Edição digital
Assine já
PUB
Hotelaria

Sierra e PGIM anunciam joint venture em hotelaria com um hotel no Porto

A PGIM Real Estate, o segmento imobiliário da PGIM, avançou um modelo de parceria com a Sierra para investir em oportunidades value-add na área da hotelaria, apoiadas por uma plataforma de gestão.

Publituris
Hotelaria

Sierra e PGIM anunciam joint venture em hotelaria com um hotel no Porto

A PGIM Real Estate, o segmento imobiliário da PGIM, avançou um modelo de parceria com a Sierra para investir em oportunidades value-add na área da hotelaria, apoiadas por uma plataforma de gestão.

Publituris
Sobre o autor
Publituris
Artigos relacionados
Turismo, mobilidade e infraestruturas dos Açores com 321,1 M€ no Plano e Orçamento para 2024
Destinos
Air France revela primeiras novidades para o inverno 2024-2025 com novo destino no Brasil em destaque
Aviação
Grupo Saudia encomenda mais 105 aviões à Airbus
Aviação
Delta Air Lines celebra 5.º aniversário da rota Lisboa-Boston com 14 voos por semana entre Portugal e EUA
Aviação
Eurowings conta com “programa especial” para o Euro 2024
Transportes
TAP distingue os melhores parceiros de 2023
Transportes
Nova Edição: Os nomeados dos Publituris “Portugal Travel Awards 2024”. Conheça-os na edição 1512
Prémios
Edição Digital: Os nomeados dos Publituris Portugal Travel Awards 2024. Conheça-os na edição 1512
Edição Digital
Marca NH Collection celebra os 10 anos em cinco hotéis na Europa incluindo Lisboa
Hotelaria
Operadores turísticos promovem campanha para assinalar o Dia Nacional do Agente de Viagens
Distribuição

Em nota de imprensa é explicado que a joint venture tem como objetivo adquirir e gerir ativamente hotéis em destinos turísticos consolidados, unindo forças com a equipa de gestão operacional da Iberian Hospitality Solutions (IHSP), liderada por Gonçalo Batalha.

É também referido que esta iniciativa está “alinhada com a estratégia de gestão de investimentos da Sierra, que pretende estabelecer parcerias com investidores reconhecidos no mercado, para promover oportunidades de investimento atrativas”. Refira-se que esta joint venture tem como objetivo um valor bruto de ativos (GAV) de 200 milhões de euros.

A parceria terá em conta “hotéis de dimensão considerável em destinos turísticos consolidados”, de acordo com ambas as empresas. A primeira aquisição, com inauguração prevista para a segunda metade deste ano, é constituída por um “hotel de categoria superior em pleno centro do Porto”, não se conhecendo ainda de que hotel se trata ou quais os futuros hotéis em vista por esta joint venture.

Contudo, em resposta ao Publituris, a joint venture deu conta de que “terá em vista a aposta na região de Lisboa e no Algarve”, com quatro projetos em pipeline*.

“O mercado hoteleiro e de lazer é, desde há muito tempo, um setor fundamental para a economia ibérica. Portugal é um dos principais mercados hoteleiros do sul da Europa, atraindo uma procura internacional crescente e com potencial significativo decorrente de melhorias na qualidade da oferta para satisfazer as exigências da procura internacional. Na atual conjuntura, os investidores procuram investimentos que acrescentem valor, que ofereçam proteção face à inflação e que gerem fluxos de caixa para obterem retornos atrativos. A nossa estratégia tem como objetivo consolidar os operadores locais e melhorar a qualidade da oferta para os hóspedes. A nossa parceria com a Sonae Sierra e a IHSP e a aquisição do primeiro hotel no Porto confirmam as nossas perspetivas positivas para a região e a estratégia implementada”, refere Nabil Mabed, Head of France, Spain and Portugal na PGIM Real Estate, em nota de imprensa.

Já Luis Mota Duarte, Chief Financial Officer and Executive Director, Investment Management na Sierra, refere que  estão “muito satisfeitos por nos associarmos à PGIM Real Estate e à equipa de Gonçalo Batalha, com quem vemos uma oportunidade para executar uma estratégia evidente de criação de valor no segmento europeu da hotelaria, reunindo as nossas distintas capacidades de investimento e de gestão de ativos. Este é o nosso primeiro veículo dedicado à hotelaria, o que comprova a nossa ambição de cobrir o espetro completo de classes de ativos e setores com competências específicas, incluindo a nossa recente aquisição no Porto”.

Numa nota final, Gonçalo Batalha, da IHSP, considera que “no atual contexto de mercado, marcado por taxas de juro mais elevadas e por requisitos de investimento consideráveis para restabelecer padrões de qualidade mais elevados na hotelaria, vemos nesta nova plataforma a oportunidade de obter retornos superiores ajustados pelo risco”.

Gonçalo Batalha “acredita” ainda “numa tendência positiva a longo prazo para o setor do turismo, uma vez que a percentagem de rendimentos alocada a experiências continua a crescer, fortemente suportada por um conjunto de fatores estruturais atrativos”.

*Informação atualizada a 10 de abril às 10h40, após a joint venture adiantar o número de projetos em pipeline e respetivas localizações.

