Assine já
Destinos

31% dos portugueses admitem recorrer a suportes online para agendar e pagar as férias

Aumento o uso dos sites e plataformas de comércio online por parte dos portugueses para comprar viagens, planear férias e reservar alojamentos, revela uma análise da Marktest.

Publituris
Destinos

31% dos portugueses admitem recorrer a suportes online para agendar e pagar as férias

Aumento o uso dos sites e plataformas de comércio online por parte dos portugueses para comprar viagens, planear férias e reservar alojamentos, revela uma análise da Marktest.

Publituris
Sobre o autor
Publituris
Artigos relacionados
“Há uma grande fidelidade do turista luso por Espanha e vice-versa”
Análise
68% dos portugueses quer certificado para viajar em segurança
Destinos
Header Stock photos by Vecteezy
Portugal sai da “lista verde” do Reino Unido e perde vantagem
Destinos
Natureza Fotos de banco de imagens por Vecteezy
Ryanair condena decisão “bizarra” do Governo britânico por colocar Portugal na “lista amarela”
Destinos

O universo de portugueses que assume a intenção de comprar viagens ou reservar alojamentos para férias e fins-de-semanas em sites de e-commerce atingiu pela primeira vez os 31% no início deste ano, segundo dadas avançados pela Marktest.

O “Barómetro e-Commerce” assinala que “os sites e plataformas de comércio online são cada vez mais usados pelos portugueses para comprar viagens, planear férias e reservar alojamentos”.

A análise aos dados deste estudo da Marktest permite perceber também que a tendência de crescimento na preparação online das férias é ainda mais evidente entre os portugueses já habituados a comprar através de suportes digitais: entre a primeira vaga de 2021 do Barómetro e a primeira vaga de 2022, o universo de compradores que admite comprar férias online aumentou 7,7 pontos percentuais, para 50,8%.

No que respeita às plataformas relacionadas com férias a que os portugueses tinham recorrido nos 30 dias anteriores ao inquérito, a aplicação Booking liderava de forma destacada e registava um crescimento de 177 mil para 586 mil compradores entre a primeira vaga de 2021 e a primeira vaga de 2022 do Barómetro e-Commerce.

A alguma distância destes valores, com menos de 25 mil compradores em Portugal na primeira vaga de 2022, surgiam as plataformas digitais Airbnb, Odisseias, FlyTap e eDreams.

Sobre o autorPublituris

Publituris

Mais artigos
Artigos relacionados
Destinos

Rússia dissolve agência estatal de turismo

O presidente russo, Vladimir Putin, passou as competência da agência estatal de turismo, Rosturizm diretamente para o Ministério da Economia.

Publituris

O presidente russo, Vladimir Putin, decidiu dissolver a agência estatal de turismo, Rosturizm, passando as competências diretamente para o Ministério da Economia. O objetivo, conforme explicitado no decreto que anuncia a medida, é “promover o desenvolvimento da indústria do turismo e otimizar as estruturas dos órgãos federais”.

Esta decisão ocorre num momento delicado para a indústria do turismo russa, fortemente impactada pelas sanções internacionais impostas devido à guerra na Ucrânia, escreve o “The Moscow Times”.

Recorde-se que a proibição de alugar ou vender aeronaves, motores e peças sobressalentes para a Rússia ou o encerramento do espaço aéreo para aeronaves de propriedade ou pilotadas por russos continua em vigor. Além disso, muitas empresas turísticas ocidentais deixaram de operar no país e é impossível fazer pagamentos com cartões bancários estrangeiros, o que resultou numa quebra no turismo internacional entre 95 e 97%.

A agência Rosturizm foi fundada em 2004 com o objetivo de promover o desenvolvimento do turismo na Rússia e a chegada de visitantes internacionais, além de ser responsável por exercer o controlo estatal sobre os operadores turísticos e organizações encarregadas de homologar hotéis, pistas de esqui e praias, sendo chefiada, desde 2019, por Zarina Doguzova.

Sobre o autorPublituris

Publituris

Mais artigos
Destinos

Portugal entrou no mapa das grandes produções cinematográficas

As filmagens da série “House of the Dragon” ou do filme “Velocidade Furiosa” são prova de que há um grande potencial de atração turística para os destinos.

