Edição digital
Assine já
PUB
Transportes

Emirates remodela imagem e estreia novo design nos aviões

A Emirates procedeu a alterações à sua imagem e a nova identidade já se encontra refletida nos aviões da companhia aérea, cuja pintura apresenta agora novidades na cauda e nas pontas das asas.

Publituris
Transportes

Emirates remodela imagem e estreia novo design nos aviões

A Emirates procedeu a alterações à sua imagem e a nova identidade já se encontra refletida nos aviões da companhia aérea, cuja pintura apresenta agora novidades na cauda e nas pontas das asas.

Publituris
Sobre o autor
Publituris
Artigos relacionados
Bestravel anuncia campanha exclusiva em parceria com Turismo de Marrocos
Agências
Publituris co-organiza conferência dedicada ao Enoturismo na BTL
Agenda
Lisbon Marriott Hotel promove Rita Freitas a events manager
Alojamento
Travelplan promove Costa do Mar Negro para o verão
Distribuição
Emirates torna-se na companhia aérea oficial da NBA
Aviação
Dubai recebe 17,15 milhões de turistas e alcança melhor desempenho de sempre em 2023
Destinos
Le Boat River Cruises confirmada na Feira de Emprego e Carreiras Azuis
Transportes
TUREP acaba de ganhar representação da Albania DMC Balcan Tour Operator em Portugal
Distribuição
Vale de Ílhavo adere às Aldeias de Portugal
Destinos
Tour10 revela um ano de sucesso e perspectiva um 2024 promissor
Distribuição

A Emirates procedeu a alterações à sua imagem e a nova identidade já se encontra refletida nos aviões da companhia aérea, cuja pintura apresenta agora novidades na cauda e nas pontas das asas, informou a transportadora de bandeira do Dubai, em comunicado.

“Na cauda, a bandeira dos EAU é muito mais dinâmica e fluida com uma arte de efeito 3D, e as pontas das asas foram pintadas de vermelho com o logótipo da Emirates em caligrafia árabe sobressaindo o branco invertido. Os passageiros a bordo com vista de janela verão as cores da bandeira dos Emirados Árabes Unidos pintadas nas pontas das asas viradas para os motores”, destaca a Emirates, na informação divulgada.

Renovada foi também a assinatura “Emirates”, que surge em dourado, com letras em inglês e em árabe, e que passou a ser “mais ousada”, tendo também passado a apresentar dimensões 32,5% maiores que a versão anterior.

Já a barriga do avião continua a apresentar a icónica marca vermelha, que foi introduzida em 2005, enquanto o endereço online “Emirates.com” foi retirado do design.

“As imagens exteriores dos aviões são a parte mais reconhecida de qualquer companhia aérea. É uma representação visual da nossa identidade, algo que usamos com orgulho, e que exibimos em todas as cidades para onde voamos em todo o mundo. Estamos a atualizar a nossa imagem com o intuito de nos modernizarmos, sem perder os elementos-chave da nossa identidade, tais como a bandeira dos Emirados Árabes Unidos na cauda dos aviões e a caligrafia árabe”, explica Tim Clark, presidente da Emirates Airline.

A Emirates recorda ainda que esta é a terceira versão da sua imagem, tendo a primeira sido lançada em 1985. Já em 1999, surgiu a primeira atualização à imagem da companhia aérea, que foi apresentada com a entrega do primeiro Boeing 777-300 da Emirates no Dubai Airshow desse ano.

“Ao longo dos anos, as inúmeras cores dos aviões incluíram designs personalizados para impulsionar a associação de marcas de patrocínio, e para ocasiões especiais, tais como o 50º Jubileu dos Emirados Árabes Unidos e a Expo 2020 Dubai”, acrescenta ainda a companhia aérea.

Sobre o autorPublituris

Publituris

Mais artigos
Artigos relacionados
Bestravel anuncia campanha exclusiva em parceria com Turismo de Marrocos
Agências
Publituris co-organiza conferência dedicada ao Enoturismo na BTL
Agenda
Lisbon Marriott Hotel promove Rita Freitas a events manager
Alojamento
Travelplan promove Costa do Mar Negro para o verão
Distribuição
Emirates torna-se na companhia aérea oficial da NBA
Aviação
Dubai recebe 17,15 milhões de turistas e alcança melhor desempenho de sempre em 2023
Destinos
Le Boat River Cruises confirmada na Feira de Emprego e Carreiras Azuis
Transportes
TUREP acaba de ganhar representação da Albania DMC Balcan Tour Operator em Portugal
Distribuição
Vale de Ílhavo adere às Aldeias de Portugal
Destinos
Tour10 revela um ano de sucesso e perspectiva um 2024 promissor
Distribuição
PUB
Aviação

Emirates torna-se na companhia aérea oficial da NBA

A Emirates diz que se associou à NBA porque “tem sido uma apoiante de longa data do basquetebol na região há quase 30 anos”.