Sobre o autorPublituris

Publituris

Mais artigos
Artigos relacionados
Turismo, mobilidade e infraestruturas dos Açores com 321,1 M€ no Plano e Orçamento para 2024
Destinos
Air France revela primeiras novidades para o inverno 2024-2025 com novo destino no Brasil em destaque
Aviação
Grupo Saudia encomenda mais 105 aviões à Airbus
Aviação
Delta Air Lines celebra 5.º aniversário da rota Lisboa-Boston com 14 voos por semana entre Portugal e EUA
Aviação
Eurowings conta com “programa especial” para o Euro 2024
Transportes
TAP distingue os melhores parceiros de 2023
Transportes
Nova Edição: Os nomeados dos Publituris “Portugal Travel Awards 2024”. Conheça-os na edição 1512
Prémios
Edição Digital: Os nomeados dos Publituris Portugal Travel Awards 2024. Conheça-os na edição 1512
Edição Digital
Marca NH Collection celebra os 10 anos em cinco hotéis na Europa incluindo Lisboa
Hotelaria
Operadores turísticos promovem campanha para assinalar o Dia Nacional do Agente de Viagens
Distribuição
PUB
Destinos

Turismo, mobilidade e infraestruturas dos Açores com 321,1 M€ no Plano e Orçamento para 2024

Os setores do Governo Regional dos Açores tutelados por Berta Cabral, ou seja, o Turismo, Mobilidade e Infraestruturas, contam com um total de 321,1 milhões de euros do Plano e Orçamento (PO) para 2024.

Intervindo no Parlamento açoriano, na discussão das propostas de Orientações de Médio Prazo 2024-2028 e do Plano e Orçamento para 2024, a secretária Regional do Turismo, Mobilidade e Infraestruturas, Berta Cabral sublinhou que esta verba está “fundamentada nas necessidades prementes” das ilhas, da economia dos Açores “e, acima de tudo, das pessoas, sem ignorar desafios que urge resolver e oportunidades que não podem ser desperdiçadas”.

No Turismo, com uma dotação de 19,1 milhões de euros, a governante disse, citada em nota publicada na página oficial do Governo Regional, não abdicar do objetivo fundamental de ter turismo todo o ano em todas as ilhas e refere que, sendo o setor mais transversal da economia e aquele que mais alavanca todos os outros setores produtivos, há a responsabilidade coletiva de “contribuir de forma positiva e construtiva para o seu desenvolvimento sustentável fundado na qualidade, na excelência e na produção de bem-estar para os residentes”.

Reafirmando que 2024 será um ano bastante positivo para este setor na Região, Berta Cabral assegurou que vai “dar continuidade à política de qualificação dos recursos e do produto turístico, investindo na sustentabilidade do destino, na digitalização do setor, na promoção externa e no desenvolvimento da conetividade internacional, de acordo com o Plano Estratégico e de Marketing do Turismo dos Açores 2030”.

Para a Mobilidade, a secretária Regional considerou que o investimento superior a 134 milhões de euros visa assegurar intervenções em infraestruturas portuárias de todas as ilhas, incluindo obras nos portos de Vila do Porto, Ponta Delgada e Praia da Vitória, assim como nos aeródromos à responsabilidade da Região, nomeadamente a aerogare da Graciosa e o processo para ampliação da pista do aeroporto do Pico.

Berta Cabral deu conta ainda que a “Tarifa Açores” é para manter, sendo complementada com o “Passe Açores 9 Ilhas”, com o objetivo de estimular, de forma cada vez mais assertiva, a construção de um mercado interno, a mitigação dos efeitos da sazonalidade turística, a criação de condições de excelência para que os jovens conheçam, promovam e contribuam ativamente para o espírito de açorianidade e para o desenvolvimento de todas as ilhas.

“A proposta de investimento que estruturámos dá sequência a diversas medidas e obras estruturantes, que terão um impacto direto em importantes objetivos económicos na Região, incluindo o desenvolvimento sustentável do turismo, a mobilidade dos açorianos, a descarbonização da economia e a preparação de infraestruturas fundamentais”, concluiu.

Sobre o autorPublituris

Publituris

Mais artigos
Aviação

Air France revela primeiras novidades para o inverno 2024-2025 com novo destino no Brasil em destaque

No inverno 2024-2025, a Air France vai abrir três novas rotas para o Brasil, Suécia e Maldivas, que vão estar acessíveis aos passageiros portugueses através dos voos da Air France desde Lisboa e Porto, via Paris-CDG.

A Air France já começou a revelar algumas das novidades que vão constar do seu calendário de inverno 2024-2025, com destaque para a abertura de três novas rotas para o Brasil, Suécia e Maldivas, que vão estar acessíveis aos passageiros portugueses através dos voos da Air France desde Lisboa e Porto, via Paris-CDG.

“A Air France continua a expandir a sua rede, oferecendo 5 rotas adicionais – incluindo 3 novas – a partir de Paris no inverno de 2024-25 (novembro de 2024 a março de 2025)”, destaca a companhia aérea num comunicado enviado à imprensa esta sexta-feira, 24 de maio.

Um dos principais destaques da Air France para o próximo inverno vai ser Salvador da Bahia, no Brasil, que passa a contar com três voos por semana a partir de 28 de outubro, às segundas, quintas e sábados, em aparelhos Airbus A350-900 com 324 lugares.

