Assine já
Covid Vaccine Stock photos by Vecteezy
Destinos

COVID-19: ECDC adverte para época festiva de final de ano

Depois da Organização Mundial da Saúde ter chamada à atenção para a possibilidade da COVID-19 poder provocar mais 700.000 mortes na Europa até à primavera, agora é o Centro Europeu para o Controlo e Prevenção de Doenças (ECDC) alertar para os riscos da época festiva próxima.

Publituris
Covid Vaccine Stock photos by Vecteezy
Destinos

COVID-19: ECDC adverte para época festiva de final de ano

Depois da Organização Mundial da Saúde ter chamada à atenção para a possibilidade da COVID-19 poder provocar mais 700.000 mortes na Europa até à primavera, agora é o Centro Europeu para o Controlo e Prevenção de Doenças (ECDC) alertar para os riscos da época festiva próxima.

Publituris
Sobre o autor
Publituris
Artigos relacionados
Nova vaga alastra na Europa sobretudo em regiões com menos vacinação
Destinos
Covid Vaccine Stock photos by Vecteezy
Áustria e Croácia “forçam” validade da vacina
Homepage
Covid Vaccine Stock photos by Vecteezy
Reino Unido revê lista de países sujeitos a quarentena obrigatória
Destinos
Vector Vectors by Vecteezy
“A sustentabilidade era, até aqui, mais uma intenção do que uma ação”
Destinos

O Centro Europeu para o Controlo e Prevenção de Doenças (ECDC) alertou, recentemente, para a possibilidade de, em dezembro e janeiro, a União Europeia (UE) encontrar-se numa situação de “risco muito elevado” da pandemia COVID-19 devido à baixa taxa de vacinação.

“Sem alterações nas taxas de contacto em relação aos níveis atuais, estimamos que os países com o nível mais elevado de cobertura vacinal de mais de 80% estão em ‘risco acrescido’, enquanto os com os níveis de cobertura vacinal inferiores a 80% estão em ‘alto risco’”, adverte o mais recente cenário traçado pela diretora do ECDC, Andrea Ammon.

A entidade salienta, no site, que os cenários de modelização do ECDC “indicam que o peso potencial da doença na UE/EEE [Espaço Económico Europeu] a partir da variante Delta será muito elevado em dezembro e janeiro, a menos que sejam agora aplicadas medidas de saúde pública em combinação com esforços contínuos para aumentar a administração de vacinas na população total”.

O ECDC apela a um reforço na vacinação contra a COVID-19 em todo o espaço comunitário, salientando que na UE/EEE as taxas são de 65,4% da população total vacinada e de 76,5% da população adulta, destacando ainda a necessidade de uma dose de reforço a todos os adultos, com prioridade aos maiores de 40 anos.

O ECDC reitera ainda os apelos para um reforço das medidas não médicas, como o uso de máscara e a limitação dos contactos sociais.

“A situação epidemiológica atual é, em grande parte, impulsionada pela elevada transmissibilidade da variante Delta [do coronavírus SARS-CoV-2], que contraria a redução da transmissão conseguida pela vacinação na UE/EEE”, indica o relatório de avaliação de risco.

Recorde-se que na terça-feira, 23 de novembro, a Organização Mundial da Saúde (OMS) alertou que a COVID-19 poderá provocar mais cerca de 700.000 mortes na Europa até à primavera se a tendência atual de contágios continuar.

Sobre o autorPublituris

Publituris

Mais artigos
Artigos relacionados
Foto: Vasco Célio/Stills
Destinos

João Fernandes reeleito para novo mandato na Associação de Turismo do Algarve

João Fernandes foi reeleito esta quinta-feira, 2 de dezembro, para um novo mandato à frente da Associação de Turismo do Algarve (ATA).

O presidente da Região de Turismo do Algarve (RTA), João Fernandes, foi reeleito para um segundo mandato à frente da Associação de Turismo do Algarve (ATA), entidade responsável pela promoção internacional do Algarve, cujas eleições decorreram esta quinta-feira, 2 de dezembro.

Num comunicado enviado à imprensa, a ATA explica que o ato eleitoral contou com uma lista única, que era liderada por João Fernandes e que contava com “representatividade dos vários agentes da indústria de turismo da região” e reuniu uma votação “expressiva”, com 90 votos a favor, um voto nulo e outro voto em branco.

