Edição digital
Assine já
PUB
Destinos

Cabo Verde: 4 milhões de euros vão requalificar a Cidade Velha

O governo cabo-verdiano vai investir cerca de 4 milhões de euros na requalificação de Cidade Velha de modo a transformá-la num ponto de passagem obrigatória de todos aqueles que queiram visitar e conhecer a cultura cabo-verdiana.

Publituris
Destinos

Cabo Verde: 4 milhões de euros vão requalificar a Cidade Velha

O governo cabo-verdiano vai investir cerca de 4 milhões de euros na requalificação de Cidade Velha de modo a transformá-la num ponto de passagem obrigatória de todos aqueles que queiram visitar e conhecer a cultura cabo-verdiana.

Publituris
Sobre o autor
Publituris
Artigos relacionados
Vilarinho dos Freires abre concurso para concessão de exploração turística de três imóveis
Destinos
FITUR Sports quer definir o futuro do turismo desportivo
Meeting Industry
Proveitos no alojamento turístico ultrapassam os 2MM€ até maio
Destinos
BestEvents organiza nova feira de viagens no Porto em 2025
Destinos
Aeroportos nacionais mantiveram tendência de crescimento em maio
Aviação
Turkish Airlines abre nova rota para Turim
Aviação
Turkish Airlines
LAM reprograma voos devido a revisão de avião Boeing 737-700
Aviação
A celebrar 18 anos Airmet acredita que “a nossa função ainda é insubstituível”
Distribuição
Turismo do Porto e Norte e CCDR Norte lançam novo produto “Rotas do Norte”
Destinos
A 19.ª edição dos Publituris Portugal Travel Awards em menos de 5 minutos
Eventos Publituris

O anúncio foi feito pelo ministro do Turismo e Transportes, Carlos Santos, durante a apresentação pública e socialização do “projeto de requalificação de Cidade Velha e arredores”, que explicou, segundo que no âmbito do Programa Operacional do Turismo, (POT)2022-2026, Cidade Velha e Tarrafal de Santiago foram identificados como polo de desenvolvimento turístico.

Citado pela Inforpress, o governante apontou que “no que diz respeito à Cidade Velha temos um envelope financeiro de cerca 4 milhões de euros, a volta de 400 mil contos, que pretendemos investir aqui na requalificação urbana e ambiental, requalificação do produto turístico cultural em parceria com a Câmara Municipal de Ribeira Grande de Santiago e o Banco Mundial como um dos principais financiadores”.

Segundo Carlos Santos, o objetivo é melhorar o sítio de Cidade Velha como Património Cultural histórico, mas também como um património turístico no sentido de apresentá-la como um produto turístico com maior atratividade e transformá-la num ponto de paragem obrigatória de todos aqueles que visitam Cabo Verde, indica a mesma fonte.

Por outro lado, referiu que o projeto pretende qualificar para melhor acolher os turistas nacionais e internacionais que queiram visitar a ilha de Santiago e colocar Cidade Velha no panorama internacional como destino cultural e gastronómico a serem visitados.

O projeto contempla obras de reabilitação da praça central da Cidade Velha das ruas centrais históricas adjacentes, bairro de São Sebastião, trilhos pedestres do Forte de São Filipe, bem como a requalificação urbana e da orla marítima, estruturação de uma aldeia turística, sinalização dos trilhos turísticos e capacitação das famílias e jovens locais para tirarem o proveito deste negócio que se quer montar na cidade património Mundial da Humanidade.

A construção de uma estrada alternativa para permitir maior mobilidade na zona central de Cidade Velha e um plano de salvaguarda que visa respeitar todas as normas ditadas pela UNESCO sobre o Património Mundial da Humanidade, estão também incluídos.

 

Sobre o autorPublituris

Publituris

Mais artigos
Artigos relacionados
Vilarinho dos Freires abre concurso para concessão de exploração turística de três imóveis
Destinos
FITUR Sports quer definir o futuro do turismo desportivo
Meeting Industry
Proveitos no alojamento turístico ultrapassam os 2MM€ até maio
Destinos
BestEvents organiza nova feira de viagens no Porto em 2025
Destinos
Aeroportos nacionais mantiveram tendência de crescimento em maio
Aviação
Turkish Airlines
Turkish Airlines abre nova rota para Turim
Aviação
LAM reprograma voos devido a revisão de avião Boeing 737-700
Aviação
A celebrar 18 anos Airmet acredita que “a nossa função ainda é insubstituível”
Distribuição
Turismo do Porto e Norte e CCDR Norte lançam novo produto “Rotas do Norte”
Destinos
A 19.ª edição dos Publituris Portugal Travel Awards em menos de 5 minutos
Eventos Publituris
PUB
Destinos

Vilarinho dos Freires abre concurso para concessão de exploração turística de três imóveis

A entrega de propostas já se encontra a decorrer e pode ser realizada até às 17h00 de 26 de setembro, sendo a concessão de exploração turística válida por 30 anos para os três imóveis disponíveis.