A Emirates e a National Basketball Association (NBA) estabeleceram uma parceria global através da qual a transportadora do Dubai se torna na companhia aérea oficial da NBA, segundo um comunicado enviado à imprensa.

Com esta parceria, a Emirates torna-se também no parceiro inaugural da NBA Cup, anteriormente designada NBA In-Season Tournament, bem como o primeiro parceiro de emblemas de camisolas de árbitros da NBA.

“Como primeiro parceiro do título da Emirates NBA Cup, a companhia aérea será apresentada através de um logótipo conjunto da Emirates NBA Cup, com promoção de marca conjunta através da comunidade global de redes sociais da NBA e sinalização na arena durante os jogos da Semifinal e do Campeonato da Emirates NBA Cup, a partir da próxima época”, indica a Emirates, no comunicado divulgado.

O logótipo de Emirates vai passar também a estar presente em todas as camisolas dos árbitros da NBA, a começar pelo All-Star Game da NBA de 2024, que terá lugar no domingo, 18 de fevereiro.

“Estamos muito orgulhosos por estabelecer uma parceria de marketing global com a National Basketball Association para nos tornarmos a sua Companhia Aérea Oficial Global”, afirma Ahmed bin Saeed Al Maktoum, presidente e diretor Executivo do Grupo Emirates, sublinhando que “esta colaboração também fará com que a Emirates se torne o primeiro parceiro de emblemas de camisolas de árbitros da liga e o parceiro inaugural da Taça NBA”.

De acordo com o responsável, a Emirates está entusiasmada por “trabalhar com uma das ligas profissionais mais reconhecidas e prestigiadas a nível mundial” e que é uma “adição valiosa” à carteira de patrocínios da companhia aérea, pois permite “estabelecer uma ligação com uma vasta base de fãs a nível mundial”, incluindo nos EUA, onde o basquetebol “é parte integrante da cultura desportiva do país”.

Já Mark Tatum, comissário adjunto e diretor de Operações da NBA, afirma que a Emirates é “uma companhia aérea de classe mundial”, que partilha com a NBA o “compromisso de envolver os adeptos de todo o mundo de forma inovadora e criativa”.

“Como o basquetebol continua a ser reconhecido como o desporto de mais rápido crescimento a nível global, esta colaboração irá mostrar o entusiasmo da NBA aos milhões de pessoas que voam com a Emirates todos os anos”, acrescenta o responsável da NBA.

O patrocínio vai permitir também que a Emirates esteja presente noutros eventos da liga, inclusive como parceira do NBA Crossover, um evento imersivo para fãs no NBA All-Star, e como parceira apresentadora do NBA Finals Legacy Project, que destaca a dedicação de novos Centros NBA Cares Live, Learn ou Play em cada mercado de equipas da NBA Finals.

A marca Emirates também estará presente através de sinalização virtual na arena e no topo da tabela durante os jogos da NBA transmitidos nacionalmente, começando com o NBA All-Star Game de 2024.

A companhia aérea vai ainda envolver os fãs da NBA em todo o mundo como parceira de alguns jogos globais da NBA da pré-temporada e da temporada regular e através de eventos interactivos para fãs da liga, incluindo o “NBA District” e a “NBA House”.

A bordo, acrescenta a Emirates, os “fãs terão a oportunidade de assistir a conteúdos da NBA em todos os voos da Emirates através do sistema de entretenimento a bordo da companhia aérea, incluindo documentários de longa duração, perfis de jogadores, entrevistas e muito mais”.

As lojas da Emirates vão ainda passar a vender “uma vasta gama de artigos oficiais da NBA, incluindo bolas de basquetebol, vestuário desportivo e artigos de coleção antigos”, seja na sede da Emirates no Dubai ou na loja online da companhia aérea, sendo que os membros do Emirates Skywards também podem trocar Milhas para comprar artigos desta gama.