“A antiga capital brasileira, inscrita no Património Mundial da UNESCO, será o 5º destino da Air France no Brasil, depois do Rio de Janeiro, São Paulo, Fortaleza e Belém (este último, servido a partir de Caiena, na Guiana). No inverno de 2024, a Air France vai operar até 30 voos semanais de/para o Brasil”, refere a Air France na informação divulgada, onde se explica ainda que, graças a uma parceria comercial com a brasileira GOL, os clientes podem conectar-se facilmente a 40 destinos domésticos no Brasil.

Além da capital baiana, a Air France vai também começar a voar, este inverno, para Malé, nas Maldivas, disponibilizando até dois voos por semana, às sextas-feiras e domingos, durante o período festivo do fim de ano, ou seja, entre 20 de dezembro de 2024 e 5 de janeiro de 2025, que vão ser operados num avião Airbus A350-900 com 292 assentos.

As novidades da Air France para o inverno 2024-2025 ficam ainda completas com uma nova rota para Kiruna, na Suécia, que, a partir de 21 de dezembro de 2024, vai contar com  um voo por semana, aos sábados, num avião A319.

“Depois de Rovaniemi, Kittilä (Finlândia), Tromsø (Noruega) e Narvik Loften (Noruega, destino servido apenas no verão), Kiruna será o 5º destino da Air France na Lapónia. Localizada 200 quilómetros a norte do Círculo Polar Ártico, Kiruna é um ponto de partida ideal para desfrutar da natureza intocada da região e tentar observar as auroras boreais”, explica a Air France.

Além destas novidades, a Air France também vai continuar a reforçar a sua oferta para os Estados Unidos, alargando o serviço para Denver (Colorado, EUA) e Phoenix (Arizona, EUA) no inverno, com três voos semanais para cada cidade, a partir de Paris-CDG.

“Oferecida apenas no verão até agora, a ligação para Denver, e também a rota para Phoenix, nova no verão de 2024, será inaugurada a 23 de maio”, destaca ainda a companhia aérea.

 

Sobre o autorPublituris

Publituris

Mais artigos
Aviação

Grupo Saudia encomenda mais 105 aviões à Airbus

Mais 105 aviões da família A320neo. Esta nova encomenda do Grupo Saudia eleva para 144 as aeronaves encomendadas ao fabricante europeu em detrimento da Boeing.

O Grupo Saudia, representado pela Saudia, transportadora nacional de bandeira do Reino da Arábia Saudita, e pela flyadeal, transportadora lowcost do grupo, assinou uma encomenda de mais 105 aviões da família A320neo. A encomenda inclui 12 aeronaves A320neo e 93 A321neo.

Este novo acordo aumenta a carteira de encomendas de aeronaves Airbus do Grupo Saudia para 144 aeronaves da família A320neo.

A Arábia Saudita está a criar oportunidades sem precedentes para a aviação mundial através da Estratégia Nacional de Turismo da Arábia Saudita, que tem como objetivo mais de 150 milhões de turistas até 2030. Esta encomenda à Airbus desempenhará um papel significativo no reforço da ambição do Reino de se tornar um dos principais destinos turísticos mundiais.

Com um valor de 19 mil milhões de dólares (cerca de 17,5 mil milhões de euros), de acordo com o Fórum da Aviação do Futuro, em Riade, onde Ibrahim Al-Omar, diretor-geral do Grupo Saudia, tornou pública a notícia, ainda não é claro se o negócio é, nas suas palavras, “o maior negócio da história da aviação saudita”, devido ao número de aviões envolvidos ou ao montante despendido.

Segundo os analistas, os recentes problemas de fabrico e de reputação da Boeing podem ter contribuído para a escolha do fornecedor, mas o Grupo Saudita já opera uma frota maioritariamente Airbus, com apenas 51 dos seus 144 aviões fornecidos pela Boeing. 39 outros Airbus já estão encomendados e serão complementados pela última aquisição de 12 aviões A320neo e 93 A321neo, elevando a carteira total de encomendas para 144.

Sobre o autorPublituris

Publituris

Mais artigos
Aviação

Delta Air Lines celebra 5.º aniversário da rota Lisboa-Boston com 14 voos por semana entre Portugal e EUA

A rota da Delta Air Lines entre Lisboa e Boston conta com voos diários entre março e dezembro, aos quais se juntam voos diários entre a capital portuguesa e Nova Iorque -JFK.

A Delta Air Lines está a celebrar o 5.º aniversário da rota Lisboa-Boston, operação que conta com um voo diário entre março e dezembro e que é complementada pelas ligações que a companhia aérea também opera entre Lisboa e Nova Iorque-JFK, totalizando 14 voos por semana entre Portugal e os EUA.

Num comunicado enviado à imprensa, a Delta Air Lines lembra que a rota Lisboa-Boston começou a ser operada em 2019 e, desde então, foram já transportados mais de 235.000 passageiros nestes voos.

“Com dois voos diários de Lisboa para os Estados Unidos e cerca de 860 lugares disponíveis todos os dias, a companhia oferece ligações convenientes de uma escala para destinos nos EUA e mais além, através dos seus principais hubs em Boston e Nova Iorque-JFK”, acrescenta a Delta Air Lines.

Este verão, os voos da Delta Air Lines são operados em aviões Boeing 767-300ER, aparelhos que representam um aumento de capacidade de 40 lugares face aos Boeing 757-200ER que a companhia aérea utilizava anteriormente.