A Junta de Freguesia de Vilarinho dos Freires, no concelho de Peso da Régua, abriu um concurso para concessão de exploração turística de três imóveis, situados no lugar de Presegueda.

De acordo com um comunicado enviado à imprensa pela Junta de Freguesia de Vilarinho dos Freires, “estes imóveis possuem um elevado potencial de reconversão para estabelecimentos hoteleiros ou projetos de turismo em espaço rural, sendo uma oportunidade única para investidores que desejem apostar no crescente mercado do turismo na região do Douro”.

A entrega de propostas já se encontra a decorrer e pode ser realizada até às 17h00 de 26 de setembro, sendo a concessão de exploração turística válida por 30 anos para os três imóveis disponíveis.

“O conjunto dos imóveis, com localização contígua, dispõe de projetos de reabilitação aprovados, totalizando uma oferta de 29 quartos. Localizados em Área de Reabilitação Urbana (ARU), estes imóveis beneficiam de vantagens fiscais e financeiras aplicáveis às obras de reabilitação. Este projeto, cujo investimento previsional é de 2.500.000 €, pode ser alterado pelos concorrentes, desde que se mantenham os princípios e finalidades com que foram desenvolvidos, bem como o respeito pelo disposto no Plano Diretor Municipal (PDM) de Peso da Régua”, lê-se na informação divulgada.

Segundo Tiago Ferreira, diretor Executivo da Aliados Consulting, parceira da Junta de Freguesia de Vilarinho dos Freires, “esta é uma oportunidade imperdível para investidores que procuram entrar no mercado turístico numa das regiões mais emblemáticas de Portugal”.

“Os imóveis disponíveis apresentam características ideais para a criação de estabelecimentos diferenciadores, que poderão atrair visitantes de todo o mundo, impulsionando assim a economia local”, refere o responsável, considerando que a transformação dos edifícios num hotel boutique “constitui uma interessante oportunidade de negócio por se tratar de uma das regiões de turismo com maior procura”.

Situada no coração do Alto Douro Vinhateiro, região classificada como Património Mundial da UNESCO, a freguesia de Vilarinho dos Freires é conhecida pelas tradições e história, bem como pelo património vinícola.

“Este concurso de concessão representa uma oportunidade extraordinária para desenvolver o potencial turístico da nossa região, trazendo benefícios económicos e culturais significativos. Estamos empenhados em colaborar com investidores que partilhem a nossa visão de valorização e preservação do património do Douro” salienta o presidente da Junta de Freguesia, Sérgio Cabral Correia.

Através do website da Junta de Freguesia de Vilarinho dos Freires, disponível aqui, é possível consultar mais informações sobre os imóveis que estão agora em concurso para concessão de exploração turística, sendo que também a Aliados Consulting estará disponível para prestar assistência aos potenciais compradores, fornecendo todas as informações necessárias e esclarecendo quaisquer dúvidas que possam surgir durante o processo.

Sobre o autorPublituris

Publituris

Mais artigos
Destinos

Proveitos no alojamento turístico ultrapassam os 2MM€ até maio

A subida em 9,4% nos hóspedes e 7,5% nas dormidas, face a maio de 2023, fazem com que os proveitos totais ascendam a mais de 660 milhões de euros. No acumulado do ano, o valor já ultrapassou os 2 mil milhões de euros.

Em maio de 2024, o setor do alojamento turístico registou 3,1 milhões de hóspedes e 7,7 milhões de dormidas, correspondendo a subidas de 9,4% e 7,5%, respetivamente, face a igual mês de 2023. Segundo dados divulgados pelo Instituto Nacional de Estatística (INE), os proveitos totais ascenderam a 660,8 milhões de euros, equivalendo a uma subida de 15,5% em comparação com o quinto mês do ano passado, enquanto os proveitos referentes aos apostos totalizaram 505,9 milhões de euros de proveitos, uma subida igual aos proveitos totais.

No acumulado do ano 2024 – de janeiro a maio -, as dormidas registaram um crescimento de 4,4%, atingindo 27,7 milhões, dando origem a aumentos de 12,2% nos proveitos totais e de 11,9% nos de aposento. Este aumento deveu-se, principalmente, às dormidas de não residentes, que cresceram 5,9%, enquanto as de residentes registaram um crescimento mais modesto (+0,9%).

Assim, os proveitos totais no alojamento turístico em Portugal atingiram, no acumulado do ano, 2.080 milhões de euros, uma subida de 12,2% face a igual período de 2023, sendo que nos proveitos nos aposentos, a subida de 11,9% em comparação com os primeiros cinco meses do ano passado, permitiu chegar-se aos 1.560 milhões de euros.

