Assine já
Meeting Industry

ITB Berlim 2008 debate impacto do sector no meio ambiente

A edição de 2008 da ITB Berlim, que decorrerá entre 5 e 7 de Março para os profissionais do trade, vai apresentar vários debates sobre o impacto do turismo no meio ambiente e vice-versa. Nos 20 painéis subordinados a esta temática e às tendências do sector até 2030, estarão oradores como Francesco Frangialli, secretário geral… Continue reading ITB Berlim 2008 debate impacto do sector no meio ambiente

Sónia Gomes Costa
Meeting Industry

ITB Berlim 2008 debate impacto do sector no meio ambiente

A edição de 2008 da ITB Berlim, que decorrerá entre 5 e 7 de Março para os profissionais do trade, vai apresentar vários debates sobre o impacto do turismo no meio ambiente e vice-versa. Nos 20 painéis subordinados a esta temática e às tendências do sector até 2030, estarão oradores como Francesco Frangialli, secretário geral… Continue reading ITB Berlim 2008 debate impacto do sector no meio ambiente

Sobre o autor
Sónia Gomes Costa
Artigos relacionados

A edição de 2008 da ITB Berlim, que decorrerá entre 5 e 7 de Março para os profissionais do trade, vai apresentar vários debates sobre o impacto do turismo no meio ambiente e vice-versa. Nos 20 painéis subordinados a esta temática e às tendências do sector até 2030, estarão oradores como Francesco Frangialli, secretário geral da UNWTO, Eric Heymann, director financeiro do Deustche Bank, assim como representantes de várias companhias aéreas e de hotéis.
Para o dia 6 de Março, quinta-feira, a ITB Berlim apresentará um debate sobre os conceitos do meio ambiente na hotelaria, contando com as intervenções de Ed Fuller, CEO da Marriott International, e de Tony Williams da Emirates Hotels & Resorts.
Já no dia seguinte, estará em cima da mesa do debate a questão: “A aviação comercial está a destruir o clima?”. Para discutir esse tema já estão confirmados Andrew Harrison, CEO da Easyjet, Rainer Ohler, vice-presidente de RP e Comunicação da Airbus, entre outros participantes.

Sobre o autorSónia Gomes Costa

Sónia Gomes Costa

Mais artigos
Artigos relacionados
Alojamento

INE: Proveitos no alojamento turístico crescem 17% em junho face a 2019

Em junho, os proveitos totais no setor do alojamento turísticos aumentaram 157,0% para 545,4 milhões de euros, e os de aposento atingiram 416,4 milhões de euros, saldando-se num crescimento de 165,4%. Comparando com mesmo mês de 2019, estes indicadores registaram subidas de 17,0% e 17,4%, respetivamente.

Segundo dados mais completos da atividade turística divulgados esta terça-feira pelo INE, o rendimento médio por quarto disponível (RevPar) situou-se- em 70,6 euros em junho e o rendimento médio por quarto ocupado (ADR) atingiu 111,8 euros. Em relação a junho de 2019, o RevPAR aumentou 13,6% e o ADR cresceu 14,6%.

Quando analisados os proveitos acumulados no primeiro semestre de 2022, verificam-se crescimentos de 308,1% no total e 311,8% nos relativos a aposento, já valores superiores (+4,8% e +5,8% respetivamente), face a igual período de 2019.

Em relação apenas a este trimestre, os proveitos totais aumentaram 261,3% (+14,9%) quando comparado com o segundo trimestre de 2019, portanto, período pré-pandemia, e os relativos a aposento aumentaram 270,0% (+15,2% face ao mesmo período de 2019).

O INE revela que o Algarve concentrou 31,5% dos proveitos totais e 30,8% dos relativos a aposento em junho, seguindo-se a região de Lisboa (29,7% e 31,2%, respetivamente) e o Norte (14,7% e 14,9%, pela mesma ordem).

Por outro lado, no primeiro semestre, a evolução dos proveitos foi positiva nos três segmentos de alojamento (hotelaria, alojamento local e turismo no espaço rural).

Comparando com o mesmo período de 2019, os proveitos totais na hotelaria aumentaram 3,3% e os de aposento cresceram 4,5% (pesos de 87,6% e 85,9% no total do alojamento turístico, pela mesma ordem). Nos estabelecimentos de alojamento local (quotas de 8,6% e 10,3%), registaram-se subidas de 3,9% e 4,5%, e no turismo no espaço rural e de habitação (representatividade de 3,8% em ambos) os aumentos atingiram 62,4% e 56,2%, respetivamente.