“Boston é um dos nossos hubs internacionais de crescimento mais rápido e um destino popular para os clientes portugueses”, afirma Paul Hassenstab, diretor de Vendas EMEAI da Delta Air Lines, considerando que a celebração do quinto aniversário é “um grande marco” para esta rota, que “continua a ter um desempenho robusto”.

Satisfeito mostra-se também Carlos Abade, presidente do Turismo de Portugal, que defende que o quinto aniversário desta rota atesta o “compromisso de ligar Portugal aos Estados Unidos”, numa parceria que “tem fortalecido os laços entre os dois países e, também, contribuído para a dinamização da economia portuguesa porque facilita o acesso a Portugal e a toda a sua oferta turística”.

Os voos da Delta Air Lines partem de Lisboa diariamente às 12h45 e chegam a Boston às 15h30, enquanto em sentido contrário a partida da cidade norte-americana decorre às 23h15 para chegar a Lisboa às 10h45 do dia seguinte.

Já a rota de Nova Iorque-JFK, que também conta com voos diários e ao longo de todo o ano, parte de Lisboa às 10h00 e chega à cidade dos EUA pelas 13h00, enquanto em sentido contrário a partida de Nova Iorque acontece às 19h55, chegando a Lisboa às 08h00 do dia seguinte.

Os clientes que voam a partir de Lisboa podem escolher entre 55 destinos via Boston e 75 via Nova Iorque-JFK. As principais ligações para os viajantes portugueses incluem Los Angeles, São Francisco e Orlando, nos Estados Unidos, e San Juan, Porto Rico; Cancun, México; São Paulo, Brasil; e Nassau, Bahamas.

Sobre o autorPublituris

Publituris

Mais artigos
Transportes

Eurowings conta com “programa especial” para o Euro 2024

“Temos as melhores reservas para os meses de junho e julho”. É assim que o CEO da Eurowings, pertencente ao grupo Lufthansa, olha para os meses do Euro 2024 que decorre em terras alemãs.

A Eurowings está otimista em relação ao próximo Campeonato Europeu de Futebol e espera um aumento das reservas em consequência disso. A filial da Lufthansa está a planear mais de 70 voos adicionais só para este evento e está a aumentar a sua capacidade com mais de 13.000 lugares adicionais, no que diz ser um “programa especial”.

“Temos as melhores reservas para os meses de junho e julho”, afirmou Jens Bischof, CEO da Eurowings, a propósito do período que abrange a realização do Euro 24.

O Euro 2024 terá lugar de 14 de junho a 14 de julho, admitindo o responsável da companhia, contudo, que, provavelmente, não irá criar frequências adicionais no tráfego aéreo doméstico.

“A verdadeira época de verão para a Eurowings começará com o início das férias escolares. Estamos perante um verão muito, muito bem sucedido”, afirmou Bischof, indicando que estão planeados mais de 600 voos por dia.

No total, a companhia aérea tem cerca de 120 aviões em funcionamento este verão e oferece mais 13% de lugares do que há um ano. A introdução da nova frota Airbus A320neo também foi concluída, para já, com 13 novos aviões.

Nos próximos dois anos, deverão ser entregues mais dois aparelhos. No entanto, a companhia aérea está, atualmente, em conversações com a Lufthansa sobre a expansão da frota.

Sobre o autorPublituris

Publituris

Mais artigos
Transportes

TAP distingue os melhores parceiros de 2023

No evento anual, a TAP Air Portugal premiou os melhores parceiros de vendas de 2023 que promoveram a companhia dentro e fora do país.

Victor Jorge

A TAP Air Portugal homenageou esta quinta-feira, 23 de maio, os agentes de viagens que mais se destacaram na venda de bilhetes para voos da companhia, nos principais mercados onde atua, com a tradicional cerimónia de entrega dos TAP Awards.

O evento, presidido pelo chairman e CEO da TAP, Luís Rodrigues, contou com representantes do setor de viagens e turismo de Portugal, Brasil, Estados Unidos da América, África e dos principais mercados da Europa.

Os prémios TAP Awards foram entregues aos agentes de viagens que mais se distinguiram no último ano pelo volume de vendas realizado para voos da TAP, reforçando, assim, a companhia o reconhecimento da importância dos seus parceiros privilegiados de negócio para o desenvolvimento da atividade e dinamização da indústria de viagens e turismo e o contributo que dão para a consolidação das vendas e sustentabilidade da transportadora.

Os vencedores dos TAP Awards nas diferentes categorias foram:

LEISURE
Top Seller Global OTA – Etraveli
Top Seller Groups – Pinto Lopes
Top Seller Global Cruises – MSC Cruises

CORPORATE
Top Seller Global TMC – GBT AMEX
Top Seller Business Class Global TMC – BCD

EUROPA
Top Seller Itália – Gattinoni
Top Seller Business class Itália – Welcome Travel Group

Top Seller Reino Unido – Latitude Forty Travel
Top Seller Business Class – Travel Counsellors

Top Seller França – Selectour
Top Seller Business Class – Manor

Top Seller Alemanha – Aerticket
Top Seller Business Classe – Der Business Travel

Top Seller Espanha – AvorisSpain
Top Seller Business Class Espanha – El Corte Inglés

BRASIL
Top Seller Brasil – CVC Corp
Top Seller Business Class Brasil – BEFLY
Top TAP Partner Sales – Pontestur

AMÉRICA do NORTE
Top Growth América do Norte – Voyages à la Carte
Top Seller América do Norte – Expedia
Top Cruise Line América do Norte – Norwegian Cruise Line

