Assine já
Rio de Janeiro
Destinos

Brasil elege turismo como sector prioritário

A Presidente da República, Dilma Roussef, incluiu o turismo num pacote de medidas que visam estimular a economia.

Tiago da Cunha Esteves
Rio de Janeiro
Destinos

Brasil elege turismo como sector prioritário

A Presidente da República, Dilma Roussef, incluiu o turismo num pacote de medidas que visam estimular a economia.

Sobre o autor
Tiago da Cunha Esteves
Artigos relacionados
Turismo brasileiro cresceu mais do que a economia entre 2003 e 2009
Destinos
Brasil: Carnaval vai gerar 6,2 milhões de viagens e 2,1 mil M€
Destinos
Brasil quer estar entre as três principais economias turísticas até 2022
Destinos
Papel do Turismo na recuperação económica marca arranque da 45.ª ABAV Expo
Destinos

A Presidente da República, Dilma Rousseff, decidiu incluir o turismo no pacote de medidas de estímulo à economia nacional, lançado esta terça-feira e denominado “Plano Brasil Maior”.

“A inclusão do turismo no ‘Plano Brasil Maior’ demonstra que o governo federal entende a importância do sector na geração de emprego e renda. A desoneração da folha de pagamento da hotelaria gera um aumento de competitividade fundamental para incrementar o fluxo turístico brasileiro”, reagiu o ministro do Turismo, Gastão Vieira, no site do Ministério.

Entre as medidas assumidas como prioritárias para o turismo, o governante destacou o lançamento da Nomenclatura Brasileira de Serviços (NBS), um novo índice para a classificação de comércio e serviços como produtos.

Sobre o autorTiago da Cunha Esteves

Tiago da Cunha Esteves

Mais artigos
Artigos relacionados
Distribuição

“Gea vai ter consigo”, arranca a 10 de outubro e percorre 11 cidades do país

São 11 as cidades espalhadas pelo território nacional que recebem, entre 10 e 25 de outubro, a iniciativa “Gea vai ter consigo”.

Publituris

É já no próximo dia 10 de outubro que arranca a primeira edição do “GEA vai ter consigo”, um roteiro de encontros informais realizados pelo país entre a equipa GEA e os diretores das suas agências de viagens associadas.

Ao longo das 11 sessões, o grupo pretende efetuar um balanço das atividades do período de Verão e apresentar as novidades estratégicas e tecnológicas definidas pelo Grupo GEA para 2023, privilegiando a recolha de feedback dos diretores de agência.

Depois de arrancar no dia 10 de outubro em Braga e Guimarães, a iniciativa visitará ainda o Porto e Aveiro (11 de outubro), Viseu e Coimbra (12 de outubro), Leiria (13 de outubro), Lisboa (14 de outubro), Setúbal (17 de outubro), Algarve (20 de outubro) e Funchal (25 de outubro).

Pedro Gordon, diretor-geral do Grupo GEA, refere, em nota de imprensa que “a realização deste evento constituirá uma oportunidade de os diretores de agências de viagens que não terão disponibilidade para assistir à convenção anual do Grupo de 18 a 20 de novembro de se manterem a par das novidades que temos planeadas para 2023”.

Sobre o autorPublituris

Publituris

Mais artigos
Destinos

Receitas turísticas de julho sobrem 23,6% face ao período pré-pandemia

Segundo o Banco de Portugal, em julho, as receitas turísticas somaram 2.822,77 milhões de euros, 23,6% acima de igual mês de 2019, que tinha sido o melhor ano de sempre para o turismo nacional. E também há boas notícias no acumulado do ano.

Inês de Matos

Em julho, as receitas provenientes da atividade turística somaram 2.822,77 milhões de euros, valor que já ficou 23,6% acima de igual mês de 2019, o último ano antes da pandemia e que tinha sido o melhor ano turístico de sempre em Portugal, segundo dados divulgados esta terça-feira, 20 de setembro, pelo Banco de Portugal (BdP).