“A acompanhar João Fernandes na presidência dos restantes órgãos da nova Direção, que ficará em funções até 2024, estão a ACRAL – Associação do Comércio e Serviços da Região do Algarve, à frente da Assembleia Geral, e o Hotel Júpiter, à frente do Conselho Fiscal”, indica a ATA, no comunicado divulgado.

Depois do ato eleitoral, João Fernandes mostrava-se “muito satisfeito com esta reeleição”, principalmente por poder dar continuidade ao projeto que foi iniciado em 2018 e que, segundo o responsável, “se tem mostrado vencedor”, mesmo durante a fase de pandemia.

“Os próximos anos continuarão a ser, certamente, tempos muito desafiantes e exigentes para o turismo do Algarve, mas tenho confiança que esta equipa irá saber manter o mesmo espírito combativo para continuar a ultrapassar obstáculos com sucesso, dedicação e muita criatividade”, afirma João Fernandes.

Aposta na diversidade da oferta da região e consolidação do reconhecimento internacional do Algarve como um destino turístico autêntico e de qualidade superior são, de acordo com a ATA, os pilares que vão suportar a promoção futura do Algarve e cujo sucesso, segundo a associação, deverá continuar a passar pelo “envolvimento dos vários agentes do setor de turismo da região em torno deste objetivo comum”.

Além de João Fernandes, reeleito presidente da Direção da ATA, a associação passa a contar com os seguintes órgãos sociais:

Assembleia Geral

Presidente – ACRAL (Associação do Comércio e Serviços da Região do Algarve),
representada por Álvaro José Martins Viegas.

Secretário – Castro Marim Golfe and Country Club (Algarvelux – Const. e
Empreendimentos, S.A.), representada por David Martins.

Vogal – Casa Modesta (Casa Modesta, Lda.), representada por Vânia Isabel Brito
Fernandes.

Suplente – Animaris (Animação Turística, Lda.) representada por José Rita Brito Vargas

Suplente – Restaurante 2 Passos (Alfazema Restaurantes, Lda), representado por
Joaquim Alberto Rodrigues Coelho.

Direção

Presidente – Região de Turismo do Algarve, representada por João Pedro Ferreira
Caldas Fernandes.

Vice-Presidente – Hotel Quinta do Lago (Grampiam, SA.), representado por Filipe José
Rosário do Adro.

Vice-Presidente – APAVT (Associação Portuguesa das Agências de Viagens e Turismo),
representada por Duarte Manuel Gois Correia.

Vice-Presidente – Benamor (Atividades Turísticas, SA.), João Paulo Carvalho Oliveira e
Sousa.
Vice-Presidente – Vila Monte Farm House (Discovery Hotel Management),
representada por Pedro Minetto Ferreira Neto.

Vice-Presidente – Hotel Eva (AP Hotels & Resorts), representada por Emanuel José
Moreira de Freitas.

Suplente – VISACAR (Aluguer de Veículos Motorizados Automóveis, SA.), representada
por Honório Manuel Bernardo Teixeira.

Suplente – Associação Vilamoura Visitors, Residents & Conventions Bureau,
representada por Isolete Jerónimo Café Correia.

Conselho Fiscal

Presidente – Hotel Júpiter (Júpiter Indústria Hoteleira, S.A.) representada por Luís
Miguel Henriques da Conceição Negrão Sequeira.

Vice-Presidente – Salema EcoCamp Surf & Nature (Around the Eden Nature Park,
Lda.), representada por Joaquim Jacinto Lourenço.

Vogal –Dreamwave (DreamWave Algarve, Atividades Marítimo-Turísticas, Lda.),
representada por Raul Manuel Domingos Correia.

Suplente – Loulé Jardim Hotel (Filipe Contreiras Unipessoal), representado por Filipe
Manuel Lampreia Contreiras.

Suplente – Vale do Garrão, Lda. (Hotel Ria Park), representada por Maria Teresa Pontes
Caldeano.

Sobre o autorPublituris

Publituris

Mais artigos
Destinos

Há duas aldeias portuguesas entre as melhores do mundo para turismo rural

Cumeada e Castelo Rodrigo foram as duas aldeias portuguesas distinguidas nos prémios Best Tourism Village, que foram, este ano, entregues pela Organização Mundial do Turismo (OMT) pela primeira vez.