Considerando a generalidade dos meios de alojamento (estabelecimentos de alojamento turístico, campismo e colónias de férias e pousadas da juventude), registaram-se 3,3 milhões de hóspedes e 8,3 milhões de dormidas em maio, refletindo crescimentos de 9,2% e 7,5%, respetivamente. As dormidas de residentes aumentaram 7,9% e as de não residentes cresceram 7,4%.

Dos mais de 2 milhões de hóspedes não residentes, em maio de 2024, a liderança pertence ao Reino Unido com pouco mais de 277 mil, seguido pelos EUA com mais de 263,6 mil, aparecendo a Alemanha a fechar o pódio com 199,3 mil. No acumulado do ano – janeiro a maio de 2024 -, a liderança pertence, igualmente ao Reino Unido (874 mil hóspedes), seguido pelo EUA (779 mil) e Espanha (778 mil).

Já nas dormidas dos não residentes, o Reino Unido mantém a liderança com 1,1 milhões, seguido pela Alemanha (680 mil) e EUA (585 mil). Nas contas acumuladas dos primeiros cinco meses do ano, destaque para o Reino Unido, único mercado a ultrapassar as 3,5 milhões de dormidas, enquanto o segundo lugar pertence à Alemanha com 2,4 milhões de dormidas, seguida pelos EUA com 1,75 milhões.

Lisboa puxa pelo turismo
A Grande Lisboa continuou a ser a região que mais contribuiu para a globalidade dos proveitos, com 33% dos proveitos totais e 35,2% dos proveitos de aposento, seguida do Algarve (23,6% e 21,7%, respetivamente) e do Norte (16,9% e 17,5%, pela mesma ordem).

Todas as regiões registaram crescimentos nos proveitos, com os maiores aumentos a ocorrerem nos Açores (+26,3% nos proveitos totais e +28,5% nos de aposento), na Península de Setúbal (+23,8% e +25,5%, respetivamente), no Alentejo (+21,9% e +21,3%, pela mesma ordem) e na Madeira (+20,7% e +22,5%, respetivamente).

Em maio, o crescimento dos proveitos acelerou nos três segmentos de alojamento. Na hotelaria, os proveitos totais e de aposento (pesos de 86,7% e 85% no total do alojamento turístico, respetivamente) aumentaram ambos 14,4%.

Nos estabelecimentos de alojamento local, registaram-se aumentos de 22,5% nos proveitos totais e 21,8% nos proveitos de aposento (quotas de 9,6% e 11,4%, respetivamente).

No turismo no espaço rural e de habitação (representatividade de 3,7% nos proveitos totais e de aposento), os aumentos foram de 23,2% e 22,7%, respetivamente.

Do total de 7,7 milhões de dormidas (+7,5%) nos estabelecimentos de alojamento turístico, 61,4% concentraram-se nos 10 municípios com maior número de dormidas em maio.

O município de Lisboa concentrou 19,8% do total de dormidas, atingindo 1,5 milhões (+5,4%, após +0,9% em abril). As dormidas de residentes decresceram ligeiramente (-0,2%), tendo as dormidas de não residentes apresentado um aumento de 6,3%. Este município concentrou 22,9% do total de dormidas de não residentes em maio.

Albufeira foi o segundo município em que se registaram mais dormidas (819,4 mil dormidas, peso de 10,7%), voltando a registar um aumento (+3,3%), após o decréscimo de 13,4% no mês anterior. As dormidas de residentes tiveram o crescimento mais expressivo (+14,3%) entre os principais municípios, enquanto as de não residentes registaram um acréscimo mais modesto (+1,8%).

No Porto, as dormidas totalizaram 616,1 mil (8% do total), tendo-se observado um crescimento de 7,8% (-0,5% em abril), com o contributo das dormidas de não residentes (+9,2%), dado que as de residentes decresceram 0,5%.

O Funchal (561,8 mil dormidas, peso de 7,3%) apresentou um crescimento de 5% (+0,6% em abril), para o qual contribuíram as dormidas de não residentes (+6,7%), tendo em conta que as dormidas de residentes diminuíram 6,3%.

Em resumo, em todos os 10 municípios com maior número de dormidas em maio, as dormidas de não residentes superaram as dos residentes.

Entre os 10 principais municípios, Ponta Delgada continuou a destacar-se com o maior crescimento (+18,3%), para o qual contribuíram as evoluções positivas das dormidas de residentes (+6,8%) e, sobretudo, as de não residentes (+25%).

Face aos crescimentos das dormidas registados em Portugal, em maio de 2024 destacaram-se, entre os principais, os municípios de Ponta Delgada, Portimão e Porto, em termos de dormidas de não residentes. Por sua vez, Albufeira, Loulé e Cascais foram os que se mais se distanciaram positivamente da média nacional em termos de crescimento das dormidas de residentes.

ADR com novos máximos históricos na Grande Lisboa e no Norte
No conjunto dos estabelecimentos de alojamento turístico, o rendimento médio por quarto disponível (RevPAR) atingiu 78,3 euros em maio, registando um aumento de 12% (-0,5% em abril).

