Assine já
Alojamento

Best Western incorpora quarto hotel em África

A mais recente integração na Tanzânia concedeu à Best Western a quarta unidade no continente africano este ano. Situado na capital Dar Es Salaam, numa zona exclusiva da península Msasani, o Best Western Coral Beach Hotel é o primeiro hotel da cadeia na Tanzânia. A Best Western integrou recentemente dois hotéis independentes na Nigéria e… Continue reading Best Western incorpora quarto hotel em África

Fátima Valente
Alojamento

Best Western incorpora quarto hotel em África

A mais recente integração na Tanzânia concedeu à Best Western a quarta unidade no continente africano este ano. Situado na capital Dar Es Salaam, numa zona exclusiva da península Msasani, o Best Western Coral Beach Hotel é o primeiro hotel da cadeia na Tanzânia. A Best Western integrou recentemente dois hotéis independentes na Nigéria e… Continue reading Best Western incorpora quarto hotel em África

Sobre o autor
Fátima Valente
Artigos relacionados
Grupo Bensaude apoia 3ª edição do Festival Walk & Talk
Alojamento
Vila Galé promove unidade da Ericeira em Julho
Alojamento
Dormidas aumentam 1,7% em Junho em Espanha
Alojamento
Espanha
Dia dos Avós nos hotéis Tryp e Meliá
Alojamento

A mais recente integração na Tanzânia concedeu à Best Western a quarta unidade no continente africano este ano.

Situado na capital Dar Es Salaam, numa zona exclusiva da península Msasani, o Best Western Coral Beach Hotel é o primeiro hotel da cadeia na Tanzânia. A Best Western integrou recentemente dois hotéis independentes na Nigéria e um no Ghana. A propriedade e gestão do hotel mantêm-se na mão dos seus proprietários.

O novo Best Western é de estilo boutique e conta com 62 quartos, um restaurante em frente ao Oceano Índico, bar e sala lounge. Os clientes também têm disponíveis os serviços de um centro de negócios e de fitness. Do hotel pode-se desfrutar de umas óptimas vistas para o Índico, assim como dos belos entardeceres da Costa Este africana.

O objectivo da cadeia é continuar a crescer na zona do sul de África, assim como na parte subsariana, particularmente em países do oeste como Ghana, Nigéria e Camarões.

Sobre o autorFátima Valente

Fátima Valente

Mais artigos
Artigos relacionados
Distribuição

Mototurismo motiva debate na B travel Xperience Lisboa

Iniciativa decorre a 30 de junho, a partir das 18h30, na B travel Xperience Lisboa, com a participação do mototurista e blogger Henrique Saraiva.

Os desafios do mototurismo vão estar em debate na próxima Travel Talk da B travel Xperience Lisboa, iniciativa que decorre a 30 de junho, a partir das 18h30, com a participação do blogger Henrique Saraiva.

Autor do blog “Viagens ao Virar da Esquina” e colaborador da revista Motociclismo, Henrique Saraiva vai partilhar as “suas experiências pelo país e Europa em duas rodas, desde os desafios às vantagens que viajar de mota traz”.

“A escolha dos percursos e destinos, assim como a gestão do tempo essencial numa viagem de mota, vão ser partilhados por Henrique Saraiva”, destaca a B travel Xperience Lisboa, num comunicado enviado à imprensa.

Os eventos na B travel Xperience Lisboa são gratuitos e têm entrada livre, mas os interessados devem realizar inscrição prévia através do e-mail [email protected] ou das redes sociais da B travel Xperience Lisboa.

 

Sobre o autorPublituris

Publituris

Mais artigos
Destinos

Contributo direto e indireto do turismo para o PIB foi de 16,8 MM€, em 2021

A atividade turística, em Portugal, terá tido um contributo total (direto e indireto) de 8% para o PIB, em 2021, comparando com os 6,6%, de 2020, e 11,8%, em 2019

De acordo com as contas divulgadas pelo Instituto Nacional de Estatística (INE), a atividade turística, em Portugal, terá tido um contributo total (direto e indireto) de 8% para o PIB, correspondendo a 16,8 mil milhões de euros, e de 7,9% para o VAB da economia nacional, ou seja, 14,4 mil milhões de euros.

