Assine já
Destinos

Turismo de Portugal integra ‘task force’ para o Mar

O Turismo de Portugal é uma das instituições que integram a nova ‘task force’ do Mar, que visa “potenciar o contributo do mar para a economia do país e reforçar a posição e a visibilidade de Portugal no mundo, enquanto nação eminentemente marítima”.

Publituris
Destinos

Turismo de Portugal integra ‘task force’ para o Mar

O Turismo de Portugal é uma das instituições que integram a nova ‘task force’ do Mar, que visa “potenciar o contributo do mar para a economia do país e reforçar a posição e a visibilidade de Portugal no mundo, enquanto nação eminentemente marítima”.

Publituris
Sobre o autor
Publituris
Artigos relacionados
Fitur marca regresso de Portugal às feiras internacionais
Homepage
Turismo de Portugal promove boas práticas em guias específicos para o setor
Homepage
Plano de Ação para reativar turismo conta com 6 mil milhões de euros
Homepage
#Tempo de Ser |#Time to Be é a nova campanha do Turismo de Portugal
Destinos

O Turismo de Portugal é uma das instituições que integram a ‘task force’ para o Mar, iniciativa do Ministério da Economia e do Mar, que visa “potenciar o contributo do mar para a economia do país e reforçar a posição e a visibilidade de Portugal no mundo, enquanto nação eminentemente marítima”.

Segundo um comunicado do Ministério da Economia e do Mar, além do Turismo de Portugal, esta ‘task force’ conta também com a participação das Forças Armadas, da Fundação Oceano Azul, assim como de várias entidades públicas e privadas, e ainda agentes setoriais ligados à economia do mar.

Esta ‘task force’ realizou esta quarta-feira, 20 de abril, a sua primeira reunião, na qual o ministro da Economia e do Mar, António Costa e Silva, apresentou os 10 objetivos estratégicos para a área do mar, que estão inscritos no Programa do XXIII Governo Constitucional.

Nesta reunião, António Costa e Silva convidou também os vários participantes a “identificar, promover e desenvolver projetos prioritários no âmbito da economia do mar”, a exemplo da conservação do ambiente marinho e dos serviços dos ecossistemas, do conhecimento científico e da observação oceânica, da criação de um hub internacional de bioeconomia e economia circular azuis, da aposta nas energias renováveis e tecnologias oceânicas, da promoção de um turismo azul, da afirmação das indústrias da defesa e do naval em Portugal, assim como da aposta na sustentabilidade e segurança alimentar das fileiras do mar.

“Da reunião resultou a constituição de grupos de trabalho, organizados por eixos de atuação, que irão partilhar a sua estratégia de atuação no próximo encontro da ‘task force’ para o mar, prevista para o próximo mês de junho”, acrescenta o Ministério da Economia e do Mar.

Na ocasião, o governante aproveitou ainda para dar nota dos desenvolvimentos dos trabalhos organizativos da Conferência das Nações Unidas sobre os Oceanos, que vai decorrer em Lisboa, entre 27 de junho e 1 de julho, constituindo uma “oportunidade única de afirmação de Portugal como líder global nas matérias do oceano”.

Sobre o autorPublituris

Publituris

Mais artigos
Artigos relacionados
Destinos

Portugal entre os destinos preferidos dos franceses

Depois de Marrocos, Portugal foi o destino turístico que mais atraiu os franceses em 2020 de acordo com uma investigação conduzida pelo buscador de viagens Liligo.

Após dois anos de crise sanitária, os franceses saíram de férias em 2022 e apreciaram especialmente a cidade marroquina de Marrakech, que conquistou o primeiro lugar entre os principais destinos o ano passado.

O estudo divulgado pelo “Air Journal” revela que Marraquexe, em Marrocos, foi o destino preferido dos franceses, em 2022 e pelo segundo ano consecutivo, principalmente pelo seu preço. O ano passado, o custo de uma viagem de avião de ida e volta caiu 35% face a 2019, revela o “Air Journal”. Assim, bastou pagar em média 207 euros em transporte para uma deslocação à “cidade vermelha”.

Portugal também encantou os turistas franceses em 2022.  A capital, Lisboa, ocupa o segundo lugar, seguida do Porto na terceira posição. Istambul foi a quarta escolha, depois Barcelona que está em quinto lugar entre os principais destinos do ano que agora terminou.