O emblema da Emirates vai estar igualmente presente nas camisolas de todos os árbitros da Women’s National Basketball Association (WNBA), a partir da época de 2025, e da NBA G League, a liga secundária oficial da NBA, a partir da época de 2024-25.

A Emirates diz que se associou à NBA porque “tem sido uma apoiante de longa data do basquetebol na região há quase 30 anos, ajudando a estabelecer ligações com os fãs ávidos deste desporto popular nos EAU e no Líbano, e fornecendo uma plataforma para destacar as melhores e mais brilhantes estrelas”.

Por outro lado, o portfólio global de patrocínios da Emirates inclui parcerias com clubes desportivos de topo, torneios, eventos culturais de grande relevo, entre outros, pelo que a associação da Emirates com a NBA irá “apoiar os esforços da companhia aérea para alcançar uma enorme base de fãs nos EUA e em todo o mundo através de uma paixão partilhada pelo basquetebol”.

Recorde-se que Emirates oferece atualmente voos para 12 pontos de conexão nos EUA, incluindo o Aeroporto Internacional Logan de Boston (BOS), o John F. Kennedy de Nova Iorque (JFK), o de Los Angeles (LAX), o George Bush de Houston (IAH), o O’Hare de Chicago (ORD), o Dulles de Washington D. C. (IAD), Seattle Tacoma (SEA), Newark Liberty (EWR), Dallas-Fort Worth (DFW), São Francisco (SFO), Miami (MIA) e Orlando (MCO).

 

 

 

 

Sobre o autorPublituris

Publituris

Mais artigos
Transportes

Le Boat River Cruises confirmada na Feira de Emprego e Carreiras Azuis

Na Feira de Emprego e Carreiras Azuis, que decorre no Porto, a 7 de março, a Le Boat River Cruises pretende contratar “profissionais para as suas bases de embarque e escritórios globais”.

A Le Boat River Cruises, empresa de embarcações fluviais de luxo, vai marcar presença na Feira de Emprego e Carreiras Azuis, que vai decorrer a 7 de março, no Centro de Congressos do Porto Palácio Hotel, no Porto.

Num comunicado enviado à imprensa, a organização do certame indica que a Le Boat River Cruises  pretende “contratar profissionais para as suas bases de embarque e escritórios globais, para as áreas de vendas, marketing, recepção, housekeeping, manutenção náutica e mecânica de embarcações, oferecendo ainda oportunidades para estagiários e aprendizes”.

A Le Boat River Cruises conta com mais de 900 embarcações que operam em rios, lagos e canais na Europa e no Canadá, e tem escritórios no Reino Unido, Alemanha, Canadá, França, África do Sul e Índia.

“A Le Boat opera a partir de 33 bases de embarque na Europa, distribuídas por França, Inglaterra, Países Baixos, Bélgica, Irlanda, Escócia, Alemanha, Itália – e também no Canadá”, acrescenta a organização do certame, na informação divulgada.

Recorde-se que a Feira de Emprego e Carreiras Azuis é um evento para quem trabalha ou pretende trabalhar em cruzeiros, iates, turismo náutico, navios de carga, instalações portuárias e logística, construção e reparação naval, energias renováveis no oceano, pesca, aquicultura, biotecnologia, serviços marítimos, ambiente e sustentabilidade, entre outros setores de atividade da economia azul.

A entrada na Feira de Emprego e Carreiras Azuis é gratuita mas requer inscrição prévia, que pode ser realizada aqui, e vai ter lugar no Centro de Congressos do Porto Palácio Hotel, no Porto.

Sobre o autorPublituris

Publituris

Mais artigos
Aviação

Emirates regressa a Portugal para recrutar tripulantes de cabine

A Emirates vai voltar a realizar uma ação de recrutamento em território nacional para encontrar tripulantes de cabine, numa nova edição dos Open Days da companhia aérea do Dubai, que decorre entre 11 e 22 de fevereiro, em quatro cidades portuguesas.

Publituris

A Emirates vai voltar a realizar uma ação de recrutamento em território nacional para encontrar tripulantes de cabine, numa nova edição dos Open Days da companhia aérea do Dubai, que decorre entre 11 e 22 de fevereiro, em quatro cidades portuguesas.

Num comunicado enviado à imprensa, a Emirates indica que “está à procura de candidatos portugueses para se juntarem à sua equipa internacional de tripulação de cabina” e, por isso, vai estar em Coimbra, Braga, Lisboa e Porto para recrutar candidatos.