Os dados divulgados pelo INE mostram que Valor Acrescentado Bruto gerado pelo Turismo (VABGT), em 2021, face a 2020, registou um aumento nominal de 27,3%, representando 5,8% do Valor Acrescentado Bruto (VAB) nacional (4,8% em 2020), situando-se ainda 2,3 pontos percentuais (p.p.) abaixo de 2019, ano em que representou 8,1% do VAB da economia.

As contas feitas pelo INE indicam que O VABGT totalizou 10.671 milhões de euros em 2021, enquanto o Consumo do Turismo no Território Económico (CTTE) cifrou-se em 21.334 milhões de euros, o equivalente a 10,1% do PIB (8,4% no ano anterior e 15,3% em 2019).

Na comunicação feita pelo INE pode ler-se que o ano de 2020 foi marcado por “uma forte contração da atividade económica, que se traduziu numa diminuição de 8,4% do PIB em volume”. Assim, as contas indicam uma “redução da atividade turística que terá contribuído com -5,6 p.p. para aquele resultado, o que corresponde a cerca de 2/3 da redução do PIB”. Já em 2021, “o PIB aumentou 4,9%, em volume, com o turismo a contribuir com 1,8 p.p. para este resultado”.

“Os produtos que mais contribuem para o PIB turístico, como os serviços de alojamento, a restauração e similares, os transportes (especialmente os transportes aéreos) e os serviços de aluguer, foram os que mais sofreram os impactos económicos da pandemia COVID-19, o que se refletiu em reduções, em volume, entre 46,5% e 65,7% no PIB turístico gerado por estas atividades, em 2020”, refere o INE.

Em 2021, os mesmos produtos observaram, em regra, “crescimentos intensos” (entre 14,4% e 59,1%) face ao ano anterior, à exceção dos serviços de aluguer, que continuaram a registar um decréscimo.

Em 2021, quer as importações, quer as exportações de turismo observaram um aumento próximo de 30%, face ao ano anterior. Contudo, os valores foram ainda inferiores aos registados em 2019, indicando o INE uma redução de “31% no caso das importações e -45,6% no caso das exportações”.

Considerando a informação disponível para o ano de 2020 para países europeus (dados provisórios ou preliminares), observou-se que Portugal foi o país que registou maior importância relativa da procura turística no PIB (8,4%).

Em termos de variação, os dados divulgados pelo INE mostram um “decréscimo significativo da procura turística em 2020 em todos países europeus com informação disponível, oscilando entre -29,6% (Áustria) e -60,3% (Espanha). Em Portugal, a procura turística diminuiu 49,1%, face a 2019.

Sobre o autorVictor Jorge

Victor Jorge

Mais artigos
Restauração

Programa SELEÇÃO Gastronomia e Vinhos da AHRESP é tema de webinar

A AHRESP promove, no próximo dia 05 de julho, um webinar sobre o Programa SELEÇÃO Gastronomia e Vinhos no próximo dia 5 de julho, aberto a todos os restaurantes que servem gastronomia portuguesa. Inscrição gratuita, mas obrigatória.

Implementado pela AHRESP, e desenvolvido em parceria com o Turismo de Portugal, este programa visa criar uma rede nacional de restaurantes que adote o receituário tradicional português, utilizando preferencialmente produtos portugueses e regionais, cumprindo as melhores práticas e oferecendo uma qualidade de serviço irrepreensível, conforme refere a Associação, em nota de imprensa.

Os restaurantes que estejam em condições de fazer parte desta rede, ou seja, de gastronomia portuguesa, cuja confeção seja efetuada no próprio local e que apresente serviço à mesa, podem usufruir de vantagens, como: Acesso a consultoria totalmente gratuita; Oferta de uma placa e de um diploma, que devem ser colocados em locais visíveis, no exterior e interior respetivamente; Direito de utilização da marca SELEÇÃO Gastronomia e Vinhos para promoção e divulgação de iniciativas próprias e Oferta de um kit de boas-vindas em formato digital (com template de menu, template de individual de mesa e outros materiais de comunicação).

 

Sobre o autorPublituris

Publituris

Mais artigos
Destinos

Tailândia confia no regresso “em força do turismo” com levantamento de restrições

Com o alivio de restrições previsto a partir de 1 de julho, a Tailândia mostra-se confiante e diz que o turismo “vai voltar em força”, incluindo por parte do mercado português.

A 1 de julho, a Tailândia deixa de exigir o Thailand Pass e o seguro de saúde contra a COVID-19 para entrar no país, num levantamento de restrições que deverá resultar no regresso “em força” do turismo ao país, incluindo por parte do mercado português, acredita Rosário Louro, representante da Autoridade do Turismo da Tailândia (TAT) em Portugal.