As aldeias portuguesas de Cumeada e Castelo Rodrigo foram duas das vencedoras do Prémio Best Tourism Village da Organização Mundial do Turismo (OMT), galardões que foram entregues esta quinta-feira, durante a 24.ª Assembleia Geral da organização, que está a decorrer em Madrid, Espanha.

Num comunicado enviado à imprensa, o Turismo de Portugal explica que este foi o primeiro ano em que a OMT entregou estes prémios, com o objetivo de “distinguir os melhores destinos rurais a nível mundial e, desta forma, contribuir para a valorização do território rural e comunidades locais através do turismo”.

Nesta primeira edição, Portugal candidatou três aldeias, o máximo de candidaturas permitidas por país, tendo os prémios recebido um total de 170 candidatos de 75 países.

Com o prémio, as aldeias vencedoras recebem também o selo Best Tourism Village, que é válido por três anos, após os quais as aldeias serão novamente avaliadas, de acordo com os requisitos de sustentabilidade, para lhe ser renovado o selo.

Paralelamente, a OMT vai também selecionar, através do Upgrade Programme, um conjunto de aldeias que não preencheram a totalidade dos critérios de Best Tourism Village, mas que vão receber apoio da OMT e outros parceiros para “desenvolver aspetos identificados como a melhorar durante o processo de avaliação da candidatura”.

“Os candidatos são também integrados na Rede Internacional da OMT que irá permitir a partilha de experiências e boas práticas entre aldeias. Esta rede vai integrar representantes das aldeias Best Tourism Village e das aldeias do Upgrade Programme, bem como especialistas e parceiros públicos e privados, envolvidos no desenvolvimento do turismo rural”, acrescenta o Turismo de Portugal.

Para Rita Marques, secretária de Estado do Turismo, que marcou presença na 24.ª Assembleia Geral da OMT, estes prémios são também “uma validação da estratégia turística nacional que, desde 2017, tem vindo a desenvolver um conjunto de ações com vista a construir o turismo do futuro, sustentável e inovador”.

“E são estas boas práticas que queremos ver implementadas em larga escala, para que, cada vez mais, Portugal seja um destino que pode ser visitado ao longo de todo o ano, em todas as regiões”, explica a governante.

Sobre o autorPublituris

Publituris

Mais artigos
Destinos

AHRESP pede nova prorrogação da linha de microcrédito do Turismo de Portugal

Associação considera que o impacto das novas medidas adotadas para conter a pandemia justifica a prorrogação do período de carência desta linha de apoio por mais um ano.

Publituris

A Associação da Hotelaria, Restauração e Similares de Portugal (AHRESP) veio esta terça-feira, 30 de novembro, pedir uma nova prorrogação do período de carência da linha de microcrédito do Turismo de Portugal, uma vez que, defende a associação, as novas medidas adotadas para conter a pandemia voltaram a “perturbar os negócios” das empresas de restauração e hotelaria, o que justifica “o reforço dos apoios à tesouraria”.

“As recentes medidas anunciadas pelo Governo, bem como o clima generalizado de perda de confiança nos consumidores e turistas, estão mais uma vez a perturbar os negócios das nossas empresas, pelo que é da maior urgência o reforço dos apoios à tesouraria, como a prorrogação do período de carência da linha do Turismo de Portugal por mais um ano”, defende a associação, num comunicado enviado à imprensa.

Para a AHRESP, esta linha de apoio, que foi criada logo no início da pandemia e que “tem vindo a ser sucessivamente reforçada”, revelou-se “um dos principais instrumentos de apoio à tesouraria” das empresas de restauração e hotelaria.

A associação admite que o Turismo de Portugal já prorrogou o período de carência desta linha para 30 de junho de 2022, no caso dos contratos cujos períodos de carência terminavam até 31 de março de 2022, mas considera que o impacto das novas medidas justifica uma nova prorrogação e que os pagamentos dos contratos atualmente em vigor apenas se iniciem a partir de 1 de julho de 2023.

Recorde-se que a partir de 1 de dezembro, com o regresso da situação de calamidade, voltou a ser obrigatória a apresentação de certificado de vacinação ou teste negativo à COVID-19 para acesso aos estabelecimentos de restauração e alojamento turístico.

 

Sobre o autorPublituris

Publituris

Mais artigos
Destinos

Madeira lança nova campanha e convida a viver Natal e Fim de Ano “À Madeirense”

Nova campanha vai estar em vigor até 20 de dezembro, em 17 mercados internacionais e exclusivamente através de plataformas online, promovendo as festas de Natal e Fim de Ano da Madeira.