A  iniciativa arranca este domingo, 11 de fevereiro, em Coimbra, onde tem lugar no Tivoli Coimbra Hotel, enquanto no dia 13 segue para Braga, onde a sessão de recrutamento vai ter lugar no Hotel Vila Galé Collection. No dia 20 de fevereiro, é a vez de Lisboa receber o Open Day da Emirates, que vai decorrer DoubleTree by Hilton, enquanto no Porto a sessão está marcada para dia 22 de fevereiro, no Hilton Porto Gaia.

“Os candidatos que pretendam desenvolver a sua carreira com a Emirates podem submeter uma candidatura online, o curriculum vitae (CV) atualizado e em inglês, assim como uma fotografia recente”, explica a companhia aérea, indicando que, no âmbito dos Open Days, os candidatos podem também “apresentar-se nos dias e locais indicados sem terem submetido a candidatura previamente”.

Os candidatos interessados em participar nos Open Days da Emirates devem, segundo a companhia aérea, levar consigo “os documentos necessários e garantir que chegam ao local antes da hora de início”. Todos os requisitos e informação sobre o processo de seleção podem ser consultados aqui.

“A Emirates oferece aos seus candidatos excelentes oportunidades de carreira, com excelentes instalações de formação e uma vasta gama de programas de desenvolvimento para os seus funcionários. Todos os candidatos selecionados que iniciem a sua carreira de tripulante de cabine serão submetidos a uma intensa formação de oito semanas nos mais elevados padrões de hospitalidade, segurança e prestação de serviços, nas modernas instalações da Emirates no Dubai”, refere a Emirates.

Entre os benefícios oferecidos aos trabalhadores, a Emirates destaca o “pacote salarial distinto no mercado que inclui uma variedade de benefícios, tais como um salário isento de impostos, alojamento gratuito fornecido pela empresa, transporte gratuito de e para o trabalho, excelente cobertura médica, bem como descontos exclusivos em compras e atividades de lazer no Dubai”.

Recorde-se que a Emirates voa para Portugal há 11 anos e oferece atualmente 14 voos semanais a partir de Lisboa para o Dubai, a partir de onde os passageiros podem voar ainda para os mais de 140 destinos que compõem a rede global da companhia aérea.

 

Sobre o autorPublituris

Publituris

Mais artigos
Aviação

Turkish Airlines lança nova forma de pagamentos e reembolsos digitais

O TK Wallet que permite fazer pagamentos e reembolsos digitais de “forma fácil e rápida” e está disponível através da app e website para os passageiros Miles&Smiles da companhia aérea turca.

Publituris

A Turkish Airlines lançou um novo serviço digital, o TK Wallet que permite pagamentos e reembolsos digitais de “forma fácil e rápida”, revela a companhia aérea de bandeira turca, em comunicado.

De acordo com a Turkish Airlines, a nova forma de pagamentos e reembolsos digitais está disponível para os passageiros Miles&Smiles, o programa de fidelização de passageiros da companhia aérea turca.

“Em linha com nossos objetivos de digitalização, continuamos a melhorar para implementar aplicações que facilitam as viagens dos nossos passageiros. Estamos a trabalhar para tornar os nossos serviços mais acessíveis e continuar a introduzir inovações que vão agregar conforto às experiências de viagem dos nossos hóspedes”, afirma Ahmet Olmuştur, diretor comercial da Turkish Airlines.

De acordo com o responsável, o novo serviço TK Wallet está acessível através da aplicação móvel da companhia aérea, assim como pelo website da transportadora, que pode ser consultado aqui.

A Turkish Airlines explica que os passageiros que utilizem o TK Wallet podem ainda ganhar TK Money além do valor do reembolso de passagens aéreas e compras de serviços adicionais feitas através da aplicação móvel e website da companhia aérea.

“O TK Money é ganho através de transações de reembolso via TK Wallet, é oferecido em quatro moedas diferentes (lira turca, euro, dólar americano e libra esterlina) através dos canais online da Turkish Airlines e pode ser usado de forma rápida e segura”, refere ainda a companhia aérea, em comunicado.

 

Sobre o autorPublituris

Publituris

Mais artigos
Transportes

MSC Cruzeiros volta a ser distinguida com Prémio Cinco Estrelas

A MSC Cruzeiros voltou a ser distinguida com o Prémio Cinco Estrelas, galardão que é entregue à companhia de cruzeiros há sete anos consecutivos, na categoria “cruzeiros”, na qual a MSC Cruzeiros obteve uma satisfação global de 81,1%.