O valor de RevPAR mais elevado foi registado na Grande Lisboa (138,1 euros), tendo atingido um novo máximo histórico nesta região. Seguiu-se a Madeira com 92,5 euros. Os maiores crescimentos ocorreram na Península de Setúbal (+22%) e nos Açores (+20,2%), enquanto os menos expressivos se verificaram no Centro (+3,4%), na Grande Lisboa (+10%) e no Norte (+10,1%).

Em maio, este indicador cresceu 13% na hotelaria (+0,6% em abril). No alojamento local e no turismo no espaço rural e de habitação, registaram-se crescimentos de, respetivamente, 10,9% e 14,1% (-4,2% e -2,6%, em abril, pela mesma ordem).

No conjunto dos estabelecimentos de alojamento turístico, o rendimento médio por quarto ocupado (ADR) atingiu 123 euros (+9,4%, após +4,1% em abril).

A Grande Lisboa destacou-se com o valor mais elevado de ADR (171,4 euros), seguida do Norte (118,8 euros), tendo sido atingidos novos máximos históricos em ambas as regiões. Este indicador registou crescimento em todas as regiões, com os maiores aumentos a ocorrerem na Madeira (+18,4%), na Península de Setúbal (+14,2%) e na Grande Lisboa (+11,2%).

Em maio, o ADR cresceu em todos os segmentos, +9,5% na hotelaria (+3,9% em abril), +9,6% no alojamento local (+3,5% em abril) e +8,5% no turismo no espaço rural e de habitação (+11,8% em abril).

Sobre o autorPublituris

Publituris

Mais artigos
Destinos

BestEvents organiza nova feira de viagens no Porto em 2025

A BestEvents vai organizar, entre 22 e 23 de março de 2025, a FLY, uma nova feira de viagens que vai decorrer na Alfândega do Porto.

A BestEvents vai organizar, entre 22 e 23 de março de 2025, a FLY, uma nova feira de viagens que vai decorrer na Alfândega do Porto, informou a empresa de eventos em comunicado.

“Durante dois dias, a feira reunirá agências de viagem, marcas, produtos e agentes turísticos”, destaca a BestEvents, explicando que esta “feira promete ser o cenário ideal para quem pretende divulgar os destinos que tem em carteira e fechar negócios junto do consumidor final”.

Além da área expositiva, a BestEvents diz que está a “preparar uma programação marcante para que o visitante encontre um evento de experiências”, capaz de oferecer também uma “viagem pelo mundo através dos sabores, tradições, cultura e música dos quatro cantos do planeta”.

“O espaço também contará, ainda, com uma zona de espetáculos e animações culturais, proporcionando uma imersão profunda na cultura de cada destino. Haverá a oportunidade de experimentar sabores e a cultura gastronómica de diferentes destinos internacionais presentes no evento. O evento contará com uma programação marcante e abrangente”, refere ainda a BestEvents.

Sobre o autorPublituris

Publituris

Mais artigos
Destinos

Turismo do Porto e Norte e CCDR Norte lançam novo produto “Rotas do Norte”

As “Rotas do Norte” pretendem “colmatar uma lacuna regional estrutural e um constrangimento relevante na gestão e promoção turística dos ativos patrimoniais e artísticos regionais existentes” na região Norte de Portugal.

Publituris

A Entidade Regional de Turismo do Porto e Norte de Portugal (TPNP) e a Comissão de Coordenação e Desenvolvimento Regional do Norte (CCDR Norte) estabeleceram um protocolo de cooperação com vista à criação, desenvolvimento e promoção de Rotas Turísticas Regionais no Norte, designadas “Rotas do Norte”.

Num comunicado enviado à imprensa, o TPNP explica que estas rotas turísticas foram desenhadas nos últimos três meses, num trabalho conjunto entre as duas entidades, com o objetivo de “colmatar uma lacuna regional estrutural e um constrangimento relevante na gestão e promoção turística dos ativos patrimoniais e artísticos regionais existentes”.

Para o TPNP, as “Rotas do Norte” “são “a chave” para resolver um bloqueio, com décadas, na estruturação e promoção de bens culturais com potencial turístico na Região Norte”.

As duas entidades juntaram-se para “constituir e desenvolver diferentes rotas turístico-culturais de Património Cultural, Arte e Arquitetura Contemporâneas, com uma ampla cobertura regional”, num “processo que será assegurado através de um modelo de gestão articulado, pelas duas entidades, de reconhecimento formal do interesse da adesão de um bem patrimonial a uma Rota Regional”.

“Este protocolo operacionaliza ainda um outro instrumento relevante, na sequência de uma deliberação recente da autoridade de gestão do Programa NORTE 2030: a atribuição do selo “Rotas do Norte”. Tal atribuição passará a ser um dos requisitos obrigatórios para candidaturas a cofinanciamento europeu em avisos dedicados a “reforçar o papel da cultura e do turismo sustentável no desenvolvimento económico, na inclusão social e na inovação social”, explica ainda o TPNP, revelando que o primeiro “aviso de concurso de financiamento será tornado público também esta sexta-feira”.