Neste ranking constam também os conhecidos por Territórios Ultramarinos, com Saint-Denis, a principal cidade da Ilha Reunião, na sexta posição com uma média de ida e volta de 861 euros, enquanto Guadalupe representada por Pointe-à-Pitre é a sétima. Os franceses também fizeram férias no próprio país e, neste caso Nice está em oitavo lugar.

Para fechar este ranking, está a América do Norte. Montreal está em 9º lugar. A viagem de ida e volta custa em média 544 euros. “Air Journal” sublinha finalmente a caída de Nova Iorque, que deu o seu décimo lugar a Fort-de-France, na Martinica, cujo preço médio de ida e volta aumentou 15% entre 2020 e 2021.

Entretanto, segundo informação veiculada pelo “Infotravel”, 70% dos franceses já viajaram em 2022 e 71% pretendem fazê-lo este ano. Do lado das intenções, os Territórios Ultramarinos e Europa serão os destinos preferidos por 65% dos inquiridos

Mais uma vez o automóvel será o principal meio de transporte para 71% dos inquiridos, seguido do avião (30%) e do comboio (27%).

Sobre o autorCarolina Morgado

Carolina Morgado

Mais artigos
Destinos

Loja Interativa de Ponte da Barca e Castelo de Lindoso acolheram mais de 25 mil visitantes

O ano passado, a Loja Interativa de Turismo de Ponte da Barca, juntamente com a Porta e Castelo de Lindoso registaram mais de 25 mil turistas oriundos dos diversos pontos do país e do mundo, designadamente de Espanha, França e Países Baixos, anunciou a Câmara Municipal.

Publituris

A Loja de Turismo, onde funciona também o Centro Interpretativo do Património Fernão de Magalhães, “é um dos pontos de passagem obrigatória, localizada no centro histórico de Ponte da Barca, junto à zona ribeirinha e à ponte Medieval, um dos ex-libris da vila minhota. O espaço integra-se numa rede estruturada de informação e serviços, partilhando conteúdos em tempo real e disponibilizando informações sobre o concelho e toda a região”, destaca a autarquia.

Também na freguesia de Lindoso, onde se situam os emblemáticos espigueiros, a Porta e o Castelo, mereceu a visitação de muitos turistas. A porta do Parque Nacional da Peneda Gerês – classificado pela UNESCO como Reserva Mundial da Biosfera -, é, refere a Câmara Municipal de Ponte da Barca em comunicado, “uma estrutura privilegiada de receção aos visitantes e de promoção de todo um património natural, cultural e paisagístico e de diversas atividades como visitas ao castelo ou da promoção de ação de educação ambiental”.

“Mas Lindoso é atrativa também pelo seu conjunto de espigueiros que se estendem por uma vasta eira junto ao Castelo e pelo seu Castelo que foi palco de algumas das batalhas mais duras que, desde o reinado de Afonso III, afirmaram a independência de Portugal e que, nos dias de hoje, acolhe ainda o Núcleo Museológico”, sublinha o comunicado.

“Além dos espigueiros e do castelo, é possível observar uma pequena ponte medieval, várias calçadas medievais, o castro de Cidadelhe, os moinhos de água de Parada ou as eiras comunitárias. Nas redondezas encontra ainda a deslumbrante paisagem da albufeira do Lindoso, onde se situa, também, a Barragem da Alto Lindoso”, realça.

“A beleza do património natural e a riqueza do património histórico, acrescidas de uma gastronomia extraordinária, de excelentes unidades hoteleiras, valências desportivas e de lazer e de uma oferta desportivo-cultural de referência têm contribuído para a maior atratividade do concelho de Ponte da Barca”, conclui a autarquia.

 

Sobre o autorPublituris

Publituris

Mais artigos
Destinos

Mário Centeno ouve entidades do turismo em reunião no Algarve

O governador do Banco de Portugal, Mário Centeno, reuniu-se sexta-feira, na agência de Faro do BdP, com representantes do setor do turismo para auscultar as suas preocupações sobre o contexto económico nacional e internacional e os desafios que se colocam à sua atividade.

Publituris

Na reunião, segundo comunicado do Banco de Portugal, que faz parte de um conjunto de iniciativas destinadas a aproximar a instituição da comunidade, os participantes partilharam a sua visão sobre o setor do turismo e sobre os impactos da subida dos preços e das taxas de juro na atividade económica do país, permitindo ao Banco de Portugal obter uma visão mais próxima da realidade do setor.

