ocorreu em 2022 e que levou a que o Dubai passasse de 126.120 quartos disponíveis em 741 estabelecimentos em 2019 para 146.496 quartos em 804 estabelecimentos hoteleiros no final do ano passado.

Em 2022, o Dubai recebeu a Expo’20, evento que, segundo o DET, “deu um enorme contributo para o desempenho da indústria do turismo”, uma vez que atraiu ao Dubai mais de 24 milhões de visitas, provando “mais uma vez a capacidade do Dubai para acolher grandes eventos globais” e reforçando “a sua posição como destino de eventos internacionais”.

Além da Expo’20, também a gastronomia do Dubai, o turismo de cruzeiros e iates, e as novas atrações, como o Museu do Futuro ou a Expo City, “ajudaram à constante evolução da proposta do destino em 2022”.

Os planos do Dubai para o futuro são igualmente ambiciosos, uma vez que o destino vai implementar o Plano Director Urbano do Dubai 2040, que visa expandir a oferta turística do emirado em mais de 100% e que prevê a realização de várias iniciativas alinhadas com a Estratégia de Turismo dos EAU 2031, que procura atrair 40 milhões de hóspedes até 2031 e aumentar a contribuição do setor turístico para o PIB do emirado para AED 450 mil milhões.

Sobre o autorPublituris

Publituris

Mais artigos

Navegue

Sobre nós

Grupo Workmedia

Mantenha-se conectado

©2021 PUBLITURIS. Todos os direitos reservados.