Sobre o autorPublituris

Publituris

Mais artigos
Destinos

Algarve suscita cada vez maior interesse

O interesse pelo turismo no Algarve é cada vez mais crescente, consta a ATA, que faz o balanço do primeiro semestre de promoção turística.

De acordo com a Associação Turismo do Algarve (ATA), agência responsável pela promoção externa da região, de janeiro a junho, foram já realizadas 48 press trips, um número que praticamente alcança o total de visitas de jornalistas que o Algarve recebeu durante todo o ano de 2019 (ano em que foram contabilizadas 52 ações desta natureza).

Entre jornalistas, fotógrafos/videógrafos, bloggers e influencers, estiveram no Algarve, desde o início do ano, em ações organizadas pela ATA, 102 participantes, provenientes de mercados distintos como o Reino Unido, Alemanha, Irlanda, Holanda, Itália, França e Bélgica. O interesse pela região estendeu-se ainda aos mercados do Norte da Europa (Suécia, Dinamarca e Noruega) e a mercados mais longínquos como os EUA, Brasil e Emirados Árabes Unidos.

Esta vontade de descobrir mais sobre o destino é também partilhada por operadores turísticos internacionais. Desde janeiro e até ao final de junho, a ATA teve já a oportunidade de organizar 10 fam trips, com 72 participantes dos mercados estratégicos da região. Até ao final do ano, prevê-se triplicar o número de participantes nas visitas de reconhecimento do destino direcionadas a estes profissionais do setor.

Através de programas feitos à medida, estas ações têm como objetivo dar a conhecer, no terreno, as mais-valias da região, para que os participantes possam experimentar aquilo que torna o Algarve um destino único e perceber os motivos que explicam os vários prémios e distinções internacionais que o destino tem vindo a conquistar.

“O interesse em torno do Algarve não nos surpreende já que, à exceção do período em que estivemos em confinamento total, nunca deixámos de organizar iniciativas com a imprensa e operadores internacionais, fruto também da estratégia que implementámos para manter a elevada notoriedade do destino durante a pandemia. Ainda assim, a rapidez da recuperação da atividade turística está a superar as nossas melhores expectativas”, destacou João Fernandes, presidente do Turismo do Algarve.

Refira-se que nos primeiros seis meses deste ano, a promoção externa do Algarve foi também materializada na participação em 15 eventos internacionais, estrategicamente selecionados, onde a ATA esteve a representar o destino e os seus associados. Adicionalmente, esteve envolvida na preparação de cerca de 70 campanhas de marketing, realizadas em colaboração com operadores turísticos e companhias aéreas que operam a região. Estas campanhas resultaram do esforço levado a cabo, com sucesso, pelo Turismo do Algarve para retomar as ligações aéreas existentes (e que haviam sido suspensas pela pandemia) e para captar novas rotas.

Olhando para os restantes meses de 2022 com algum otimismo, o Turismo do Algarve espera, segundo nota de imprensa, dar continuidade a toda esta dinâmica de recuperação, de forma sólida e consistente, e chegar ao final do ano com valores próximos dos 2019.

 

Sobre o autorPublituris

Publituris

Mais artigos
Aviação

Comissão Executiva da TAP pede responsabilidade aos sindicatos

A Comissão Executiva da TAP “lamenta e repudia a constante tentativa de ataques à sua credibilidade e competência, os julgamentos de intenções e a cada vez mais frequente apresentação de “factoides” avulso, propositadamente descontextualizados, distorcidos e até, nalguns casos, completamente falsos, com que alguns sindicatos bombardeiam constantemente a comunicação social”.

É desta forma que a Comissão Executiva da companhia aérea, em comunicado, reage aos protestos de sindicatos representativos dos trabalhadores, lembrando que “está bem consciente do esforço que é pedido a todos os trabalhadores da companhia, nomeadamente com o corte de 25% no valor dos salários acima dos 1410 euros”.

Indica que “sem esse esforço, não teria sido possível obter a autorização da Comissão Europeia para o plano de restruturação que permitiu a sobrevivência da TAP”, mas até 2025, ano a partir do qual, será cumprido o plano de restruturação, “não pode ser feita tábua rasa dos acordos firmados, nem a sobrevivência da companhia poderia resistir se isso acontecesse”.

A Comissão Executiva da TAP, que alega ter o compromisso de cumprir o plano de restruturação e de apresentar os resultados que este define, diz que “para que seja possível apresentar esses resultados, que permitirão garantir a viabilidade e sobrevivência futuras da TAP, o esforço não começa, nem se esgota, nos cortes salariais de 25% sobre o valor que exceda os 1410 euros mensais.