Publituris

A MSC Cruzeiros voltou a ser distinguida com o Prémio Cinco Estrelas, galardão que é entregue à companhia de cruzeiros há sete anos consecutivos, de acordo com um comunicado enviado à imprensa.

O prémios foi atribuído à MSC Cruzeiros na categoria “cruzeiros”,  na qual constavam outras quatro marcas, tendo a companhia obtido uma satisfação global de 81,1%, depois da avaliação de 2254 consumidores.

“Esta distinção vem, uma vez mais, provar que as férias a bordo de um navio da MSC Cruzeiros são uma experiência única, distinguida pela qualidade e excelência. Os modernos e inovadores navios da frota da companhia oferecem uma experiência inesquecível e incomparável, com uma gastronomia autêntica e internacional, entretenimento premiado de classe mundial, alojamento confortável, bem como um excelente serviço com opções para toda a família”, congratula-se a MSC Cruzeiros.

O Prémio Cinco Estrelas é um sistema de avaliação que anualmente mede o grau de satisfação que os consumidores atribuem a produtos, serviços e marcas, tendo como critérios de avaliação a Satisfação pela Experimentação, Relação Preço-Qualidade, Intenção de Compra ou Recomendação, Confiança na Marca e Inovação, sendo ainda avaliadas outras cinco características específicas de cada candidato na sua categoria de consumo.

Na primeira fase, os candidatos passam por um Focus Group e pelo Comité de Avaliação, enquanto na fase seguinte são realizados testes de experimentação que são aplicados à medida das características de cada marca, em situação real de utilização, tendo em conta os serviços e os produtos. Já a terceira e última fase inclui a realização de um estudo de mercado à marca, sendo implementado um questionário massificado junto de uma amostra representativa da população.

Sobre o autorPublituris

Publituris

Mais artigos

DCIM101GOPRO

Transportes

Melhor ano de sempre na atividade de cruzeiros no Porto de Leixões

Em 2023, o Porto de Leixões recebeu 116 navios de cruzeiro que fizeram chegar à região 148.889 passageiros, tornando-se no melhor ano de sempre da atividade de cruzeiros.

Publituris

Estes resultados, divulgados pela Associação dos Portos do Douro, Leixões e Viana do Castelo (APDL), representam um crescimento de 37% no número de passageiros e mais quatro navios comparativamente com o ano anterior. Face a 2018, que tinha sido até agora o melhor ano de sempre em número de passageiros, o aumento foi de 27%.

A entidade refere ainda no seu comunicado que, tendo por base os valores médios definidos pela CLIA para as receitas diretas dos passageiros e dos tripulantes, em 2023, a atividade de cruzeiros gerou uma receita direta de 19,7 milhões de euros na economia da região.

O Reino Unido continua a ser o principal mercado de origem dos passageiros que passam pelos terminais de cruzeiro do Porto de Leixões, correspondendo a 44.1% do total seguindo-se os Estados Unidos da América com 23.2%, a Alemanha com 17.9%, o Canadá com 5% e ainda a Austrália com 1.6%.

De realçar as 14 escalas inaugurais registadas durante o último ano e ainda as quatro operações de ‘turnaround’ (cruzeiros que têm embarque e/ou desembarque no Porto de Leixões).

Tendo em conta que a atividade de cruzeiros na Costa Atlântica continua a ser marcada por alguma sazonalidade e a par do que tem vindo a acontecer nos últimos anos, os meses mais fortes em Leixões foram maio (27.373 passageiros), setembro (24.932 passageiros) e outubro (29.219 passageiros). A par do ano passado, o mês de outubro voltou a ser o melhor mês do ano e, neste caso, o melhor mês de sempre no que ao número de passageiros diz respeito, apontou a APDL.

Reconhece, por outro lado, que o ano de 2023 foi o melhor de sempre da atividade de cruzeiros no Porto de Leixões, fruto do esforço na promoção da atividade de cruzeiros no Porto de Leixões, nomeadamente do Terminal de Cruzeiros (Porto Cruise Terminal), junto das principais companhias de cruzeiro e armadores a nível mundial e com grande impacto no turismo da Região Porto & Norte de Portugal.