Os dados do BdP mostram que, face a julho de 2019, os valores das receitas da atividade turística, que se encontram pelos gastos do turistas estrangeiros em Portugal, subiram 539,21 milhões de euros face ao mesmo mês do período pré-pandemia, sendo mesmo, de acordo com o comunicado do BdP que acompanha os números, “os mais elevados num mês de julho em toda a série”.

Em comparação com o ano passado, as notícias continuam a ser positivas, uma vez que as receitas turísticas subiram 1.669,42 milhões de euros face ao montante de 1.153,35 que tinha sido apurado em julho do ano passado, o que traduz um crescimento de 144,7%.

No que diz respeito às importações do turismo, que se encontram pelos gastos dos turistas portugueses no estrangeiro, também houve um crescimento, uma vez que o montante de 700,93 milhões de euros apurados em julho deste ano ficou 57,1% acima dos 446,17 milhões de euros de igual mês de 2021 e 16,4% acima dos 602,07 milhões de euros de julho de 2019.

As boas notícias prolongam-se também ao saldo da rúbrica Viagens e Turismo, que somou 2.121,84 milhões de euros no passado mês de julho, valor que ficou 200% acima dos 707,18 milhões de euros apurados em julho de 2021. Face ao mesmo mês de 2019, quando este indicador tinha somado 1.681,49 milhões de euros, o saldo cresceu 26,1%.

Acumulado até julho também sobe

No acumulado de janeiro a julho, as receitas turísticas somam já 10.681 milhões de euros, valor que ficou 10,3% acima dos 9.679,79 milhões de euros apurados em igual período de 2019.

No que diz respeito às importações do setor do turismo, o montante já chega aos 2.947,34 milhões de euros, o que também traduz um crescimento de 2,5% face aos 2.874,92 milhões de euros do acumulado de janeiro a julho de 2019.

No saldo, voltam igualmente a existir boas notícias, uma vez que também neste indicador houve uma subida, passando de um montante de 6.805,52 milhões de euros entre janeiro e julho de 2019 para 7733,67 milhões de euros em igual período deste ano, o que traduz um aumento de 13,6%.

 

Sobre o autorInês de Matos

Inês de Matos

Mais artigos
Destinos

TP visita empresas turísticas de todo o país para dinamizar projetos de investimento

Com vista a dinamizar projetos de investimento em curso apoiados no âmbito do PT 2020, assim como a esclarecer o setor acerca dos programas, iniciativas e políticas desenhadas para apoiar as empresas e as regiões, o Turismo de Portugal inicia um ciclo de visitas às empresas turísticas em todo o país.

Publituris

O Turismo de Portugal anuncia na sua página oficial que, em parceria com as Entidades Regionais de Turismo, realiza um ciclo de visitas, reuniões de trabalho e sessões de esclarecimento a todas as regiões do país.

Este ciclo, informa ainda o Turismo de Portugal, visa “promover a partilha de conhecimento e experiências positivas e sustentadas, numa fase que continua a ser muito desafiante para toda a sociedade e a economia do país”.

Neste sentido, o vogal do Conselho Diretivo, Carlos Abade, inicia este périplo com uma visita de três dias ao Porto e Norte de Portugal, entre esta terça-feira e 22 de setembro, com encontros em Ponte da Barca, e Paredes de Coura, bem como reuniões com a Direção da Turismo do Porto e Norte de Portugal, e com as CIM da região.

Nesta zona do país estão igualmente encontros com empresários de Chaves, Vila Pouca de Aguiar e Carrazeda de Ansiães, assim como reuniões com municípios de territórios afetados pelos incêndios deste ano (Vila Real, Carrazeda de Ansiães, Murça e Mesão Frio). O dia termina com uma visita ao Pocinho, em Vila Nova de Foz Côa. O último dia deste ciclo de visitas à região Norte, tem lugar em Vila do Conde, Matosinhos e Vila Nova de Gaia, a 22 de setembro.