“A expetativa é muito boa, acho que o turismo vai voltar em força e sentimos isso porque os agentes de viagens estão, em força, a programar a Tailândia”, disse a responsável ao Publituris, à margem do Festival da Tailândia, que decorreu este fim-de-semana, em Belém, Lisboa.

Rosário Louro explica que, durante os últimos três meses, a TAT tem vindo a trabalhar para promover o destino e preparar o regresso do turismo depois da COVID-19, a exemplo da participação da Tailândia na BTL, de uma campanha com a Bestravel, do passatempo da Tailândia, do Festival da Tailândia e de uma famtrip ao país, em abril, em que participaram oito operadores turísticos portugueses.

Apesar da expectativa positiva, Rosário Louro considera que, este ano, ainda não será possível regressar aos números de 2019, ainda que se mostre confiante que, no próximo ano, já seja possível até alcançar um crescimento face ao período pré-pandemia.

“É evidente que, este ano, ainda não vamos chegar ao ano de 2019, mas estamos a preparar tudo para que, no próximo ano, possamos voltar aos números normais e já deverá haver um crescimento”, afirma a responsável, sublinhando que o preço das viagens é, neste momento, o principal obstáculo ao aumento do número de turistas portugueses na Tailândia.

Tal como Rosário Louro, também Krongkanit Rakcharoen, Embaixadora Tailândia em Portugal, se mostra confiante na recuperação do turismo já este ano, incluindo por parte do mercado português.

“Esperamos mais turismo, por isso é que estamos a levantar as restrições a partir de 1 de julho. A partir dessa data, as pessoas vão ter maior liberdade para visitar a Tailândia e, por isso, é expetável que o país consiga atrair mais turistas. Também de Portugal, como é óbvio”, afirmou Krongkanit Rakcharoen ao Publituris, após a inauguração oficial do Festival da Tailândia.

De acordo com a Embaixadora da Tailândia em Portugal, antes da pandemia, a Tailândia tinha recebido cerca de 52 mil turistas portugueses, um número que, segundo a responsável, é “maravilhoso para um país pequeno, com apenas 10 milhões de habitantes, e para um destino tão distante quanto a Tailândia”.

“Portanto, é um número elevado e esperamos voltar a esses números no mercado português, agora que estamos a relaxar as regras de entrada na Tailândia”, acrescentou, explicando que, a nível global, a Tailândia conta receber, este ano, entre sete a 10 milhões de turistas internacionais, subindo para os 20 milhões em 2023.

Krongkanit Rakcharoen destacou ainda a importância do Festival da Tailândia, que traz até Lisboa “o melhor da Tailândia sem ser necessário viajar”, como as danças, a gastronomia ou as massagens tailandesas, o que permite dar aos portugueses “uma pequena amostra daquilo que se pode encontrar na Tailândia”.

Passatempo com participação recorde

Além das várias ações promocionais que têm vindo a ser lançadas, a TAT retomou também o Passatempo da Tailândia, iniciativa que vai na 9.ª edição e que decorreu entre 14 de maio e 17 de junho, e no qual foi, segundo Rosário Louro, registada uma participação recorde.

“Sentimos um grande crescimento no passatempo que, este ano, teve uma participação quase 30% superior em relação ao ano passado. Tivemos cerca de 2.000 pessoas que passaram à fase final. De 4.500 concorrentes que se registaram, cerca de 2.000 passaram à fase final, o que mostra, não só o interesse que as pessoas têm, como a vontade que têm de conhecer a Tailândia porque, para participar no passatempo, é preciso pesquisar imenso e é uma coisa que dá trabalho. Por isso, é preciso querer muito”, revelou a responsável.

No próximo ano, acrescentou ainda Rosário Louro, a ideia é reforçar o passatempo ao nível dos prémios, com mais viagens e estadias de hotéis, uma vez que a iniciativa vai assinalar a 10.ª edição.

“No próximo ano, como o passatempo faz 10 anos, vamos tentar aumentar a oferta de prémios, com mais participação de hotéis porque sentimos que a Tailândia é um país que ainda pode explodir em Portugal, em termos de turismo”, concluiu Rosário Louro.