Sobre o autorPublituris

Publituris

Mais artigos
Transportes

Tráfego aéreo na Alemanha a recuperar mais lentamente do que na Europa

O número de voos na Europa regressou aos níveis anteriores à pandemia, mas o tráfego aéreo doméstico na Alemanha, em particular, continua em crise. De acordo com a BDL, tal deve-se em parte a uma transferência para o transporte ferroviário.

Publituris

O tráfego aéreo na Alemanha continua a recuperar muito mais lentamente do que noutros países europeus. “No ano passado, atingimos 79% da capacidade de lugares de 2019 na Alemanha, enquanto no resto da Europa a capacidade voltou aos 96%”, afirmou Jost Lammers, presidente da Associação Alemã de Aviação (Bundesverbands der Deutschen Luftverkehrswirtschaft – BDL).

Lammers criticou, em particular, os custos/taxas estatais. Na Alemanha, por exemplo, estes são cinco a dez vezes mais elevados do que noutros países europeus para um voo com um Airbus A320 Neo. “A situação vai continuar a agravar-se com novos aumentos da taxa de tráfego aéreo e das taxas de segurança aérea”, admite o mesmo.

Os custos impactam mais a oferta do que a procura, explica o diretor-geral da BDL, Matthias von Randow. “As companhias aéreas estão a reduzir os seus serviços a fim de utilizar melhor a capacidade dos aviões. Por conseguinte, os viajantes são frequentemente obrigados a mudar para destinos em países vizinhos. E dá o exemplo: “a companhia aérea low cost Ryanair, a maior companhia aérea da Europa em termos de número de passageiros, evita os aeroportos alemães devido aos custos de localização”.

De acordo com Lammers, duas tendências estão a estabilizar no que diz respeito à capacidade de lugares em 2024: a recuperação do tráfego intercontinental continua, com a capacidade de lugares a crescer de 87% para 96% do nível de 2019. No tráfego europeu, a BDL espera um aumento menor para 91% do nível de 2019.

A evolução do tráfego aéreo doméstico alemão é diferente. Enquanto o número de lugares disponíveis em voos domésticos alemães através dos hubs de Frankfurt e Munique aumentou 14%, em 2023, em comparação com 2022, o número de lugares disponíveis em voos domésticos alemães que não tinham estas duas cidades como origem ou destino diminuiu 2%, de acordo com a BDL.

Segundo a associação, Frankfurt e Munique beneficiaram da recuperação do tráfego intercontinental. Em contrapartida, os chamados voos domésticos descentralizados na Alemanha estão a ser cada vez mais substituídos pela comunicação digital e pelo tráfego ferroviário, por exemplo.

Em consonância com este facto, a distância média percorrida pela Deutsche Bahn [o equivalente à nossa CP] tem crescido fortemente nos últimos anos. Em 2022, registou-se um aumento significativo para 316 quilómetros.

Sobre o autorPublituris

Publituris

Mais artigos
Aviação

Ryanair anuncia maior programação de verão em Portugal, apesar do aumento de taxas e da falta do Montijo

Apesar de abrir 14 novas rotas e esperar crescer 7% em passageiros em Portugal no próximo verão, Michael O’Leary, CEO do Grupo Ryanair, diz que o crescimento seria muito mais elevado sem o aumento de taxas aeroportuárias e se o aeroporto do Montijo entrasse em funcionamento.

Inês de Matos

A Ryanair apresentou esta quarta-feira, 7 de fevereiro, a maior programação de sempre da companhia aérea para o verão em Portugal, que vai contar com 14 novas rotas e um crescimento de 7% em passageiros, apesar do aumento de taxas aeroportuárias e da falta que o Montijo continua a fazer, anunciou Michael O’Leary, CEO do Grupo Ryanair, numa conferência de imprensa em Lisboa.

“Temos boas notícias, este ano, em Portugal. Temos algum crescimento, não é aquele que queríamos mas, apesar disso, é algum crescimento, com 14 novas desde os maiores aeroportos, como Faro, Lisboa e Porto”, começou por revelar o responsável.

Apesar das boas notícias, Michael O’Leary admite que o crescimento seria muito mais elevado se a ANA – Aeroportos de Portugal não tivesse decidido aumentar as taxas aeroportuárias acima da inflação e se o aeroporto do Montijo, que para o responsável é a única solução possível para aumentar o tráfego na capital, já estivesse a funcionar.