O Turismo de Portugal lembra que o Plano “Reativar o Turismo | Construir o Futuro” (PRT) já tem um ano de implementação, “registando-se um forte crescimento económico, já em linha com o registado em 2019”. Refira.se que PRT pretende ser um guião orientador para o setor turístico, público e privado, cujas ações estão totalmente integradas com os objetivos do Plano de Recuperação e Resiliência e da Estratégia Portugal 2030, “assegurando assim uma estratégia concertada para a retoma da economia nacional”.

Sobre o autorPublituris

Publituris

Mais artigos
Destinos

Espanha volta atrás e relaxa restrições relacionadas com a COVID-19

A Espanha mudou de opinião e decidiu relaxar os requisitos de entrada no país relacionados com a COVID-19, decisão que foi anunciada poucos dias depois do país ter alargado até 15 de novembro as restrições relacionadas com a doença.

Inês de Matos

A Espanha mudou de opinião e decidiu relaxar os requisitos de entrada no país relacionados com a COVID-19, deixando de exigir o preenchimento de um formulário online e a apresentação do respetivo código na chegada a território espanhol, numa decisão que foi anunciada poucos dias depois do país ter alargado até 15 de novembro as restrições relacionadas com a doença.

“Não será mais necessário preencher o formulário de controlo de saúde para viajar para Espanha nem apresentar o código QR SpTH (Spain Travel Health) no embarque ou no aeroporto de chegada”, anunciou o Ministério da Saúde espanhol, num comunicado divulgado esta segunda-feira, 19 de setembro.

O portal SpTH, assim como as aplicações móveis de saúde, já deixaram inclusive de estar operacionais esta terça-feira, 20 de setembro, apesar de ainda existirem dúvidas quanto aos procedimentos que passam a ser adotados, não sendo, por exemplo, claro se os passageiros têm de apresentar prova de vacinação ou recuperação da doença à chegada.

O certo é que ainda na semana passada, as autoridades espanholas tinham anunciado um prolongamento das restrições de entrada em território espanhol até 15 de novembro, mantendo a necessidade de os passageiros não vacinados apresentarem um teste negativo ou prova de recuperação da doença há mais de seis meses.

A Espanha era até aqui um dos poucos países europeus que ainda mantinham a necessidade de apresentar teste negativo ou prova de recuperação na chegada a território espanhol, além do preenchimento do formulário de saúde, requisitos que começam agora a ser retirados.

Tal como a Espanha, também os Países Baixos têm vindo a abolir várias medidas adotadas na sequência da COVID-19 e, no passado sábado, 17 de setembro, anunciou mesmo o fim de todas as regras e restrições.

“A decisão do governo significa que, a partir de 17 de setembro de 2022, nenhuma restrição ou exigência relacionada com a COVID-19 se aplica a viajantes que entrem nos Países Baixos, incluindo os provenientes de países fora da UE/área Schengen”, indicou o executivo neerlandês em comunicado.

Sobre o autorInês de Matos

Inês de Matos

Mais artigos
Hotel Vila Raia
Alojamento

Idanha-a-Nova recebe nova unidade de três estrelas

O verão é visto pelo General Manager do Hotel Vila Raia como “a época de eleição para atrair clientes”, devido aos atrativos da zona.

Carla_Nunes

A zona da Raia acabou de ganhar mais quartos com a abertura do Hotel Vila Raia, em Idanha-a-Nova, Castelo Branco. A unidade de três estrelas acrescenta assim 26 quartos à região, num investimento que já superou um milhão de euros.

Os quartos, todos com twin bed, “seguem um modelo muito utilizado em Espanha, podendo-se juntar as camas sempre que o cliente desejar”, como explica Jorge Humberto, General Manager do Hotel Vila Raia.

Ao alojamento juntam-se valências como uma piscina exterior, sauna e jacuzzi, bem como uma sala de reuniões e estacionamento próprio. O edifício da unidade encontrava-se fechado há oito anos, pelo que foi necessário proceder a restauros, pinturas e à impermeabilização da piscina, de acordo com o General Manager.