Publituris

A captação de grandes produções audiovisuais para Portugal, como a série “House of the Dragon” ou o filme “Velocidade Furiosa”, é um sinal evidente de que o nosso país entrou no mapa destas produções e que há um grande potencial de atração turística para os destinos onde são filmadas. Esta foi uma das conclusões do painel “O Cinema Como Motor do Desenvolvimento Regional”, que aconteceu, recentemente, em Ourém, no primeiro dia do ART&TUR – Festival Internacional de Cinema de Turismo.

O painel foi moderado por Adriana Rodrigues, presidente da Centro de Portugal Film Commission, e contou com a presença de Mariana Martinho, da produtora Sagesse Productions, e Sandra Neves, diretora-executiva da Portugal Film Commission.

Para Mariana Martinho, o impacto da vinda destas produções vai muito além do turismo, referindo que, “um exemplo muito recente, a filmagem do ‘House of the Dragon’ em Monsanto, vai sem dúvida atrair o chamado turismo audiovisual, de pessoas com motivações diferentes, que vêm para conhecer o local de filmagens. Isso desperta interesse pela cultura e pelo local. Mas além disso temos o investimento, a injeção de capital no local. Houve um dia em Monsanto em que tivemos 1.000 pessoas a trabalhar. São 1000 pessoas que têm de estar instaladas, há dinheiro que entra na restauração, na hotelaria, em pequenas empresas, em pequenos fornecedores. Ao termos cada vez mais estúdios grandes a filmar em Portugal, isso chama a atenção ainda de mais estúdios. Estamos num excelente caminho e temos de continuar este esforço, para que cada vez mais produções venham para Portugal”, sublinhou.

A opinião foi partilhada por Sandra Neves, salientando que “Portugal está mesmo no mapa destas produções. Costumo dizer muitas vezes que queríamos nadar na piscina dos grandes e agora, com estas grandes produções internacionais, chegámos lá. Agora temos de continuar a ser cada vez mais atrativos. Neste momento, precisamos apenas de afinar algumas coisas, a nível de mecanismos de apoio”, explicou.

O painel “O Cinema Como Motor do Desenvolvimento Regional” foi antecedido pela Sessão de Abertura do Festival ART&TUR, com as boas-vindas a ficarem a cargo de Francisco Dias, diretor do Festival. O responsável destacou o facto de o ART&TUR ser “um grande promotor da qualidade do audiovisual em Portugal”. “O Festival é um player ativo na promoção dos destinos e a qualidade dos filmes a concurso melhoram de ano para o ano. Os prémios comprovam a melhoria contínua da qualidade do turismo”, disse Francisco Dias.

Também presente na Sessão de Abertura, na qualidade de chefe do Núcleo de Comunicação, Imagem e Relações Públicas da Turismo Centro de Portugal, Adriana Rodrigues recordou que “edição após edição, temos tido o privilégio de receber no Centro de Portugal realizadores e produtores oriundos de todo o mundo e de lhes mostrar o que de melhor o nosso território tem para oferecer”. “Em todos os palcos onde decorre o festival, fica demonstrado que o Centro de Portugal é um destino de eleição para todo o tipo de produções cinematográficas ou televisivas. Esta região oferece um manancial ilimitado de recursos, que têm motivado um interesse crescente por parte de produtoras internacionais”, acrescentou.

Anabela Freitas, presidente da Comunidade Intermunicipal do Médio Tejo, considerou que “o Médio Tejo tem um património vastíssimo” e que este Festival permitirá “um olhar diferente sobre o território, ao aliar a arte dos filmes com a arte do turismo”.

Exibidos 87 filmes em quatro dias de festival
A 15.ª edição do ART&TUR – Festival Internacional de Cinema de Turismo decorre até ao próximo dia 28, em Ourém, numa co-organização entre a Centro Portugal Film Commission e a Turismo Centro de Portugal. As últimas quatro edições do festival realizaram-se no Centro de Portugal, nomeadamente em Leiria, Torres Vedras, Viseu e Aveiro, a que se segue agora Ourém.

Durante os quatro dias do Festival, serão exibidos os filmes que compõem a short list da competição, selecionados entre os 281 filmes promocionais e documentários, de 32 países, que se inscreveram na competição e que foram avaliados pelo júri internacional. No total, serão exibidos 87 filmes, integrados em 13 sessões temáticas. As sessões temáticas serão antecedidas de mesas-redondas, em que especialistas refletirão sobre temas atuais abordados nos filmes exibidos.

Paralelamente, decorrerão outras iniciativas inseridas no Festival. Uma delas é o ART&FACTORY, um concurso de produção audiovisual em que participam realizadores internacionais, que produzem, na semana imediatamente antes do festival, filmes promocionais no território do Médio Tejo. Os filmes serão exibidos no festival.