“O tráfego vai crescer, este ano, 7% mas regressei esta manhã de Malta e vamos crescer 22% em Malta. O crescimento em Portugal seria muito mais forte se a ANA não estivesse a aumentar o seu já elevado monopólio aeroportuário de taxas e se este Governo inútil fizesse alguma coisa e abrisse o Montijo”, atirou, de seguida, o CEO da Ryanair, revelando que as taxas aeroportuárias subiram, este ano, 17% em Lisboa, 12% em Faro, 11% no Porto, 9% em Ponta Delgada e 6% no Funchal.

Michael O’Leary não tem dúvidas de que “Lisboa precisa de um segundo aeroporto” e também não tem dúvidas de que a única solução é o Montijo, não só porque está próximo da capital, mas também porque apenas necessita da construção de um terminal, pelo que espera que o próximo Governo tome a decisão de abrir a infraestrutura logo após as eleições.

“O Montijo é a solução e esperamos que o Governo saído das próximas eleições esteja comprometido em fazer crescer o turismo, criando também concorrência ao monopólio francês da ANA e que trabalhe com a Ryanair para um rápido crescimento”, afirmou.

O CEO da Ryanair teceu ainda críticas à atribuição dos antigos slots da TAP à easyJet, acusando a companhia aérea rival de ter ficado com os slots apenas por ter aviões maiores, mas que, no entanto, apenas são operados alguns meses por ano.

No total, a Ryanair vai operar, no próximo verão, 170 rotas à partida de quatro aeroportos nacionais – Lisboa, Porto, Faro e Funchal -, incluindo 14 novas rotas para Alicante, Estocolmo, Belfast, Budapeste, Cracóvia, Norwich, Marraquexe, Roma, Ibiza, Madrid, Pisa, Poznan e Tânger (2x).

No caso de Lisboa, as novas rotas são para Alicante, Roma, Madrid, Poznan e Tânger, enquanto Faro passa a ter voos para Estocolmo, Budapeste, Cracóvia, Marraquexe e Norwich. Já o Porto, vai passar a contar com ligações a Belfast, Ibiza, Pisa e Tânger.

A companhia aérea, que vai ter 28 aviões baseados em território nacional, conta transportar 13,5 milhões de passageiros em Portugal, em 2024, num aumento de 7% face ao ano passado.

Para assinalar o lançamento da operação de verão, a Ryanair lançou uma nova promoção com preços de 29,99 euros, válida para reservas realizadas até 10 de fevereiro e cujas viagens decorram entre abril e outubro.

 

Sobre o autorInês de Matos

Inês de Matos

Mais artigos
Aviação

Ryanair não reabre base de Ponta Delgada no verão

Michael O’Leary, CEO do Grupo Ryanair, esteve esta quarta-feira, 7 de fevereiro, em Lisboa e revelou que, devido à subida de 9% nas taxas aeroportuárias, a companhia aérea não vai reabrir, este verão, a base de Ponta Delgada, Açores.

Inês de Matos

A Ryanair não vai reabrir a base de Ponta Delgada, nos Açores, no próximo verão devido ao aumento das taxas aeroportuárias no arquipélago, revelou esta quarta-feira, 7 de fevereiro, Michael O’Leary, CEO do Grupo Ryanair, numa conferência de imprensa em Lisboa.

“Os custos em Ponta Delgada cresceram 9% porque haveria de reabrir a base se tenho outros aeroportos na Europa com custos mais baixos?”, questionou o responsável, em resposta ao Publituris.

Michael O’Leary revelou também que, durante os quatro anos em que a Ryanair operou em Ponta Delgada, a companhia aérea perdeu dinheiro, uma vez que, durante o inverno, a procura pelos voos da companhia aérea para a capital micaelense descia drasticamente, o que se torna incomportável com o aumento de taxas aplicado pela ANA – Aeroportos de Portugal.

“Perco dinheiro em Ponta Delgada se abrir uma base por apenas sete meses por ano. Já perdi muito dinheiro, porque haveria de querer reabrir a base? Até parece que o aeroporto de Ponta Delgada está cheio, mas não está, está vazio”, acrescentou, considerando que não é viável manter a base aberta apenas no verão, uma vez que a Ryanair teria de contratar pessoal para o verão e despedir no inverno.

O CEO do Grupo Ryanair aproveitou também para aprofundar as criticas à ANA – Aeroportos de Portugal, reafirmando que a empresa que gere os aeroportos nacionais só aumenta as taxas porque não tem concorrência, uma vez que, por toda a Europa, são vários os aeroportos que têm descido as taxas por causa da inflação, mas em Portugal está a suceder o contrário.