O responsável aponta que esta unidade “será mais procurada pelo cliente que  quer fugir da agitação das grandes cidades e procura um sítio calmo e sossegado para carregar baterias”. O verão é visto como “a época de eleição para atrair clientes”, dados os atrativos da zona.

“Temos praias fluviais, aldeias históricas e boa gastronomia perto do hotel. Estamos inseridos numa região rica em eventos e que atraem muita gente de fora”, justifica Jorge Humberto.

Por se tratar de um novo hotel, o responsável afirma que não têm “qualquer historial em que possamos basear a nossa perspetiva [de reservas futuras]”. No entanto, mantém-se otimistas, dadas as reservas realizadas “na primeira e segunda semana de abertura e para a última semana de setembro”.

Sobre o autorCarla_Nunes

Carla_Nunes

Mais artigos
Homepage

Carrís Porto Ribeira contrata Simão Cruz para direção de vendas

O profissional conta com várias experiências na vertente hoteleira, somando passagens pelo Grupo Tivoli e pela Blue & Green Hotels.

Publituris

A Carrís Hoteles contratou Simão Cruz para assumir o cargo de diretor de vendas do Carrís Porto Ribeira.

O profissional conta com várias experiências na vertente hoteleira, somando passagens pelo Grupo Tivoli, onde assumiu funções de Corporate Account Manager, e pela Blue & Green Hotels, onde desempenhou o cargo de Iberian Market Manager em todas as vertentes de negócio – Corporate, MICE e Leisure. Posteriormente, Simão Cruz foi responsável pela planificação e reposicionamento do Santa Luzia ArtHotel, em Guimarães, enquanto Sales & Marketing Manager.

A Carrís Hoteles é uma cadeia hoteleira com unidades hoteleiras distribuídas pela Galiza e o Norte de Portugal. Atualmente, dispõe de seis hotéis localizados no Porto (Carrís Porto Ribeira), A Coruña (Carrís Marineda), Ferrol (Carrís Almirante), Santiago de Compostela (Carrís Casa de la Troya e Monte do Gozo) e Ourense (Carrís Cardenal Quevedo).

Sobre o autorPublituris

Publituris

Mais artigos
Transportes

TAP diz não ter indicação de que piratas tenham tido acesso a dados de pagamento

Depois do ataque no mês de agosto, a TAP refere que a intrusão foi “contida numa fase inicial” e que “não há indicação de que informações sensíveis, em particular dados de pagamento, tenham sido exfiltradas”.

Publituris

A TAP Air Portugal garantiu esta terça-feira, 20 de setembro, que conseguiu conter o ataque informático de que foi alvo em agosto numa fase inicial e diz não ter indicação de que os piratas tenham acedido a informações sensíveis, como dados de pagamento.

Depois da informação divulgada pelo jornal Expresso de que o grupo que atacou a companhia aérea em agosto publicou dados de 1,5 milhões de clientes e diz continuar a ter acesso remoto a sistemas da TAP, a companhia sublinha à Lusa que tem estado em todo o processo a trabalhar com o Centro Nacional de Cibersegurança, a Polícia Judiciária e a Microsoft.

“Em agosto de 2022, os sistemas internos de cibersegurança da TAP Air Portugal (TAP) detetaram o acesso não autorizado a alguns sistemas informáticos. A TAP está preparada para este cenário e mobilizou de imediato uma equipa de especialistas internos e externos de TI e de peritos forenses para investigar em detalhe o sucedido e prevenir danos adicionais”, explica a companhia aérea.

A transportadora diz ainda que “graças aos sistemas de cibersegurança e à rápida atuação da equipa interna de TI [tecnologias de informação], a intrusão foi contida numa fase inicial, antes de provocar danos nos processos operacionais”.