Publituris

A Associação de Promoção da Madeira (APM) lançou uma nova campanha promocional exclusiva para plataformas online, na qual convida os turistas nacionais e internacionais a visitarem o arquipélago e a viverem um Natal e Fim de Ano “À Madeirense”, mote que dá nome à nova campanha, que está em vigor até 20 de dezembro.

“Nova campanha para o mercado nacional e internacional acontece até 20 de dezembro, exclusivamente em plataformas online, sob o mote “À Madeirense”. Este é um convite para todos se juntarem às épicas festas de Natal e Fim de Ano que a Madeira proporciona aos seus visitantes”, explica a associação, num comunicado enviado à imprensa.

De acordo com a APM, a campanha visa promover as festas de Natal e Fim de Ano na região vai estar presente em 17 mercados internacionais, incluindo os tradicionais do Reino Unido, Espanha e França, mas também “novas apostas, como a Polónia ou República Checa e os Estados Unidos”.

A campanha conta com várias versões que enfatizam as tradições natalícias da região da Madeira, nomedamente “À Madeirense é um Natal de tirar o fôlego”, “À Madeirense o Natal é de festa em festa” e “À Madeirense o Natal é com calor e muita alegria”

As festas de Natal e Fim de Ano na Madeira voltam, este ano, a incluir diversas celebrações, como o Mercadinho de Natal, presépio com elementos da região, mesas com Bordado da Madeira e o tradicional espetáculo de fogo-de-artifício na noite de 31 de dezembro, além de decoração, música e gastronomia tradicional, exposições e quadros vivos, decorrendo entre 1 de dezembro e 9 de janeiro.

 

Sobre o autorPublituris

Publituris

Mais artigos
Destinos

‘Guia Algarve’ de dezembro repleto de propostas

O ‘Guia Algarve’ de dezembro apresenta um conjunto de propostas para quem visita ou reside na região, que passa por mercados, feiras, música, exposições e muitas outras atividades.

Publituris

O ‘Guia Algarve’ de dezembro apresenta um conjunto de propostas para quem visita ou reside na região, que passa por mercados, feiras, música, exposições e muitas outras atividades, para todos os gostos e idades.

Estes e outros eventos estão reunidos no guia mensal de eventos editado pela Região de Turismo do Algarve, uma publicação bilingue (português e inglês), com uma tiragem de 35 mil exemplares e distribuição gratuita nos hotéis, agências de viagens, postos de turismo, aeroporto de Faro, rent-a-cars e campos de golfe da região.

Para quem já está à procura de presentes de Natal, pode escolher o comércio tradicional, optando pelas dezenas de feiras e mercados que vão percorrer os vários concelhos do Algarve.

Sobre o autorPublituris

Publituris

Mais artigos
Destinos

Presidente do Governo Regional defende reforço de mecanismos de informação junto de turistas que visitam os Açores

Na sessão de encerramento do primeiro VisitAzores Tourism Forum, o presidente do Governo Regional dos Açores, José Manuel Bolieiro, valorizou o facto da região ser “uma referência cada vez mais relevante no contexto planetário”.

Publituris

O presidente do Governo Regional dos Açores, José Manuel Bolieiro, defendeu esta segunda-feira, 29 de novembro, o reforço pela Região de mecanismos de informação, nomeadamente digital, junto dos turistas que visitam as nove ilhas, garantindo-se dessa forma momentos “não apenas de lazer, mas também de elevação cultural”.

“Temos, efetivamente, tanto para oferecer em termos de informação em todas as áreas: natureza, património edificado, património identitário, condições inatas da nossa existência e surgimento planetário, a nossa posição geoestratégica, a relação com as novas economias como o mar, o espaço”, enumerou José Manuel Bolieiro, na sessão de encerramento do primeiro VisitAzores Tourism Forum, evento que cruzou as tendências do ‘marketing’ territorial com os novos caminhos do setor do turismo.

“Enquanto destino, somos uma referência cada vez mais relevante no contexto planetário, fruto da especial sensibilidade que o turismo, pela sustentabilidade, cala fundo nas opções de tantos dos nossos visitantes”, valorizou José Manuel Bolieiro.

O governante falava no Teatro Micaelense, em Ponta Delgada, reafirmando “a confiança que o Governo tem neste potencial da capacidade instalada e daqueles que podem alargar essa capacidade com novos investimentos”.