ÁFRICA
Top Seller África – Realvitur
Top Seller Bussines Class África – Atlântida WTA Viagens
Top Growth All Cabins África – Travelstore

PORTUGAL
Top Seller Portugal – Wamos
Top Seller Business Class Portugal – Go4Travel
Top Seller South Atlantic Portugal – Abreu
Top Seller Tour Operator Portugal – Solférias

Sobre o autorVictor Jorge

Victor Jorge

Mais artigos
Prémios

Nova Edição: Os nomeados dos Publituris “Portugal Travel Awards 2024”. Conheça-os na edição 1512

A próxima edição do Publituris faz capa com os nomeados dos Publituris “Portugal Travel Awards” 2024. Nesta 19.ª edição, há 177 nomeados em 22 categorias. Além disso, falamos das restrições no turismo, do ATM 2024, WTTC e de seguros de viagens.

Publituris

A última edição de maio do jornal Publituris destaca os nomeados dos Publituris “Portugal Travel Awards” 2024. Nesta 19.ª edição, há 177 nomeados nas 22 categorias que estarão a votação a partir de segunda-feira, 27 de maio, no site dos prémios criado para o efeito e que estará online no dia do arranque da votação.

As categorias são: Melhor Companhia de Aviação, Melhor Companhia de Aviação Lowcost, Melhor Rent-a-Car, Melhor Operador Turístico, Melhor Rede de Agências de Viagens, Melhor Companhia de Cruzeiros, Melhor Cadeia Hoteleira, Melhor Hotel Cinco Estrelas, Melhor Hotel Quatro Estrelas, Melhor Hotel Resort, Melhor Boutique Hotel, Melhor Hotel de Cidade, Melhor Hotel MICE, Melhor Hotel de Praia, Melhor Turismo Rural, Melhor Enoturismo, Melhor Campo de Golfe, Melhor Parque Temático e Diversões, Melhor Empresa de Animação Turística, Melhor Marina, Melhor Destino Internacional, Melhor Região de Turismo Nacional.

Haverá ainda a lugar ao Prémio “Belmiro Santos”, atribuído diretamente pela redação do jornal Publituris.

Os vencedores serão conhecidos no dia 4 de julho, no Pestana Douro Riverside, no Porto, a partir das 19h00.

Os vencedores resultarão de uma média ponderada entre os votos do júri (45%), dos assinantes do jornal Publituris (45%) e subscritores da newsletter diária (10%).

Relativamente aos subscritores da newsletter diária, só serão contabilizados os votos dos registos efetuados até 24 de maio, ficando o registo suspenso até ao final da votação, ou seja, até dia 27 de junho de 2024.

O júri é composto por: Ana Jacinto (Secretária-geral da AHRESP); André Gomes (Presidente da Região de Turismo do Algarve); António Marques Vidal (Presidente da APECATE); Carla Salsinha (Presidente da ERT de Lisboa); Carlos Brandão (Presidente da ESHTE); Cristina Siza Vieira (Vice-presidente Executiva da AHP); Dália Palma (Gestora Coordenadora da BTL); Eduardo Jesus (Secretário Regional do Turismo da Madeira); Eduardo Miranda (Presidente da ALEP); Fernando Garrido (Presidente da ADHP); Francisco Pita (CCO da ANA – Aeroportos de Portugal); Francisco Serzedello (CEO da GR8 events); Jaime Quesado             (Economista e gestor); Joaquim Robalo de Almeida (Secretário-geral da ARAC); Jorge Costa (Presidente do IPDT); José Santos (Presidente da Turismo do Alentejo e Ribatejo); Lídia Monteiro (Vogal do Conselho Diretivo do Turismo de Portugal); Luís Pedro Martins (Presidente do Turismo do Porto e Norte de Portugal); Miguel Quintas (Presidente da ANAV); Nuno Abranja (Diretor do Departamento de Turismo do ISCE); Pedro Costa Ferreira (Presidente da APAVT); Raul Almeida (Presidente da Turismo do Centro de Portugal); Rodrigo Pinto Barros (Presidente da APHORT); Sérgio Guerreiro (Professor Convidado da NOVA SBE); Sofia Almeida (Coordenadora Vertical da Área Turismo & Hospitalidade da Universidade Europeia).

Também nesta edição, destacamos as medidas restritivas que estão a ser impostas para conter os fluxos de turistas, principalmente nas cidades europeias, que colocam constrangimentos aos operadores turísticos cujo core business são os circuitos culturais e viagens de grupo. Como é que estão a lidar com estas questões, nomeadamente das taxas turísticas, da burocracia, limitação do número de pessoas por guia, aumento constante, e quase sem aviso, do preço das entradas de grupos de turistas em monumentos e atrações turísticas, e a distância em que os autocarros, cada vez mais, são obrigados a ficar dos centros históricos de algumas cidades, foi o que o Publituris pretendeu conhecer, em conversa com diversos profissionais ligados à operação turística.

A viagem ao Arabian Travel Market (ATM) 2024, a convite do Turismo do Dubai, veio confirmar algo que já se suspeitava há muito. A região do Conselho de Cooperação do Golfo (CCG) não quer ficar somente por um destino turístico. Sejam os EAU, mas principalmente, o Dubai, pretendem tornar-se num hub global, no qual o turismo terá um papel fulcral.