“Este é o tipo de estragos que a ANA causa, o monopólio francês aeroportuário está a fazer o contrário do que outros fizeram que foi, em tempos de inflação, descer as taxas, mas a ANA aumenta porque pode, não tem concorrência”, afirmou, defendendo que a empresa gestora dos aeroportos nacionais “matou a base” da Ryanair em Ponta Delgada.

Michel O’Leary explicou que a companhia aérea ainda não tomou uma decisão em relação à base do Funchal, que no inverno já teve apenas um avião baseado, apesar de admitir que, tal como em Ponta Delgada, também na Madeira a Ryanair pode deixar de ter aviões baseados.

“No Funchal, mantemos um avião, mas também pode ir para zero no fim do verão. Ainda não temos a certeza”, acrescentou o responsável, considerando que “este é o tipo de estragos que a ANA causa”, uma vez que, no aeroporto madeirense, as taxas subiram, este ano, 6%.

 

Sobre o autorInês de Matos

Inês de Matos

Mais artigos
Transportes

Tribunal-Geral da UE anula auxílio dos Países Baixos de 3,4 MM€ à KLM

O Tribunal-Geral da União Europeia anulou a aprovação de um auxílio de Estado dos Países Baixos no montante de 3,4 mil milhões de euros a favor da KLM dado em 2020.

Victor Jorge

O Tribunal-Geral da União Europeia acaba de tomar uma decisão relativamente à aprovação de um auxílio de Estado dos Países Baixos no montante de 3,4 mil milhões de euros a favor da KLM dado em 2020 no contexto da COVID-19 anulando a mesma.

“Quando existem motivos para recear os efeitos na concorrência de uma acumulação de auxílios estatais no âmbito de um mesmo grupo, cabe à Comissão exercer uma vigilância especial no exame das relações entre as empresas pertencentes a esse grupo”, pode ler-se na decisão publicada esta quarta-feira, dia 7 de fevereiro, pelo referido tribunal.

Recorde-se que, em 2020, a Comissão Europeia aprovou um auxílio estatal neerlandês a favor da KLM, que consistia numa garantia estatal para um empréstimo bancário e um empréstimo estatal. O orçamento total do auxílio foi de 3,4 mil milhões de euros. O objetivo da medida consistia em fornecer à KLM com liquidez temporária no contexto da pandemia de Covid-19.

No entanto, em 2021, o Tribunal-Geral da União Europeia anulou a decisão da Comissão com o fundamento de falta de fundamentação no que respeita à determinação do beneficiário da medida em causa. Além disso, o tribunal decidiu suspender os efeitos da anulação até à adoção de uma nova decisão pela Comissão.

Posteriormente, em 16 de julho de 2021, a Comissão adotou uma nova decisão, na qual considerou que o auxílio estatal era compatível com o mercado interno e que a KLM e as suas filiais eram os únicos beneficiários do auxílio, excluindo as outras empresas do grupo Air France-KLM.

No âmbito do recurso interposto pela companhia aérea Ryanair, que já veio saudar a decisão, o Tribunal-Geral anula novamente, através do acórdão proferido, a aprovação do auxílio em causa.

O Tribunal-Geral considera que a Comissão cometeu “um erro ao definir os beneficiários do auxílio de Estado concedido, ao excluir destes beneficiários a holding Air France-KLM e a Air France, duas sociedades que fazem parte do grupo Air France-KLM”.

A este respeito, o Tribunal de Justiça examina as relações de capital, orgânicas, funcionais e económicas entre as sociedades do grupo do grupo Air France-KLM, o quadro contratual com base no qual a medida em causa foi concedida, bem como o tipo de medida de auxílio concedida e o contexto em que foi concedida.

Conclui, nesta base, que “a holding Air France-KLM e a Air France estavam em condições de beneficiar, pelo menos indiretamente, da vantagem concedida pelo auxílio estatal em causa”.

Sobre o autorVictor Jorge

Victor Jorge

Mais artigos
PUB
PUB
PUB
PUB
PUB
PUB
PUB
PUB
PUB
PUB
PUB
PUB

Navegue

Sobre nós

Grupo Workmedia

Mantenha-se informado

©2021 PUBLITURIS. Todos os direitos reservados.