O protocolo de cooperação foi assinado numa cerimónia que contou com a presença do presidente da CCDR NORTE, António Cunha, do vice-presidente da CCDR NORTE para a Cultura e Património, Jorge Sobrado, e do presidente da Direção da Entidade Regional de Turismo do Porto e Norte, Luís Pedro Martins.

Para Luís Pedro Martins, este protocolo vai contribuir “para a preparação da estratégia turístico-cultural do destino” e marca ““um dia histórico na relação entre as duas instituições”, uma vez que permite, finalmente, “estruturar este produto estratégico e ter uma oferta mais assertiva, organizada e segmentada que valorize os ativos culturais da região”.

Segundo o presidente do TPNP, esta decisão vai ajudar “a garantir a visitação a estes espaços, coisa que atualmente nem sempre acontece, aumentar fluxos e ajudar ao desenvolvimento socioeconómico e coesão territorial no destino”.

O pedido de reconhecimento e a adesão às “Rotas do Norte” poderá ser realizado por entidades proprietárias, gestoras ou promotoras de bens de património cultural, devendo a solicitação ser realizada à CCDR Norte ou à TPNP, “através do preenchimento de um formulário eletrónico próprio”, que está disponível aqui e aqui.

Já a aprovação e atribuição do selo dependerá do cumprimento de um conjunto de critérios, disponíveis para consulta, a partir desta data, nos portais web institucionais.

 

Sobre o autorPublituris

Publituris

Mais artigos
Destinos

Politécnico de Beja abre candidaturas para pós-graduação em “Turismo Sustentável e Bem-Estar”

As aulas da pós-graduação em “Turismo Sustentável e Bem-Estar” do IPBeja arrancam a 24 de outubro e as candidaturas decorrem em duas fases, a primeira das quais até 31 de agosto.

Publituris

O Instituto Politécnico de Beja (IPBeja) já abriu a primeira fase de candidaturas para a pós-graduação em “Turismo Sustentável e Bem-Estar”, estando estas a decorrer até 31 de agosto, segundo informação publicada no website da instituição de ensino superior.

“Atendendo à vocação do Ensino Superior Politécnico, procura-se com esta oferta formativa responder às necessidades de formação avançada com caráter específico e profissional”, avança a instituição de ensino superior.

As candidaturas decorrem em duas fases, a primeira das quais até 31 de agosto, enquanto a segunda tem lugar entre 23 de setembro e 11 de outubro, prevendo-se que as aulas arranquem a 24 de outubro.

Esta pós-graduação destina-se a atuais e futuros profissionais de Turismo, mas também de áreas congéneres, decorre na modalidade de e-learning e está vocacionada para o desenvolvimento de competências e de qualificações teóricas e técnicas na área específica do Turismo Sustentável.

As candidaturas podem ser realizadas aqui.

Sobre o autorPublituris

Publituris

Mais artigos
Destinos

Dom Pedro Golf Vilamoura renova Old Course

O campo de golfe surge mais exclusivo e mais sustentável.

Publituris

O Dom Pedro Golf Vilamoura está a realizar uma extensa renovação do Old Course para consolidar o seu lugar entre os melhores campos de Golfe da Europa.

Como resultado das renovações, o Old Course será transformado num clube de golfe Premium, com um serviço personalizado, concierge VIP e condições de jogo de classe mundial. Dentro do campo, as melhorias centraram-se na sustentabilidade, como parte de uma nova estratégia a longo prazo para torná-lo um dos campos mais ecológicos da Europa. De realçar os novos sistemas de aspersão e as variedades de relva resistentes à água para reduzir os consumos, as estações de hidropressores para reduzir o consumo de energia e a nova frota de máquinas 100% elétricas.

As mudanças estão a ser implementadas sem o campo encerrar, minimizando o impacto e colocando em primeiro lugar a experiência do cliente, prevendo-se que estas melhorias estejam concluídas até ao final de agosto.

Nuno Sepúlveda, Co-CEO da DETAILS – Hospitality, Sports, Leisure, a plataforma de gestão dos ativos de golfe em Vilamoura, explica que “as renovações do Old Course alinham-se com a visão de longo prazo de melhorar a qualidade, a sofisticação e a experiência do cliente. Estas melhorias têm como objetivo específico manter altos padrões nas instalações e serviços de golfe, e reforçar a imagem de Vilamoura como um destino de golfe de primeira classe”.

Após a conclusão das melhorias no campo, está prevista, para novembro, a abertura de um novo Clubhouse, que incluirá melhorias em todas as instalações, como a loja de golfe, a sala de estar, o restaurante, o bar e a área do terraço, conferindo-lhe um visual clássico e elegante, que realça o legado do campo.