Sobre o autorPublituris

Publituris

Mais artigos
Destinos

Reabertura da China é “boa notícia” para Portugal, considera Associação de Turismo Chinês

A Associação de Turismo Chinês considera que a reabertura da China é “boa notícia” para Portugal, e acredita que o número de turistas chineses a visitar o nosso país vai aumentar “mês a mês”.

Publituris

Yong Liang, presidente da associação, fundada em fevereiro de 2019, com o objetivo de promover Portugal na China como destino turístico, disse à Lusa que à medida que operadores em todo o mundo se preparam para o regresso de dezenas de milhões de chineses ao mercado global, “a reabertura da China é uma boa e positiva notícia para a indústria do turismo em Portugal”.

Alertando para a necessidade de aumentar a frequência da ligação aérea entre os dois países, Liang acredita que o número de turistas a visitar Portugal vai aumentar “mês a mês”.

A associação estabeleceu anteriormente como objetivo atingir um milhão de turistas chineses em 2025, mas com a pandemia “talvez demoremos um pouco mais, mas vamos continuar a trabalhar para esse primeiro objetivo, bem como para dar resposta ao desafio que nos foi apresentado de aumentar a estada média dos turistas chineses em Portugal”, afirmou Yong Liang.

Entretanto, dados facultados à Lusa por Tiago Brito, o representante permanente do Turismo de Portugal na China, mais de 385 mil chineses visitaram Portugal em 2019, o último ano antes da pandemia. Os turistas oriundos da China gastaram, no total, 224 milhões de euros no país, um crescimento de 20%, face a 2018.

A China, o maior emissor de turistas do mundo, manteve as fronteiras encerradas durante quase três anos, no âmbito da política de ‘zero casos’ de covid-19, que foi desmantelada, no mês passado, após protestos ocorridos em várias cidades do país.

A ligação aérea entre Portugal e a China passou a ser feita apenas uma vez por semana. Até ao início da pandemia, o voo realizava-se três vezes por semana.

A companhia aérea Beijing Capital Airlines, que opera a ligação, previu à Lusa que a reposição da frequência original deve ser feita até ao verão, apontando que as agências chinesas ainda não estão a organizar viagens para Portugal e Espanha. Tudo “vai depender da evolução do mercado”, referiu fonte da empresa.

O Instituto de Pesquisa de Turismo Externo da China estimou que 18 milhões de turistas chineses vão viajar além-fronteiras no primeiro semestre do ano, seguidos por 40 milhões no segundo.

Em 2019, 155 milhões de chineses viajaram para o exterior, de acordo com uma análise do banco de investimento norte-americano Citigroup.

A mesma análise, citada pela Lusa, apurou que, no total, os turistas oriundos da China continental gastaram 255 mil milhões de dólares (235 mil milhões de euros) no exterior, no último ano antes da pandemia, tendo projetado uma recuperação sólida, no primeiro trimestre de 2023, e um retorno em massa do turismo, no segundo.

 

Sobre o autorPublituris

Publituris

Mais artigos
Destinos

Ministra do Turismo do Brasil quer reduzir preço das passagens aéreas para estimular turismo doméstico

Daniela Carneiro diz que “reduzir o preço da passagem aérea para incentivar o turismo doméstico é uma das prioridades” da sua gestão, depois dos preços das passagens aéreas no Brasil terem subido perto de 14%.

Publituris

A nova ministra do Turismo do Brasil, Daniela Carneiro, diz que a sua prioridade é reduzir o preço das passagens aéreas para estimular o turismo doméstico, avança a CNN Brasil.

De acordo com a governante, o objetivo passa por encontrar “uma solução que democratize o acesso à aviação brasileira”, cujos preços sofreram um aumento de 13,9% em outubro de 2022, em resultado do aumento da procura e do preço do combustível.

“Reduzir o preço da passagem aérea para incentivar o turismo doméstico é uma das prioridades da minha gestão”, afirmou Daniela Carneiro, revelando que, ainda este mês, vai promover uma reunião interministerial para encontrar soluções que promovam a descida dos preços.

Daniela Carneiro já se reuniu, entretanto, com a ABEAR – Associação Brasileira de Empresas Aéreas para discutir o tema.