 

Sobre o autorInês de Matos

Inês de Matos

Mais artigos
Aviação

Indústria da aviação alemã quer contratar na Turquia

A escassez de mão-de-obra na Alemanha, leva a indústria da aviação alemã a procurar solução no mercado turco.

Depois de noticiadas as dificuldades vividas nos mais diversos aeroportos europeus, devido à falta de pessoal, o crescimento da procura por viagens já levou diversas companhias a cancelar voos ao longo das últimas semanas.

Na Alemanha, cujos principais aeroportos – Munique, Frankfurt ou Hamburgo, entre outros – foram impactados pela escassez de recursos humanos, a indústria da aviação já está a trabalhar numa solução ao decidir avançar para contratações “expresso” de trabalhadores turcos.

Segundo avança a imprensa germânica, a esperança é que as autoridades do país decidam com urgência quanto às autorizações especiais para que se possa avançar com a contratação de 2.000 trabalhadores turcos para os aeroportos da Alemanha.

A Associação Federal da Indústria da Aviação Alemã (Bundesverband der Deutschen Luftverkehrswirtschaft, BDL, sigla em alemão) estima que decorrerão mais seis semanas até que se possam incorporar esses recursos humanos, o que quer dizer que só na segunda metade do verão se poderia registar algum avanço, salientando que “tratam-se de pessoas que, para trabalhar nas instalações aeroportuárias, terão de passar por provas de segurança”.

Enquanto se espera por uma decisão das autoridades alemãs para facilitar esta incorporação de trabalhadores, a Associação Alemã de Turismo (Deutscher Reiseverband, DRV) divulgaram uma mensagem aos viajantes alemães, descartando “cancelamentos em grande escala” para os principais destinos de férias, como o Sul da Europa, admitindo que “é pouco provável que os voos contratados pelos operadores turísticos, que foram agendados com bastante antecedência, sejam suprimidos”.

Sobre o autorPublituris

Publituris

Mais artigos
Alojamento

Golden Residence Hotel Madeira distinguido pela TUI

Unidade madeirense recebeu a distinção TUI QUALITY HOTEL, atribuída com base na qualidade do serviço e nas avaliações feitas pelos clientes da TUI a nível mundial.

O Golden Residence Hotel Madeira conquistou a distinção TUI QUALITY HOTEL, atribuída com base na qualidade do serviço e nas avaliações feitas pelos clientes do operador turístico a nível mundial.

O prémio TUI QUALITY HOTEL, que é atribuído pela TUI, um dos principais operadores turísticos da Europa e visa distinguir as unidades hoteleiras reconhecidas pela qualidade do serviço prestado, tendo em conta as avaliações dos clientes de todo o universo TUI, concretamente TUI Alemanha, TUI Bélgica, TUI Holanda, TUI Polónia.

“Esta distinção é um reflexo da nossa dedicação para com os nossos hóspedes. O nosso grau de exigência é elevado, pois queremos providenciar a melhor experiência. Temos equipas altamente qualificadas e focadas em prestar um serviço de qualidade ímpar. Sabermos que estamos a contribuir para a criação de momentos e memórias marcantes é, sem dúvida, enriquecedor. É muito gratificante sabermos que nos destacamos pelas melhores razões”, congratula-se Arcilia Martin, diretora do Golden Residence Hotel Madeira.

Além do reconhecimento enquanto TUI QUALITY HOTEL, o Golden Residence Hotel Madeira tem vindo a ser distinguido pela qualidade do serviço e, este ano, já recebeu vários prémios e recomendações.

Localizado na costa sul da Madeira e com vistas panorâmicas sobre o mar e as plantações de bananas, o Golden Residence Hotel Madeira é uma unidade de quatro estrelas, que conta com 172 quartos, SPA, piscina exterior e interior, restaurante e bar, sendo também uma unidade ‘pet friendly’.

Sobre o autorPublituris

Publituris

Mais artigos
Meeting Industry

Edição 2022 do Festuris Gramado quer puxar a recuperação do turismo

A 34ª edição do Festuris Gramado (Rio Grande do Sul-Brasil), que está agendada para os dias 03 a 06 de novembro deste ano, quer ser a “ponta de lança” na recuperação do turismo no país, e a comercialização de espaços já está cerca de 30% superior a 2019.

A feira de negócios turísticos está, inclusive, a expandir a sua área de exposição dentro dos pavilhões do Serra Park para atender a crescente procura do mercado, e acredita que poderá ser a maior edição de todos os tempos do evento.