“Todas renovações são meticulosamente planeadas para respeitar o design clássico e o legado do campo, enquanto introduzem melhorias que aprimoram a experiência geral de golfe. Ao equilibrar cuidadosamente o antigo com o novo, a renovação garante que o campo continue a ser um destino querido para os golfistas”, acrescenta Nuno Sepúlveda.

Os greens e fairways receberão manutenção cuidadosa, os bunkers serão aperfeiçoados com nova areia e as tee box terão um novo tipo de relva plantada, a relva Bermuda, o que vai permitir nivelar as raízes e tornar as tee box ambientalmente sustentáveis e de qualidade premium. Houve, também, uma transformação completa dos caminhos dos buggies, agora construídos em betão wall-to-wall. Um aspecto notável desta ação é a abordagem sustentável adotada: o betão retirado dos antigos caminhos foi triturado e reutilizado como base para os novos percursos, e a terra removida do solo durante esta intervenção foi armazenada, crivada e reutilizada no acabamento final.

A aparência geral do campo de golfe terá mais definição entre as áreas de jogo e a paisagem icónica entre os pinheiros. Esta definição terá um impacto significativo, tanto na aparência como na qualidade, sendo que com isto os fairways receberão mais luz solar.

Haverá ainda a requalificação do campo de prática e a introdução de tecnologia de última geração, possibilitando várias sessões de treino e experiências que atendem as expetativas mais elevadas de todos os golfistas.

Sobre o autorPublituris

Publituris

Mais artigos
Destinos

Comboio histórico do Vouga associa-se ao AgitÁgueda – Art Festival

A edição de verão do Comboio Histórico do Vouga, vai estar associada ao AgitÁgueda – Art Festival. A primeira viagem desta série única será já no próximo sábado, dia 13 de julho.

Publituris

São oito viagens agendadas para todos os sábados, de 13 de julho a 31 de agosto. Esta iniciativa resulta de uma parceria estabelecida entre a CP, o Município de Águeda e a Junta de Freguesia de Macinhata do Vouga.

O itinerário da viagem começa na estação de Aveiro, às 13h45, com destino a Macinhata do Vouga, onde os passageiros terão a oportunidade de fazer uma visita guiada ao Museu Ferroviário. O percurso prossegue então para Águeda, onde os visitantes serão recebidos por um guia que os levará num passeio pela cidade para apreciar as obras de arte urbana que compõem o AgitÁgueda. A chegada a Aveiro está prevista para as 20h07.

Até ao dia 27 de julho, as viagens contarão com animação do AgitÁgueda, proporcionando uma experiência cultural e artística durante o percurso. A partir dessa data, os passageiros terão a oportunidade de visitar e admirar as obras de arte urbana resultantes do festival.

Refira-se que o comboio histórico do Vouga é tracionado pela locomotiva diesel CP 9004, uma peça histórica construída no final da década de 50 do século passado, que marcou o fim da era dos comboios de via estreita na Linha de Guimarães. O comboio é composto por cinco carruagens que são verdadeiras joias da história dos caminhos de ferro: Carruagem de varandim belga de 1908, oferecendo uma viagem nostálgica aos tempos áureos do transporte ferroviário; Carruagem alemã de 1925, que exemplifica a engenharia e design ferroviários do início do século XX; Carruagem construída pelos Caminhos de Ferro do Estado nas oficinas do Porto em 1913, representando o legado industrial português; Carruagem portuguesa do Barreiro, de 1908, que outrora percorria a pitoresca Linha do Corgo, entre Régua e Chaves; e ainda carruagem mista italiana, mostrando a diversidade e riqueza do património ferroviário europeu.

Os bilhetes para esta experiência são de 37 euros para adulto e 22 euros para crianças dos 4 aos 12 anos, e já se encontram disponíveis para venda nos canais habituais da CP.

 

Sobre o autorPublituris

Publituris

Mais artigos
Destinos

Ano turístico vai ser melhor do que em 2023, mesmo com menor procura interna

O Secretário de Estado do Turismo, Pedro Machado, prevê que o atual ano turístico vai ser melhor do que o de 2023, apesar de uma pequena baixa na procura por parte dos portugueses.

Victor Jorge

“Há aqui um conjunto de fatores que se conjugam e que vão garantir a perspetiva que temos de este ano ser um ano turístico melhor ainda que o ano de 2023”, disse Pedro Machado à agência Lusa, à margem de uma visita à Marina de Portimão.

Mesmo assim, o governante deu conta da “preocupação” manifestada pelos empresários do setor turístico algarvio quanto a “algum abaixamento da procura, sobretudo do mercado interno, do mercado nacional”.

Apesar desta “relativa baixa de procura” que se está a sentir neste momento, o governante acredita que “os mercados internacionais estão a reagir muito positivamente” e referiu dados sobre a evolução do turismo em junho obtidos na segunda-feira, que indicam o forte crescimento no setor.