Sobre o autorPublituris

Publituris

Mais artigos

Centro de Interpretação da Batalha dos Atoleiros

Destinos

Governo atribui designação de “monumento nacional” ao Terreiro da Batalha dos Atoleiros

O governo atribuiu, em Conselho de Ministros, a designação de “monumento nacional” ao Terreiro da Batalha dos Atoleiros e aprovou ainda a reclassificação como monumento de interesse nacional o Mosteiro de Santo Sepulcro.

Publituris

O Governo decidiu esta quinta-feira, 19 de janeiro, em Conselho de Ministros, atribuir a designação de “monumento nacional” ao Terreiro da Batalha dos Atoleiros, na Herdade dos Atoleiros, em Fronteira.

“O Terreiro da Batalha dos Atoleiros constitui uma importante paisagem natural e histórico-cultural onde se conserva tanto a topografia original, como a memória material e simbólica do episódio bélico ocorrido em 1384 entre Portugal e Castela, de grande significado no quadro da resolução da crise dinástica gerada após a morte de D. Fernando I”, justifica o executivo em comunicado.

O Conselho de Ministros desta quinta-feira aprovou ainda a reclassificação como monumento de interesse nacional o Mosteiro de Santo Sepulcro, ou Mosteiro das Águas Santas, em Penalva do Castelo, Viseu.

O Mosteiro de Santo Sepulcro, que se encontra classificado como monumento de interesse público desde 2013, mantém “a zona especial de proteção anteriormente fixada”, uma vez que representa “um valioso testemunho da remota época da sua fundação e um singular exemplar artístico e arquitetónico do estilo românico”.

 

Sobre o autorPublituris

Publituris

Mais artigos
Destinos

República Dominicana anuncia novos investimentos hoteleiros

O Ministério do Turismo da República Dominicana anunciou, em Madrid, que foram fechados investimentos no valor de 3.445 milhões de dólares para o desenvolvimento de novas infraestruturas hoteleiras no país.

Publituris

O ministro David Collado assegurou que “conseguimos fechar extraordinários de investimentos”, e que “só para este ano de 2023, os investimentos hoteleiros serão de 1.645 milhões de dólares e vão proporcionar um total de mais de 3.000 novos quartos”, informou, para acrescentar ainda que estes empreendimentos vão gerar mais de 10.000 postos de trabalho diretos e indiretos.

Entre os novos investimentos, Collado anunciou a conclusão de um acordo com a rede Planet Hollywood para a construção de um hotel no empreendimento Punta Bergantín, na cidade de Puerto Plata.

Por sua vez, David Llibre, presidente da Associação Dominicana de Hotéis e Turismo, destacou que “esses investimentos trazem ao país marcas muito valiosas que elevam o nível do turismo na República Dominicana, como Ritz Carlton, W Hotels, Dreams, Sport Illustrated, Hyatt, Four Seasons, entre outros”.

O ministro Collado aproveitou também a conferência de imprensa para informar que, no âmbito da Fitur, assinou sete novos acordos com operadores turísticos e agências de viagens europeias com capacidade para mais de 700 mil turistas que poderão chegar ao país este ano graças a esta iniciativa.

Sobre o autorPublituris

Publituris

Mais artigos
Destinos

Nova edição: Os nomeados dos Portugal Trade Awards, Lisboa e autocarros de turismo

A nova edição do Publituris faz capa com os nomeados para os Portugal Trade Awards by Publituris @BTL 2023, que vão ser entregues no primeiro dia da BTL, a 1 de março. Além disso, inclui também um especial sobre Lisboa, um dossier sobre autocarros de turismo e passageiros, uma entrevista com o responsável da VARIAÇÕES e um artigo sobre a Turiset, a primeira agência em Portugal a ostentar o selo ‘Checked by DECO’.

Publituris

A nova edição do Publituris, a última do primeiro mês de 2023, faz capa com os nomeados para os Portugal Trade Awards by Publituris @BTL 2023, que vão ser entregues no primeiro dia da BTL, a 1 de março.

Este ano, são 100 os nomeados, em 16 categorias, às quais acresce o prémio “Personalidade do Ano”, que é escolhido diretamente pela equipa do Publituris. A votação online arranca já na próxima segunda-feira, 23 de janeiro, prolongando-se até 17 de fevereiro.