Sobre o autorPublituris

Publituris

Mais artigos
Destinos

Capacitação para o turismo, gastronomia e cultura maranhense agradam aos portugueses

O Estado do Maranhão veio mostrar-se aos agentes do turismo portugueses com o Road Show da Cultura Maranhense.

A cidade do Porto, em Portugal, recebeu, recentemente, o Road Show da Cultura Maranhense, trazendo para Portugal o melhor da cultura do estado do Maranhão, exposição que seguiu, posteriormente, para Coimbra e Lisboa.

Hugo Paiva, secretário adjunto da Secretaria de Turismo do Maranhão, presente no evento, que aconteceu no Espaço 5B Gastronomia e Arte, ministrou para os presentes uma capacitação sobre o destino Maranhão, revelando as maravilhas da cultura local. Hugo explicou que “as características históricas e culturais da capital maranhense são muito próximas a Portugal, mas temos também paisagens completamente diferentes como os lençóis maranhenses. O Estado recebe turistas o ano todo, o público português, quando chega ao Maranhão, sente-se em casa”.

O responsável também destacou que o Maranhão “segue em crescente retoma do segmento turístico no Brasil, e um evento como este é uma importante montra para que os convidados façam uma verdadeira imersão na cultura maranhense, repleta de folclore, rico e colorido, onde ocorre a união de herança dos povos portugueses, indígenas, franceses e holandeses numa atmosfera única”.

O ponto alto da noite foi o jantar, executado pelo chef Rafael Bruno, com menu especial que fez questão de destacar a pluralidade da gastronomia da região. O chef, que é Embaixador da Gastronomia do Maranhão e do Nordeste, elaborou um menu para que o público português pudesse sentir os sabores típicos da região.

“Os insumos utilizados vêm de biomas únicos, de algumas áreas da Mata dos Cocais, do cerrado, da Amazônia. Destaque para o icónico arroz de cuxá, acompanhado de peixe pedra aromatizado com coco babaçu. O jantar foi finalizado com mousse de bacuri servido com chocolate Tapuio, uma atração à parte”, destacou o chef, acrescentando que foi servido um café de babaçu, “deixando um gostinho de quero mais para os portugueses, o que com certeza aqueceu seus corações.”

Por fim, o público fez uma viagem ao Maranhão através da apresentação musical comandada por Breno Bghost. O evento fez parte da Lei Estadual de Incentivo à Cultura com o patrocínio do Grupo Mateus.

Sobre o autorCarolina Morgado

Carolina Morgado

Mais artigos
Destinos

Carlos Moedas anuncia parceria com Ryanair para “Fábrica de Unicórnios”

O presidente da Câmara de Lisboa, Carlos Moedas, anunciou uma parceria com a Ryanair para a “Fábrica de Unicórnios”, afirmando, também, estar na corrida para a localização do novo centro de inovação da companhia irlandesa.

Victor Jorge

O presidente da Câmara de Lisboa, Carlos Moedas, anunciou esta terça-feira, 25 de outubro, que a cidade quer estar na corrida para a localização do novo centro de inovação da Ryanair e anunciou uma parceria com a companhia aérea para a “Fábrica de Unicórnios”.

Aproveitando a presença do presidente da Ryanair, MichaelO’ Leary, que veio a Lisboa para celebrar o 20.º aniversário da operação da companhia no nosso país, Carlos Moedas disse que “tudo fazer para que a Ryanair também estabeleça aqui, mais um centro de inovação em Lisboa, acho que isso é importante, portanto vamos tentar estar nesta corrida”.

Perante vários representantes do setor do turismo nacional, entre eles a secretária de Estado do Turismo, Comércio e Serviços, Rita Marques, Francisco Calheiros, presidente da Confederação do Turismo de Portugal (CTP), Francisco Pita, CCO da ANA – Aeroportos de Portugal, entre outros, o autarca sublinhou que a concorrência para a localização do novo centro é “entre cidades de toda a Europa” e defendeu que Lisboa “tem de criar essa atratividade”.

Recorde-se que, no início de setembro, o presidente executivo da companhia aérea irlandesa, Michael O’Leary, disse, num encontro com jornalistas, em Dublin, que a Ryanair quer abrir um novo centro de treinos para pilotos e tripulantes de cabine na Península Ibérica e admitiu que o Porto é uma das hipóteses em consideração.