Também no Dubai, tivemos uma conversa (curta) com Julia Simpson, presidente e CEO do World Travel & Tourism Council (WTTC), na qual se mostrou surpreendida (pela positiva) com os resultados obtidos pelo turismo em Portugal. Julia Simpson também mostrou uma certa curiosidade [a conversa foi tida antes de se conhecer a decisão sobre o novo aeroporto para a região de Lisboa] sobre como Portugal conseguirá manter esta performance. “Sem novo aeroporto, como irão crescer?” perguntou a CEO e presidente do WTTC, além de querer saber novidade sobre o processo de privatização da TAP.

O dossier desta edição é dedicado aos seguros de viagem. Depois de ultrapassado o período da pandemia, considerado por todos como o que criou uma das maiores crises económicas, especialmente nas viagens, a adaptação da oferta dos seguros foi não só necessária como obrigatória. Mas se antes os seguros de viagem eram vistos como uma precaução adicional, hoje são considerados indispensáveis para quem viaja.

Além do “Check-in”, as opiniões desta edição pertencem a Francisco Jaime Quesado (economista e gestor), Sílvia Dias (Savoy Signature), Carlos Torres (jurista), e Pedro Castro (SkyExpert).

A versão completa desta edição é exclusiva para subscritores do Publituris. Pode comprar apenas esta edição ou efetuar uma assinatura do Publituris aqui obtendo o acesso imediato.

Para mais informações contacte: Carmo David | [email protected] | 215 825 430

Nota: Se já é subscritor do Publituris entre no site com o seu Login de assinante, dirija-se à secção Premium – Edição Digital e escolha a edição que deseja ler, abra o epaper com os dados de acesso indicados no final do resumo de cada edição.

Boas leituras.

Sobre o autorPublituris

Publituris

Mais artigos
Edição Digital

Edição Digital: Os nomeados dos Publituris Portugal Travel Awards 2024. Conheça-os na edição 1512

A próxima edição do Publituris faz capa com os nomeados dos Publituris “Portugal Travel Awards” 2024. Nesta 19.ª edição, há 177 nomeados em 22 categorias. Além disso, falamos das restrições no turismo, do ATM 2024, e de seguros de viagens.

Publituris

A última edição de maio do jornal Publituris destaca os nomeados dos Publituris “Portugal Travel Awards” 2024. Nesta 19.ª edição, há 177 nomeados nas 22 categorias que estarão a votação a partir de segunda-feira, 27 de maio, no site dos prémios criado para o efeito e que estará online no dia do arranque da votação.

As categorias são: Melhor Companhia de Aviação, Melhor Companhia de Aviação Lowcost, Melhor Rent-a-Car, Melhor Operador Turístico, Melhor Rede de Agências de Viagens, Melhor Companhia de Cruzeiros, Melhor Cadeia Hoteleira, Melhor Hotel Cinco Estrelas, Melhor Hotel Quatro Estrelas, Melhor Hotel Resort, Melhor Boutique Hotel, Melhor Hotel de Cidade, Melhor Hotel MICE, Melhor Hotel de Praia, Melhor Turismo Rural, Melhor Enoturismo, Melhor Campo de Golfe, Melhor Parque Temático e Diversões, Melhor Empresa de Animação Turística, Melhor Marina, Melhor Destino Internacional, Melhor Região de Turismo Nacional.

Haverá ainda a lugar ao Prémio “Belmiro Santos”, atribuído diretamente pela redação do jornal Publituris.

Os vencedores resultarão de uma média ponderada entre os votos do júri (45%), dos assinantes do jornal Publituris (45%) e subscritores da newsletter diária (10%).

Relativamente aos subscritores da newsletter diária, só serão contabilizados os votos dos registos efetuados até 24 de maio, ficando o registo suspenso até ao final da votação, ou seja, até dia 27 de junho de 2024.

O júri é composto por: Ana Jacinto (Secretária-geral da AHRESP); André Gomes (Presidente da Região de Turismo do Algarve); António Marques Vidal (Presidente da APECATE); Carla Salsinha (Presidente da ERT de Lisboa); Carlos Brandão (Presidente da ESHTE); Cristina Siza Vieira (Vice-presidente Executiva da AHP); Dália Palma (Gestora Coordenadora da BTL); Eduardo Jesus (Secretário Regional do Turismo da Madeira); Eduardo Miranda (Presidente da ALEP); Fernando Garrido (Presidente da ADHP); Francisco Pita (CCO da ANA – Aeroportos de Portugal); Francisco Serzedello (CEO da GR8 events); Jaime Quesado             (Economista e gestor); Joaquim Robalo de Almeida (Secretário-geral da ARAC); Jorge Costa (Presidente do IPDT); José Santos (Presidente da Turismo do Alentejo e Ribatejo); Lídia Monteiro (Vogal do Conselho Diretivo do Turismo de Portugal); Luís Pedro Martins (Presidente do Turismo do Porto e Norte de Portugal); Miguel Quintas (Presidente da ANAV); Nuno Abranja (Diretor do Departamento de Turismo do ISCE); Pedro Costa Ferreira (Presidente da APAVT); Raul Almeida (Presidente da Turismo do Centro de Portugal); Rodrigo Pinto Barros (Presidente da APHORT); Sérgio Guerreiro (Professor Convidado da NOVA SBE); Sofia Almeida (Coordenadora Vertical da Área Turismo & Hospitalidade da Universidade Europeia).