Nesta edição, publicamos também um especial sobre Lisboa, destino cuja marca está a puxar toda a região, segundo Vitor Costa, presidente da Entidade Regional de Turismo da Região de Lisboa e diretor-geral da Associação de Turismo de Lisboa (ATL). Neste trabalho, saiba também porque quer a ATL repensar a estratégia turística para a região, através das palavras da diretora executiva da associação, Paula Oliveira, fique a par das novidades da hotelaria na região da capital para este e para os próximos anos e conheça ainda a nova Doca da Marinha, que promete aproximar Lisboa do Tejo.

Na secção Distribuição, publicamos ainda um artigo sobre a Turiset, que se tornou na primeira agência de viagens em Portugal a ostentar o selo “Checked by DECO”, e, em MI, o destaque vai para uma entrevista com Diogo Vieira da Silva, diretor-executivo da VARIAÇÕES – Associação de Comércio e Turismo LGBTI+, que vai estar presente na BTL 2023 e que pede que Portugal crie uma estratégia para este segmento, que vale perto de 50 mil milhões de euros.

O Dossier desta edição do Publituris é dedicado aos autocarros de turismo e passageiros, que se mostram mais confiantes em relação a 2023, uma vez que, com a melhoria da situação epidemiológica, a procura parece estar a regressar. Apesar de positivas as expetativas para este ano, as empresas mostram-se moderadamente otimistas, uma vez que os desafios continuam a ser muitos e foram agravados com a guerra na Ucrânia, nomeadamente ao nível dos custos com o combustível, aos quais estas empresas estão particularmente expostas. Neste dossier, saiba ainda que novidades estão as empresas de autocarros de turismo e passageiros a preparar para este ano.

Além do Pulse Report, esta edição conta ainda com as opiniões de Francisco Jaime Quesado (economista e gestor); Mariana Marques (docente do ISG); Andrea Santos, Filipe Trindade e Gilda Mendes (coordenadores da Pós-Graduação em Organização de Eventos do ISAG); e António Paquete (economista).

Boas leituras!

A versão completa desta edição é exclusiva para subscritores do Publituris. Pode comprar apenas esta edição ou efetuar uma assinatura do Publituris aqui obtendo o acesso imediato.

Para mais informações contacte: Carmo David | [email protected]publituris.pt | 215 825 43

Nota: Se já é subscritor do Publituris entre no site com o seu Login de assinante, dirija-se à secção Premium – Edição Digital e escolha a edição que deseja ler, abra o epaper com os dados de acesso indicados no final do resumo de cada edição.

 

 

 

 

 

Sobre o autorPublituris

Publituris

Mais artigos
Destinos

Portugal e Espanha definem “pontos de encontro” no turismo transfronteiriço

Portugal e Espanha acordaram uma nova Estratégia para o Turismo Fronteiriço. Se do lado português, o ministro da Economia e do Mar, António Costa e Silva, considera que “definirá conceitos de turismo virados para o futuro”, a ministra do Indústria, Comércio e Turismo de Espanha, Maria Reyes Maroto, refere que se trata de “uma oportunidade e não de uma necessidade”.

Victor Jorge

O ministro da Economia e do Mar de Portugal, António Costa e Silva, e a ministra do Indústria, Comércio e Turismo de Espanha, Maria Reyes Maroto, apresentaram esta quinta-feira, 19 de janeiro, no decorrer da FITUR 2023, em Madrid, a nova Estratégia de Sustentabilidade do Turismo Transfronteiriço 2022-2024 no que o ministro português considerou ser um “projeto transformador” e que irá desenhar “novos pontos de encontro entre os dois países”.

António Costa e Silva destacou mesmo “o dia histórico”, uma vez que se trata de um “acordo único no mundo”. De acordo com o ministro português, este acordo permitirá, através do turismo, “fixar população, atrair talento e qualificar pessoas”, dando enfâse ao que os dois países poderão oferecer em termos de gastronomia, enologia, literatura, cultura, arte, entre outros.

Salientando o facto de “estarmos a falar de 1.234 quilómetros de fronteira” e, em termos demográficos, de “cerca de 140.000 quilómetros quadrados de território”, Costa e Silva considera que este projeto “redefine o turismo através do território”, uma vez que existe “uma forte ligação entre as regiões transfronteiriças portuguesas e espanholas”.

Contudo, o ministro da Economia e do Mar português salientou o facto de ser necessário” reinventar produtos turísticos para oferecer experiências novas” que assentarão, também, numa estratégia de promoção externa conjunta.

“As comunidades sentem-se abandonadas”, destacando Costa e Silva “a coesão territorial” como factor essencial para o futuro, frisando ainda que “com as acessibilidades que estão e serão construídas, teremos a capacidade de fidelizar fluxos turísticos”.