No entanto, hoje, o presidente executivo da companhia de aviação, Eddie Wilson, avançou que a decisão deverá ser tomada nos próximos três meses e que Madrid se apresenta como uma opção com melhores conexões.

O responsável disse ainda que a empresa está a analisar a hipótese de abrir instalações em Lisboa para a equipa de tecnologias de informação, que pretende reforçar.

Carlos Moedas aproveitou também o momento para anunciar que a Câmara de Lisboa e a Ryanair vão ser parceiros no desenvolvimento da Fábrica de Unicórnios, que deverá ser anunciada na próxima semana, na Web Summit.

“Vamos anunciar a Fábrica de Unicórnios, aquele que é o meu grande projeto de inovação, para que Lisboa seja a capital da inovação da Europa e, hoje, tive a boa notícia que a Ryanair vai também participar neste projeto”, frisou Moedas.

Já no que diz respeito ao novo aeroporto, Carlos Moedas afirmou que “o que a Ryanair fez foi mais do que simples números. Foi trazer pessoas para fazerem a nossa economia crescer”.

Além disso, admitiu que “o que a Ryanair fez foi dar a uma geração a possibilidade de viajar”; salientando que “vocês [Ryanair] democratizaram as viagens”.

Para rematar a intervenção, Moeadas afirmou ainda que “precisamos de um novo aeroporto já”, reforçando que “precisamos de um novo aeroporto em Lisboa”.

Sobre o autorVictor Jorge

Victor Jorge

Mais artigos
Sem categoria

Turismo de Portugal e IAPMEI promovem conferência sobre formação financeira

A sustentabilidade na criação de valor no negócio, o impacto da estratégia ESG no acesso ao financiamento e como oportunidade de negócio, bem como a fiscalidade verde, são alguns dos temas que vão estar em destaque.

Publituris

O Turismo de Portugal e o IAPMEI vão promover, a 27 de outubro, uma conferência sobre formação financeira, dedicada ao tema “O valor financeiro dos negócios sustentáveis​”.

Esta conferência, que decorre em parceria com o Conselho Nacional de Supervisores Financeiros, visa “refletir sobre questões que poderão ajudar as empresas a integrar a estratégia ESG na sua gestão financeira, enquanto fonte de oportunidades, de inovação e de vantagem competitiva”, segundo informação publicada no site do Turismo de Portugal.

A iniciativa, que decorre na Semana da Formação Financeira e no âmbito do Plano Nacional de Formação Financeira, vai ter lugar online, a partir das 14h30, e vai abordar temas como a sustentabilidade na criação de valor no negócio, o impacto da estratégia ESG no acesso ao financiamento e como oportunidade de negócio, bem como a fiscalidade verde.

A conferência vai ser transmitida online, através do canal do Youtube do IAPMEI, e requer inscrição prévia, que pode ser realizada aqui.

Para mais informações e esclarecimentos sobre o programa do evento e inscrições, está ainda disponível o email [email protected]apmei.pt.

 

Sobre o autorPublituris

Publituris

Mais artigos
Destinos

Receitas no turismo brasileiro em alta no mês de agosto

No acumulado dos últimos 12 meses, os dados da FecomercioSP indicam um crescimento de 32,9%, face ao ano anterior de 2021.

Publituris

De acordo com os números mais recentes avançados pelo Conselho de Turismo da Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Estado de São Paulo (FecomercioSP), com base em dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), o turismo brasileiro obteve receitas de 17,6 mil milhões de reais (cerca de 3,5 mil milhões de euros), no mês de agosto, correspondendo à maior movimentação do setor desde 2015.

A retoma na procura por viagens por parte das famílias e a inflação no setor foram fatores que impulsionaram o crescimento em 30,6%, no oitavo mês do ano. No acumulado dos últimos 12 meses, os dados indicam um crescimento de 32,9%, face ao ano anterior de 2021.

Os dados divulgados pela FecomercioSP revelam ainda que, entre os diversos segmentos de atividade, o destaque vai para o crescimento anual de 72,8% no transporte aéreo que, em comparação com o mesmo período de 2019, a evolução foi próxima dos 20%.

Dados da Agência Nacional de Aviação Civil (ANAC) apontam, por sua vez, que, em agosto, foram transportados 7,29 milhões de passageiros, correspondendo a mais 30% que no mesmo mês de 2021, aproximando-se dos 7,9 milhões passageiros do mesmo período de 2019.