Também nesta edição, destacamos as medidas restritivas que estão a ser impostas para conter os fluxos de turistas, principalmente nas cidades europeias, que colocam constrangimentos aos operadores turísticos cujo core business são os circuitos culturais e viagens de grupo. Como é que estão a lidar com estas questões, nomeadamente das taxas turísticas, da burocracia, limitação do número de pessoas por guia, aumento constante, e quase sem aviso, do preço das entradas de grupos de turistas em monumentos e atrações turísticas, e a distância em que os autocarros, cada vez mais, são obrigados a ficar dos centros históricos de algumas cidades, foi o que o Publituris pretendeu conhecer, em conversa com diversos profissionais ligados à operação turística.

A viagem ao Arabian Travel Market (ATM) 2024, a convite do Turismo do Dubai, veio confirmar algo que já se suspeitava há muito. A região do Conselho de Cooperação do Golfo (CCG) não quer ficar somente por um destino turístico. Sejam os EAU, mas principalmente, o Dubai, pretendem tornar-se num hub global, no qual o turismo terá um papel fulcral.

Também no Dubai, tivemos uma conversa (curta) com Julia Simpson, presidente e CEO do World Travel & Tourism Council (WTTC), na qual se mostrou surpreendida (pela positiva) com os resultados obtidos pelo turismo em Portugal. Julia Simpson também mostrou uma certa curiosidade [a conversa foi tida antes de se conhecer a decisão sobre o novo aeroporto para a região de Lisboa] sobre como Portugal conseguirá manter esta performance. “Sem novo aeroporto, como irão crescer?” perguntou a CEO e presidente do WTTC, além de querer saber novidade sobre o processo de privatização da TAP.

O dossier desta edição é dedicado aos seguros de viagem. Depois de ultrapassado o período da pandemia, considerado por todos como o que criou uma das maiores crises económicas, especialmente nas viagens, a adaptação da oferta dos seguros foi não só necessária como obrigatória. Mas se antes os seguros de viagem eram vistos como uma precaução adicional, hoje são considerados indispensáveis para quem viaja.

Além do “Check-in”, as opiniões desta edição pertencem a Francisco Jaime Quesado (economista e gestor), Sílvia Dias (Savoy Signature), Carlos Torres (jurista), e Pedro Castro (SkyExpert).

Leia aqui a edição.

Sobre o autorPublituris

Publituris

Mais artigos
Hotelaria

Marca NH Collection celebra os 10 anos em cinco hotéis na Europa incluindo Lisboa

A marca NH Collection, do grupo Minor, assinalou os 10 anos de existência em cinco hotéis na Europa, incluindo Lisboa. O encontro com fornecedores, clientes e parceiros, que decorreu esta quarta-feira, teve lugar no primeiro hotel da marca em Portugal, o NH Collection Lisboa Liberdade, e serviu também de pretexto para inaugurar a temporada de verão do Ático rooftop localizado naquela unidade hoteleira.

O Publituris aproveitou a ocasião para um “dedo de conversa” com Pedro Frazão, Cluster General Manager não só do NH Collection Lisboa Liberdade, como do AVANI Avenida Liberdade Lisboa Hotel.

“Estamos a comemorar este aniversário em cinco hotéis da marca NH Collection na Europa. De facto, a marca NH já existia, mas há 10 anos houve uma separação do produto entre o Collection num posicionamento mais alto e o NH num posicionamento mais corp, e o NH Collection Lisboa Liberdade foi escolhido por ser um ‘flagship’ em Portugal”, referiu Pedro Frazão, para avançar que “para nós é um orgulho termos sido escolhidos pela própria casa-mãe para assinalar o aniversário da marca”, com o trade, parceiros comerciais, DMC, amigos e clientes do hotel.

O cocktail serviu também de pretexto para inaugurar a temporada de verão 2024 do Ático rooftop localizado naquela unidade hoteleira, “espaço que até há dois anos a estratégia era de ser utilizado somente para clientes do hotel. Quando a nossa equipa veio para cá, a estratégia foi mudar, foi promover o espaço para fora, e começámos a trabalhar com alguns parceiros, nomeadamente uma empresa de comunicação que trabalha com o grupo Tivoli em Portugal ao nível das redes sociais e divulgação, com o grupo Olivier, e a nível artístico com uma empresa que se chama Arenas, que nos traz também não só a parte musical de DJ, como eventos musicais pequenos que também são realizados aqui”, explicou o diretor hoteleiro.

Pedro Frazão destacou ainda que “posicionámos a marca Ático, há dois anos mudámos o logo, as cores passaram a ser diferentes das do NH, por forma a distinguir o espaço e a vendê-lo não como um bar ou um rooftop do NH Collection, mas sim um espaço em si, como temos o Sky Bar no Tivoli de Lisboa, o nosso hotel irmão”, sublinhando que “tem sido um sucesso porque, de ano para ano, temos crescido a nível de receitas e do cliente externo, nomeadamente de outros hotéis próximos”.

O Cluster General Manager classifica o Ático como “um espaço muito interessante, muito cosy, que também é versátil porque, quando temos grupos exclusivos, e temos tido, podemos conjugar com a zona da piscina com a sala de baixo que tem um terraço, o que nos alargar o número de pessoas”.