De acordo com os organizadores, o volume atual de vendas para exposição no Festuris deve ser comemorado e indica a recuperação da cadeia do turismo após dois anos de incertezas e um impacto devastador no setor. Nas duas últimas edições, a feira não parou e se adaptou às restrições impostas pela pandemia.

Marcas importantes que não participaram das últimas edições estão já a manifestar a sua intenção em regressar à feira, incluindo companhias aéreas, destinos internacionais e outras marcas do turismo brasileiro, indica o CEO do Festuris, Eduardo Zorzanello.

Face ao crescimento da feira este ano, a ampliação também se dará no sentido de reposicionar alguns segmentos, a exemplo do Espaço Luxury, que estará em uma área maior e também a presença de buyers e expositores de diferentes procedências.

Paralelamente, a aposta do Festuris será em mais experiências dentro da feira, networking qualificado entre os participantes, além de mais uma edição do Meeting Festuris, evento que acontece nas manhãs do evento.

Além da feira geral, o Festuris trabalha com espaços segmentados: Luxury, Green Experience, Business & Innovation, LGBT+ e Wedding.

 

Sobre o autorPublituris

Publituris

Mais artigos
Destinos

Rede Aldeias Históricas de Portugal servem de modelo para projetos em Espanha

Representantes de várias localidades históricas da província de Cáceres, em Espanha, visitaram as Aldeias Históricas de Portugal com vista a compreender o funcionamento e o desenvolvimento desta rede.

Publituris

Um grupo de representantes de várias localidades históricas da província de Cáceres (Espanha) visitou as Aldeias Históricas de Portugal, com o objetivo de adquirir conhecimento sobre a sua abordagem de desenvolvimento territorial, de modo a criar uma associação análoga naquele país.

Refira-se que, recentemente, uma comitiva de representantes da província de Badajoz (Espanha), visitou o projeto com objetivo de criar uma rede de 12 conjuntos históricos na província, agora foi a vez da província de Cáceres, que ambiciona criar uma associação naquela região espanhola.

Durante três dias, a comitiva com cerca de 30 pessoas, das várias localidades históricas da província de Cáceres, incluindo o presidente da Província de Cáceres, Carlos Rodriguez, e a deputada de Turismo, Patrícia Vale, visitaram alguns dos melhores exemplos de iniciativa privada das Aldeias Históricas de Portugal, assim como projetos estruturantes de âmbito público (acessibilidade, redes wi-fi, entre outros), que vão servir de modelo para a criação de uma associação de aldeias de Cáceres.

Nunca é demais esquecer que entre montes e vales do interior de Portugal, repletas de lendas e castelos, sabores e tradições, encontram-se 12 históricas: Almeida, Belmonte, Castelo Mendo, Castelo Novo, Castelo Rodrigo, Idanha-a-Velha, Linhares da Beira, Marialva, Monsanto, Piódão, Sortelha e Trancoso, que se constituíram num só destino turístico, oferecendo ao mercado nacional e internacional, um conjunto de valências que os turistas podem experienciar e vivenciar.

 

Sobre o autorPublituris

Publituris

Mais artigos
Sem categoria

Madeira recebe evento de agentes de viagens de luxo

O evento “Connections Luxury in Madeira” decorre entre 26 a 29 de junho, no Reid’s Palace e vai contar com a participação de até 140 decisores e buyers do segmento de luxo.

Publituris

A Madeira vai ser palco, entre 26 e 29 de junho, o evento “Connections Luxury in Madeira”, iniciativa promovida pela a comunidade privada internacional para decisores de confiança em viagens de luxo Connections e que vai contar com a participação de até 140 decisores e buyers do segmento de luxo, informou a Associação de Promoção da Madeira (APM), em comunicado.

“Designada “Connections Luxury in Madeira”, a iniciativa vai receber até 140 decisores com uma agenda interativa projetada para ligar compradores de alto nível a hotéis excecionais, propriedades boutique, provedores de experiência e empresas de gestão de destinos de todo o mundo”, explica a APM, revelando que o evento vai decorrer no Reid’s Palace, com o patrocínio da  Associação de Promoção da Madeira, do Savoy Palace, do DMC Madeira, do Reid’s Palace e da Quinta Jardins do Lago.

Ao longo dos quatro dias do evento, os participantes “vão ter a oportunidade de integrar reuniões de negócios personalizadas realizadas no formato pioneiro Connections Way – a abordagem da empresa para facilitar relacionamentos comerciais duradouros por meio de experiências memoráveis ​​e partilhadas”.