Para contrariar uma eventual “contemplação ignorante” do que as nove ilhas têm para oferecer, o presidente do Governo defende um reforço da informação, nomeadamente de base científica, junto dos turistas.

“Precisamos urgentemente de encontrar soluções multilingue para encontrar apoio científico”, sublinhou, antes de valorizar o trabalho dos diferentes centros de interpretação neste campo.

A “experiência” do visitante deve ser prosseguida pela Região de modo a “elevar a experiência turística” de quem se desloca em lazer aos Açores, concretizou José Manuel Bolieiro, que se mostrou confiante nos indicadores económicos da Região neste campo e a preparação desenvolvida para o período pós-pandemia.

Sobre o autorPublituris

Publituris

Mais artigos
Destinos

Número de hóspedes e dormidas crescem a três dígitos em outubro no alojamento turístico

O mês de outubro foi bastante positivo para o alojamento local, com os dados a mostram crescimentos de 115,5% nos hóspedes e 139% nas dormidas. Comparado com o mesmo mês de 2019, as quebras mantêm-se.

Victor Jorge

O setor do alojamento turístico registou 2,1 milhões de hóspedes e 5,5 milhões de dormidas em outubro de 2021, correspondendo a aumentos de 115,5% e 139%, respetivamente, depois de, em setembro, ter registado evoluções de 52,3% e 58,5%, pela mesma ordem), revela o Instituto Nacional de Estatística (INE) esta terça-feira, 30 de novembro.

Quando comparados os números de outubro de 2021 com os do mesmo mês de 2019, a análise mostra que os níveis atingidos foram inferiores aos observados em igual período pré-pandémico, indicando o INE quebras no número de hóspedes e de dormida de 14,6% e 13,5%, respetivamente.

Em outubro, o mercado interno contribuiu com 2 milhões de dormidas e aumentou 65,4%, continuando a superar os níveis do período homólogo de 2019 (+28,2%). As dormidas de não residentes, por sua vez, totalizaram 3,5 milhões, o valor mais elevado desde outubro de 2019, tendo triplicado face a outubro de 2020 (+216,6%), mas decresceram 26,7% face a outubro de 2019.

Os dados do INE destacam um aumento das dormidas em todas as regiões, comparando outubro de 2021 com o mesmo mês de 2020. Já numa comparação com o mês de outubro, mas de 2019, os dados evidenciam crescimentos no Alentejo (+14,9%) e Madeira (+3,9%), enquanto as restantes regiões registaram decréscimos.

No acumulado do ano, ou seja, nos primeiros dez meses de 2021 face a igual período de 2020, as dormidas aumentaram 31% (+31,9% nos residentes e +30% nos não residentes), mas decresceram 49,9% (-11% nos residentes e -66,3% nos não residentes) quando comparado com o mesmo período de 2019.

Finalmente, o INE revela, também, que neste mês de outubro, 24,2% dos estabelecimentos de alojamento turístico estiveram encerrados ou não registaram movimento de hóspedes, contra os 20,5% de setembro.

Sobre o autorVictor Jorge

Victor Jorge

Mais artigos
Destinos

Belas Clube de Campo lança soluções Golden Visa Ready

O Belas Clube de Campo lançou um conjunto de soluções Golden Visa Ready com possibilidade de escritura imediata, na sequência das alterações à atribuição dos Vistos Gold em Portugal, anunciadas para 2022.

Publituris

O Belas Clube de Campo lançou um conjunto de soluções Golden Visa Ready – apartamentos e lotes para construção de moradias, com possibilidade de escritura imediata.

A decisão do Belas Clube de Campo vem na sequência das alterações à atribuição dos Vistos Gold em Portugal, anunciadas para 2022, que têm originado uma elevada procura para compra de imóveis, por parte de investidores nacionais e internacionais.

De acordo com Gilberto Jordan, presidente Conselho de Administração da Planbelas “queremos continuar a contribuir para a captação de investimento internacional em Portugal e, para isso, desenvolvemos esta estratégia, que visa assegurar as melhores condições aos compradores que queiram investir em imobiliário até ao final deste ano”.