Sobre o autorPublituris

Publituris

Mais artigos
Destinos

Candidaturas de PME a apoio de projetos conjuntos de internacionalização já decorrem

Concurso visa apoiar “ações de promoção e marketing”, assim como a presença das PME “em certames internacionais e do conhecimento e acesso a novos mercados”. Candidaturas decorre até 30 de dezembro de 2022.

Publituris

O Governo anunciou sexta-feira, 21 de outubro, a abertura das candidaturas para as empresas PME ao apoio de projetos conjuntos de internacionalização, que se encontram a decorrer até 30 de dezembro de 2022.

De acordo com um comunicado do Ministério da Economia e do Mar, este concurso destina-se a “conceder apoios financeiros a projetos que reforcem a capacitação empresarial das PME para a internacionalização permitindo potenciar o aumento da sua base e capacidade exportadora e reconhecimento internacional”.

Entre as iniciativas que vão ser apoiadas encontram-se “ações de promoção e marketing”, assim como a presença destas empresas “em certames internacionais e do conhecimento e acesso a novos mercados”, sendo também valorizada “a utilização crescente de ferramentas digitais, mediante o recurso a tecnologias e processos associados a canais digitais”.

As candidaturas destinam-se a empresas PME de qualquer natureza e sob qualquer forma jurídica, que estejam integradas em projetos conjuntos promovidos por entidades públicas ou privadas sem fins lucrativos, de natureza associativa e com competências específicas dirigidas às PME, a exemplo de associações empresariais, câmaras de comércio e indústria, agências regionais de promoção turística, assim como outras entidades não empresariais do Sistema Nacional de I&I.

O aviso abrange todas as regiões NUTS II do Continente: (Norte, Centro, Lisboa, Alentejo e Algarve) e os apoios são atribuídos sob a forma de subvenção não reembolsável.

Este aviso enquadra -se no mecanismo extraordinário de antecipação do Portugal 2030, aprovado pela Deliberação n.º 27/2021, de 23 de agosto, da Comissão Interministerial de Coordenação (CIC) do Portugal 2020 onde se prevê a utilização antecipada de verbas do Portugal 2030.

Toda a informação sobre este concurso está publicada no site do COMPETE 2020 e pode ser consultada aqui.

Sobre o autorPublituris

Publituris

Mais artigos
Destinos

Qatar Airways e Turismo do Qatar dão a conhecer entretenimento para o Mundial de Futebol

O programa de animação e entretenimento para o Mundial de Futebol de 2022 já foi divulgado e vai contar com concertos, animação de praia, novas atrações, festivais e até com a inauguração de um cruzeiro.

Publituris

A Qatar Airways e o Turismo do Qatar já apresentaram o programa de animação e entretenimento para o Mundial de Futebol de 2022, que vai decorrer no Qatar, em novembro e dezembro, e que vai contar com concertos, animação de praia, festivais, novas atrações e até com a inauguração de um cruzeiro.

O tema do Mundial de Futebol de 2022 começa logo a bordo dos voos da Qatar Airways, companhia aérea oficial da competição, que vai ter a bordo uma gama especial de produtos e ativações temáticas do Campeonato do Mundo FIFA.

“A cabine, inspirada no futebol, inclui kits de amenities FIFA de edição limitada, almofadas de recordação, auscultadores, menus de jantar e roupa de lounge ao estilo das camisolas desportivas. Pacotes para jovens viajantes e peluches foram especialmente elaborados para os adeptos mais novos”, indica a companhia aérea, revelando que também o sistema de entretenimento a bordo vai ter títulos relacionados com desporto e futebol.

Já no Qatar, os adeptos do futebol vão encontrar praias recém-desenvolvidas, como o o family-friendly B12 Beach Club, que oferece uma gama de atividades, opções de refeições excecionais, serviços premium e entretenimento familiar ao vivo.

Destaque também para a Doha Sands, uma das mais recentes praias do Qatar, que oferece música ao vivo, dança e refeições, numa experiência que pode ser complementada com os quiosques gastronómicos clássicos de Doha, onde se encontra uma vasta gama de opções culinárias.

Já a West Bay Beach é uma praia pública que está preparada para oferecer às famílias uma gama de atividades desportivas aquáticas e acomodar até 1.500 visitantes.

Mas o destaque vai mesmo para os concertos do Qatar Live, onde estão previstas atuações de Enrique Iglesias, Black Eyed Peas, Maroon 5, Post Malone, J Balvin e Robbie Williams, assim como o regresso do Daydream Qatar 2022, festival que “vai trazer o maior lineup de DJ que o Médio Oriente já viu”.