E lembra que a transportadora aérea “tem reduzido custos em todas as áreas onde é possível, renegociando contratos com fornecedores e prestadores e criando maiores eficiências e continua a trabalhar diligentemente para reduzir todos os custos”, para adiantar que “outro esforço que está a ser prosseguido com sucesso é o de aumento das receitas e do yield, determinantes para a rentabilidade da TAP”.

No comunicado, a Comissão Executiva da TAP sublinha que está, “desde sempre, disponível, para o diálogo com todos os sindicatos e nas múltiplas reuniões que tem mantido com os responsáveis sindicais, presta toda a informação que é solicitada e procura, de boa fé, esclarecer todas as questões e dúvidas que são suscitadas”.

Sobre o autorPublituris

Publituris

Mais artigos
Aviação

Trabalhadores da TAP queixam-se sobre situação que se vive na companhia

Três sindicatos representativos dos trabalhadores da TAP (Sindicato Nacional do Pessoal de Voo da Aviação Civil, Sindicato dos Pilotos da Aviação Civil e Sindicato dos Técnicos de Manutenção de Aeronaves, queixam-se, em carta entregue ao ministro Pedro Nuno Santos, da situação que se vive na companhia aérea, após uma marcha silenciosa e concentração de protesto que decorreu esta terça-feira em frente ao edifício do Ministério das Infraestruturas e Habitação.

“Os trabalhadores que representamos estão preocupados com a rota de colisão em que a atual gestão colocou a empresa para a qual trabalhamos, com o afinco e profissionalismo que a tem mantido operacional e reconhecida internacionalmente, ainda que num ambiente de despesismo aparentemente pouco ou nada auditado”, refere o texto da carta enviada também à Comunicação Social.

Em concreto, indicam que “preocupa-nos a despesa com contratações externas, que tem transferido a força de trabalho, dos nossos representados, para entidades estrangeiras, com acentuado prejuízo de todos os envolvidos exceto, claro, para os sortudos signatários desses negócios”.

Os sindicados dizem ainda que “esses contratos significam também a perda de arrecadação fiscal e diminuição de proveitos para a nossa segurança social sendo, assim, um custo acrescido e desnecessário para os contribuintes portugueses, já suficientemente martirizados por uma das maiores cargas fiscais da Europa”.

Outro assunto que merece especial atenção dos representantes dos trabalhadores da TAP “é a situação dos aviões de longo curso transformados em aviões de carga, mas que nunca saíram do chão, dadas as opções de gestão em contratar empresas não certificadas para a operação”, custos que, segundo argumentam “ascendem a mais de 1 milhão de euros por mês, sem gerarem qualquer proveito”.

Além da mudança da sede, que “trará mais custos à empresa”, os trabalhadores querem saber qual “o destino do Reduto TAP”, criticando a atual gestão da companhia aérea, que “tem mostrado várias vezes incapacidade para motivar e cativar os trabalhadores mantendo uma postura distante e pouco consensual”.

A extensa carta indica ainda que “coagiram-se trabalhadores a assinar rescisões por mútuo acordo, que não passaram de ações violentas de grande assédio laboral, onde ao abrigo de um algoritmo cego, injusto e provadamente ineficaz, vários colegas tiveram a opção de o assinarem ou ficarem numa prateleira sem voar ou sem exercerem as valiosas qualificações que detinham”.

“Este processo de despedimento coletivo, veio revelar-se ineficiente porquanto foi já necessário recorrer a recontratação de vários profissionais, alguns com custos indemnizatórios escusados”, consideram, para ainda manifestarem preocupação com a questão da infraestrutura aeronáutica.

 

Sobre o autorPublituris

Publituris

Mais artigos
Transportes

Junho: Movimento de passageiros nos aeroportos nacionais mais próximo dos níveis pré-pandemia

Em junho de 2022, os aeroportos nacionais movimentaram 5,7 milhões de passageiros, aproximando-se dos níveis pré-pandemia, uma vez que, comparado com o mesmo mês de 2019, verificou-se apenas uma diminuição de 2,7%.

De acordo com dados da Atividade dos Transportes divulgados pelo Instituto Nacional de Estatísticas (INE), este terça-feira, o movimento de passageiros nos aeroportos portugueses cresceu 186,0% face a junho do ano anterior, quando em maio último o aumento tinha sido de 319,8%.

Em junho de 2022, registou-se o desembarque médio diário de 95,9 mil passageiros nos aeroportos nacionais (87,1 mil no mês anterior), aproximando-se do valor observado em junho de 2019 (98,1 mil).