“As operações da TAP estão a decorrer com normalidade”, garante a companhia, reconhecendo que, “infelizmente, alguns dados foram roubados pelos hackers e estão a ser divulgados publicamente” e que os dados afetados podem incluir nomes, informações de contacto, informações demográficas e número de passageiro frequente.

A TAP diz ainda que a informação afetada relativamente a cada cliente “pode variar”, mas sublinha que, “até ao momento, não há indicação de que informações sensíveis, em particular dados de pagamento, tenham sido exfiltradas”.

“Esta intrusão visava causar danos à TAP e aos seus clientes. A segurança dos nossos clientes e parceiros comerciais e dos seus dados é a nossa maior prioridade. Continuaremos, por isso, a tomar todas as medidas necessárias para cuidar dos seus dados”, adianta.

Segundo o Expresso, o grupo de cibercriminosos Ragnar Locker “cumpriu a ameaça que vinha fazendo e publicou esta segunda-feira 581 gigabytes (GB) de dados que diz serem relativos a 1,5 milhões de clientes da TAP”.

Numa mensagem publicada na Dark Web – refere o jornal -, os Ragnar Locker “garantem ainda que continuam a ter acesso aos sistemas informáticos da TAP”.

Além das tabelas com moradas, números de telefone e nomes de clientes, o Expresso, que teve acesso aos ficheiros, escreve que a fuga de dados “apresenta documentos de identificação de pessoas que aparentam ser profissionais ou parceiros da TAP, bem como acordos confidenciais com várias empresas e relações com outras companhias de aviação”.

Recorde-se que num e-mail enviado aos clientes na semana passada, a TAP alertou os clientes afetados pelo ataque informático, cujos dados foram publicados, de que esta divulgação “pode aumentar o risco do seu uso ilegítimo”, pedindo atenção a comunicações suspeitas.

No e-mail, a transportadora recordou que o ciberataque foi “prontamente comunicado às diversas autoridades competentes”, reiterando que “foram desencadeadas as medidas e procedimentos apropriados de cibersegurança para este tipo de eventos com o apoio de uma empresa internacional especializada e líder da indústria” e que “as medidas adotadas permitiram garantir a integridade dos dados e a operacionalidade, em segurança, de todos os sistemas” da companhia.

“Lamentamos muito que dados pessoais seus tenham sido incluídos nesta divulgação e por qualquer inconveniente que isso lhe possa causar”, disse a TAP, reafirmando ainda o seu “compromisso” com a proteção dos dados pessoais e adiantando que estão “a ser desenvolvidas medidas de reforço da segurança” dos dados.

Sobre o autorPublituris

Publituris

Mais artigos
Transportes

easyJet assinala alargamento de rede em Portugal com oferta de 20% de desconto

Nova campanha da easyJet oferece descontos até 20% em 56 destinos europeus e é válida para reservas até 26 de setembro, cujas viagens decorram até 30 de março de 2023.

Publituris

A easyJet lançou uma nova campanha promocional para assinalar o alargamento da sua rede à partida de Portugal, que é válida para reservas até 26 de setembro e que oferece descontos até 20% em 56 destinos na Europa.

“A companhia aérea líder na Europa tem agora 110.000 lugares disponíveis, para reserva a partir de hoje, em viagens a usufruir até 30 de março do próximo ano”, indica a easyJet, num comunicado enviado à imprensa.

Com esta campanha, que já está disponível para reservas no site da companhia aérea, a easyJet está a oferecer preços que começam nos 29 euros, incluindo para as novas rotas lançadas este inverno para Fuerteventura, Grã-Canária, Tenerife Sul, Porto Santo, Funchal, Bilbau e Valência, desde Lisboa, enquanto à partida do Porto estão ainda disponíveis voos para Funchal, Praga e Luxemburgo.

“A campanha em vigor, para reservas efetuadas até ao dia 26 de setembro, assinala o alargamento da rede a partir de Portugal e proporciona aos clientes a oportunidade imperdível de visitar as novas rotas recentemente anunciadas pela companhia”, destaca a easyJet.