Segundo Pedro Machado, Reino Unido, Alemanha e Estados Unidos da América são, neste momento, os países mais importantes para o turismo português, tendo ultrapassado a Espanha e a França e outros países mais próximos.

“Significa que há hoje uma apetência maior para estes mercados de longa distância”, concluiu o secretário de Estado do Turismo, acrescentando que Portugal está a “reforçar” as ligações aéreas com países como o México, a Coreia do Sul e o Egito.

Por outro lado, o responsável governamental congratulou-se por os consumos de água terem “vindo a baixar 12 a 13%, o que considera ser “a meta que tinha sido estabelecida” pelo Governo

Referindo-se a dados da Agência Portuguesa do Ambiente (APA), Pedro Machado defendeu que o consumo de água tem estado a ser “ajustado”, tanto na agricultura como no setor urbano, que considera ser prioritário, e onde está incluído o setor turístico.

Sobre o autorVictor Jorge

Victor Jorge

Mais artigos
Destinos

Conselho Municipal do Turismo de Sesimbra toma posse

Promover a participação e o envolvimento dos agentes turísticos no desenvolvimento integrado e sustentável do concelho e contribuir para a valorização da oferta turística e a consequente promoção do destino Sesimbra são alguns dos objetivos do Conselho Municipal do Turismo, que acaba de tomar posse.

Publituris

Com funções exclusivamente consultivas, o Conselho Municipal do Turismo de Sesimbra, que acaba de tomar posse e realizou a sua primeira reunião, envolve 26 entidades, que têm como caminho comum a evolução da situação turística do município.

“O importante é que possamos ter um espaço onde possamos apontar os caminhos para as soluções de um turismo que se quer cada vez melhor, mais sustentável e de qualidade para o concelho de Sesimbra”, adiantou o presidente da Câmara Municipal de Sesimbra, Francisco Jesus, citado em notícia publicada na página oficial da autarquia.

A criação do Conselho Municipal do Turismo de Sesimbra é, segundo Argentina Marques, vereadora do Turismo, “um pontapé de saída para termos uma estratégia comum com todas as entidades que estão neste território de Sesimbra e nesta Área Metropolitana de Lisboa”.

A Entidade Regional de Turismo da Região de Lisboa considera que a valorização e promoção da oferta turística de Sesimbra é fundamental para a região. A presidente da ERT-Região de Lisboa, Carla Salsinha, defende ainda que o Conselho Municipal do Turismo “vai ser seguramente um dos motores de qualificação do turismo de Sesimbra”, na medida em que pode ajudar a definir a estratégia “de como é que Sesimbra se quer afirmar no contexto dos 18 municípios da região de Lisboa”.

O Conselho Municipal de Turismo de Sesimbra volta a reunir a 4 de setembro para o início dos trabalhos e estudo das diversas matérias relacionadas com as estratégias para o desenvolvimento do turismo do concelho.

Sobre o autorPublituris

Publituris

Mais artigos

Foto: Depositphotos.com

Destinos

Turismo europeu com novos máximos, com Portugal em destaque

Segundo a análise mais recente da European Travel Commission (ETC), as chegadas e dormidas ultrapassaram os números de 2019 no primeiro semestre de 2019. Portugal aparece destacado, indicando ainda a ETC que os turistas deverão gastar mais 800 mil milhões de euros, em 2024 à medida que os planos dos viajantes estão cada vez mais diversificados.

Victor Jorge

O setor do turismo na Europa continua no trilho da recuperação no segundo trimestre de 2024, com as chegadas internacionais a crescerem 6% face a igual período de 2019, enquanto as dormidas registam uma evolução de 7% face a igual período do ano pré-pandemia, sendo que relativamente ao período homólogo de 2023 os incrementos são ainda mais assinaláveis: +12% 1 10%, respetivamente.

Na última edição do relatório trimestral da ETC, os dados indicam que tanto os destinos tradicionais como os não tradicionais do Sul da Europa e do Mediterrâneo continuam a ser as escolhas mais populares para os turistas na Europa. Registaram-se aumentos notáveis nas chegadas, em comparação com os níveis de 2019, em destinos menos conhecidos, como Sérvia (+40%) e Bulgária (+29%), bem como em destinos favoritos de longa data incluindo Malta (+37%), Portugal (+26%) e Turquia (+22%), considerando a comissão que “o sucesso contínuo destes destinos deve-se, em parte, à sua oferta comum de experiências e a condições climatéricas geralmente favoráveis”.

Os países nórdicos também revelam uma atração crescente, com as dormidas de estrangeiros a aumentarem na Dinamarca (+38%), Noruega (+18%) e Suécia (+9%), revelando “um sucesso crescente fora do Sul da Europa e em destinos relativamente mais caros”.

Em contrapartida, a região do Báltico continua a debater-se com dificuldades, com a Letónia (-24%), a Estónia (-16%) e a Lituânia (-15%) a registarem ainda chegadas internacionais muito abaixo de 2019.