“Os países quando trabalham juntos podem ser transfigurados”, admitindo mesmo que esta estratégia agora apresentada e que será desenvolvida no futuro, “poderá reinventar a identidades dos dois países. No fundo, queremos apresentar conceitos de turismo virados para o futuro”, terminou António Costa e Silva.

Já Maria Reyes Maroto também destacou o “acordo único” que os dois países passam a desenvolver a partir de agora e que fora assinado na Cimeira Bilateral de novembro de 2022 em Viana do Castelo. “Estamos a falar oportunidades e não de necessidades”, considerou a ministra do Indústria, Comércio e Turismo de Espanha.

Reyes Maroto definiu, de resto, quatro pontos estratégicos para este acordo: “oportunidade; desenvolvimento económico e social do território; sustentabilidade não só ambiental, mas também económica e social; e coesão”.

No final, António Costa e Silva referiu que “as duas entidades responsáveis pela promoção do turismo de ambos os países irão agora definir a respetiva estratégia conjunta”, não tendo avançado com prazos, investimentos e quais os mercados onde será realizada a aposta na promoção desta nova parceria.

 

Sobre o autorVictor Jorge

Victor Jorge

Mais artigos
Destinos

Receitas turísticas de novembro ultrapassam pela primeira vez os mil milhões de euros

Os dados do Banco de Portugal (BdP) mostram que, em novembro, pela primeira vez neste mês, as receitas turísticas ficaram acima dos mil milhões de euros, ultrapassando igual mês de 2019 em 35,1%, que tinha sido o melhor mês de novembro de sempre para o turismo nacional.

Inês de Matos

As receitas provenientes da atividade turística voltaram a subir no passado mês de novembro e, pela primeira vez, ultrapassaram os mil milhões de euros neste mês, que se tornou já no melhor novembro de sempre para o turismo nacional, com as receitas a somarem 1.226,67 milhões de euros, segundo os dados revelados esta quinta-feira, 19 de janeiro, pelo Banco de Portugal (BdP).

De acordo com o BdP, as receitas turísticas de novembro, que se encontram pelos gastos dos turistas estrangeiros em Portugal, ficaram 35,1% acima do apurado em igual mês de 2021 e ultrapassaram mesmo novembro de 2019, que tinha sido o melhor mês de novembro de sempre para o turismo nacional, em 24,4%.

Tal como as receitas turísticas, também as importações do turismo, que são apuradas pelos gastos dos turistas portugueses no estrangeiro, somaram, em novembro, o valor mais elevado de sempre para este mês, chegando aos 394,98 milhões de euros, o que traduz uma subida de 22,4% face ao valor apurado em novembro de 2021 e de 8,5% em comparação com novembro de 2019.

E também o saldo da rubrica “Viagens e Turismo” aumentou em novembro de 2022 e somou 831,69 milhões de euros, valor que ficou 42% acima do apurado em igual mês de 2021 e 33,4% do registado em novembro de 2019.

O BdP indica que, em novembro,  “a rubrica de viagens e turismo, cujas exportações e importações cresceram, em termos homólogos, respetivamente, 35,1% e 22,4%”, contribuiu para a subida das exportações e das importações na balança de serviços, que registou mesmo um excedente e compensou “parcialmente” o aumento do défice da balança de bens.

Acumulado também sobe

Tal como em novembro, também o acumulado desde o início do ano traz boas notícias, uma vez que as receitas turísticas somam já 19.722,13 milhões de euros, o que traduz um aumento de 16,1% face aos 16.955,7 milhões de euros que tinham sido apurados em novembro de 2019.

As boas notícias são ainda comuns às importações do turismo, que somaram, em novembro, 5.116,18 milhões de euros, ultrapassando em 8,3% o valor de 4.722,2 milhões de euros acumulado até novembro de 2019.

No saldo da rubrica “Viagens e Turismo”, o aumento foi de 16,5%, uma vez que os 12.508,73 milhões de euros apurados no acumulado dos primeiros 11 meses de 2019 comparam agora com um valor que chega aos 14.569,97 milhões de euros.

 

Sobre o autorInês de Matos

Inês de Matos

Mais artigos

Navegue

Sobre nós

Grupo Workmedia

Mantenha-se conectado

©2021 PUBLITURIS. Todos os direitos reservados.