Sobre o autorPublituris

Publituris

Mais artigos
Transportes

Porto Maritime Week regressa entre 26 e 30 de setembro com debate dedicado aos cruzeiros

Os cruzeiros vão ser um dos principais temas em debate no dia 30 de setembro, data em que decorre uma conferência sob o tema “Novos desafios na indústria dos cruzeiros”, com a participação de vários intervenientes deste setor.

Publituris

A 3.ª edição da Porto Maritime Week vai decorrer entre 26 e 30 de setembro, voltando a reunir na cidade Invicta mais de meia centena de oradores, nacionais e estrangeiros, que vão abordar “o estado da arte do setor, os principais desafios e as oportunidades que as dificuldades do momento também encerram”, incluindo no setor dos cruzeiros.

O evento, que vai decorrer em formato híbrido, com sessões transmitidas online e outras em formato presencial, que vão ter lugar no Crowne Plaza Porto Hotel, vai trazer até ao Porto os responsáveis de alguns dos principais portos mundiais, assim como das associações do setor e de companhias de cruzeiros.

Os cruzeiros vão ser mesmo um dos principais temas em debate no dia 30 de setembro, data em que decorre uma conferência com a participação de Eduardo Cabrita, diretor-geral da MSC Cruzeiros Portugal; Francisco Teixeira, diretor-geral da Melair, que representa a Royal Caribbean e a Celebrity Cruises em Portugal; António Pinto da Silva, diretor comercial da Mundomar Cruzeiros, que representa a Princess Cruises e a Cunard em Portugal; Sonia Corrales, da Norwegian Cruise Line; e Nikos Mertzanidis, da CLIA.

A conferência dedicada ao setor dos cruzeiros vai ser dedicada ao tema “Novos desafios na indústria dos cruzeiros”, tem início pelas 10h00 e conta com a moderação de Fernando Santos, da Global Sea.

Além do debate dedicado aos cruzeiros, a Porto Maritime Week vai abordar também temas ligados ao shortsea shipping e intermodalidade, portos e comunidades portuárias, às políticas comunitários e internacionais, assim como de companhias de navegação, da indústria naval, de transição digital e da descarbonização.

Pela primeira vez, a Porto Maritime Week vai também contemplar eventos paralelos, da responsabilidade dos parceiros da iniciativa, como a Associação 4Shipping, a PRIO e a TECNOVERITAS, voltando ainda a contar com o Jantar do Shipping, que foi suspenso nos dois últimos anos devido à pandemia.

As inscrições para assistir ao evento já se encontram a decorrer e podem ser realizadas aqui, onde está também disponível o programa da Porto Maritime Week, assim como a lista de oradores já confirmados.

Sobre o autorPublituris

Publituris

Mais artigos
Destinos

Festival ART&TUR divulga território do Centro de Portugal

Na apresentação do festival deste ano foram revelados os próximos três concelhos que receberão o ART&TUR: Lousã, em 2023; Caldas da Rainha, em 2024, e Fundão, em 2025

Publituris

A 15.ª edição do ART&TOUR – Festival Internacional de Cinema de Turismo, uma co-organização entre a Centro Portugal Film Commission e a Turismo Centro de Portugal, terá palco na cidade de Ourém de 25 a 28 de outubro.

Nos quatro dias do festival serão exibidos 87 filmes, integrados em 13 sessões temáticas, que resultaram da short list da competição, composta por 281 filmes promocionais e documentários, de 32 países, que se inscreveram na competição e que foram avaliados pelo júri internacional. No total, serão exibidos 87 filmes, integrados em 13 sessões temáticas. As sessões temáticas serão antecedidas de mesas-redondas, em que especialistas refletirão sobre temas atuais abordados nos filmes exibidos.

Francisco Dias, diretor do Festival, salientou que, “embora seja um evento de nicho, este festival chega ao mundo inteiro e às pessoas certas, como são as entidades de turismo e as equipas de produção”, destacando ainda que “estamos a promover a qualidade do nosso turismo”.