No primeiro semestre de 2022, o número de passageiros aumentou 344,0% (-12,8% face a igual período de 2019), continuando a tendência de aproximação aos níveis registados no período pré-pandémico.

Neste período, o aeroporto de Lisboa movimentou 49,8% do total de passageiros (12,1 milhões) e registou um crescimento de 380,9% comparando com o período homólogo de 2021 (-17,0% face ao mesmo período de 2019). Considerando os três aeroportos com maior tráfego anual de passageiros, Faro registou o maior acréscimo (+503,2%).

Ainda de acordo com o INE, durante o mês de junho, aterraram nos aeroportos nacionais 20,8 mil aeronaves em voos comerciais, correspondendo a 5,7 milhões de passageiros (embarques, desembarques e trânsitos diretos).

Comparando com junho de 2019, registaram-se variações de -3,3% no número de aeronaves aterradas, e -2,7% nos passageiros movimentados.

Quando considera os passageiros desembarcados em junho de 2022, o INE revela que 80,8% corresponderam a tráfego internacional (70,9% no mesmo mês de 2021), na maioria provenientes do continente europeu (68,5% do total), enquanto, em relação aos passageiros embarcados, 80,4% corresponderam a tráfego internacional (70,4% em junho de 2021), tendo como principal destino aeroportos no continente europeu (68,9% do total).

Sobre o autorPublituris

Publituris

Mais artigos
Meeting Industry

Abertas inscrições para ITB Berlin 2023 que terá versão mais curta

O setor do turismo volta a reunir-se no próximo ano na ITB Berlin – Bolsa Internacional de Turismo de 7 a 9 de março. As inscrições para expositores já estão abertas.

A edição de 2023 da ITB Berlin terá uma duração mais curta, pois será reduzida de cinco para três dias, abdicando assim do fim-de-semana e criando uma Feira exclusivamente B2B.

A organização do evento faz saber que as inscrições para expor já se encontram abertas e podem ser efetuadas até 30 de setembro 2022. No entanto, os expositores que efetuarem a sua inscrição até 31 de agosto, recebem ainda o desconto “Early Bird”. Por outro lado, excecionalmente haverá a possibilidade de cancelamento gratuito da inscrição até 30 de novembro deste ano.

 

Sobre o autorPublituris

Publituris

Mais artigos
Transportes

Aeromexico regressa a Havana a partir de 30 de outubro

Com sete frequências semanais, a Aeromexico vai retomar, a partir de 30 de outubro próximo, a sua operação entre a Cidade do México e Havana (Cuba, oferecendo quase 10 mil lugares por mês.

As vendas de bilhetes para esta rota, que a transportadora aérea mexicana opera desde 2011, tendo sido suspensa devido à pandemia, já estão disponíveis. A operação será realizada em aviões Boeing 737.

Desta forma, a Aeromexico irá ampliar a sua presença na região das Caraíbas, onde também opera a rota para Santo Domingo, e com esta reativação, irá disponibilizar 120 voos e mais de 15.500 lugares por mês.

Com esta reabertura, a Aeromexico reafirma o seu compromisso de continuar a expandir a sua rede, com o objetivo de ligar o México aos destinos mais importantes do mundo. Durante o mês de agosto, a companhia aérea atingirá uma operação, com quase 570 voos diários para 90 rotas nacionais e internacionais.

 

Sobre o autorPublituris

Publituris

Mais artigos
Transportes

Royal Caribbean aligeira protocolos de navegação na Europa

A Royal Caribbean acaba de anunciar que irá implementar, a partir de 5 de setembro próximo, novas regras nos protocolos de navegação em cruzeiros pela Europa, incluindo o Reino Unido, tornando-as menos rígidas.

A Royal Caribbean garante, em comunicado, que tem trabalhado continuamente em parceria com as entidades competentes dos destinos e fez grandes progressos para receber todos os hóspedes a bordo dos seus navios em segurança.

A intenção, segundo a companhia de cruzeiros, é trabalhar por fases à medida que vai alterand os  protocolos, para indicar que,  sempre que implementa alterações, informa todos os hóspedes com reservas que sejam afetadas.

Com as novas medidas, passará a haver a recomendação para que os seus hóspedes estejam totalmente vacinados contra o COVID19, caso sejam elegíveis. A vacinação já não será um requisito obrigatório, no entanto a companhia solicita aos passageiros que divulguem a sua situação vacinal durante o check-in para garantir que mantem uma população a bordo altamente vacinada.

Os passageiros considerados não vacinados ou sem a vacinação completa pela EMA (Agência Europeia do Medicamento), podem precisar de testes adicionais a bordo com base nas escalas do seu itinerário.