Miguel Sanz, Ppesidente do ETC, considera ser “encorajador ver a crescente diversificação do panorama do turismo europeu neste trimestre”. O responsável pela ETC, cargo que já foi ocupado pelo português Luís Araújo, refere ainda que “este facto beneficia tanto os destinos emergentes como os pontos de interesse estabelecidos que podem potencialmente enfrentar uma sobrelotação. Além disso, o aumento do número de turistas em zonas menos conhecidas ajudará as pequenas empresas que ainda estão a recuperar da pandemia ou que se debatem com o aumento dos custos operacionais devido ao atual contexto económico”.

Custos e pessoal dificultam recuperação
Contudo, nem tudo são boas notícias, já que são vários os desafios que o setor das viagens enfrenta. Os profissionais do turismo ouvidos pela ETC referem como principais problemas o aumento dos custos de alojamento, das operações comerciais e dos voos, bem como a escassez de pessoal. Apesar do seu impacto contínuo, estes desafios diminuíram em comparação com o trimestre anterior.

Com os aumentos dos custos das empresas a conduzirem a um aumento geral das despesas de viagem, a ETC prevê que os visitantes gastem 800,5 mil milhões de euros na Europa este ano, mais 13,7% do que no ano passado. Esta evolução resulta do aumento dos preços de exploração, do regresso de turistas com despesas elevadas da região da Ásia-Pacífico e da forte procura de eventos e de viagens combinadas de negócios e lazer. O setor do alojamento, por sua vez, beneficiou especialmente no primeiro semestre do ano, com uma subida de 5,4% nas receitas por quarto disponível e de 1,8% nas taxas de ocupação.

Os aumentos mais significativos nos gastos dos viajantes, no acumulado do ano, registam-se em Espanha (25%), Grécia (25%), Itália (20%) e França (16%). Outros países, como a Croácia, a Bulgária e a Roménia, esperam ver estadias médias mais longas em 2024 do que no ano anterior, o que também resultará num aumento das receitas do turismo.

Diversificação como impulsionadora do turismo europeu
O relatório identifica uma diversificação crescente do turismo europeu, com os destinos emergentes e os mercados emissores a aumentarem a sua quota de mercado. Entre os fatores que contribuem para esta tendência contam-se “a procura de destinos não tradicionais com uma boa relação qualidade/preço, o regresso dos viajantes da região Ásia-Pacífico e a crescente disponibilidade de viagens de comboio”, refere a ETC.

Embora os EUA continuem a ser o mercado emissor de longo curso com melhor desempenho, regista-se um aumento notável dos mercados da Ásia Oriental, especialmente da China. “As cidades europeias estão a revelar-se particularmente atraentes para os visitantes chineses, uma vez que se espera que a China se torne o mercado emissor de destinos urbanos com crescimento mais rápido em 2025, ultrapassando os EUA”.

Verifica-se também um aumento do número de viajantes que optam por viagens fora de época e por destinos menos conhecidos, impulsionados pela procura de uma boa relação qualidade/preço e de experiências únicas e autênticas. Em particular, a Albânia e o Montenegro registaram um aumento notável da quota de mercado, com um aumento de 86% e 31%, respetivamente, desde 2019.

O crescente interesse em viajar fora dos circuitos habituais também se reflete nas pesquisas online para viagens na Europa, que destacaram o apelo dos cenários naturais das ilhas, como a Madeira, em Portugal, e Magerøya, na Noruega, com ambos os destinos a registarem um aumento correspondente nas chegadas e nas dormidas.

A sustentabilidade foi um dos principais fatores de reputação positiva para os destinos neste trimestre, enquanto o discurso mais negativo se centrou nos impactos sociais e ambientais da sobrelotação nos locais de turismo tradicionais.

Ao mesmo tempo, o aumento da capacidade ferroviária está a abrir a porta aos viajantes para explorarem novas experiências e destinos. A empresa ferroviária nacional da Alemanha – Deutsche Bahn -, por exemplo, registou um aumento de 21% nas rotas internacionais entre 2019 e 2023, beneficiando principalmente os países vizinhos. Os serviços do Eurostar regressaram aos níveis de passageiros anteriores à pandemia e o operador ferroviário espanhol Renfe informou ter vendido 500 mil bilhetes nos seis meses seguintes ao lançamento da sua linha internacional para França.

De referir que estes três operadores têm planos para aumentar a capacidade nos próximos anos, o que realça a importância crescente dos caminhos-de-ferro no turismo europeu.

Foto: Depositphotos.com
Sobre o autorVictor Jorge

Victor Jorge

Mais artigos
PUB
PUB
PUB
PUB
PUB
PUB
PUB
PUB
PUB
PUB
PUB
PUB

Navegue

Sobre nós

Grupo Workmedia

Mantenha-se informado

©2024 PUBLITURIS. Todos os direitos reservados.