Já Pedro Machado, presidente da Turismo Centro de Portugal, referiu que o festival “está em linha do que queremos fazer todos os dias: divulgar o território do Centro de Portugal em todos os mercados”.

Para o responsável do Turismo da região Centro, “este é um evento internacional e, ao mesmo tempo, descentralizado, uma vez que acontece todos os anos em locais diferentes da região, sustentável e inclusivo. Por isso, inspira e renova a confiança dos mercados externo e interno”. Além disso, sublinhou que, “por ser descentralizado, é um contributo para desmistificar a ideia de que os grandes eventos só podem acontecer nos grandes centros”.

Do lado da Câmara Municipal de Ourém, o presidente da autarquia, Luís Albuquerque, sublinhou que este festival se “insere na estratégia do município para captar eventos e atrair visitantes ao território”, de que são exemplo o congresso da AHP e o Encontro da Diáspora, que se vão realizar em Ourém ainda este ano.

Na apresentação, foram também revelados os próximos três concelhos que receberão o ART&TUR, Lousã, em 2023; Caldas da Rainha, em 2024, e Fundão, em 2025.

Filmes e mais filmes
No primeiro dia do ART&TUR, 25 de outubro, serão exibidos os primeiros filmes a concurso, divididos no primeiro dia em cinco secções: “Filmes do Centro de Portugal”, “Filmes do Norte de Portugal”, “O Turismo no Interior de Portugal”, “Filmes sobre Gastronomia” e “Portugal Como Destino de Surf e Aventura”.

As sessões serão intercaladas por mesas-redondas, grandes momentos de partilha de experiências. Neste primeiro dia, serão abordados os temas “O cinema como motor do desenvolvimento regional”, “Estará o Interior de Portugal condenado?”, “O vinho, o azeite e a dieta mediterrânica” e “Portugal, país do surf e da aventura”.

As cinco sessões do segundo dia de festival, dia 26, têm os seguintes temas: “Filmes sobre jovens talentos de África”, “Parque Arqueológico do Vale do Côa”, “A Aldeia Aqui Tão Perto”, “Filmes da Competição Internacional – 1ª parte” e “Filmes Sobre Ciência e Ecologia”. Mais uma vez, as sessões serão intercaladas por mesas-redondas, neste caso sobre “Interpretação e Salvaguarda do Património Arqueológico” e “Faz Sentido Viver em Aldeias do Interior?”.

A manhã do terceiro dia, dia 27, será preenchida com um programa cultural para convidados. Ao início da tarde, e depois de ser apresentado o projeto europeu “Olive4All”, de valorização do património olivícola, retoma-se a exibição de filmes, com mais três sessões: “Filmes Sobre Turismo Sustentável”, “Filmes da Competição Internacional – 2ª parte” e “Filmes da Competição Internacional – 3ª parte”.

O último dia de Festival ART&TUR, dia 28, prossegue com o programa cultural para convidados e termina, a partir das 17h30, com a Gala de Prémios ART&TUR Ourém 2022. Esta contará com a presença da secretária de Estado do Turismo, Comércio e Serviços, Rita Marques, autarcas, embaixadores, investigadores e professores de turismo, comunicação e marketing, empresários, equipas de produção audiovisual, artistas, jornalistas e os titulares dos filmes vencedores.

Além do vasto programa de exibição de filmes e de mesas-redondas, a edição de 2022 do ART&TUR – Festival Internacional de Cinema de Turismo incluirá o ART&FACTORY, uma parceria com a Centro de Portugal Film Comission. Esta iniciativa é um concurso de produção audiovisual em que participam realizadores internacionais, que irão produzir, na semana imediatamente antes do festival, filmes promocionais no território que recebe o ART&TUR — este ano, o Médio Tejo.

 

Sobre o autorPublituris

Publituris

Mais artigos

Navegue

Sobre nós

Grupo Workmedia

Mantenha-se conectado

©2021 PUBLITURIS. Todos os direitos reservados.