Incluída na programação do Mundial de Futebol de 2022 está também a inauguração do MSC World Europa, o novo navio da MSC Cruzeiros, que vai estar atracado no Grande Terminal do Porto de Doha durante toda a duração do Campeonato do Mundo FIFA Qatar 2022, funcionando como um hotel flutuante.

Em breve, os visitantes vão também poder visitar o Qatar Sky House, um pavilhão no Al Bidda Park que incluirá atividades interativas, tais como pinturas faciais,
experiência Qverse, Swing the World, matraquilhos e o desafio Neymar, e que incluirá ainda duas áreas lounge, um lounge do Privilege Club da Qatar Airways
e um espaço dedicado ao relaxamento.

A Qatar Airways vai disponibilizar ainda a Qatar Airways House, situada no Hotel Hyatt Regency Oryx, um espaço onde a companhia aérea vai estender a sua hospitalidade aos seus clientes e a convidados VIP, transmitindo ao vivo jogos,
conferências, eventos, além de fazer uma introdução à cultura do país.

Em novembro, é também inaugurado o Lusail Winter Wonderland, parque temático com mais de 50 atrações emocionantes, incluindo o comboio florestal Qatar Airways dentro do Qatar Airways Festive Forrest, o Flume ride Arctic Splash, um gigantesco Escorrega de Gelo, o The Galleon, a Montanha Russa Ooredoo 5G e o Ain QNm, que é uma roda gigante com 45 m.

Também em novembro, entre os dias 3 e 5, decorre o Darb Lusail Festival, que vai oferecer festividades de três dias em representação do Médio Oriente, sul da Ásia e norte de África, com talentos de referência, espetáculos de luzes de drone e atuações artísticas.

Nos estádios, a Qatar Airways vai ainda ter o Qatar Airways Booth, que vai contar com eventos, visitas às fan zones antes ou depois dos respetivos jogos, ou a um passeio de sete quilómetros, sendo que cada booth incluirá jogos de futebol virtuais protagonizados por Neymar, pinturas faciais, giveaways e muito mais.

A Qatar Airways vai também providenciar espaços dedicados de Transbordo de Passageiros fora do Aeroporto Internacional de Hamad e do Aeroporto Internacional de Doha, sem custos extra e que vão contar com entretenimento e animação.

Novidade é ainda a reativação do Aeroporto Internacional de Doha, que vai receber voos de 13 companhias aéreas regionais e internacionais durante a competição, num total de 4.000 passageiros adicionais por hora para o Qatar.

Sobre o autorPublituris

Publituris

Mais artigos
Destinos

Ryanair com 10 rotas que ligam Madeira à Europa no próximo Inverno

Nas contas da Ryanair, as duas aeronaves baseadas na Madeira para o Inverno de 2022 representam um investimento de 200 milhões de dólares (cerca de 205 milhões de euros), significando mais de 80 voos semanais e mais de 500 postos de trabalho, incluindo 60 empregos diretos.

Publituris

A Ryanair lançou, recentemente, a sua programação para o Inverno 2022 para a Madeira, anunciando 10 rotas de/para cidades europeias, tais como Bruxelas, Dublin, Londres e Milão.

Segundo a companhia aérea low-cost, “estas [rotas] irão conduzir o turismo durante todo o ano, para a Madeira, melhorando ao mesmo tempo a conectividade da ilha com as rotas domésticas para Lisboa e Porto, ao mesmo tempo que oferece ligações para os residentes madeirenses, com as tarifas mais baixas”.

Nas contas da Ryanair, as duas aeronaves baseadas na Madeira para o Inverno de 2022 representam um investimento de 200 milhões de dólares (cerca de 205 milhões de euros), significando mais de 80 voos semanais e mais de 500 postos de trabalho, incluindo 60 empregos diretos.

De resto, a companhia refere, em comunicado, que a base da Ryanair na Madeira representa um “compromisso em proporcionar tráfego de entrada, turismo e empregos locais durante todo o ano, ao mesmo tempo que melhora a conectividade vital para a economia da ilha”.

Na nota de imprensa pode ler-se ainda que, a fim de fazer crescer o turismo, a Ryanair, “ao contrário dos prestadores de serviços de hospitalidade na Madeira, precisa de certeza nos custos para investir a longo prazo, particularmente numa fase de recuperação pós-covid, pelo que o aumento proposto de 15% das taxas aeroportuárias pela ANA apenas irá danificar e potencialmente inverter o progresso já feito”.