O ‘flagship’ da marca em Portugal

O NH Collection Lisboa Liberdade, que abriu portas em 2003, é a primeira unidade hoteleira da marca em Portugal, posicionando-se, atualmente no segmento de luxo. Em termos de resultados, este boutique hotel, conforme avança o seu diretor geral, já representa bastante para a marca e para a empresa. “Não estamos no posicionamento do Tivoli, que é um Leading, mas digamos que na região de Lisboa, e no universo dos nossos hotéis, este é o segundo a nível de luxo, de preço, e de produto”, disse.

Em termos de clientes, “apesar de continuar a ser muito forte a nível do mercado espanhol, origem da cadeia hoteleira NH, com a integração do grupo Tivoli conseguimos crescer muito no Brasil e em outros mercados da América Latina como a Argentina, Chile, mas também temos muito mercado americano”. O mercado português também consta, mas não está na lista dos maiores.

Localizado na mais luxuosa artéria de Lisboa, junto das melhores lojas, das marcas de luxo e dos restaurantes mais trendy da cidade, no NH Collection Lisboa Liberdade oferece aos seus clientes, para além do Ático, restaurantes e bares, 83 quartos incluindo 25 suites “o que nos permite posicionarmos, também ao nível dos quartos, num patamar bastante interessante”, considerou, acentuando que “estamos no melhor sítio da Avenida de Liberdade o que nos permite também ter a procura que temos e o  posicionamento que temos, mas também nos dá muito trabalho, porque temos que ter a oferta ao mesmo nível e, cada vez mais estamos a fazer esse trabalho”.

Pedro Frazão revelou ainda ao Publituris que as taxas de ocupação são “altíssimas”, e que o hotel

fecha o ano com cerca de 85% de ocupação, uma vez que em Lisboa “já não se pode falar em sazonalidade”. Por outro lado, evidenciou que “o preço tem aumentado consideravelmente de ano para ano, e estamos a falar, desde a saída da pandemia, numa média de crescimento entre 10 e 15% de preço”.

O NH Collection Lisboa Liberdade é, essencialmente, um hotel de lazer, embora a marca possua algumas unidades destinadas ao corporate em alguns destinos, pois dispõe apenas de duas salas de reuniões pequenas.

Apesar dos anos de existência, a unidade hoteleira tem-se atualizado ao nível da oferta. “A partir de novembro deste ano vamos remodelar todas as casas de banho e as portas e sistemas de portas vão ser mudados, e lá para 2026/2027, vamos começar a negociar com a proprietária do edifício, porque a marca apenas tem a gestão, a concessão, que termina em 2028, por mais 10/15 anos e, a partir daí, é que se vão fazer as obras de remodelação total”, assegurou o diretor geral, que indicou ainda que cada casa de banho vai-nos custar 11 mil euros e sendo 83 nos quartos e duas nas áreas públicas.

Pedro Frazão, que se dirigiu aos convidados na companhia de Francisco Braga, Director of Sales – Portugal Urban da Minor Hotels, concluiu, em declarações ao Publituris, que dirige “um hotel desafiante, com boa pontuação dos clientes e trabalhamos muito o detalhe, ou seja, começámos a implementar uma série de detalhes nos quartos, não só a nível decorativo, mas também de serviços”.

Sobre o autorCarolina Morgado

Carolina Morgado

Mais artigos
Distribuição

Operadores turísticos promovem campanha para assinalar o Dia Nacional do Agente de Viagens

Os operadores turísticos associados da Associação Portuguesa das Agências de Viagens e Turismo (APAVT) vão promover uma campanha especial de descontos para assinalar o Dia Nacional do Agente de Viagens, que se celebra, pela primeira vez em Portugal, a dia 30 de maio.

Publituris

A “Campanha da Semana do Agente de Viagens”, que decorrerá de 30 de maio a 9 de junho, oferece aos consumidores, através das agências de viagens, uma variedade de promoções e descontos em pacotes turísticos. Esta iniciativa visa proporcionar ofertas vantajosas tanto para os consumidores finais quanto para as próprias agências de viagens.

Além desta campanha dos operadores, a APAVT está também empenhada em celebrar a profissão do agente de viagens com um conjunto de outras iniciativas. Um novo micro-site dedicado ao Dia Nacional do Agente de Viagens, que pode ser acedido aqui, foi lançado para destacar a importância e os benefícios de utilizar os serviços de uma agência de viagens.

Neste micro-site, os visitantes encontrarão informações sobre a profissão, incluindo uma breve resenha histórica, as vantagens de recorrer a uma agência, e explicações para desmistificar alguns dos mitos comuns sobre esta atividade.

As comemorações do Dia Nacional do Agente de Viagens iniciam-se, conforme já tinha sido anunciado, com uma festa no Rooftop do Hotel Mundial, em Lisboa, no dia 28 de maio, das 18h00 às 21h00, exclusiva para associados da APAVT, que conta com o apoio do Turismo da Madeira, do Turismo do Centro de Portugal, do Turismo do Alentejo e da SGS. De acordo com a Associação, o evento, que já conta com mais de 200 inscrições confirmadas, terá a presença do secretário de Estado do Turismo, Pedro Machado, além de inúmeros amigos e parceiros da APAVT.

Sobre o autorPublituris

Publituris

Mais artigos
PUB
PUB
PUB
PUB
PUB
PUB
PUB
PUB
PUB
PUB
PUB
PUB

Navegue

Sobre nós

Grupo Workmedia

Mantenha-se informado

©2021 PUBLITURIS. Todos os direitos reservados.