Os hóspedes vacinados deverão viajar com o seu certificado de Vacinação, pois alguns locais nos nossos portos de escala podem exigir essa documentação.

Entretanto, os testes pré-cruzeiro e a bordo permanecerão inalterados.

Sobre o autorPublituris

Publituris

Mais artigos
Transportes

easyJet anuncia nova rota entre Lisboa e Rennes e coloca à venda as ligações a partir da capital portuguesa

Para além do seu novo trajeto entre Lisboa e a cidade francesa de Rennes, a easyJet colocou à venda, esta terça-feira os outros 13 destinos que opera à partida da capital portuguesa.

A nova rota, que começa a ser operada a partir de novembro deste ano, será garantida através de três frequências semanais: às terças, quintas e sábados, disponibilizando quase 30 mil lugares a mais.

Além das novas rotas, a easyJet irá disponibilizar outras 13 novas ligações entre Lisboa e diversas cidades da sua rede europeia. Assim, esta terça-feira foram também colocados à venda voos para Barcelona, Milão Bergamo, Bilbau, Porto Santo, Toulouse e Zurique, que serão operados a partir de 30 de outubro. Assim como para Fuerteventura, Las Palmas de Gran Canária, Marselha Provença e Marraquexe, cujos voos começam no dia 31 de outubro. Também é possível comprar já viagens para Rennes e Valência – que começam as suas operações dia 1 de novembro -, e Tenerife Sul e Birmingham – que iniciam a 2 de novembro.

Segundo José Lopes, Country Manager da easyJet para Portugal, com este novo destino a partir de Lisboa, “reforçamos ainda mais a nossa operação no país. A ligação entre a capital e Rennes começa a sua operação já em novembro, o que permitirá aos nossos clientes viajar com mais facilidade”.

O responsável revela igualmente que ao serem colocados à venda outras 13 novas ligações entre Lisboa e a rede europeia da companhia, “os nossos clientes já podem marcar os destinos que desejam, satisfazendo as suas necessidades.”

Refira-se, conforme comunicado da easyJet, este investimento surge na sequência da atribuição de 18 novos slots diários no aeroporto de Lisboa pela Comissão Europeia.

A companhia aérea anunciou recentemente que irá basear mais três Airbus A321neo, em Lisboa, o que permitirá o lançamento de novas rotas e o reforço da capacidade para outros destinos. Assim, a easyJet, diz o comunicado, torna-se a companhia aérea número dois no aeroporto de Lisboa, com uma rede de 32 rotas – 30 internacionais e duas domésticas – num total de10 países.

Sobre o autorPublituris

Publituris

Mais artigos
Alojamento

Torel Avantgarde é o hotel com melhor vista em Portugal

O Torel Avantgarde, cinco estelas no Porto, foi considerado como o “Hotel com a Melhor Vista” em Portugal nos Haute Grandeur Global Awards.

Publituris

O Torel Avantgarde, unidade de cinco estrelas no Porto, foi considerado como o “Hotel com a Melhor Vista” em Portugal nos Haute Grandeur Global Awards, uma prestigiada iniciativa global que distingue a excelência em hotéis, villas, resorts, retiros, spas e restaurantes em todo o mundo.

“O prémio é considerado um marco no setor hoteleiro”, considera a Torel Boutiques, coleção de hotéis que, além do Torel Avantgarde, inclui mais três unidades hoteleiras, concretamente o Torel Palace Lisbon, o Torel 1884 – Suites & Apartments e o Torel Palace Porto.

Já Ingrid Koeck, partner e porta-voz da coleção Torel Boutiques, considera que este prémio vem comprovar o compromisso da cadeia com a excelência e funciona como “uma grande motivação para toda a equipa da unidade hoteleira.

“É muito importante para nós, um boutique hotel de luxo independente, poder fazer parte do grupo dos melhores hotéis do mundo”, acrescenta a responsável, que lembra que, no Torel Avantgarde, todos os quartos são dedicados a um artista avant-gard e celebram o melhor do design nacional.

O Torel Avantgarde é um city resort cinco estrelas, que oferece vistas deslumbrantes sobre a cidade do Porto e sobre o rio Douro, e conta com 60 quartos e suites, piscinas, Spa, além da Maisonette, um espaço exclusivo com privada e jacuzzi, que é dedicado ao realizador cinematográfico Alfred Hitchcock.

Sobre o autorPublituris

Publituris

Mais artigos

Navegue

Sobre nós

Grupo Workmedia

Mantenha-se conectado

©2021 PUBLITURIS. Todos os direitos reservados.