A companhia liderada por Michael O’Leary considera ainda que “o aumento das taxas aeroportuárias resulta em custos de acesso não competitivos às regiões de Portugal, particularmente à ilha da Madeira, quando comparado com outros países europeus que continuam a oferecer incentivos de recuperação”.

Por isso, a Ryanair “apela” à ANA para que “abandone os aumentos propostos e, em vez disso, recompense as companhias aéreas que investem no aumento do número de passageiros com tarifas mais baixas, à semelhança do que a AENA, a Autoridade Aeroportuária Espanhola, fez ao alargar os seus incentivos de recuperação pós-covid para o período de Inverno”.

Sobre o autorPublituris

Publituris

Mais artigos
Premium

Colômbia inova nas estratégias turísticas para recuperar

Para ultrapassar os efeitos da pandemia, a Colômbia desenhou um plano de recuperação, que passa por: liderar a reabertura da conetividade; promover o destino numa perspetiva de regiões turísticas; consolidar a sua posição como um centro internacional para eventos; posicionar o país como destino número um em termos de sustentabilidade; continuar com a transição do sistema de comercialização B2C; e apoiar a promoção de projetos de infraestruturas turísticas.

Antes da pandemia a Colômbia estava a desfrutar da sua melhor época turística”, segundo a presidente da ProColombia, Flávia Santoro. Em 2019, o destino recebeu 4,5 milhões de turistas estrangeiros. “Foi um resultado histórico para o nosso país, o que permitiu consolidar o setor como fundamental para a economia colombiana, representando 4,3% do PIB nesse ano, enquanto no que respeita à conetividade internacional conseguimos 17 novas rotas”.

Mas chegou a pandemia, e a responsável, que falava em videoconferência no XIII Fórum do Turismo Portugal-América Latina, organizado pelo IPDAL (Instituto para a Promoção da América Latina e Caraíbas), em Lisboa, e que teve precisamente a Colômbia como pais convidado, Flávia Santoro reconhece, “teve as suas consequências”, mas “conscientes do imenso potencial do país, de tudo o que conseguimos, e cada um dos seus destinos turísticos únicos, pensamos que a Colômbia está a desenhar todo um plano de recuperação focado nos esforços e em mudanças inovadoras, mas também facilitando a conetividade dos viajantes aéreas, fortalecendo a confiança  nos nossos turistas internacionais para visitarem os nossos destinos de forma segura”

Olhos postos na retoma
Nessa medida, destacou Flávia Santoro, “vamos apostar com muita determinação em várias linhas estratégicas: liderar a reabertura da conetividade, posicionar a Colômbia como um líder híbrido na América Latina, promover o país, e estamos a fazê-lo numa perspetiva de regiões turísticas, posicionar a Colômbia como destino número um na região em termos de sustentabilidade, manter essa transição do sistema de comercialização B2C, e apoiar a promoção de projetos de infraestruturas turísticas”.

A presidente da ProColombia realçou ainda que, em matéria de capacitação “decidimos migrar o nosso programa de formação exportadora para um formato virtual possibilitando a formação de mais de 21 mil empresários do nosso país”.

Assim, os olhos estão postos na recuperação turística. Já em 2021, com o início da retoma a Colômbia alcançou dois milhões de visitantes estrangeiros e mais de três mil milhões de dólares em divisas, o que representou uma recuperação de 50% em relação aos resultados de 2019 nos dois indicadores”, deu conta a responsável.

Além disso, em matéria de conetividade, nos anos 2020 e 2021 “abrimos 35 novas rotas, para dizer que duplicámos o número alcançado em 2019”, realçou, para acrescentar que, no que se refere a toda a reativação do MICE “decidimos lançar eventos híbridos e presenciais. Desde fevereiro de 2020 traçámos um propósito: reter e reprogramar os eventos de dimensão internacional, e evitar cancelamentos”. Em 2020 o país conseguiu reter 75% dos eventos que estavam programados, ou seja, 250. Para 2021 foram captadas 90 realizações provenientes de 18 países.

Em 2022, apesar da pandemia, a Colômbia está “quase a igualar os recordes de 2019, um ano que foi histórico para o turismo no país”, sublinhou Santoro.

A responsável deu nota que, até maio deste ano o destino contabilizou 1,594 milhões de chegadas de turistas estrangeiros, o que representa um aumento de 240% comparativamente ao mesmo período do ano anterior. No que toca à conetividade, já registou mais de 1.220 frequências semanais, com uma oferta total de 211.600 lugares, ou seja, um incremento de 6%, sendo 91 dessas rotas aéreas diretas.