Em nota de imprensa, o empreendimento imobiliário-turístico destaca que dos cerca de seis mil milhões de euros investidos para obter uma autorização de residência, 90,4% foram para a compra de imóveis. No Belas Clube de Campo, 60% das vendas no Lisbon Green Valley são feitas junto do mercado estrangeiro, dos quais 30% com recurso ao Golden Visa. As nacionalidades que mais têm procurado esta modalidade são o Brasil e o Reino Unido, contando já com mais de 30 nacionalidades residentes.

Sobre o autorPublituris

Publituris

Mais artigos
Destinos

Embratur quer atrair mais turistas para o interior do Brasil

A Embratur está a promover novos destinos e atrações culturais, históricas e naturais mais acessíveis do interior do Brasil com o objetivo de atrair mais turistas. 

Publituris

A Embratur – Agência Brasileira de Promoção Internacional do Turismo está a promover novos destinos e atrações culturais, históricas e naturais mais acessíveis do interior do Brasil com o objetivo de atrair mais turistas.

“O interior do Brasil está repleto de destinos bonitos, cheios de natureza e de paz – elementos que sabemos que os turistas têm procurado mais, muito em parte devido à pandemia”, explica Carlos Brito, presidente da Embratur, para destacar que “nestes destinos, que acabam sempre por ser mais económicos e acessíveis financeiramente, é possível receber famílias, casais e turistas vindos de todo o mundo”. 

A Embratur reuniu, assim, cinco sugestões de destinos, roteiros, atividades e atrações turísticas, com informação útil, que se podem descobrir no interior do território brasileiro, nomeadamente no Estado de Minas Gerais, como Inhotim, com o seu museu de arte contemporânea e Jardim Botânico; a Estada Real, a maior rota turística do Brasil, com os mais de 1.600km de extensão; e as cidades de Ouro Preto, Diamantina e Congonhas. 

 

Sobre o autorPublituris

Publituris

Mais artigos
Destinos

OMS diz que risco global da Ómicron é “muito alto” e Japão fecha

A nova variante da COVID-19 está sob escrutínio de todas as entidades mundiais. Para a OMS, esta nova variante possui um risco “muito alto”. Entretanto, o Japão é dos mais recentes a fechar fronteiras.

Publituris

A Organização Mundial da Saúde (OMS) alertou este domingo, 28 de novembro, que o risco global representado pela nova variante Ómicron do coronavírus é “muito alto”.

Num relatório sobre esta nova variante do SARS-CoV-2, a OMS admite que “pode haver novas vagas de COVID-19 com consequências graves, dependendo de muitos fatores, como os locais onde essas ondas ocorrem”, acrescenta.

Neste momento, a OMS refere estar a coordenar um grande número de investigadores “para conhecer melhor o Omicron”, indicando que os estudos atualmente em andamento, em breve, “incluirão avaliações de transmissibilidade, gravidade da infeção (incluindo sintomas), desempenho de vacinas e testes de diagnóstico e eficácia dos tratamentos”.

O Japão foi um dos mais recentes países a anunciar que vai fechar as fronteiras a todos os visitantes estrangeiros devido à variante Omicron da COVID-19, três semanas após ter flexibilizado algumas restrições para permitir a entrada de viajantes de negócios e estudantes.

“Proibiremos todas as (novas) entradas de estrangeiros de todo o mundo a partir de 30 de novembro”, disse o primeiro-ministro nipónico, Fumio Kishida.

Relativamente aos japoneses que regressam de nove países da África Austral e de países onde foram relatadas infeções com a nova variante terão de ser submetidos a “medidas rigorosas de isolamento de acordo com os riscos”, disse Kishida.

O Japão, que tem tido restrições fronteiriças desde o início da pandemia, facilitou as medidas para viajantes de negócios, estudantes e estagiários estrangeiros no início de novembro, mas continua fechado aos turistas.

O governo japonês anunciou na sexta-feira que iria prolongar a quarentena hoteleira para dez dias para os visitantes do Botswana, Eswatini, Lesoto, Namíbia, África do Sul e Zimbabué que chegassem ao Japão, estendendo a medida agora a visitantes que chegavam do Malawi, Moçambique e Zâmbia.

Sobre o autorPublituris

Publituris

Mais artigos

Toda a informação sobre o sector do turismo, à distância de um clique.

Assine agora a newsletter e receba diariamente as principais notícias do Turismo. É gratuito e não demora mais do que 15 segundos.

Navegue

Sobre nós

Grupo Workmedia

Mantenha-se conectado

©2021 PUBLITURIS. Todos os direitos reservados.