Além disso, os delegados vão ainda participar noutras atividades, como uma masterclass de Poncha, e terão oportunidade de conhecer o chef Luís Pestana do restaurante, com estrela Michelin, “William” (Reid’s Palace), estando também prevista a realização de um chá da tarde e de uma degustação de vinhos madeirenses, bem como a possibilidade de aprender a trabalhar a técnica do vime com a ajuda de um artesão local.

Além das experiências partilhadas, os convidados também vão participar de uma sessão de liderança, a “ConnecTALKS”, onde vão ser abordadas “as últimas tendências e desafios enfrentados pela indústria de viagens de luxo”, num evento que também vai contar com a participação de António Paraíso, consultor internacional de luxo, que já falou em conferências para Giorgio Armani, Loewe, Porsche, Deloitte, Procter & Gamble e Leica.

“Receber a Connections Luxury é uma oportunidade única de partilhar o que o nosso destino tem para oferecer. Acima de tudo, será um momento para surpreender os participantes neste importante evento, que terão um contato direto com a nossa diversidade, hospitalidade, gastronomia, tradições, com a nossa cultura e história. A Região tem características únicas, uma identidade que destaca uma oferta qualificada a todos os níveis, e que será reforçada com o trabalho que estamos a desenvolver, no corrente ano, relativo à ‘Certificação de Sustentabilidade’ do destino. Esperamos que este evento nos ajude a reposicionar e afirmar a Madeira como destino do segmento de luxo”, considera Eduardo Jesus, secretário Regional de Turismo e da Cultura e Presidente da Associação de Promoção da Madeira.

Já Greg Reeves, diretor administrativo da Connections Luxury, justificou a escolha da Madeira para palco do evento por ser um destino que “transmite uma modesta confiança que é incrivelmente atraente para o viajante de luxo e continua a ser reconhecida como um destino insular líder, cheio de experiências verdadeiramente únicas e influências culturais”.

“Estamos entusiasmados por receber o Connections Luxury na Madeira este verão, dando as boas-vindas aos nossos membros globais para se encontrarem, através de uma agenda única e dinâmica, num cenário espetacular. Estamos em parceria com os melhores da Região, por isso, quem se juntar a nós vai desfrutar de um verdadeiro prazer”, acrescenta.

 

 

 

Sobre o autorPublituris

Publituris

Mais artigos
Transportes

Ryanair diz que greve afetou menos de 2% dos voos e não teve impacto em Portugal

Companhia aérea diz que “não houve interrupções de voo em Itália, Espanha, Portugal, Reino Unido, França ou Irlanda”, uma vez que a greve dos tripulantes de cabine da Ryanair é “muito pequena e regista pouca adesão”.

Publituris

A Ryanair diz que menos de 2% dos 3.000 voos realizados esta sexta-feira, 24 de junho, foram afetados pela greve dos tripulantes de cabine da companhia aérea e garante que, no caso de Portugal, não houve sequer perturbações a registar, de acordo com um comunicado da companhia aérea.

“Não houve interrupções de voo em Itália, Espanha, Portugal, Reino Unido, França ou Irlanda, pois a grande maioria das tripulações da Ryanair está a trabalhar normalmente”, indica a transportadora, revelando que a maior parte das perturbações aconteceu na Bélgica, apesar de também neste país “mais de 60% dos voos regulares da Ryanair de/para Charleroi e Zaventem” terem operado esta sexta-feira.

A Ryanair diz esperar “interrupções mínimas (se houver)”  durante o fim-de-semana, uma vez que a greve é “muito pequena e regista pouca adesão”, ainda que admita algumas perturbações em França, Itália e Espanha, mas devido a uma “greve de dois dias” dos controladores de tráfego aéreo em Marselha, que deverá atrasar os voos que passam pelo espaço aéreo francês.

“A Ryanair espera que mais de 98% de seus 3.000 voos diários operem normalmente no sábado e domingo, neste fim de semana”, acrescenta a companhia aérea, que diz que vai informar, por e-mail ou SMS, os passageiros afetados por estas paralisações.

Sobre o autorPublituris

Publituris

Mais artigos

Navegue

Sobre nós

Grupo Workmedia

Mantenha-se conectado

©2021 PUBLITURIS. Todos os direitos reservados.