Deste modo, a presidente da ProColombia sublinha que “o setor turístico colombiano tem demonstrado a sua imensa resiliência, a sua capacidade de adaptação e tenacidade, por isso, estou segura, vai-nos levar a um novo nível”.

Sustentabilidade e biodiversidade
A nova estratégia de promoção da Colômbia assenta nas seis regiões turísticas que o destino oferece, projeto planeado em parceria com tour operadores, empresas, entidades regionais e entidades governamentais da indústria turística, uma vez que o país pretende ter “uma oferta mais organizada, sustentável e mais competitiva”.

Conscientes do imenso potencial do país, de tudo o que conseguimos, e cada um dos seus destinos turísticos únicos, pensamos que a Colômbia está a desenhar todo um plano de recuperação focado nos esforços e em mudanças inovadoras”

As seis regiões são: as Grandes Caraíbas Colombianas, o Pacífico Colombiano, os Andes Ocidentais Colombianos, os Andes Orientais Colombianos, o Maciço (uma grande oferta de arqueologia, história, e culturas vivas) e o Amazónia-Orinoquá (o grande coração verde da Colômbia, repleta de biodiversidade).

Para Flávia Santoro, a Colômbia tem muito para oferecer em matéria de sustentabilidade, porque “é o país mais biodiverso do mundo por metro quadrado, mas também somos um destino líder em diversidade de borboletas e orquídeas, somos o segundo em diversidade de plantas, terceiro em répteis, e quarto no mundo em maior diversidade de mamíferos. Além disso, estamos entre os 15 países a nível mundial com maior área de cobertura vegetal”.

Ter tudo isso, segundo a Santoro “temos que ser responsáveis. Assumimos essa responsabilidade com compromisso e atos concretos. Por essa razão colocamos em marcha políticas em favor da sustentabilidade e da conservação. A Colômbia avança com pessoas firmes nesse sentido”.

A responsável esclareceu ainda, neste âmbito, que o seu país conta com 1.327 áreas protegidas que equivalem a 30% do território nacional. Por outro lado, a ProColombia está a acompanhar o Ministério do Comércio, Indústria e Turismo na implementação da política de turismo sustentável, sendo um dos 12 países mundiais a contar com medidas concretas nesse sentido.

Mas há mais, “A Colômbia foi um dos primeiros países do mundo a ubir.se para a condição do futuro no turismo, uma condição criada por organizações internacionais como a Greens Destinations. Essa condição proporciona parâmetros para construir uma indústria turística mais sustentável, que proteja os destinos e as pessoas que dependem desta atividade”.

A presidente da ProColombia declarou ainda na sua intervenção dirigida aos empresários portugueses ligados ao turismo, que “estamos plenamente conscientes que a sustentabilidade já não é uma tendência, mas uma exigência em todos os setores”.

No que respeita à diversificação da oferta, o objetivo daquela entidade passa por acompanhar os empresários no seu processo de adaptação âs novas tendências mundiais e de um novo perfil dos viajantes, que “gostam de ter experiências sustentáveis, em destinos responsáveis, e que contemplam um impacto nas comunidades locais”.

Para finalizar a sua intervenção, Flávia Santoro afirmou que a ProColombia “está comprometida e encaminhada em concentrar a Colômbia em destino número um em sustentabilidade na região. Esta é, precisamente, uma das seis apostas estratégicas que visam posicionar o nosso país como destino de alta qualidade, com experiências turísticas baseadas na observação ambiental e de exaltação na riqueza cultural e natural”.

 

NÚMEROS

4,3%
do PIB em 2019, + de 4,5 milhões de turistas estrangeiros, e um total de 17 novas rotas aéreas

+ de 2 milhões
de visitantes internacionais em 2021, + de 3 mil milhões de dólares em divisas, recuperação de 50% face a 2019 e 35 novas rotas aéreas

1,590 milhões
Até maio de 2022, + de 1,590 milhões de chegadas internacionais, aumento de 240% face ao mesmo período do ano anterior, + de 1.220 frequências semanais com uma de 211.600 lugares, que corresponde a subida de 6%

Sobre o autorCarolina Morgado

Carolina Morgado

Mais artigos

Navegue

Sobre nós

Grupo Workmedia

Mantenha-se conectado

©2021 PUBLITURIS. Todos os direitos reservados.